5/28/2013

Os cabelos contados

Os cabelos contados

Texto: Mateus 10:16-42

Introdução: O Senhor sabe de nossas tristezas e temores e cuida de nós.

I – Pré-ordenação.

1. Sua extensão – cada coisa.

a) Todo o homem. – Salmo 139:16.

b) Onde moramos. - Atos 10:5, 6; 9:10, 11.

c) Cada cabelo branco é anotado com tristeza.

2. A lição – Jesus mencionou isso a fim de:

a) Sermos fortes nas provações.

b) Sermos submissos.

c) Termos esperança.

d) Induzir-nos à alegria. Ex.: Paulo e Silas.

II – Avaliação - Os nossos cabelos estão contados porque têm valor.

1. Assim são avaliados os cristãos.

2. O número mencionado sugere diversas perguntas:

a) Se cada cabelo está contado, ou avaliado, o que será da cabeça?

b) Que será do corpo? – Os vícios.

c) Que será da alma? – Lucas 12:20.

d) Quanto custaram ao seu Senhor? - I Coríntios 6:19.

e) Devemos, pois, ser cuidadosos de nós mesmos, do nosso corpo. - I Timóteo 5:22; 1 Tessalonicenses 5:23.

III – Preservação – Os cabelos de nossa cabeça são numerados porque são preservados do mal.

1. Nas perdas mais diminutas somos assegurados de promessas. Lucas 21:18.

2. Das perseguições, seremos livrados. – Marcos 10:28.

3. Dos acidentes. – Isaias 43:2.

4. Das necessidades. – Salmos 55 :22; 37:25; Isaias 33:16.

Sejamos mais confiantes em Deus e a nada temamos.

O arco nas nuvens

O arco nas nuvens

Texto: Gênesis 9:13

Introdução: As promessas de Deus são verdadeiras e todas se cumprem; em toda a Bíblia não há uma só nota discordante; se não são cumpridas é porque as condições impostas também não o foram. - Josué 21:45.

I – As dificuldades da vida.

1. O caminho para o Céu nem sempre é atapetado de rosas. - João 16:33.

2. Terrores de consciência. "Levantam-se nossos pecados quais espectros."

3. Ausência de paz:

a) Hoje aquecidos e iluminados pelo sol do Evangelho, amanhã aterrorizados e gelados pelo trovão do Sinai.

b) Davi hoje está à mesa do rei; amanhã esconde-se, fugitivo, na caverna de Adulam.

II – Benefícios que elas nos proporcionam.

1. Deus não é culpado dos sombrios nevoeiros de nossa vida.

2. É porque toleramos o pecado. – Isaias 59:2; Eclesiastes 7:29.

3. "No fim, fazer-nos o bem". – Deuteronômio 8:15, 16; Hebreus 12:6.

4. Para nos fortalecer. – Romanos 5:3; I Pedro 1:7; Tiago 1:2, 3.

III – Nossa atitude e o nosso consolo nessas horas lúgubres.

1. Como o dilúvio cobriu as altas montanhas, as promessas de Deus aniquilam todas as dúvidas.

2. Pôs a aliança com Noé em presença da aliança com Jesus. – Isaias 54:7-10; Gênesis 9:11-15.

3. A primeira promessa tem o selo gravado no firmamento.

a) A segunda o tem em Jesus Cristo. O arco-íris do Gênese é o mesmo a brilhar em Apocalipse 4:3; 10:1.

4. Brilhou a Moisés quando em presença de Faraó. – Êxodo 3:11, 12.

E ainda:

a) às mulheres, diante do sepulcro. – Marcos 16:3,4.

b) a Paulo, diante de Nero. - II Timóteo 4:16,17.

c) a Daniel, na cova dos leões. – Daniel 6:16,22.

5. Jesus é o mesmo ontem, hoje e eternamente. – Hebreus 13:8.

Portanto, brilhará eternamente. – Mateus 28:30,

O maná que o povo de Israel comeu no deserto

O maná que o povo de Israel comeu no deserto

1. O maná é misterioso. – "Que é isto?" – perguntaram os israelitas. – Êxodo 16:15. Reconhecem que há algo sobrenatural nesta provisão para saciar sua fome. Assim, no caso de Jesus, os discípulos perguntaram: "Quem é este, a quem os ventos e o mar obedecem?" – Marcos 4:41.

2. O maná vem do céu. – Êxodo 16:4. Cristo disse muitas vezes ter vindo do Pai. "O pão de Deus que desceu do céu para dar vida ao mundo" – João 6:33.

3. Vem com o orvalho. - Vs. 13-14, como nosso Senhor nasceu pelo poder do Espírito Santo (Luc. 1:35) ao tomar a forma humana.

4. O maná era coisa miúda, redonda e branca - V. 14, demonstrando em figura a humildade, a eternidade e a pureza de nosso Senhor Jesus, trazendo à memória os textos: Mateus 11:28; João 1:1-2; I João 3:5. – Toda a perfeição se encontra nEle; em todos os pontos Ele é apto para ser Salvador.

Para aproveitar-se da provisão o israelita tinha de ajoelhar-se, inclinando-se à terra; e, para receber o benefício, tinha de comê-lo.

O nosso caso, como pecadores, é o mesmo: temos que nos humilhar, como o publicano, em Lucas 18:13-14, e apropriarmo-nos da Pessoa do Salvador.

Cada um, em particular, tem de fazê-lo por si. – João 1:12.

5/24/2013

Mensagem do Salmo 89

Mensagem do Salmo 89

Texto: I João 4:16

I – Três partes e suas ideias:

1. Esperança - V. 3-8. Os atributos divinos.

2. Promessa. - V. 19-37. Pacto davídico.

3. Tribulação. - V. 38-51. – Aflição presente. Expressão de louvor. - V. 52.

II – Os atributos divinos

Do ponto de vista geral dos seus atributos, Deus Se nos revela:

1. Benigno. – A palavra benignidade se repete seis vezes neste Salmo!

2. Forte (V. 8) - Pensamento desenvolvido e ilustrado nos vs. 9-13.

3. Justo (V. 14). – Seu trono se alicerça na justiça e Ele julga segundo a mesma.

5. Misericordioso e voraz. - V. 14.

6. Imutável. - V. 33-34.

III – Aquele que tem experiência com Deus.

1. Deus é a glória de sua força. – Contraste entre a história verídica de Sansão e o conto mitológico de Hércules. – Só de Deus vem a força e o poder.

2. Deus é sua defesa (V. 18) - Embora empregue os meios naturais.

3. Deus é seu Rei (V. 18). - Tem domínio em suas vidas e corações.

IV – Os devotos e adoradores do Rei.

1. Seu pai (V. 26). – A paternidade de Deus – bendito privilégio!

2. Seu Deus – Relação entre o crente e Deus.

3. A Rocha de sua salvação – Segurança eterna do crente.

Adoração é render-se

Adoração é render-se

Texto: Gênesis 32:22-31

22 - Naquela mesma noite Jacó se levantou e atravessou o rio Jaboque, levando consigo as suas duas mulheres, as suas duas concubinas e os seus onze filhos.

23 - Depois que as pessoas passaram, Jacó fez que também passasse tudo o que era seu;

24 - mas ele ficou para trás, sozinho. Aí veio um homem que lutou com ele até o dia amanhecer.

25 - Quando o homem viu que não podia vencer, deu um golpe na junta da coxa de Jacó, de modo que ela ficou fora do lugar.

26 - Então o homem disse: -Solte-me, pois já está amanhecendo. -Não solto enquanto o senhor não me abençoar-respondeu Jacó.

27 - Aí o homem perguntou: -Como você se chama? –Jacó - respondeu ele.

28 - Então o homem disse: -O seu nome não será mais Jacó. Você lutou com Deus e com os homens e venceu; por isso o seu nome será Israel.

29 -Agora diga-me o seu nome - pediu Jacó. O homem respondeu: -Por que você quer saber o meu nome? E ali ele abençoou Jacó.

30 - Então Jacó disse: -Eu vi Deus face a face, mas ainda estou vivo. Por isso ele pôs naquele lugar o nome de Peniel.

31 - O sol nasceu quando Jacó estava saindo de Peniel, e ele ia mancando por causa do golpe que havia levado na coxa.

Um pequeno resumo da vida de Jacó:

Gênesis 27 começa a saga de Jacó.

*Ele era filho de Isaque e Rebeca, era neto do Pai da fé, Abraão.

*Ele era irmão gêmeo do primogênito Esaú.

*Naquele tempo havia um extremo valor na bênção paterna da primogenitura.

*Jacó cobiçava essa bênção, mas não podia, pois havia nascido depois de Esaú.

*Ele então chantageia o seu irmão num dia em que estava com fome e troca a primogenitura de seu irmão por um prato de comida.

*O seu pai estava quase cego e então com o apoio de sua mãe ele o engana se fazendo passar por seu irmão e recebe a bênção do seu pai.

*Esaú se sente enganado e traído vai em busca de Jacó para matá-lo, mas Jacó foge para uma terra distante.

*Jacó certo dia, fugindo de seu irmão, tem um sonho maravilhoso, vê anjos descendo e subindo no céu e faz uma proposta meio estranha para Deus: Gênesis 28:20-22

“E Jacó fez um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer e vestes para vestir, e eu em paz tornar à casa de meu pai, o SENHOR será o meu Deus; e esta pedra, que tenho posto por coluna, será Casa de Deus; e, de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo”.

*Jacó não entende aquilo como uma experiência espiritual diante de Deus, pelo contrário, ele tem uma experiência religiosa, pois barganha com Deus: “Se me deres devolverei 10% de tudo”.

*Mas, Jacó se vê impulsionado pelo Espírito para rever e fazer as pazes com o seu irmão, mas o seu coração ainda não estava completamente debaixo do Senhorio de Deus.

*Ele não consegue chegar diante de seu irmão e curvar-se diante dele e pedir perdão, ainda há um medo, uma falta de humildade, um coração não completamente espiritual.

*Gênesis 32:7: “Jacó encheu-se de medo e foi tomado de angústia”. Ele fica sabendo que Esaú está vindo com um exército de 400 homens.

*Ele tenta barganhar, mandando alguns presentes para ganhar seu irmão primeiramente, da mesma forma que fizera com Deus.

*Jacó era um homem com problemas, desesperado. Digamos que Deus o tenha colocado contra a parede para que ele fosse consertar o seu erro e reatar a sua amizade com o seu irmão.

*Jacó até aquele momento não sabia o que era adoração!

*Faltava em Jacó quebrantamento, apesar de ter amadurecido muito. Agora Jacó era um pai amoroso, era obediente ao Senhor e seguia a ordem do Senhor para voltar ao seu lar. Era humilde em muitas áreas de sua vida e um homem de oração, olhe a sua oração: em Gênesis 32:10

“menor sou eu que todas as beneficências e que toda a fidelidade que tiveste com teu servo”.

*Mas ao invés de confiar em Deus resolveu dar uma ajudazinha mandando uns presentinhos ao seu irmão, para não morrer.

*Havia um medo no coração de Jacó, um medo de voltar atrás, um medo de rever os seus conceitos, de voltar ao principio como diz em Apocalipse 2:5: “Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas”.

*Ele tinha boas qualidades: era obediente, de oração, buscando a fidelidade, humilde, dizimista, amoroso, bondoso, temente a Deus, mas continuava com aquele pontinho negro dentro do seu coração.

*Jacó era uma boa pessoa, mas para Deus ele precisava aprender a se render!

*Render: isso Jacó não tinha feito ainda.

*Ele orava, dizimava, amava sua família, era um bom pai e honesto, mas não havia se rendido.

*Jacó era um covarde – e render-se não é para covardes, mas para aqueles que tem sede profunda de Deus.

*Render-se tem a ver com deixar o controle, não dirigir mais a nossa vida.

*A verdadeira adoração acontece quando você se entrega totalmente a Deus.

*Tudo – o controle de tudo! Isso parece impossível? Deu medo agora no seu coração?

*Isso que Jacó sentia! Medo de se render, levantar as mãos e dizer me entrego, entrego tudo!

*Medo de se render é a mesma coisa de não ter fé!

1) Para adorar a Deus devo me oferecer por completo

Jacó teve uma experiência grandiosa com Deus em Betel, lugar onde ele disse que Deus estava presente, mas a carne ali ainda estava viva, Jacó ainda não havia sido quebrantado. Ele pegou aquela experiência e transformou em um testemunho religioso e nada mais, pois a natureza humana, a carne continuou imperando dentro dele e nada daquela experiência valeu, para a mudança da vida de Jacó.

*Muitos estão assim, até receberam a Jesus, mas nunca aceitaram seu senhorio. Muitas pessoas têm o Espírito Santo, mas o Espírito Santo nunca teve esta pessoa.

*Talvez você seja daqueles que ama ser Batista, ser Católico, ser Pentecostal, ser Renovado, mas você nunca deixou ser dominado pelo Deus que não se interessa por dogmas, ou denominações, mas por corações quebrantados. Um Deus que se interessa pelo ser humano para controlá-lo de forma definitiva e dar-lhe vitória sobre o pecado.

*Aprendemos a nunca desistir, não dar o braço a torcer, achar que estamos no controle, achar que temos que fazer alguma coisa para consertar algo que não temos condição de resolver.

*Adoração é oferecer-se como em Romanos 12:2

2) Para adorar a Deus devo tomar uma decisão intima e individual.

22 - Naquela mesma noite Jacó se levantou e atravessou o rio Jaboque, levando consigo as suas duas mulheres, as suas duas concubinas e os seus onze filhos.

23 - Depois que as pessoas passaram, Jacó fez que também passasse tudo o que era seu;

24 - mas ele ficou para trás, sozinho.

*Adoração não tem a ver com igreja no coletivo, mas no individuo. Eu não adoro como multidão, mas como indivíduo.

*Deus não procura igrejas, povos, músicos ou pastores que o adorem. Ele procura adoradores – isso mostra o indivíduo, o templo do Espírito Santo.

*Jacó leva as suas esposas, seus filhos, seus pertences e depois que todos passaram o texto é bem incisivo e detalhista: Ele fica para trás, sozinho.

*Deus tinha um propósito naquilo, Deus queria encontrá-lo sozinho, sem o carinho dos filhos, sem a mão calorosa de Raquel, sua esposa querida, ele estava sozinho e desprotegido.

*Muitos não querem atravessar o Jaboque espiritual porque Deus não trata conosco através da nossa Igreja, da nossa religião, das nossas boas amizades, do nosso pastor, ou até da nossa família que nos ensinou o caminho cristão.

*Jacó naquela hora não podia barganhar com Deus porque era neto de um dos homens mais importantes da Bíblia: O pai da fé, o amigo de Deus, Abraão.

*Jacó estava sozinho, ali ele não podia reivindicar nada, pois era hora da decisão, do acerto, do quebrantamento de sua vida. Ele esqueceu de tudo, jogou tudo que aprendera para fora de sua alma, jogou tudo que aprendera para longe, pois nesses momentos não se pode ter medo de voltar atrás, rever os conceitos, voltar ao primeiro amor e se arrepender por anos e anos sem deixar o Grande “EU SOU” ser Senhor de nossa vida.

*Na hora da decisão você deve negar tudo, jogar tudo por terra, e voltar-se ao Senhor, porque é agora que Deus trata conosco, que Deus nos amassa, onde a sua ira a nós é revelada, onde ele nos esmaga e nos faz ver que somos como um vermezinho na sua presença, mas, também é onde a sua graça nos é presenteada e somos transformados.

3) Para Adorar a Deus preciso soltar o volante

24 - mas ele ficou para trás, sozinho. Aí veio um homem que lutou com ele até o dia amanhecer.

25 - Quando o homem viu que não podia vencer, deu um golpe na junta da coxa de Jacó, de modo que ela ficou fora do lugar.

26 - Então o homem disse: -Solte-me, pois já está amanhecendo. -Não solto enquanto o senhor não me abençoar-respondeu Jacó.

27 - Aí o homem perguntou: -Como você se chama? –Jacó - respondeu ele.

28 - Então o homem disse: -O seu nome não será mais Jacó. Você lutou com Deus e com os homens e venceu; por isso o seu nome será Israel.

30 - Então Jacó disse: -Eu vi Deus face a face, mas ainda estou vivo. Por isso ele pôs naquele lugar o nome de Peniel.

31 - O sol nasceu quando Jacó estava saindo de Peniel, e ele ia mancando por causa do golpe que havia levado na coxa.

*Depois de ficar sozinho Jacó começou a lutar.

*A maior luta do homem não é com o pecado é com Deus, pois é Deus, pois a maior dificuldade do ser humano é soltar o volante e deixar Deus dirigir.

*Sproul diz: “Obviamente, aquele com quem Jacó lutou era mais que um homem – era o anjo de Deus”.

Há algumas coisas interessantes neste texto:

*Há uma luta espiritual – essa luta traz cansaço, traz dor, traz lágrimas, traz conflitos, traz desespero, traz vergonha, traz apego às coisas deste mundo.

*Há uma luta da adoração verdadeira com o controle humano – Duas coisas que são contrárias para serem vencidas deve haver guerra (Jacó X Anjo) – este é o lugar de guerra contra sua própria carnalidade.

*Jaboque é uma luta que deixa marcas para a vida toda – O anjo toca na coxa de Jacó depois de ver que não poderia dominá-lo. Aquilo deixou Jacó manco, pelo resto da vida, a partir daquele dia ele não poderia andar normalmente. Deus tocou na sua postura, ele agora andaria curvado diante de Deus. Adorar é se deixar quebrantar, é ser ferido por Deus, é sair derrotado pelo Deus vivo, sair coxo, mas sair vivo.

30 - Então Jacó disse: -Eu vi Deus face a face, mas ainda estou vivo.

*Adorar é atitude de mudança de caráter – O Dr. Sproul diz em seu livro “A santidade de Deus” que: “Quando um combatente revelava o seu próprio nome, significava que estava reconhecendo a sua derrota e a superioridade da outra parte. Era um ato de submissão”.

*Quando Jacó informa o seu nome ele está reconhecendo a sua derrota. Veja o texto: 29 -Agora diga-me o seu nome - pediu Jacó. O homem respondeu: -Por que você quer saber o meu nome? E ali ele abençoou Jacó.

*Veja que o anjo não revela o seu nome, pois havia vencido a Jacó.

*O nome Jacó significa: O trapaceador, o enganador. E o que o anjo faz, muda o seu nome. No VT o nome tinha haver com o caráter e Deus muda o nome de Jacó para Israel que quer dizer “O Deus lutou”.

*Deus muda o nome de Jacó para aquele com quem Deus lutou e venceu.

*Sabe quando você sabe que soltou o volante e deixou Deus dirigir quando você depende Dele para resolver seus problemas, por menor que seja, em vez de insistir em manipular outras pessoas.

*Você não precisa estar no controle sempre, ao invés de fazer mais, confie mais.

*Todas as vezes que você se coloca no controle de uma situação, você está dizendo para Deus eu sei fazer melhor.

*A HITÓRIA DO ALPINISTA

Conclusão: Você não estará pronto para ADORAR enquanto não estiver em total desespero, quebrantamento e submissão completa. Você tem que chegar ao fim da linha. Deve ser para você um caso de vida ou morte.

Jacó enfrentou essa crise: De um lado o seu irmão com um exército se aproximava de outro lado à ordem definitiva de Deus. Era o fim da linha para ele. Naquele momento os seus pecados o haviam alcançado, agora não podia mais se esconder, não dava mais para enganar, não dava mais para fingir – nesta hora ele vê Deus face a face.

*Jacó se entrega, começa a adorar:

1) Para adorar a Deus devo me oferecer por completo

2) Para adorar a Deus devo tomar uma decisão intima e individual.

3) Para Adorar a Deus preciso soltar o volante

Israel marcha para Canaã

Israel marcha para Canaã

Texto: Números 10:29-36

Introdução: Historiar o fato em síntese

A marcha de Israel pelo deserto pode ser comparada à nossa marcha por este mundo; e a terra de Canaã, à Pátria Celestial. O incidente de "O Peregrino".

I – Como o povo marcha para a Terra da Promessa.

1. Sob a determinação e liderança de Deus. - 10:11-13.

2. Sob a orientação de um guia humano, indicado por Deus; hoje esse guia é o pastor. - V. 13b.

3. Animado com viva esperança da boa terra. - V. 29; 1 Ped. 1:3.

4. Convidando outros a irem com eles. - V. 30-32.

5. Com a Arca do Concerto – símbolo da Presença de Deus à frente. - V. 33.

6. Sob a nuvem – símbolo da proteção do Senhor sobre eles. V. 34.

7. Sob a coluna de fogo – símbolo do Espírito Santo.

II – Dificuldades pelo caminho.

1. A queixa do povo e seu castigo. - 11:1-3.

2. Tentação e desejo de voltar para o Egito – símbolo do mundo. - Vs. 4-10.

3. Moisés, o guia, sente pesado e espinhoso o seu encargo. - Vs. 11-15.

4. Deus ajuda a resolver as dificuldades, dando auxiliares e alimento em abundância. - Vs. 16-23.

Como Deus dirige seus filhos

Como Deus dirige seus filhos

Texto: Êxodo 13:17-22; 14:1-31

Introdução: Narrar o fato, em síntese. Deus nos dirige hoje:

I – Por um caminho escolhido por Ele.

1. Não é sempre o caminho fácil e curto. - V. 17.

2. Sempre com bom propósito para nosso bem, - V.17b.

3. Conduz-nos muitas vezes pelo "deserto", para aprendermos coisas necessárias. - V.18-20.

II – As dificuldades no caminho de Deus.

1. Os ataques dos inimigos. - 14:8-9.

2. Há temores e queixas. - V. 10-12.

3. Há barreiras humanamente impossíveis de se transpor. - V. 2-3.

4. Irá a ordem de Deus de marchar avante. - V. 15.

III – O auxílio de Deus no caminho.

1. Ele vai adiante de nós. - 13:21.

2. Ele nos guia continuamente. - V. 22.

3. Ele nos dá líderes humanos que nos animam e nos apontam o verdadeiro Deus. - 14:13.

4. Ele dá-nos Sua proteção. - V. 19-20.

5. Ele remove os obstáculos pelo Seu poder. - V. 21-22.

6. Ele embaraça os inimigos nos seus planos. – V. 24.

7. Ele livra os seus servos do perigo. - V. 26-31.

5/21/2013

Compreendendo as tempestades da vida

Compreendendo as tempestades da vida

Texto: Mateus 14:22-23

Introdução: Este mundo é um vale de lágrimas. Ninguém vive feliz. Todos sofrem. O único meio de suportar as agruras da vida consiste na compreensão das três seguintes verdades:

I – As tempestades da vida são inevitáveis.

1. Elas vêm sobre todos, bons e maus.

2. São consequências do pecado.

a) Estando sob o domínio do pecado, estamos sujeitos aos contratempos.

3. Exemplos dos que enfrentaram tempestades: Os discípulos no mar, João Batista e a Virgem Maria.

4. Alguns pensam que quando passamos por tempestades é sinal de que Deus não está conosco. Isso é engano.

a) Jó e sua provação. Jó 1:8; 2:9.

b) José no Egito, João Batista etc.

II – Nas tempestades da vida Jesus está ao nosso lado.

Jesus ordenou a Seus discípulos se dirigirem para o outro lado e Ele foi orar. Nesse ínterim veio a tempestade, mas Jesus viu tudo.

1. Jesus vê tudo. – Os israelitas no Egito. – Êxodo 3:7.

2. Jesus sabe tudo quanto se passa neste mundo com Seus filhos.

a) Sabe nossos nomes e moradias.

3. Jesus está ao nosso lado nas provações. – Mateus 28:20.

a) Os três companheiros de Daniel.

III – As tempestades da vida, muitas vezes, são bênçãos.

1. São meios de que Deus Se serve para nos atrair para perto dEle.

a.) Se tudo nos corresse bem, nós nos esqueceríamos de Deus, Exemplo: o rico louco e o jovem rico.

2. As tempestades podem ser bênçãos não só para nós como para os outros. Exemplo: Lázaro, Estevão etc.

3. Devemos receber as tempestades da vida com resignação. Romanos 8:28.

4. A nossa atitude, – Lucas 22:42.

Cinco passos para resolver os problemas familiares

Cinco passos para resolver os problemas familiaresTexto: 2 Reis 4:1-7

Primeiro Passo: Compartilhe seu problema com pessoas certas. Vs.1

*Ela fala com o homem de Deus

*Aconselhamento espiritual

*Conselhos vindos de Deus

Segundo Passo: Use como solução o que você tem em mãos. Vs.2

*O profeta pergunta o que ela tinha disponível para resolver o problema.

*A única coisa que ela tinha era uma vasilha de azeite.

*O que você tem de disponível para ser usado como solução.

*Talvez você acha que o seu óleo já secou, mas olhe mais profundamente, ainda há uma solução.

Terceiro Passo: Temos que ter disposição para solução. Vs.3-4

*Temos que nos dispor a procurar vasilhas vazias.

*Temos que nos disponibilizar a encher aquilo que está vazio.

*Estamos procurando vasilhas cheias, pois não queremos ver o milagre acontecer, queremos o milagre pronto.

Quarto Passo: Estabeleça um ambiente favorável à solução. Vs.5

*A família reunida é um ambiente favorável à solução dos problemas.

*Somente na reunião familiar que o “Azeite” será multiplicado e veremos a solução.

*Na família reunida teremos um campo aberto de dialogo e é onde o Espírito Santo Flui.

Quinto Passo: Proclame como testemunho a solução do seu problema. Vs.7

*Testemunhe ao seu conselheiro

*Testemunhe aos seus vizinhos.

*Estabeleça um memorial diante de sua família para que possam sempre lembrar do que Deus operou na restauração da família.

Pr. Magnos Christy

As vicissitudes da vida e como enfrentá-las

As vicissitudes da vida e como enfrentá-las

Texto: Hebreus 13:8

I – Adversidades e mudanças vêm a nós de maneiras diversas.

1. O almanaque prediz a ordem das estações, os eclipses do Sol e da Lua, as variações atmosféricas, mas nada prediz das vicissitudes que agitam os nossos corações e lares.

2. Neste mar da vida somos tal qual frágil nau.

3. As adversidades vêm de formas diversas.

a) No gozo da saúde, somos atacados pelas doenças.

b) Os amigos fogem e nos traem.

c) Os negócios transformam-se.

d) O lar esfacela-se.

e) A mocidade é vencida pela velhice. Tudo passa, tudo esfria e murcha. Onde estão os grandes impérios?

4. Tudo nesta vida é passageiro. – Tiago 4:14.

II – Jesus é o único imutável – Hebreus 13:8.

1. Tudo diante de Jesus passa, mas Ele permanece.

a) Os amigos humanos falham, mas não Jesus. – Provérbios 18:24.

b) Ainda na doença e na morte Jesus estará conosco. Provérbios 17:17.

c) Ele esteve no passado com Seu povo. - I Coríntios 10:4.

2. Jesus é a rocha sobre qual devemos depor nossos cuidados ao entrarmos no novo ano. – Salmo 71:3.

3. Jesus é a figura que domina o passado pela Sua morte, o presente pela Sua mediação e o futuro pelo Seu poder salvador; confiemos nEle!

Alivio e proteção em Deus

Alivio e proteção em Deus

Texto: Salmo 91; 55:22

Introdução: Jesus, sendo nosso Guia e Amigo, torna-se nosso sumo bem em tudo. A exortação:

I – Para quem a exortação? – "Tua Carga".

1. Para o carregado de cargas imaginárias.

2. Para os carregados de cargas positivas:

a) Assuntos de consciência. - Ex.: Lutero – Salmo 34:18.

b) Aflições morais e corporais.

c) Para os de numerosa família sem meio de sustentá-la etc.

(1) Deus cuidará – Salmo 37:25; 34:10.

II – Que ordena a exortação? - "Lança sobre o Senhor".

1. Como? Mediante a oração com fé – Salmo 34:6,17; 46:1.

2. Sobre o Senhor e não sobre um santo, ou pessoa de posição, ou amigo – Salmo 118:8.

3. Devemos lançá-la completamente sobre o Senhor.

4. Jesus não quer que vivamos solícitos, pois isso é condenável Provérbios 12:25; 1 Pedro 5:7.

III – Qual o resultado da obediência? - "Ele te susterá".

1. A carga sobre Jesus nos dá descanso. – Mateus 11:28.

2. Isso implica em que devemos procurar o reino de Deus e sua justiça. – Mateus 7:33.

3. Assim fazendo Ele Se torna responsável por nos suster.

a) Exemplo: os lírios e os pássaros. – Mateus 7:25-33.

4. Esta promessa é tão firme e certa como firme é a Palavra de Deus!

Lancemos sobre o Senhor nossos cuidados e seremos abençoados!

As consolações de Jesus

As consolações de Jesus

I – Conforto para os dias em que sentimos o peso do pecado e suas consequências – Mateus 9:2.

1. A experiência do homem paralítico.

2. A mulher adúltera e a acusação.

3. Não terá acontecido, às vezes, Satanás nos ter insinuado que somos por demais pecadores e que não há esperança para o nosso estado?

4. Jesus perdoa diferente do que faz o homem, – Romanos 4:7; Jeremias 31:34 (Miqueias 7:19).

a) Ele nos amou e por isso nos perdoou. – João 3:16; I João 1:9.

b) Devemos orar como o publicano e teremos a consolação de ouvir. – Mateus 9:2.

II – Conforto para os dias de perigos e tristezas – Mateus 14:27.

1. A experiência dos discípulos: Era noite, havia ventos contrários e o barco ia soçobrar.

2. Viram Jesus e foram confortados. Mateus 14:27.

3. No mar da vida cristã encontraremos contratempos:

a) Tempestades se levantam constantemente.

b) Satanás procura fazer naufragar nossa frágil nau.

c) Milhares de embarcações seguem esse caminho.

d) Não devemos desanimar vendo, nas provações, fantasmas.

4. Jesus é o capitão, irá conosco e pode acalmar as mais rudes tempestades.

a) Estejamos certos de que Jesus está conosco e nos familiarizemos com Sua voz e ouviremos – Mateus 14:27.

III – Uma mensagem de esperança que nos habilita a enfrentar os desapontamentos da vida cristã com alegria e contentamento – João 16:22.

1. Na vida cristã vêm desapontamentos.

a) Os dois discípulos a caminho de Emaús.

b) Os demais discípulos e sua alegria quando viram o Senhor Jesus – João 20:19, 20.

2. Assim seremos criticados e perseguidos em nossa esperança, mas não desanimemos – João 16 :33.

a) Satanás procurará lançar a dúvida sobre nós.

b) Nada nos deve fazer separar da esperança gloriosa – Romanos 8:38,39; João 6:66-68.

3. Esperemos com paciência - Habacuque 2:3; Hebreus 10:37.

Esboço de sermão do Salmo 23

Esboço de sermão do Salmo 23

Texto: Salmo 23

Introdução: Se este salmo pertence a Davi, como geralmente supomos (no original não vem o nome do autor), é confortador pensar nas doces experiências do experimentado servo de Deus. O salmo teria sido composto na velhice do rei.

Dividamos o salmo em duas partes, a saber:

I – O divino pastor e seu rebanho. Vs. 1 a 4.

1. O Divino Pastor supre a todas as necessidades: "O Senhor é o meu Pastor, nada me faltará". V. 1.

2. O Divino Pastor prodigaliza tranquilo repouso aos cansados.

"Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas". - V. 2.

3. O Divino Pastor pregara a alma para o mais elevado serviço:

"Ele restaura minha alma: guia-me pelas veredas da justiça por amor do Seu nome". - V. 3.

4. O Divino Pastor provê proteção e consolação no maior perigo.

Sim, "ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte não temeria mal algum, pois Tu estás comigo; a Tua vara e o Teu cajado me consolam". – V 4.

II – Um banquete real. V. 5, 6.

1. Esse banquete é servido em meio de conflito: "Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos". - V. 5.

2. Esse banquete é promotor de abundante alegria: "Unges a minha cabeça com óleo; meu cálice transborda". - V. 5.

3. Esse banquete satisfará a todas as necessidades da existência:

"Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida". - V.6.

4. Esse banquete é o tipo e a garantia da festa permanente nos aposentos do banquete celestial: "E habitarei a casa do Senhor por longos dias". - V.6.

5/17/2013

A Experiência do Caminho de Emaús

A Experiência do Caminho de Emaús
Texto: Lucas 24:13-35
Introdução: Este relato do aparecimento do Cristo ressurreto a dois anônimos discípulos é exclusivo do Evangelho de Lucas.

Este relato do aparecimento ocorre quando duas pessoas estavam a caminho de uma aldeia chamada Emaús. Este texto nos faz lembrar da seção central de Lucas nos capítulos 9:51 e 19:27, onde Jesus ensina quando viajava, ao longo das estradas.

Outra característica marcante deste texto é o ensino das escrituras por Jesus, levando sempre a uma postura escatológica sobre a vida do Filho de Deus.

Outro momento importante neste texto é o da comunhão, onde Jesus toma e parte o pão, demonstrando palavras bem parecidas com Lucas 9:10-17, onde alimenta as cinco mil pessoas e com as suas ultimas palavras na ceia.

Podemos dividir este texto em três partes que condensam simbolicamente o ministério de Jesus entre os homens:
1) O ensino de Jesus pelas estradas da palestina.
2) A catequese profunda, interpretativa, prática e escatológica do Antigo Testamento.
3) A comunhão, os momentos de intimidade e o alimento espiritual.

Este texto é na verdade um resumo do ministério de Jesus.

Análise do texto: Emaús é com certeza um lugar que significava muito para aqueles discípulos. Era onde as suas famílias residiam, onde haviam deixado tudo para seguir o Cristo que agora , para eles, estava morto.

A distancia de Jerusalém a Emaús era de 11 quilômetros, e a viagem a pé durava um dia e uma noite, de caminhada cansativa por uma estrada de elevações íngreme e sem nenhuma pavimentação e muito arenosa.

Temos para nós a estrada de Emaús como um caminho de regresso, como o retorno a nossa vida do passado, aquilo que fazíamos e praticávamos fora da vontade de Deus.

Outra característica de Emaús é também considerada como a estrada da decepção, do desespero, e da desobediência.

A estrada de Emaús é considerada por nós como a estrada da falta de fé, da inobservância das escrituras, mas é também a estrada do nosso resgate nos momentos de sequestros em que o desespero e a nossa fraqueza nos levam ao cativeiro da apostasia.

O primeiro fato importante a ser observado é o desânimo dos discípulos: “Nós esperávamos que fosse ele quem redimisse a Israel”.

Os discípulos esperavam um triunfo magnífico e cinematográfico de Jesus sobre os romanos e judeus, mas isso não acontecera, levando-os ao total desânimo.

Outro fato muito importante que lemos é o que está no verso 13: “Naquele mesmo dia”.
Essa é uma continuação do texto anterior que fala da ressurreição de Cristo e do seu aparecimento a alguns dos seus seguidores.

Com certeza aquele dia era o dia mais importante da humanidade, o que dia em que o filho de Deus ressuscitou, o dia em que a morte foi vencida, o dia em que Deus triunfou sobre o mal.

Era um dia de vitória dentro do Cosmo, era um dia de vitória para o ser humano. Dia de festejar.
Mas o que estava acontecendo com aqueles dois discípulos era totalmente contrário a versão original dos sentimentos, pois eles ainda choravam a morte, enquanto Jesus já havia ressuscitado.
Era o paradoxo das emoções.

Como podemos explicar o sentimento de desânimo e decepção daqueles discípulos?
Se aquele era dia de festa como poderia estar triste?
Se no dia de glória se sentir derrotado?
Se no meio da maior vitória que o universo já teve sentir-se um fracassado?
Se no dia da esperança sentir-se decepcionado?
No decorrer das nossas vidas infelizmente passamos pela experiência da estrada de Emaús:
A estrada do regresso: Onde retornamos a nossa antiga “vidinha” de pecados e erros.
A estrada da decepção: Onde caímos na decepção com a fraqueza humana.
A estrada do desânimo: Onde ficamos desanimados através das circunstâncias difíceis que nos assola.
A estrada da cegueira: Onde não conseguimos ver a atuação de Deus e achamos que não se importa mais conosco.
Porém, se você está na estrada de Emaús, saiba que Deus vai se achegar a você e vai te mostrar como voltar para aquilo que Ele te designou.

Mas quando é que passamos pela Experiência da Estrada de Emaús:

1) Passamos pela Experiência do Caminho de Emaús quando vivemos as imagens do passado. V. 14

“E iam conversando a respeito de todas as coisas sucedidas”.

A pergunta é: o que havia sucedido?
Havia na memória dos discípulos imagens marcantes que nunca iriam esquecer. Eles comentavam sobre essas lembranças que estavam moendo as suas almas.
Havia muitas coisas para se lembrar:
*Os grandes milagres de Jesus e seus feitos miraculosos onde mostrou que tinha poder sobre a vida dos homens, sobre as forças da natureza e um conhecimento grandioso da Vontade de Deus.
Só que essas lembranças não ocupavam os comentários das coisas sucedidas. Aqueles dois discípulos lembravam fielmente, como se tivessem um projetor de filme em suas mentes, cena por cena do momento em que o poderoso Jesus foi calado, humilhado, cuspido e maltratado até a morte.
Aquelas cenas não saiam de suas mentes, pois o tira teima da dor reprisava aquelas dolorosas imagens para que os seus corações sangrassem cada vez mais.

A psicologia afirma que temos uma queda a nos lembrarmos mais das tragédias que das bonanças. Hoje em dia a tragédia é tema de filmes e tema do nosso jornalismo mundial. Lembramos mais rotineiramente das desgraças que dos momentos bons.

A psicologia ainda fala que se quisermos bloquear uma boa lembrança na nossa mente é só plantarmos sobre a boa lembrança uma má lembrança. Isso trará um bloqueio imediato daquilo que era uma boa e agradável lembrança.

Muitas pessoas passam a viver a Experiência do caminho de Emaús porque não conseguem viver o presente, vivendo sim, o passado mórbido e trágico.

Quando enfrentamos a Experiência do Caminho de Emaús não conseguimos nos lembrar dos momentos bons e isso nos afeta, pois sangra em nós aquela mágoa, aquela decepção. E vamos cada dia mais dando grandes passos no Caminho de Emaús.

Por estarmos com os olhos no passado trágico não podemos ver o presente.

Pare para pensar:
Você está vivendo das imagens do passado?
Você não consegue mais se lembrar de momentos agradáveis?
Você está vivendo das amarguras de um passado trágico que ficou para trás, mas te machuca ainda?
Saiba que se essas imagens do passado são projetadas na sua mente agora, e isso te dói, te machuca, pois é uma ferida ainda não cicatrizada, Jesus se achega a você agora, a decepção vai passar, o passado vai ser lançado no mar do esquecimento.

2) Passamos pela Experiência do Caminho de Emaús quando sofremos decepções. V. 17, 21.

“Então, lhes perguntou Jesus: Que é isso que vos preocupa e de que ides tratando à medida que caminhais? E eles pararam entristecidos”.
“Ora, nós esperávamos que fosse Ele quem havia de redimir a Israel; mas depois de tudo isso, é já este o terceiro dia desde que tais coisas aconteceram”.
Dizem por ai que a esperança é a ultima que morre, mas as desses dois aqui já passavam pelo processo de decomposição.
A esperança caiu no posso lamacento e escorregadio da decepção. Eles mantinham uma expectativa da fé, do trabalho e dos serviços prestados a Jesus e foram chocadas pelo desconforto da não sustentação dessa expectativa.
A decepção foi o caminho mais curto para aqueles dois homens, que esperavam uma coisa de Jesus e receberam outra completamente diferente.
Esperavam vitória e receberam derrota.
Esperavam um reino político e receberam um reino espiritual.
Esperavam guerra e receberam a paz.
Naquele momento Jesus aproxima-se deles e dirige-lhes uma simples pergunta:
“O que vos preocupa e de que vais tratando...”.
Já sentiram o desconforto de um curativo ou daquela gaze que cola ao ferimento e você terá que puxar aquilo de qualquer maneira?

Foi isso que Jesus fez! Pelo menos foi o mesmo desconforto. Jesus puxa o curativo grudado, ressecado e ainda hemorrágico da ferida da alma daqueles homens.
Os discípulos mostram duas reações, diz o teólogo Craig Evans, de decepção e de confusão.
Eles tinham esperanças errôneas e sentiram-se decepcionados pelos acontecimentos trágicos que haviam sucedidos.
Eles se esqueceram das promessas espirituais, das bênçãos infinitas de Deus através de Jesus. Eles não conseguiam ver uma restauração espiritual e sim política.


“Nós Esperávamos”.
A esperança se torna coisa do passado, a decepção mina a esperança, impede de ver a realidade e nos faz retroceder ao passado.
“Eles pararam entristecidos”.
A decepção traz estagnação, eles param, isso mostra que há uma paralisação emocional quando somos surpreendidos pela decepção.
Nossas vontades não coordenam a vontade de Deus, se temos motivações erradas para buscar a Deus estamos no caminho certeiro da decepção.
Temos que entender que nascemos para submetermos a Vontade de Deus.
Por isso andamos tristes, cabisbaixos e sem rumo, por não entender que “Tudo Coopera para o bem daqueles que amam a Deus...”. (Romanos 8:28)
Outra consequência da decepção é a falta de comunhão com o grupo, como relata o verso 13:

“Dois deles estavam de caminho para Emaús”.
Isso nos mostra o tamanho da decepção, pois estavam saindo de Jerusalém, para voltarem para os seus antigos afazeres, estavam dispersos, longe do grupo que seguia a Jesus, estavam longe da comunhão, perderam a esperança e a comunhão.
A decepção com Deus, com a igreja, com os irmãos e com o pastor, trás consequência como o desânimo, o retorno ao pecado e a falta de comunhão com os irmãos.
Os discípulos disseram que já era o terceiro dia, e nada havia mudado, a decepção era grandiosa e ainda doía.
Eu faço uma analise sobre cada um desses três dias, olha só:
Primeiro Dia: Dia do Choque.
Segundo dia: Dia da Esperança.
Terceiro dia: Dia da decepção e do desespero.

Pare para pensar: Você passa por que dia? Você está em choque, com uma pontinha de esperança ou já caiu na decepção e no desespero?
Qualquer um que seja o seu dia, Jesus está se achegando a você nesta hora. Ele toca nas suas feridas, ele toca na sua decepção, ele quer mudar sua visão do mundo e das coisas, deixe Jesus mexer dentro de você.

3) Passamos pela Experiência do Caminho de Emaús por desconhecermos as Escrituras. V. 27

“E, começando por Moisés, discorrendo por todos os profetas, expunha-lhes o que a seu respeito constava em todas as Escrituras”.
Nós conhecemos a Jesus e sabemos de sua Vontade e de seus mandamentos para nossas vidas pelas Escrituras.
Perguntamos: porque viver então no passado, fora da comunhão, decepcionados, desanimados e sem força para buscarmos a Deus?
A resposta é clara e vem do próprio Jesus: “Errais por desconhecer as escrituras e o poder de Deus”. (Marcos 12:24)
Paulo afirma a Timóteo em 3:16 que a Palavra de Deus é para o nosso ensino.
É na palavra que contém as grandes promessas de Deus para as nossas vidas. Por isso que temos que nos apegar aquilo que Jesus disse e ensinou e não àquilo que achamos ou pensamos.
Neste verso Jesus lança mão das Escrituras e discerne os acontecimentos, tudo que aconteceu e que estava acontecendo, tudo estava escrito, tudo era previsto.
As marcas do passado, o desânimo, a decepção, a falta de comunhão os impedia de ver o que a Escritura dizia.
Às vezes colocamos as nossas emoções na frente da Palavra de Deus, e isso só nos trará decepção, falta de comunhão, confusão, desanimo e desvio daquilo que Deus quer para nós.
Se não olhamos atentamente com discernimento da Palavra de Deus o que está acontecendo, ficaremos confusos e sem rumo, perderemos a confiança, estaremos sujeito a superstições, tristezas, decepções, desvios de caráter.
Deixamos de ver Jesus ao nosso lado, porque perdemos a visão da sua Palavra.
Pare para pensar: Como está a sua vida com Deus e seu estudo da Palavra?
Você tem estado firme naquilo que é a Verdade insolúvel de Deus ou tem se deixado levar por ventos de doutrinas?
Tudo que aparece dizendo que é de Deus você recebe e pronto, ou você analisa pela Palavra?
Você tem se dedicado a ler, estudar, meditar?

Conclusão: Chegamos ao fim do caminho de Emaús, foi um dia e uma noite de viagem cansativa, onde o sol escaldante das imagens do passado são refletidas na tela da nossa mente. Onde a dura e pedregosa estrada da decepção, do desanimo e da falta de comunhão não tem fim. Onde a noite da falta de embasamento Bíblico nos afeta a visão e nos deixa sem rumo.
Lembre-se de uma coisa, que é primordial, Ele está com você!
O Soberano Deus, através de sua graça se achega a você, mesmo sendo na sua Experiência do Caminho de Emaús.

Jesus dá o primeiro passo, ele toma a postura de ir se encontrar com você neste caminho tão doloroso, onde as suas feridas (Decepção, apego ao passado, desânimo, falta de comunhão, falta de conhecimento da Palavra) estão sangrando e Ele tem o remédio para curá-las.
Ele é a solução eficaz para todas as suas dores e feridas.

Lembre-se hoje é o terceiro dia de suas dores. Terceiro dia é dia de glória, dia em que podemos dizer: Ele venceu a morte, Ele é Deus, é dia de vitória.
Abra os seus olhos agora, esqueça o passado, lance fora às decepções e busque na Palavra o retorno deste caminho de Emaús.

Não deixe passar muito tempo. Há pessoas que esperam chegar a Emaús, para descobrir que Jesus estava presente por um dia e uma noite, e eles não viram, nem perceberam.
Lembre-se a solução está do seu lado, é só deixá-lo te abençoar e lhe reforçar os ânimos, saia desta estrada e venha para ao caminho que é Jesus.

Espero que você não deixe que a solução imediata dos seus problemas desapareça na sua frente depois de ter estado com ela por todo caminho.

Volte, ele está vivo!

Abra os olhos, Ele está contigo!

Pastor Magnos Christy

5/16/2013

Conforto para os que tem muitas cargas

Conforto para os que tem muitas cargas

Texto: I Pedro 5:7

I – O aspecto externo.

"Levai as cargas uns dos outros". – Gálatas 6:2.

1. Cargas de aflição.

a) Deus se compadece como um pai. – Salmo 103:13-18.

b) Conforto na esperança da ressurreição. - I Tessalonicenses 4:13-18.

c) O próprio Deus removerá todo traço de tristeza. – Apocalipse 21:4.

2. Fardos de doenças e infortúnios.

a) Esperança para os cegos, mudos e inválidos. – Isaias 35:5; 6.

b) 0 Criador do Universo conhece cada pormenor da nossa vida. – Isaias 40 :28-31.

c) Até a morte de um passarinho é notada. – Lucas 12:6.

d) Nossos cabelos são contados. – Lucas 12:7.

e) Conhecido é o lugar onde moramos. – Salmo 87:4-6.

f) Conhecidos são até a rua em que moramos e o que fazemos. - Atos 9:11.

II – O aspecto interno.

“Cada qual levará a sua própria carga”. – Gálatas 6:5.

1. O propósito e o valor das provações.

a) As provações são necessárias para aperfeiçoar-nos. - Jó. 23:10; I Pedro 5:10.

b) O Senhor castiga a quem ama. – Hebreus 12:6.

c) A provação traz resultado precioso. – Hebreus 12:10; II Coríntios 4:17.

d) As provações são permitidas para que possamos confortar outros. - II Coríntios 1:4.

e) A graça divina é suficiente para cada prova. - II Coríntios 12:9.

III – O aspecto elevado.

"Lança o teu cuidado sobre o Senhor". – Salmo 55:22.

1. Lança tuas cargas de ansiedade sobre Deus. – Filipenses 4:6; Salmo 46.

2. Lança tua carga de pecado sobre Deus. – Salmo 38: 4, 15, 18.

3. A relação do crente para com Deus nas tribulações.

a) Devemos amá-Lo; então todas as coisas cooperam para o bem. – Romanos 8:28.

b) Precisamos submeter-nos humildemente à Sua vontade. – Lucas 22:42.

c) Devemos confiar em Deus quando não pudermos compreender a Sua guia. – João 13:15; Salmo 37:5.

4. A bendita providência do divino Sofredor. - I Pedro 5:7.

A providencia de Deus em nossas necessidades

A providencia de Deus em nossas necessidades

Introdução: Muitos crentes duvidam do interesse de Deus pela sua vida particular ou pelas suas necessidades temporais e pessoais...

1. A maneira de Deus prover às nossas necessidades materiais.

a) Muitas vezes milagrosamente, contra todas as possibilidades humanas. – Êxodo 16:4a.

b) "diariamente a porção para cada dia" – V. 4b, 19-21.

c) Com fartura. - V. 7-8, 13.

d) Apesar de nossas falhas e ingratidões. - V. 14-15.

e) Não falha durante todo o tempo. - V. 35.

f) Em resposta à oração - 17:3-6.

2. Verdades que Deus quer que aprendamos da Sua providência.

a) Que Ele é o Senhor nosso Deus. - 16:12b.

b) Que cada um de nós tem de fazer sua parte, trabalhando. -16:2.

c) Que quem não se levanta cedo fica sem o pão desse dia (pois o Sol derretia o maná). - Vs, 13, 21. - O castigo dos preguiçosos.

d) Que não adianta ajuntarmos para o futuro desconfiando da providência de Deus para amanhã. - V. 17-18. "Não estejais solícitos pelo dia de amanhã" (preocupados, ansiosos, temerosos).

e) Que devemos respeitar o dia de descanso e não trabalhar nele nos serviços profissionais. - V. 22-23 (salvo, naturalmente, em raras exceções).

O cuidado de Deus

O cuidado de Deus

Texto: I Pedro 5:7- "Ele tem cuidado de vós"

Introdução: Ao percorrermos a Palavra de Deus, deparamos com reiteradas declarações que nos afirmam o interesse pessoal e amoroso de Deus para conosco.

l. Ele conta com os cabelos de nossa cabeça: "Até os cabelos de vossa cabeça estão todos contados". – Lucas 12:7.

2. Ele guarda as lágrimas do nosso sofrimento: "Põe as minhas lágrimas no Teu odre". – Salmo 56:8.

3. Ele registra os pensamentos de nossa meditação: "Há um memorial escrito diante dele, para os que temem ao Senhor, e para os que se lembram do seu nome". – Malaquias 3:16.

4. Ele confirma os passos de nosso andar: "Os passos de um homem bom são confirmados pelo Senhor". – Salmo 37:23.

5. Ele ouve o clamor de nossa súplica: "Antes que clamem, Eu responderei; estando eles ainda falando, Eu os ouvirei". – Isaias 65:24.

6. Ele busca o nosso interesse em todas as coisas: "Todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus" – Romanos 8 :28.

7. Ele supre todas as nossas necessidades: "O meu Deus, segundo as Suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades". Filipenses 4:19.

A criança não pode definir sua mãe cientificamente, mas conhece o seu amor e o seu cuidado intuitivamente. O filho de Deus não pode explicar as coisas insondáveis de Jeová, mas pode perceber o seu imutável amor.

5/14/2013

Vivendo as Promessas de Deus

Vivendo as Promessas de Deus

Texto: “ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus 28.20).

Introdução: Deus prometeu nunca deixar os seus filhos: “Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca, jamais te abandonarei. Assim, afirmemos confiantemente: O Senhor é o meu auxílio, não temerei; que me poderá fazer o homem?” (Hebreus 13.5, 6).

Veja onde e quando o Senhor estará sempre conosco:

1. No deserto.

Deus nos sustenta em seus braços: “O amado do Senhor habitará seguro com ele; todo o dia o Senhor o protegerá, e ele descansará nos seus braços” (Deuteronômio 33.12).
“O Deus eterno é a tua habitação e, por baixo de ti, estende os braços eternos; ele expulsou o inimigo de diante de ti e disse: Destrói-o” (Deuteronômio 33.27).

2. Nas situações mais impossíveis.

Deus é suficiente: “Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando, pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti” (Isaias 43.2).
“Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Estas coisas diz aquele que tem a espada afiada de dois gumes: Conheço o lugar em que habitas, onde está o trono de Satanás, e que conservas o meu nome e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha testemunha, meu fiel, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita” (Apocalipse 2.12, 13).

3. Nas fornalhas da vida.

Deus está presente e intervindo a favor dos seus filhos: “Tornou ele e disse: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, sem nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses” (Daniel 3.25).
“O meu Deus enviou o seu anjo e fechou a boca aos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; também contra ti, ó rei, não cometi delito algum. Então, o rei se alegrou sobremaneira e mandou tirar a Daniel da cova; assim, foi tirado Daniel da cova, e nenhum dano se achou nele, porque crera no seu Deus” (Daniel 6.22, 23).

4. Nas tempestades e nos vendavais.

Deus nos salva: “Respondendo-lhe Pedro, disse: Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus. Reparando, porém, na força do vento, teve medo; e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor! E, prontamente, Jesus, estendendo a mão, tomou-o e lhe disse: Homem de pequena fé, por que duvidaste? Subindo ambos para o barco, cessou o vento” (Mt 14.28-32).

5. No calor do sol e nas catástrofes.

Deus é a sombra: “Eis aí está que reinará um rei com justiça, e em retidão governarão príncipes. Cada um servirá de esconderijo contra o vento, de refúgio contra a tempestade, de torrentes de águas em lugares secos e de sombra de grande rocha em terra sedenta” (Isaias 32.1, 2).
Todo o Salmo 91 demonstra o cuidado de Deus para conosco:“O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz ao Senhor: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio” (Salmo 91.1, 2).

6. No vale da sombra da morte.

Deus está conosco e propicia o livramento: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam” (Salmo 23.4).

7. Nas angústias da vida.

Ele está presente e provê a salvação: “Ele me invocará, e eu lhe responderei; na sua angústia eu estarei com ele, livrá-lo-ei e o glorificarei. Saciá-lo-ei com longevidade e lhe mostrarei a minha salvação” (Salmo 91.15, 16).
“O Senhor é bom, é fortaleza no dia da angústia e conhece os que nele se refugiam” (Naum 1.7).
“Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações” (Salmo 46.1).

Conclusão: O nosso Deus, que é o nosso Pai, sempre está presente em todas as situações da vida.
Veja a Palavra Aba - Salmo 89.26, Romanos 8.15. Ainda hoje no hebraico quando uma criança quer chamar o seu pai, esta é a palavra usada. Como é bom saber que podemos chamar com intimidade o nosso Pai a qualquer momento sabendo que mesmo quando adultos Ele nos carrega no colo e cuida de nós. (Isaías 46.4, Salmo 40.17, 103.13).

Roberto e Lourdes

A recompensa de tudo abandonar

A recompensa de tudo abandonar

I – O Evangelho reclama abnegação.

1. Jesus se dispôs a, por nós, renunciar ao Céu. – João 3:16; Mateus 26:38-44; 27:46.

2. Abraão abandonou sua parentela. – Gênesis 12:1,4.

3. Moisés preferiu sofrer aflição com o povo de Deus. – Hebreus 11:24; 25.

4. O testemunho de Paulo: "Tenho também por perda todas as coisas". – Filipenses 3:4-8.

II – Nenhum sacrifício é grande demais.

1. "Nega-te a ti mesmo". – Lucas 9 :23-26.

2. "Quem ama mais o pai ou a mãe do que a Mim, não é digno de Afim". – Mateus 10:34-38.

3. "Que aproveita ao homem". – Mateus 16:24-26.

4. "Deixaram tudo e O seguiram". – Lucas 5:11, 27, 28.

III – Aceitar o convite de Cristo.

I. A parábola da grande ceia. – Lucas 14:16-27.

2. A advertência de Cristo, – Lucas 14:33.

IV – Considerar o custo.

1. Os sofrimentos de agora; a glória, depois. – Romanos 8:17; 18.

2. Sofrer com Cristo; reinar com Ele. – II Timóteo 2:12; 1 Pedro 1:12,13.

3. Por meio de muita tribulação entrar no Reino. - Atos 14:22.

4. Congregados os santos que se sacrificaram. – Salmo 50:5.

V – A recompensa agora e eternamente.

1. Receber bênçãos centuplicadas agora, e, depois, a vida eterna. – Mateus 19:27-29; Lucas 18:28-30.

2. "Abundância de alegrias". – Salmo 16:11.

3. As decisões acertadas produzem paz perfeita. – Isaias 26:3.

4. "Paz,.. que excede a todo entendimento". – Filipenses 4:7.

5. Esperar confiante a volta de Cristo. - II Pedro 3:14.

Os reclamos do Senhor

Os reclamos do Senhor

Texto: Deuteronômio 10:12 e 13; Miqueias 6:8

O Senhor requer:

I – A declaração de Moisés. – Deuteronômio 10:12 e 13.

1. Fé com santo temor. - "Teme o Senhor teu Deus."

2. Fidelidade - "Andas em todos os Seus caminhos."

3. Amor - "Ama-o."

4. Serviço. - "Serve o Senhor teu Deus."

5. Obediência - "Para guardares os mandamentos do Senhor."

II – A declaração de Miquéias. – Miqueias 6:8.

1. Justiça - "Pratica a justiça."

2. Beneficência - "Ama a beneficência."

3. Humildade - "Anda em humildade."

4. Companheirismo - "Anda humildemente com o teu Deus."

Vitoria mediante a entrega completa

Vitoria mediante a entrega completa

I – Redenção.

1. O redentor e o preço pago. - I Pedro 1:18-20; At. 20 :28; Efésios 5:2.

2. A quem pertencemos? - I Coríntios 6 :19, 20; Romanos 14:8.

3. Como tornar-se filho de Deus. – Gálatas 3:26.

II – Entrega completa na vida vitoriosa.

1. Convite para a entrega. – Provérbios 23:26.

2. A quem nos devemos entregar? – Romanos 6:13.

3, Certeza de vitória aos que se entregam. – Romanos 6:14.

III – Poder mediante a entrega a Cristo.

1. O poder prometido. – Judas 24; 1 Pedro 1:3-5; Isaias 26:3.

2. Exemplo da Igreja de Macedônia. - II Coríntios 8:5.

IV – Buscar o Senhor de todo o coração.

1. Exemplo do passado. - II Crônicas 15:12, 15.

2. Que é feito com o coração? - I Crônicas 28:9.

3. Exortação à Igreja. – Sofonias 2:1-3.

4. Promessa animadora a quem busca. - II Crônicas 7:14.

A nova visão de um convertido

A nova visão de um convertido

Texto: Atos 9:1-16

Introdução: Narrar o fato e as circunstâncias, em síntese.

I – Atitudes antes da conversão.

1. A pessoa tem zelo fanático pela religião. – V. 1; 22:3; Gálatas 1:13-14.

2. Ataca e persegue os que crêem no Evangelho puro. - V. 1.

3. Julga que combater os crentes e matá-los é prestar serviço a Deus. - V.2. João 16:2.

II – Fatores que contribuem, para a nossa conversão.

1. A luz do Céu, ou iluminação do Espírito Santo. - V. 3.

2. Deus revelando à pessoa o seu pecado e o seu erro. - V. 1.

3. Um encontro pessoal com Jesus. - V. 5.

4. Submissão completa à vontade de Jesus. - V. 6-7.

III – Provas reais da conversão.

1. A oração espontânea a Deus. - V. 8-11.

2. O testemunho de Deus sobre nós e em nós. - V. 11-16; I João 5:10-12.

3. Plenitude do Espírito Santo em nós. - V. 18-19.

4. União com os crentes. - V.19.

5. Ousadia para pregar a Cristo. - V.20.

Zaqueu convertido

Zaqueu convertido

Texto: Lucas 19

I – Era rico, porém não satisfeito.

1. O mundo não o satisfazia.

2. Queria ver a Jesus.

II – Impedido, porém foi vencedor.

1. A multidão o estorva; tem dificuldades.

2. Não se deixa vencer.

3. Sobe a uma árvore para conseguir o seu objetivo.

III – Escondido, porém descoberto.

1. Não é visto facilmente entre a ramagem.

2. Cristo quer ter uma confissão de sua necessidade.

IV – Desconhecido, porém chamado por nome.

1. Jesus o conhece bem.

2. Conhece o desejo de seu coração.

3. O Pastor chama Suas ovelhas pelo nome. – João 10:3.

V – Esperando, porém surpreendido.

l. Esperava ver Jesus, ao passar, mas teve a alegria da Sua visita.

2. Jesus entrou em sua casa e comeu com ele.

VI – Necessitado, porém salvo.

1. Era classificado com os pecadores. - V. 7.

2. Cristo havia vindo para salvá-lo e "salvar o que se havia perdido". - V. 10.

VII – Mau, porém transformado.

1. O aceitar a Cristo resulta em uma grande transformação. João 1:12; Lucas19:6.

2. Restituiu o roubado.

3. Ajudou os pobres.

4. A justiça caracteriza o que realmente pertence ao Senhor. João 2:29.

Maria aos pés de Jesus

Maria aos pés de Jesus

Texto: Lucas 10:38-42

Introdução: Não há duas pessoas iguais neste mundo. Mesmo os irmãos gêmeos. Por exemplo, Esaú e Jacó. Maria e Marta são tão diferentes! As duas são crentes. Procuremos imitar aquela que recebeu o louvor do Mestre.

O exemplo de Maria aos pés de Jesus fornece-nos uma lição:

1. Piedade. A saber: devoção.

Ela já sabia bastante, mas queria aprendei- mais. Deleitava-se nas coisas espirituais.

2. Consagração.

Jesus merece o nosso tempo, a nossa atenção. Foi ela que mais tarde ofereceu aquele inebriante perfume (João 12:1-8).

3 . Previdência.

Jesus não estaria sempre com a família de Betânia. Foi nessa vila que Ele mais tarde afirmou: "A Mim não haveis de ter sempre." (João 12:8). Nos dias bonançosos o crente se descuida. Quando sobrevêm os tempos difíceis, sente-se perturbado. Um dia Lázaro, o irmão, morreu. Marta foi a primeira a correr a Jesus (João 11:20).

Conclusão: A Bíblia está cheia de bons exemplos deixados para a nossa edificação. Aprendamos com Maria as boas lições que a sua atitude nos sugere.

5/11/2013

A honra de ser mãe

A honra de ser mãeTema: Dia das mães

Texto: Gênesis 3.20

"Adão deu à sua mulher o nome de Eva, pois ela seria mãe de toda a humanidade". NVI "...mãe de todos os seres humanos", lemos na NTLH.

Ilustrações

Hoje celebramos um dia especial em homenagem às mães, que mais que ninguém, merecem mesmo que se celebre um dia em sua honra.

Contar a história de Suzana Wesley

“Certa vez, uma mãe sentindo um esgotamento físico e emocional, foi se consultar com um terapeuta. E logo que a mãe terminou de descrever como ia a sua vida, o terapeuta resumiu a história desse modo: "Toda pessoa possui 100% de energia; e a senhora investe 50% de suas energias no trabalho, e 50% em seu marido, e outros 50% em seus filhos. Essa é a questão!”

• A mãe está sempre fazendo mais... pena que o mundo atual não respeita o grande papel das mães.

• Todavia, Deus dá grande honra em ser mãe e Deus também convoca a todos a que honrem às mães.

I. Deus tem honrado às mães

Quando Deus criou o homem e a mulher, segundo o livro de Gênesis 3.20, Adão deu à ela o nome Eva, porque ela seria a mãe de toda a humanidade.

A mulher que é mãe, então, reflete em seu ser, algo do poder criativo de Deus. Porque somente Deus pode dar a vida, mas a mãe possui um reflexo desse poder.

• A mãe não é criadora da vida, mas ela é o instrumento usado por Deus para trazer vida nova ao mundo.

• Veja como Deus tem honrado às mães: Ele compartilha com elas o Seu poder criativo...por isso que elas devem ser honradas.

- Considere o ponto alto desta realidade, que foi o fato da encarnação do Senhor Jesus Cristo.

- A forma mais elevada em que Deus tem honrado às mães é usar a uma delas para trazer Jesus, o Seu Filho, ao mundo.

- Quando o anjo apareceu a Maria para anunciar o nascimento de Jesus, ele disse: "Salve,agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres". O anjo estava dizendo: "Maria, você é muito abençoada. O Senhor está com você" (Lc 1.28). Deus abençoou a Maria, e a todas as mulheres, usando-a para trazer Jesus a este mundo.

- No catolicismo romano se usa o título Mãe de Deus para referir-se a Maria, mas este título não é correto.

Maria não é a mãe de Deus, porque Deus sendo Deus, não pode ter mãe; Ele sempre existiu, Deus é eterno... Porém é fato: Maria foi mãe de Jesus em Sua humanidade. Maria foi mãe da natureza humana de Jesus, mesmo que Sua natureza divina sempre tenha existido.

- Então, não vamos cometer o erro de pensar em Maria como mãe de Deus, devemos reconhecer, isto sim, que ela foi a mãe de Jesus...

- As mulheres então, elas tem recebido uma honra que não tem sido dada aos homens - a honra de que uma delas foi usada para trazer o Filho de Deus ao mundo.

Mamães: o Deus Eterno, Criador e Sustentador de todas as coisas, honra a cada uma de vocês.

II. Deus também convoca a todos para honrar às mães

• Em primeiro lugar, Deus convoca os maridos para honrar às mães.

• O marido deve apreciar e apoiar a esposa.

• É de lamentar que em tantas partes do mundo a mulher seja vista como a empregada doméstica.

Para ser honesto, tem muito homem que no dia em que casou, no momento de repetir os votos matrimoniais, deveria ter dito: "Eu aceito esta mulher como minha cozinheira particular" ou "como minha arrumadeira pessoal". Assim, a noiva teria logo a oportunidade de dizer: "Ei, espere um pouco! É verdade que eu vou cozinhar, vou lavar a louça, vou arrumar a casa... mas não sou sua empregada - vou ser sua esposa. Você terá que amar-me!"

A Bíblia ensina exatamente isto, lemos em 1Pedro 3.7: "Maridos, sejam sábios no convívio com suas mulheres e tratem-nas com honra, como parte mais frágil e co-herdeiras do dom da graça da vida, de forma que não sejam interrompidas as suas orações". A esposa não existe para ser usada pelo marido, pelo contrário, a tarefa do marido é apoiar a esposa.

• A atitude do homem para com a esposa, há de ser como a atitude de um jardineiro para com uma flor bonita no jardim.

Um jardineiro tem muito cuidado com a flor, justamente por sua delicadeza e fragilidade, então ele dá o maior cuidado à flor... faz isso para que ela possa se sobressair em toda a sua beleza.

Assim é o marido que ama a Deus, ele jamais se aproveita da fragilidade da esposa... mas busca maneiras de ajudá-la.

• Os filhos também deverão honrar as mães.

Lemos isto em Proverbio 15.20: "...o filho sem juízo despreza a sua mãe". É uma grande falta de sabedoria menosprezar a mãe, quaisquer que tenham sido seus erros ou suas falhas; mas é sábio, é certo, respeitar e honrar a mãe.

Por sua vez, compete a mãe apreciar a intenção dos filhos em honrá-la.

Contamos uma estória: No dia das mães, de alguns anos atrás, dois meninos deram à sua mãe uma planta num vaso de barro como presente. Mas, com cara triste, os meninos disseram: "Mamãe, havia uma linda flor sobre o vaso, mas infelizmente quando vínhamos para casa a flor se quebrou e por isso só pudemos trazer o vaso. A mãe, como toda a mãe é, demonstrou alegria em receber o vaso. Algum tempo depois, do pequenino toco que havia ficado no vaso surgiu uma linda flor que era a mais bela de todas.

- Isto me lembra que Deus faz o mesmo conosco e nesta mensagem sobre o dia das mães somos levados a refletir que não importa situação: Porque há esperança para a árvore, que se for cortada, ainda torne a brotar, e que não cessem os seus renovos. Ainda que envelheça a sua raiz na terra, e morra o seu tronco no pó, contudo ao cheiro das águas brotará, e lançará ramos como uma planta nova. (Jó 14:7-9)

• Agora, tem Deus uma mensagem para as mães também? Sim! 

III. Deus convoca as mães a ser dignas de honra

• Aos maridos e filhos cabe honrar a mãe, qualquer que seja seu caráter. Todavia, Deus quer que as mulheres, por sua vez, se esforcem em ser dignas da honra que recebem.

Como se pode fazer isto? Lemos na Bíblia, em Provérbios 31.30: "A formosura é uma ilusão, e a beleza acaba, mas a mulher que teme ao Senhor será elogiada".

- Não importa se você, mulher, pode vestir a última moda, se tem um corpo escultural ou se parece top model... tudo isso é passageiro - o que Deus preza é o coração... o coração é que precisa ser belo.

Há homens que buscaram beleza exterior na mulher, casaram e hoje estão arrependidos, porque poderiam ter casado melhor... aliás, dizem que 99% da beleza feminina sai com água e sabão.

- Agora, a verdadeira beleza da mulher, que está no coração temente a Deus, no coração que respeita a Deus, que adora a Deus... esta beleza não se perde em meio a rugas, nem em meio a cabelos brancos ou a celulites, ao contrário, se torna mais e mais exuberante com o passar dos anos!

- Se você quer ser realmente bela, você que é mulher e mãe, então, teme a Deus, obedeça a Deus, busque mais a Deus, passe tempo com Ele, seja uma "caçadora" de Deus. Assim você será realmente bonita e digna de elogio.

• A mãe também se mostra digna de honra tomando a sério o seu título de mãe.

Lemos em Provérbios 31.27-28, algo sobre a mulher ideal: "Ela nunca tem preguiça e está sempre cuidando da sua família. Os seus filhos a respeitam e falam bem dela, e o seu marido a elogia".

- Infelizmente, há muitas mulheres modernas que não consideram o ser dona de casa como algo honroso. Nossa cultura, e muitos maridos não reconhecem o importante trabalho que faz a mulher ao cuidar da casa e da criação dos filhos.

- Entretanto, esse é o trabalho mais precioso que vocês podem fazer!

- Se é necessário que a mulher trabalhe fora de casa, Deus não a proíbe. É nobre que ela apoie o marido no sustento da família... a mulher, porém, só não pode se esquecer disto: que seu trabalho mais importante, é o cuidado dos filhos que Deus lhe tem confiado.

Conclusão: Um famoso pregador, de outra geração, teve quatro filhos, e todos também se tornaram pregadores. Já imaginou como devia ser o jantar na casa dele? Em certa ocasião, um visitante perguntou a um dos filhos quem era o melhor pregador da família, imaginando que o famoso pai fosse o indicado. Porém, sem pensar muito, o filho respondeu: "É minha mãe".

Você que é mãe tem uma grande oportunidade: a de pregar os princípios de Deus com sua vida, com seu exemplo e com seus conselhos à sua família.

Mãe: Deus a honrará por fazer isso.

Sidinei Egon Simon - Adaptado

5/09/2013

As semelhanças de uma mãe

As semelhanças de uma mãe
Tema: Dia das mães

Texto: Provérbios 30:11

Introdução: A Bíblia diz: "Há gente que amaldiçoa a seu pai, e que não bendiz a sua mãe”.

Se uma pessoa trata a mãe como ele ou ela deve, a mãe não é amaldiçoada, mas sim abençoada. É impossível esgotar as razões para a importância da mãe no lar. Ela é o "centro" no qual tudo gira.

Devido aos papéis multifacetados que ela desenvolve em casa, todo mundo deveria ver a importância dela. Todos os membros de um lar dependem da mãe mais do que podem até mesmo imaginam. Sua influência é muito grande.

Vamos considerar várias coisas que uma mãe é devido aos muitos papéis que ela assume.

I. Ela é como uma professora.

A mãe verdadeira ensina um filho ou uma filha a ficarem longe de bebidas alcoólicas, jogos de azar, imoralidade sexual, o tipo errado de amizade, a ser franco e honesto, e como conhecer e andar com Deus.
Muito do que somos é, em parte, devido, na maioria dos casos, o tipo de ensinamentos recebidos de uma boa mãe.

Ela ensina a Palavra de Deus, os caminhos de Deus e as obras de Deus.

II. Ela é como uma enfermeira.

Uma enfermeira cuida de seus pacientes com cuidado diligente. A enfermeira é chamada, no acenando do paciente. Ela vai para a pessoa que ela está cuidando nos momentos em que ela se sente como ela precisa de alguém cuidando dela.

A boa enfermeira é uma pessoa muito altruísta.

III. Ela é como um conselheiro.

Algum dos melhores conselhos que um jovem recebe é de uma mãe piedosa. Conselheiros profissionais são muito caros, mas, por outro lado, muitas vezes você pode obter os melhores conselhos de "graça" da mãe.
Muitos de vocês já perderam suas mães, mas os momentos de aconselhamento de coração para coração nunca vai deixar você.

A morte não pode nos roubar preciosas memórias.

IV. Ela é como um amigo.

Rapaz ou moça, o melhor amigo que você terá neste mundo será sempre sua mãe. Ela está mais qualificada para ser um amigo do que a maioria daqueles que "pensamos" serem nossos melhores amigos. A Bíblia diz: "O amigo ama em todos os momentos" (Provérbios 17: 17).

Isso soa como uma mãe "real" para mim!

V. Ela é como Cristo.

Muitas pessoas vieram a conhecer o Senhor e assim receber o perdão e a remissão dos pecados, porque eles tiveram uma mãe, que manifestou Cristo a eles.

Sábia é a mãe que ora e trabalha a fim de que os seus filhos possam ver Jesus em suas ações, atitudes e suas realizações. Lembre-se sempre como a vida piedosa de Eunice e a avó piedosa, Lóide, afetou Timóteo (1 Timóteo 2:5).

5/08/2013

Eunice – Mulher que fez a diferença

Eunice – Mulher que fez a diferença
Dia das mães

Eunice – Mãe de um pregador

Texto: II Timóteo 1:5

“Trazendo à memória a fé não fingida que em ti há, a qual habitou primeiro em tua avó Lóide, e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também habita em ti”.

Introdução: A Palavra de Deus nos fala de várias mulheres e muitas delas com características respeitáveis. Não temos muitas menções de mulheres no Novo Testamento, mas quando são mencionadas trazem em sua maioria um estigma de preciosidade. Dentre estas mulheres mencionadas no Novo Testamento poderíamos falar de Febe a diaconisa que trabalhou incansavelmente na obra. Por que não lembrar Priscila que é mencionada antes de seu marido Áquila em 03 das 05 passagens do Novo Testamento? Mulher que juntamente com seu marido tiveram o cuidado de tomar Apolo, cristão fervoroso e eloquente pregador, e cuidaram para que ele fosse mais bem instruído no caminho do Senhor? Poderíamos falar das mulheres que não tiveram seus nomes mencionados, mas que serviram pessoalmente ao Senhor Jesus.

Lídia, mulher rica que foi alcançada pela graça de Deus e teve seu coração aberto pelo Espírito Santo e serviu ao Senhor abrindo as portas de sua casa para pregação do Evangelho e com certeza ofereceu seus bens para propagação da mensagem do Reino de Deus.

Poderia ficar algum tempo falando sobres essas mulheres maravilhosas que em nada desonram o nome do Salvador, mas vou me deter em uma chamada Eunice.

Eunice era uma mulher judia devota que provavelmente foi salva através do ministério do apóstolo Paulo. Não se conhece nada sobre seu esposo. Procurou guiar seu filho, Timóteo, nos caminhos de Deus, é mais bem conhecida pelo impacto de sua vida sobre a de seu filho.

Vamos ver algumas características sobre Eunice.

1 – Era uma mulher de Deus

A – Sua vida impactou a vida do apóstolo Paulo.

Paulo ao mencionar Eunice para Timóteo o faz com alegria e prazer. Paulo escreve sua 2ª carta a Timóteo entre 63 e 64 D.C. Escreve para um jovem pastor que lutava para se firmar no ministério com sua pouca idade. Timóteo era propenso a doenças e tinha temperamento tímido. Diante desse quadro Paulo diz: “olhe para sua mãe como exemplo de fé”. Depois de 2000 anos de cristianismo achamos que ser cristão em um país onde não existem perseguições abertas ao cristianismo é fácil. Mas vale lembrar que no ano 63 ou 64 da era cristã o imperador era Lúcio Domício Enobarbo, nada menos que Nero. Um dos homens mais cruéis que já existiram neste planeta. Paulo encontra em Eunice uma fé inabalável que impacta sua vida e o alegra, pois, havia alguém que empunhava a bandeira do evangelho sem a deixar cair.

O mundo precisa de Eunices neste século XXI. A igreja precisa de mulheres como Eunice que sejam exemplos de fé para outros. Temos visto sim muitas mulheres que não são exemplos de nada e de ninguém. Minha irmã existe um clamor que diz: “Onde estão as Eunices de Deus?”.
Nossos jovens precisam ser impactados diante do exemplo de mulheres que acima de tudo possuam uma fé inabalável no Senhor. Mulheres que não temem as más notícias. Mulheres que se comportam com equilíbrio diante das incertezas da vida. Mulheres que como mães têm o que mostrar e demonstrar aos seus filhos.

B – Eunice Tinha Grande Estima Pelas Escrituras.

Eunice tratava com respeito a Palavra de Deus. Tinha-a em grande estima, isto é, tinha como relevante para sua vida pessoal e familiar. Ninguém pode ser louvada pela fé que possui dissociada da Palavra de Deus. Hoje não temos encontrado mulheres que se dedicam ao estudo da Palavra em nível pessoal. Mulheres que se deleitam com as Escrituras e têm o que compartilhar com os seus.

Uma das máximas da Reforma Protestante foi Sola Scriptura, ou seja, somente as Escrituras. Precisamos resgatar o Sola Scriptura na igreja do século XXI e acredito mesmo que isso se dará, muitas vezes, através de mulheres compromissadas com a Palavra. Conheci pessoalmente várias mulheres que marcaram sua geração porque eram amantes da Palavra. Eunice levou a sério as Escrituras Sagradas a ponto de exercer uma influencia benéfica em seu filho Timóteo.

A senhora que é mãe ou você que sonha em ser, qual o destaque dado às Escrituras em sua vida? Que tipo de influência a senhora exerce sobre sua família? Quando a irmã executa a disciplina em seus filhos o faz baseado na Palavra. Se assim não for não haverá proveito algum.

D. L. Moody disse a respeito da Bíblia: “Ou este livro me afastará do pecado ou o pecado me afastará deste livro”.
A igreja precisa urgentemente de mães/mulheres que amem a Palavra. A igreja precisa de mulheres que ao abrirem suas bocas comuniquem a vontade de Deus no poder do Espírito Santo.

C – Eunice Sabia Que a Piedade Fundamentaria a Responsabilidade e Não que a Responsabilidade fundamentaria a Piedade.

Eis aqui um princípio que toda mãe deveria guardar no fundo de sua alma.

A piedade deve ser o alicerce da responsabilidade. Piedade quer dizer:
Amor e respeito às coisas religiosas; religiosidade; devoção”.
A devoção a Deus deve ser a base de nossa responsabilidade. O temor a Deus deve ser a pedra angular sobre a qual construiremos o edifício da responsabilidade. Toda responsabilidade deve ser conseqüência de minha devoção a Deus, pois, em última instância será a Ele que prestarei contas de minha vida e decisões. Porque verei o Senhor face-a-face então assumo responsabilidades nesta vida. Com isso quero receber a aprovação do Pai e não dos homens. Quando todos se voltarem contra minha vida por ter assumido responsabilidades para glória de Deus, será realidade em mim o salmo 23:4 “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam”. Sim haverá consolo e proteção na hora da angústia.

Minha irmã não tema assumir as responsabilidades na vida. Isso é necessário. Mas saiba qual é a real motivação- o temor a Deus.

II – Eunice conheceu o exito espiritual em sua vida.

A – Este Êxito Pode Ter Sido Conseguido Apesar das Circunstâncias do Lar.

Ninguém está afirmando que ser mãe e ser casada é algo fácil e despreocupado. Nunca uma função foi tão menosprezada como esta. Função fundamental, mas pouco apreciada por muitas mulheres hoje em dia. Muitas mulheres estão abdicando da maternidade e de seus lares em troca da ascensão profissional. Em muitos casos exige-se que a mulher trabalhe fora para completar a renda familiar.

Isso, se necessário, deve ser feito. Mas implica em uma dupla jornada de trabalho. Mesmo com uma profissão rentável o ser mãe é imprescindível. Aqui vale lembrar um pensamento de um executivo de uma grande empresa: “Nenhum sucesso profissional vale o fracasso familiar”.

Às vezes as circunstâncias em família são complicadas e não saem do jeito que planejamos. Outras vezes é o inesperado que nos assedia. Minha Irmã mesmo que as circunstâncias do seu lar não sejam 100% favoráveis, a irmã é chamada a continuar, a batalhar pela vontade de Deus e acima de tudo ver a glória de Deus em sua vida.

Gostaria de lembrar Suzana Wesley. “Ela criou dezenove filhos e dedicava tempo para cada um individualmente. Quando sua casa pegou fogo e João Wesley foi salvo naquele incêndio, ela disse: Este é um tição tirado do fogo. Deus um plano especial para este menino. Dedicou mais tempo para João Wesley e este em sua época foi instrumento de avivamento na Inglaterra fundando o metodismo”.

B – Eunice Prova Que é Possível Ser Uma Cristã Exemplar Só ou Com um Companheiro não Cristão.

Pastor eu sou só em minha casa. A fé está somente em minhas mãos. Como é difícil suportar tudo sozinha. Minha irmã tudo isso é verdade, mas não deve ser fatalidade ou fatalismo. Porque estou só necessariamente devo me comportar erroneamente? A mulher pode estar só em relação à fé. Seu marido pode ser indiferente para com as coisas Deus. Mas vale lembrar que temos a companhia de Cristo todos os dias de nossas vidas até o final. A Palavra nos diz que: “Jamais te deixarei, jamais te desampararei”.

Tenho acompanhando vidas de algumas mulheres cristãs que se recusam de abrir mão de ser cristã mesmo diante das piores dificuldades. São mulheres de fibra e determinação. Conheci pessoalmente uma irmã. Seu nome é... . Ela pessoalmente me disse: “Pastor Luiz, uma das piores coisas para mim é ter que manter relações sexuais com meu marido quando ele está alcoolizado. Aquele cheiro de bebida me provoca vômito. Mas eu não me nego a ele, pois, não quero que ele dê alguma desculpa do porque ele ainda não se entregou nas mãos de Cristo. E se ele morrer antes disso não serei culpada de nada. Há alguns anos atrás ela me ligou dizendo: Pastor meu marido se converteu. Agora é do Senhor”.

Minhas irmãs aquela mulher lutou tendo quase tudo contra si. Teve dois filhos com comportamentos sexuais disfuncionais (pelo padrão bíblico), um esposo alcoólatra, uma família dividida, mas mesmo assim perseverou e lutou com as armas do Senhor.Revestiu-se do Senhor e da força do Seu poder.

III – Eunice não era uma mulher apegada a nada.

A – O Apego É Uma das Maiores Causas do Sofrimento.
B – Quando Deus Chamou Timóteo (através de Paulo), Ela Não Segurou.
B1 – Eunice Sabia que seu filho Timóteo era jovem.
B2 – Eunice Sabia que Seu filho tinha constituição física fraca e adoecia facilmente.
B3 – Sabia que Somente Deus poderia dar êxito para Timóteo.

IV – Eunice havia ensinado a seu filho qualidades especiais.

A – Havia lhe ensinado a obediência. (I Tm. 1:1-4, 18)
B – Havia lhe ensinado dedicação/disciplina a uma tarefa difícil.
(I Tm. 4:12-16)
C – Havia lhe instruído em uma vida santa. (I Tm. 6:11-14)
D – havia lhe ensinado a amar e a ser sincero com os outros.
(II Tm. 1:1-4)
E – Havia lhe ensinado a ser fiel. (II Timoteo 4:9, 10 e 21)

Conclusão: Eunice mostra o impacto de uma mãe, assim como a importância de instruir bem os filhos e de inculcar-lhes um bom caráter. A boa tarefa que Eunice fez como mãe e a razão pela qual a conhecemos através do ministério de seu filho pregador.

QUE DEUS ABENÇOE CADA MÃE NESTE DIA.

Que mulher é essa?
Que mulher é essa
que não se cansa nunca,
que não reclama nada
que disfarça a dor?
Que mulher é essa
que contribui com tudo,
que distribui afeto,
tira espinhos do amor!
Que mulher é essa
de palavras leves,
coração aberto,
pronta a perdoar?
Que mulher é essa?
que sai do palco,
ao terminar a peça,
sem chorar!
Essa mulher existe,
sua doçura resiste,
às dores da ingratidão,
resiste à saudade imensa,
resiste ao trabalho forçado,
resiste aos caminhos do não!
Essa mulher é MÃE,
linda, como todas são. Fonte: Ivone Boechat
 
Fonte: http://ministerioforcaparaviver.blogspot.com.br

5/07/2013

A Mulher Sábia Edifica a Sua Casa

A Mulher Sábia Edifica a Sua Casa
Tema: A mulher precisa ter qualidades, das quais, depende a felicidade do lar.

Lar doce lar. Provavelmente você já ouviu esta frase antes. Completa por si mesma, e alvo de muitas famílias, esconde dentro dela uma realidade conhecida por poucos, a qual, pode ser definida pelas palavras de Salomão: “Toda mulher sábia edifica a sua casa, mas a tola a derruba com suas próprias mãos” (Provérbios 14:1).

Em outras palavras, Deus está nos dizendo que a mulher precisa ter qualidades, das quais, depende o bom sucesso do seu lar. Não haverá um lar doce e feliz sem uma mulher sábia. Para confirmar o que estamos dizendo estudaremos a vida da mulher Sunamita (2 Reis 4:8-37).

A mulher sábia há de ter os olhos voltados para a obra do Senhor; v. 9

A mulher sábia há de ter contentamento; v. 13

Em Provérbios 30:21,23 somos informados que a terra se alvoroça...com uma mulher aborrecida (sem contentamento descontente com o que recebemos de Deus) quando se casa."

Algumas mulheres não precisam de muita coisa para se aborrecer. Se uma agulha se perde o mundo o ouvirá. Pensemos no descontentamento de algumas mulheres e em como isso afeta seus filhos, e muito mais, seus maridos. Não poderá o marido viver alegre, afinal, quem deveria alegrar-lhe está sempre triste e reclamando. A Sunamita era jovem, provavelmente bonita, e, sendo casada com um homem bem mais velho, estava impossibilitada de ter filhos. Para uma mulher daquele tempo isso era um sinal muito triste. Podia ela viver aborrecida, mas não! Ela está satisfeita. Quando o profeta quis devolver a benfeitoria ela prontamente recusou, alegando: Eu vivo feliz no meio do meu povo. Para ela o simples fato de viver entre as pessoas que a amava e a respeita já era motivo de ser feliz. Seria bom se todos tivessem consciência de quando estão realmente bem. O coração contente não precisa de muito para sentir-se feliz e em paz. Contrário isso é o espírito de descontentamento que paira sobre muitas mulheres.

Tal foi o caso de Raquel, que numa condição igual a da Sunamita disse ao seu marido: Me dá filhos senão eu morro. Além de viver descontente culpa o marido pelo fato (Provérbios 30:15; 17:1)

A mulher sábia atrai as bênçãos do Senhor; v. 14-17

Sim, afinal, Deus não é injusto para se esquecer do vosso trabalho (Hebreus 6:10). Os lares mais felizes e abençoados são aqueles onde a mulher edifica um espírito de contentamento e gratidão, pois, mesmo as bênçãos não pedidas e inesperadas chegam como recompensa do temor ao Senhor. Deus tem prazer em contemplar o desejo secreto...porque, vosso Pai sabe o que vos é necessário antes de vós lho pedirdes (Mateus 6:8). Veja a Sunamita. Mesmo sem pedir, Deus lhe deu um filho. Uma mãe contente é uma mãe que espera em Deus, e é isso que ela deve transmitir aos filhos.

A mulher sábia tem a confiança da sua família; v. 18-19

Como é bom ter alguém com quem podemos contar sempre. Veja o desespero desse velho homem quando seu filho ficou doente. Que poderia ele fazer com as dores do seu filho? Mas ele tem uma auxiliadora, e sabe que pode contar com ela. Sua ordem ao servo expressa isso: “Leva-o a sua mãe. E ele o tomou e o levou a sua mãe; e esteve sobre os seus joelhos...". O filho precisa de um colo e o marido de um ombro. Você é uma mulher assim? Seu marido pode contar com você nas horas mais difíceis? És tu um amortecedor dos impactos? Que seja!

Faça tudo para ser. Sua família precisa de você. O marido precisa de uma mulher em quem confiar, pois esse é o propósito de Deus para a esposa, ou seja, ser-lhe uma adjutora? Para que o coração do seu marido está nela confiado? (Provérbios 31:11-12).

A mulher sábia não é alvoroçadora; v. 20-23

Este é o ponto x para muitas mulheres.

”A mulher louca é alvoroçadora; é néscia e não sabe coisa alguma." (Provérbios 9:13).

Certamente não era esse o caso da Sunamita. O filho que recebera veio a adoecer e morrer em seu colo. Poderia sair correndo, injuriando, amaldiçoando, e acusando seu marido pela fatalidade. Muitas mulheres são alvoroçadoras, ou seja, irrequietas, assustadas e barulhentas. O comportamento de mulheres assim nos dias de angústia faz da casa um verdadeiro campo de guerra. Sua agitação e gritaria causa tamanha confusão no lar que todos tendem a escapar de sua revolta. Mas a mulher Sunamita é sábia, e seu comportamento no dia da adversidade mostra uma calma impressionante que é fruto da fé verdadeira. Nenhuma palavra louca saiu de seus lábios. Imediatamente ela pensou em Deus, e foi logo falar com aquele que o representava. Do marido pede apenas algumas providências matérias, e para não abala-lo, diz-lhe: Não se preocupe. De fato, quando a mãe tem seu coração confiado em Deus o lar goza calma. Sim, tudo o que Deus faz é bom!

1. O alvoroço de Sara trouxe Ismael ao mundo.
2. O alvoroço de Rebeca quase causou um assassinato; Gênesis 27:13

Melhor é morar numa terra deserta do que com a mulher rixosa e iracunda. Está bem. Provérbios 21:19

A mulher sábia confia seus filhos apenas a Deus! v. 25

Enquanto a maioria das pessoas de seu tempo consultaria os ídolos (I Reis 1:2) a Sunamita vai diretamente a Deus. É fato que o desespero tem feito muitas mães levar sua casa para a idolatria, para os charlatões da fé, e para o espiritismo.

A Sunamita tem consciência de que somente Deus pode ajuda-la. Tinha tal confiança na bondade de Deus, que estava pronta para crer que Ele restauraria o que havia agora retirado. Finalmente o filho amado foi restaurado vivo à sua mãe. Colocar um filho nas mãos de Deus e te-lo eternamente. Que o esforço maior de uma mãe seja o de pôr seus filhos nas mãos do Senhor.

A mulher sábia jamais ficará desamparada: 2 Reis 8:1-6

Pastor Gilberto Stefano

A Mãe do Tipo de Deus

A Mãe do Tipo de Deus
Tema: A mãe aprovada por Deus é uma mulher que teme ao Senhor.

Uma boa mãe não é obra do acaso. Mãe é uma peça de um grande conjunto de virtudes que deve ter uma mulher que teme ao Senhor. Uma coisa é ser mãe, outra, bem diferente, é ser uma mãe do "tipo de Deus".

E por quê dizemos isso? Porque nenhuma mãe é apenas "mãe". Ela não tem apenas a função de "dar a luz". Antes de ser mãe ela é uma mulher, e, como toda mulher, ser mãe é uma função entre muitas outras que Deus lhe tem designado.

Ao lermos a Bíblia em Provérbios 31:30 descobrimos que: "A mulher que teme ao Senhor essa será louvada", não diz, a mãe que teme ao Senhor, mas, a mulher que teme ao Senhor. Essa questão é relevante para nos instruir mais sobre o pensamento de Deus da mãe que ele espera que toda mulher seja.

I. A Mãe do tipo de Deus faz parte de um conjunto de uma mulher que teme ao Senhor: Tito 2:3-5;

A. Ela não tem apenas uma ou algumas qualidades: "ninguém será apenas uma boa mãe e será louvada por Deus"
Exemplo: Um funcionário não será bom funcionário só porque não chega atrasado; ver se ele é dedicado; ver se ele não fica brigando com os companheiros; ver se ele tem o espírito de companheirismo.

B. Ela é completa na "descrição divina":
1. Ela ama seu marido: respeita e sabe agir com submissão. Provérbios 31:11-12, "O coração do seu marido está nela confiado, e a ela nenhuma fazenda faltará. Ela lhe faz bem e não mal, todos os dias da sua vida."
2. Ela ama os seus filhos: "Esse amor é do tipo de Deus, e veremos com mais atenção"
3. É uma mulher "prudente": Provérbios 14:1, "Toda mulher sábia edifica a sua casa, mas a tola derriba-a com as suas mãos."
a) Sabe agir com discernimento, cuidando do que é melhor para todos;
b) Ela pensa no marido, depois nos filhos, e, por fim, pensa nela;
c) O péssimo exemplo de Rebeca: Pensava apenas em um filho!
4. É uma mulher casta: Verso de Nabuco de Araújo: "A mulher não deveria esquecer nunca que o marido depositou em suas mãos a honra do seu nome e o futuro de seus filhos"
5. É uma boa dona de casa;
a) Não tem desculpa nem deixam de ser aquelas que trabalham fora;
b) Dona de casa é a expressão correta para uma mulher que sabe que tem uma casa para cuidar;
c) Nem as próprias mulheres perdoam uma companheira que age como uma bonequinha de porcelana e faz do marido um capacho;

C. Tiremos umas dessas virtudes e não encontraremos a mulher que teme ao Senhor;

II. Esse conjunto não se forma por acaso, firma-se a partir do conhecimento que uma mulher tem da vontade de Deus:

A. Que pode passar da mulher mais velha para ela que é mais nova;

B. Que vem da leitura pessoal das escrituras;

C. Muitas mulheres não tiveram o privilégio de ter uma mãe para ensinar esses princípios importantíssimos;

III. A Mãe do Tipo de Deus compreende a altura e o valor da posição que Deus lhe deu:

Lucas 1:30-31; "Não temas, darás a luz a um filho"

A. Ninguém dará importância a uma coisa se primeiro não entender o seu valor: Exemplo da criança com uma nota de cem dólares;

B. Se a mãe não compreender a altura elevada de sua posição, não poderá dar o valor necessário que este ofício requer;

C. Nada pode ter tanto valor aos olhos de Deus do que uma mulher que teme ao Senhor:

IV. A compreensão de sua alta posição levou Maria, a mãe de Jesus, a "aceitar" incondicionalmente a sua tarefa:

"Eis aqui a serva do Senhor" Lucas 1:38;

A. Existe muita diferença em aceitar alguma coisa e recebê-la:

B. Esta verdade pode ser evidenciada na vida de muitas mulheres:
1. Há muitas mães que tem recebido a bênção de ser mãe:
2. Isto não quer dizer que aceitam o ofício:
a) Como foi uma gravidez inesperada acabam rejeitando elevada posição;
b) Como não queriam ser mãe desprezam seus filhos;
c) Enfim, receberam mas não aceitaram;

C. Nenhuma mulher será uma boa mãe se não aceitar a honra desta tarefa maravilhosa como uma oportunidade maravilhosa de "servir a Deus"

D. Ela deve dizer ao Senhor: "Eis aqui a tua serva, seja feito em mim segundo a Tua Palavra"

E. Maria aceitou prontamente a oportunidade dada por Deus:
1. Aceitou verbalmente;
2. Aceitou espiritualmente numa oração cheia de fé: "A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus"
a) Glorificando a Deus pela bênção recebida;
b) Alegrando-se em poder desempenhar tão grande tarefa;

V. Em nossa sociedade será cada vez mais difícil que as mulheres aceitem este papel (ou bênção) tão importante que é ser mãe:

A. É tão importante, que a primeira mulher, primeiramente chamada de "varoa" ganhou um novo nome de seu marido: "Eva" ou seja, mãe da vida;

B. Os motivos que este papel será cada vez mais rejeitado:
1. Profissionalismo;
2. Por desconhecer a recompensa que esta tarefa pode trazer;

VI. Como Maria as mães devem entender claramente que não basta ser mãe é preciso ser uma "boa mãe":

A. Seu primeiro passo foi "apresentá-lo ao Senhor"
1. Consagrar, ou seja, entregá-los aos cuidados de Deus;
2. O primeiro lugar que Maria levou seu filho foi na igreja. Hoje às vezes é o último;

B. Soube segurá-lo quando era preciso retê-lo e soube soltá-lo quando chegou a hora:
1. A mãe precisa aprender de Deus a "reter" seu filho: Lucas 2:48,51; Provérbios 29:15;
a) Com isso queremos dizer que deve segurá-lo com firmeza, ou seja, guardá-lo em seu poder com bastante firmeza;
b) Uma boa mãe saberá dizer "não" com amor quando isto ainda é sua obrigação;
c) A pior coisa que uma mãe pode fazer a um filho pequeno é soltá-lo.

2. A mãe também precisa aprender a soltar seu filho na hora certa: "Segurar não é uma tarefa fácil, soltar é ainda mais difícil"
a) Creio que esta foi a hora mais difícil para Maria; João 2:4;
b) Foi mesmo levada pelo amor materno a pensar que a entrega total de sua vida para Deus era coisa de maluco; Marcos 3:20-21;
c) Precisou na sua vida de mãe "repartir" seu filho com as outras pessoas:
1) Nem todas as mães aprendem isso; Marcos 3:31-35;
2) Muitos casais acabam se separando porque as mães resolvem achar que ainda mandam nos seus filhos;
3. Há muitas mães que soltam seus filhos quando deveriam retê-los e querem segurá-los quando deveriam ser soltos;

C. Ter espírito de contentamento e isto é fundamental para moldar o caráter de uma criança: Lucas 1:39,56;
1. Uma mãe descontente pode criar um ladrão, um assassino ou um deprimido;
2. Já pensou Maria se decepcionar com a condição de vida que levava e transmitir sua decepção à suas crianças?

"Soube criar seu filho em alegria ao lado do carpinteiro de Nazaré; Lucas 4:16"

D. Soube ajudá-lo discretamente. Isto é uma arte em especial.
1. Existe muita verdade na frase: "De tanto querer ajudar acaba atrapalhando";

E. Soube sofrer pelo seu filho sem injuriar ao Senhor: João 19:25;

VII. Mas a mãe que não teme a Deus tem sido um desastre:

A. Quando lhe falta as outras peças do grande conjunto:

B. A forma com que se comporta influencia diretamente seus filhos; Ezequiel 16:44:

C. Penso na filha de Herodias; Mateus 14:8;

D. Penso no filho de Jezabel 2 Reis 9:22 E sucedeu que, vendo Jorão a Jeú, disse: Há paz, Jeú? E disse ele: Que paz, enquanto as prostituições da tua mãe Jezabel e as suas feitiçarias são tantas?

VIII. A Mãe do tipo de Deus, além de ser uma mulher exemplar será "louvada":

A. Seu filho será seu discípulo; (Ezequiel 16:44)

B. Sua código de instrução sempre será a Bíblia;

C. Que bela figura temos em Provérbios 31:23,28,31;
1. Conhece-se o seu marido nas portas, quando se assenta com os anciãos da terra. Provérbios 31:23;
2. Levantam-se seus filhos, e chamam-na bem-aventurada; como também seu marido, que a louva, dizendo: Muitas filhas agiram virtuosamente, mas tu a todas és superior. Provérbios 31:28-29;
3. Dai-lhe do fruto das suas mãos, e ouvem-na nas portas as suas obras; Provérbios 31:31;

IX. Será uma "mãe" do tipo de Deus toda mulher que tiver a sabedoria de Maria:

A. Que confessou a Jesus como seu Salvador;

B. Que fez do seu lar um celeiro de "filhos" de Deus;
1. Seus irmãos eram crentes, casados com mulheres crentes; I Coríntios 9:5
2. Um de seus irmãos tornou-se um "apóstolo" (Gálatas 1:19), e este irmão, criado junto com ele confessou: "Sou escravo de Cristo" Tiago 1:1;

C. Resultado: Lucas 11:27; "E aconteceu que, dizendo ele essas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste!"