11/28/2012

Faça por merecer

Faça por merecer

Texto: Mateus 26:36-53

Introdução

Texto: momento crucial no ministério de Jesus (Ele veio para esta hora: Jo 12:27)
"Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal." (1 Timóteo 1:15 RA)
"Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores." (Romanos 5:8 RA)
Jesus morreu por você...
Em 2Ts 1:5 o apóstolo Paulo declara que temos que ser achados por dignos da salvação.
- Você tem se tornado digno da salvação?


Tornamos-nos dignos da salvação quando fazemos por merecer o sacrifício do Senhor Jesus por nós
Faça por merecer tomando três atitudes:

I - Tendo gratidão

-Lembre-se que Jesus não tinha obrigação de morrer por nós (v. 53), mas ele decidiu não desistiu de você. Que a convicção deste fato venha gerar gratidão em seu coração.
- A parábola dos dez leprosos [Lc 17:12-19]
Dez foram curados, mas apenas um foi salvo: aquele que foi demonstrou gratidão.

II - Buscando aproximação

Lucas 7:36-50

- Jesus aproveitou este fato para mostrar que aquela mulher se aproximou mais dele por que reconhecia-o como seu Salvador.
- Quanto mais temos consciência do que o Senhor fez por nós, mais ainda nos aproximamos dEle.
- A que distância você está de Jesus?

III - Dando retribuição

Podemos retribuir ao Senhor de três maneiras:
1ª) Retribua tratando bem os homens de Deus
"Em verdade, em verdade vos digo: quem recebe aquele que eu enviar, a mim me recebe..." (João 13:20)
"Quem recebe um profeta, no caráter de profeta, receberá o galardão de profeta; quem recebe um justo, no caráter de justo, receberá o galardão de justo."(Mateus 10:41)
"Agora, vos rogamos, irmãos, que acateis com apreço os que trabalham entre vós e os que vos presidem no Senhor e vos admoestam; e que os tenhais com amor em máxima consideração, por causa do trabalho que realizam." (1 Ts 5:12-13 RA)
- Como você tem tratado os homens de Deus?
2ª) Retribua ajudando aos mais carentes - Leia Mt 25:31...

- Retribua ao Senhor acudindo aos necessitados. Lembre-se que, na sua vinda, o Senhor Jesus dirá: "foi a mim que fizestes."
- Que bem você tem feito pelo próximo?
3ª) Retribua dando continuidade a obra do Senhor
"Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar nossa vida pelos irmãos." (1 João 3:16)
"Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou." (2 Coríntios 5:14-15 RA)
- Por quem você tem vivido?

Conclusão

Nada fizemos para merecer a salvação mas, agora que estamos salvos, façamos por merecer a vida eterna com o Salvador.

http://www.igrejabiblicacrista.com.br/

E Se Eu Falhar?

E Se Eu Falhar?

Quebra-gelo: Você já perdeu algo por ter errado?
Texto: I João 1:8-2:1 e Isaías 6:5-9

Introdução:

- Hoje vivemos num mundo que é visto como um mundo competitivo. Diz-se que no topo só há lugar para os melhores, não existe espaço para erros ou falhas para aqueles que pretendem crescer. Esse tipo de idéia tem criado uma cultura de insegurança, mentira, hipocrisia e arrogância por parte da sociedade, pois é impossível aprender sem errar.
- Trazemos esse tipo de postura para o nosso relacionamento com Deus e isso nos impede de crescer e experimentar mais de Deus. É bom que você saiba que mesmo depois de conhecer a Deus você vai errar.

- A Bíblia diz que aquele que diz não ter pecado está se enganando. A grande questão não é se vamos pecar ou não, mas como queremos viver e o que faremos quando pecarmos, quando falharmos.

Se quisermos conhecer cada vez mais de Deus temos que:

1) Saber que iremos errar.

- Muitas pessoas têm a tendência a serem perfeccionistas, não gostam de admitir seus erros, e quando o fazem desanimam ou desistem por não conseguirem corresponder ao padrão.

- O pecado não pode ser algo comum na vida do cristão, ele é um acidente de percurso, um grande erro, desvio do objetivo que é Jesus, mas que pode acontecer.

- Se chegar a falhar não desista ou desanime, o que devemos fazer se pecarmos.

2) Admitir nosso pecado, confessá-lo e deixá-lo. Precisamos arrepender-nos.

- Não seja arrogante ou orgulhoso isso só nos impede de crescer em Deus. Muitos, por orgulho, têm dificuldade de admitir sua responsabilidade quando as coisas dão errado, tem dificuldade em admitir seu pecado.

- Preferem arrumar um culpado, mesmo que seja Deus, ao invés de admitirem seus erros e responsabilidades.

- Esse tipo de atitude nos afasta de Deus.

- Lembre-se: o pecado não te desqualifica; mas o orgulho e a soberba sim. A dificuldade em admitir a sua atitude pecaminosa te afasta de Deus. Se confessarmos, Deus nos perdoará.

3) Querer continuar a seguir a Jesus e mudar.

- Como dissemos o pecado tem que ser um acidente de percurso na vida do cristão.

- Como você quer viver?

- Para fazer a vontade de Deus ou para fazer o que você quer?

- A resposta sincera a essa pergunta mostra se amamos mais a Deus ou ao pecado.

Conclusão:

- Muitos dizem que preferem deixar de seguir porque não gostam de ter de obedecer, não gostam de serem forçados a nada.

- Na vida com Deus ou você vence a sua carne e aprende a obedecer, ou servirá ao pecado, talvez de maneira religiosa, enganando a si mesmo.

- O que você quer?

- Seguir a Jesus e fazer a vontade Dele?

- Lembre-se: sua falha não te desqualifica, seu orgulho sim; Deus não dá graça ao soberbo (Tiago 4:6).

- Quer abrir mão do orgulho, admitir e confessar seu pecado, deixá-lo e se dispor a obedecer? Levante a mão, vamos orar.

http://www.imm.com.br/

Que Buscais?

Que Buscais?

Texto: João 1:35-39

Introdução:

- O ser humano é um eterno insatisfeito, e vive a procura de algo diferente sem ter certeza muitas do que procura.
- Na vida com Deus não é diferente, muitas vezes nos falta clareza de propósito, não sabemos qual a vontade de Deus e, por isso, não sabemos o que pedir e como pedir.

- Sabemos que Deus é presenteador daqueles que o buscam, e que aqueles que se aproximarem com fé de Deus receberam o que procuram desde que não seja algo errado.

- O problema reside aí, receberemos o que buscamos, mas será que isso é mesmo o que precisamos?

- Será que é o melhor para nós?

- O que alguns procuram e o que seria o melhor?

1) Alguns buscam se dar bem.

- No texto de Lucas 12:13-21 um homem busca a Jesus pedindo que Jesus convença seu irmão a repartir a herança com ele, ao invés de Jesus dar ouvidos ao pedido Jesus ensina que a vida de uma pessoa não consiste na abundância de bens que ela possui; ainda ensina que aquele que procura entesourar para si mesmo mas não é rico para com Deus é considerado louco.

- Quem busca se dar bem, não busca o melhor.

2) Outros buscam resolver seus problemas.

- Em outras células vimos a história do centurião romano (Mateus 8:5-13), e de como ele conseguiu ser atendido por Jesus conseguindo a cura para seu criado.

- Ele teve fé o bastante para crer que se Jesus desse somente uma palavra de cura o criado seria curado e isso aconteceu, mas não quis que Jesus fosse até a sua casa, disse que não era digno e com isso perdeu a oportunidade de passar alguns momentos a mais com Jesus.

- Os que buscam resolver seus problemas não buscam o melhor.

3) Alguns buscam a Jesus Cristo, buscam o Senhor.

- No texto de João 1:35-39 a Bíblia diz que dois discípulos de João Batista seguem a Jesus, e quando Jesus perguntam o que eles buscam, eles respondem: Mestre onde assistes (onde pousas)?

- Jesus os convida a virem e verem e eles vão ao lugar onde Jesus estava morando e passam o dia com Ele.

- O texto de Lucas 10:38-42 nos ensina que está é a boa parte, o melhor que podemos achar.

Conclusão:

- O que você tem buscado?

- Tem clareza de propósito?

- Tem buscado se dar bem, resolver seus problemas, ou tem buscado o melhor para sua vida?

- Tem buscado conhecer melhor a Jesus e andar com Ele? Quer isso?Levante a mão, vamos orar.

http://www.imm.com.br/

O pecado e a graça comum

O pecado e a graça comum

Texto: Mateus 5.43-48

Objetivo do Estudo:

- Saber que a graça comum é o meio que Deus usa para refrear o pecado e possibilitar aos seres humanos uma vida até certo ponto digna e desenvolvida, apesar de todo o pecado e maldade existentes.
O estudo numa frase:

- A graça comum é a responsável pelo refreamento do pecado e pelo desenvolvimento da sociedade humana.
Panorama bíblico:

- No Sermão do Monte, Jesus explica o valor da lei. As atitudes externas são apenas consequências de sentimentos interiores. Por isso o pecado reside no interior e não apenas no exterior.

- Jesus não está abolindo as leis civis e criminais, apenas destacando que cristãos, pessoalmente, precisam ter atitudes diferentes.

- Jesus coloca como exemplo supremo dessa bondade o próprio Deus, que distribui seus benefícios mesmo para os desobedientes. Isso demonstra, indiretamente, que Deus tem uma graça até para os perdidos, o que chamamos de “graça comum”.

- Por essa graça Deus concede benefícios para a humanidade, mesmo sobre aqueles que não são nem serão salvos.

INTRODUÇÃO

- Jesus ensinou que Deus mostra favor até ao perverso (Mt 5.44-45). Há uma parcela da bondade de Deus que é acessível a todos os seres humanos, mas isso nada tem a ver com salvação.

- O ser humano, após a queda, foi expulso do jardim. Seguiu sua vida e construiu sua existência, quase sempre longe de Deus. Assim, a situação humana é de total depravação, que implica a submissão do mundo ao maligno e a escravidão do homem ao pecado.

“Por causa da queda, cada ser humano é fundamentalmente egocêntrico e sem amor, odiando Deus e odiando os outros”. [1]
- Contudo, ao olharmos em derredor encontraremos muitas pessoas neste mundo que nos parecem dignas, muitas delas demonstram compaixão e amor pelos semelhantes.

Como podemos explicar que exista uma certa medida de bondade nas pessoas?

I – QUE BONDADE É ESSA?

- Um monge chamado Pelágio ensinava que o homem não havia herdado nenhum pecado de Adão. O que acontecia era que o homem geralmente imitava Adão.

- O Pelagianismo, portanto, defende que a natureza humana não é essencialmente má, ao contrário, é boa.

- Posteriormente, uma espécie de Semipelagianismo sustentou que as pessoas eram apenas inclinadas ao pecado, mas que não eram necessariamente de todo corruptas.

- No tempo da Reforma, calvinistas e arminianos voltaram a debater o assunto. Os arminianos negaram a total depravação, ficando mais próximos do Semipelagianismo.

- O Calvinismo seguiu a linha de Agostinho enfatizando a total depravação do ser humano.
- Contudo, Calvino diferiu um pouco de Agostinho na interpretação do significado das “boas obras” que os decaídos produzem.

- Agostinho entendia que até mesmo as boas ações das pessoas não regeneradas eram atitudes pecaminosas, pois não eram feitas para a glória de Deus e sim para o mérito pessoal.

- Calvino sustentou que o homem é totalmente decaído, mas que Deus tem uma graça “comum” que faz com que as pessoas não regeneradas façam coisas boas, da perspectiva do senso comum.

- Ele entendia que a graça especial é a única responsável pela salvação, porém, Deus usava Sua graça de uma forma diferente, sem o objetivo de salvação, para tornar a vida dos seres humanos mais suportável.

- Portanto, graça comum é a bondade de Deus sobre todas as pessoas, mesmo as não crentes que, sendo criaturas de Deus, são alvo do cuidado divino.
- A graça comum tem a ver com a preservação da vida neste mundo. É por isso que o ser humano não é tão corrupto quanto poderia ser, porque a graça comum o refreia.

II – A GRAÇA COMUM E A CONTINUIDADE DA VIDA

- Desde o início, quando Deus amaldiçoou o ser humano, Sua graça comum já se manifestou pelo fato de permitir que ele continuasse vivendo.

- Embora a terra passasse a produzir“cardos e abrolhos” produz também o alimento necessário para a sobrevivência.

- Ainda que Deus tenha dito à mulher que ela teria dores terríveis na concepção, garantiu que a própria concepção acontecesse.

- A graça comum se manifestou na sequência, quando o ser humano passou a desenvolver os recursos naturais do mundo.

- Afinal, de onde teria vindo a habilidade para criar gado, fazer e tocar instrumentos musicais e manejar com o ferro (Gn 4.20-22)?

- Parece, entretanto, que pouco antes do dilúvio, Deus recuou o Seu poder de refreamento do ser humano.

- O capítulo 6 de Gênesis descreve a situação, como: “O meu Espírito não agirá para sempre no homem, pois este é carnal; e os seus dias serão cento e vinte anos. Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplica na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração” (Gn 6.1-5).

- Foi desastroso, a ponto de Deus chegar a entender que a única solução seria o aniquilamento da raça humana por meio do dilúvio.

- O dilúvio, entretanto, não extinguiu a nossa raça, pois Deus separou Noé. E quando Noé saiu da arca, Deus demonstrou Sua decisão de novamente refrear o pecado do ser humano. O homem não viveria mais do que cento e vinte anos, o que refrearia bastante o mal (Gn 6.3).

III – COMO A GRAÇA COMUM SE MANIFESTA

- Em geral, o ser humano não é tão mau quanto poderia ser. Isso se deve a um refreamento que Deus lhe impõe. Esses limites são internos e externos. Internamente há a lei da consciência (Rm 2.14-15).

- Externamente existe a autoridade civil e a própria opinião pública (Rm 13.1). Deus concedeu poderes às autoridades civis para que executem a justiça a fim de tornar a vida humana mais suportável (Rm 13.4).

- Uma pessoa não precisa ser cristã para saber que matar, roubar, mentir, adulterar etc., são coisas erradas.

- Essa opinião pública ajuda a restringir o pecado e deve ser considerada uma atuação da graça comum. Porém essa manifestação da graça comum de Deus parece estar cada vez menos atuante no mundo.

- Frente aos ataques maciços dos meios de comunicação, a moralidade que dominava a opinião pública tem recuado. Isso só pode ser uma preparação maligna para a manifestação do anticristo e seu reino imoral.

- São aqueles tenebrosos tempos profetizados pela Escritura, em que o mistério da iniquidade terá livre curso neste mundo. Parece que já podemos avistá-los.

- Podemos também ver a manifestação da graça comum naquilo que denominamos cultura.

- Deus possibilitou ao homem desenvolver talentos naturais a fim de que por meio da medicina, da tecnologia, das artes etc., pudesse tornar a vida humana menos penosa.

- Essas coisas não colaboram para a salvação de ninguém, pois não têm caráter redentivo, sendo simplesmente benefícios que o Senhor concede aos homens porque Deus é bom.

IV – A GRAÇA COMUM NO FIM DOS TEMPOS

- Parece, entretanto, que no fim dos tempos, a atuação da graça comum irá regredir.

- Deduzimos isso de uma citação de Jesus em Lucas 17.26-27. Talvez Jesus não esteja apenas alertando a possibilidade de Sua vinda pegar as pessoa de surpresa. O comparativo que Ele faz com a situação dos dias de Noé é muito significativo.

- As pessoas daquele tempo não ficaram sem pregação, pois o próprio Noé lhes testemunhava (II Pe 2.5). O fato é que não acreditaram no testemunho dele.

- Parece, pois, que nos dias que antecederão a segunda vinda de Jesus, a graça comum de Deus irá recuar para que o homem seja tão mau quanto conseguir ser.

- Isso parece até bem lógico, pois é nesse tempo que se manifestará plenamente o mistério da iniquidade, que, segundo Paulo, já opera neste mundo (II Ts 2.6-7).

- A cada ano que passa, as pessoas rejeitam de modo mais consciente e consistente a influência de Deus em sua vida.

V – O VALOR DA GRAÇA COMUM

- A doutrina bíblica da graça comum tem implicações muito saudáveis para os cristãos. Ela acentua o poder destrutivo do pecado. Não há um terreno neutro entre Deus e o mal.

- A ciência, as artes e a tecnologia não estão numa faixa neutra como se pudessem ser buscadas sem a preocupação com distinção cristã.

- A graça comum demonstra que os dons que vemos nos irregenerados são dons de Deus. Eles até podem estar sendo usados para servir a satanás, mas são dons vindos de Deus que, quando bem usados, ajudam os homens a viver melhor.

- Desse modo, não precisamos rejeitar tudo aquilo que os incrédulos produzem, ainda que não precisemos compartilhar das convicções deles.

- Podemos ainda louvar a Deus por ter concedido esses dons, ainda que essas pessoas não façam essas coisas para glorificar a Deus.

- Embora saibamos que um dia este mundo deixará de existir como existe hoje, e devamos ansiar por aquela pátria celestial que nos está reservada, ainda temos muito que fazer e contribuir aqui.

- É preciso que nos interessemos pela política, economia, cultura, ecologia etc. Não devemos fazer isso com um sentimento crédulo de que este mundo será totalmente cristão, porque ele não está reservado para isto, mas podemos lutar por um mundo melhor aqui porque Deus deseja que façamos isso, como parte de nossa vocação cristã.

CONCLUSÃO

- É por causa da graça comum que está em atuação neste mundo que o ser humano não é tão mau quanto pode ser.

- Mas a graça comum de Deus é ainda mais extensa. Embora não contribua para a salvação, pois não tem esse propósito, ela torna a existência humana mais digna em meio à maldição do cosmos.

- É por causa da graça comum que existe o progresso científico, tecnológico e cultural, muito embora, às vezes essas coisas sejam usadas contra Deus.

- Devemos louvar o Senhor do universo por repartir parte de suas bênçãos sobre justos e injustos.Isso demonstra Sua soberania e Sua misericórdia, ao mesmo tempo em que enfatiza Sua santidade e justiça.

APLICAÇÃO

- Você tem dado graças diante de todas as coisas?

- Você tem agradecido a Deus pelo sol e pela chuva, pelos dias bons e pelos dias maus, pelos amigos e pelos inimigos?

- Tem procurado envolver-se com a sociedade de modo construtivo?

- Saiba que essa é a vontade de Deus para o pleno exercício de uma vida cristã saudável!


Autor: Leandro Lima

Antes e depois da morte

Antes e depois da morte

Referência: LUCAS 16.19-31

- Há uma coisa notável acerca desta passagem das Escrituras: ela é fácil de entender. Podemos discordar dela, negar sua veracidade ou desprezar seus ensinamentos, mas só uma pessoa obtusa não a entenderia.
- A verdade básica é que a vida é mais do que simplesmente viver, e a morte é mais do que simplesmente morrer. A morte não é o fim de todas as coisas.
- Há muitas especulações sobre o que acontece depois da morte.

- Há um profundo mistério acerca da morte e milhões de pessoas buscam os terreiros de Umbanda, os médiuns para tentar falar com os mortos. Mas isto tudo é em vão.
- Jesus nesse texto abre as cortinas e levanta a ponta do véu e nos mostra o que vem depois da morte:CÉU OU INFERNO.
- “GEENA” = lugar final dos ímpios.

- Esta palavra INFERNO vem do vale dos filhos de Hinon. A princípio era um lugar belo.

- Acaz e Manassés queimaramcrianças a Moloque ali. Era o vale da matança.

- Josias profanou este lugar de idolatria e transformou aquele lugar no escoadouro dos lixos da cidade – e ali o bicho roía dia e noite e o fogo era inextinguível.
=> Os homens não gostam da doutrina do inferno.

- É um lugar de tormento eterno.

- É um lugar de trevas.

- É um lugar de choro e ranger de dentes.

- É um lugar onde o fogo não se apaga.

- É um lugar onde o bicho não deixa de roer.

- É um lugar de lembranças das oportunidades perdidas.

- É o lugar de remorso acusador.

- É lugar de separação eterna de Deus.
O homem sempre quis apagar as chamas do inferno. Sempre quis anular essa doutrina. Tenta fazer isso de várias formas:
1. Negando que haja uma coisa chamada pecado = Se não há pecado, não há necessidade de castigo para ele, nem necessidade de um Salvador. Mas o pecado acontece 24 horas por dia: crimes, assaltos, mentira, suborno…
2. Achando que se existe um inferno, ele é aqui na terra mesmo.

- É o que estamos vivendo = Mas no inferno não vai ter igreja, não vai ter Bíblia, não vai ter música, louvor, alegria, vida, amor, arrependimento, flores, água, filhos de Deus.
3. Reencarnação – v. 31
4. Purgatório – v. 26
5. Sono da alma ou aniquilamento – v. 23
6. Deus é bom demais para punir alguém. Não precisamos nos preocupar com o além.
7. Andar tão ocupado que não tem tempo para pensar nas coisas eternas = aprisiona a alma nas grades das atividades.
- TODAVIA, estas respostas e esses subterfúgios nem sempre aquietam a nossa voz interior. Nem a incredulidade nem o desprezo pode apagar as chamas do inferno. Elas permaneceram para sempre.
- A ira de Deus contra o pecado deve ser satisfeita em algum lugar, algum dia, de alguma forma. Quem mais falou sobre inferno foi Jesus. O inferno é uma realidade ou Jesus é um embusteiro.

I. PRIMEIRO ATO: O LADO TERRESTRE DA VIDA – O QUE ACONTECE NESSE LADO DA MORTE

1. O HOMEM RICO = No primeiro ato, tudo na vida desta homem rico é só beleza. Vivia em uma mansão. Tinha servos e servas. O mobiliário de sua casa era luxuoso. Carruagens do último tipo. Vivia na opulência e no prazer. Vestia-se com púrpura. Banquetes, festas, música. Vivia para si mesmo. TODOS OS DIAS SE REGALAVA EXPLENDIDAMENTE. Era religioso, pois conhecia a Abraão e o chamava de Pai.
- Não é o rico acusado de crimes horrendos.

- Não é tachado de caluniador, fraudulento, assassino, adúltero, ébrio ou imoral. Mas também, não tem tempo para Deus, não tem tempo para o necessitado à sua porta.

- Seu Deus é o dinheiro.

- Sua vida é narcisista. Vive para si mesmo.

- Seu negócio é o hedonismo.

- Seu problema não é a riqueza, mas a riqueza sem Deus. Tudo corria bem… até que um dia…
- O homem rico ficou doente. A morte está constantemente procurando novas vítimas. Ela entrou rudemente pela porta de frente da casa do homem rico, com as botas sujas de lama fresca, enquanto este se encontrava assentado à sua farta mesa bebendo o doce vinho da vida. A morte arrancou o copo de seus dedos cheios de anéis e lhe falou abruptamente, enquanto o homem empalidecia: VOCÊ VAI MORRER HOJE – Ele morreu.
- E que funeral! Todos os parentes estavam lá. Muitos amigos. As autoridades da cidade foram dar o último adeus ao ilustre cidadão. Políticos discursaram ao lado do caixão. Elogios foram tecidos ao morto. Havia flores por toda parte. A urna mortuária era toda enfeitada e cheia de riqueza. Foi um funeral cheio de pompa.

- A cerimônia religiosa foi pomposa. Agora todos dizem: DESCANSOU!Ah! Não se esqueça, esse é apenas um lado da história. Há mais, muito mais.
2. LÁZARO = Vamos agora nos voltar para o outro personagem do primeiro ato: O POBRE HOMEM LÁZARO (Lc 16.20,21).

- Não gostamos de ficar observando esta cena. Basta saber que um dia o mendigo também acabou morrendo. Os gélidos dedos da morte também arrancaram a sua vida. Ele não tinha amigos, nem cortejo, nem flores, nem hinos, nem cerimônia fúnebre, pois ninguém se importava com ele.
- Não sabemos ao certo o que fizeram com o corpo do mendigo. Do que sabemos acerca dos cães do oriente, podemos até afirmar que eles foram os seus agentes funerários, o seu cortejo e a sua sepultura. Com um estremecimento de nojo nos afastamos dizendo: QUE TRAGÉDIA!
- Mas aqui vimos apenas um lado da história também. Agora Jesus levanta a ponta do véu e mostra que a vida depois da morte é real. Mostra que a sepultura não é o seu ponto final.

II. SEGUNDO ATO: O QUE ACONTECE DEPOIS DA MORTE

- No primeiro ato o lado terrestre de suas vidas, um deles era extremamente rico e o outro extremamente pobre.

- Um sentava-se a uma mesa farta, o outro jazia junto à porta do rico mendigando uma migalha.

- Um é atraente pela sua riqueza, o outro é repulsivo pela sua extrema miséria.

- Um andava empavonado em linho finíssimo, o outro cheio de trapos.MAS HÁ DIFERENÇAS NOS HOMENS QUE NÃO APARECEM NAS ROUPAS, NAS CASAS, NAS OCUPAÇÕES.
- Depois da morte, o contraste no destino destes dois homens continuou, mas a sua situação se inverteu.
1. LÁZARO = Quando a cortina foi levantada depois da morte do pobre, vemos anjos, cheios de alegria em servir, carregando Lázaro para o céu.
LÁZARO = “Deus é meu auxílio”.

- Embora desprezado pelos homens, embora considerado como escória, embora na sarjeta do esquecimento, embora prostrado cheio de chagas, com fome e desejando comer as migalhas que caem da mesa do rico, embora privado do convívio humano e assediado pelos cães – Ele confiava em Deus. O RICO TINHA TUDO, MENOS DEUS; LÁZARO NÃO TINHA NADA SENÃO DEUS.
- No céu havia consolo, música, vestes brancas, coroas, harpas angelicais, delícias perpetuamente, a face de Jesus. NENHUM OLHO VIU… Oh! Quão cedo Lázaro se esqueceu dos seus andrajos, da fome, dos cães, das noites frias, e do homem rico que o deixou na miséria. Ele foi afinal confortado!
2. O HOMEM RICO = Aquele que viveu aqui sem Deus, depois da morte, abriu os olhos e estava no lar dos desesperados. O mendigo repousou no seio de Abraão. O rico não teve repouso nenhum, pois como é possível descansar no inferno?
- Em Hebreus 9.27 lemos: “E assim como aos homens está ordenado…”.O julgamento não acontece nesta vida. Primeiro vem a morte, depois o juízo.

- Quando transgredimos as leis da natureza sofremos imediatamente = QUANDO COLOCAMOS A MÃO NO FOGO.
- Mas as leis de Deus podem ser aparentemente transgredidas repetidas vezes sem nenhum castigo.

- O homem que blasfema não parece sofrer com isto.

- O homem que rouba parece ter motivos para se vangloriar que vive melhor do que o que não rouba.

- Aquele que vive na impureza pode achar que isso é que é vida. Mas as Escrituras não dizem que toda vez que pecamos Deus envia um anjo com vara de ferro para nos bater.

- A Bíblia diz que Deus marcou um dia em que vai julgar os homens (At 17.31) e eles não vão poder fugir de Deus nem subornar o tribunal de Deus.

- Naquele terrível dia do juízo, eles vão dar conta por cada palavra frívola que proferiram.

- Cada ação está registrada nos livros de Deus.

- Cada pensamento, cada intenção está registrado.

- Naquele dia os livros serão abertos. Será o dia do juízo. Ah! Dia do juízo!!!
- O homem rico não despertou santo. A morte não é uma varinha mágica que algum anjo agita sobre os moribundos, transformando todo o pecado em justiça, varrendo toda maldade, apagando todo o passado e transformando o pecador em filho de Deus.
- As pessoas gostam de crer que tudo vai bem e que todos estarão bem, tão logo morram. Mas o fato persistente é que as identidades não se alteram com a morte. Não foi outro homem que se despertou na eternidade. Foi o mesmo. E despertou para saber que…
a) O inferno é um lugar de tormento – v. 23
b) O inferno é um lugar de onde se vê o gozo do céu – v. 23b
c) O inferno é um lugar onde não há consolo – v. 24,25
d) O inferno é um lugar de onde não se pode sair – v. 26
e) O inferno é um lugar onde o pedido de socorro não é atendido – v. 27
f) O inferno é um lugar de lembranças amargas – v. 27,28
g) O inferno é um lugar de onde não se pode mais ajudar a família – v. 28-30.
- Para este homem já era tarde demais para ajudar a sua família. O desejo estava ali, mas a oportunidade passara para sempre.
- Observem que ele não ignorava o caminho da salvação.

- Ele sabia que seus 5 irmãos precisavam de alguém que lhes falasse acerca da salvação.

- Ele perdera a sua oportunidade e perdera a sua alma e a oportunidade de ajudar a sua família.
- Talvez ele fosse covarde.

- Talvez tivesse medo do que a sua família pudesse pensar caso ele se voltasse para Deus. Mas agora já não tinha mais medo.

- Talvez por causa da sua posição de rico, ele tivesse considerado a crítica dos seus amigos como um preço alto demais para pagar se andasse nos caminhos do Senhor. Mas agora tudo havia acabado. Era tarde demais.
- Não há poder que nos salve depois da morte. A grito TEM MISERICÓRDIA DE MIM obteve uma única resposta: FILHO LEMBRA-TE.

- O abismo fora fixado.

- Os limites estabelecidos.

- O destino determinado.

- O QUE É A ETERNIDADE?

CONCLUSÃO

· Homem não tem de fazer nada para ir para o inferno.

- Com suas virtudes e predicados morais, ele é um pecador perdido. Mesmo sendo religioso e honrado cidadão ele está condenado, se não crer em Jesus.

- Não é preciso roubar, matar, adulterar. Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.
· Para ir para o céu é preciso NASCER DE NOVO. CRER EM CRISTO COMO SENHOR E SALVADOR. (At 4.12; Jo 14.6; Jo 5.24)
Se você morrer agora, para onde vai a sua alma: para o céu ou para o inferno?

Ilustração: O SONHO DE WESLEY: foi ao inferno e ao céu.


Autor: Rev. Hernandes Dias Lopes.

A Cruz de Cristo

A Cruz de Cristo

Texto: Gálatas 6:14

- Quando Jesus Cristo foi morto, tendo sido pregado na cruz, aqueles homens que o crucificaram, pensavam simplesmente que estavam executando um homem que estava “perturbando” o seu estilo de vida.

Eles não perceberam que a cruz fora planejada por Deus desde o início do mundo...

1. Na Cruz Deus Lida com o Pecado.

a) Na cruz Deus estava tratando com o pecado, o sofrimento, e a angústia de todas as pessoas.

b) A aceitação pessoal do que Jesus fez na cruz traz a resposta a todas as nossas necessidades...(Quem somos? O que estamos fazendo aqui? Para aonde vamos?).

c) Deus revela o Seu poder através da cruz de Cristo.(I Cor. 1:18; Rom. 1:16).

d) Deus mostra o seu amor na cruz de Cristo. (Rom. 5:8).

e) Deus removeu as nossas dores na cruz de Cristo. (Is. 53:4).

f) Jesus tomou a punição pelos nossos pecados na cruz de Cristo.(Is. 53:5,6; I Ped.2:24).

2. Temos um Novo Relacionamento com Deus Através da Cruz de Cristo.

a) A cruz tornou possível conhecermos a Deus pessoalmente e experimentarmos o amor, a paz, a alegria e comunhão com o Pai celeste.

b) Tornamo-nos aceitáveis diante de Deus através da cruz. (II Cor. 5:21).

c) Recebemos o perdão dos pecados através da cruz. (Col. 1:13,14; I Jo.2:1,2).

d) Tornamos-nos membros da família de Deus através da cruz. (Heb. 2:11,12; Jo.1,12; Ef. 2:19).

e) Barreiras raciais, sociais são quebradas através da cruz.(Ef.2:13-16).

Ex. os escravos que se tornaram líderes dos seus patrões na Igreja...

3. Há Liberdade Através da Cruz de Cristo

a) A morte de Jesus na cruz foi uma grande vitória para nós.

b) Somos livres de satanás. (Col.2:15; Heb.2:14).

c) Somos livres dos pecados passados. (Jo.8:36;Col.2:13 ).

d) Somos livres dos pecados presentes através da cruz. ( Rom. 6:14).

e) Somos livres das enfermidades na cruz de Cristo. ( Mat. 8:17).

f) Somos livres da maldição através da cruz de Cristo. ( Gal. 3:13; Deut. 28:15-68).

g) Somos livres do julgamento pela cruz de Cristo.( Jo 5:24; 3:18, 36; Heb. 9:26,27).

h) Somos livres da morte eterna através da cruz de Cristo. ( Jo 3:16 e 10:28).

4. O Amor e a Justiça de Encontram na Cruz de Cristo. ( Rom. 5:8-11).

a) A cruz é o lugar onde o amor de Deus e o justo julgamento de Deus se encontram.

b) O seu justo julgamento exigia a penalidade de morte pelo pecado – o derramamento de sangue.

c) O seu amor satisfez as suas próprias exigências, e Jesus, o Filho de Deus, morreu em nosso lugar.

5. A Cruz de Cristo é o Centro da História.

a) A cruz de Cristo é o Ponto Central da existência da humanidade na terra.

b) Desde o momento em que Adão e Eva pecaram já havia sido planejado por Deus que Jesus morreria na cruz. ( I Ped. 1:19,20; Apoc. 13:8).

c) As pessoas salvas do Velho Testamento foram salvas pela fé no Salvador que havia sido prometido por Deus, que viria na Plenitude dos tempos. ( Heb. 11:13; Gal. 4:4).

d) Hoje olhamos para trás, e, crendo no que Jesus fez por nós na cruz, recebemos o perdão dos pecados e uma nova vida... ( Rom. 10:9,10).

- Coloco minha total confiança no que Deus fez por mim quando Jesus morreu na cruz.

- Creio que Ele levou a punição pelo meu pecado. Recebo o perdão que Deus está me oferecendo, e agradeço-lhe pelo relacionamento que isto agora me proporciona com Ele.

- Viverei cada dia neste relacionamento pessoal com Deus e me comprometo a compartilhar esta verdade com outros.


 

http://www.pibmarilia.org.br/

Somente a promessa, não basta!

Somente a promessa, não basta!

Texto: Números 14. 20-31


Introdução: Devemos entender que somente aqueles que crêem nas promessas de Deus é que tomarão posse delas! O povo de Israel embora tivessem uma promessa de Deus, embora tivessem a libertação do Egito: - Eles não criam assim; Eles não se olhavam assim; Eles olhavam os seus corpos marcados pelo chicote e ainda se sentiam escravos.

 

Durante anos eles tinham vivido na escravidão e sua alma ainda estava escravizada. Nos acostumamos com a escravidão e às vezes, mesmo involuntariamente, queremos retornar para ela.
Mesmo tendo a confirmação dos espias enviados à terra prometida. (Nm 13.26)
Mesmo vendo os frutos da terra que emanava leite e mel. (Nm 13.27)
Mesmo vendo a confirmação da promessa eles não criam. (Nm 13.31)


Entre a promessa e a possessão havia um deserto. E é no deserto que se revelam os: murmuradores, críticos, rebeldes, tímidos, incrédulos. O deserto é o lugar onde Deus aprova ou reprova o homem. Nossas atitudes pedem determinar vitória ou derrota: Os 10 espias diziam: A terra é muito boa, mas tem gigantes, é um povo armado, forte, cidades fortificadas. Todos conheciam a realidade, nenhum deles estava imaginando nada, eles sabiam o que tinham visto.


Mas houveram duas atitudes:


1) Mas 2 espias, Josué e Calebe viram a terra como conquistadores. E todo aquele que quer ser vitoriosos precisa entrar em batalha. (Nm 13.24;14.6-8)
2) Mas 10 dos espias tiveram medo apesar da promessa não creram nela, preferiam fugir a luta e voltar ao Egito. Tem gente que prefere o chicote de Faraó (a escravidão do pecado) a enfrentar gigantes. (Nm 13.31; 14.2-4)


Há duas classes de inimigos que podem nos derrotar:


1) Pessoais: medo, incredulidade, auto-estima baixa, incapacidade, rebeldia, avareza.
2) Externos: espíritos territoriais e forças das trevas.
Mas somente podem fazê-lo quando damos brecha, quando o muro que nos cerca tem rachadura.


Conclusão: O povo preferiu dar ouvidos à 10 derrotados, do que à 2 conquistadores.


Aplicação: Deus está chamando homens que ouçam as Suas promessas e que marchem para conquistar e tomar posse da terra. Deus não quer os nossos nomes inclusos na galeria dos derrotados, mas na dos vitoriosos. A autoridade foi dada à igreja e em Cristo Jesus estamos assentados nos lugares celestiais acima de principados e potestades, para dominar sobre todas as coisas. A quem você tem dado ouvidos?

 

Prs. Everton e Zenilda

Alvos determinados - Conquistas certas em Deus

Alvos determinados - Conquistas certas em Deus

Texto: 2 Samuel 23: 11- 12.


Introdução: Começaremos hoje com uma história de um grande general:
Conta-se que em um exército havia um soldado que em meio uma guerra e sobre forte ataque, tomado de medo decidiu abandonar seus companheiros desertando-se e voltou para a base. Chegando a base foi chamado à sala do grande general e apresentando-se, o general lhe perguntou: Qual o seu nome filho? Ele respondeu meio inseguro: Meu nome é Alexandre. O general meio inconformado disse: Não pode ser, pois este é o meu nome e um desertor não é digno de carregar este nome pois eu, ALEXANDRE, O GRANDE nunca deixei o medo entrar em mim e nunca abandonei meus colegas em meio a uma guerra. Sua atitude é vergonhosa para este exército e aqui não tem lugar para covardes. E em uma cerimônia rasgou seu uniforme e o expulsou do seu exército.


QUATRO DECISÕES SÃO IMPORTANTES PARA UMA CONQUISTA:


1- Ser um valente: 2 Tm 1:7 - Deus não nos deu espírito de covardia mas de poder;
a) Acreditar que Deus estará sempre ao teu lado: SAMAR foi um valente. Em sua história ele defende sozinho seu campo de lentilha dos saqueadores (2 Sm 23:11, 12), porque ele acreditava que Deus estava ao seu lado, principalmente nas maiores batalhas.
b) Perseverança e Esperança ao enfrentar obstáculos: A Bíblia diz: “se passares pelo fogo ele não te queimará, se passares pelas águas não te afogarás” (Is 42:2). Esta é a promessa para um valente.


2-Ter metas claras e definidas: Paulo tinha um grande sonho: pregar em Roma e não descansou enquanto não se cumpriu. Mesmo preso atingiu sua meta. E isto era claro na vida dele (2 Tim1:16-17).


Como você deve agir:
a)  Defina suas conquistas no mundo espiritual primeiro e depois no físico.
b)  Suas conquistas são geradas através da sua fé.
c)  É preciso investir tempo, oração, jejum e envolvimento em suas conquistas.
d)  Estabeleça metas para cada conquista a alcançar.

3) – Manter a sua integridade pessoal e normas de éticas elevadas: Trata-se de manter a sua auto-estima sempre alta em DEUS.
a) É necessário que você tenha respeito por si próprio, ter uma forma especial de resolver as situações, sendo sempre sábio, dependendo exclusivamente de Deus.
b) Comece a olhar para você um pouco; como você é uma pessoa linda, Deus te fez assim, você é a pessoa que Deus achou Graça, Ele entendeu que valia a pena e com excelência te gerou. (Sl 139:13-16).
c) Exija qualidade de si mesmo, faça todas coisas com zelo e sua conquista será conservada em excelência.


4) – Entregar o seu caminho a Deus: “Entrega o teu caminho ao Senhor; confia n'Ele, e Ele tudo fará” (Sl 37:5). Deus quer assumir o controle da sua vida, quando você entregar seu caminho a Deus e confiar n'Ele você estará assumindo o equilíbrio novamente de sua vida.
Talvez você ainda não tenha entregado todos os seus caminhos ao Senhor, esta pode ser sua oportunidade, feche teus olhos e faça isto agora.


Conclusão: Suas conquistas serão alcançadas a partir do momento em que Jesus for o dono - SENHOR, de todos seus sonhos e conquistas.

Feche seus olhos e pense agora em um alvo. Imagine uma forma para atingir este alvo. O desejo de Deus é que todos os seus sonhos se realizem pois Ele te criou para conquistar e reinar. Deus te abençoe!

 

Prs. Jair Firme e Ana

Procedimento característico do autêntico cristão

Procedimento característico do autêntico cristão

Texto: 1 Pedro 1.13-22

Texto para memorizar: “Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância”. 1 Pedro 1.14.

 

Introdução: Pelas estatísticas, temos hoje no mundo aproximadamente dois bilhões de cristãos em toda a terra. Porém, ao observarmos os frutos, constatamos que a grande maioria são apenas cristãos nominais. O apostolo Pedro, neste texto, nos orienta sobre procedimentos necessários a uma vida cristã autêntica. Vejamos:

 

1- Obediência a Deus, (v.22 – “Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente”), em lugar da antiga vida de rebelião (v.14 – “Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância”).

 

2- Santidade, separado para o seu serviço (v.15 e 16 – “Pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santo também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo”), em vez de fútil procedimento (v.18 – “sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram”).

 

3- Temor de Deus (2 Coríntios 7.1 – “tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus”), em lugar de indiferença frente ou ante Seu julgamento (v.17 – “Ora, se invocais como Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo as obras de cada um, portai-vos com temor durante o tempo da vossa peregrinação”).

 

4- Amor fraternal genuíno, em lugar de afeição hipócrita (Romanos 12.9,10 – “O amor não seja hipócrita. Detestai o mal, apegando-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros”).

 

Conclusão: “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça” Isaías 59.2 - O Senhor tem nos chamado à santidade, porque sem a mesma, jamais receberemos as benesses do Reino de Deus. A vinda do Senhor está próxima. Andemos como filhos da luz. É uma decisão pessoal, uma questão de atitude.

 

Pr. Roberto Pires Gonçalves

A Oração de Jabez

A Oração de Jabez

Texto: 1 Crônicas 4.9-10


Introdução: Os 9 capítulos iniciais do livro de I Crônicas contêm uma lista com mais de 500 nomes. É genealogia pura. Mas a dádiva do versículo 10 de 1 Crônicas 4 revela-nos que algo parecia estar fora do contexto! Dentro da lista de genealogias, os versos 9 e 10, e principalmente este, fogem inteiramente da lógica sequencial. Com certeza Deus nos quer falar que Jabez fez algo que mereceu um destaque especial. E o que a Palavra mostra que Jabez fez? Ele simplesmente orou e sua oração foi tão especial que mereceu uma quebra na sequência expositiva, pois havia alguma coisa especial nesse homem que foi capaz de levar o autor a interromper sua exposição e dizer: "Este rapaz Jabez está muito acima do resto". E o que ele orou?


1. Oxalá que me abençoes.
Ao clamarmos pela bênção de Deus, estamos pedindo aquilo que não poderíamos conseguir com nosso próprio esforço. Que urgência e entrega pessoal neste apelo! Pai, por favor abençoa-me, sim, abençoa-me, Senhor, e muito! Pv 10:22 diz: "A bênção do Senhor é a base da verdadeira riqueza, pois não traz tristezas nem preocupações."


2. E me alargues as fronteiras.
Não encare fronteiras como simplesmente terras. Jabez ao fazer este pedido, estava clamando por mais e maiores oportunidades para realizar os propósitos de Deus para sua vida. Quando Jabez clamou a Deus "alarga minhas fronteiras", ele pensava: "Eu não nasci para ter só isso". Este clamor engloba aspectos espirituais, materiais, físicos, financeiros, familiares, etc. Este pedido pode ser entendido como um aumentar de oportunidades. Deus sempre intervém quando você coloca as prioridades d'Ele acima das suas.


3. Que seja comigo a Tua mão.
Observe que Jabez não começou sua oração pedindo que a mão de Deus estivesse com ele. Àquela altura, ele ainda não tinha consciência dessa necessidade. As coisas ainda estavam sob o seu controle. Mas quando suas fronteiras começaram a alargar e tarefas proporcionais ao território preparado por Deus começaram a se colocar diante dele, Jabez reconheceu sua pequenez e clamou pela mão de Deus sobre ele. Requerer que a mão de Deus esteja sobre nós é a nossa melhor estratégia.


Conclusão: “E me preserves do mal, para que não me sobrevenha aflição”. Foi assim que Jabez concluiu sua oração. É fato comprovado que o sucesso traz consigo grandes oportunidades de fracasso. Podemos até dizer que ser abençoado é o maior dos perigos, pois tende a reduzir nossa dependência de Deus e nos deixa propensos à arrogância. Após um grande momento de sucesso espiritual, é que necessitamos com urgência do último pedido de Jabez. Fique fora da arena da tentação sempre que for possível, teria dito Jabez, mas nunca viva no temor ou na derrota.

IEADAM

Voltando ao encontro do Pai

Voltando ao encontro do Pai

Texto: Lucas 15:11-24
Com o pecado de Adão, toda a humanidade também se tornou pecadora (cf. Rm 3:23) e, por causa do pecado, o homem se distanciou de Deus. No entanto, a morte de Jesus na cruz possibilitou ao homem a sua reconciliação com o seu criador. O desejo de Deus é que toda a humanidade se reaproxime d'Ele (cf. 1 Tm 2:3-4), abandonando o pecado e vivendo uma vida abundante. A parábola que lemos nos conta a estória de um jovem que se distanciou de seu pai, mas que se arrependeu do erro e voltou para os seus braços. É essa a atitude que Deus espera de nós. Então, vamos aprender com essa parábola o que precisamos fazer para voltarmos a Deus.


1) TEMOS QUE TER CONSCIÊNCIA DE QUE NÃO PODEMOS VIVER LONGE DE DEUS – Vs. 17 – Aquele jovem “caiu em si”. Estava vivendo na miséria enquanto poderia ter tudo o que precisasse na casa de seu pai. Muitas vezes não percebemos as coisas erradas que estamos fazendo. É necessário deixar “cair a ficha” na nossa vida para enxergarmos a realidade em que estamos vivendo - Jesus está lhe chamando para que você se reconcilie com Ele hoje. Pense na vida que você está levando. É assim mesmo que você quer viver? Você tem consciência de que algo precisa ser mudado em sua vida? (texto de apoio: Sl 16:8 e 11).


2) ESTAR AFASTADO DE DEUS DEVE NOS LEVAR A UM INCONFORMISMO – Vs. 17 – Aquele jovem passou grandes privações e sérios desconfortos longe de seu pai. No entanto ele não se conformou em continuar vivendo naquela situação e resolveu voltar para casa.
Se você tem sentido algum desconforto na sua vida é sinal de que você está precisando da presença de Deus. Jesus quer lhe tirar desse desconforto e lhe proporcionar uma vida de bênção e paz. (texto de apoio: Rm 12:2).


3) O ARREPENDIMENTO E UMA FIRME DECISÃO DE MUDANÇA DE VIDA NOS REAPROXIMARÁ DE DEUS – Vs. 18 – Deus não retém o seu perdão diante de um coração quebrantado e arrependido. Arrependimento requer mudança de direção. Precisamos decidir mudar de um caminho de pecado para um caminho que nos levará à presença de Deus - Jesus está lhe propondo um novo e vivo caminho. Ele quer lhe ajudar para que você deixe sua vida de pecados e passe a viver em santidade. (texto de apoio: At 3:19).

4) PRECISAMOS TOMAR A ATITUDE DE IR AO ENCONTRO DE DEUS – Vs. 20 e 22 – Deus nos dá liberdade de escolha. Se a nossa escolha for voltar para Deus, precisamos ter a iniciativa de nos achegarmos até Ele. Ele estará sempre pronto e disposto a nos receber com alegria. Por mais atrativo que possa parecer o mundo, ele só nos trará frustração, ilusão e vazio. Deus não divide sua glória com ninguém e não pode se associar com o pecado. Portanto, não será possível viver “um pouco” com Deus e “um pouco” no mundo - Jesus está lhe dizendo hoje: vinde a mim, vinde a mim.... O seu chamado é constante. Você quer ir ao encontro de Jesus? (texto de apoio: Jo 6:37).


Conclusão: Deus sempre esperou o momento em que nós nos reaproximaríamos d'Ele. Deus marcou um encontro com você nesta noite. Você não veio aqui por acaso. Ele quer te abraçar e lhe dar uma nova vida, cheia de bênção e alegria.
Você deseja entregar sua vida a Jesus hoje?

11/15/2012

Liderando Com a Próxima Geração

Liderando Com a Próxima Geração
Temos que capacitar a próxima geração.

Parece haver um debate interminável sobre o choque cultural entre líderes estabelecidos e líderes emergentes, especialmente no mundo da igreja. (Se esta frase "líder emergente" é nova para você, tente se acostumar).

Algumas das coisas que li faz com que a situação pareça sem esperança. Mas quando eu li a Bíblia, que diz que não há nada de novo sob o sol, eu espero que duas gerações possam trabalhar e liderar juntos.

Paulo e Timóteo. Elias e Eliseu. Moisés e Josué.

E lá estava o rei Saul e Davi, pelo menos por um par de capítulos. Eu sei que nós, geralmente não vemos o rei Saul como um modelo de líder, mas quando em termos de capacitação de líderes da próxima geração há muito a aprender com ele. (Veja 1 Samuel 17:38-40)

Saul deu a Davi sua armadura para lutar contra Golias. A geração de Davi tinha sua própria maneira de lutar contra gigantes - paus, pedras e fundas. Isso estava ok para Saul. Assim, com um pedaço de pau na mão e uma funda na outra, Davi plantou uma pedra na cabeça de Golias.

Eis algumas lições de liderança que, líderes estabelecidos e líderes emergentes devem aprender, se esperam matar os gigantes modernos que zombam nosso Deus:

- Como Saul, que achava que ele estava ajudando e protegendo Davi, líderes estabelecidos muitas vezes forçam sua armadura na próxima geração.

- Como a maioria dos líderes emergentes, Davi não estava confortável lutando com a armadura de Saul.

- Ao contrário de muitos líderes estabelecidos, Saul realmente ouviu as queixas da próxima geração e autorizou Davi a escolher um estilo que lhe era confortável.

- Ao contrário de muitos líderes emergentes, Davi respeitosamente recusou a armadura de Saul. Davi não sarcasticamente zombou e estragou a armadura. Ele simplesmente disse que não estava confortável nele.

A minha geração sabe ensinar e liderar a próxima geração. Se levarmos a sério a alcançar os confins da terra, podemos aprender muito com Saul e Davi sobre como ouvir e liderar com a próxima geração.

O fato é que os líderes emergentes serão líderes estabelecidos mais cedo ou mais tarde, e terão que descobrir como liderar com o próximo grupo de líderes emergentes, que provavelmente vão pensar que o velho modo de fazer igreja é irrelevante e ultrapassado.

Pr. Aldenir Araújo

11/14/2012

Produzindo frutos de excelência

Produzindo frutos de excelência

Texto: Mateus 13:3-9


Introdução: A Palavra de Deus é a semente que quando é lançada em terra boa produz muitos frutos. O que é a terra boa? Um coração cheio de fé. A verdadeira fé leva à prática da Palavra de Deus. Quando lemos e meditamos a Palavra de Deus, a compreendemos no espírito e pela fé a colocamos em prática. Esta palavra produz muitos frutos em nossas vidas.


Vejamos alguns dos frutos produzidos pela prática da Palavra:


1- VITÓRIA SOBRE O PECADO – Sl 119:11 – A Palavra de Deus é um grande recurso para nos auxiliar a viver em santidade. Muitas pessoas lutam com áreas de pecado em sua vida e não prevalecem pelo fato de não dedicarem tempo de leitura e meditação na Palavra de Deus. A medida que fazemos isto é liberado o poder de Deus para nossas vidas, santificando-nos. Ver ainda Jo 17:17 e Sl 119:173.


2- A BÊNÇÃO DE DEUS – Deut. 28:1-8 – A prática da Palavra de Deus desata a bênção de Deus sobre nossas vidas. O que é a bênção de Deus? É a mão de Deus a nosso favor, concedendo vantagens que nos proporcionam felicidade e bem estar. A prática da Palavra de Deus faz com que os nossos inimigos sejam derrotados e que tudo o que pusermos as mãos seja abençoado, pessoas que tocarmos, o trabalho que fizermos, os bens que possuímos, tudo passa a produzir fruto a 100 por 1.


3- PROSPERIDADE – Jos. 1:8 – Meditar na Palavra de Deus, é diferente de ler, de estudar e conhecer a palavra. Meditar na Palavra de Deus é ler e refletir sobre ela, deixando o Espírito Santo trazer revelação do que Deus quer dizer através do texto lido. A promessa de Deus é que aquele que meditar e colocar em prática a Palavra de Deus, atrairá para si a prosperidade e sucesso. E a prosperidade bíblica abrange a vida espiritual, a vida familiar, a saúde e a vida financeira. Você deseja este fruto em sua vida? Então aplique-se à Palavra de Deus.


4- CURA DA ALMA – Sl 19:7 e 119:92 – A Palavra de Deus é verdade e por isto, quando investimos tempo em relacionamento com ela, Deus começa a substituir toda mentira que o diabo diz a nosso respeito pela verdade, o que é que Deus pensa e diz a nosso respeito. Ao meditar na Palavra de Deus, descobrimos o nosso valor, significado e importância. E isto traz cura para nossa alma. Sentimentos de tristeza, depressão, angústia, inferioridade, incapacidade, são destruídos pela ação da Palavra de Deus em nós.


5- NOS FAZ GANHADORES DE VIDAS – At 4:31 – Qual o segredo da grande colheita de vidas que a Igreja de Atos teve? Eles tinham uma vida de oração e compromisso com a Palavra de Deus. Eles estavam cheios do Espírito e da Palavra. É interessante observar que eles pregavam a Palavra de Deus e isto fazia com que multidões se convertessem.


Conclusão - Como você ouviu, para que haja fruto da Palavra de Deus em nossas vidas, é necessário uma terra boa, que é um coração que crê na Palavra de Deus. Hoje é o dia de tomar esta decisão com o Senhor, se comprometendo de meditar mais na Sua Palavra, para que tenha uma vida de qualidade. Ou você gostaria de fazer uma oração entregando seu coração a Jesus pois ainda não o fez?

 

Pra. Maria de Lourdes Effgen Gonçalves

A oração que traz resultados

A oração que traz resultados

Texto: II Crônicas 6:12-31, 7:1-4 e 14


Textos complementares: Lc 11:1, Lc 18:1, I Ts 5:17, Ef 6:18 e Jd 20


Introdução: Há muitas maneiras de orar descritas na palavra do Senhor. No texto que vamos estudar, Salomão, pôs-se de joelhos (v.13), elevou sua voz perante toda a congregação e falou com Deus. Precisamos ter atitude diante do Pai, lançar fora toda covardia e, falar com Deus, independente de quem esteja ouvindo, pois quando oramos, falamos com o Pai e não com os homens.


Como devemos orar:
a) Com submissão e adoração; (v.14a)
b) Lembrando as promessas; (v.14b e v.15)
c) Com súplica. (v.21a)


Quando devemos orar:
a) Quando pecarmos contra o próximo; (v.22)
b) Quando formos feridos por ter pecado; (v.24)
c) Quando os céus estiverem fechados, não houver chuva e mantimento. (v.26,28)
d) Sem cessar. (I Ts 5:17)


Os benefícios da oração:
a) Traz justiça a nossa causa; (v.23)
b) Traz perdão aos nossos pecados; (v.25)
c) Ensina o bom caminho, dá chuva e mantimento a cada um segundo o seu coração.


O que Deus faz mediante a oração: (II Cr 7:1-4)
a) Manifesta-se com fogo, recebendo o sacrifício; (v.1)
b) Enche o lugar com a sua presença de maneira que ninguém mais consiga entrar, tamanha é a sua Glória;(v.2)
c) Traz rendição e quebrantamento.(v.3)


Aplicação: Prostre-se hoje mesmo diante deste Deus que é único, e busque-o em adoração, oração e suplica; e Ele certamente responderá. Se ainda não sabe o que é ter a presença deste Deus tão maravilhoso na sua vida. Receba-O hoje mesmo como Seu Único Senhor e Salvador, e, desfrute do Seu imenso Amor.


Conclusão: Quando buscamos a Face do Nosso Deus em oração, alcançamos a misericórdia DELE, e, somos nós os beneficiados. Lembre-se: “Se o Meu povo, que se chama pelo Meu Nome, se humilhar, e orar, e buscar a Minha Face, e se converter dos seus maus caminhos, então Eu ouvirei dos céus, e Perdoarei os seus pecados, e Sararei a sua terra.” II Cr. 7:14

 

Marcia Lembrance Morello

A avareza destrói o homem

A avareza destrói o homem

Texto: “Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus” (1Co 6.10)


Introdução: A avareza é filha do egoísmo. É idolatria (Cl 3:5; Ef 5:5; Mt 6:24) e o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males: mentiras, enganos, subornos, injustiças, roubos, rixas, inimizades (I Tm 6:6-10). A cobiça é o desejo desordenado de possuir coisas e riquezas com o fim de satisfazer as exigências da vida (Mt 13:22).
Os avarentos não podem herdar o reino de Deus (ICo 6:10). A publicidade e a propaganda comercial apelam constantemente e exploram a cobiça do coração do homem (IJo 2:16-17).


Podemos dizer que a avareza:
a) Impede o homem de usar com tranqüilidade, com liberdade e com alegria, os bens que possui (Ec 1:3-10).
b) Faz o homem duro e insensível para com seus semelhantes (1Sm 25:10-11).
c) Converte o homem em escravo do dinheiro (Mt 6:24).
d) Faz o homem cair em idolatria (Ef 5:5).
e) Faz o homem suscetível aos subornos na administração da justiça (Ex 18:21; Sl 15:5).
f) Leva o homem a trair os seus e a oprimir aos débeis (Pv 30:14).
g) Leva o homem a reter ou atrasar os pagamentos de seus assalariados (Tg 5:1-5).
h) Paulo coloca a avareza no mesmo nível da idolatria (Cl 3:5).


Por tudo isso Deus reprova aos avarentos.
Veja os casos de Acã (Js 7); Nabal (ISm 25); Geazi (2Rs 5:20-27); Judas (João 12:6; Mt 26:14-16); Ananias e Safira (Atos 5:1-11).


A palavra de Deus nos orienta que: Trabalhemos (1Ts 4:11-12); prosperemos (3João 2); honradamente (1Tm 3:3); não para acumular tesouros sobre a terra (Mt 6:19-21; Lc 12:32-34); mas para termos o necessário (1Tm 6:6-10; 1Ts 4: 11-12); para termos com que ajudar os necessitados (Ef 4:28; I Tm 6:17; I Cor 16:1-2; At 20:35); nunca pondo os nossos interesses acima do Reino de Deus (Mt 6:19-34).


Conclusão: Não deixemos que a avareza e a idolatria tomem lugar em nossos corações, para isso precisamos guardar três princípios:
- Jesus é o dono e Senhor de tudo o que possuímos (Sl 24.1; Fl 2:11; Atos 4:32; Lc 14:33).
- A vida do homem não consiste no que ele possui (Mt 4:4; Lc 12:15).
- É melhor dar do que receber (Atos 20:35).

 

Pr. Adonias Rodrigues

Você tem sede de Deus?

Você tem sede de Deus?

Texto: Isaias 43.18-19 e 44.3-5
Introdução:
No mundo tão conturbado de hoje, cada vez mais pessoas, vivem de expectativas passadas. Há dificuldade cada dia maior de construirmos algo novo, nos leva a viver de recordações.


Muitos vivem das Glorias pessoais passadas:
Quando eu tinha... Quando eu fiz... Quando eu era jovem... Quando eu te conheci... No meu tempo... (como se o já estivesse morto e esse não fosse mais o seu tempo)


Muitos vivem das Glorias espirituais passadas:
Um dia eu pedi ao Senhor uma benção e ele me concedeu. Eu já tive um problema e coloquei nas mãos do Senhor e Ele entrou com providência. É Deus já meu usou e eu...


Muitos vivem também de um passado de: SOFRIMENTO, LUTAS, TRAGÉDIA, DORES, DECEPÇÕES, FRUSTRAÇÕES...
Que marcaram tanto a ponto de fazer com que estas pessoas MANTENHAM O PASSADO VIVO NO PRESENTE!
Mas Deus nos fala: “Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas.” (IS 43:18) Boas ou más, alegres ou tristes... JÁ PASSARAM !!! Chega de viver se alimentando destas migalhas, muitas vezes cheias de mofo que amargam a sua vida....CHEGA!!!


1. DEUS QUER TE DAR UMA NOVA EXPECTATIVA DE VIDA
Eis que faço uma coisa nova (Is 43.19). O que você quer que o Senhor faça novo em sua vida? Qual o milagre que você precisa experimentar? Deus está aqui para cumprir a sua Palavra: “Como pensei, assim sucederá, e como determinei, assim se efetuará." (Is 14:24). Qual a benção que você quer que o Senhor determine hoje em sua vida? (Is 48:6)"Já o tens ouvido; olha bem para tudo isto; porventura não o anunciareis? Desde agora te faço ouvir coisas novas e ocultas, e que nunca conheceste."
Ela já está para acontecer: agora sairá à luz (Is 43.19). Você está aqui para ser abençoado...CREIA!!!
Não importa se sua vida esta difícil – Ele fará um novo caminho pra você passar.
Se você já está: cansado, esgotado, nada do que faz te leva a lugar nenhum. Se você se sente no deserto... saiba que: O DESERTO É LUGAR DE BENÇÃO! Eis que porei um caminho no deserto, e rios no ermo."(Is 43:19). Deus fará um rio correr em seu coração e o tornará pronto pra receber uma nova vida de vitórias.

2. MAS PARA ISSO É PRECISO TER SEDE
A Bíblia nos diz que Ele está pronto para: “derramar água sobre o sedento, e rios sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade, e a minha bênção sobre os teus descendentes.” (Is 44:3) Quem não tem sede deita-se ao lado do riacho e não bebe dele. Mas quem tem sede é capaz de buscar o rio até encontrar, ele não desiste... ele sabe que DEUS O GUIARÁ A ÁGUAS PROFUNDAS... E LÁ ELE SACIARÁ SUA SEDE.
Quando permitimos que o Senhor derrame do Seu Espírito sobre nós, tudo se transforma:

a) a terra seca torna-se produtiva;
b) as feridas do coração são fechadas;
c) a angústia da incerteza é aniquilada;
d) coloca glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado (Is 61.3).

DEIXE QUE DEUS DERRAME DE SEU ESPÍRITO SOBRE VOCÊ HOJE!


Conclusão:
Se você está sedento de Deus, hoje Ele vai saciar sua sede... você será tão abençoado que terá alegria de declarar : Eu sou do Senhor!
Por que o Senhor mesmo nos afirma:
(Jo 7:37) "E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba."
(Mt 5:6) "Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;"
(Is 55:1) "Ó vós, todos os que tendes sede, vinde às águas,
(Ap 22:17 c) "E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida."


SE VOCÊ ESTÁ SEDENTO VENHA BEBER... DO ESPÍRITO DE DEUS... DA ÁGUA DA VIDA...

 

Prs. Everton e Zenilda

Unidade através da Adoração

Unidade através da Adoração

Texto: 2 Cr 5:13; At 2:42
Introdução: A palavra de Deus nos leva a ter uma vida de adoração constante, mas não se pode ter uma vida de adoração se eu não amar o meu irmão à ponto de dar a vida por ele (1 Jo 3:16). Prepare-se para viver a junção entre a unidade e a adoração e levante-se para a conquista de glória em glória de suas vitórias.
1- UNIDADE (Sl 133:1-2)
• A unidade alegra o coração de DEUS e produz um ambiente de unção.
• Não podemos desfrutar de um momento de unção se estamos indiferentes com nosso irmão. (I João 4: 20)
• A unidade promove a glória de DEUS e atrai a prosperidade entre os irmãos. (At 2: 46-47)
• A unidade produz a unção necessária. É como óleo que desce sobre nossas vidas, nos ungindo por completo e assim nos guardando (Sl.133:2).
2- ADORAÇÃO (Sl 29:2)
Quando mantemos uma vida de adoração constante começamos a perceber o crescimento de relacionamento uns com os outros gerando unidade através da adoração. O projeto de DEUS é unir todo seu corpo para que juntos adorem seu Santo nome.
• A adoração nos leva a ter um só pensamento.
• Um só pensamento atrai a glória de DEUS (II Cr 5:13)
• A adoração nos traz a revelação de que o reino de DEUS consiste em amar ao meu próximo como a mim mesmo (Lv 19:18)
• A verdadeira adoração nos leva a agradar o nosso próximo e a entender que somos edificados. (Rm 15:2)
Conclusão: Quando adoramos atraímos uma atmosfera de glória onde quer que se adore. Mas precisamos sempre buscar estar bem com nossos irmãos, afinal dois mandamentos precisam estar bem presentes em nossos corações:
“Amarás o Senhor teu DEUS de todo coração... e ao seu próximo como a si mesmo” (Mc 12:30-31).

 

Prs. Jair Firme e Ana

Motivação na Mordomia

Motivação na Mordomia

Texto: Atos 4.32-37

Texto para memorizar: “Da multidão dos que creram, uma era a mente e um o coração. Ninguém considerava unicamente sua coisa alguma que possuísse, mas compartilhavam tudo o que tinham” Atos 4.32
Introdução: A doutrina da mordomia é bela, bíblica, é edificante, e faz parte da vida cristã. De uma maneira singela e devocional, vamos falar um pouco sobre alguns motivos que devem nos levar à prática do dízimo e da contribuição.
1 – Gratidão
– É necessário ter um coração agradecido a Deus (Sl 103.3; 116.12; 126.3; Lc 17.11-19)
– Gratidão à igreja, aos pastores, aos líderes (Gl 6.9; 1 Ts 5.12)
– Essa gratidão envolve a entrega de amor, relacionamentos, dons, talentos, influência, bens
– “Morri na cruz por ti, que fazes tu por mim?” Quando olhamos a cruz, nos sentimos constrangidos a entregar tudo em gratidão por tudo o que Ele tem feito. O dízimo e as ofertas não são obrigatórios, forçados; elas nascem como fruto de um coração agradecido (2 Co 9.6-7).
2 – Visão
– A visão é de Jesus (Jo 4.35; Mt 9.36)
– O mundo nos mostra homens de visão. Grandes empresários montaram suas empresas com visão
– As igrejas e ministérios demonstram visão pelas várias áreas em que atuam: células, encontros, louvor, missões, assistência social...
– A visão desperta em nós desprendimento, a alegria da contribuição. Só quem tem uma visão ampla contribui com generosidade. Por isso precisamos pedir a Deus que abra os nossos olhos e quebrante os nossos corações

3 – Fidelidade
– Deus é um Deus fiel. “Tu és fiel, Senhor”. Será que temos sido fiéis da mesma forma como Deus é fiel a nós?
– Na maioria da vezes as pessoas com os menores rendimentos, na casa do Senhor, são as que são mais fiéis. Por que será? (Mt 6.24).
– Levitas, líderes de células, líderes de ministérios, empresários, profissionais liberais, estudantes, idosos, jovens têm sido fiéis na contribuição? “Sê fiel”, disse Jesus (Ap 2.10)
4 – Anulação do devorador
– O inimigo é o que rouba (Jo 10.10)
– O inimigo também acusa (Ap 12.9-10; Jó 1)
– Creio que, quando um cristão é infiel nas contribuições, o inimigo toma isto como um argumento e vai a Deus dizer: Veja só o que aquele seu filho está fazendo com o Seu dinheiro! Sabemos que tudo pertence a Deus (Sl 24.1)
– No reino espiritual precisamos tapar a boca de satanás, e só podemos fazer isto, através da fidelidade, que é marca de um povo santo diante do Senhor
– Deus promete que vai repreender o devorador para que ele não destrua o fruto da terra (Ml 3.8-12)
5 – Criar condições para maiores bênçãos
– Quanto mais o homem dá (semeia), mais ele recebe (colhe) – veja os princípios: (Pv 11.24-26; Lc 6.38; 2Co 9.1-10)
– Não devemos contribuir na forma de um negócio com Deus. Quantos estão contribuindo com a intenção de serem abençoados! Não deve ser essa a motivação do coração
– Todavia, sabemos que Deus é fiel e não deixará de abençoar aqueles que são fiéis: “porque fostes fiel no pouco, sobre o muito te colocarei” (Mt 25.21)
Conclusão: Chegou o tempo da decisão que está escrita em Mt 6.24 que diz: “Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro (Mamon)”.

 

Estudo transcrito e adaptado do Pr. Messias Anacleto Rosa

Jesus, nosso exemplo na oração

Jesus, nosso exemplo na oração

Texto: Mateus 14.23; 26.36-44; Marcos 6.46


Introdução: Jesus, mesmo sendo o Filho de Deus passou grande parte de sua vida na terra conversando com o Pai, demonstrando a necessidade que temos de estarmos em contato com Deus em oração, dependente d'Ele em tudo. Davi e Daniel também eram homens que oravam três vezes ao dia.


I. Sua vida demonstra que o verdadeiro filho:
1. Tem prazer em estar na presença do Pai (Mc 6.46);
2. Valoriza o espiritual mais que o material
3. Que a oração é prioritária na tomada de decisões referente a Obra de Deus – exemplos de Jesus:

- No início de Seu Ministério (Lc 4.1-11);
- Na escolha dos Apóstolos (Lc 6.12-16);
- Na oração sacerdotal (Jo 17.1-2).

 

II. A vida de oração de Jesus demonstra o que Deus pode realizar através daqueles que o buscam.
- Sinais e maravilhas (At 4.23-31);
- Uma intimidade mais profunda com Ele;
- Uma Reunião avivada (At 10.44).


Conclusão: Precisamos entender que se queremos resultados, devemos buscar a presença e ação daquele que realmente pode fazer, Jesus.
Uma ótima reunião, dependerá do tempo que passamos na presença de Deus.
Só podemos levar outros a níveis que atingimos.

Removendo e Espírito de Ananias e Safira

Removendo e Espírito de Ananias e Safira

Texto: Atos 5.1-16
No capítulo 4 do Livro de Atos, lemos uma narrativa tremenda acerca da igreja primitiva: TODOS TINHAM UM SÓ CORAÇÃO, UM SÓ PENSAMENTO, UMA SÓ MENTE. O SENHOR FAZIA MILAGRES, SINAIS E PRODÍGIOS POR MEIO DOS APÓSTOLOS.
Atos 4:32 diz que existia uma multidão que cria, que acreditava, que recebia, que tinha generosidade; era uma geração benévola. A Igreja estava descobrindo a sua prosperidade e, nessa rota, começou a crescer e ficar rica. Não havia necessidade alguma entre os fiéis.

Benevolência e generosidade: características do homem próspero

A Igreja primitiva ficou rica e não havia dentre eles nenhum necessitado. Isso foi possível porque aquela geração foi generosa e benévola. Os ricos repartiam seus bens e supriam os necessitados. E, aqueles que tinham pouco eram fiéis no pouco que tinham e o Senhor os colocava sobre o muito (Mt 25:21). Se você quiser entrar no muito do Senhor, honre-o no pouco. Muitas vezes as pessoas dizem que não ofertam ou não ajudam alguém porque têm pouco, mas precisam aprender a serem fiéis no pouco para adquirirem muito. A Igreja de Jesus nasceu com um caráter generoso, benévolo e fiel e por isso zerou a necessidade do povo.
Benevolência e generosidade fazem parte do currículo de quem quer ser próspero. A pessoa benévola é alguém que tem a graça e a pessoa generosa tem misericórdia e socorro. A Igreja nasceu e a sua necessidade no início era sinais, milagres, prodígios e maravilhas. Isso era o que a Igreja queria. Mas, Deus lhes deu muito mais. O Senhor lhes deu riquezas que cada fiel soube administrar e repartir. Vemos essa verdade personificada numa pessoa chamada Barnabé ou José da consolação. A Igreja começou a ser consolada, pois não havia entre o povo u necessitado sequer.

Infidelidade: a arma do inimigo

A igreja primitiva crescia em todos os níveis, porém Satanás entrou no contra-ataque e pegou numa equipe pessoas conhecidas dos apóstolos para minarem a essência do sagrado, para contaminarem os dízimos e as ofertas que estavam sendo trazidas. O Espírito Santo disse a Pedro: Ananias e Safira mentem a ti (At 5:3). Era tanta oferta que Pedro poderia apenas admoestar o casal. Quando alguém rouba a Deus, quem denuncia? O Espírito Santo. O Espírito Santo não quer um templo sujo e o que mantém o templo limpo é a fidelidade. O nosso templo só ficará limpo pela fidelidade. Você é dizimista? Você é ofertante? Não adianta mentir, pois o Espírito Santo lhe conhece.


Nesse contexto, Ananias personificava a infidelidade. Ao mesmo tempo em que existia José da Consolação que personificava a igreja generosa, benévola, dos milagres, existia Ananias, a personificação da infidelidade. O capítulo 4 de Atos fala das vitórias, e o capítulo 5 fala do contra-ataque. Satanás sempre trabalhará para fazer com que você minta acerca dos dízimos e das ofertas, que não lhe pertencem, mas pertencem ao Senhor. O inimigo vai tentar lhe enganar, porque se ele conseguir fazer com que você não entregue o dízimo, ou entregue apenas uma parte - o que não adianta - ele estará lhe prendendo na infidelidade.
Se você financia um carro em 12 vezes e diz que vai pagar apenas a primeira, a quinta, a décima e a décima segunda prestações, você não pode dizer que quitou o seu carro. Nesse momento, já haverá oficial de justiça atrás de você.


Você pode enganar ao líder de célula, a quem quer que seja, mas no céu, só existem duas definições: ou é fiel, ou é ladrão (Ml. 3:7-8). E, lugar de ladrão é na cadeia. É por isso que muitas pessoas vivem em prisões. Mas, o livro de Naum nos diz que o Senhor será uma fortaleza no dia da angústia, romperá nossas cadeias e não sofreremos a mesma angústia duas vezes (Na 1.7). Mas, para sair da prisão, é preciso pagar a fiança. Nesse caso, pagar a fiança é se reconciliar com a fidelidade, para que a escrita "ladrão" que está nos céus da cabeça do infiel, seja apagada.

Morte: resultado da infidelidade

O resultado do espírito de Ananias é a morte. A Bíblia não diz que Ananias morreu porque não entregou o dízimo e a oferta, mas porque mentiu ao Espírito Santo. Muitos de nós fazemos algumas coisas e, cinicamente, mentimos ao Espírito Santo, porque o nosso coração ainda não é liberto. Precisamos honrar o Espírito Santo. Quando não entregamos o dízimo e a oferta, estamos mentindo ao Espírito e não ao nosso líder.
O infiel morre e o cúmplice também. Mas, quem enche de dúvida o coração do dizimista? SATANÁS. Proponha no seu coração não mentir a Deus, não mentir ao Espírito e não ser cúmplice de ladrões. Só o diabo trabalha para alguém não ser dizimista, porque ele sabe que o dizimista é uma ameaça para o inferno, é prejuízo para o reino das trevas.
O inimigo encheu o coração de Ananias e Safira para fazer nascer uma geração de enganadores. Se, na época, a comunidade absorvesse o exemplo de Ananias e Safira, entraria, em toda a história da Igreja, o espírito de engano maligno para deixar a igreja pobre. Mas, pelo contrário, quando eles mentiram ao Espírito Santo, toda a comunidade viu a consequência deste pecado, e entrou o temor de Deus. Isso ficou registrado para que a igreja de Jesus não permitisse que o coração se enchesse do conselho do diabo.

Fidelidade: marca do filho legítimo

A dúvida, o medo e a insegurança são espíritos malignos, conselheiros do inferno na nossa audição para tentar nos tirar do propósito de Deus. Porém, o nosso ouvido está selado para receber a palavra de fé, porque "A FÉ VEM PELO OUVIR, E O OUVIR PELA PALAVRA DE CRISTO" (Rm. 10:7). Os seus ouvidos devem ouvir a Palavra de Cristo, palavras ungidas, palavra de fé, de ânimo, de libertação, de zelo, de benevolência.
Assim como o Espírito Santo ministrou consolação pela fidelidade, satanás queria trazer angústia pela infidelidade. Mas, prevaleceu o Espírito Santo do Senhor. Satanás não tem direito de encher o seu coração de engano. Dê um basta nisso! Sele a fidelidade do Senhor no seu coração.


Peça perdão ao Espírito Santo por ter pecado e por ter seguido o conselho do inimigo. Declare que você é fiel e aja como um filho legítimo. Decida não fazer história com Ananias e Safira, decida ser fiel e não ser cúmplice do pecado. Una seu coração à fidelidade, aos sinais, prodígios e maravilhas, para que a consolação venha para a igreja, juntamente com a benevolência e a generosidade.

 

Ap. Renê Terra Nova

Perseverança

Perseverança

Texto: Atos 2.42-47
Texto Complementar: “Portanto, meus amados irmãos, mantenham-se firmes, e que nada os abale. Sejam sempre dedicados à obra do Senhor, pois vocês sabem que, no Senhor, o trabalho de vocês não será inútil” 1 Coríntios 15.58
Introdução: Levar os discípulos da célula ao conhecimento do aspecto da perseverança da igreja primitiva, aplicando-a aos nossos dias.
1) O que mais precisamos para vencer as nossas lutas e atingirmos os nossos alvos nos dias de hoje, é do fator chamado: PERSEVERANÇA.
2) O que é perseverança? Perseverança é conservar-se firme e constante, permanecer sem mudar de intento, persistência etc. Hebreus 10.35,36
3) A igreja primitiva perseverava:
a) Na doutrina dos apóstolos (Palavra de Deus) v.42
b) No partir do pão e na comunhão (unidade do corpo de Cristo).
c) Nas orações (intimidade com Deus).
d) Na beneficência (assistência social). v.44,45
e) No envolvimento ministerial. v.46
f) No louvor e adoração. v.47
4) Perseverança traz paz e esperança. Rm 5.1-5
5) Perseverança também implica no fato de andarmos no Espírito e não na carne. Gl 5.16,17; 2 Co 7.1.
Conclusão: Fomos chamados para vencer, o Pai está conosco e nos conduzirá sempre em triunfo em Cristo Jesus. Levantemos e vivamos a palavra de Deus, perseveremos nele, e retenhamos inabalável a confissão da esperança, porque Ele é fiel para conosco.

Pr. Paulo César Martins

5 Atitudes para ter a Mentalidade do Reino

5 Atitudes para ter a Mentalidade do Reino

Textos: Mateus 6.33 - “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.”
Introdução: Somos participantes de um reino, “O Reino de Deus”, e na maioria das vezes não sabemos com funciona e quais são as características deste reino.
Analise a oração que Jesus nos ensinou, em Mateus 6.9-13 - “Pai nosso, que estás nos céus! Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade assim na terra como no céu. Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia. Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixe cair em tentação, mas livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém.
Como ter a mentalidade deste reino?
Veremos cinco atitudes para ter a mentalidade do reino.
1 – Pense grande
Mentalidade grande – O Reino de Deus é grandioso
– Dez espias tinham mentalidade pequena e dois uma grande mentalidade (Nm 13.25-33)
– Deus transicionou a mentalidade de Abraão (Gn 15.5)
– Pedro teve mais preocupação com a tenda do que a presença de Deus (Mc 9.5)
2 – Pense como “um”
Unidade – O Reino de Deus é de paz e unidade
– O maior precisa ser servo do menor - “... interrogou os discípulos: de que é que discorríeis pelo caminho? Mas eles guardaram silêncio, porque, pelo caminho, haviam discutido entre si sobre quem era o maior” (Mc 9.33-34)
– Não existe impossível para os que tem a mesma linguagem (Gn 11.6)
– Reino dividido não subsiste (Lc 11.17)
3 – Pense na eternidade
Pensar naquilo que é importante e eterno
– Necessário resistir o pecado até o sangue (Hb 12.4)
– Se a tua mão te faz tropeçar, corte-a ... (Mc 9.43-44)
– Se o teu pé te faz tropeçar, corta-o ... (Mc 9.45-46)
– E, se um dos teus olhos te faz tropeçar, arranca-o ... (Mc 9.47-48)
4 – Pense na cruz
Renúncia do ego, do reino pessoal e das preferências pessoais
– O jovem rico rejeitou o reino por aquilo que é transitório (Mc 10.17-22)
– É necessário morrer para o mundo para viver para Deus
– O grão de trigo precisa morrer (João 12.24-25)
5 – Pense de uma maneira próspera
O Reino de Deus é um reino de abundância e qualidade de vida
– Tenha idéias de prosperidade, seja criativo
– O nosso Deus é criativo
– Rejeite pensamentos de miséria
– Somos o resultado do que pensamos (Pv 23.7)
– Aplique os princípios da semeadura (Lc 6.38).
Conclusão: Precisamos pensar, viver aqui os princípios que norteiam o nosso país de origem, o céu. Jesus nos instruiu a viver uma vida abundante que é a característica do Reino.

Passos para uma vida segura e próspera

Passos para uma vida segura e próspera

Texto Bíblico: Salmo 37.1-7
Introdução - Todos nós queremos viver em segurança bem como almejamos uma vida próspera. Este Salmo nos apresenta alguns passos importantes para a concretização no nosso ideal. Atentemos para o seu ensino. Vejamos o que é necessário para uma vida plena da presença divina.
1. Confiança - “Confia no SENHOR e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade.” (Salmos 37:3 RA)
Algumas pessoas depositam sua fé em coisas que não são dignas de confiança. Uns se firmam no dinheiro ou nos bens que possuem; outros, em sua própria sabedoria e habilidades pessoais; e ainda outros, confiam na sorte ou em poderes espirituais alheios à realidade terrena. Mas a nossa confiança deve ser totalmente depositada no Senhor. Quando deixamos Deus guiar nossos passos e cuidar das nossas questões cotidianas, começamos a aprender o quanto Ele nos ama e quer nos ajudar. n'Ele está o poder para fazer acontecer todas as coisas de que necessitamos e somente Ele pode levantar pessoas, recursos e possibilidades que ajam em nosso favor quando nos estribamos somente n'Ele.
A consequência de se confiar no Senhor se revela na tranquilidade de se poder habitar na terra sem receio de que mal lhe possa fazer o homem perverso, ou qualquer outra situação potencialmente ameaçadora. Seu alimento será a verdade descrita na Palavra de Deus que promete segurança, paz e prosperidade aos seus filhos, em vez de fracasso, dor ou derrota.
Você tem confiado em Deus de todo o seu coração mesmo em situações de tribulação? Do que você tem se alimentado: de pensamentos de fracasso, de inveja, de medo, ou de fé no que a Palavra tem lhe prometido?
2. Deleite - “Agrada-te do SENHOR, e ele satisfará os desejos do teu coração.” (Salmos 37:4 RA)
Quando deixamos de olhar para as coisas que antigamente nos serviam de apoio e de segurança, e passamos a fitar nossos olhos somente em Deus, algo de maravilhoso acontece. Nossos ídolos caem por terra e passamos a adorar de verdade somente ao Senhor. Entramos, então, na fase do deleite n'Ele; ou seja, somente Ele agradará verdadeiramente o nosso coração. No passado não tínhamos prazer de estar na igreja ou de ler a Bíblia, e muito menos, de orar, porque nosso deleite repousava em outras coisas. Mas agora, nosso deleite está n'Ele e a vida não tem mais sentido sem a doce manifestação da Sua graça.
A consequência de se agradar do Senhor e de se deleitar n'Ele é a satisfação dos desejos do nosso coração. Ao contrário do que muitos pensam, servir a Deus não nos traz prejuízos nem torna a nossa vida enfadonha e sem graça. Os desejos mais profundos do nosso íntimo serão satisfeitos, porque não desejaremos mais a mera satisfação da carne através do pecado, mas a nossa inclinação será para coisas boas, louváveis e edificadoras, as quais Deus tem prazer em nos conceder.
Tenha o seu prazer em Deus. Purifique seu coração de qualquer desejo mau, e espere com fé a realização de todos os sonhos internos que estejam em linha com o que a Palavra de Deus promete para você e para a sua casa.

3. Entrega - “Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará.” (Salmos 37:5 RA)
A entrega é de fundamental importância. Deus não pode cuidar de algo que não esteja nas mãos d'Ele. Enquanto estamos ansiosos na tentativa de controlar nossa própria vida, o Senhor, por ser sempre respeitoso, nunca invadirá um território que não Lhe foi permitido entrar. Nós precisamos, de coração, entregar o controle absoluto de tudo o que temos e somos nas mãos d'Ele, e assim, desfrutaremos do benefício do Seu governo sobre nós.
A consequência de se entregar o caminho a Deus e confiar n'Ele, é que Ele fará tudo o que for necessário para o nosso bem-estar. Deus trabalha enquanto descansamos. Como na parábola seguinte: “O reino de Deus é assim como se um homem lançasse a semente à terra; depois, dormisse e se levantasse, de noite e de dia, e a semente germinasse e crescesse, não sabendo ele como.” (Mc.4:26-27)
Determine-se a entregar ao Senhor tudo o que ainda se encontra sob sua guarda. Ore entregando sua família, seu trabalho, seu ministério, suas preocupações, e tudo o que deve estar sob a guarda do Senhor, somente.
4. Descanso - “Descansa no SENHOR e espera nele... (Salmos 37:7 RA)
O descanso é a consequência natural de um cuidado entregue nas mãos de Deus. Quando verdadeiramente entregamos então podemos descansar. Quando entregamos apenas por “palavras” e não em verdade, enganamo-nos a nós mesmos e continuamos ansiosos. O descanso, porém, é uma evidência de que nossa entrega foi genuína, em fé. Quando Deus sabe que algo foi colocado realmente em suas mãos, então, como responsável que é, não nos deixará decepcionados; antes, agirá em nosso favor trazendo-nos Sua bênção.
A consequência do genuíno descanso em Deus encontra-se na paz de Cristo que passa a dominar todos os nossos pensamentos e todo o nosso coração (Fp.4:7).
Adquira o hábito de descansar em Deus toda vez que você fizer uma oração de entrega. Não tome de volta para si o problema já colocado nas mãos de Deus. Creia que Ele está no controle e tudo governa a seu favor.

 

PR. WILSON MAIA DOS SANTOS

A presença de Deus

A presença de Deus

Texto: Hebreus 10.19-25


Introdução: Compreender que estar e entrar na presença de Deus é um privilégio para nós.
Muitas pessoas tem tido dificuldade para desfrutar dessa doce presença continuamente, por serem tímidos e não reconhecerem ou não entenderem o sacrifício de Jesus na cruz. Essas pessoas ainda não encontraram sua identidade em Cristo. Estão presas ao natural, preocupadas somente com as coisas materiais, esquecendo-se de quem são em Cristo.


1) Deus anseia que entremos em sua presença (Tg 4.5-10), mas muitos porém, ficam olhando suas fraquezas e debilidades, achando-se incapazes, desejando entrar mas não encontram a maneira certa.


2) Deus nos diz em sua palavra que, são nas nossas fraquezas que Ele nos aperfeiçoa. O que temos que aprender é deixar tudo em suas mãos, deixando que Ele nos trate, para desfrutarmos da sua presença. (Sl 37.5).


3) A maneira correta de desfrutar completamente dessa presença, está em Hb 10.22-25. Aí está a chave da vitória, permanecer firme, pois aquele que prometeu é fiel em cumprir.


Conclusão:
a) Muitos ainda estão presos, atados, porque estão tendo dificuldade em morrer para a velha natureza. Isto exige renúncia, pois quando entramos na presença de Deus, o pecado já não tem mais graça. Cl 3.5-10.

b) Viva na dependência do Senhor entregando tudo a Ele, buscando-o de todo o coração, pois assim, você verá a Deus e desfrutará de sua doce presença. Mt 5.8.

 

Pr. Paulo Cézar Martins

A maior coragem que o cristão deve ter

A maior coragem que o cristão deve ter

Introdução: Deus nos chamou para sermos corajosos, desde o Éden Ele nos vê como homens e mulheres corajosos, nos deu funções e tarefas só dadas a valentes: “Gn 1.28: E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.”

Muitas outras vezes Deus nos fala sobre sermos corajosos e ousados: 2 Tm 1:7 Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação. At 4:31 Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus. Portanto Deus nos vê e nos quer como filhos corajosos, porque Ele sabe que para sermos cristãos verdadeiros, precisamos ter coragem.

A coragem na vida cristã deve ocorrer em todas as áreas em especial quando somos tentados, com tentações de todos os tipos. O difícil é ter coragem para resistir a tentação. Muitos não conseguem e se declaram incapazes de vencê-las. Mas Deus nos diz: 1 Co 10:13 Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar. E mais, que a origem de nossas tentações são as nossas próprias cobiças: Tg 1:14 Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Veja como podemos resistir as tentações:
1º. Ter coragem de identificar nossas fraquezas espirituais - Isso é complicado porque temos uma tendência de tentar sepultá-las, no profundo de nossas almas. Se formos perguntados: “qual seu defeito?”... pensamos, ficamos sem graça e dizemos: “meu principal defeito é ser bom...” Ser bom é qualidade! Na verdade não conseguimos nos expor e dissimulamos!
2º. A Bíblia esta cheia de exemplos de homens que tinham fraquezas - Ex 2.11, revela uma fraqueza de Moises., a ira, que o acompanhou até mesmo quando conduzia o povo pelo deserto (sua ira o levou a quebrar as tábuas dos mandamentos escritas pelo próprio Deus). 1 Reis 19.1: Elias no verso 5 mostra sua fraqueza a depressão. Após uma grande vitória ele foge por medo. O grande profeta reduzido a um deprimido pela fraqueza. Gn 27.30: Jacó com sua fraqueza de ser enganador, desestabilizou toda a sua família, por que tinha um caráter com desvio. No verso 41 encontramos Esaú declarando que passou a ter ódio a Jacó, a ponto de desejar matá-lo. Mt 26.34: Pedro também tinha sua fraqueza que era a inconstância... parecia uma montanha russa, ora avançando para o alto com força, ora despencando com uma velocidade absurda.
3º. Que áreas de nossas vidas devem ser confrontadas? As vezes achamos que só as grandes falhas precisam ser tratadas, estas são logo que nos tornamos crentes, estas quase sempre não nos fazem pecar. O problema são as pequenas, quase imperceptíveis, com essas, sejamos francos, não gostamos de lidar mas precisamos! Quando Jesus disse a Pedro que o trairia, ele não reconheceu sua fraqueza disse: Não! Terminou por negar a Jesus...mesmo antes tendo declarado que nunca o abandonaria. O que Pedro deveria ter feito era cair aos pés do Senhor e reconhecer sua fraqueza, sua inconstância. Quantas vezes Espírito Santo nos dá esta oportunidade! Ele mostra a verdade de quem somos, mas nós preferimos fazer de conta que não ouvimos, olhamos para o outro lado, nem parece que é com a gente! Mas a Palavra de Deus diz que a tentação “depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte.” (Tg 1.15)
4º. Identifique sua fraqueza, veja qual é - quando você não tem coragem para identificar suas fraquezas dificilmente conseguirá lidar com elas. Corra para Jesus. Ele é o único capaz de restaurar você e livrá-lo delas. Está noite Deus quer te dar a coragem para identificar e vencer suas fraquejar. Ele te deu o espírito de intrepidez, de ousadia. Seja ousado hoje e saia daqui vitorioso sobre suas fraquezas.

As quatro faces da visão

As quatro faces da visão

Texto: Ezequiel 1.10
Os Evangelhos:
Mateus – Jesus é descrito como o Leão de Judá – Foi escrito para os judeus
Marcos – Jesus é descrito como o Grande servo – Foi escrito para os romanos
Lucas – Jesus é descrito como o Filho do homem – Foi escrito para os gregos
João – Jesus é descrito como o Divino filho de Deus – que veio do céu – Foi escrito para a igreja
Introdução: O ser humano para ser um vencedor é necessário ter visão, metas, propósito, atitude ou decisão e ação. Um visionário enxerga além do natural, além dos montes, sabe onde vai chegar. Porém é necessário possuir as quatro características comportamentais abaixo para um êxito completo, e alcançar as multidões.
1 – Face de leãoGanhar – através de Jesus recebemos o poder que emana do seu nome.
– Recebemos poder para pisar serpentes e escorpiões – Lc 10.19, Mc 16.17
– É hora de liberar o leão que está retido em seu interior
– Todo poder foi dado ao Messias (Leão da Tribo de Judá), que habita em nós
– Deus nos deu autoridade de governo. Esta autoridade é inerente a todos os que receberam a Jesus e foram feitos filhos de Deus. Gn 1.28
2 – Face de um boiConsolidar - “..., quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva” Mt 20.26
– Pela força de um boi temos o crescimento
– Força e determinação para trabalhar e servir
– Fala de colocar a igreja para trabalhar
– Me lembra que fui chamado para servir
– O servo não procura posição ou status, não busca nenhuma glória, cumpre o seu propósito – servir
– Sou Obediente - se sou obediente ao Senhor nada me acontecerá
3 – Face de homemDiscipular – Jesus foi o maior exemplo de relacionamento. Deu a própria vida, o seu sangue pelo resgate de muitos - “Eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade...” Jo 17.23
– Preciso ser o que sou, uma pessoa normal, uma pessoa de relacionamentos
– Jesus foi cem por cento homem. Ele sentiu todos sentimentos de homem – Hb 2.18
– Ele dormiu no barco porque estava cansado. Ele se deu o direito de descansar
– Curtir, alegrar, descansar, viver em família, ter qualidade de vida é direito seu.
– Podemos ser diferentes, mas somos normais
4 – Face de uma águiaEnviar - “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações...” Mt 28.19
– A águia pertence ao céu, somos um povo celestial, um povo de visões amplas, de larga compreensão
– Fomos criados para ter comunhão com Deus
– Estamos assentados com Cristo nas regiões celestiais – Ef 2.6
– Ninguém conquista na terra, até que conquiste nas regiões celestiais
– A águia tem duas asas – adoração e intercessão
– Adorando subo na presença de Deus e aí intercedo
– Toda intercessão acontece nas regiões celestiais. “Orando no espírito” Ef 6.18
– Preciso aprender a fazer dos lugares celestiais a minha morada
Conclusão: Hoje aprendemos que para uma visão ser bem sucedida ela precisa destas quatro faces Lembre-se: tudo o que vimos aponta para Jesus. É Ele o nosso modelo para conquista. Ele venceu a oposição, a cruz, a morte. Muitos querem ser bem sucedidos sem Jesus. Porém, qualquer conquista depende exclusivamente de uma aliança com o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores, Yeshua.

 

Roberto Pires Gonçalves e Maria de Lourdes Effgen Gonçalves

Ano novo, Vida nova!

Ano novo, Vida nova!

Texto: Apocalipse 21:1-8
Introdução: Estamos iniciando um novo ano em nossas vidas e isso renova as nossas esperanças, os nossos sonhos, alvos e objetivos. Deus, ao nos presentear com um novo ano, nos presenteia também com novas oportunidades de conquistas, sonhos e realizações.
Deus tem seus planos e objetivos para esse novo ano. Ele não faz nada à toa, sem um propósito definido e nem deseja que nós vivamos sem planos e metas definidas para as nossas vidas. Quais são os seus sonhos para este novo ano?
I – DEUS QUER HABITAR CONOSCO – V.3
Desde a criação do homem, Deus demonstrou ardente desejo de manter comunhão conosco, de estar ao nosso lado, de ser nosso amigo. No jardim do Éden, Deus, ao cair da tarde, visitava o homem e conversava com ele. Depois do homem pecar e se distanciar de Deus, houve todo um plano elaborado com todo o carinho, paciência e amor para a restauração dessa comunhão com Deus (Gn 3.15). E por fim, Deus se fez homem, habitou entre nós por meio do Seu Filho Jesus (João 1:14).
Por meio de Jesus, o homem se fez “templo do Espírito Santo de Deus” (I Cor 6:19). Vemos que na consumação dos séculos, Deus mesmo habitará eternamente conosco. Mas para isso, precisamos convidar Jesus para entrar em nossa vida, em nosso coração. Você deseja fazer isso agora? (Apocalipse 3:20).
II- DEUS QUER ACABAR COM O SOFRIMENTO – V.4
A dor, morte, sofrimentos, tristezas, decepções, enganos, doenças, tribulações e toda a espécie de sofrimento é resultado do pecado do homem. Deus não planejou isso para nós e hoje, em Jesus, temos a solução para todos os nossos problemas, sofrimentos, enfermidades e até mesmo para a morte, pois com Jesus o homem não morre eternamente, ou seja, não enfrentará a chamada “2ª morte” (Ap 21.8 / João 11.25-26).
Se desejamos um ano novo com alegria, paz, felicidade, prosperidade e tudo o mais de bom, agradável e perfeito, precisamos entregar as nossas vidas a Jesus, precisamos entregar a Ele todo o nosso “fardo, problemas, dificuldades e sofrimentos”, pois “Ele cuida de nós” (Mateus 11:28-30 / I Pedro 5:7). O que você está esperando para entregar a sua vida a Jesus?
III- DEUS QUER NOS FAZER VENCEDORES – V. 7
Temos visto, ano após ano, as pessoas se debaterem em meio aos seus problemas e lutas, tentando vencer na vida, tentando conquistar os seus sonhos e serem felizes, mas muitas não conseguem, ainda que lutem com toda a bravura e dedicação. São tantos os sonhos: emprego, casa própria, carro novo, curso de nível superior, casamento, cura, restauração familiar, projetos guardados nos corações etc. E por não conseguirem, desanimam, perdem a esperança e até desistem. Isso acontece quando estão lutando sozinhas, pois aqueles que “entregam o seu caminho ao Senhor e confiam n'Ele, tudo Ele fará” (Salmo 37:5). Você crê que Deus pode te dar a vitória?
A vitória começa quando o homem se rende ao Senhor Jesus e o aceita como seu Salvador. A partir daí, a sua vitória é certa! Esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé em Jesus (I João 5:4-5).
Conclusão: Deus deseja habitar conosco, andar conosco, acabar com todo o sofrimento e nos fazer vencedores. Deus também deseja nos salvar e nos fazer Seus filhos (Apocalipse 21:7)!

Tudo só depende de uma decisão nossa para Deus executar os Seus planos e a Sua vontade em nossas vidas.

Diga sim para Deus, receba a Jesus em seu coração e tenha um novo ano repleto de conquistas.