12/27/2012

Como ser vencedores

Como ser vencedores

Texto: Romanos 8:37-39 

Introdução:

Se alguém fracassa em sua vida espiritual não é por falta de graça e amor divino. (Romanos 8:31-34)
Somente em Cristo Jesus se revelou o amor divino de Deus, enquanto permanecemos em Jesus Cristo tendo o como nosso Senhor podemos ter a certeza de que nunca seremos separados do amor de Deus.

I. Para sermos vencedores temos que ser humildes

1. Jesus é nosso exemplo. (Mateus 11:29)
· HUMILDE. É ser submisso, inclinar-se, obediente.
· O humilde é exaltado
2. Deus exalta os humildes e os protege (Salmos 147:6)
· Segundo o salmista Deus lhes assegura a ajuda e a vitória final (Salmos 22:26)
3. Deus respalda os humildes
4. Jesus Cristo ajudou os humildes e aflitos debaixo do novo pacto. (Mateus 11:28-30)
· Primeiro vinde a mim
· Tomai sobre vós o meu jugo.
· O jugo, problemas da vida (Criticas contra nós)
5. Deus se deleita naqueles que tem um espírito humilde
· Todo crente deve pedir um espírito de humildade
· Para poder ser agradável a ele (Gálatas 5:23) Mansidão, temperança.
· Aqui entram os frutos do espírito santo.
· Melhor é humilhar o espírito com os humildes. (Provérbios 16:19)  

II. Para sermos vencedores temos que ser tementes a Deus

1. O temor é aborrecer o mal (Provérbios 8:13)
2. O temor de Deus deve fazer que os crentes se apartem do mal (Provérbios 16:6, 14:26)
No temor de Jeová está a fonte de confiança.
3. É necessário aborrecer o pecado que desagrada a Deus e arruína a vida cristã.
· O temor de Deus é respeitá-lo como Deus.
· A causa de sua glória (Santidade, Majestade e poder)
· O temor a Jeová faz que os crentes ponham sua fé e confiança só nele.
· O temor nos faz reconhecer que ele é um Deus que está irado com o pecado.
· Tem poder para castigar os que transgridem
· Quando Adão e Eva pecaram tiveram medo de Deus.
· Tentaram esconder-se da sua presença. (Gênesis 3:8)  

III. Para sermos vencedores temos que ser obedientes a sua palavra.

1. É perigoso quando não se obedece a sua palavra. Exemplo de Jonas 1:1
2. Jonas foi chamado por Deus para advertir a cidade de Nínive.
3. Deus ia julgar a Nínive por causa do seu pecado.

· Era uma nação muito ímpia, brutal e imoral
· Qual é o perigo, de fugir (Jonas 1:3)
· Jonas fugiu do chamado de Deus, negando-se a entregar a mensagem.
4. Deus segue seu processo (Jonas 1:4)
· Enviou uma grande tempestade sobre o mar
· A fim de persuadir Jonas que obedecesse ao seu chamado.
· Por sua desobediência decide que o lancem ao mar (Jonas 1:12)
· Jonas sabia e reconhecia que era Deus quem alvoroçou o mar (Jonas 2:2) 

Conclusão:

Neste relato de Jonas ocorreram sete milagres:
1. Deus causou uma grande tempestade (Jonas 1:4)
2. Guiou a sorte para implicar a Jonas (Jonas 1:7)
3. Aquietou o Mar (Jonas 1:15)
4. Providenciou um grande peixe para tragá-lo (Jonas 1:17)
5. O manteve vivo durante três dias (Jonas 1:17)
6. Ordenou ao peixe que o lançasse na praia
7. Fez com que o peixe vomitasse Jonas em terra seca (Jonas 2:10)


Pr. Aldenir Araújo

 

Uma Igreja Crescente

Uma Igreja Crescente

Texto: Atos 12:24

Introdução:

Uma das características da igreja primitiva era o crescimento numérico e geográfico...
Lucas o destaca muitas vezes...

I. Deus provê o poder para o crescimento. 1:8

a. O poder do Espírito Santo è para testificar.
b. O Espírito opera na testemunha e no incrédulo.

II. Deu produz o crescimento através de testemunhas fieis. 1:8

a. Todos os crentes são testemunhas.
b. A testemunha pode dar testemunho bom ou mal.
c. Os que dão bom testemunho produzem crescimento.

III. Deus produz o crescimento apesar da oposição.

a. Atos apresenta uma serie de ameaças e oposições.
b. Atos destaca o crescimento em meio da oposição.

IV. Deus produz crescimento continuo em três dimensões.

a. O crescimento contínuo è numérico.
b. O crescimento contínuo è geográfico.
c. O crescimento continuo è maturidade espiritual.

Conclusão:

Eu e você somos as testemunhas fiéis que Deus necessita para produzir o crescimento na igreja.

Pr. Aldenir Araújo

 

O pedido que não foi atendido

O pedido que não foi atendido

Texto: Marcos 10:35-45

Introdução:

Esta preciosa passagem nos ensina que nem sempre Deus concede o que lhe pedimos. Os dois discípulos protagonistas desta leitura são pessoas que merecem nosso respeito pelo fato de que em seu pedido mostraram que tinham fé de que um dia o Senhor Jesus, o Messias de Israel, se sentaria no trono literal do rei Davi. Sem duvida, apesar de que eram pessoas de fé receberam a exortação do Senhor porque seu pedido mostrava orgulho e exaltação em detrimento de seus demais irmãos discípulos do Senhor.

A Bíblia constantemente nos manda que ponhamos todas nossas petições diante do Senhor e o fazer manifesta principalmente duas coisas: Nossa dependência de Deus e fé em suas fieis promessas. Todos os crentes que tem um ministério glorioso de oração o fazem porque estão em dependência do Senhor; os crentes que não oram é porque se consideram auto-suficientes; É dizer, que segundo eles tem o controle de todas as coisas e, portanto, não necessitam de Deus. Os crentes que oram constantemente são pessoas que além de mostrar dependência do Senhor, também refletem a fé de seus corações.

Quando lemos esta passagem no Evangelho de Mateus encontramos ali que não foram os discípulos que fizeram o pedido, mas sim a mãe deles. Ao comparar a informação dos dois Evangelhos chegamos à conclusão que foi a mãe de Tiago e João, que instigou seus filhos para que fizessem tal pedido. A resposta do Senhor Jesus aquela petição nos ensina as seguintes lições:

· Nem sempre Deus atende ao que pedimos.

· As petições devem ter como propósito a exaltação de Deus e sua obra.

· As petições devem buscar o bem dos demais.

· As petições devem ter como base nossa saúde espiritual.

Vamos ver algumas lições básicas que esta passagem nos ensina e que tem como propósito que nós os crentes não cometamos os mesmos erros que cometeram aqueles discípulos.

Deus não concedeu a petição daqueles dois irmãos...

I. Porque o pedido buscava a exaltação do Eu. V. 35-37.

A exaltação do ego reflete o desejo ímpio de Satanás de exaltar-se a si mesmo. (Isaías 14:13-15) O diabo, além de ser o pai da mentira é o maior homicida, também é o maior orgulhoso; ele quis ser igual a Deus, concentrou sua atenção em sua beleza, inteligência e poder  então em seu coração surgiu a maldade, o desejo de ser semelhante a Deus.

O diabo foi o causador da miséria humana porque injetou sua filosofia malvada no coração de nossos primeiros pais, Adão e Eva; e os fez crer que seriam semelhantes a Deus e quando eles creram se converteram nos seres mais desgraçados da criação de Deus.

A filosofia diabólica da exaltação do eu ainda segue em pé e como exemplo dele podemos mencionar os ensinamentos desse movimento satânico que está em moda em nossos dias e que se conhece como a Nova Era. Esta filosofia prega que nós homens somos deuses e que portanto podemos chegar a ser parte de um todo que se chama Deus; a Biblia nos ensina que nós seres humanos não somos mais que uma podre chaga e que só pela misericórdia de Deus podemos chegar a ser criaturas salvas de toda condenação mediante a fé no Senhor Jesus cristo.

Como é diferente o caminho que nos mostrou o Salvador, o bendito Senhor Jesus cristo! Seu ensino é que o homem deve humilhar-se ante a presença do Criador. Jesus nos ensina que o caminho da humildade nos leva a exaltação; O diabo nos ensina a exaltação, mas não nos diz que este caminho nos leva a eterna humilhação no inferno. Deus não atendeu o pedido dos discípulos...

II. Porque o pedido estava baseado na ignorância aos planos soberanos de Deus. V. 38a.

Os discípulos não haviam entendido o plano de Deus nem o que eles estavam pedindo. Jesus lhes havia ensinado que ele era o rei prometido, que ele era o Messias de Deus, que um dia iria assentar no trono do rei Davi; mas era necessário passar pela experiência da cruz; porque mediante a cruz o Senhor conquistaria o pecado, a morte e o inferno e traria para todos os pecadores um cúmulo glorioso de bênçãos. Os discípulos queriam poder, prestigio, glória; mas não há glória sem primeiro tratar o problema do pecado. E Deus já tratou o pecado na cruz de Jesus cristo.

III. Porque o caminho a glória de Deus começa com a cruz de Cristo e a negação de nós mesmos. V. 38b, 39.

Toda mensagem de redenção que não inclui a cruz do Senhor Jesus cristo não é uma mensagem de Deus, senão do diabo. A mensagem de redenção que a igreja do Senhor Jesus cristo prega está fundamentada na verdade de que "Cristo morreu por nossos pecados, conforme as Escrituras; e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras" (I Coríntios 15:3,4) Para chegar a ser participantes da glória de Deus temos que ir a cruz de Cristo e humilhar-nos ante sua presença por todas as maldades que há em nosso coração. Deus não atendeu o pedido daqueles discípulos...

IV. Porque a exaltação de um homem pertence a vontade soberana de Deus. V. 40 - (JO 21:20-22).

Deus faz maravilhas com os pecadores que se humilham diante de sua presença. Davi, um humilde e pobre pastor de ovelhas, chegou a ser poderoso rei de Israel; Jacó, um mentiroso usurpador que foi capaz de enganar a seu próprio pai, chegou a ser o fundador de uma preciosa nação; Raabe, uma prostituta barata de Jericó, chegou a ser parte da família do Senhor Jesus cristo, etc. Lemos no Salmo 113:7-9: "Ele levanta do pó o pequeno, e do monturo ergue o necessitado, para o fazer assentar com os príncipes, sim com os príncipes do seu povo.". Amado se nos planos soberanos de Deus, você um dia for exaltado, adore a Deus por isso, mas não se encha de orgulho porque pode ocorrer mesma sorte do diabo e de todos aqueles que se encheram de orgulho e terminaram na mais terrível tragédia. Deus não atendeu o pedido daqueles discípulos...

V. Porque o caminho a exaltação começa com a humilhação e o servir. V. 41-45.

O Senhor Jesus cristo nos ensina que o homem sem Deus se faz senhor dos demais homens e chega ao cúmulo de escravizar-los como se fossem animais. A historia é testemunha fiel de como o homem tem chegado a assenhorar-se de seus semelhantes ao ponto de cometer as mais terríveis atrocidades para governar sobre outros homens. Mas o Senhor Jesus cristo nos ensina que nós os cristãos não devemos buscar o senhorio terreno, mas servir aos demais como ele mesmo nos ensinou com suas santas palavras e com gloriosos exemplos como quando tomou água para lavar os pés dos apóstolos segundo nos narra o Evangelho de João Cap. 13.

Conclusão:

O Senhor Jesus cristo não concedeu ao pedido de Tiago e João porque tal pedido estava baseado no espírito egoísta deles; eles não só eram egoístas, como também ignorantes dos planos de Deus de que antes de chegar a  glória havia que passar pela experiência da cruz. Deus não rejeita a exaltação do homem se este primeiro se humilhar arrependendo–se  de seus pecados e crendo no Senhor Jesus cristo.

Pr. Aldenir Araújo

 

12/26/2012

Ingredientes da verdadeira adoração

Praise belongs to the King
Praise belongs to the King (Photo credit: kelsey_lovefusionphoto)
Texto: Salmos 100

Introdução:

Há muitas variedades diferentes de adoração.
1. Alguns se mutilam. [Elias e os profetas de Baal, católicos, etc.].
2. Alguns são muito secos. [Formal]
3. Outros são molhados e selvagens - ou seja, eles são escorregadios!
4. A Bíblia diz que Deus procura aqueles que adoram em "Espírito e em Verdade"
5. Nossa missão principal é "Adoração".
6. Quais são os ingredientes da verdadeira adoração?
Vamos meditar nos ingredientes que compõe a verdadeira adoração...

I. O primeiro ingrediente mencionado na verdadeira adoração é a alegria. (Vv. 1-2)

1. "Faça um barulho alegre" [Igreja não é velório, hospital ]
2. "A alegria do Senhor é a vossa força" (Neemias 8:10)
3. Davi disse isso de seu relacionamento com o Senhor. (Salmo 4:7)
4. A Igreja primitiva experimentou esta alegria. (Atos 2:46-47)
5. É um dever dos crentes. (Salmo 5:11, 32:11, Lucas 10:20, Filipenses 4:4)

II. O segundo ingrediente na verdadeira adoração é servir. (V. 2)

1. Nenhuma adoração é verdadeira até que estejamos dispostos a servir!
2. O que Deus disse a Israel? (Êxodo 23:25, Deuteronômio 10:12)
3. "Nossos corpos como sacrifício vivo" = serviço razoável! (Romanos 12:1)
4. Este é uma chamado para você e para mim hoje!

III. O terceiro ingrediente da verdadeira adoração é a proclamação de honra! (V. 3)

1. Temos que aclamar que Ele é o Senhor e Deus!
2. Devemos aclamá-lo como Criador!
3. Temos que atribuir a ele todas as Suas obras e maravilhas! [... foi ele e não nós...].
4. Este é o ponto de (Lucas 17:10) [pensamento precisa reviver!]

IV. O quarto ingrediente encontrado na verdadeira adoração é ação de graças. (V. 4)

1. Este é um dever de todos os homens, que Deus tem abençoado! Deuteronômio 8:10, Salmo 107:22
2. Se você é um cristão, você lhe deve gratidão especial! Colossenses 1:12-14
3. É a vontade de Deus que você seja grato em todas as coisas. (1 Tessalonicenses. 5:18)

V. O quinto ingrediente na verdadeira adoração é o louvor. (V. 4)

1. "Bendizer" = Celebrar, falar bem, elogiar.
2. Devemos oferecer louvor a Ele continuamente. (Hebreus 13:15)
3. Deve ser uma decisão voluntária exaltar, engrandecer e glorificar a Deus!

Conclusão:

Este tipo de adoração é para todas as pessoas!
1. Este é o único Salmo intitulado "salmo de louvor"
2. Como é sua adoração comparada a deste Salmo?
3. Precisamos conhecer a alegria e o poder de nos perdermos em adoração a Ele!

Pr. Aldenir Araújo

12/20/2012

Porque o natal é especial?

Porque o natal é especial?

Texto Bíblico: Mateus 1.18-25

Introdução:

Dia dos pais, dias das mães, dia das crianças, são datas que celebramos anualmente, todavia surgiram ao longo dos anos com base em especial no comércio que gera. Porém, o natal é diferente, é fato, que hoje ele está bastante distorcido na sua essência, e tem muita gente tirando proveito do natal de Jesus, sem nem mesmo conhecê-lo, porém Natal é o nascimento de Jesus. É tempo de boas notícias para você e para todo o mundo!

O que esta época representa para você?

Qual é sua imagem de natal?

Vejamos esta cena...

Um acontecimento especial, anunciado 600 anos antes, através de pessoas especiais, de uma forma especial, trazendo ao mundo alguém muito especial para salvar uma pessoa especial: VOCÊ!

- O NATAL é especial porque dele aprendemos que....

1. OS MILAGRES DE DEUS SÃO REAIS (vs. 18-20).

“Foi assim o nascimento de Jesus Cristo: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, mas, antes que se unissem, achou-se grávida pelo Espírito Santo. ...Por ser José, seu marido, um homem justo, e não querendo expô-la à desonra pública, pretendia anular o casamento secretamente...Mas, depois de ter pensado nisso, apareceu-lhe um anjo do Senhor em sonho e disse: “José, filho de Davi, não tema receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado procede do Espírito Santo.”

Uma concepção sobrenatural, obra divina e não humana. Só Jesus foi gerado assim! Aleluia.

Jesus, seu nascimento, sua vida, suas obras, sua morte e ressurreição, simplesmente singular! A HISTÓRIA DO NATAL É UMA HISTÓRIA DE MILAGRE!

Posso continuar acreditando em milagres, mesmo estando no século XXI? Sim porque em Hb. 13: 8 – Deus nos diz: “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e para sempre.”

Creia em milagres, acredite em Jesus!

2. JESUS É A SOLUÇÃO PARA OS SEUS PECADOS (v. 21)

“Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados”.

JESUS = O Senhor é a Salvação.

Jesus veio buscar e salvar o que se havia perdido! Lc. 19:10. Porque só Nele está a salvação de Deus!

Sem Jesus não tem natal, sem Jesus não tem salvação!

- Lembre-se Rm. 3: 23-24.

“pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus,...sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus.”

Neste natal vença seus medos e preconceitos, deixe Jesus curar sua vida interior.

3. A BÍBLIA É FIEL EM SUAS PROMESSAS PARA VOCÊ (v. 22).

“Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que o Senhor dissera pelo profeta:”

Deus revelou na Bíblia 600 anos antes do nascimento de Jesus:

Is. 7:14. – “Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamarás Emanuel”.

Que foi relembrado ao povo por Mateus aqui no v. 23:

4. DEUS ESTÁ PERTO DE VOCÊ (v. 23)

“A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe chamarão Emanuel, que significa “Deus conosco”.

- Deus presente na história e em nossa vida. Comunhão entre Deus e os homens!

Ele está aqui hoje, por isso nosso natal faz toda diferença. Tenha um relacionamento pessoal e perto do Senhor.

- João: 3: 16-17.

“Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna....Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo por meio dele.”

5. DEUS TEM UM PLANO PARA SUA VIDA (vs. 24-25).

“Ao acordar, José fez o que o anjo do Senhor lhe tinha ordenado e recebeu Maria como sua esposa. Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus.”

Deus teve um plano para a vida de Adão e Eva, para a vida de Abraão e Sara, de José e Maria, e também para sua vida.

Ele não tem planos só para pessoas especiais, Ele tem planos para todos.

“Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês', diz o SENHOR, 'planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.” Jr. 29: 11.

Deus tem um plano especial para sua vida!

Porque Deus o ama!

Usou José e Maria, um casal comum, temente e fiel ao Senhor, porém, um casal humano, pobre e indigno de tal graça. Canais de Deus, para realização de um milagre, Maria deu a luz a um filho, JESUS.

Tenha a seguinte atitude para Deus comprimir os seus planos sobre sua vida, como fez com José e Maria!

- Atitude de José como servo de Deus: OBEDIÊNCIA.

v. 24 - “José fez o que o anjo do Senhor lhe tinha ordenado e recebeu Maria como sua esposa.”

- Atitude de Maria como serva de Deus: OBEDIÊNCIA.

Lc. 2: 19 – “Maria, porém, guardava todas essas coisas e sobre elas refletia em seu coração.”

- Deus não precisa nos usar, porém Ele assim deseja fazer. Deus quer usar você. Não mais para servir de pai ou mãe de Maria, mas para anunciar que este mesmo Jesus vive e reina eternamente e breve voltará para julgar todas as nações.

Maria foi serva de Jesus e não mãe de Deus: “Sua mãe disse aos serviçais: Façam tudo o que ele lhes mandar”. (João: 2:5).

Não coloque Maria num lugar onde ela mesma nunca se colocou e a bíblia também não. Creia em Deus através de Jesus!

CONCLUSÃO

Isto é o verdadeiro natal. Você crê e aceita estas verdades bíblicas em sua vida?
Mas como eu havia perguntado no início:

O Que é mesmo o Natal?
Natal é a certeza das BOAS NOVAS de Deus para sua vida...

NESTE NATAL CREIA....

OS MILAGRES SÃO REAIS...
JESUS PERDOA TODOS OS SEUS PECADOS
A BÍBLIA É FIEL E VERDADEIRA
DEUS ESTÁ PERTO DE VOCÊ
DEUS TEM UM PLANO PARA SUA VIDA

VOCÊ QUER MUDAR DE VIDA NESTE NATAL?
Você precisa receber Jesus Cristo em seu coração e assim saber o verdadeiro sentido do Natal.

 

Pr. Carlito Paes

Mitos e Realidades do Natal

Mitos e Realidades do Natal

1. Três reis magos. A Bíblia nunca mencionou seus nomes nem que eram três; costuma-se dizer que eram três pela diversidade dos presentes: Ouro, incenso e mirra (Mt 2.1 ss.). Incenso fala de oração e adoração; mirra, feita com especiarias, para ungi-lo para sua morte; e ouro para coroá-lo rei.

 

Eram magos ou sábios? A palavra grega magov pode ser traduzida como magos ou sábios.

a) o nome dado pelos babilônicos (caldeus), Medos, Persas, e outros, a homens sábios, mestres, sacerdotes, médicos, astrólogos, videntes, intérpretes de sonhos, áugures, adivinhadores, feiticeiros etc.

b) os sábios orientais (astrólogos) que, tendo descoberto pelo surgimento de uma notável estrela que o Messias tinha nascido, vieram a Jerusalém para adorá-lo

2. Que os reis magos chegam onde Jesus está na estrebaria. Não, Jesus estava numa casa em Belém e já teria entre um e dois anos de idade (Mt 2.9-11). A matança dos inocentes levou em conta o tempo determinado em que viram a estrela (Mt 2.7 e 16-18).

3. Que o Senhor Jesus Cristo teria nascido em 25 de dezembro.

a) Zacarias era do turno de Abias (Lc 1.5). Levando em conta que os turnos começavam entre 15 de abril e 15 de maio pelo calendário judeu que iniciava o ano na primavera (1 Cr 24.7; Ex 12.2; 13.4), então Isabel ficou grávida em fins de agosto. Quando tinha seis meses de gravidez, em março, o anjo apareceu para Maria (Lc 1.26) que teria ganhado seu nenê em meados de out/nov.

 

Uma suposição bíblica:

b) O primeiro mês do ano era abril-maio, Abibe ou Nisã.

c) Primeiro turno: Jeoiaribe (1-15/4). Segundo turno Jedaías (16-30/4); terceiro turno, Harim 1-15 de maio; 4º. Seorim (16-30/5); 5º Malquias (1-15/6); 6º Mianim (16-30/6); 7º Hacoz (1-15/7); 8° Abias (16-30/7)…

d) Zacarias entrou no santuário neste tempo entre 16 e 30 de Julho). Ele sai, Isabel engravida. set, out, nov. dez, jan, fev: Em fevereiro o anjo aparece a Maria e ela fica grávida: Conte-se nove meses: Entre 15 de out e 15 de Nov. o neném de Maria nasceu: Jesus.

 

Realidades:

1. Jesus nasceu no ano 4 a.C. Por que esta confusão? Pelo calendário Juliano que foi sendo modificado ao longo dos milênios. Hoje temos o calendário gregoriano. Os povos do Oriente festejam o Natal em 7 de Janeiro porque seguem o calendário Juliano.

2. Deus falou através de sonhos a José e aos sábios (Mt 1.18-25; 2.12; 2.13;2.20; 2.22).

3. Deus criou uma nova estrela no céu, o que chamou a atenção dos astrônomos da época (que também eram astrólogos, médicos, etc.).

Os astros foram dados como sinais (signos) (Gn 1.14-17). Os doze sinais ou signos serviam para entender o propósito de Deus escrito nas estrelas. Cada tribo de Israel tinha um signo ou sinal em seu estandarte (Nm 2.2).

 

No tempo de Deus:

1. A plenitude do tempo:

“vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei” (Gl 4.4).

“de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas, tanto as do céu, como as da terra” (Ef 1.10).

2. O nascimento e a morte de Jesus se encaixaram dentro da hora de Deus:Veja:

João 7:30: “Então, procuravam prendê-lo; mas ninguém lhe pôs a mão, porque ainda não era chegada a sua hora.”

João 8:20: “Proferiu ele estas palavras no lugar do gazofilácio, quando ensinava no templo; e ninguém o prendeu, porque não era ainda chegada a sua hora.”

João 12:23 “Respondeu-lhes Jesus: É chegada a hora de ser glorificado o Filho do Homem.”

João 12:27 “Agora, está angustiada a minha alma, e que direi eu? Pai, salva-me desta hora? Mas precisamente com este propósito vim para esta hora.”

João 13:1 “Ora, antes da Festa da Páscoa, sabendo Jesus que era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim.”

 

Realidades sobre o Jesus:

1. Ele é filho de Davi (Mt 1.1). Mateus escreveu para os judeus, por isso apresenta Jesus na linhagem real de Davi. A genealogia de Mateus 1 traça a José na linhagem de Davi, e até Abraão.

2. Ele é filho de Adão (Lc 3.38). Lucas escreveu para os gentios e enfoca a humanidade de Jesus e não o coloca na linhagem de reis, mas toma a Maria e a leva até Adão.

3. Ele é o Emanuel (Mt 1.23). Deus conosco. Nesta palavra está incluído o mistério da encarnação, quando a palavra se fez carne (Jo 1.1).

4. Ele é o Salvador (Mt 1.21). O anjo avisou a Maria que o ser que ela esperava era um “ente santo” (Lc 1.35). Salvador ou Yeshua em hebraico. “Jeová é a salvação”.

5. Ele é o príncipe da paz (Is 9.6). A mesma mensagem os anjos proclamaram nas campinas de Belém: “Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra aos homens a quem ele quer bem” (Lc 2.14).

6. Ele é a luz para os gentios (Lc 2.32). Simeão profetizou que Jesus seria a “luz para revelação aos gentios, e para glória do teu povo de Israel”. Os sábios vieram do oriente. Eles eram gentios e viram a luz!

7. Ele é o Messias, o Cristo do Senhor: “é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.11). Cristo é a palavra Ungido, ou Messias. Fala da libertação que Deus enviará a terra. Abraão viu-o de longe. O rei Davi cantou e profetizou sobre o Messias, e os profetas dele falaram.

 

Conclusão: Por que nos preocuparmos com detalhes de tempo e épocas se Deus tem tudo em suas mãos?

Jesus mesmo nos advertiu sobre tempos e épocas: “Não vos compete conhecer tempos ou épocas que o Pai reservou pela sua exclusiva autoridade; mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra” (At 1.7-8).

Nós vivemos dentro do tempo de Deus.

 

Pr. João de souza

O Verdadeiro Significado do Natal

O Verdadeiro Significado do Natal

Texto: João 14.6

Introdução

Quem é Jesus? Quem é este de quem tanto se fala? Quem é este a respeito do qual tantos divergem? Quem é este que provoca tantas polemicas entre os homens? Quem é este pelo qual muitos em pleno século XXI ainda dão as suas vidas? Quem é este que dividiu a história em antes dEle e depois dEle? Quem é este que praticamente todo o mundo pára para comemorar o Seu nascimento? O que existe de tão significativo neste homem? Afinal, o que significa o seu nascimento para os homens, para o mundo? O que significa o Natal?

Infelizmente, o Natal vem se tornando uma época em que cada vez mais as pessoas se concentram tão somente em comprar, trocar presentes, comer, beber, festejar, viajar, comer panetones, enfeitar ruas, casas, escritórios, montar árvores de Natal, falar em Papai Noel, etc. Mas o que realmente significa o Natal? O que de fato significa o nascimento de Jesus?

Transição

  • Para nós cristãos, o nascimento de Jesus tem muitos significados.
  • Vamos destacar quatro significados do nascimento de Jesus que são da maior importância.

I. O nascimento de Jesus significa que Deus é real e se revelou à humanidade – Gálatas 4.4

  • Nós cristãos cremos que Ele de fato era quem Ele disse ser, ou seja, o Filho de Deus. E se Ele é o Filho de Deus, então de fato Deus existe e é real.
  • Este Ser supremo, criador de todas as coisas, se revelou? Ele se deu a conhecer? O nascimento de Jesus significa que sim, Ele se revelou. Porque Jesus é o cumprimento de uma história de revelação e redenção.
  • Ele, Jesus, é o único caminho de acesso a Deus.

II. O nascimento de Jesus significa que Deus é um Deus justo e amoroso – 1 João 2.2

  • Para que houvesse uma restauração da comunhão do homem com Deus, para que houvesse o perdão de Deus para com a humanidade, a justiça de Deus precisava ser satisfeita, o preço pelo pecado do homem precisava ser pago.
  • O ser humano não tinha condições nem de alcançar a restauração da comunhão com Deus por seus próprios recursos, e nem tinha como satisfazer a justiça de Deus por seus próprios méritos.
  • Só havia uma maneira de a comunhão ser restaurada, de a justiça de Deus ser satisfeita: o próprio Deus tomar a iniciativa.
  • Por que Deus não nos perdoou sem que Jesus tivesse que morrer para satisfazer a sua justiça? Porque a justiça é algo que está intrínseco no caráter de Deus, é algo inseparável de sua essência, é algo que Ele não pode deixar de satisfazer. Essa questão pode ser ilustrada por uma história interessante: a da jovem motorista.
  • No nascimento de Jesus e na Sua consequente morte, a justiça e o amor se encontram. A justiça de Deus é satisfeita e o Seu amor é demonstrado pelo fato de Ele fazer por nós o que nós mesmos não poderíamos fazer.

III. O nascimento de Jesus significa que Deus cumpre as suas promessas – 1 Coríntios 1.20

  • A vinda do Messias (o ungido de Deus, o Cristo) foi profetizada desde os acontecimentos no Éden. Por toda a extensão dos livros do Velho Testamento são dezenas de profecias que se cumpriram em Jesus.
  • Nosso Deus é um Deus que cumpre as Suas promessas. Nas sagradas Escrituras, Ele tem dado maravilhosas promessas para aqueles que crêem em Jesus. Promessas de vida abundante nesta vida e de uma vida eterna com Deus após a nossa morte física. Todavia, a Palavra de Deus também contém promessas de punição e julgamento para aqueles que não atentarem para a Sua revelação em Cristo.
  • O nascimento de Jesus significa que Deus cumpre as suas promessas. Que tipo de promessas queremos que se cumpram em nossas vidas?

IV. O nascimento de Jesus significa que Deus se importa conosco – 2 Coríntios 8.9

  • Em Cristo, Deus demonstrou o quanto se importa conosco. Primeiramente, porque em Cristo, o próprio Criador assumiu a natureza humana se tornando como um de nós. Ele se humilhou ao assumir a nossa natureza. Ele se importou tanto conosco que se tornou um de nós. E ao se tornar um de nós Ele demonstrou todo o seu amor, misericórdia e compaixão.
  • Ninguém jamais viveu como Ele viveu. Foi humilde, até mesmo pobre, para se identificar com os pobres. Deu atenção para aqueles que eram marginalizados para demonstrar o valor que cada ser humano tem independentemente de sua condição. Quanto aos enfermos, Ele os curou para mostrar que Deus se importa com os que sofrem. Ele mesmo enfrentou o maior de todos os sofrimentos. Foi injustiçado para demonstrar que se importa com os que sofrem injustiça, foi cruelmente açoitado e humilhado, morreu uma morte de cruz (que era uma pena de morte terrível) para, entre outras coisas, demonstrar que se importa com os que sofrem. Em Cristo, vemos que Deus se importa conosco.
  • Quando Felipe lhe pediu que Ele mostrasse o Pai, Jesus respondeu: “Felipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai” (Jo 14.9). Se quisermos saber se Deus se importa conosco, se quisermos saber o que Deus pensa e sente a respeito do sofrimento humano, basta olharmos para Jesus. Ao vermos Jesus vemos o Pai. O que Jesus pensou e ensinou é o que Deus sente e pensa a respeito do sofrimento. Ele se importa conosco.

Conclusão

  • Comemoremos o Natal com sabedoria, celebrando o seu verdadeiro significado e não apenas fazendo o que todos fazem sem refletir em seu verdadeiro sentido.
  • A atitude mais sábia que um homem pode ter é a de se prostrar diante de Jesus, confessando-o como Senhor e Salvador, e seguindo os seus ensinamentos. Pensemos seriamente no que Jesus ensinou: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. Se você estava procurando o caminho para Deus, a resposta é Jesus. Se você estava procurando a verdade em relação à existência e à realidade que nos cerca, a resposta é Jesus. Se você estava procurando a vida, a verdadeira vida abundante nesta terra e a vida eterna de bem-aventuranças que nunca se acaba, a resposta é Jesus. Renda-se a Ele. Disso depende toda a minha e a sua eternidade, bem como a de todos os homens!

Pr. Ronaldo Guedes Beserra

Cinco flores na árvore genealógica de Jesus

Cinco flores na árvore genealógica de Jesus

Texto: Mateus 1:1-17

Introdução:

Algumas pessoas podem questionar o fato de estarmos lendo a genealogia do Senhor durante um culto de domingo. Mas, eu vou pregar a partir destes versos hoje. Ao ler esta genealogia, algo não lhe parece estranho? O que temos aqui é uma genealogia do Senhor Jesus começando com Abraão e terminando com Maria e José. O objetivo desta genealogia é mostrar que Jesus era judeu em sua ancestralidade. O que é incomum é que há cinco mulheres mencionadas nesta genealogia. De acordo com a história judaica, as mulheres nunca eram mencionadas na genealogia de ninguém. Mas aqui na árvore genealógica de nosso Senhor, há cinco belas flores que merecem a nossa atenção hoje. Porque nestas cinco mulheres é visto a graça maravilhosa de Deus.

Vamos meditar juntos nestas cinco flores na árvore genealógica do Senhor Jesus.

I. As flores

A. Tamar. V. 3 - Genesis 38:1-30 - A filha incestuosa na lei de Judá. Tamar era também uma canaanita, portanto, uma gentia. Dois problemas!

B. Raabe. V. 5 - Josué 2:1-24 - Raabe era uma gentia, uma prostituta, e membro de uma raça condenada! Três problemas!

C. Rute. V. 5. - O livro que leva o seu nome - Rute era uma moabita, uma gentia. Ela era a pobre viúva de um israelita, ela era moral e reta. Ela era de caráter fiel e um espírito amável. Ela também era uma crente no Deus de Israel.

D. Bate-Seba. V. 6. - 2 Samuel 11 - Bate-Seba era a esposa adúltera de um homem gentio chamado Urias, 2 Samuel 11:3. Ela cometeu o adultério enquanto seu marido estava fora em guerra, ficou grávida como resultado do caso, e não lhe contou o que tinha acontecido. Ela provavelmente estava ciente dos planos de seu amante para assassinar seu marido para encobrir o pecado, e nada fez para impedi-lo.

E. Maria. V. 16 - Lucas 1:26-38 - Maria era uma jovem menina israelita pura. Ela era, evidentemente, muito religiosa e estava disposto a ceder a sua vida e reputação na mão de Deus.

F. Nesta lista das mulheres, cinco são mencionadas. Quatro eram gentias, uma judia. Três dessas mulheres eram abertamente pecadoras, as outras duas praticavam um estilo de vida religiosa. Estas cinco vieram de cinco nacionalidades diferentes. Com todas essas diferenças, todas elas compartilharam duas coisas em comum.

1. Elas são mencionadas como antepassados ​​de Jesus.

2. Eram todas pecadoras e necessitavam de um Salvador! Nós, Romanos 3:23, 5:12!

Estas são as flores, agora vamos observar:

II. As bênçãos

A. Neste ponto do sermão, pode ser difícil ver essas mulheres como flores. Alguns podem até dizer que elas parecem ser espinhos. À medida que cavamos um pouco mais em quem elas eram, torna-se claro que há uma tremenda bênção aqui para cada filho de Deus, e para cada pecador!

B. Em seus nomes é onde reside a bênção para você e para mim. Porque nos nomes dessas cinco mulheres, que por pura graça de Deus, tornaram-se ancestrais do Senhor Jesus Cristo, podemos ver Seu amor e graça demonstrados.

1. Tamar - Palmeira - Isso se refere à estabilidade e à vida que dá poder! (Um oásis num deserto ardente.) Jesus estabiliza toda a vida. Ele dá sentido à alma rebelde. Ele também é a fonte da vida. Os homens estão mortos sem ele, Efésios 2:1, e recebem vida quando crêem no seu nome - Atos 16:31; 1 João 5:12! (Vitória)

2. Raabe - amplo, espaçoso - Faz referência ao amor e a graça de Deus. O amor de Deus é mais amplo, que se estende a todos os homens - Jeremias 31:3, João 3:16. Sua graça está disponível a todos os homens - Romanos 10:13! (Hebreus 11:31 - Jesus pode transformar totalmente a vida do pecador!)

3. Rute – amiga, companheira - Se alguma vez houve um amigo para o pecador, era e é Jesus! Mateus 11:19! Seu amor pelos seus amigos era tão profundo que ele estava disposto a demonstrar, ao morrer na cruz - João 15:13. (O que ele sofreu por seus amigos!)

4. Bate-Seba - Filha da satisfação completa - a satisfação da alma é encontrada somente no Senhor Jesus! Salmos. 107:9. Jesus é o descanso e o contentamento para a alma cansada pelo pecado! - Mateus 11:28!

5. Maria - rebelião - Que contraste entre seu nome e sua atitude! É nossa rebelião contra Deus que está levando os homens para o inferno! Deus quer uma coisa e nossa carne pecaminosa quer outra. Em Jesus, há reconciliação total! Ele nunca baixa os padrões de Deus, Ele levanta o nosso! Ele transforma a nossa rebelião em amor e devoção à vontade e ao caminho de Deus - 1 João 4:19!

C. Nestas cinco mulheres é visto o retrato completo do amor de nosso Senhor e o plano de salvação para o homem caído. Permitam-me parar e perguntar-lhe: Você já recebeu Jesus em seu coração? Você está salvo? Se não, abra seu coração e receba Jesus como teu Salvador.

III. A beleza

A. Tudo isso que venho pregando pode não fazer nenhum sentido para você. Se for esse o caso, então, pare apenas um momento e ouça isso. Se você não recebeu nada, por favor, receba isso.

B. Independentemente de qualquer coisa em sua vida que você percebe como um obstáculo, Jesus pode e vai salvar você hoje! Ele não está preocupado com:

1. A sua origem

2. Sua ascendência

3. Sua posição na vida

4. Seus pecados passados

5. Seus planos para o futuro

6. Seu estado atual

Ele não rejeita ninguém - João 6:37. Se você vir a Jesus hoje, Ele vai receber você e Ele vai salvar você e Ele lhe dará a vida eterna e um lar no céu um dia!

C. A pergunta é: Você quer ser salvo? Você quer escapar do inferno e ir para o céu? Se assim for, então venha a Jesus. Venha a Ele agora. Você pode não ser uma parte de sua ascendência, mas você pode ser uma parte de sua linhagem. Só é preciso um passo de fé de sua parte. (A propósito, a fé é o que salvou essas mulheres, e isso é tudo que pode te salvar, Efésios 2:8-9!)

Conclusão:

Você vai dar um passo de fé agora? Você vai chegar a Jesus? Ele veio para você hoje, por que você não vem a Ele agora?

Pr. Aldenir Araújo

 

12/19/2012

Porque devemos celebrar o natal?

Porque devemos celebrar o natal?

“Uma estrela procederá de Jacó, e um cetro subirá de Israel, que ferirá os termos dos moabitas e destruirá todos os filhos de Sete.” (Números 24:17)

Introdução


Mais um Natal está chegando e a pergunta que fazemos é: devemos ou não celebrar o natal? Se devemos, por que devemos; se não, por que não devemos?

 
A Palavra de Deus diz: “Examinai tudo e retende o que é bom.”

 

Nestes últimos anos, tem crescido um movimento, no meio evangélico que combate a celebração do natal, com a alegação de que ele se origina em festas pagãs da antiguidade, tal como é comemorado hoje. O elemento principal dessa contestação é a data em que o nascimento do Senhor Jesus Cristo é comemorado: 25 de Dezembro.

 
Outra alegação forte, pelo menos na argumentação dos que são contrários, é de que o natal virou apenas consumismo, mero comércio, em que não se faz mais referência ao aniversariante.

 
Mais, literalmente, por outro lado, vemos crescer cada ano, as festas de Halloween (Dia das Bruxas) no Brasil, importado pelos cursos de Inglês, como, também, as festas juninas, já ocupando grande espaço nas igrejas evangélicas. Para o Halloween gospel nas igrejas evangélicas, dá-se o nome de “Aleloween” e para as festas juninas, de origem certa e indubitável de louvor aos santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio, dá-se o nome, entre outros de “Festa Jesuína.”

 
Quero, no entanto, deixar, já destarte minha palavra de que não sou contra nenhuma Igreja, Ministério e/ou Colega que seja contra a celebração do Natal.


Como o Senhor tem dado a nós o ministério e comissão de nos colocarmos por defesa da fé Cristã, é exatamente isto que faremos aqui. Dia das Bruxas


Nestes últimos anos, a Igreja do Senhor Jesus tem passado por profundas transformações, particularmente no Brasil. Tanto se têm abraçado novos conceitos de fé e prática, quanto se têm abolido outros.

 
Dentro destas transformações de costumes, muitas igrejas evangélicas, notadamente as chamadas neo-pentecostais, aboliram a celebração do natal.

 
Vivemos um grande surto de “clareamento da revelação Bíblica”, como se ainda houvesse o que se achar de novo na Palavra de Deus, algo que as gerações passadas não houvessem alcançado. Com exceção dos acontecimentos escatológicos, em que a revelação específica do tempo do fim, e os fatos que marcam esse tempo profético, não creio que haja novidades a serem descobertas na Palavra de Deus.
“Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntais pelas veredas dos antigos, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas. Mas eles dizem; Não andaremos.” (Jeremias 6:16)

 
No entanto, o que temos visto é que, num tempo em que cresce, como epidemia, a comemoração do Dia das Bruxas (Halloween) e, também, a prática das chamadas festas juninas entre nós, evangélicos, isto, sim, um absurdo inominável, vem um segmento das nossas igrejas a combater a celebração do natal do Senhor Jesus. Você já percebeu isto?

 
O Dia das Bruxas é de origem européia, onde começou séculos atrás e, hoje, tem alcançado forte e cativamente corações no Brasil, e, infelizmente, muitos corações evangélicos.

 
Já existem Igrejas adotando o Halloween com uma configuração gospel, chamando o de “Aleloween”. São igrejas evangélicas decorando seus altares de preto e roxo com luzes negras para celebrar o Dia das Bruxas. Isto pode?

Festa Junina


Já pelo lado da feitiçaria tupiniquim, mais chamada de espiritismo, por causa da comunicação, ou celebração a mortos, há uma enormidade de igrejas evangélicas “celebrando” as festas juninas, estas sim, sabidamente instituídas em louvor a São João, São Pedro e Santo Antônio.


São igrejas enfeitadas com bandeirinhas, bambu e barraquinhas de comidas típicas desta festa católica. Mas o Natal de Jesus... Paulada nele!!!!!


Lembro de minha infância quando dançava, forçado, quadrilha na escola para receber pontos. Havia uma música que dizia: “Ô fulano! Que diabo é diabo? Vamos dançar em louvor a São Pedro, Santo Antônio e São João.” É triste... diria lamentável, ver o povo de Deus e suas igrejas embrenhando-se nisto. Seria este mais um sinal dos tempos???? Examinemos as Escrituras: “... então virá o fim... Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda.” (Mateus 24:14c- 15)

 
Sinal dos tempos, quando vemos a abominação no santo lugar. Isto pode, mas o natal de Jesus, não. Aí vêm as perguntas: a quem interessa isto? Quem se alegra com isto? O Senhor?

Nascimento de Jesus


Outra alegação contra a festa do natal é que o natal virou mera festa de bebedeira e consumismo, um tremendo comércio. Não podemos deixar de concordar, mas com uma ressalva. Nós mesmos é que a cada ano construímos isto. Consumindo desenfreadamente, fazendo o sucesso de vários empresários que amam o natal pelo que ele vem a representar financeiramente para eles. Sim. Faço minhas compras de natal, mas nem por isto, o meu natal virou um mero consumismo. O meu natal, na minha casa, na minha mesa, é um natal que continua sendo do Senhor Jesus, com a aniversariante sentado no melhor assento – meu coração.

Os Símbolos do Natal

 
Outro lado do natal que tem sido contestado também são os seus símbolos. Vamos defendê-los.

 
Para isto vou parafrasear uma mensagem do Pr. Rosivaldo Araújo: “Nós evangélicos, não reconhecemos nenhum direito de posse sobre qualquer elemento da natureza a outro senão Deus.”

Diz o Salmista: “Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam.”
Pr. Rosivaldo: “Todas as árvores do campo e animais são do Senhor. Quem é Tamis? Não sei, nunca vi e nem reconheço sua autoridade, como, também, não reconheço nenhuma autoridade de Yemanjá sobre o mar e os peixes, nem reconheço a autoridade de Iara sobre os rios e cachoeiras. Quem teve a petulância de oferecer estas obras da natureza a estas supostas entidades? O diabo? Não foi ele que ofereceu a Jesus, o próprio Deus encarnado, tudo isso se ele se ajoelhasse diante dele e o adorasse? Do Senhor é a terra! Aleluia”


Preocupa-me saber que irmãos nossos estão perdendo tempo tentando achar razões e ou semelhanças pagãs no mais belo festival Cristão.

Dr. Alton King diz: “A árvore é do Senhor e, no natal, representa a cena campestre onde se encontravam os pastores que receberam a visita dos anjos. A árvore utilizada no natal é um pinheiro (em inglês: evergreen “sempre verde”), o símbolo da vida eterna que nos é oferecida através da fé em Cristo.

 
As lâmpadas na árvore representam Cristo, que é a luz do mundo. Martinho Lutero foi o primeiro a iluminar uma árvore. Ele usou velas. (Não havia energia elétrica no seu tempo)

 
A estrela, no topo, representa a estrela de Belém, que dirigiu os magos ao local do nascimento de Cristo.

 
O vermelho e o verde são freqüentemente usados para decorar a árvore. O vermelho simboliza o sangue de Cristo derramado por nós quando ele pagou os nossos pecados, morrendo na cruz. O verde simboliza a nova vida, esperança da nova ressurreição.


Os presentes, embaixo da árvore, simbolizam o preço que Jesus pagou por nós, comprando da morte o direito de vida eterna gratuita para todos nós.

A Quem Não Interessa o Natal?


Judaísmo – Rejeita Jesus como o Messias.
Islamismo – Cristo por ser Deus, Jeová, incomoda deveras.
Diabo – Este tenta de tudo para eliminar a vinda de Cristo por nós. Conclusão Se os Símbolos Incomodam, Vamos Jogar Todos Fora?
Trio Elétrico – Criado e usado para Micaretas da Bahia, diretamente relacionada à Umbanda e ao Candomblé. Por que tantas igrejas estão comprando trios elétricos hoje em dia. Joguem-nos fora!
Vaca – É um animal adorado pelos Hindus e muito mais que qualquer árvore de natal. Por que comemos tanta carne? Que se matem todas as vacas. Joguem-nas fora!
Faca – Foi inventada por um povo maldito, e quem nos diz isto é a Bíblia em Gn. 4.22. Não se corte mais nada e nem se façam mais churrascos. Joguem-nas fora!
Música – Os primeiros instrumentos foram criados pelos descendentes de Caim, amaldiçoados por Deus em Gn. 4:21. Joguem-nos fora!
Roupas Brancas – No espiritismo, em dia de sexta feira, veste-se branco para fazer-se reverencia as entidades espíritas. Joguem- nas fora!

 

Mas se vocês quiserem minha mais singela sugestão... Tudo é do Senhor e o diabo é um nada, e por assim ser, anule-o, com todos os seus anjos e símbolos e crenças e viva a liberdade que só vem pela verdade que liberta que está em Cristo Jesus. Amém.

 

Autor: Pr. Luiz P. O. Ferreira, M.Div.Th.

Os cristãos devem celebrar o natal?

Os cristãos devem celebrar o natal?

As Escrituras não ordenam especificamente que os crentes celebrem o Natal — não há “Dias Sagrados” prescritos que a igreja deva celebrar.

 
De fato, o Natal não era observado como uma festividade até muito após o período bíblico. Não foi antes de meados do século V que o Natal recebeu algum reconhecimento oficial.

 
Nós cremos que celebrar o Natal não é uma questão de certo ou errado, visto que Romanos 14.5-6 nos fornece a liberdade para decidir se observaremos ou não dias especiais: “Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente convicto em sua própria mente. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz. E quem come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e quem não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus” (Romanos 14.5-6).
De acordo com esses versos, um cristão pode, legitimamente, separar qualquer dia — incluindo o Natal — como um dia para o Senhor.

 
Cremos que o Natal proporciona aos crentes uma grande oportunidade para exaltar Jesus Cristo.

I. Primeiro, a temporada de Natal nos lembra das grandes verdades da Encarnação.


Recordar as verdades importantes sobre Cristo e o evangelho é um tema prevalecente no Novo Testamento (1Coríntios 11.25; 2Pedro 1.12-15; 2Tessalonicenses 2.5).
A verdade necessita de repetição, pois nós facilmente a esquecemos. Assim, devemos celebrar o Natal para recordar o nascimento de Cristo e nos maravilhar ante o mistério da Encarnação.

II. O Natal também pode ser um tempo para adoração reverente.


Os pastores glorificaram e louvaram a Deus pelo nascimento de Jesus, o Messias. Eles se regozijaram quando os anjos proclamaram que em Belém havia nascido um Salvador, Cristo o Senhor (Lucas 2.11).
O bebê deitado na manjedoura naquele dia é nosso Senhor, o “Senhor dos senhores e Rei dos reis” (Mateus 1.21; Apocalipse 17.14).

III. Finalmente, as pessoas tendem a serem mais abertas ao evangelho durante as festividades de Natal.


Devemos aproveitar desta abertura para testemunhar a eles da graça salvadora de Deus, através de Jesus Cristo.
O Natal é principalmente sobre o Messias prometido, que veio para salvar Seu povo dos seus pecados (Mateus 1.21).
A festividade nos fornece uma maravilhosa oportunidade para compartilhar esta verdade.

 
Embora nossa sociedade tenha deturpado a mensagem do Natal através do consumismo, dos mitos e das tradições vazias, não devemos deixar que estas coisas nos atrapalhem de apreciar o real significado do Natal.
Aproveitemo-nos desta oportunidade para lembrar dEle, adorá-Lo e fielmente testemunhar dEle.


Autor: John MacArthur

O crente deve celebrar o natal?

O crente deve celebrar o natal?

Como muitas vezes acontece, a Igreja Evangélica Brasileira polemiza sobre assuntos dos mais diversos. Na verdade, têm sido assim no decorrer recente de sua história. Ultimamente, têm-se falado demasiadamente sobre o natal, sua história e implicações.

 

Como era de se esperar, opiniões diferentes surgiram quanto ao assunto. Existem aqueles que não vêem nenhum problema quanto à celebração da data, e outros que radicalizaram abdicando de toda e qualquer celebração relacionada ao tema em questão. Antes de qualquer coisa , por favor façamos algumas considerações:


O Natal não era considerado entre as primeiras festas da Igreja. Os primeiros indícios da festa provêm do Egito. Os costumes pagãos ocorridos durante as calendas de Janeiro lentamente modificaram-se na festa do Natal”. Foi no século V que a Igreja Católica determinou que o nascimento de Jesus Cristo fosse celebrado no dia da antiga festividade romana em honra ao nascimento do Sol, isto porque não se conhecia ao certo o dia do nascimento de Cristo. Não se pode determinar com precisão até que ponto a data da festividade dependia da brunária pagã (25 de dezembro), que seguia a Saturnália (17-24 de dezembro) celebrando o dia mais curto do ano e o “Novo Sol”. As festividades pagãs, Saturnália e Brumária estavam a demais profundamente arraigadas nos costumes populares para serem abandonadas pela influência cristã.

 

A festividade pagã acompanhada de bebedices e orgias, agradavam tanto que os cristãos viram com benevolência uma desculpa para continuar a celebra-la em grandes alterações no espírito e na forma.

I. Ontem e Hoje:


A conclusão que chegamos é que o natal surgiu com a finalidade de substituir as práticas idólatras e pagãs que influenciava sociedade da época. Hoje como no passado à humanidade continua fazendo desta festa pretexto pra bebedeiras, danças e orgias. Se não bastasse isso, todos sabemos que milhões de pais em todo o mundo (Muitos destes cristãos) levam seus filhos pequenos a acreditarem em Papai Noel, dizendo-lhes que foi o bochechudo velhinho que lhes trouxe um presente. Ora, a figura do papai Noel tem origem nos países nórdicos, referindo-se a um senhor idoso, denominado Klaus, que saía distribuindo presentes a todos quanto podia. Infelizmente, numa sociedade materialista e consumista, o tal Papai Noel é mais desejado do que Jesus de Nazaré, afinal de contas, ele é o bom velhinho que satisfaz os luxos e desejos de todos quanto lhes escrevem missivas recheadas de vaidades e cobiças. Se não bastasse, junta-se a isso a centralidade em muitos lares cristãos de uma Árvore recheada de bolinhas coloridas.

 
O espírito consumista e mercantilista do natal, bem como a ênfase na árvore e no papai Noel, se contrapõe a mensagem do evangelho que anuncia que Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho pra morrer por nós. Aliás, esta é a grande nova! Deus enviou seu filho em forma de Gente! Sem sombra de dúvidas, sou absolutamente contra, duendes, Papai Noel e outras coisas mais que incentivam este “espírito mercantilista natalino”.


No entanto, acredito que antes de qualquer posição, decisão ou dogmatização, quanto ao que fazer “do e no natal” devemos responder sinceramente pelo menos três indagações:

 
1. Será que existe alguma festividade ou festa no mundo que tenha o poder de convergir tanta gente em torno da família, do lar como o natal?
2. Em virtude do grande poder e influência que o natal exerce na sociedade ocidental será que não deveríamos aproveitar a oportunidade e anunciar a todos quanto pudermos que um “menino nos nasceu e um filho se nos deu”?
3. Seria inteligente de nossa parte desconsiderarmos o natal extinguindo-o definitivamente do “nosso” calendário em virtude do“espírito mercantilista natalino” que impera na nossa sociedade?

 

II. Outras considerações:


Apesar de não observarmos textos bíblicos que incentivem a celebração do natal, é absolutamente perceptível em diversas passagens a importância e relevância do nascimento e encarnação do Filho de Deus. As escrituras, narram com efusão o nascimento do Messias. Se não bastasse isso, sem a sua vinda, não nos seria possível experimentarmos da salvação eterna e da vida vindoura. Portanto, comemorar o natal, (ainda que saibamos que o Jesus não nasceu no dia 25 de dezembro) significa em outras palavras relembrar a toda a humanidade que Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, pra que todo aquele que nele cresse não perecesse mais tivesse vida eterna.

 
Isto nos leva a seguinte conclusão:

 
1. O natal nos oferece uma excelente oportunidade de evangelização.
Em todos os registros históricos percebemos de forma impressionante o quanto os irmãos primitivos eram apaixonados, entusiastas e extremamente corajosos na proclamação do evangelho.

 
Estes homens e mulheres de Deus eram movidos por um desejo incontrolável de pregar as Boas Novas.

 
Eram pessoas provenientes de classes, níveis e posições sociais das mais diversas: artesãos, sacerdotes, empresários, escravos, gente sofisticada bem como pessoas simples e iletradas. Entretanto, ainda que diferentes, todos tinham em comum o sentimento de “urgência” em anunciar a Cristo.

 
Vale a pena ressaltar que Jesus comumente usou as festas judaicas como meio de evangelização.

 
Os 04 evangelhos, nos mostram o Senhor pregando e ensinando coisas concernentes ao reino de Deus a um número considerável de pessoas em situações onde a nação celebrava alguma festividade.

 
Na verdade, ele aproveitava os festejos públicos pra anunciar as boas novas da salvação eterna. Ora, tanto nosso Senhor quanto à igreja do primeiro século tinham como missão prioritária à evangelização.

 
Portanto, acredito que o natal seja uma excelente ocasião pra anunciar a cristo aos nossos familiares e amigos. Isto afirmo, porque geralmente é no natal onde a maioria das famílias se reúnem.


O natal nos propicia uma grande oportunidade de proclamarmos com intrepidez a cristo. Junta-se a isso, que o período de fim de ano é um momento de reflexão e avaliação pra muitos.

 
E como é de se esperar, em um mundo onde a sociedade é cada vez mais competitiva e egoísta, a grande maioria, sofre com as dores e marcas deste mundo caído e mau.

 
É comum nesta época o cidadão chegar a conclusão de que o ano não foi tão bom assim. A conseqüência disto é a impressão na psique do individuo de sentimentos tais como frustração, depressão, angústia e ansiedade.E é claro que tais sentimentos contribuem consideravelmente a uma abertura maior a mensagem do evangelho.

 

Abertura pro Sagrado

 
Um outro fator preponderante que corrobora pra evangelização é significativa abertura ao sagrado e ao sobrenatural que a geração do século XXI experimenta.

 
No inicio do século XX, acreditava-se que quanto mais o mundo absorvesse ciência menor seria o papel da religião. De lá pra cá a tecnologia moderna se tornou parte essencial do cotidiano da maioria dos habitantes do planeta e permitiu que até os mais pobres tivessem um grau de informação inimaginável 100 anos atrás.

 
Apesar de todas essas mudanças, no inicio do século XXI o mundo continua inesperadamente místico. O fenômeno é global e no Brasil atinge patamares impressionantes.

 
A Revista Veja encomendou uma pesquisa ao Instituto Vox Populi, perguntando as pessoas se elas acreditavam em Deus. A maioria absoluta ou seja, 99% dos brasileiros responderam que acreditavam. Sem dúvida, o momento é impar na história, até porque, com exceção de alguns períodos da história mundial o mundo nunca esteve tão aberto ao sagrado como agora.

 
Diante disto, será que o natal não representa uma excelente oportunidade de evangelização?

 
2. O natal nos oferece uma excelente oportunidade de reconciliação e perdão.
Você já se deu conta que a ambiência do natal proporciona uma abertura maior à reconciliação e perdão?

 
Repare quantas famílias se recompõem, quantos lares são reconstruídos, quantos pais se convertem aos filhos e quantos filhos se convertem aos pais.

 
Será que a celebração do natal não abre espaço nos corações pra reconciliação e perdão?


Ora, O Senhor Jesus é aquele que tem o poder de construir pontes de misericórdia bem como de destruir as cercas da indiferença e inimizade.

 
3. O natal nos oferece uma excelente oportunidade de sermos solidários em uma terra de solitários.


Por acaso você já percebeu que no natal as pessoas estão mais abertas a desenvolver laços de fraternidade e compaixão com o seu próximo?

 
Tenho para mim que o natal pode nos auxiliar a lembrarmos que a vida deve ser menos solitária e mais solidária.

 
Isto afirmo porque o natal nos aponta o desprendimento de Deus em dar o seu filho por amor a cada de um nós.


O Nosso Deus se doou, se sacrificou e amou pensando exclusivamente no nosso bem estar e salvação eterna.

 
Você já se deu conta que o natal é uma excelente oportunidade pra nos aproximarmos daqueles que ninguém se aproxima além de exercermos solidariedade com aqueles que precisam de amor e compaixão?

Conclusão

Sem qualquer sombra de dúvida devemos repulsar tudo aquilo que seja reflexo deste “espírito mercantilista natalino”.

 
Duendes, Papai Noel, devem estar bem longe da nossa prática cristã.

 
Entretanto, acredito que como portadores da Verdade Eterna, devemos aproveitar toda e qualquer oportunidade pra semear na terra árida dos corações a semente da esperança. Jesus é esta semente! Ele é a vida eterna!


O Filho de Deus, que nasceu, morreu e ressuscitou por cada um de nós.

 
A missão de pregar o Evangelho nos foi dada, e com certeza, cada um de nós deve fazer do natal uma estratégia de proclamação e evangelização.

 
Celebremos irmãos e anunciemos que o Salvador nasceu e vive pelos séculos dos séculos amém.


Soli Deo Gloria


Autor: Renato Vargens

12/12/2012

O Pecado de Absentismo

O Pecado de Absentismo

Das muitas características diferentes da igreja, uma é a de ser o corpo de Cristo. Talvez essa metáfora seja a mais ilustrativa na primeira carta de Paulo aos Coríntios.

Em I Coríntios 12:14-16, Paulo escreve: "Porque também o corpo não é um membro, mas muitos. Se o pé disser: Porque não sou mão, não sou do corpo; nem por isso deixará de ser do corpo. E se a orelha disser: Porque não sou olho, não sou do corpo; nem por isso deixará de ser do corpo"

Somos todos membros do grande corpo de Cristo, a igreja. Cada um de nós tem um papel especial a desempenhar dentro do corpo de Cristo. Cada um de nós é importante. Cada um de nós é necessário.

A ilustração que Paulo usa é esta: Pensar sobre a igreja como se fosse seu próprio corpo pessoal.

Há alguma parte do seu corpo que não é necessária?

Uma vez eu tinha uma unha encravada no meu dedão do pé. Eu tentei corrigir o problema sozinho com um canivete, mas acabou piorando as coisas. Eu finalmente decidi que eu precisava ir ao médico e faze algo sobre isso porque estava começando a mudar de cor. O médico cortou metade da minha unha, só para corrigir esse problema, e isso afetou todo o meu corpo por várias semanas.

Quem teria pensado que a metade de uma unha do pé era tão importante?

Quando olhamos com os olhos do Espírito, vemos que cada membro da igreja é importante e quando é retirado do corpo causa danos ao corpo.

Espiritualmente podemos não ser mais do que meia unha, mas quando somos tirados do corpo, fere o corpo inteiro.

Com esse pensamento em mente, vamos observar Hebreus 10:24-26. "e consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras, não abandonando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. Porque se voluntariamente continuarmos no pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados”.

Mais artigos

12/11/2012

Atitudes que agradam o coração de Deus

Atitudes que agradam o coração de Deus

Texto: João 11:1-36
v. 25-26 - Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e o todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto?


Introdução: Às vezes não entendemos porque muitas coisas em nossas vidas não tem o resultado que esperávamos. Analisaremos hoje, o comportamento de Marta e Maria onde achamos algumas diferenças entre elas e podemos tirar ensinamentos para as nossas vidas.


1- Esperar ser chamada por Deus – v. 20
Marta foi precipitada em ir ao encontro de Jesus sem ser chamada. A sua alma estava tão triste pela morte do irmão, que ela não pensou duas vezes em questionar o Senhor. Em situações difíceis, a nossa tendência se não vigiarmos os pensamentos, palavras e atitudes, é entrar pela justiça própria. Portanto, Maria ficou sentada em casa.


2- Não se cansar, mas almejar estar na presença de Deus – v. 28-29
Quando Maria foi chamada saiu correndo ao encontro de Jesus. Maria esperou um sinal do Senhor para tomar uma atitude. Em qualquer tipo de situação, é necessário um direcionamento dar parte de Deus, para depois agirmos.


3- Não questionar, mas ter a motivação correta em suas palavras – v. 32
Marta e Maria fizeram o mesmo comentário com Jesus: “Senhor, se estiveras aqui, meu irmão não teria morrido.” Marta questiona Jesus e Maria rende-se a Jesus com total humilhação.


4- Tocar o coração de Deus a ponto de comovê-lo – v. 33
Maria com sua atitude de rendição conseguiu comover o coração de Jesus. Quando buscamos ao Senhor com a motivação correta, tocamos o coração do Pai. Pois “um espírito quebrantado, o Senhor não despreza.”


5- Não ter reservas, mas dar tudo o que tem – v. 3
João menciona o ato de Maria no início do texto, quando ela ungiu os pés de Jesus. Com este ato ela demonstrou ser uma pessoa desprendida das coisas materiais, pois o bálsamo que ela derramou nos pés de Jesus era de alto valor. Ela não tinha reservas na alma, pois naquela época uma mulher de respeito não podia soltar os cabelos em público, pois era desonra para a mulher. Isso não tinha valor para ela, pois Jesus era mais importante. Ela não se prendeu a religiosidades, mas se entregou ao Senhor.


Conclusão: O Senhor quer nos encontrar a cada dia cultivando estas atitudes em nossos corações. Pois assim sempre estaremos prontos ao seu chamado, atentos a sua voz, ansiosos por Ele e dispostos a correr ao seu encontro para tocar o seu coração.
Você tem tocado o coração do Senhor com suas atitudes?

 

Prª Sarah Brito

A corrida da Fé

A corrida da Fé

Texto: Hebreus 12.1 - "Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta".


Introdução: A corrida da fé é uma corrida com obstáculos, que só vencerá aqueles que são perseverantes. Jesus é o nosso principal exemplo a ser imitado. Ele foi perseverante em meio as provações.


Abaixo veremos princípios para esta corrida com obstáculos:


1 - Sua inspiração - os heróis da fé:
- Em Hebreus 11 vemos a galeria dos heróis da fé. São valentes que ousaram vencer os obstáculos na corrida da fé e os seus nomes, hoje, milênios depois, estão na Palavra de Deus, como exemplo para cada um de nós, como vencedores de uma corrida com muitos obstáculos. Atentemos para o versículo sete do capítulo treze de Hebreus que diz: "Lembrai-vos dos vossos guias, os quais vos pregaram a palavra de Deus; e, considerando atentamente o fim da sua vida, imitai a fé que tiveram". Ao nosso redor temos exemplos, nos dias atuais, dignos de imitação.


2 - Seu incentivo - Cristo, o iniciador e destino:
- "Porque convinha que aquele, por cuja causa e por quem todas as coisas existem, conduzindo muitos filhos à glória, aperfeiçoasse, por meio de sofrimento, o Autor da salvação deles" (Hb 2.10)
- Jesus é o nosso incentivador na corrida e nos dá força e sabedoria para vencermos os obstáculos. Vejamos: "Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos" (Hb 2.1).


3 - Suas instruções:

a - Largar os pesos, que são embaraços:
- É necessário deixar os embaraços (alianças do passado, com o mundo e com o adversário),
- Deixar atitudes e características, de falta de mudanças no comportamento - "Mas eles não têm raiz em si mesmos, sendo, antes, de pouca duração; em lhes chegando a angústia ou a perseguição por causa da palavra, logo se escandalizam. Os outros, os semeados entre os espinhos, são os que ouvem a palavra, mas os cuidados do mundo, a fascinação da riqueza e as demais ambições, concorrendo, sufocam a palavra, ficando ela infrutífera" (Mc 4.17-19).
- Paulo decidiu pela renúncia em prol de sua corrida pela fé: "Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo" (Fl 3.8).
- Ele foi perseverante, mesmo em meio às aflições: "Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus" ( Fl 3.12).

b - Largar os pecados, que trazem os pesos ou embaraços:
- Uma decisão pessoal: "Se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (1 Jo 1.6-9).


4 - Sua exigência - perseverança:

- Olhemos para Jesus - "Considerai, pois, atentamente, aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que não vos fatigueis, desmaiando em vossa alma" (Hb 12.3).
- Vejamos o exemplo que Paulo nos deixou: “... e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus" (Fl 3.13b-14).
- Uma advertência: "Se te mostras fraco no dia da angústia, a tua força é pequena" (Pv 24.10).


Conclusão: Em toda corrida demanda esforço, determinação, isto é, uma atitude de vencedor. Jesus disse em Mateus 24.13 que se perseverarmos até o fim receberemos a salvação, que é o nosso maior prêmio. Todo o suprimento para nossa vitória está no Senhor Jesus. Vejamos Hebreus 2.18: "Pois, naquilo que ele mesmo sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados".
Há uma recompensa para os vitoriosos.

 

Roberto Pires Gonçalves

O Milagre da Transformação

O Milagre da Transformação

Texto: João 2:1-12

 

Introdução: Era uma festa de casamento e o vinho havia acabado. O Vinho é a marca da alegria, e, como haverá festa sem alegria? Mas Jesus estava presente. E com Ele sempre o melhor acontece. Mas é necessário atentarmos para algumas atitudes que devemos tomar, pois elas são a base para a realização do nosso milagre:

 

Esperar o momento certo: Maria disse a Jesus que não tinha vinho, porém, Ele não se moveu e respondeu que não era chegada a “Sua” hora. Não adianta nos desesperarmos, pois Ele é quem sabe o momento certo para que o milagre chegue a nossa vida. Ele sabe tudo que precisamos, porém o tempo para que se cumpram todas as coisas pertence a Ele (“TUDO tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” Ec 3:1).

 

Obedecer em tudo: (v.5) “Fazei tudo quanto Ele vos disser”. Não há obediência por partes. Somos obedientes ou não. E quem é obediente não questiona, simplesmente obedece, porque confia no mestre. Vale à pena confiar n'Ele, pois Jesus é muito sábio e quando obedecemos, coisas profundas e escondidas são reveladas Dn 2:22 - "Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz.”

 

Entender que Ele faz o melhor: 1Co 1:27 - "Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes;”


Jesus usou as talhas da purificação dos judeus. Ele pediu aos discípulos que enchessem as “Talhas da purificação” e a água se transformou em vinho. Assim acontece conosco. A transformação vem quando enchemos as nossas talhas de águas limpas. Precisamos passar pela purificação para que a amargura se transforme em alegria. Sem purificação não há transformação. Não receberemos a alegria genuína se não nos despojarmos da sujeira da amargura, do rancor, do ressentimento, da inveja, etc., que há no nosso interior. Quando usamos a “talha da purificação” o “vinho da alegria” é mais autêntico e saboroso.

 

Entender que somos participantes do projeto do coração do Pai: Jesus é a “Videira” nós os “ramos” que produz o “Fruto da Videira/Fruto do Espírito” que é transformado em “vinho” que traz alegria aos que bebem. Os que provaram do vinho ficaram maravilhados com o sabor.

Assim Jesus quer fazer conosco, nos purificar (“Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.” Gl 5:19-21) para que o “Fruto da Videira / Fruto do Espírito” seja produzido (“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” Gl 5:22) e transformado em vinho (“E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito;” Ef 5:18)

 

Aplicação: Este foi o primeiro milagre que Jesus fez, foi o início do Seu ministério. Deixe que Jesus inicie o Ministério d'Ele na sua vida, te transformando num vinho saboroso e um referencial do milagre d'Ele. Certamente todos os que virem este milagre saberão que Ele é o mesmo Deus.

 

Márcia Lembrance Morello

A tentação e os sentidos físicos

A tentação e os sentidos físicos

Precisamos desenvolver nossos sentidos espirituais, afim de não vivermos dominados pelos sentidos físicos

Texto base: “Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o SENHOR Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim? E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos, Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais. Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal. E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela” Genesis 3.1-6

 

Introdução: Buscando destruir nossas almas, o Diabo tenta atrair nossos corpos. Alguns sentidos físicos foram envolvidos na trama do pecado no Éden, num processo gradual de corrupção.


1- Audição – Eva deu ouvidos à voz do Diabo, que usou até a palavra de Deus para induzi-la ao erro (2 Coríntios 11.3). O Diabo nos atinge com muitas mensagens todos os dias. É a primeira de uma série de estratégias. Para mudar nossas ações, ele procura alterar nosso modo de pensar. É a forma que ele tem para nos atacar à distância, como os guerreiros antigos que lançavam flechas incendiárias sobre as muralhas das cidades (Efésios 6.16). Se o fogo se espalhasse, os portões poderiam ser abertos.


2- Visão – “Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos...” A árvore era boa? O julgamento pela aparência pode nos levar ao engano. “Não porei cousa má diante dos meus olhos” (Salmo 101.3). O mal é identificado pela palavra de Deus e não pela nossa opinião particular. O ser humano é muito influenciado pelo que vê. Muitos precisam ver para crer. Por isso são feitas imagens de ídolos. Precisamos viver por fé e não por vista (2Co 5.7; 2Co 4.18).


3- Tato – Eva disse: “Nem tocareis nele...”, todavia “tomou-lhe do fruto...”. O envolvimento da mulher aumentou ao tomar o fruto em suas mãos. “Não toqueis coisa imunda” (Is 52.11; Lv 5.2; 7.19-21.)


4- Paladar – “Tomou-lhe do fruto e comeu”. Esta foi a consumação do pecado. Eva comeu a isca de Satanás, sem levar em conta o anzol oculto.


Conclusão: Eva repetiu este processo com Adão, levando-o ao pecado. Da mesma forma, muitos agem hoje como representantes do inimigo, levando adiante seus propósitos. Precisamos desenvolver nossos sentidos espirituais, afim de não vivermos dominados pelos sentidos físicos.

 

Anísio Renato de Andrade

O verdadeiro amor

O verdadeiro amor

Texto: 1 João 3.16 - "Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos".

 

Introdução: A palavra de Deus é a mais linda expressão de amor já escrito. Os sonetos (poemas) de quaisquer poetas se tornam pálidos se comparados com as descrições de amor da Bíblia. Seu amor transcende cada tipo de amor terreno. Seu amor é mais forte que qualquer ligação entre pais e filhos ou entre marido e mulher. Nenhuma imagem terrena pode retratar com exatidão o amor de Deus por nós.

 

Hoje vamos falar um pouco sobre amor, que inclusive são mandamentos. E por falar em amor, algo tão precioso, e, que muito tem faltado entre nós.

 

AMOR AO SENHOR: "Amarás ao Senhor Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo teu entendimento". (Dt 6:5 )
- Nosso amor ao senhor deve ser incondicional, deve estar acima de todas as coisas.

Meu amor ao Senhor não pode ser apenas com o meu espírito, mas ele precisa se manifestar em minha alma e meu entendimento, ou seja, devo estar completamente envolvido e comprometido com este amor.

 

AMOR AO MEU PRÓXIMO: "Amarás o teu próximo como a ti mesmo" (Lv 19:18c).
- "Aquele que diz que ama a Deus e odeia seu irmão é mentiroso" (1 Jo 4:20),

Quem ama:
- Doa: se importa com o outro
- Entrega: estar pronto a ajudar em qualquer circunstância
- Investe: vê o valor que seu próximo tem.
- É generoso e compreensivo: ele pára para ouvir, mesmo que não julgue ser importante.
- Justo e não murmura: nunca o trai e respeita suas virtudes e suas fraquezas.
- Quem ama trabalha para crescer e multiplicar:

 

Conclusão: Deus está nos chamando para o ponto de partida, o inicio mesmo, onde tudo começou, no amor ( 1 Cor 14:8 ). Se a trombeta der um som incerto quem se preparará para a batalha? Este é o som da trombeta chamando-o, hoje, para uma vida de amor e entrega. Gálatas 2:20 explica que Jesus nos amou o suficiente para morrer em nosso lugar. Ele escolheu aceitar o nosso castigo para que pudéssemos passar a eternidade com o Pai. Em sua morte, Cristo realizou o maior ato de amor já visto por olhos humanos. Tudo isto, exclusivamente, por nós.

Que Deus te abençoe!

 

Prs Jair e Ana

Oração: a base de todas as coisas

Oração: a base de todas as coisas

Texto: Lucas 4:1-13


Introdução: Em Lucas 22.40 Jesus nos adverte a orar para não cairmos em tentação. Para entendermos melhor, podemos comparar o mundo a uma grande vitrine, recheada com toda a sorte de coisas com o objetivo de atrair nosso olhar e coração. Perceba então, que o mal vem sempre travestido de algo bom. Em 1 Tessalonicenses 5.22 a palavra nos ensina a fugir de toda a aparência do mal.

No texto que acabamos de ler, Jesus não se deixou seduzir pelas ofertas apresentadas a Ele. Através da oração e jejum, Ele conseguiu discernir o engano que estava por trás delas. Baseado nesta passagem bíblica vamos entender que alguns danos, certamente nos sobrevirão, se nos deixarmos seduzir pelo mal:

 

1. Nossa identidade em Deus é atacada - “Se és filho de Deus” - Uma vez que somos de Deus, sabemos quem somos, porque somos, e para que somos. Ou seja, o Pai nos deu um nome, um propósito e um alvo. Entretanto, podemos perder tudo isto se não nos prepararmos em oração e jejum para enfrentar os enganos da vida.

 

2. Passamos a nos alimentar de algo que parece bom, mas não é - “Manda que esta pedra se transforme em pão” - Este é outro engano muito comum em nossos dias. Existem muitas pedras que foram transformadas em pães, e que estão sendo oferecidas no lugar do pão genuíno que veio do céu, Jesus. Muitas pessoas estão sendo seduzidas pelo mais fácil, por aquilo que parece ser mais lógico, pelo mais convencional, deixando assim de se alimentarem do verdadeiro pão. Elas então, deixam de ir à célula, à igreja, não querem assumir um compromisso com Deus, e desta maneira criam a sua própria religião, ou seja, o seu próprio pão.

 

3. Deixamos de ver Deus como a nossa suficiência - “Ao Senhor teu Deus adorarás e só a ele darás culto” - A adoração é a maior evidência de que somos só do Senhor. Quando satanás requer a adoração por parte de Jesus, ele estava propondo a idéia de ser possível servir a dois senhores. Parece que já vimos esta historia acontecer no jardim do Éden. Uma vida de oração nos livra de vivermos uma vida em cima do muro.

 

4. Nos tornamos insensatos e imprudentes - “Não tentarás o Senhor teu Deus” - Existem pessoas que decidem por conta própria trilhar um caminho enganoso, e logo começam a sofrer os prejuízos, e para piorar ainda mais, colocam a culpa em Deus. Em Provérbios 22.3, diz “O prudente vê o mal e passa longe, mas o insensato passa adiante e sofre a pena”. Lembre-se que Deus nunca fará aquilo que a nós compete fazer.

 

Conclusão: Assim como aconteceu com Jesus, se nos sujeitarmos a Deus em oração e resistirmos o mal, ele certamente fugira de nós (Tiago 4.7).

12/05/2012

Lázaro e o homem rico

Lázaro e o homem rico

Texto: Lucas 16:19-31

Introdução:

Alguns pensam que esta parábola era especificamente para os incrédulos. Na verdade, o oposto é verdadeiro. Nela, Jesus tem como alvo os fariseus, figuras religiosas de autoridade do mundo judaico que praticava o erro, enquanto eles tinham muitas oportunidades para fazer o que é certo e bom.

A interpretação da parábola é que até mesmo o povo de Deus será julgado se eles não fizerem o que é bom e certo quando a oportunidade é dada. No sermão de hoje eu vou discutir este aviso e suas implicações.

1. Faça o que é certo

A. O homem rico teve muitas oportunidades, (Lucas 16:19-20)

B. Ele estava ciente da necessidade do mendigo, (Lucas 16:21)

C. Até os cães viam lamber-lhe as feridas, mas o homem rico não fez nada, (Lucas 16:21b)

2. Você será julgado

A. Por não fazer o que é certo e bom, (Lucas 16:22-23)

B. Mesmo se você é um crente, (Pai envia Lázaro..., Lucas 16:24-26)

C. Pois até mesmo os incrédulos (os cães lambiam...) faz muito mais do que alguns cristãos.

3. Aceite a repreensão

A. Enquanto você ainda está vivo. Uma vez morto será tarde demais, (Lucas 16:27-28)

B. Deus nomeou pastores e líderes para lhe mostrar o caminho certo, (Lucas 16:29)

C. Ao fazer isso Deus lhe deu uma grande oportunidade. Não perca. (Lucas 16:30-31)

Conclusão:

Pode-se argumentar que somos salvos pela graça, não por ato de justiça. Eu concordo, mas ainda assim, Deus quer que vivamos o que acreditamos. Caso contrário, nossa fé é morta e inútil, como a fé do homem rico desta parábola.

Pr. Aldenir Araújo

A obra integral de Jesus

A obra integral de Jesus

Texto: Lucas 4:16-21

Introdução:

Já refletimos sobre a graça de Deus que é ilimitada, alcançável e revelada de uma maneira aberta para toda a humanidade.
Depois ter entendido a maneira como Deus se manifesta a humanidade, podemos ver o seguinte: “A obra integral de Jesus”. Dizemos integral por que alcança todas as áreas da vida humana.
Depois de ter sido batizado nas águas e ter vencido a tentação satânica.
O Senhor Jesus foi à cidade de Nazaré onde havia sido criado e entrando na sinagoga conforme o costume se levantou para ler Isaías 61:1-2 e depois de ter lido declarou que nele, havia se cumprido aquela profecia.

O que nos ensina este texto?

I. Que tudo o que Jesus realizou foi sob a unção do Espirito Santo. V. 18

- “O Espírito do Senhor está sobre mim…”
A. Depois do seu batismo nas águas Jesus Cristo experimentou a descida do Espírito Santo. Lucas 3:22.
B. Jesus é claro ao ressaltar que o Espírito Santo O UNGIU, ou seja, o capacitou para realizar tudo o que fez.
C. Você e eu necessitamos da unção do Espírito Santo para viver em santidade e realizar a obra de Deus
Este texto nos ensina também:

II. Jesus veio para dar boas noticias.

A. Boas novas significam boas noticias. (V.18)
B. Quais são as noticias que se ouvem hoje no mundo?
C. Quais são as noticias que nos dá o evangelho? Paz, liberdade, salvação, perdão, restauração…
D. Pobres: São todos aqueles que necessitam de Jesus. (tanto no espiritual como no emocional)
E. Há boas noticias para o mundo hoje. Sejamos os portadores destas noticias.
Este texto ensina também que:

III. Jesus veio para dar saúde emocional.

“Sarar os quebrantados de coração…” v.18.
A. Muitas pessoas hoje têm grandes feridas no coração, estas foram causadas pelo pecado, pelos vazios e pelas atitudes das pessoas que lhe rodeiam.
B. Que bom é saber que Jesus veio ao mundo para sarar nosso coração.
Jesus não veio só para dar boas noticias, e para sarar nosso coração, mas veio também para:

IV. Libertar-nos de toda opressão e para que tenhamos uma vida renovada. V. 18.

A. Como as pessoas estão vendo a vida hoje? Muitos hoje têm uma visão negativa, pessimista e de frustração. O Que estas pessoas precisam? Que Jesus os livre de toda opressão.
B. Quais são as coisas que oprimem as pessoas deste tempo? Pecado- dor, tristeza, medo, dúvida, ressentimentos, inveja, frustração, sentimento de fracasso, desejo de morrer…
C. O que promete Jesus? LIBERTAÇÃO

Conclusão:

O que fazer para desfrutar desta obra integral de Jesus?
1. Reconhecendo que dele necessitamos.
2. Buscando-o de todo coração.
3. Entregando-lhe nossa vida por completo.
4. Renunciando nossa vida antiga e
5. Recebendo pela fé seu amor e sua graça.