Texto: Lucas 16:19-31

Introdução:

Alguns pensam que esta parábola era especificamente para os incrédulos. Na verdade, o oposto é verdadeiro. Nela, Jesus tem como alvo os fariseus, figuras religiosas de autoridade do mundo judaico que praticava o erro, enquanto eles tinham muitas oportunidades para fazer o que é certo e bom.

A interpretação da parábola é que até mesmo o povo de Deus será julgado se eles não fizerem o que é bom e certo quando a oportunidade é dada. No sermão de hoje eu vou discutir este aviso e suas implicações.

1. Faça o que é certo

A. O homem rico teve muitas oportunidades, (Lucas 16:19-20)

B. Ele estava ciente da necessidade do mendigo, (Lucas 16:21)

C. Até os cães viam lamber-lhe as feridas, mas o homem rico não fez nada, (Lucas 16:21b)

2. Você será julgado

A. Por não fazer o que é certo e bom, (Lucas 16:22-23)

B. Mesmo se você é um crente, (Pai envia Lázaro..., Lucas 16:24-26)

C. Pois até mesmo os incrédulos (os cães lambiam...) faz muito mais do que alguns cristãos.

3. Aceite a repreensão

A. Enquanto você ainda está vivo. Uma vez morto será tarde demais, (Lucas 16:27-28)

B. Deus nomeou pastores e líderes para lhe mostrar o caminho certo, (Lucas 16:29)

C. Ao fazer isso Deus lhe deu uma grande oportunidade. Não perca. (Lucas 16:30-31)

Conclusão:

Pode-se argumentar que somos salvos pela graça, não por ato de justiça. Eu concordo, mas ainda assim, Deus quer que vivamos o que acreditamos. Caso contrário, nossa fé é morta e inútil, como a fé do homem rico desta parábola.

Pr. Aldenir Araújo