3/30/2018

A Força Dos Poderosos

A Força Dos Poderosos
Texto: 1 Crônicas 12:2

"Eram archeiros, e usavam tanto da mão direita como da esquerda em atirar pedras com fundas e em disparar flechas com o arco; eram dos irmãos de Saul, benjamitas"

Introdução: Quando você olha para os homens poderosos de Davi, você quer saber o que os levou a serem reconhecidos como poderosos. Cada homem tinha uma batalha única que eles lutavam, mas eu não acredito que essa era a causa da força deles. Cada um desses homem era próximo de Davi, mas eu não acredito que essa era a causa da força deles.

Havia algumas coisas sobre esses homens que os tornaram poderosos, e essas coisas que os tornaram poderosos pode fazer de você um cristão poderoso também. Deixe-me mostrar-lhe o que tornou esses homens poderosos.

1. Primeiro, eles eram preparados.

Você vai notar que estes homens estavam armados. Em outras palavras, eles estavam prontos para a batalha. Eles não iam para a batalha meio-preparados, mas eles entravam na batalha preparados para o que tivessem que enfrentar. A preparação é muito importante para o crente. Se você não estiver preparado, então com certeza você vai perder a batalha. Há várias maneiras de você se preparar para a batalha.

Primeiro, você deve estudar a Palavra de Deus. Isso irá prepará-lo para as táticas de Satanás.

Em segundo lugar, você deve se preparar com antecedência para a obra do Senhor. Você nunca vai ser um poderoso guerreiro no exército de Deus até que aprenda a se preparar antes. Muitas pessoas saem de qualquer maneira e não estão preparadas para o esperado.

Se você se preparar para o esperado, então você será capaz de lidar com o inesperado quando ele chegar.

2. Em segundo lugar, esses homens eram equilibrados na abordagem.

Eles não apenas desenvolveram a habilidade de lutar com a mão direita, mas eles também desenvolveram a habilidade com a mão esquerda. Eles sabiam que haveria momentos na batalha, quando eles seriam obrigados a lutar com as duas mãos.

Se você deseja ser um cristão poderoso na batalha do Senhor, então você deve se tornar equilibrado em tudo o que você faz. Não seja uma pessoa que só consegue fazer uma coisa muito bem, mas seja uma pessoa que pode fazer todas as coisas bem.

3. Terceiro, eles eram capazes de ver o inimigo de longe.

O arco era uma arma de longo alcance. Eles usavam o arco para combater o inimigo de longe para que eles não se aproximassem deles. Um cristão poderoso é aquele que vê o inimigo de longe e combate-o antes que ele possa chegar perto e prejudicar os inocentes. Em outras palavras, você precisa ter padrões em sua vida cristã. Padrões para impedir o pecado de se aproximar. Quanto menos padrões pessoais você tem, menos você será capaz de lutar contra o inimigo de longe.

Os padrões não são para impedi-lo de aproveitar a vida, mas são para que você não tenha que enfrentar o inimigo de perto.

4. Em quarto lugar, eles eram capazes de lutar de perto contra o inimigo.

Quando a batalha se aproximou, eles sabiam como usar a espada. Se você deseja ser um cristão poderoso, então você precisa aprender a usar a Palavra de Deus. Você aprende a usar a Palavra de Deus lendo e meditando nela diariamente. Você nunca vai ser um cristão poderoso sem a Palavra de Deus.

Conclusão: Eu quero que você perceba que por causa dessas características, esses homens ganharam batalhas espetaculares. Se você aplicar essas coisas em sua vida, você vai vencer grandes batalhas. Estas são as coisas que tornam os cristãos poderosos.

Você irá enfrentar grandes batalhas em sua vida, por isso eu aconselho que você faça destas características uma atitude diária em sua vida para que você possa ganhar essas batalhas quando elas surgirem.

A estratégia de Josafá

A estratégia de Josafá
Referencia Bíblica: “Então Josafá se prostrou com o rosto em terra, e todo o Judá e os moradores de Jerusalém se lançaram perante o Senhor, adorando-O. E levantaram-se os levitas, dos filhos dos coatitas, e dos filhos dos coratitas, para louvarem ao Senhor Deus de Israel, com voz muito alta” (2 Crônicas 20.18,19).

Exposição do texto: O rei Josafá ou Jeosafat (que significa “Jeová é Juiz”) foi o 4º rei de Judá e reinou durante 25 anos. Era filho de Aza e Azuba. Durante o seu reinado houve grande combate à idolatria, pois destruiu os altos, quebrou as estátuas e outros. Conquistou Edom e fez reformas militares, políticas e religiosas.

Durante o seu reinado também houve aliança com o rei Acabe, de Israel, na batalha contra os sírios, em que o rei Acabe foi morto, e também com Acazias, para que se construíssem barcos que fossem a Társis pegar ouro, mais foi repreendido pelo profeta Jeú. Seu reinado foi ameaçado por Moabe e Amom, com alguns dos meunitas, que formam a peleja contra Josafá, dizendo: grande multidão vem contra ti dalém do mar e da Síria. E Josafá teve medo e se pôs a buscar o Senhor, e apregoou jejum em todo Judá.

Discussão
  1. Você já se viu cercado de inimigos e teve medo?
  2. Sua atitude diante dessa adversidade foi de alguma forma parecida com a de Josafá?
Objetivo: aprender como se comportar diante de inimigos e adversidades

Contexto: O reinado de Josafá já havia sido estabelecido e reconhecido pelo povo. O próprio Senhor o confirmou, Josafá ensinou por toda Judá o livro da lei (Bíblia de sua época), os altares foram destruídos. Porém ele fez uma aliança com Acabe, rei de Israel, desagradando ao Senhor. Depois disso, os filhos de Moabe e os de Amom foram pelejar contra Josafá.

Lição 1: Quando acontece de nos encontrarmos numa situação difícil como a de Josafá, em que os inimigos nos cercam, e o repentino medo cai sobre nós, verdadeiramente nos sentimos oprimidos e estressados diante de tal situação. E muitas vezes nos perguntamos: Deus está me castigando? Por que está acontecendo isso? O que vai acontecer comigo? Podemos aprender muito com essa situação. Pelo que fez Josafá, ele pode, sim, se tornar um referencial para nos ajudar a lidar com as dificuldades da vida.

Lição 2: Vamos ver qual foi a atitude de Josafá diante desse acontecimento: “Então Josafá se prostrou com o rosto em terra; e todo o Judá e os moradores de Jerusalém também se prostraram perante o Senhor e O adoraram. Dispuseram os levitas e louvaram o Senhor Deus de Israel, em voz alta, sobremaneira. Foram diante do exército e diziam: rendei graças ao Senhor porque a Sua misericórdia dura para sempre”.

Lição 3: Diante de uma adversidade tão grande como a de Josafá, aprendemos que ele não murmurou, não procurou culpado, não imaginou um Deus que castiga por algo errado no passado, não fugiu do problema. Mas ele se prostrou em terra, adorou a Deus, entoou louvores ao Deus de Israel, lançou sobre Ele toda a sua confiança e clamou a Ele. E qual foi o resultado? “Tendo eles começado a cantar e a dar louvores, pôs o Senhor emboscada contra os filhos de Amom e de Moabe e os do monte Seir que vieram contra Judá, e foram desbaratados” (2 Cr 20.22).

Conclusão: Seja qual for a dificuldade que você esteja passando, use essa arma poderosa que é render louvores a Deus. Muitas fortalezas são destruídas por meio do louvor, da entrega verdadeira ao Deus de Israel. Lance sobre Ele toda sua ansiedade, confie no Senhor, e em todo tempo renda louvores e ação de graças ao verdadeiro Deus.

Aplicação: Nesta semana no culto, no seu quarto ou quem sabe no trabalho, no momento de louvor, apresente-se diante de Deus como nunca antes. Quando o louvor começar, não se deixe desconcentrar se estiver num culto; apresente a Deus suas lutas, clame por perdão e entregue-se ao louvor e à adoração como nunca. Deixe acontecer naturalmente, concentre-se 100% somente no louvor a Deus. Algo maravilhoso você experimentará.

Bênçãos Espirituais para os solteiros

Bênçãos Espirituais para os solteiros
Como solteiro você pode e deve fazer muitos amigos. Muitas pessoas que conheço não se preocupam muito com isso. Acreditam que ter um namorado(a) a todo custo é o que trará felicidade e faz a vida valer a pena. Para os adolescentes isso é mais difícil, pois aquele amor que surge (normalmente o primeiro amor de sua vida), tem que ser para sempre. É verdade que ter alguém é bem legal: você divide as contas, as responsabilidades da casa, tem companhia para viajar (e fica mais barato), mas ser solteiro tem suas vantagens também e Deus se preocupa com isso.

O homem que não é casado preocupa-se com as coisas do Senhor, em como agradar ao Senhor (1 Coríntios 7.32). Se você está solteiro, tem muito mais tempo e talvez, liberdade, de se dedicar à obra. Você pode administrar melhor seu tempo para estar envolvido em alguma atividade com seus amigos, fazer visitas, servir e cooperar naquilo que a igreja precisa sem ter a preocupação de cuidar de um cônjuge e da casa. Estar casado é uma bênção tal como estar solteiro, porém, em tempos diferentes, com responsabilidades diferentes. No casamento muitas vezes você terá que renunciar coisas de que gosta, porque ama a Deus e a favor do seu cônjuge. E essas renúncias que surgem no casamento você não faz quando se está solteiro.

Como solteiro, você pode sair para lugares legais, conhecer gente bonita. Temos que curtir cada fase da vida, mas também guardar nosso coração de onde procede toda a fonte de vida. Se não nos guardarmos, ninguém fará isso (Provérbios 4.23). É por isso que tem tanta gente machucada por relacionamentos anteriores. Todo fim de relacionamento ambos se machucam e leva-se um tempo para curar o coração. Se você terminou um relacionamento recentemente, não entre em outro logo em seguida; se cure primeiro, guarde seu coração e confie no melhor de Deus para você. Pode parecer o fim, mas garanto que o mundo não vai acabar por causa disso.

Sendo solteiro, você pode e deve fazer muitos amigos simplesmente por um motivo: quando se é jovem e adolescente, esta é a melhor fase para se fazer amigos que durem para a vida inteira. Quando estiver casado e precisar de amigos (porque estes momentos vão surgir), eles serão essenciais na sua vida. Até nós que estamos casados, existem momentos que queremos estar com nossos amigos, jogando vídeo game ou conversa fora, tomando um café, falando da vida e tendo nossos momentos de nostalgia.

Percebe o como você é abençoado em estar solteiro! Deus não faz nada por acaso e se você ainda não se casou, é porque Deus quer que você desfrute de uma vida abençoada, abundante, saudável, feliz, inteligente e cheia de amigos porque tudo o que Deus faz é bom!

Algumas sugestões para os solteiros:

1. Agradeça a Deus por não ter nenhuma distração.

Seja grato todos os dias por você ter liberdade total! Como cristão, saudável, que é solteiro ou solteira, não há nada tomando o seu tempo, sua mente e suas emoções. Pense em liberdade como um dom e a aprecie, enquanto está solteiro!

2. Livrar-se de relações doentias e pensamentos dolorosos de seu passado.

Às vezes o que nós amamos mais são os que nos machucam mais profundamente. Mesmo que não haja nada de errado com amizades, certifique-se que elas não estão a afetar negativamente a sua mentalidade sobre a sua vida. Pessoas solteiras tem uma oportunidade maravilhosa de viajar, explorar o mundo, conhecer novas pessoas, construir uma rede de amizades duradouras que possam ser úteis mais tarde na vida. Não deixe que casados ou solteiros infelizes tentem limitar a sua vida. Livrar-se deles, e rapidamente! Seu pensamento diário tem que estar aberto ao Espírito Santo que diariamente irá carregá-lo com benefícios (Salmos 68:19). Mantenha a sua mente livre e positiva.

3. Concentre-se em deixar a sua marca na terra (cumprir o seu propósito).

Cada mês reflita sobre o que você tem feito e tente trabalhar para cumprir o plano para o qual você foi criado para realizar na terra sendo filho de Deus. Acredite em si mesmo e faça todos os esforços para chegar às metas diárias que seu Deus lhes deu. Vai manter-se inspirado e empolgado, com pouco tempo para lamentos ou depressão.

Conclusão

Ter uma vida completa é ser feliz. Você pode ser feliz sendo quem você é, mesmo na sua vida de solteiro. O plano de Deus para você pode ou não incluir o cônjuge, mas uma coisa é certa, Seu plano inclui a satisfação Nele. Ele pôe em termos inequívocos, que Sua vontade é que seus filhos e filhas sejam de vida. João 10:10 (na versão Contemporânea em Inglês) declara: “O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir. Eu vim para que todos tivessem vida, e em sua plenitude. ” Esse “todos” inclui cada um de vocês.

“Porque o teu Criador é o teu marido; o SENHOR dos Exércitos é o seu nome; e o Santo de Israel é o teu Redentor; que é chamado o Deus de toda a terra.” (Isaías 54:5).

Que Deus te abençoe.

Do gemido terrenal à glória eterna

Do gemido terrenal à glória eterna
Texto: Romanos 8:18-28

Introdução: O apóstolo Paulo quer encorajar seu público em aflição. O sofrimento desta vida é “não se podem comparar com a glória” que será revelada em nós. Estamos literalmente saindo do gemido terrenal para a glória eterna.

A palavra "gemer" significa suspirar, chorar, clamar de dor. Essas dificuldades só podem ser suportadas pela ajuda, assistência e acompanhamento do Espírito Santo de Deus. Nossa esperança está ancorada no fato de que sairemos do gemido para a glória.

1. Nós passamos por Aflições (Romanos 8:18-23)

A. A criatura geme - “Pois tenho para mim que as aflições deste tempo presente não se podem comparar com a glória que em nós há de ser revelada. Porque a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus. Porquanto a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que também a própria criação há de ser liberta do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus”

B. A criação geme - “Porque sabemos que toda a criação, conjuntamente, geme e está com dores de parto até agora”

C. O cristão geme - “...e não só ela, mas até nós, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, aguardando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo”

2. Nós recebemos ajuda (Romanos 8:24-27)

A. O espírito ajuda nas enfermidades - “Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém”.

B. O Espírito ajuda com a Intercessão - “…mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis”

C. O Espírito ajuda com Investigação - “E aquele que esquadrinha os corações sabe qual é a intenção do Espírito: que ele, segundo a vontade de Deus”

3. Nós temos esperança (Romanos 8:28)

A. A confiança da esperança - "E sabemos..."

B. A comunhão da esperança - “...que todas as coisas concorrem...”

C. A conclusão da esperança - "...para o bem..."

D. A congregação da esperança - “para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados”

E. A consumação da esperança - "...segundo o seu propósito"

Conclusão: Aflição, angústia e sofrimento fazem parte da experiência humana, mas Deus irá redimir a criatura caída e a criação caída. Um dia ele nos conduzirá à Sua gloriosa presença e transformará nossa carne mortal e carnal. Nós seremos como Ele enquanto nos movemos do gemido terrenal para a glória eterna!

3/28/2018

Sexta-feira da Paixão é um Chamado a Reflexão

Sexta-feira da Paixão é um Chamado a Reflexão
Introdução: É Sexta-Feira da Paixão mais uma vez. A época do ano que nos tornamos mais conscientes do sacrifício que Jesus fez por todos nós e do dia em que nos lembramos Dele, partindo o pão que também é chamado de Comunhão, Santa Ceia ou Eucaristia em certas denominações. Todos estes são bíblicos e certos, mas você sabia que o falecido Dr. Billy Graham disse uma vez isso? “Todos falamos sobre o sacrifício que Jesus fez por nós. Mas raramente falamos sobre o sacrifício que ele espera de nós”

Chocante, não é? O que o Senhor espera de nós? Eu ponderei sobre essa questão por muitos dias e aprendi quatro coisas que podemos realmente fazer pelo Senhor. Esta noite quero compartilhá-las com você, mesmo quando nos reunimos aqui hoje à noite, porque a Sexta-feira da Paixão é na verdade uma chamada para fazer essas quatro coisas.

1. A Sexta-feira da Paixão nos chama a viver uma vida digna de nosso nome

Em hebraico, Judas significa "louvor". Dante, no entanto, no "Inferno" coloca Judas na boca de Satanás, no círculo mais baixo do inferno! Simplesmente por causa de três características indesejáveis ​​atribuídas a Judas na Bíblia.
  1. Ganância (João 12:6)
  2. Traição (Lucas 22:1-6)
  3. Maldição (Mateus 26:24)
Judas começou bem, mas seu fim foi uma grande tragédia. O que deu errado? Judas serviu a Jesus e à ganância ao mesmo tempo. A Bíblia diz que não podemos servir a Deus e ao dinheiro, porque eventualmente o dinheiro dominará sobre nós (Mateus 6:24). Judas andou com Jesus por três anos. Em vez de confessar seu problema a Jesus, ele se entregou a ele todo esse tempo. A ganância deu origem à traição e da traição nasceu uma maldição!

Aplicação: Assim como Judas, você também tem um nome. Esse nome não é outro senão "Filhos de Deus" (João 1:12). A Sexta-Feira da Paixão chama você para viver uma vida digna desse nome. Como você faz isso? Você deve decidir a quem você vai servir (Josué 24:15). Sele essa decisão confessando suas lutas secretas (Tiago 5:16). A confissão dá poder para se libertar da escravidão do pecado (Provérbios 28:13). Isso lhe dará a graça de Deus para viver uma vida digna do nome, “Filho de Deus”.

2. A Sexta-feira da Paixão nos chama para total dependência de Deus

O nome Pedro significa "Pedra". Ele é notável por ser o primeiro discípulo a quem Deus revelou a verdadeira identidade de Jesus (Mateus 16:13-20). Ele era um homem de grande zelo (Mateus 26:35) e notoriedade (João 18:10). Mas ainda assim ele é mais conhecido como o discípulo que negou a Jesus! (Lucas 22:54:62) O que deu errado? Jesus advertiu Pedro (Lucas 22:34-35), mas Pedro não admitiu sua fraqueza. Pedro pensou e agiu como homem.

Aplicação: Que tolice! Você pode dizer. Mas Pedro estava se comportando como qualquer outro homem. Assim como nós. Muitas vezes ignoramos Deus e tomamos as coisas por nossas próprias mãos. Infelizmente, machão não tem chance contra o diabo (Lucas 22:31)? Então, o que devemos fazer para depender de Deus? A resposta é "orar"! A oração não é uma resposta passiva à crise. Em vez disso, é a mais poderosa e a única forma eficaz de contra-ataque capaz de neutralizar ameaças satânicas (Efésios 6:18-20). Então deixe a oração ser um hábito cotidiano em sua vida.

3. A Sexta-Feira da Paixão nos chama a seguir Jesus de todo o coração

Situações desesperadas exigem medidas desesperadas, a ponto de fugir nu às vezes! No livro de Marcos, encontramos alguém que fez exatamente isso, cuja identidade não sabemos. Marcos descreve-o como um jovem vestindo apenas um pano de linho enrolado em volta do corpo. Ele seguiu a multidão de uma distância segura. Quando os soldados o agarraram, ele deixou o pano de linho para trás e fugiu nu (Marcos 14:51-52).

Os estudiosos concordam que este jovem não era outro senão o próprio Marcos. A mãe de Marcos morava em Jerusalém. Ele provavelmente foi despertado pela comoção dos soldados que deixaram a cidade para prender Jesus. É possível que ele tenha seguido de longe porque estava em um grande dilema.

Aplicação: Alguns de nós são como Marcos. Muitas vezes somos assombrados por um dilema indeciso. Queremos seguir Jesus, mas o medo, a rejeição e a perseguição nos puxam de volta. Alguns de nós têm velhos hábitos que queremos manter vivos. Então, preferimos decidir seguir a Jesus à distância, em vez de nos comprometermos a segui-lo de todo o coração. Mas esse tipo de compromisso não funciona porque Jesus disse que não podemos ser seus discípulos a menos que rompamos qualquer outro vínculo por ele (Lucas 14:26).

4. A Sexta-feira da Paixão é um chamado para amizade genuína com Deus

Alguém disse que um amigo em necessidade é um amigo de verdade. João era o amigo de Jesus em necessidade. Jesus tinha uma necessidade em particular enquanto ele estava pendurado na cruz. Alguém confiável para cuidar de Maria depois que Jesus se fosse. Ele não podia contar com Tiago (seu irmão) ou os outros discípulos. Eles não estavam nem perto. Mas João estava lá, e Jesus sabia que ele podia contar com ele para proteger Maria porque João estava lá, independentemente da ameaça à sua própria vida (João 19:25-27). Só depois disso, ele diz que Jesus sabia que sua missão tinha sido cumprida (... Depois, sabendo Jesus que todas as coisas já estavam consumadas... João 19:28.
  • “Por isto o Pai me ama, porque dou a minha vida para a retomar. Ninguém a tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho autoridade para a dar, e tenho autoridade para retomá-la. Este mandamento recebi de meu Pai” (João 10:18)
  • Então Jesus, depois de ter tomado o vinagre, disse: está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou (grego: “paradidomihis” significa ceder intencionalmente) o espírito. (João 19:30)
Jesus não poderia morrer até saber que sua mãe estava segura. Sua missão seria incompleta se ele a abandonasse. Portanto, João encontrou a final e a maior necessidade de Jesus. Então ele era amigo de Jesus de fato.

Aplicação: João nos ensina que a amizade com Deus pode ser formada em tempos de prosperidade, mas é testada no deserto. Também me lembro de algumas coisas que aprendi em um devocional que li esta manhã antes de sair de casa. Cada um de nós tem algo que é necessário para que Jesus cumpra alguma parte do Seu grande plano neste mundo quebrado. Pode ser um presente, um talento especial, seu tempo, sua carreira, seu conhecimento, sua sabedoria, experiência de trabalho e talvez até suas finanças! Seja o que for, coloque a disposição de Jesus, se você é verdadeiramente seu amigo.

Conclusão: Um Pregador conhecido por mim uma vez perguntou: "Como você pode dizer que vai morrer por Jesus, quando você não pode nem mesmo viver para ele?" Na vida encontramos muitas pessoas que estão dispostas a morrer por Jesus, mas vivendo para si mesmas. A Sexta-Feira da Paixão não nos chama a morrer por Jesus, mas a viver para ele. Hoje à noite, vamos pedir a Deus que nos dê graça para viver para sua glória e honra.

3/11/2018

13 Lições Aprendidas no Jardim do Éden

13 Lições Aprendidas no Jardim do Éden
Texto: Gênesis

Introdução: A Bíblia é um livro incrível dado por Deus porque Ele quer que nós saibamos como viver, quem Ele é, e por que precisamos desesperadamente dele para lidar com nossos pecados e encontrar paz e alegria. Gênesis, o primeiro livro na Bíblia, dá um fundamento para tudo o mais na Palavra de Deus.

Os três primeiros capítulos do Gênesis nos ensinam princípios valiosos sobre Deus e Suas advertências em relação ao pecado:

1. O Senhor é um Deus de amor, criatividade, beleza e generosidade.

Todas essas características são exibidas por Sua criação e Seu cuidado e provisão para nós.

2. Deus pretende que sejamos produtivos em nosso trabalho.

De acordo com Gênesis 2:15, o trabalho de Adão era cultivar e manter o Jardim do Éden. Deus também disse: "Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea". (V. 18), e Ele criou Eva. Juntos, eles deveriam completar o que o Senhor pretendia que eles realizassem, e essa é a vontade de Deus para nós hoje.

3. Deus é protetor.

O Jardim do Éden estava cheio de árvores frutíferas das quais Adão e Eva podiam comer livremente, mas havia uma árvore no meio do Jardim, "a árvore do conhecimento do bem e do mal", de onde eles estavam proibidos de comer (2:16-17). Deus lhes deu uma escolha para amar e obedecer a Ele, e porque Ele os amava, Ele também os advertiu sobre as consequências desastrosas da desobediência: "no dia em que dela comeres, certamente morrerás" (v. 17).

4. Ouvir Satanás é sempre dispendioso.

Deus nos dá princípios para viver, mas se, como o primeiro casal, ouvimos o diabo, pagaremos um preço terrível.

5. Satanás é um mentiroso enganador e astuto.

Ele contradisse diretamente a advertência de Deus a Adão e Eva dizendo: "Certamente não morrereis" (Gênesis 3:4). Embora tenham decorrido milhares de anos desde este evento, o diabo não mudou. Ele ainda é um mentiroso que contradiz o que o Senhor diz.

6. Deus sempre guarda a Sua Palavra.

Ele havia advertido Adão que a morte resultaria da desobediência, e Ele manteve Sua Palavra. Embora Adão e Eva não tenham morrido imediatamente, ocorreu uma morte espiritual interna quando comeram o fruto proibido. A Palavra de Deus também será verdadeira em nossas vidas. Quando escolhemos desobedecê-Lo, nosso desejo por Ele e dependência dele começa a morrer.

7. Não podemos esconder de Deus.

Depois que Adão e Eva pecaram, eles tentaram se esconder entre as árvores quando ouviram o som do Senhor andando no Jardim (Gênesis 3:8). No entanto, ninguém pode se esconder de Deus porque Ele está presente em todos os lugares e vê tudo. O pecado produz vergonha e um desejo de esconder, mas Deus nos amou o suficiente para enviar Seu Filho para morrer pelos nossos pecados para que pudéssemos ser perdoados.

8. A desobediência sempre traz consigo dor e decepção.

O diabo disse a Eva que comer da árvore proibida a tornaria como Deus, mas logo descobriu que não obteve nada além de vergonha e desapontamento. Agora, ela e Adão estavam separadas do Senhor e experimentariam a dor e o sofrimento do pecado. Ela aprendeu que o pecado nunca realmente satisfaz porque, sem o Senhor, ninguém pode finalmente ser feliz.

9. O arrependimento não apaga a pena do pecado.

Imediatamente depois de desobedecerem a Deus, Adão e Eva lamentaram sua escolha. Primeiro sentiram vergonha e tentaram se cobrir com folhas de figueira, mas isso não corrigiu o problema. Não havia nada que pudessem fazer para apagar a penalidade por seu pecado, não importa o quanto eles estivessem tristes ou o que eles fizessem para tentar compensar.

10. Muitas vezes, são surpreendentes as consequências para o pecado.

Adão e Eva conheciam apenas um ambiente perfeito e a satisfação de todos os seus desejos e necessidades. Mas depois que eles desobedeceram ao Senhor, suas vidas mudaram dramaticamente de maneiras inesperadas. Embora eles não tenham morrido imediatamente, eles perderam sua inocência e foram expulsos do Jardim por Deus. Embora não possamos experimentar o juízo de Deus no momento do nosso pecado, ele virá, e às vezes será de maneiras surpreendentes.

11. A penalidade pelo pecado não pode ser evitada culpando os outros.

Quando Adão e Eva foram confrontados por Deus, Adão culpou Eva e Eva culpou a serpente. No entanto, Deus nos responsabiliza por nosso próprio pecado, independentemente de qual foi o papel da outra pessoa.

12. O desejo de agradar aos outros pode ser dolorosamente caro.

O desejo de Adão de agradar a Eva ao comer o fruto proibido mergulhou-o e toda a raça humana no pecado e custou-lhe a perda de sua casa no Jardim do Éden. Quando somos tentados a desobedecer a Deus para agradar a outra pessoa, devemos lembrar que um dia estaremos diante de Ele para dar uma conta de nossas vidas.

13. O pecado é caro.

Como um Pai amoroso que não quer que Seus filhos destruam suas vidas, o Senhor advertiu Adão e Eva das consequências da desobediência. Mas depois que eles pecaram, o Deus que eles apenas conheciam como seu bom Criador e Provedor os expulsou do Jardim e colocou os querubins e a espada flamejante para guardar o caminho para a árvore da vida (Gênesis 3:24). Sua escolha para o pecado custou-lhes tudo, e toda a humanidade sofreu como resultado da desobediência.

Conclusão: O pecado sempre tem consequências. Adão e Eva sentiram os efeitos imediatos do pecado, mas Deus permitiu que Adão vivesse mais de novecentos anos. Ele nunca deixou de amá-los, e Ele também não deixa de nos amar. Ele enviou Seu Filho ao mundo para morrer na cruz para expiar o pecado da humanidade – desde o primeiro pecado de Adão e Eva até aqueles que ainda são futuros. Quando cremos em Cristo, podemos ter o perdão dos pecados e uma vida mudada.