9/27/2012

Por vários motivos se segue Jesus - Será que todos são corretos?

Por vários motivos se segue Jesus - Será que todos são corretos?

Introdução: Em seus últimos dias que esteve entre nós o Senhor, várias multidões O seguia ou estava perto d’Ele. Em nossos dias também várias multidões estão próximas, com comportamentos + ou – iguais. Nós também fazemos parte de uma destas multidões. DE QUAL MULTIDÃO VOCÊ FAZ PARTE ???


MULTIDÃO DOS ACUSADORES: (Em Mt 27.22), Pilatos pergunta: “Que farei, então de Jesus, chamado Cristo? Disseram-lhe todos: Seja Crucificado”.
Esta multidão transfere para Cristo suas Culpas, Suas Frustrações, etc.
Seus problemas tem um culpado... será Jesus ou Deus ??


MULTIDÃO DOS QUE QUEREM OS BENS DE JESUS (Mt 27.35b) São os que dizem: “...repartiram as suas vestes...” Estas são as pessoas que só procuram Jesus para receber as suas bênçãos, não importa a mensagem, a situação ou as palavras salvadoras de Jesus. Eu quero é um pedaço de sua capa... Eu quero é conseguir...


MULTIDÃO DOS QUE CHORAM E LAMENTAM (Lc 23.27):
“E seguia-O uma grande multidão de povo e de mulheres, as quais batiam nos peitos e o lamentavam” Esta é a multidão daqueles que até reconhece que Jesus é a solução, mas tentam mudar nada... apenas acompanham a vida passam.. não se abre a mudanças... Não querem no funda fazer nada para mudar a situação de suas vidas. Com os lábios falam, lamentam e choram... no interior se acomodaram.


MULTIDÃO DOS QUE VIRAM O ROSTO PARA JESUS (Mt 27.39): “E os que passavam blasfemavam, maneando a cabeça”. Quantos não querem nem saber de Deus, blasfemam... trocam Jesus por outras coisas: Cristais, Duendes, Imagens, Sol, Lua e Estrelas, Antepassados (Que não voltam mais), etc. Esta multidão não quer Jesus !!!


MULTIDÃO DOS QUE O SEGUEM INDEPENDENTE DA SITUAÇÃO (Jo 16.3): “E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro, de manhã bem ceda, ao nascer do sol”
Estes são os que mesmo diante das dificuldades buscam ao Senhor... Estes experimentam o milagre... a transformação... passam a conhecer um Jesus vivo, ressurreto, sempre pronto a mover os céus por tua causa...
Estes estão dispostos a seguí-Lo de verdade conforme o querer Dele e não o seu mesmo.

QUANTOS PERTENCEM A ESTA MULTIDÃO ???


Conclusão: Muitos seguem a Jesus por vários motivos. Mas alguns destes motivos podem até impedir que Jesus os abençoe.


Aplicação: Com qual multidão você esta andando? Como você tem se portado diante do Senhor? Você o vê como o causador de suas dores ou como aquele que pode te livrar delas? Se você quer ter uma vida de bênçãos aprenda a buscar a Deus em todos os momentos, bons ou maus, porque a vitória final será SEMPRE sua no poder do nome de Jesus!

Deus quer te fazer um conquistador

Deus quer te fazer um conquistador

Texto: Josué 1:1-9


Princípio Bíblico: Desafiar as pessoas a crerem no impossível, a ter fé nas promessas de Deus para necessidades.


Contexto:
• Um Coração conquistador é também um coração de servo. O Versículo Um revela o coração de Josué, um coração de servo (servidor de Moisés).
• Reconhecendo nossas falhas e dificuldades íntimas
• Quando temos que conquistar é porque há uma barreira a ser transposta. A palavra fala do Jordão (v. 2) O que pode ser o Jordão da sua vida?
• Desânimo, depressão, falta de perseverança, problemas familiares, financeiros, etc.
• Josué sabia que teria que atravessar o Jordão, mas foi perseverante.
• Muitas vezes nós nos prendemos pelas circunstâncias e não prosseguimos.
• A Palavra nos fala especificamente que depois do Jordão (v 3) há uma terra de conquista que emana leite e mel. Nos fala que todo o lugar que pisar a planta de nosso pé, o Senhor nos dará por herança. Essa Palavra nos dá certeza de que em Jesus as promessas se concretizam e a nossa mente se libera.
• Fala de fidelidade do Senhor para com os seus e sua descendência (v 5) (Hebreus 13:5)
• O Senhor nos encoraja (v 6)


Conclusão: Sua presença e sua força vai conosco (v 9) Não importam as circunstâncias porque em Deus todos os nossos inimigos internos são vencidos e com isso tomamos posse da herança que nos foi destinada. Romanos 8:32 - Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?


Aplicação: Isaias 43:1-4


Compartilhar: Qual o Jordão que você está atravessando ou tem que atravessar? Como está sua confiança em Deus? Você realmente crê que ele é capaz de abrir o Jordão para você?

O poder restaurador

O poder restaurador

Texto: Marcos 10:46-52
Bartimeu, cego mendigo, estava assentado a beira do caminho... Jesus não passou por acaso por ali. Ele queria ter um encontro com Bartimeu... Deus te trouxe hoje aqui e preparou esta reunião para ter um Encontro com você! Não foi por acaso.


Qual era a condição de Bartimeu? Cego e mendigo! A grande maioria das pessoas está vivendo da mesma forma: sem rumo, sem direção, sem objetivos, não sabem porque nasceram, para que vivem... Estão cegos no seu entendimento e mendigando favores e dependendo dos outros (patrão, governo, pessoas, etc...) que muitas vezes falham.


Bartimeu reconhece sua situação e começa a clamar e gritar por misericórdia a Jesus que vinha pelo seu caminho. Muitos o censuravam... com certeza, também lhe tentarão impedir, faça como Bartimeu clame mais alto, grite por socorro e Jesus vai te ouvir e te libertar!


Jesus mandou chamá-lo (hoje Ele está te chamando!); e pergunta a Bartimeu: “Que queres que te faça?” (hoje Ele te pergunta o mesmo!) Respondeu Bartimeu: “Que eu volte a ver” e Jesus lhe diz: “Vai a tua fé te salvou!” e ficou curado!!! Jesus hoje quer te curar, liberar de maldições, transformar tua vida!!! Basta você fazer o que Bartimeu fez: Falar para Jesus qual é o seu problema, confiando que Ele pode resolvê-lo, estando disposto a fazer o que Ele te pedir e você vai obter vitória.
O Poder restaurador de JESUS vai tocar tua vida hoje! E você terá: Um Encontro de vida!

Conclusão:
1. Com que multidão você está, com a que caminha com Jesus ou com a que está cega, ferida no coração, machucada, magoada, precisando que Cristo vá ao seu encontro?

2. Bartimeu não se importou com o que os outros diziam, pesavam, achavam ou tentavam fazer. Ele queria ter um encontro com Jesus.
Mesmo que outros digam: isto é careta, não tem nada haver com você, você
já tem Jesus pelo batismo, você vai virar fanático, ninguém precisa de se
“entregar” a Cristo, você não vai conseguir ser crente. Você está disposto (a)
a ir até Jesus?
Aplicação:
Quando Jesus perguntou a Bartimeu o que Ele poderia fazer para restaurar sua vida, ele sabia o que pedir...”que eu veja”. E você, Cristo está aqui para restaurar sua vida...o que você quer que Ele te faça
Você crê, realmente, que Ele pode e vai fazer isto? Então declare: “Em nome de Jesus eu creio que o Senhor vai restaurar com o Seu poder minha vida!!”

Que homem é este?

Que homem é este?

Texto: Mt. 8:23-27

Introdução: O homem anda em busca do caminho, a verdade e a vida, socorro, ajuda, referencial, herói, pai, identidade..., mas, somente poderá encontrar o que precisa no Rei do Universo, O Senhor Forte e Poderoso, Jesus Cristo.

1) Que fazer na hora da tempestade?

a- Olhar para a tempestade não é a solução
b- Reclamar da tempestade não é a solução
c- Usar remos na tempestade não é a solução
d- Pedir socorro é a solução

2) A quem devemos pedir socorro?

a- Não aos discípulos
b- Não aos que estavam na praia
c- Não aos que estavam distantes
d- Mas a UM HOMEM que estava dentro do barco

3) Como Jesus socorreu os discípulos?

a- Ele estava dentro do barco
b- Os discípulos lembraram-se d'Ele
c- Os discípulos aproximaram-se d'Ele
d- Jesus repreendeu o mar e o vento

4) Que Homem é este?

a- O Homem que desceu do céu. Jo. 3:17 -" Porque Deus enviou seu filho ao mundo não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele".

b- O homem que morreu por nós. 1Cor. 15:3 - "Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundos as Escrituras".

c- O Homem que está no céu. At. 1:11 - "Varões galileus, porque estais olhando para o céu: Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir."

d- O único homem que nos pode salvar. At. 4:12 - "E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos".

As sete últimas palavras de Jesus na cruz

As sete últimas palavras de Jesus na cruz

Texto: Lc 23: 33-49

Introdução: A crucificação de Jesus Cristo é narrada nos quatro evangelhos, dando o quadro completo do sacrifício do Cordeiro de Deus pela sua salvação. (Lc 23:33-49; Mt 27:32-56; Mc 15:21-41; Jo 19:17-37).

I) Perdão

"Pai perdoa-lhes porque não sabem o que fazem" (Lc 23:34).
1) Jesus se deixa crucificar pelos pecados do mundo
2) Jesus de deixa crucificar pelo perdão da humanidade

II) Abertura do Céu

"Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso" (Lc 23:43).
1) Jesus se deixa crucificar pela salvação dos perdidos
2) Jesus se deixa crucificar para nos abrir o caminho e as portas do Céu

III) Amor e Proteção

"Mulher eis aí o teu filho... eis aí a tua mãe". (Jo 19:26-27).
1) Jesus se deixa crucificar por amor, para proteção do mundo.
2) Jesus recomenda Sua mãe a João e este a Sua mãe, proclamando a grande fraternidade da família de Deus.

IV) Substituição

"Deus Meu, Deus Meu, porque Me desamparaste?" (Mt 27:46 e Mc 15:34).
1) Jesus se deixa crucificar no lugar dos pecadores (II Cor 5:21).
2) Jesus se esvazia da Divindade, para dar aos perdidos a plenitude da vida eterna.

V) Sede de Redenção

"Tenho sede" (Jo 19:28).
1) Jesus morre, para dar a Água da Vida aos perdidos
2) Jesus anseia pelo mundo remido da sequidão do mal e do pecado.

VI) Consumação da Redenção

"Está consumado" (Jo 19:30).
1) Jesus fica satisfeito de ver consumado Sua Obra de Redenção, Sua Vitória sobra a morte.
2) Jesus contempla o mundo remido pela Sua morte, que trás a vida.

VII) Entrega ao Pai

"Pai nas Tuas Mãos entrego o Meu Espírito" (Lc 23:46).
1) Jesus expira nas Mãos do Pai, para trazer a vida com abundancia – Jo 10.10b.
2) Jesus reina no mundo espiritual, abrindo ao mundo o Reino de Vida Eterna – (Ap 1.18).


Conclusão: Sete palavras de completa salvação... O sangue de Jesus Cristo nos lave de todo mal, de todo o pecado, e nos conceda a vida abundante aqui e a salvação eterna – (1 Jo 1.7).
Aceite a Jesus como o seu salvador e terás salvação eterna.

9/22/2012

Servindo no Reino de Deus

Servindo no Reino de Deus

Texto: Romanos 12:1-8

Ponto da mensagem: Nós nos conectamos com o Reino de Deus e o povo de Deus se envolvendo.

Passagem Suplementar: E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao varão que contempla ao espelho o seu rosto natural; Porque se contempla a si mesmo, e foi-se, e logo se esqueceu de que tal era. Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito” (Tiago 1:22-25)

Introdução: O grande violinista, Niccolo Paganini doou seu violino maravilhoso para a cidade de Génova, em perfeitas condições, como se nunca tivesse sido usado. Mas, o encantador violino de Paganini tornou-se hoje uma peça carcomida e inútil, salvo como uma relíquia. A falta de vontade de um cristão para servir em breve poderá destruir a sua capacidade de utilidade.

I. Servindo como uma expressão de amor

A. "Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pela caridade. Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo" (Gálatas 5:13-14)

B. "Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há-de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamon” (Mateus 6:24).

II. Servindo como um exemplo para os outros

A. Exorta semelhantemente os mancebos a que sejam moderados. Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade. Linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós” (Tito 2:6-8)

B. "Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal; E qualquer que entre vós quiser ser o primeiro seja vosso servo; Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos" (Mateus 20:26-28)

III. Servindo como uma distração do que é certo (a advertência)

a. Marta, porém, andava distraída em muitos serviços, e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que a minha irmã me deixe servir só? Diz-lhe que me ajude. E, respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, Mas uma só é necessária; Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada" (Lucas 10:40-42)

b. Marta escolheu fazer o trabalho e foi repreendida por Jesus

c. Servir a Deus não é nenhum substituto para um relacionamento com Ele.

Convite: Você se sente desconectado de Deus? Dos outros? Da igreja?

Talvez você precise se envolver e servir! Existem muitas e variadas maneiras que você pode servir. Berçário, Juventude, Escola Dominical, ajuda com a limpeza do templo, Cozinha, Decoração, Sociedade, divulgação e visitação, etc.

Vir a igreja uma vez por semana não é participar no ministério. Isso não é servir a Deus. Isso é simplesmente servir a si mesmo.

 

Recomendo

Pr. Aldenir Araújo

Influência contra a influenza

Influência contra a influenza

Texto: Salmos 91:3, 5a, 6a.

Introdução: O salmo 91 é uma declaração de confiança plena no poder e na proteção do Onipotente para todos aqueles que lhe pertencem…

Consideremos só os primeiros seis versículos.

Seja Influência contra a Influenza! Se Tomarmos medidas preventivas, acatarmos as recomendações do governo e contribuirmos em tudo o possível para combater a Influenza... Mas mais além… Vejamos estas circunstancias como uma oportunidade para dar consolo, testemunho de paz, confiança e fortaleza no Altíssimo. Sejamos influência cristã para vida de todos aqueles que continuam contaminados com o vírus da morte espiritual.

Pergunta: Porque devemos ser Influência contra a Influenza?

I. Devemos ser influência por causa da nossa posição. Salmo 91:1

“Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo a sombra do Onipotente descansará”.

1. Nós os Crentes habitamos no esconderijo do Altíssimo

a. Que fala da nossa relação pessoal com Deus.

b. Que fala de que conhecemos a Deus pessoalmente

c. Que fala de que confiamos em Deus sobre todas as coisas e circunstâncias.

2. b. Nós os Crentes habitamos debaixo da sombra do Onipotente

a. Que fala do cuidado que Deus tem conosco

b. Que fala de que nada nem ninguém poderia cuidar de nós melhor

c. Que fala de que ainda “no vale da sombra da morte” não temeremos.

II. Devemos ser influência por causa da nossa comunhão. Salmo 91:2

“Direi do Senhor: Ele é o meu Deus, o meu refugio, a minha fortaleza, e nele confiarei”.

1. Nós os crentes falamos com o Senhor

1. Que fala de nossa comunhão íntima (individual) com ele

2. Que fala de que Ele é nossa esperança e nossa fortaleza

2. Nós os crentes temos nossa esperança, fortaleza e confiança em Deus.

a. Sabendo que aconteça o que acontecer, ele tem tudo sobre seu controle

b. Sabendo que aconteça o que acontecer, nós estamos com ele.

c. Sabendo que aconteça o que acontecer, ele sempre fará o melhor por seus filhos.

III. Devemos ser influência por causa do nosso conhecimento. Salmo 91:3-6

“Ele te livrará do laço do passarinheiro, Da peste perniciosa. Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro; A sua verdade é escudo e broquel. Não temerás o espanto noturno, Nem seta que voe de dia, Nem pestilência que ande na escuridão, Nem mortandade que assole ao meio dia.”

1. Devemos ser Influência porque conhecemos (sabemos):

a. Que Deus tem todo o poder para livrar-nos de qualquer perigo.

b. Que Deus tem todo o poder para livrar-nos de qualquer peste ou mal.

2. Devemos ser Influência porque conhecemos (sabemos):

a. Que Deus nos ama e nos protege

b. Que em Deus somente podemos estar COMPLETAMENTE SEGUROS.

3. Devemos ser Influência porque conhecemos (sabemos):

a. Que não devemos temer o terror noturno

b. Que não devemos temer seta que voe de dia

c. Que não devemos temer pestilência

d. Que não devemos temer mortandade

e. Que não devemos temer a nada nem a ninguém

Conclusão: Em um tempo de temor e desânimo, os crentes devemos ser Influência cristã, NÃO DEVEMOS TEMER, devemos fortalecer nosso conhecimento, comunhão e confiança em DEUS para compartilhar com aqueles que ainda não conhecem a Deus. Aconteça o que acontecer, Deus é nossa esperança!

 

Recomendo:

Pr. Aldenir Araújo

9/21/2012

Música - Uma expressão de adoração

Música - Uma expressão de adoração

Texto: Êxodo 15:1

1. A música pode ser uma expressão de adoração.

A. Então, cantou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao SENHOR; e falaram, dizendo: Cantarei ao SENHOR, porque sumamente se exaltou; lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro" (Êxodo 15:1).

B. A música teve um papel importante na adoração e celebração de Israel.

C. Cantar era uma expressão de amor e gratidão, e era uma forma criativa de passar as tradições orais.

D. Era um poema épico festivo comemorando a vitória de Deus, elevando os corações e as vozes das pessoas para fora e para cima. Depois de ter sido liberto de grande perigo, eles cantavam com alegria!

E. Canções e hinos podem ser ótimas maneiras de expressar alívio, louvor e agradecimento quando você já passou por apuros.

F. Paulo e Silas cantaram em Atos quando na prisão.

2. A música pode ser um meio de paz, abrindo o caminho para a adoração.

A. A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais; cantando ao SENHOR com graça em vosso coração” (Colossenses 3:16)

B. Os cristãos devem viver em paz. Viver em paz não significa que, de repente, todas as diferenças de opinião serão eliminadas, mas exige que os cristãos amorosos trabalhem juntos apesar de suas diferenças.

C. Os problemas em seus relacionamentos com os outros cristãos causam conflitos abertos ou silêncio mútuo? Considere o que você pode fazer para curar essas relações com o amor.

3. A música pode nos ajudar a concentrar nossa atenção em Deus.

A. Cantai alegremente a Deus, nossa fortaleza; celebrai o Deus de Jacob. Tomai o saltério e trazei o adufe, a harpa suave e o alaúde” (Salmo 81:1-2)

B. Davi instituiu a música para os cultos de adoração no templo (1 Crônicas 25).

C. Música e adoração andam de mãos dadas.

D. A adoração deve envolver toda a pessoa, e a música ajuda a elevar os pensamentos e as emoções de uma pessoa a Deus.

E. Através da música podemos refletir sobre nossas necessidades e deficiências, bem como celebrar a grandeza de Deus.

 

Recomendo:

Pr. Aldenir Araújo

9/20/2012

Faça por merecer

Faça por merecer

Texto: Mateus 26:36-53


 

Introdução

Texto: momento crucial no ministério de Jesus (Ele veio para esta hora: Jo 12:27)
"Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal." (1 Timóteo 1:15 RA)
"Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores." (Romanos 5:8 RA)
Jesus morreu por você...
Em 2Ts 1:5 o apóstolo Paulo declara que temos que ser achados por dignos da salvação.
- Você tem se tornado digno da salvação?
Tornamos-nos dignos da salvação quando fazemos por merecer o sacrifício do Senhor Jesus por nós


Faça por merecer tomando três atitudes:


 

I - Tendo gratidão

- Lembre-se que Jesus não tinha obrigação de morrer por nós (v. 53), mas ele decidiu não desistiu de você. Que a convicção deste fato venha gerar gratidão em seu coração.
- A parábola dos dez leprosos [Lc 17:12-19]
Dez foram curados, mas apenas um foi salvo: aquele que foi demonstrou gratidão.


 

II - Buscando aproximação. Lucas 7:36-50

- Jesus aproveitou este fato para mostrar que aquela mulher se aproximou mais dele por que reconhecia-o como seu Salvador.
- Quanto mais temos consciência do que o Senhor fez por nós, mais ainda nos aproximamos dEle.

- A que distância você está de Jesus?


 

III - Dando retribuição

Podemos retribuir ao Senhor de três maneiras:
1ª) Retribua tratando bem os homens de Deus
"Em verdade, em verdade vos digo: quem recebe aquele que eu enviar, a mim me recebe..." (João 13:20)
"Quem recebe um profeta, no caráter de profeta, receberá o galardão de profeta; quem recebe um justo, no caráter de justo, receberá o galardão de justo." (Mateus 10:41)
"Agora, vos rogamos, irmãos, que acateis com apreço os que trabalham entre vós e os que vos presidem no Senhor e vos admoestam; e que os tenhais com amor em máxima consideração, por causa do trabalho que realizam." (1 Ts 5:12-13 RA)
- Como você tem tratado os homens de Deus?
2ª) Retribua ajudando aos mais carentes
Leia Mt 25:31...
Retribua ao Senhor acudindo aos necessitados. Lembre-se que, na sua vinda, o Senhor Jesus dirá: "foi a mim que fizestes."
- Que bem você tem feito pelo próximo?
3ª) Retribua dando continuidade a obra do Senhor
"Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar nossa vida pelos irmãos." (1 João 3:16)
"Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou." (2 Coríntios 5:14-15 RA)
- Por quem você tem vivido?


 

Conclusão

Nada fizemos para merecer a salvação mas, agora que estamos salvos, façamos por merecer a vida eterna com o Salvador.



http://www.igrejabiblicacrista.com.br/

Virando a Mesa

Virando a Mesa

Texto: Juízes 1:7

Introdução:

- Virar a mesa é uma expressão popular que significa sair de um estado de humilhação e fracasso,assumindo um posicionamento vitorioso.

- A Bíblia nos mostra exemplos abençoadores de situações assim, em que pessoas saíram de um estado vegetativo, assumindo uma postura triunfante em meio ao fracasso.

- Veja essa história, pequena e escondida no livro de Juízes, parecendo até sem sentido, mas nada na Bíblia é sem sentido.


 

1. Adoni-Bezeque, maioral dos cananeus, rei de Bezeque, capturou e prendeu setenta reis.

Após despojá-los, os submeteu a terríveis humilhações:
a) Cortando seus polegares:

- Tirando todo o equilíbrio, destreza e firmeza. Não conseguiam mais fazer o que faziam na guerra e nas artes.

- Como um rei vive sem ter dedos polegares das mãos e dos pés?Foram inutilizados. Adoni-Bezeque fez isso para apoderar-se deles.

- Como segurar uma arma em uma guerra sem o dedo polegar?

- Como caminhar de forma equilibrada sem os polegares dos pés?

Aplicação:

- Talvez este seja seu estado hoje. Ao olhar para trás, vê tantas promessas, tantos sonhos de um futuro promissor esvaindo-se pelo ralo. Nasceu para ser rei, mas alguma coisa aconteceu no percurso da vida, que te castrou os dedos, e hoje, vive sem nenhuma perspectiva, humilhado pelo Adoni-Bezeque do inferno (Diabo).
b) Fazendo-os comer migalhas: Migalhas não são sobras.

- Sobras já são humilhantes, mas pelo menos ainda estão em cima da mesa. Migalhas são descartáveis.

- São Farelos ou grãos que caem das mesas ao chão, ou para serem varridas ou comidas por animais domésticos (Mat.15:27).

- Ser humano normalmente não come. Imagine um rei acostumado com as lautas refeições palacianas agora comendo miseráveis migalhas?

- E o pior, sem equilíbrio manual para apanhar as migalhas. Era bem possível que apanhavam com a boca, como os cães. Isso era inconcebível e humilhante para reis.
Aplicação:

- Nem sobras lhe restam. Somente migalhas. Favores alheios que nem sempre vem.

- É a esperança naquela cesta básica da Assistência Social. Naquele irmão benevolente, etc.
c) Sujeitando-os a humilhação debaixo de uma mesa:

- É inconcebível para um rei deixar o palácio e morar numa choupana, agora imagine parar debaixo de uma mesa de um tirano, escravizado e sem direito nem a reclamar ou reagir, pois se reclamar lhe tiram até as migalhas.

- Aqueles reis foram rebaixados de sua realeza, sem herança, sem coroa, sem futuro.
Aplicação:

- Amado em Cristo, ouça o que vou lhe dizer: debaixo da mesa é o fundo do poço para quem quer que seja. De lá é quase que impossível sair com esforço pessoal.

- Parece que esse é o fim? Ainda não.
Virando a Mesa


 

2. Primeiro o Senhor vai vingar Adoni-Bezeque, pagar com a mesma moeda os males que ele fez.

- Deus é o primeiro a aplicar a linda lei da semeadura, um grande princípio espiritual que Ele mesmo criou: “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará”.

- As tribos de Judá e Simeão fizeram mais do que isso: Mataram o maléfico Adoni-Bezeque.
Aplicação:

- A justiça divina é implacável. Ninguém pode cometer barbáries a torto e direito, imaginando que nunca será abatido.

- Deus ainda continua no trono, e vingará o sangue de seus mártires e justos que clamam: “E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles?”(Luc.18:7)


 

3. Como é o final de quem está debaixo da mesa: A Bíblia não diz o que aconteceu aqueles reis.

- Mas podemos supor que as tribos de Judá e Simeão os tenha libertado daquele jugo, pois, se o algoz que os escravizou foi morto, é bem possível que tenham sido libertados e devolvidos às suas condições reais, ainda que desprovidos dos polegares das mãos e dos pés. Mas agora tinham servos para alimentá-los, cuidar deles.


 

4. Lembremo-nos aqui de uma história semelhante do garoto Mefibosete. Leia II Sam. 9 e compare as histórias.


 

Conclusão:

- Você será convocado por Deus para reassumir a sua realeza espiritual.

- O Senhor Jesus veio a este mundo para julgar e vingar Adoni-Bezeque.

- Você vai virar a mesa, e vai comer nela, na presença dos seus inimigos(Sal.23:5). Amém.


Pr. Josias Almeida

A Gratidão

A Gratidão

=> Qualquer pessoa educada sabe que deve agradecer quando recebe um presente.

=> A verdadeira gratidão se reflete, também, de outras maneiras.Falamos para outras pessoas; cuidamos bem do presente recebido; procuramos agradar à pessoa que se mostrou generosa para conosco; etc.

=> A gratidão faz parte da vida do servo de Deus. Devemos mostrar a gratidão para com outros homens, mas o foco deste artigo é a nossa gratidão para com Deus.


 

I. Por que ser gratos a Deus?

=> As respostas a essa pergunta são mais numerosas do que as estrelas no céu.

=> Deus nos deu vida, e preparou um mundo especial para nos agradar. Ele é a fonte das nossas necessidades diárias.

=> Mas, o discípulo de Cristo sente gratidão por outras razões, além das bênçãos materias. Considere alguns dos motivos da gratidão do servo de Deus:

A) Motivos materiais/terrestres/físicos:

=> Deus nos dá alimentos e as necessidades da vida (Mateus 6:11,30-34;João 6:11; 1 Timóteo 4:3-4).

=> Somos abençoados com famílias (Rute 4:12-14; Salmo 127:3; Provérbios 31:10,29-30).

=> A presença e o bem-estar/segurança de pessoas queridas (Atos 28:15; Efésios 1:16; 1 Tessalonicenses 1:2).

=> A proteção divina e as vitórias nesta vida (Êxodo 15:1-2; Esdras 8:31).
=> Devemos orar e agradecer por todos os homens (1 Timóteo 2:1).

B) Motivos espirituais/celestes/eternos:

=> Deus enviou a luz para os homens na pessoa de Jesus Cristo (Lucas 1:78; 2:38).

=> A salvação pela graça em Jesus (Romanos 7:25; 1 Coríntios 1:4; Colossenses 1:12).

=> O Senhor revelou a sua palavra de maneira que a podemos entender (Lucas 10:21).

=> Ele nos deu a Ceia do Senhor para lembrar a morte de Jesus (Mateus 26:26-29; 1 Coríntios 11:23-27).

=> A fé e fidelidade de irmãos espirituais (Romanos 1:8; 6:17; 1 Tessalonicenses 2:13; 3:9; 2 Tessalonicenses 1:3; 2:13; 2 Timóteo 1:3; Filemom 4).

=> Temos, em Cristo, a vitória sobre a morte (1 Coríntios 15:57).

=> Nossos irmãos oram e se preocupam conosco (2 Coríntios 1:11; 8:16; 9:11-15).

=> Deus nos usa, como seus servos, para divulgar a sua palavra (2 Coríntios 2:14).

=> Deus Todo-Poderoso reina sobre todos (Apocalipse 4:9; 7:12; 11:7).
Temos esses e muitos outros motivos para ser gratos a Deus. Resumindo, devemos lembrar que Deus é a fonte de todas as coisas boas que recebemos (Tiago 1:17). Ele nos ama e mostra o seu amor em tudo que faz para conosco. Devemos viver constantemente agradecidos ao Senhor.

 

II. Como mostrar a nossa gratidão a Deus?

Como servos de Deus, devemos mostrar gratidão das seguintes maneiras:

a) Expressemos a nossa gratidão a Deus em palavras.

=> Orações frequentemente incluem palavras de gratidão. Paulo disse: "Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens" (1 Timóteo 2:1).

=> Ações de graças fazem parte da comunicação essencial do servo ao Senhor. Devemos enfatizar oração em nossas vidas, orando "sem cessar" e dando graças "em tudo" (1 Tessalonicenses 5:17-18).

=> Como pessoas radicadas e edificadas em Cristo, vamos crescer em ações de graças (Colossenses 2:7). Percebemos em tais trechos que a oração não é meramente um ritual ou obrigação de falar certas palavras de rotina. É uma parte fundamental da vida do servo de Deus (Colossenses 4:2).

=> Ações de graças são um aspecto do louvor a Deus, e representam uma oferta feita a ele.

=> No Velho Testamento, ações de graças frequentemente são citadas em relação à adoração musical (Neemias 12:46; Salmo 69:30; 100:4; etc.).

=> Sob o Novo Testamento, louvamos a Deus com salmos, hinos e cânticos espirituais, com gratidão em nossos corações (Colossenses 3:16; veja Efésios 5:19-20).

=> Na antiga aliança, ações de graças são mencionadas várias vezes quando se fala das ofertas e dos sacrifícios feitos pelo povo judeu (2 Crônicas 33:16; Salmo 107:22; Jeremias 33:11).

=> Na aliança de Cristo, mostramos a gratidão em nossos sacrifícios e ofertas (2 Coríntios 9:11-12).

=> Pensando dessa forma ajudará o nosso louvor. Ao invés de oferecer adoração egoísta, do estilo e da maneira que nos agrada, louvaremos ao Senhor da maneira que ele pede.

=> Bandas de rock ou hinos acompanhados por instrumentos musicais podem agradar ao homem, mas o Senhor, na Nova Aliança, pediu louvor que vem do coração, oferecido com a voz e os lábios do adorador que serve em espírito e em verdade (leia João 4:24; 1 Coríntios 14:15; Efésios 5:19; Colossenses 3:16; Hebreus 13:15).

b) Mostremos nossa gratidão fazendo coisas para agradar a Deus.

=> A nossa obediência a Deus reflete a gratidão de pessoas resgatadas pelo sacrifício de Jesus.

=> Paulo frisa bem esse fato na sua carta a Tito. Leia e pondere a mensagem de Tito 2:11 - 3:8.

=> Devemos perceber que Paulo não está ditando regras ou impondo a sua própria vontade sobre os homens. Ele descreve a conduta de pessoas realmente convertidas a Cristo, pessoas dedicadas a Deus e determinadas a fazer a vontade dele.

=> O mesmo texto mostra os motivos por trás desta transformação no caráter e no procedimento do discípulo do Senhor.

c) Falemos a outras pessoas sobre a bondade de Deus.

=> Davi reconheceu o valor da sua salvação e pediu o privilégio de poder falar para outras pessoas: "Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos" (Salmo 51:13);

=> Paulo valorizou a sua salvação e deu importância à evangelização de outros: "...pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho" (1 Coríntios 9:16).

=> Paulo entendeu que a divulgação do evangelho continuaria de uma geração para outra: "E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros" (2 Timóteo 2:2). Uma vez que entendemos o significado da salvação em Cristo, falaremos aos outros.

=> Pedro e João disseram: "...pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos" (Atos 4:20).

Mostremos a nossa gratidão

Cada cristão foi resgatado pelo amor de Deus manifestado na cruz de Cristo.

A nossa gratidão nos motivará a adorar a Deus, viver por ele, e divulgar a boa nova para todos ao nosso redor. Ele merece isso, e muito mais!


 

Dennis Allan

Promessa de Bênçãos Abundantes

Promessa de Bênçãos Abundantes

Quebra-gelo: Você já teve grandes expectativas em algo que não se realizou?


Textos: Malaquias 3:10 e João 10:10.


 

Introdução:

- Quando alguém demonstra ter muito potencial em determinada coisa, dizemos que essa pessoa é uma grande promessa.

- Mas quantos conhecem grandes promessas que não deram em nada? Isso é muito comum, pois são várias as coisas que podem dar errado frustrando uma promessa (Exemplo: uma contusão pode acabar com uma promessa do esporte).

- Deus tem muitas promessas de bênçãos para as nossas vidas, isso em várias áreas; a diferença é que para as promessas de Deus se realizarem em nossas vidas, só depende de nós.

- Os dois textos que nós lemos nos mostram uma parte muito pequena das promessas de Deus, pois Deus tem promessas de bênçãos abundantes.

 

Para experimentarmos tudo que Deus tem para as nossas vidas precisamos:

1) Conhecer as orientações de Deus.

- Em Oséias 4:6 Deus diz que o povo Dele está sendo destruído porque lhe falta o conhecimento.

- Conhecer as orientações que Deus dá, os caminhos de bênção que ele propõe é algo básico para alguém que deseja usufruir das bênçãos abundantes de Deus.
- Deus já estabeleceu caminhos que são abençoados tudo que precisamos é conhecer esses caminhos e andar por eles para usufruir da bênção de Deus.


 

2) Seguir as orientações de Deus.

- Já temos falado isso outras vezes que de nada adianta conhecer se não nos dispomos a obedecer.

- Ao invés de obedecer muitos tem procurado se aproximar de Deus para convencê-lo a abençoar os caminhos que escolheram. Isso é tolice.

- Siga as orientações de Deus, faça o que Ele tem te pedido, ande pelos caminhos que Deus tem te mostrado, deixe de teimosia.
- O que você quer: as bênçãos de Deus ou manter sua opinião? Se quiser as bênçãos, siga as orientações que Deus tem te dado.


 

3) Entregar nossa vida a Jesus para que Ele seja nosso Senhor e Salvador.

- Você já entregou sua vida a Jesus para que Ele seja Senhor da sua vida?

- É Ele quem dirige seus passos? É a vontade Dele que governa a sua vida ou a sua?


 

Conclusão:

- Você quer entregar sua vida a Jesus Cristo? Já fez isso, mas ainda é você que decide seus caminhos e não Ele e quer mudar isso? Quer seguir as orientações de Deus? Levante a mão, vamos orar.

 


http://www.imm.com.br/

Deus Te Ajuda, Se Você Quiser

Deus Te Ajuda, Se Você Quiser

Quebra-gelo: Você gostaria de ter a ajuda de Deus?


Texto: Salmo 139:23-24


 

Introdução:

- Todos precisam da ajuda de Deus, e saber que Ele deseja nos ajudar é uma grande notícia, mas infelizmente nem todos conseguem usufruir da ajuda de Deus.

- Muitos acham difícil conseguir a ajuda de Deus e desistem de procurá-la, outros deixam de acreditar que é possível receber a ajuda de Deus.


Na verdade é muito simples conseguir a ajuda de Deus, mas para isso:


 

1) Precisamos pedir que Deus nos ajude.

- O salmista pede que Deus o sonde e conheça seu coração.

- Muitas vezes não conseguimos enxergar o que temos feito de errado, precisamos da ajuda de Deus para isso.

- Você quer ajuda de Deus?

- Quer ser abençoado por Ele?

- Peça que Ele te ajude a enxergar o que está errado, o que tem feito de errado.


 

2) Precisamos aceitar o que Deus nos diz.

- Muitas vezes não aceitamos nossos erros, falhas e pecados.

- Além de conseguirmos enxergar nossos erros precisamos admiti-los.

- Você quer a ajuda de Deus? Aceite o que Ele te diz.


 

3) Precisamos deixar que Deus nos guie.

- Só quando admitimos nossos erros, falhas e pecados é que conseguimos aceitar a direção de Deus em nossas vidas.

- Enquanto não aceitamos que Ele sabe o que é certo e não nós, continuamos a resistir a direção de Deus fazendo as coisas do nosso jeito.

- Quer a ajuda de Deus? Deixe Deus guiar a sua vida da maneira que Ele quiser.


 

Conclusão:

- Muitos querem o favor de Deus, mas não admitem seus erros e nem deixam Deus guiá-los com liberdade.

- Quer ser abençoado(a)?

- Quer a ajuda de Deus?

- Aceita a direção que Deus dá para sua vida e o que Ele te fala?

- Quer pedir a Ele por isso? Levante a mão, vamos orar.

http://www.imm.com.br/

Abrindo a porta para o impossível

Abrindo a porta para o impossível

Textos: Lucas10:38 - II Rs.4:8ª10

 

Introdução:

- Nesses dois textos vemos pessoas recebendo em seus lares, Eliseu e Jesus.

- Essas pessoas mais do que receber, abriram suas portas para o encontro do sobrenatural: A ressurreição de seus entes queridos.

 

O que temos que fazer para receber isso em nossas casas hoje?


 

1. Ambientação para presença e morada

- Não há como ficar num lugar sem ter um ambiente favorável para estadia e habitação. Só conseguimos ficar num ambiente favorável sociologicamente, psicologicamente e fisicamente.
- Eliseu tornou-se um morador na casa da sunamita, recebendo um tratamento vip, tendo um canto de sua casa ocupado por ele, construído e doado bondosamente pela mulher, que reconheceu nele um homem de Deus.
- Jesus tornou-se hóspede habitual na casa de Marta e Maria em Betânia, tendo seus dois lados satisfeitos ali: Humano e Divino. Marta ocupava-se do lado humano, cuidando da alimentação e acomodação do Mestre e Maria do divino, assentada aos seus pés ouvindo embevecida seus ensinos.

 

2. Ter comunhão mais do que interesse

- A Sunamita nunca reivindicou nada pelo favor feito ao profeta. Tudo o que fez foi por querer uma comunhão mais próxima de Deus, e julgou que o profeta ali na sua casa seria um canal de transmissão dessa presença santa. Quando o profeta lhe oferece a oportunidade de um benefício ela rejeita, mostrando que tudo que fez, foi pelo prazer de servir e não pelo desejo de retribuição (II Rs.4: 13).
- Maria aprendeu esse princípio primeiro do que Marta. Ela entendeu logo de cara que Jesus não estava reivindicando ali um banquete. Uma comida simples estava bom demais. O que Jesus queria não era um ativismo desenfreado sem tempo para ouvi-lo. Enquanto Marta correu para cozinha, Maria foi para seus pés ouvi-lo, e Jesus disse que a parte principal foi Maria quem escolheu (Luc.10:41e42).

3. Saber aguardar na sala de espera

- Ambos os casos, os personagens arrolados foram vítimas de uma terrível tragédia. A Sunamita perdeu seu filho único e Marta e Maria perderam seu irmão Lázaro.
- Quando o filho da Sunamita morreu, Elizeu estava longe de casa e quando chegou, entrou sozinho no quarto e a deixou na “sala de espera”, na expectativa de um milagre. Enquanto esperamos não pode haver questionamentos nem dúvidas, mas aguardar em silêncio enquanto Deus trabalha.
- Quando Lázaro morreu Jesus demorou quatro dias para atendê-las, mostrando que intimidade não dá direitos a privilégios. Esses quatro dias foram a sala de espera daquelas irmãs desesperadas e aflitas, que viam a cada dia que passava qualquer esperança fugir. Sala de espera sempre antevê o momento de um grande milagre.

4. Recebendo o impossível

- A sunamita teve seu filho de volta, ressuscitado por Eliseu, dando continuidade em sua história.
- Marta e Maria receberam a Lázaro, não terminando assim seus dias como mendigas em Israel.

Conclusão:

- Faça o ambiente para a morada divina, cuidando de o servir sem nenhum interesse, aguardando na sala de espera o milagre que vai acontecer. Amém.

 


Pr. Josias Almeida

Como confirmar as suas Direções

Como confirmar as suas Direções

Texto: Romanos 12:1-2

Introdução:

- Não somos autómatos, possuímos uma vontade própria. Assim, é possível que façamos coisas que não são da vontade de Deus.

- Provavelmente nada é tão confundido e mal entendido quanto a vontade de Deus. Qualquer coisa que acontece é atribuído como sendo vontade de Deus, mas nem tudo é a vontade de Deus.

- O Senhor Jesus nos ensinou a orar em Mateus 6 para que a vontade de Deus seja feita.

- Se temos que orar para que ela seja feita então é porque ela não é automática. Existe muita coisa acontecendo no mundo que não é a vontade de Deus.

 

A Sua vontade se manifesta basicamente de três formas:


a. a vontade perfeita de Deus
- A perfeita vontade de Deus é aquela que é boa e agradável.

- Enfermidades e morte de ímpios não é a vontade de Deus (Rm 12.2).
b. a vontade circunstancial de Deus
- Quando estamos fazendo a vontade de Deus pode ser que enfrentemos lutas, oposições e até mesmo tribulações.

- Esse tipo de vontade está condicionada a circunstâncias como a incredulidade e a dureza dos outros.

- Nessas circunstâncias Deus faz com que tudo coopere para o nosso bem (Rm 8.28).
c. a vontade permissiva de Deus
- Nem podemos dizer que essa é uma vontade de Deus. Quando as pessoas obstinadamente desejam fazer algo contrário à vontade dEle, então Ele simplesmente permite.

- Durante quarenta anos o povo de Israel vagou no deserto, mas essa não era a perfeita vontade de Deus, era apenas a Sua vontade permissiva (Sl 106.13-15).

 

Condições para conhecer a vontade de Deus


 

Para conhecer a vontade de Deus precisamos ter uma atitude apropriada.

a. ser nascido de novo

Aquele que não nasceu do Espírito não consegue discernir a voz de Deus e nem compreender as coisas do espírito (1Co 2.14).
b. disposição de obedecer
- O processo para conhecer a vontade de Deus começa com rendição e entrega. Se não estamos dispostos a fazer a vontade de Deus mesmo que isso nos contrarie, não conheceremos a Sua vontade (Jo. 6.38).

- Deus não nos revela a Sua vontade simplesmente para satisfazer a nossa curiosidade. Ele o faz para orientar a nossa vida.

- Por isso, para conhecer o que Deus quer, precisamos decidir antecipada¬mente que seremos obedientes ao que Ele nos revelar, não importa o preço que tenhamos de pagar.
c. desejo de fazer a vontade de Deus
- Se houver em nós um coração sincero para conhecer Sua perfeita vontade, é certo que Ele a revelará para nós (Jo.7.17).
d. sensibilidade espiritual
- Nossa comunhão com Deus se estabelece e se mantém a partir de uma vida pura e santificada (Is 59.2).

- Logo, se a nossa vida está contaminada com o pecado, a comunhão com Ele fica bloqueada e a percepção espiritual prejudicada.

 

Como discernir a vontade de Deus


 

1. Convicção interior

- A direção do Espírito geralmente vem a nós através de uma testificação interior em nosso espírito. Uma vez que Deus fala ao nosso espírito, ou seja, ao nosso homem interior, é essencial que desenvolva¬mos as faculdades do nosso espírito ao nível mais elevado possível (Pv 20.2).

- Ele nos ilumina em nosso espírito. O seu espírito sabe muitas coisas que a sua mente não sabe, pois Deus já falou ao seu espírito coisas que a sua mente ainda não pode compreender (lCo 2.14).


 

2. A Palavra e Deus escrita

- A Bíblia é o nosso guia mais confiável e possivelmente o mais simples de se usar.

- A voz interior em nosso espírito é uma experiência um tanto quanto subjetiva e insegura. Ela pode ser influenciada por nossas emoções ou desejos pessoais.

- Precisamos, portanto, submeter experiências assim a um julgamento objetivo e seguro.

- A Bíblia é exatamente a fonte certa para esse julgamento. Podemos, porém, “fazer” com que a Bíblia diga o que queremos que ela diga. É preciso que haja uma integridade de coração em nossa abordagem.

- Muitas vezes, as pessoas propositadamente procuram por uma passagem bíblica que apoie o que elas querem crer. Isso é conhecido como “torcer” as Escrituras, algo danoso à fé e ao julgamento correto.

- O Espírito de Deus nunca discorda da Sua Palavra. O Espírito Santo nunca lhe diria para fazer algo que é condenado pela Bíblia. Ele nunca o conduziria contrariamente aos claros princípios expressos na Bíblia.


 

3. A paz de Deus (Cl 3.15)

- No original, a palavra traduzida por “domine”, nesse versículo, é “juiz” ou “árbitro”. Imagine um jogo de futebol. Enquanto tudo está indo de acordo com as regras o apito do árbitro está em silêncio, porém, quando há uma infração das regras, ouve-se o apito, e é preciso que o jogo pare imediatamente.

- Os jogadores, então, olham para o árbitro para descobrirem o que aconteceu de errado e qual é a sua decisão naquela situação. Assim que ele der a “sentença”, o jogo pode prosseguir novamente.
É assim também com a paz de Deus em nossos corações.

- Quando as coisas estão fluindo no propósito de Deus, há uma paz interior profunda em nossos corações. Se por acaso perdemos essa paz, então precisaremos olhar para o Espírito Santo para descobrirmos o erro.

- Por que perdi a minha paz? Ele nos mostrará onde estamos errados e como corrigir a situação.

- Quando fizermos isso, pedindo perdão a Deus e voltando ao caminho certo outra vez, a nossa paz será restaurada.


 

4. Um aconselhamento maduro (Cl 3.15)

- Devemos submeter as nossas impressões ao discernimento de outros membros do Corpo. Isso pode ser feito no meio dos crentes nascidos de novo, aos quais você se uniu como Igreja.

- Coloque o assunto diante do grupo e, se houver uma resposta de paz unânime, então você pode ficar certo de que Deus está confirmando a direção que você recebeu (Pv 11.4; 15.22).

- Procure o aconselhamento de pessoas espiritualmente maduras que tenham uma credibilidade provada com relação à sabedoria.

- Pedir conselhos a pessoas espiritualmente imaturas somente lhe trará mais confusão e incerteza.


 

5. As circunstâncias

- É importante entender como as circunstâncias podem nos servir também de luz para a nossa navegação a fim de estarmos sempre no centro da vontade de Deus.

- Há ocasiões em que você tem que se esquecer de todas as circunstâncias e obedecer a voz de Deus.

- Todas as circunstâncias podem ser contrárias e ainda não invalidar a orientação que Deus lhe tem dado.

- Na maior parte das vezes, porém, ao andar no centro da vontade de Deus, você notará que as circunstâncias confirmam a sua orientação.

- Agora é importante relembrar que nem sempre ocorre assim. Há ocasiões em que todas as circunstâncias são contrárias, mas você tem a Palavra de Deus bem clara no seu coração.

- O fato de ter um Mar Vermelho à sua frente não significa que você não conseguirá atravessá-lo. Deus o trouxe até esse ponto e ele mesmo há de providenciar um meio para você passar.

- Mas eu gostaria também de dar uma advertência: é possível entrar no rio Jordão e afogar! Porque, se você não tiver a Palavra do Senhor, não adianta tentar mudar as circunstâncias.

- Sem a certeza da direção de Deus, não é fé ir em frente sem olhar para evidências externas, é presunção!


 

6. A providência de Deus

- Quando Deus lhe diz para fazer alguma coisa, você pode contar que Ele começará a abrir as portas para que você a realize.

- Se Ele estiver guiando você numa determinada área, então as Suas providências começarão a surgir a você naquela área. Comece a andar e você receberá uma direção.

- Creio que um apoio bíblico para esse conceito está em Génesis na passagem em que o servo de Isaque é enviado para buscar uma esposa para o seu mestre (Gn 24.27).

- Em outras palavras, uma vez que ele havia partido em sua jornada, Deus lhe deu a direção (Sl 37.23).

- Se você ficar sentado esperando por uma revelação, talvez você fique assim para sempre.

- Se você começar a se mover e estiver indo na direção errada, o Senhor lhe dirá.

- Ao começar a se mover em harmonia com a vontade de Deus, os suprimentos surgirão diante de você, dando-lhe uma certeza e confiança interior.

- Lembre-se que as circunstâncias somente servem de confirmação se você honestamente estiver buscando fazer a vontade de Deus.

- Se você se humilhar e se entregar diante dele ele certamente abrirá as portas diante de você.


 

7. Confirmação profética

- Uma declaração profética pode ser dada a alguém para confirmar algo que já foi recebido do Espírito.

- As declarações proféticas deveriam servir para confirmar algo que alguém já recebeu de Deus em seu espírito.

- Deveríamos sempre ser cautelosos em relação a profecias aparentes que tendem a iniciar alguma coisa, ao invés de simplesmente confirmá-la.

- Se Deus quiser falar-lhe algo, Ele falará com você primeiramente, dentro do seu próprio espírito.

- Mais tarde Ele poderá confirmá-lo através de profecia. Nunca faça nada simplesmente porque alguém “profetizou” que você deveria fazer.

- Obtenha a sua própria direção de Deus primeiramente. Todavia, não despreze profecias como ensina a Palavra de Deus (1Ts 5.20).


http://www.ibavrp.com/

A centralidade do reino de Deus

A centralidade do reino de Deus

Referência: Lucas 4.16-30

 

Introdução

1. O Reino de Deus é a mensagem central do Novo Testamento. Foi o tema principal da pregação de Cristo e dos apóstolos.

I. O que não é o reino de Deus

1. Não é minha igreja
2. Não é minha denominação
3. Não é a igreja em toda a terra
- O Reino é maior do que a igreja.

- É o governo de Deus. Onde uma pessoa se submete a Cristo aí está o Reino.

- O Reino de Deus é a presença do rei. Onde está o Rei, está o Reino.

II. As fases do reino

Strong divide o Reino em três fases:
1. O Reino de Poder – Com respeito ao universo
Deus governa o cosmo. Ele dirige as estrelas, os astros, a história, as nações (Is 40).
2. O Reino de Graça – Com respeito à igreja militante
Jesus estabeleceu, legisla, salva, defende, dirige e edifica sua igreja na terra.
3. O Reino de Glória – Com respeito à igreja triunfante
A igreja vai reinar com Cristo no novo céu e na nova terra. Teremos corpos glorificados numa nova ordem cósmica.

III. As características do reino

O Reino de Deus não é físico nem geográfico nem político. Jesus disse para Pilatos: “O meu Reino não é deste mundo”.
1. A porta de entrada do Reino é o arrependimento e a fé – Mc 1:15.
2. Só entra no Reino os que nascem de novo – João 3:3,5.
3. O Reino está dentro de nós – Lc 17:21.
4. O Reino fala de uma qualidade de vida – Rm 14:17: justiça, paz, alegria no Espírito Santo.
5. Os súditos desse Reino são pessoas diferentes – Mt 5:1-12 – Pobres, quebrantados, mansos, famintos de justiça, puros de coração, pacificadores, misericordiosos. Sua justiça excede à dos escribas e fariseus (Mt 5:20).
6. O Reino de Deus é o Reino de ponta-cabeça – Donald Kreybel
a) O maior é o menor
b) Quem quiser ser o primeiro, deve ser servo de todos
c) Os que estão no topo da pirâmide, vão para baixo e os que estão em baixo, fazem uma viagem para cima.
d) Revolução geral – dispersa os que no coração alimentam pensamentos soberbos.
e) Revolução política – derruba dos seus tronos os poderosos.
f) Revolução social – exalta os humildes.
g) Revolução econômica – enche de bens os famintos e despede vazios os ricos.
7. O Reino de Deus vence os preconceitos
a) Vence o preconceito religioso – Os gentios são alcançados por Jesus. O samaritano é exemplo de vida cristã. A proscrita mulher samaritana torna-se missionária.
b) Vence o preconceito político ideológico – Jesus chama um de extrema direita (Mateus) e outro da extrema esquerda (Simão, o zelote).
c) Vence o preconceito social e moral – Jesus transforma uma mulher prostituta e possessa na primeira missionária da sua ressurreição. Jesus transforma um louco, possesso num missionário em Decápolis. Jesus chama rudes pescadores e com eles transforma o mundo. Jesus transforma o maior perseguidor da igreja no maior apóstolo.
8. O Reino de Deus deve ser a maior aspiração do crente
O Reino é a pérola de grande valor. A oração do crente é: “Venha o teu Reino”.
9. O Reino de Deus é o nosso maior tesouro
O Reino é como um tesouro escondido. Quando você o acha, abre mão de tudo o que tem para comprar esse tesouro. Ficar fora do Reino é ficar fora da festa do Rei, das bodas do Filho do Rei.

IV. A oferta do reino de Deus

1. Boas novas para os deserdados da ordem econômica – v. 18
- Aonde chega o Reino chega a justiça do Reino, pois os súditos têm fome e sede de justiça.
- O arrependimento que é a porta de entrada do Reino diz: “Quem tem duas túnicas reparta com quem não tem. Quem tiver comida faça o mesmo”.
- Os gadarenos expulsaram Jesus, porque davam mais valor aos porcos do que ao bem-estar das pessoas.
- Os súditos do Reino serão julgados: “Tive com fome e não me destes de comer…”.
2. Boas novas aos deserdados da ordem político-social – v. 18
- Aonde o Reino de Deus chega, quebram-se as correntes da opressão.
- Jesus veio para levantar a cabeça das pessoas para uma nova vida, um novo mundo, uma nova realidade.
- Aonde o evangelho do Reino chegou as nações saíram da escuridão, da ignorância, da escravidão.
- No Reino grande é o que serve. O Rei se cinge com a toalha e a bacia.
Lucas 23:5 “ele alvoroça o povo, começando desde a Galiléia”. O irritante para os acusadores era que Jesus tivesse começado com os pobres, doentes, fracos e miseráveis galileus e não com as classes sacerdotais de Jerusalém.
3. Boas novas aos deserdados de saúde física – v. 18
- A salvação é para o homem integral. Cristo resgatará o nosso corpo.
- Ele curou os cegos, coxos, paralíticos, aleijados, hemorrágicos, leprosos e lunáticos. Ele sempre alivia o sofrimento.
- Devemos ter compaixão dos aflitos.
- O cristianismo foi o maior braço da misericórdia de Deus na história: hospitaiis, creches, escolas, leprosários. Os filhos do Reino sentem a compaixão do Rei.
4. Boas novas aos deserdados da ordem moral e espiritual – v. 18
- Jesus veio para quebrar o jugo do pecado. Ele veio para soltar as ligaduras e algemas potentíssimas do mal. Muitos vivem no calabouço, numa masmorra existencial.
- São escravos do vício, do pecado, do mundo, da carne, do diabo.
- Quando o Reino chega, chega a nova vida. Não podemos viver no Reino de Deus, comportando-nos como filhos do reino das trevas.
- Somos livres, somos santos, somos novas criaturas.
- Cristo é o ano do jubileu de Deus para o homem (v. 19).

V. A dinâmica do reino de Deus – v. 18

Este Reino não é implantado pela força, pela guerra, pelas armas ou pelo derramamento de sangue, mas pelo Espírito Santo.
Lênin disse: “Os grandes problemas na vida das nações só podem ser solucionados com a força”, mas Deus diz: “Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito”.
Daniel 2 fala que os Reinos deste mundo passarão.
Apocalipse 11:15 diz: “O Reino do mundo se tornou do nosso Senhor e do seu Cristo e ele reinará pelos séculos dos séculos”.
Mateus 6, a igreja ora: “Venha o teu Reino”.
Toda vez que o Espírito Santo regenera um coração, o Reino vem e o Rei governa. Não política, mas o evangelho!

VI. Os herdeiros do reino de Deus – v. 20,22-29

- Os judeus ouviram até que Jesus falou que o Reino estava aberto para os gentios (viúva de Sarepta e Naamã).
- O Reino quebra as barreiras sociais e denominacionais.
- Não há raças, classes nem denominações messiânicas.
- A natureza humana despreza a soberania do Rei.
- O Reino de Deus avança ainda quando o rejeitamos.

VII. A vitória absoluta do reino de Deus – v. 30

- Quando o povo encharcado de ira rejeitou o Rei e o Reino, “Jesus, porém, passando por entre eles, retirou-se”.
- Não puderam deter Jesus. Podemos rejeitar Jesus, nunca detê-lo. O rei avança. O Reino é vitorioso.
- Várias foram as tentativas usadas para afastar Jesus do projeto de implantar o Reino:

1) Herodes quis mata-lo;

2) O diabo quis desvia-lo;

3) As multidões quiseram fazê-lo um rei político;

4) Os religiosos o acusaram de blasfemo e impostor;

5) Os sacerdotes por inveja se uniram aos políticos para o prender.
- Todos se mancomunaram para deter Jesus e o seu Reino. Mas ainda quando na cruz, Jesus era o dono da situação. Ali abriu as portas do Reino para o ladrão arrependido.
- Os homens quiseram detê-lo pregando-o na cruz, mas na cruz ele abriu as portas do Reino para você e para mim.

Conclusão – v. 21

- Hoje se cumpriu esta escritura! Em Jesus esse programa começou. Ele é o Reino presente. Quando Jesus governa sua vida, começa o Reino.
Ore: “Venha o teu Reino”.
Viva como filho do Rei.
Viva como cidadão do Reino.
Trabalhe para que esse Reino venha na sua plenitude.



Rev. Hernandes Dias Lopes

9/12/2012

A melhor escolha

A melhor escolha

Texto: Gênesis 25.29,34

Introdução:

Muitas vezes somos postos à prova diante de situações de escolha, temos de escolher entre o certo e o errado, que ainda é o tipo de escolha mais fácil, porém muitas vezes somos colocados para escolher entre duas possíveis bênçãos e aí a coisa se torna mais complicada.
Por isso cada dia mais precisamos entender as coisas de Deus para não trocar a verdadeira benção pela ilusão da vitória. É sobre isso que queremos falar qual é a melhor escolha.

1) A ESCOLHA ENTRE O CERTO E O ERRADO

Quando começamos a entender e conhecer à Palavra de Deus, passamos a perceber que coisas que antes fazíamos sem o menor problema, são na verdade portas para problemas e conseqüências desagradáveis e quando eu entendo isso, deixo de fazer ou de cometer tais atos, na busca de agradar a Deus e na busca por um padrão de vida com mais qualidade.
Vemos que essa escolha é muito simples, pois sabemos através da Bíblia o que é melhor e só não tomamos a decisão correta se não queremos acertar.

2) A MELHOR ESCOLHA

Esaú estava numa situação muito complicada, voltava de um dia de trabalho de caça, estava cansado, com fome, talvez até mesmo estressado da luta diária, ele encontra seu irmão fazendo algo que naquele momento era o que mais ele queria, comida, talvez Jacó tivesse feito aquele guisado por ser sua especialidade ou talvez por ser a comida preferida de seu irmão, o certo é que aquela comida era uma opção, uma escolha que mexeu com o desejo e a vontade de Esaú, afinal era uma escolha boa, pois era legítimo matar sua fome.
O grande problema de Esaú não esteve no fato de que ele escolheu o prato de comida, mas sim no fato de ter de trocar pela sua primogenitura.


a) Escolha por precipitação:
Esaú fala a Jacó que aceita a troca, mesmo questionando que era uma troca desigual, mas a aceita colocando que naquele momento a sua primogenitura não poderia resolver o problema de sua fome, por isso aceita. Se ele parasse por um instante e pensasse, veria que sua posição de primogênito lhe dava algumas regalias dentro da família e que com certeza bastava uma ordem para que alguém lhe preparasse algo para comer, mas sua precipitação, sua vontade de resolver logo a situação fez com que ele escolhesse errado. Costumamos a querer as coisas e buscá-las rápido, sem pensarmos no tempo de Deus ou no que estamos perdendo por fazer essa escolha, pois quando escolhemos precipitadamente não analisados os riscos do que estamos fazendo, é como ir as compras e levar para casa tudo que queremos, mas sem ter a certeza de que teremos condições de pagar aquilo que estamos levando.


b) Falta de interesse nas bênçãos espirituais:
Esaú não teve interesse algum em permanecer com a benção que Deus havia dado a ele, chegando até mesmo a desprezar a sua primogenitura, quando diz: “do que adianta minha primogenitura se eu estiver morto?”. Muitas vezes escolhemos mal por que colocamos as coisas espirituais em segundo plano, nos esquecemos que tudo deve ser gerado primeiro no reino do Espírito, para ser então visto no reino físico. Muitas vezes deixamos de vir a Igreja alegando cansaço, mas esquecemos que Deus é o Deus do refrigério e revigora nossas forças, alegamos tristeza quando esquecemos que Deus é o que pode nos dar a alegria da salvação, alegamos fome quando Deus nos ensina que não só de pão viverá o homem, alegamos que precisamos de cura quando Deus é Jeová Rafá, alegamos que estamos sozinhos quando Deus é Yavé Shamma, quando nos falta interesse pelas coisas espirituais sempre teremos de uma forma ou de outra alguma perda.


c) Falta de Aliança:
Quando Esaú dá a sua primogenitura ele demonstrou que não se importava nem um pouco com que seu pai iria falar sobre o assunto, não se preocupou se seu pai aprovava, a Bíblia diz que ele era o preferido de seu pai, com certeza seu pai não iria aceitar tal troca. Quando toma esta decisão sem consultar ou pedir autorização ao seu pai ele na verdade estava quebrando sua aliança com ele.


Quantas vezes tomamos atitudes sem perguntar aos nossos líderes, sejam eles espirituais ou familiares o que eles pensam e o que nos aconselhariam. Quando Deus põe uma autoridade sobre nós não está fazendo isso com intenção de nos tornar escravos de alguém, mas sim de termos pessoas capazes de nos ajudar a escolher o melhor a nos orientar sobre perigos que muitas vezes sozinhos não conseguimos enxergar e nossos líderes com sua visão mais alargada podem ver.


Quantas vezes o filho toma atitudes sem consultar ao pai, quantas vezes a esposa toma atitudes sem consultar seu esposo, quantas vezes o discípulo toma atitudes sem consultar seu líder de célula ou seu pastor e quantas vezes nessas circunstâncias vemos as coisas darem errado.
Quando fazemos escolhas que nos levam a quebrar alianças não podemos estar escolhendo a melhor opção, pois quando quebramos alianças entramos na maldição, e foi exatamente isso que ocorreu com Esaú.

Conclusão:

Teremos uma vida de vitórias sobrenaturais quando começarmos a buscar dentre as escolhas certas, aquela que mais agradaria a Deus naquela situação, não estamos agradando a Deus apenas quando escolhemos o certo do errado, mas sim quando escolher o melhor dentro de uma vasta gama de opções.


Aprenda a sempre escolher o melhor, para só então você poder viver no melhor de Deus.

 

 

Pr. Walter Louzada Belidio de Moraes

Quatro coisas que devemos guardar

Quatro coisas que devemos guardar

Texto Bíblico: Provérbios 4.20-27


VERSÍCULO 20: Deus nos chama a atenção para os próximos versículos, pois estes trarão um conhecimento fundamental para a nossa caminhada com o Senhor.


VERSÍCULO 23: No coração está a fonte dos nossos desejos. A ciência nos ensina que na realidade esta fonte seria localizada no cérebro, porém quando se fala, na Bíblia em emoções, desejos e sentimentos, se fala de coração e não do cérebro.
Muitas vezes erramos por ouvir apenas a voz do coração, ou seja, a voz das nossas emoções que por sua vez nem sempre estão tratadas o suficiente para decidir a coisa certa. A Bíblia também nos ensina que onde estiver o nosso coração aí também estará o nosso Deus. Por isso temos de procurar ter um coração voltado para o Senhor e sempre ouvindo a sua voz e não a voz das emoções.


VERSÍCULO 24: Nossa palavra tem poder e autoridade, o que sai de nossa boca será usado pelo Espírito de Deus ou pelos verdugos do inimigo de nossa alma. Quando usamos a boca como um canal de benção é como se ela fosse um manancial de águas cristalinas, porém quando a usamos para amaldiçoar ou fazer comentários pecaminosos, a nossa boca fica como uma rede de esgotos, por onde só passa aquilo que deve ser lançado fora. Como sua boca tem sido usada? (Pv 6.2; Pv 18.21; Tg 3.1-12)


VERSÍCULO 25: Os olhos são o principal meio de entrada das informações que recebemos de tudo o que nos cerca. Podemos afirmar que é uma grande porta para que os desejos cheguem ao nosso coração. Por isso devemos vigiar o que olhamos e como olhamos. Devemos lembrar também que o primeiro olhar não pode ser evitado, porém os demais podem, ou seja, quando olhamos para algo que não devemos ver temos de evitar o segundo olhar já que o primeiro não pôde ser evitado – Mt 6.23.


VERSÍCULO 26: Os pés são eles que nos conduzem aonde queremos ir, porém temos de vigiar pois certos lugares não são para serem “pisados” pelos santos de Deus, a não ser por ordem expressa do Senhor afim de se cumprir os seus propósitos para o Reino de Deus.
O Senhor nos chamou para usar os nossos pés para anunciar as boas novas – Is 52.10.
Devemos lembrar que os nossos pés são usados para conquistar territórios e pisar no inimigo. (Dt 11,24; Lc 20,43) – respectivamente.

 

Pr. Walter Louzada Belidio de Moraes

Atitude para a felicidade

Atitude para a felicidade

Texto: Filipenses 4-11,13
“ Não digo isto por causa de necessidade, pois já aprendi a contentar-me em toda e qualquer situação. Sei passar necessidade, e também sei ter abundância. Em todas as coisas aprendi tanto a ter fartura, como a ter fome, tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.
“Posso todas as coisas Naquele que me fortalece”.

Introdução:


Podemos destacar três aspectos importantes na vida de Paulo, que devem ser observados para que possamos ter uma vida de bênçãos sem aborrecimentos constantes e nos preocupando com o que realmente merece nossa atenção.

1) O primeiro deles é o fato de que a atitude de estar bem

(alegre/contente) foi APRENDIDA. Por duas vezes ele fala que aprendeu. Não foi automático. Houve a necessidade de um esforço e desenvolvimento espiritual.

2) Precisamos nos ADAPTAR

(versículo 12b). Paulo passou pela adaptação de viver as situações extremas. Não podemos ser rígidos, dogmáticos, inflexíveis ou perfeccionistas (Ex: Tenho carro e vou para Igreja de carro, porém o dia que eu não estou com o carro e não vou à Igreja. Esta atitude está errada, deve-se aprender a conviver sem o carro).

3) O contentamento expressa uma dependência total de Deus.

Paulo não está se demonstrando um gigante espiritual, mas sim um grande dependente de Deus. Quando enfrentamos circunstâncias difíceis não podemos nos abater e murmurar, temos de buscar entender a visão de Deus na situação e tirar o melhor proveito, pois se sou dependente de Deus a minha atitude será por prova de que eu realmente confio em Deus. (EX: Perdi o ônibus e vou chegar atraso a um compromisso por isto, não posso murmurar tenho de ver o que de bom aconteceu por causa disso, talvez o ônibus fosse ser assaltado e Deus estava me dando um livramento. Se eu perdi o ônibus por negligência, a partir desse momento tomarei muito mais cuidado para que tal fato não ocorra de novo).

Conclusão:


O fato de estarmos contentes pode ser algo real e diário em nossa vida, principalmente se observamos os três aspectos na atitude de Paulo:
1) Aprender;
2) Adaptar-se e
3) Depender de Deus.

 

Adaptado do livro: INTRODUÇÃO À CURA INTERIOR (DAVID KORNFIELD – ED. SEPAL)
Adaptação: Prs. Walter Louzada Belidio de Moraes e Ana Lúcia Barbosa de Souza Moraes

Aliança

Aliança

Texto Bíblico: Rute 1


Aliança: Concerto e ou pacto. É um contrato ou convenção que solenemente se realiza entre os homens ou entre estes e Deus.
(II Sm 23:5) “Não está assim com Deus a minha casa? Pois estabeleceu comigo uma aliança eterna, em tudo bem definida e segura. Não me fará Ele prosperar toda a minha salvação e toda a minha esperança?”


(Bíblia Viva) “E a minha família foi escolhida! Sim, Deus fez um trato comigo; o Seu acordo é eterno, final e selado. Ele cuidará constantemente da minha segurança e do meu sucesso.”
Numa aliança com Deus encontramos duas partes a serem cumpridas:
a) Parte de Deus: Nos abençoar em todas as áreas de nossa vida e
b) Parte do Homem: (aliança feita com Abraão) A Fé e a Obediência.


CONSIDERAÇÕES:
• Vários ritos religiosos eram usados para se firmar uma aliança. Entre eles, um que foi muito usado, consistia em oferecer um sacrifício onde a vítima era morta e cortado em duas partes. Estas partes eram mostradas aqueles que estavam firmando a aliança e era lançada uma maldição sobre que quebrasse a aliança, no sentido de que este ficasse como a vítima do sacrifício.
• Quem solicitava a aliança normalmente enviava presentes as outra parte.


SENDO ASSIM DEVEMOS OBSERVAR:

1) Deus trabalha em nossas vidas através de alianças.

2) A Aliança nos traz uma segurança maior

quanto aos resultados pois o cordão de 2 ou 3 dobras é mais resistente do que o de uma dobra.
Ex.: Discípulos ninjas. São um exemplo da falta de aliança, quando precisamos deles eles somem.

3) Não podemos quebrar as alianças pois isto gera conseqüências:


a) Quem quebra a aliança perde o direito da sua benção.
● Elimeleque (o meu Deus é rei), apesar te ter este nome quebra a sua aliança com Deus quando vai para terra dos Moabitas. Trouxe jugo sobre sua vida e também morte.


b) O jugo pode ser de morte e esquecimento:
● Assim como o pai os filhos de Elimeleque, Malon (enfermidade) e Quilion (esgotamento) morrem.
● Uma das noras de Noemi (mulher doce) olha apenas para seu próprio Eu e apesar de triste deixa sua sogra, deixa a sua aliança com ela e a pesar de ter sido dispensada de sua obrigação a Bíblia não relata do seu paradeiro (caiu no esquecimento), sua história é esquecida.

4) Quem persevera prospera.

Rute ficou para a história e teve a grata oportunidade de fazer parte da linhagem do Senhor Jesus Cristo.

Conclusão:

Deus é fiel em cumprir todas as alianças que faz conosco, mesmo que tudo diga que não é possível temos que confiar nesta aliança. Temos de lembrar também que através de aliança com nosso discipulador e nossos discípulos termos a unção de crescimento desatada sobre nós e assim poderemos experimentar a unção de multiplicação através da visão celular.

 

Pr. Walter Louzada Belidio de Moraes

O poder para viver a plena maturidade cristã

O poder para viver a plena maturidade cristã

Texto: Marcos 4.30-34 – Textos complementares: II Pe 1.2-3; Ef 5.27; Mt 11.28-30; Tg 1.21.


Versículo para memorizar: “É como a semente de mostarda, a menor de todas as sementes. Mas, depois de semeada, cresce muito até ficar a maior de todas as verduras. E os seus ramos são tão grandes, que os passarinhos fazem ninhos entre as suas folhas.” Mc 4.31-32.

Introdução:

Hoje veremos sobre o poder que há numa semente. O que um simples grão, aparentemente insignificante, poderá se tornar depois de semeado em terra fértil. Queremos ministrar sobre o poder da Palavra de Deus na vida de quem recebe pela fé.

1 – A menor de todas as sementes

– Jesus fez questão de escolher como exemplo para o seu ensino, a menor de todas as sementes. Apesar do seu tamanho, havia dentro dela um poder de crescimento e de multiplicação que se manifestaria gradativamente, até chegar à plena estatura.


Ele quer que as pessoas entendam que dentro da semente divina plantada no coração, está embutido um poder de crescimento e de multiplicação suficiente para todos os estágios da vida cristã, até a plena maturidade em Cristo. Toda a provisão para crescimento, desenvolvimento e expansão, está dentro da semente. Não podemos dizer que Deus nos tenha privado de qualquer elemento necessário ao nosso amadurecimento. Na Sua sabedoria infinita nos fez provisão por meio de Sua bendita Palavra (II Pe 1.2-3).

2 – A maior de todas as hortaliças

– Como pode a menor de todas as sementes produzir uma árvore tão grande assim? Como já dissemos, dentro da semente estava determinado o que ela haveria de ser: uma grande árvore. Jesus está ilustrando o que Deus planejou para cada filho seu. Ele idealizou filhos maduros que refletissem a imagem de Seu Filho Jesus Cristo em todas as áreas de suas vidas. Filhos que sejam excelentes no caráter e cheios da unção, assim como grande é a árvore em questão.
O Senhor Jesus virá buscar uma grande igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem qualquer coisa semelhante, mas santa e irrepreensível (Ef 5.27). Ao mostrar a figura da grande árvore, Ele quis imprimir no coração de cada cristão a idéia de grandeza, de crescimento, de expansão e de multiplicação que cada crente começa a experimentar, ao receber a genuína semente de Vida no coração.

3 – Um lugar de refúgio

– Vieram as aves do céu para aninhar-se em sua sombra. Em outra ocasião, as aves do céu representavam os demônios que vinham para roubar a semeadura. Agora, porém, cremos que a figura esteja associada ao cumprimento satisfatório do que seria a missão da árvore: dar o seu devido fruto, enquanto oferece alento ao cansado e alimento ao faminto. Assim, cada árvore frondosa, seria para as aves do céu um lugar de repouso e de provisão.

 

Cremos que Deus tem alimentado a visão do crescimento, não para benefício exclusivo do crente. Ele deseja que cada um de nós, por meio de nosso crescimento saudável em maturidade cristã, possa ser um porto seguro para todos os que passam cansados pela vida, e que necessitem de repouso e alimento espiritual. Assim é o cristão maduro e aperfeiçoado na Palavra para todo aquele que dele necessita (Mt 11.28-30).

Conclusão:

Recebamos com mansidão a Palavra em nós enxertada, a qual é poderosa para salvar as nossas almas (Tg 1.21). Devemos manter a visão de que a semente de Deus em nossas vidas produzirá uma árvore frondosa e frutífera no caráter, na unção e na maturidade cristã. Devemos também orar para que, no nosso crescimento cristão, possamos ser canais de refrigério e de provisão espiritual para todo aflito e cansado que chegar até nós.

Aplicação:

Esteja atento às necessidades das pessoas que fazem parte do seu círculo de amizades, na célula, no trabalho na família. Talvez Deus lhe mostre alguém que realmente necessite de refrigério. Ouça-o atentamente, e ofereça ajuda dentro de suas possibilidades. Não se esqueça de informar ao seu líder de célula o que você está fazendo. Isso lhe trará segurança e cobertura espiritual.

Sua família é importante para os projetos de Deus

Sua família é importante para os projetos de Deus

Deus começou seus projetos envolvendo a família e não apenas o esposo, ou a esposa, ou os filhos. Às vezes, o marido não quer que a esposa deslanche, quando esta começa a galgar territórios. De igual modo, algumas mulheres não suportam ver os maridos decolando em seus projetos; acham que os maridos não sentem mais nada por elas, ficam fragilizadas, têm crises de identidade, crises emocionais só porque eles estão trabalhando demais, produzindo demais.

Precisamos entender que tudo na vida é questão de ajuste. Deus criou um universo ajustado; até a ciência já provou que a Terra vive em perfeito equilíbrio. Tudo, para ter sucesso, precisa estar em perfeito equilíbrio.

Jesus e Sua família:

Se quisermos ser bons discípulos de Jesus, temos que trazer tudo o que nos envolve para o plano familiar. Nem mesmo Jesus nasceu sem genealogia. Deus não mandou Seu Filho vir a Terra sem um plano familiar. Jesus não poderia aparecer do nada, porque não existe profeta sem identidade. Para ele ser quem foi, todo mundo tinha que saber de quem ele era filho (na Terra), quem era sua família. Jesus tinha a sua identificação, a sua identidade, o seu endereço. Por um tempo, só os seus discípulos conheceram a sua identidade messiânica, mas todos os outros sabiam quem ele era socialmente. A genealogia identificava sua família: era filho do carpinteiro, irmão de fulano, beltrano, cicrano (Mateus 13:55).


O capítulo dois de Mateus diz que os magos encontraram o menino Jesus com Maria em sua casa, ou seja, na casa de seu pai José (Mt. 2:11). Até completar doze anos, quando atingiu a independência religiosa, Jesus estava aos cuidados de José (Lc 2:42). Nosso Messias tinha casa, não era alguém que vivia "por aí".

Os patriarcas e os profetas e suas respectivas famílias

Também não existe chamado profético sem se conhecer a origem familiar do profeta: Isaías era filho de Amós; Jeremias, filho de Hilquias; Ezequiel, filho de Buzi, o sacerdote; Daniel era de linhagem nobre da tribo de Judá; Oséias era filho de Beeri, Joel, filho de Petuel, etc. Profeta tem nome, endereço, identidade, não surge do nada.


Abraão e Sara foram antes estruturados como família para que nascesse uma nação poderosa e Deus ainda disse que todas as famílias da Terra que estivessem neles seriam abençoadas.
Josué só permitiu que o povo entrasse na terra depois que decidisse deixar os amorreus, ou seja, a feitiçaria e a idolatria, e decidisse a quem iria servir, e enfatizou: "eu e minha casa serviremos ao Senhor" (Js. 24:15). Josué entrou na terra com a sua família.

A arca de Deus na sua família

Quando a arca de Deus entra na nossa casa brota a unção da prosperidade: "Assim ficou a arca de Deus com a família de Obede-Edom, três meses em sua casa; e o Senhor abençoou a casa de Obede-Edom, e tudo o que lhe pertencia”.(I Cr. 13:14). Se você quer ser abençoado, permita que a arca entre na sua casa e tenha um coração liberado para recebê-la da maneira certa, porque Uzá quis proteger a arca e morreu, pois a arca não precisa de proteção. Depois que Uzá morreu, Davi não quis levar a arca para casa com medo de morrer também, porque sua casa era cheia de argumentos do diabo. Obede-Edom recebeu a arca e sua casa, sua família e tudo o que possuía foi abençoado, tornando-se Obede-Edom um homem próspero.
As células são a arca de Deus dentro da nossa casa para desatar essa unção de prosperidade. A arca, além de nos proteger e nos abrigar, nos garante a prosperidade. Coloque a arca de Deus dentro da sua casa, mas abra o seu coração para isso.
Sua família na arca de Deus


Noé convenceu a família de que o melhor lugar para a família estar era na arca do Senhor. Entrar na arca fala da proteção para a família. Veja que somente oito pessoas entraram na arca por ocasião do dilúvio (I Pe. 3:20). Oito é o número da redenção. Então, há um plano de redenção para a sua família e, para que o plano seja estruturado, a família precisa estar consagrada. Cão, um dos filhos de Noé, estava em santidade durante todo o tempo em que estava arca, mas depois do dilúvio atraiu maldição para si e para sua descendência. A santidade deve ser uma constante, não é um projeto momentâneo, porque nós podemos nos desviar dos propósitos e entrar no plano da carne, assim como o filho de Noé, que era um homem santo e foi transportado na arca, recebeu livramento, mas se perverteu, trazendo heranças de maldição em seu coração.

Nossos aliados na redenção da família

A obra de redenção e santidade será completa na nossa casa, por causa de uma promessa. Deus nos chamou para a santidade e temos aliados fortes para consegui-la: a cruz do calvário, Jesus, o Espírito Santo. Noé não tinha a cruz, nem conhecia o projeto de redenção, não tinha Jesus, nem o Espírito Santo. Você tem tudo isso! A sua redenção está pronta: "crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa". Ninguém ficará fora da arca da salvação que é Yeshua Ha Mashiach.


Há um plano redentivo para a família, por isso, todos entrarão na arca. É uma promessa do próprio Deus, uma ordem divina. Deus diz em Gênesis 6:18 para Noé fazer a arca, porque toda a família deste seria colocada na arca pelo próprio Deus. Noé não entrou na arca porque quis, nem seus filhos entraram porque quiseram. Deus tinha um plano para aquela família, assim como tem um plano para a sua. E, ainda que você não queira, Deus quer e você vai entrar na arca dEle, e experimentará o sobrenatural na sua família.


No capítulo sete de Gênesis, versículo um, Deus diz: "como te prometi, entra tu e a tua família". O que Deus fez? Cumpriu a palavra d'Ele. Deus não é homem para que minta nem filho do homem para que se arrependa; havendo ele falado, não cumprirá o que diz? (Nm. 24:19). O Senhor se empenha com a Sua palavra.
É uma ordem divina para que toda família entre na arca. É uma obra redentiva: toda a sua família será salva. Nesse prisma, Deus poderia até deixar um alerta: "viu?... fulano de tal, que era da família, não entrou na arca". Mas, não o fez, porque o plano de Deus não é de isolamento familiar, é de envolvimento familiar. Pelo fato de você ser santo, Deus fará que todos da sua casa entrem na arca. Você é da "geração Noé", a que ouve a Deus e não dá ouvido às críticas nem ouve os relatórios do diabo. Porque todos decidiram pelo Senhor, o Senhor Jesus nos garante: serás salvo, tu e toda a tua casa. Enfrentaremos uma batalha para isso, pela santidade, mas, a despeito da guerra, a vitória do Senhor é a nossa certeza.

 

Ap. Renê e Pra. Ana Marita Terra Nova

Adoração: estratégia para guerra espiritual

Adoração: estratégia para guerra espiritual

"Quando entrarmos em profunda adoração, entraremos na cláusula da perfeição, onde o próprio Deus diz: "Eu procuro verdadeiros adoradores que me adorem em espírito e em verdade" (Jo. 4:23)


A base da verdade e da justiça está no trono de Deus, que é onde se proclama dia e noite: "Santo, Santo, Santo é o Senhor dos exércitos" (Is. 6:3). "Senhor dos exércitos"! Para proclamarmos a santidade de Deus temos que reconhecer que há guerra. Somos a casa de Deus na Terra e esta casa vai viver em guerra 24 horas, mas a santidade de Deus vais ser instalada, para que todos vejam a glória do Senhor estabelecida na nossa vida. Porque Deus é Santo e é Guerreiro, toda a Terra está cheia da Sua Glória.


A revelação de guerra espiritual não fazia parte do nosso currículo. Falar nisso era ministrar doutrina da Nova Era ou de demônios, e, hoje, a revelação salta aos nossos olhos. Essa guerra é necessária para mantermos a nossa santidade e a nossa integridade. Deus tem uma base do Seu trono no céu e fez uma base na Terra. Sabe onde está essa base? Em mim e em você, para proclamarmos 24 horas por dia a santidade do Deus Todo Poderoso. A maior arma para a guerra é mantermo-nos em adoração dia e noite. Não existe nenhuma arma poderosa melhor do que a adoração para a guerra espiritual. Todos nós temos que aprender sobre adoração para vencer as guerras, porque a adoração é um envolvimento direto com o Senhor da guerra, e, na base do Seu trono (que é justiça e é verdade - Sl. 89:14), é proclamada a santidade do Deus que é Senhor da guerra (Is. 6:3).

A adoração abre o entendimento para o Evangelho

A adoração abre a revelação daquilo que Deus quer fazer em nosso meio. Quando adoramos, a revelação se amplia, a glória de Deus se manifesta e entramos no Reino da Luz, na revelação da luz de Cristo. No livro de Efésios está escrito que o Senhor nos chamou, nos arrancando do império das trevas e nos deu uma graça riquíssima, chamado "dom gratuito de Deus". Em II Coríntios 4:4 Ele revela que debaixo da chamada para esse Reino de Luz, Ele nos revelou o Evangelho da doksa (glória) do Senhor Jesus Cristo. Debaixo desta revelação da doksa de Deus, nós estaremos na completude do Evangelho. Estamos tendo a revelação gradativa do que é a Boa Notícia de Deus.

A adoração arranca as guerras interiores

Quando entrarmos em profunda adoração, entraremos na cláusula da perfeição, onde o próprio Deus diz: "Eu procuro verdadeiros adoradores que me adorem em espírito e em verdade" (Jo. 4:23). E quando Jesus estava falando de adoração, pregava a uma estrangeira, inimiga dos judeus e que estava vivendo ilegalmente com um homem (Jo. 4:20-24). Por dez vezes Jesus fala a palavra "adoração" e dentro dessa chamada de adoração, Ele descobre o que aquela mulher tem dentro dela. Jesus arrancou as guerras interiores dela falando de adoração. Aquela mulher foi impactada, as crises da alma foram denunciadas enquanto Jesus falava de adoração. E, em seguida aquela mulher se tornou uma missionária em potencial, com Jesus lhe ministrando a adoração.

A adoração revela a verdade

Em Isaías 6:3 os serafins proclamam que o Senhor dos Exércitos é Santo, Santo, Santo. E adiante de Deus vai a verdade (Sl 89:14), mas, para se manter a verdade no trono, haverá guerra. Observemos nossos filhos, tão pequeninos, já herdam a natureza adâmica, mentindo e levando até os pais a mentirem. Para alguém falar a verdade, se passa por uma guerra. Quando estamos ajudando os discípulos, depois de muito tempo eles abrem o coração para nós, mas, até esse momento, eles ocultam algo, guardando no coração. Quando chega a verdade absoluta, essa pessoa fica desnuda diante da verdade. Mas, para isso ser confessado há uma guerra violenta.

A base do trono de Deus é justiça

Para a justiça ser exercida hoje se faz guerra. Muitos que trabalham com a advocacia muitas vezes atuam debaixo de um complô e de uma cumplicidade para tornar a verdade em mentira e a mentira em verdade e convencer que o que é certo é errado e o que é errado é certo, devido a interesses pessoais e não interesse em estabelecer a verdade. Isso é desvio da ética, da moral, da sensatez da verdade. Para nos mantermos em integridade no Reino há uma guerra diária, e essa guerra não é feita por mim nem por você. Ela é feita por Jeová Tsavaot, o Senhor dos exércitos, que vai à frente do Seu povo dando capa-citação para vencer todas as batalhas.

Adoradores: uma classe procurada por Deus

O Pai procura verdadeiros adoradores (Jo. 4:23). Ele procura uma classe, porque todos nós podemos ser adoradores momentâneos, temporários e, na hora em que chega a crise, acabamos por nos descontrolar e ficamos dizendo: "meu Deus, por que logo comigo?" Não existe nenhuma outra classe da Bíblia que Deus procure: nem pastores, nem evangelistas, mestres, apóstolos, nenhuma, mas Deus tem uma classe especial na Terra que Ele procura: adoradores. E, quando respondemos a Deus como verdadeiros adoradores, conquistamos o Trono de Deus e Deus nos conquista. Assim, nada na Terra será empecilho para o adorador, porque este terá o coração em Deus e Deus terá o coração no adorador. A freqüência do coração do adorador estará na mesma freqüência do adorado; há uma cumplicidade. O coração do adorador está em linha com os pensamentos, sentimentos, força e graça de Deus.


Todas as vezes que os homens conseguiram atingir o coração de Deus foi na adoração. Desde Adão até os apóstolos, só conseguia ter êxito o líder adorador. Você pode ser um excelente pregador, um excelente líder de células, um excelente administrador, um excelente coordenador de grupos, um excelente professor de escola de líderes, um catedrático, um doutor, pode ser pós-doctor, pode ter o que quiser, e tudo isso pode ser apreciado, respeitado e honrado por Deus, mas nenhuma dessas classes é procurada por Deus. Ele procura homens e mulheres que, independente de qualquer coisa, jamais deixarão de dar a Ele o perfeito louvor, a perfeita adoração. Deus vai levantar nesta igreja multidões de adoradores e a graça d'Ele, a revelação, a luz do Evangelho da glória de Cristo virão sobre nós.

 

Ap. Renê e Pra. Ana Marita Terra Nova

Mude as suas atitudes e seja próspero

Mude as suas atitudes e seja próspero

Tenho notado que grande parte de nossa congregação tem sofrido com a escassez, a inadimplência e o desemprego, e estes problemas refletem no cotidiano da igreja, que passa a ter limitações em suas finanças e deixa de cumprir os seus compromissos em dia, acumulando dívidas, ficando limitada em seus projetos de crescimento.


Algumas atitudes devemos tomar. Vejamos:

1 – Fidelidade

- Seja fiel através do pouco, para que sobre o muito seja colocado . “Disse-lhe o Senhor: muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.” Mt 25.21.

2 – Rejeite os sentimentos negativos

- Não deixe que a tristeza, a angústia e o desânimo façam parte de sua vida, por causa de situação financeira adversa, em nenhuma hipótese, porque, quando damos lugar a estes sentimentos, que não vem de Deus, estamos dando honra e servindo a Mamon (demônio que controla o dinheiro ilícito, miséria, devorador...). “ ... , não podeis servir a Deus e a Mamon.” Mt. 6.24.
O Senhor espera que, o seu povo, confie nele e o adore, em qualquer circunstância, e que a fonte da sua alegria e satisfação seja Ele o nosso Senhor e não a prosperidade que ele proporciona aos seus filhos.
O Ap. Paulo nos ensina, esta verdade, com um texto tremendo em Fl 4.11-13 que diz: “Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece.”

3 – Confie plenamente no Senhor

– Dê a honra ao Senhor, confie n'Ele, Ele é fiel para com os seus filhos que são fiéis. Fl 4.19 diz: “E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades”. Mas para que tenhamos as nossas necessidades supridas, é necessário estar em Cristo, confiar plenamente n'Ele, e quando confiamos não nos entristecemos por causa dos desafios.

4 – Rejeite a avareza

– A avareza que é idolatria, tem roubado do povo de Deus a oportunidade de prosperidade. Onde está a avareza (idolatria, apego ao dinheiro), Deus não está, Ele abomina a idolatria, onde está a idolatria entra a inadimplência, a escassez, a sequidão e a miséria. Cl 3.5-6 - “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; por estas coisas vem a ira de Deus, sobre os filhos da desobediência.”

5 – Compartilhe o que tem

– O povo de Israel quando saiu do Egito e posterior-mente, após quarenta anos de deserto, atravessou o rio Jordão, ficou acampado em Gilgal, para que ali, eles aprendessem a compartilhar os seus recursos, entre eles.
Vemos em Atos 2.46, que a igreja primitiva tinha alegria e prosperidade, “diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração. Já no versículo 45 diz: ”Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguns tinham necessidade”. Vejam: somente alguns tinham necessidades.
Um dos princípios da prosperidade (suprimento de necessidades), é a generosidade.

6 – Rejeite a miséria e a escassez

– Busca no Senhor a transição de sua mente. Talvez você tenha vindo de uma família onde conviveu com um quadro de miséria. Porém, hoje, o projeto de Deus para você é a prosperidade, a qualidade de vida, a excelência. Aceite no seu interior esta nova realidade vinda da parte de Deus para você. E você sendo próspero a igreja será também próspera e terá os recursos para avançar na pregação do Evangelho do Senhor Jesus.
Saiba que você é um representante, como embaixador (2 Co 5.20), do Reino de Deus nesta terra, você é modelo para uma sociedade sofredora.
Rm 12.2 Diz que você precisa mudar a sua mente, maneira de pensar, para experimentar o que Deus tem para você.

7 – Ore e jejue

– Além das atitudes acima descritas, busca no Senhor através de uma vida de oração e jejum, a mudança do quadro atual de sua vida.

Conclusão:

Se você já tem sido prosperado pelo Senhor, agradeça-o, mas, saiba que ainda existe mais preparado para você. (Hb 13.5)
Seja ousado na semeadura. Defenda a causa do órfão, da viúva, do necessitado, do desabrigado e do estrangeiro. Invista no Reino de Deus e serás próspero todos os dias de sua vida.

 

Roberto Pires Gonçalves

Vivendo da moeda da boca do peixe

Vivendo da moeda da boca do peixe

Texto: Mateus 17:27


A visão celular nos alcançou e estabeleceu um novo tempo em nossas vidas. Podemos definir este tema como tempo de MILAGRE.


MILAGRE = Feito ou ocorrência extraordinária, não explicável pelas leis da natureza, acontecimento admirável, espantoso. (Dicionário Aurélio).


MILAGRE = Sucesso que não se explica por causas naturais é propriamente obra de Deus, emprega-se vários outros vocábulos para exprimir a idéia de milagres: prodígios, maravilhas, sinais, poderes miraculosos, alguns tem caráter profético e pressagioso, predizendo grandes juízos. (Dicionário Bíblico).
A visão resgata o tempo do milagre, e na visão os milagres estão presentes em todas as fases: GANHAR, CONSOLIDAR, TREINAR (discipular) e ENVIAR .


GANHAR - Nesta fase os discípulos foram restituídos na alegria de ganhar almas; e este é um grande milagre ou melhor, o maior milagre da bíblia, pois Jesus veio salvar o que havia se perdido. (Mt.18:11).


CONSOLIDAR - Este é o tempo em que o discípulo é firmado em princípios espirituais, tendo em suas vidas grandes transformações, sendo tirado de um poço de perdição e colocado sobre a rocha onde seus pés são firmados. (Sl.40:2). É o tempo de descobrir que os milagres acontecem e são verdadeiros, e que ele pode viver debaixo desta unção que quebra jugo, cadeias, prisões espirituais do mau. Seus passos agora são firmes, sabendo que há um direcionamento bom e agradável que é a Palavra de Deus.


TREINAR (discipular) - Chegou o momento de Ter nos lábios um novo cântico (Sl.40:3). No TREINAR somos levados a uma mudança de linguagem, pois chegamos ao reino com más conversações, palavras de morte, de maldição, de pessimismo, palavra torpe e passamos a experimentar o milagre da Palavra de Deus que é poderosa para transformar.
Em Pv.18:21 diz: a vida e a morte estão no poder da língua (palavra). Passamos a viver uma vida vitoriosa e nossa linguagem se tornou sã e irrepreensível, tendo sempre uma palavra para edificar vidas, socorrer, ajudar e trazer esperança ao desistido.
Um cântico novo (linguagem restaurada) estará sempre testificando que estamos vivendo debaixo do milagre (moeda da boca do peixe). E muitos verão e confiarão no Senhor pelos testemunhos dos nossos lábios.


ENVIAR - Discípulos forjados, preparados para combater o bom combate da fé. No processo da visão, viveremos por fé, sabendo que toda provisão esta no altar do Senhor. Confiança é a palavra chave do Antigo Testamento. Hoje a palavra chave é , convicção e certeza das coisas que esperamos (Hb.11:1).
Todo dia e o dia todo presenciamos o manifestar do Senhor e todos testificam que o Deus da Bíblia é vivo e verdadeiro, n'Ele não há mudança nem variação alguma (Tg. 1:17). Somos enviados para cumprir o propósito do Senhor: fazer discípulos de todas as nações, ensinando-os a guardar todos os princípios do reino (Mt. 28:19,20).
A bíblia é um livro de MILAGRES, e os milagres estão presente de Gênesis à Apocalipse.


Os homens de Deus descrito na bíblia viveram de milagres testificando para nós um referencial de fé, eles viveram literalmente da moeda da boca do peixe, são chamados de heróis da fé. (Hb. 11:3-40). De Abel até os apóstolos estes homens viveram do sobrenatural, subjugando reinos, poderes, principados e potestades, praticando a justiça de Deus e alcançando promessas. Viveram dias extraordinários tornando-se um modelo para os fiéis. Não somente nos seus dias, porém fomos beneficiados através deste modelo que agrada o coração do Pai. Viver pela fé!
O povo de Deus quando liberto do Egito percorreu o deserto para chegar a terra prometida e este foi um tempo de dependência completa da provisão dos céus e todos os dias eles tinham o maná que como o orvalho da noite era dado a eles e servia como alimento para o dia (provisão diária).


Viver da moeda da boca do peixe é ter fé que o Senhor suprirá diariamente as nossas necessidades, em três níveis:
1- Espiritual
2- Emocional
3- Físico

1- ESPIRITUAL: Jesus disse: Eu sou o pão da vida o que vem a mim jamais terá fome(Jo.6:35). Jesus não estava se referindo ao alimento físico, pois nem só de pão vive o homem mais de toda a Palavra que sai da boca de Deus (Mt.4: 4). Porém, o alimento o qual Ele se refere é espiritual e dentro do caminhar da visão celular temos sido supridos de alimento rico e consistente.
Vivendo o milagre de cada dia, um novo segredo (revelação) na Palavra que é viva e eficaz (Hb.4:12), assim sendo temos suporte necessário, provisão para cada dia e resistência a todo e qualquer ataque das trevas.
Espiritualmente temos experimentado um crescimento sem limites, porque a visão resgatou em nós o desejo de nos alimentarmos no espírito, para que a cada dia o nosso homem espiritual seja fortalecido, pois ele foi criado segundo Deus em justiça e retidão procedentes da verdade (Ef.4:24).


2- EMOCIONAL: Somos supridos através do acompanhamento (discipulado). Na visão celular ninguém esta solto no ar, todos estão debaixo de acompanhamento, todos podem ter suas emoções restituídas no equilíbrio, no ajuste, no tratamento da cura interior. O emocional é um grande alvo do inimigo, ele tenta fazer com que as pessoas vivam insatisfeitas, os casais desajustados, filhos carentes de afetividade. Assim sendo satanás tenta minar as emoções e destruir as vidas.
Na provisão diária das emoções podemos viver uma vida com planos projetos e perspectivas, sabendo que na visão não estamos sozinhos, temos um discipulador cheio do amor de Deus que irá nos alimentar (suprir necessidades) nas áreas específicas de nossas almas. E teremos: emoções restauradas, carências supridas, sonhos ressuscitados e projetos restituídos.


3- FÍSICO: Em Filipenses 4:19 temos uma promessa inquestionável, Deus há de suprir (milagre) cada uma de nossas necessidades.
Querido discípulo da visão tenha certeza: estamos vivendo o tempo da provisão completa e o Senhor não fará uma obra incompleta.
Na visão não temos a promessa de enriquecermos, porém teremos cada uma das nossas necessidades supridas. Que significa não teremos falta de nada, mas iremos suprir as necessidades do pobre, do órfão da viúva e do necessitado.
Jesus falou que teremos o pão de cada dia; viver da moeda da boca do peixe é depender completamente do milagre diário, do suprimento das necessidades físicas. Não vivendo ansioso mas lançando sobre Ele toda a ansiedade, pois Ele tem cuidado de vós.


No deserto o povo não poderia pegar mais que o necessário para aquele dia, com isto o Senhor nos ensina que deserto é tempo de milagre diário. A manifestação do poder supridor do Senhor diariamente nos dá a certeza que não existe nada que Ele não possa realizar nas nossas vidas e ministério. É uma conscientização viva do milagre diário. Não apenas quando passamos por desertos, mas em todo o tempo e época viveremos neste padrão de excelência.
Quando Daniel viveu no tempo da Babilônia o povo estava cativo, porém Daniel era livre e vivia na dependência completa do Senhor experimentando milagres em sua vida. Quando lançado na cova dos leões não teve medo, não teve sua vida por preciosa, mas confiava completamente no Deus que servia e assim o Senhor o guardou de ser alimento para leões. E aquela noite toda esteve na cova sem sofrer nem um tipo de agressão por parte daqueles animais que estavam famintos.


Ainda que você seja lançado na cova dos leões e estes queiram lhe devorar, aquele que vive para sempre guardará sua vida de qualquer dano e perda.
Jesus manifestou centenas e milhares de milagres, pois Ele é o próprio milagre de Deus para nossas vidas, todo o seu ministério foi marcado por milagres, sua dependência do Pai era completa e Ele disse: Que faríamos obras iguais e maiores que as suas. Quando Ele disse a Pedro: vai, e pesca o primeiro peixe e tira o meu e o teu suprimento de imposto, Ele estava dizendo ao discípulo: confia; creia na minha Palavra e assim Pedro experimentou o sobrenatural na sua vida.
Receba hoje o sobrenatural e passe a viver da moeda da boca do peixe.

 

Prs. Robson e Neliana Mendonça