4/29/2013

O conquistador cristão

O conquistador cristão

Texto: Apocalipse 21:7

I – Os inimigos do cristão.

1. O mundo.

a) A advertência divina. - I João. 2:15-17.

2. Um coração enganoso.

a) A verdade bíblica, – Provérbios 17:9.

3. Espíritos do mal. – Efésios 6:10-12.

II – Os auxílios cristãos.

1. Oração.

a) A oração é a chave, nas mãos da fé, que remove os maiores obstáculos.

b) As maiores batalhas, as mais renhidas lutas foram ganhas de joelhos. - I Tessalonicenses 5:17; Romanos 12:12; Efésios 6:12; Lucas 21:36; I Pedro 5:6-9; Salmo 50:15.

2. As promessas,

a) Deus guarda e protege os fiéis. – Salmo 91; 46:1; Isaias 43:1-2; 41:10.

3. A companhia cristã. - I Pedro 5:9.

III – A recompensa cristã.

1. Uma herança gloriosa. - I Pedro 4:19; 5:4.

2. Uma herança eterna. – Apocalipse 2:26-28.

Uma entrega sem reservas

Uma entrega sem reservas

Texto: Romanos 12:1-2

I – O sistema antigo de sacrifícios.

1. Entre os pagãos.

a) Profetas retalhavam seus corpos.

b) O povo matava seus filhos.

2. Entre os judeus,

a) Sacrifícios de animais.

b) Exemplo de Saul e os amalequitas.

3. Entre os cristãos de hoje.

a) Penitências, romarias etc.

II – O sacrifício de que Paulo fala.

1. Não um sangue derramado, mas a correr e a trabalhar circulando em nosso organismo e nosso ser.

2. Não somente os nossos conhecimentos, mas nós mesmos, visto que Lhe pertencemos - I Coríntios 6 :19,20.

a) Ele pede aquilo que adquiriu. - I Pedro 1:18,19.

b) Somos Sua propriedade e devemos prestar-Lhe nosso serviço e sacrifício de louvor. Ex, : - o boi.

3. Os animais para o sacrifício deviam ser sem mácula. Não poderemos nunca prestar um bom serviço ao Senhor se estivermos poluídos com o pecado e as coisas deste mundo.

a) Não podemos servir a dois senhores, – Romanos 6:13.

4. Deus requer um sacrifício vivo e não morto. - II Coríntios 12:15.

a) Exemplo de como se gasta a vela.

b) Cristo na alma faz o sacrifício vivo. – Gálatas 2:20.

III – O motivo da súplica de Paulo.

1. "Pela compaixão de Deus" - Deus é misericordioso. Deu-nos vida, alimento, luz, ar, tudo enfim, e por esse motivo devemos entregar a Ele nosso tudo.

2. "Nosso culto racional" - Deus não requer uma devolução cega e ignorante, mas inteligente e sincera.

a) Esse culto deve ser conforme as Escrituras.

Razões por que Deus diz “não” para nós

Razões por que Deus diz “não” para nós

Texto: "Mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás..." (Gênesis 2.17)

Introdução: Muitos cristãos que têm como característica de vida ser fiel a Deus, vez por outra, se encontram em meio a um amontoado de questionamentos. Muitos vivem se perguntando: Por que Deus disse “não” como resposta ao pedido que lhe fiz?

Pode ser que você que esta lendo esta mensagem, esteja nesta situação, e se de fato, esta fora realidade que você esta vivendo, continue lendo com atenção redobrada, pois, você descobrirá, que em certas ocasiões, Deus nos diz não, pelo fato d’Ele nos amar de forma inexplicável.

Objetivo da mensagem: Mostrar que Deus disse “não” a Adão e Eva - simplesmente porque queria protegê-los, e juntamente com eles, toda a humanidade da natureza pecaminosa que foi herdada de Adão e Eva, pelo fato de ambos terem desrespeitando o “não” de Deus, comendo do fruto da arvore do bem e do mal.

Dito isto a nível introdutório, imagine você chegando ao zoológico, e logo após arrumar todos os seus pertences, em um lugar apropriado, você inicia uma jornada com o objetivo de visitar cada espécie de animal, em seu devido lugar de habitação, de acordo com sua natureza.
De repente, você vai de encontro a uma imensa jaula repleta de leões, e, ao aproximar-se da mesma, percebe-se que tem um aviso colocado pela direção do zoológico com o seguinte teor... “Não toque na jaula”.

Pergunto...“Por que a direção do zoológico preocupou-se em deixar um aviso que dizia para os visitantes, não tocarem na jaula dos leões?” “Será que é porque eles queriam simplesmente ditar regras para a vida dos visitantes?” “Será que era para transmitir uma imagem de que quem dava as ordens no zoológico eram eles?”

Bom, na verdade, nenhum destes questionamentos está correto. Por quê? É simples! O aviso só foi colocado na jaula, objetivando lembrar que ninguém deveria tocá-la, pois, a direção do zoológico tinha ciência que se algum desavisado encostasse na jaula repleta de leões, certamente iria se machucar, ou, até mesmo perder a vida, pois os leões, certamente atacariam qualquer um que tocasse em sua jaula.

Quando Deus disse “não” para Adão e Eva, era porque Ele sabia que se eles alimentassem do fruto da árvore do bem e do mal, eles iriam ser penalizados com a sentença de morte. "porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás" (Gênesis 2.17).

Com muita frequência Deus diz “não” para nós, em relação a uma casa que está nos nossos planos para comprá-la, ou um carro, uma viagem, uma profissão, um casamento e etc.
Entretanto, a pergunta que não quer calar é, “por que Deus diz não para muitas coisas que aos nossos olhos julgamos ser boas?” “Será que é pelo fato de Deus ser arbitrário?” “Será que é autoritarismo em determinar regras apenas para ter o prazer de ver o ser humano cumpri-las?” Ou quando Deus diz “não” para nós, é um “não”, a semelhança do “não” da direção do zoológico, que tinha como objetivo proteger os visitantes dos ferozes leões.

E quanto a você?Esta chateado (a) por que Deus disse um “não” em relação a sua oração? Cada pessoa precisa estar atenta para esta verdade: Adão e Eva não respeitaram o “não” de Deus, e como consequência, veio sobre a vida de ambos e de toda humanidade, o carrasco chamado pecado. Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram. (Romanos 3:9).

E como se não fosse suficiente, também o homem virou servo do pecado. Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado. (João 8:34).
E sujeito à morte. Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do Pai, assim também a alma do Filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá (Ezequiel 18.4).

Foi para evitar a morte espiritual, física e eterna que Deus disse “não” para nossos primeiros pais que residia no jardim do Éden, foi para protegê-los, e proteger,não somente eles, mas também toda a humanidade que teve origem neles.

Por estas, e muitas outras razões, Deus muitas vezes diz “não” para nós. Pois na verdade, Ele quer nos proteger, porque Ele que conhece o fim desde o principio, sabe que no futuro, muitas de nossas decisões trarão consequências que vão nos machucar muito, ou até nos levar perder a salvação.

Quanto ao “não” que Deus nos fala, talvez no momento tenhamos dificuldade de compreender o porquê de sua recusa em nos atender. Se Deus disse “não” para você em relação ao desejo de seu coração, é porque Ele está te livrando de complicações em sua vida no futuro.

Em relação a Deus, temos que entender uma lição que se resume assim: Melhor do que compreendê-Lo, é simplesmente obedecê-Lo, pois sempre que Ele falar “não” para nós é, porque Ele quer nos proteger.

E a razão desta proteção, não é outra, senão, o grande amor inexplicável que Deus tem para com cada um de nós. Portanto, descansa no Senhor, pois o melhor da parte de Deus lhe será concedido, na hora já designada por Ele, para abençoar sua vida.

Conclusão: A atitude mais sábia de nossa parte no relacionamento com Deus, deve ser de glorificá-Lo, quando ele bondosamente falar “sim” em relação aos nossos projetos de vida. Da mesma forma, quando Deus bondosamente falar “não”, devemos de coração grato a Ele, glorificá-Lo, e nunca desobedecê-lo como Adão e Eva, pois,geralmente quando Deus diz não, certamente e para nos proteger de consequências que iriam nos fazer sofrer, tanto no presente como no futuro.

Pr. Antônio Eugenio Fortes Pacifico

Uma vida consagrada a Deus

Uma vida consagrada a Deus

Texto: II Coríntios 6:11; 7:1 e I Coríntios 10:32

I – Deus exige uma vida consagrada.

1. Deve-se separar do mundo. - II Coríntios 6:17.

2. Deve levar uma vida correta. - Tito 2:12.

3. Deve fugir do mal. - I Tessalonicenses 5:22.

II – Da consagração depende o sucesso do crente.

1. É-lhe impossível amar a Deus e ao mundo. – I João 2:15.

2. Não se pode servir a dois senhores. – Mateus 6:24.

3. Deus castigará se mancharmos o seu templo. - I Coríntios 3:16,17.

III – Uma vida consagrada é uma luz aos outros.

1. Falhando a luz, outros podem se perder.

2. Raiando a luz, podem ver o caminho.

3. Como devemos deixar raiar a luz?

a) Assistindo aos cultos.

b) Tomando parte ativa nos exercícios e trabalhos missionários da Igreja.

c) Contribuindo para a expansão do Evangelho.

d) Falando com os de fora.

e) Ajudando aos necessitados.

4. A recompensa final. - Mateus 25:23.

Cinco colunas para a prosperidade familiar

Cinco colunas para a prosperidade familiar

Estamos vivendo um tempo de avivamento familiar. A unção do Espírito Santo é palpável e temos experimentado o cumprimento da promessa de Deus para Abraão no livro de Gênesis 12:3.

Há uma história que diz que um judeu muito próspero ensinava o seu filho sobre 05 princípios para prosperidade, pois sobre ele havia a unção da prosperidade já que era um dos homens mais ricos de sua nação e era marcado por esses princípios. Falaremos sobre eles:

1. Amar a Deus

“Amaras, pois, ao Senhor teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e com todas as tuas forcas.” (Deuteronômio 6:5)
Só existe prosperidade em um casal, uma família, um líder, se amarmos a Deus em primeiro lugar. Essa é a exigência de Deus para os Seus filhos no livro de Deuteronômio 6:5. Do amor a Deus depende o sucesso em todas as outras áreas. Nada deve tomar o lugar desse amor, de se entregar de todo o coração, alma e força. Viver a plenitude desse amor fala de decidir amá-lO, entregando-se completamente. Quem ama verdadeiramente é fiel. Se queremos viver em prosperidade precisamos obedecer a essa chamada.

Após o culto, na hora em que o pastor faz o apelo e muitas pessoas entregam a vida a Jesus, o pastor ouviu, no meio desta multidão uma voz gritando se Deus a aceitaria. Ao olhar a multidão, lá estava um homem sem braços e sem pernas se arrastando com dificuldades e perguntando se Deus o aceitava apesar de ser uma pessoa pela metade. O pastor disse a ele que, ainda que pensasse ser apenas a metade, sua entrega era por inteiro e que Deus, só não aceitava aqueles que pareciam inteiros, mas se entregavam pala metade.

Entregar-se por inteiro a Deus representa renunciar os seus desejos e os seus sonhos para receber os desejos e os sonhos do coração de Deus.

2- Orar e amar a Jerusalém

“Orai pela paz de Jerusalém, prosperem aqueles que te amam.” (Salmo 122:6)
Jerusalém é a cidade do Grande Rei.
Amar a Jerusalém e lembrar dessa cidade com intercessões e súplicas pela sua paz demonstra o sentimento de amor de alguém que não a ama superficialmente, de alguém que não permitirá que esse amor esfrie, pois possui um amor espiritual e o amor profético da chuva de bênçãos, como está escrito em Zacarias 14:16-19.

Nosso desejo é que você faça do seu devocional diário um tempo para orar e amar a Jerusalém.

3- Devolver o dízimo - Malaquias 3:8,9

Muitos têm o hábito de dizer: já devolvi o meu dízimo. Na verdade o dízimo não é nosso, é do Senhor. A entrega do dízimo é um ato profético que cancela a visitação do gafanhoto migrador, destruidor e cortador. Todos os grandes homens de Deus entenderam a importância de dizimar. Em Gênesis 28:22, Jacó entrega o dízimo em Betel, a casa de Deus e após esse dia, através desse ato de fidelidade, ele prosperou e foi transformado em Israel.

Como casal é preciso sentar com os nossos filhos e ensiná-los a importância da fidelidade a Deus em nossas finanças. Quem não é fiel a Deus nos dízimos é chamado pelo próprio Deus de ladrão (Ml 3:8-12).
Façamos uma aliança com o Senhor, como casais, como família, como líderes e sejamos fiéis nos dízimos, pois essa fidelidade nos fará prosperar e trará proteção espiritual sobre nossas finanças.

4- Estabelecer os objetivos e crer

Não existe fórmulas para prosperarmos naquilo que fazemos, o fundamental é termos fé (Hb 11). Porém, em tudo que fizermos devemos ser organizados e empenhar nossa força, envolvendo-nos e crendo que somos as pessoas certas para tal.
a) No casamento
Todo o casamento precisa de muito investimento. Isso envolve comunicação, pois através dela conhecemos melhor o cônjuge. Todo o tempo para a aliança não é gasto é investimento e essa consolidação deve ser diária no casamento. Os pequenos detalhes constroem os grandes alicerces. Aqui vai uma historinha muito simples, porém, verdadeira. Uma menininha ganhou do seu pai uma bela flor, colocou em cima da mesa da sala e deixou ali a flor. No terceiro dia ao olhar a flor, viu que estava murcha. A menininha ficou triste. No quinto dia ao olhar a flor, viu que as pétalas haviam caído e a flor morrera. Quando relatou em choro ao pai o que acontecera, ouviu dele: filha, isso é para que desde cedo você aprenda que tudo na vida que não for cuidado e regado diariamente morre.
Assim acontece no casamento. Seja o maior investidor dessa terra, a sua aliança. Cuide, regue-a, proteja-a diariamente, pois todo o investimento na aliança trará retorno. Que hoje a bênção do casamento perfeito envolva o seu relacionamento, a sua aliança.
b) Na família
A nossa família é a célula principal. Tenha como objetivo fazer da sua casa a sede do avivamento. A família física envolve todos os que têm aliança de sangue, ou seja, a maior parte dos familiares. Invista em toda a sua família desde o cônjuge e filhos, até seus pais, parentes. Avive a sua fé. Faça como Josué, dê o seu grito: eu e a minha casa serviremos ao Senhor. Trace objetivos para que essa verdade seja estabelecida e que a bênção da família seja estabelecida sobre a sua casa.
c) No secular
Todo o trabalho é dom de Deus. Muitos não gostam do que fazem, e por isso, fazem pela metade ou mau feito. Seja grato a Deus pelo seu trabalho, pois dele vem o sustento e o conforto para sua casa. Tudo o que fazemos com amor fazemos bem feito. A organização, o conhecimento do que fazemos é importante. Seja organizado e sempre que possível, envolva o cônjuge e os filhos nesse trabalho.
Decida não ser apenas mais um profissional, afinal, você tem o Espírito Santo de Deus, seja o melhor profissional naquilo que faz. Creia, isso é possível e é também necessário. Que a bênção da riqueza venha em tudo o que você colocar as mãos.

5) Ter apenas uma família

Todo o pecado contra a família abre portas para demônios familiares. O pecado familiar fecha as portas da prosperidade. Toda família que viveu a ruptura na aliança, adquiriu pobreza, miséria, brigas etc. E é interessante, como, todos da casa sofrem essa influência espiritual.

Se em sua casa, você vive essa realidade, é preciso se arrepender dos pecados, tanto os cometidos por você, como pelos pecados dos seus pais. Em II Crônicas 7:14, a Bíblia diz: “Se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar,orar e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra.”

Hoje o Senhor nos chama a vivermos esses cinco pilares para atrairmos a prosperidade em todas as áreas. Você nasceu para ser feliz, para ter uma família feliz, para prosperar e cumprir todos os sonhos de Deus nessa Terra. E, com certeza, a sua descendência comerá da prosperidade do seu investimento.

Como crescer espiritualmente

Como crescer espiritualmente

1. Manter-se no espírito de um arrependido. – Mateus 5:23-24; Atos. 26:20.

2. Manter-se no espírito de oração. - I Tessalonicenses 5:17; Lucas 18:1.

3. Manter-se no espírito de louvor. - I Tessalonicenses 5:18; Salmo 50:23.

4. Manter-se no espírito de confiança. – Provérbios 3:5; Isaias 26:3.

5. Testemunhar a Cristo como seu Salvador e Senhor. – Mateus 10:32; Romanos 10:9-10.

6. Estudar diariamente as Sagradas Escrituras. - II Timóteo 2:15; Atos 17:11.

7. Cultivar a fraternidade entre os irmãos na fé. - Atos 2:42; Hebreus 10:25.

8. Procurar ganhar outros para Cristo. – Provérbios 11:30; Daniel 12:3.

4/26/2013

Coisas que Deus não pode fazer

Coisas que Deus não pode fazer

I – "Não podes ver o mal." Habacuque 1:13.

1. Não pode ver a maldade sem castigá-la.

2. Deus é santo e aborrece o mal.

3. Deus é justo e tem que castigar o mal.

4. Não pode passar-lhe por alto.

II – "Não as posso suportar." Isaias 1:13.

1. O povo de Israel tinha o recurso de toda classe de prática religiosa para aparentar uma bondade que na realidade não possuía.

2. Deus não tolera a hipocrisia.

III – "Deus não pode mentir." Tito 1:2.

1. Suas advertências de juízo. - "A alma que pecar, essa morrerá." - "Sabei que vosso pecado vos alcançará..." - se cumprem com toda a certeza.

2. Sua oferta de graça. (Mateus 11:28; João 6:37; Apocalipse 22:17) se cumpre também com a mesma segurança.

3. Podemos confiar na Sua Palavra sem titubear e, havendo aceitado, podemos regozijar-nos em que "..,é impossível que Deus minta; tenhamos uma firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta". Hebreus 6:18.

Vida nova em Cristo

Vida nova em Cristo

Texto: 2 Coríntios 5:17

1. Negativamente. A vida nova não se manifesta por:

a) Mudança de religião.

b) Reforma de costumes.

c) Aparência de piedade.

d) Boa educação.

e) Bons princípios.

f) Fanatismo.

2. Positivamente.

Cristo no coração é a fonte que determina todas as manifestações da personalidade transformada pelo Espírito Santo. Então teremos:

a) Vontade nova.

b) Sentimentos novos.

c) Pensamentos novos.

d) Ações novas.

e) Linguagem nova.

f) Olhares novos,  

"Quem está em Cristo, nova criatura é; passou o que era velho, eis que tudo se fez novo."

4/25/2013

Onde e quando o Senhor estará sempre conosco

Onde e quando o Senhor estará sempre conosco

Texto: “ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus 28.20).

Introdução: Deus prometeu nunca deixar os seus filhos: “Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca, jamais te abandonarei. Assim, afirmemos confiantemente: O Senhor é o meu auxílio, não temerei; que me poderá fazer o homem?” (Hebreus 13.5, 6).

Veja onde e quando o Senhor estará sempre conosco:

1. No deserto.

Deus nos sustenta em seus braços: “O amado do Senhor habitará seguro com ele; todo o dia o Senhor o protegerá, e ele descansará nos seus braços” (Deuteronômio 33.12).
“O Deus eterno é a tua habitação e, por baixo de ti, estende os braços eternos; ele expulsou o inimigo de diante de ti e disse: Destrói-o” (Deuteronômio 33.27).

2. Nas situações mais impossíveis.

Deus é suficiente: “Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando, pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti” (Isaias 43.2).
“Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Estas coisas diz aquele que tem a espada afiada de dois gumes: Conheço o lugar em que habitas, onde está o trono de Satanás, e que conservas o meu nome e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha testemunha, meu fiel, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita” (Apocalipse 2.12, 13).

3. Nas fornalhas da vida.

Deus está presente e intervindo a favor dos seus filhos: “Tornou ele e disse: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, sem nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses” (Daniel 3.25).
“O meu Deus enviou o seu anjo e fechou a boca aos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; também contra ti, ó rei, não cometi delito algum. Então, o rei se alegrou sobremaneira e mandou tirar a Daniel da cova; assim, foi tirado Daniel da cova, e nenhum dano se achou nele, porque crera no seu Deus” (Daniel 6.22, 23).

4. Nas tempestades e nos vendavais.

Deus nos salva: “Respondendo-lhe Pedro, disse: Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus. Reparando, porém, na força do vento, teve medo; e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor! E, prontamente, Jesus, estendendo a mão, tomou-o e lhe disse: Homem de pequena fé, por que duvidaste? Subindo ambos para o barco, cessou o vento” (Mateus 14.28-32).

5. No calor do sol e nas catástrofes.

Deus é a sombra: “Eis aí está que reinará um rei com justiça, e em retidão governarão príncipes. Cada um servirá de esconderijo contra o vento, de refúgio contra a tempestade, de torrentes de águas em lugares secos e de sombra de grande rocha em terra sedenta” (Isaias 32.1, 2).
Todo o Salmo 91 demonstra o cuidado de Deus para conosco:“O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz ao Senhor: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio” (Salmo 91.1, 2).

6. No vale da sombra da morte.

Deus está conosco e propicia o livramento: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam” (Salmo 23.4).

7. Nas angústias da vida.

Ele está presente e provê a salvação: “Ele me invocará, e eu lhe responderei; na sua angústia eu estarei com ele, livrá-lo-ei e o glorificarei. Saciá-lo-ei com longevidade e lhe mostrarei a minha salvação” (Salmo 91.15, 16).
“O Senhor é bom, é fortaleza no dia da angústia e conhece os que nele se refugiam” (Naum 1.7).
“Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações” (Salmo 46.1).

Conclusão: O nosso Deus, que é o nosso Pai, sempre está presente em todas as situações da vida.
Veja a Palavra Aba - Salmo 89.26, Romanos 8.15. Ainda hoje no hebraico quando uma criança quer chamar o seu pai, esta é a palavra usada. Como é bom saber que podemos chamar com intimidade o nosso Pai a qualquer momento sabendo que mesmo quando adultos Ele nos carrega no colo e cuida de nós. (Isaías 46.4, Salmo 4O.17, 103.13).

Características da Vida no Deserto

Características da Vida no Deserto

Texto: “Recordar-te-ás de todo o caminho pelo qual o Senhor, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos”(Deuteronômio 8.2).

Introdução: Será que você tem vivido no deserto e ainda não compreendeu? Abaixo algumas características inerentes à vida neste local tão inóspito.

1. Motivação errada no coração

Algumas pessoas pensam que estão realizando a obra de Deus, mas estão edificando um monumento para si mesmas. O deserto instiga a manifestação de motivações erradas no nosso coração.
O deserto é lugar de sol, assim nos vemos à luz de Deus. É também local de sequidão, todo o que vive na carne é seco, árido, não tem nada para ministrar ao outro. Reconhecendo as motivações erradas poderemos avançar para a Terra Prometida. (Exodo13.3,5).

2. Ausência de Celebração

Só podemos celebrar a redenção com revelação vivenciando a plenitude da vida ressurreta.
A Páscoa era para ser contada aos filhos. Era a única maneira das crianças compreenderem o propósito de Deus. Muitos pais hoje em dia, não vivem a vida abundante de Deus, vivem no deserto. Talvez seja esse o motivo porque muitos filhos de crentes não se convertem. O Senhor ordenou a celebração de três festas (Êxodo 23.14-16) todas ligadas ao plantio e a colheita. O deserto não é lugar de festa, mas de tédio. Muitos crentes não conseguem celebrar, certamente por que estão no deserto.

3. Indisciplina e falta de compromisso com Deus – Dt 12.7-8

No deserto, não se semeia nem se colhe nada; logo, podemos afirmar que o crente carnal, que vive no deserto, também não possui fruto nenhum para apresentar a Deus. Isso por que só faz o que lhe parece bom aos próprio olhos. Suas ações poderiam até ser sinceras, mas sem a direção do Espírito Santo (1Corintios 10.5).

4. Não entram no descanso – Dt 12.9; Hb 4.9,10

Enquanto vivermos apenas para fazer aquilo que agrada ao nosso coração, jamais desfrutaremos o descanso do Senhor, razão pela qual somos atribulados por preocupações e ansiedades. Se ainda não temos o descanso do Senhor com certeza é por que ainda vivemos no deserto.

5. Não se apropriam da herança

A incredulidade impediu o povo de Israel de conquistar a terra de Canaã (Números 13.33). A incredulidade é o único motivo que nos impede de desfrutar tudo aquilo que Deus tem para nós em Cristo.

Compartilhar: Quais as evidências de uma pessoa que está vivendo no deserto? É possível viver vagando pelo deserto e não estar ciente disso?

6. Mente mundana – Números 11.4-8

O Maná era bom, ao servir o propósito para o qual foi enviado, mas originalmente, sua finalidade não era se tornar a dieta básica dos filhos de Israel durante 40 anos. Deus havia preparado para eles a terra de Canaã, porém, eles preferiram ficar no deserto, sonhando com o Egito.
Aqueles que, apesar de redimidos, ainda vivem no deserto, têm o apetite espiritual despertado para as coisas mundanas. O cristão do deserto, invariavelmente, é um homem mundano.

Compartilhar: Você tem experimentado uma variedade de pratos (unção, sinais, prodígios, milagres, maravilhas, dons etc.) ou apenas tradicional “feijão com arroz”? O que lhe impede de usufruir do leite, do mel e das delícias de Canaã?

Conclusão: Poderíamos citar muitas outras características. No entanto, nos basta a exortação de Paulo em 1Corintios 10.1-13. Ele nos orienta a não viver conforme o exemplo de Israel. Quão triste e quão amarga é a vida no deserto!

4/24/2013

Chame a atenção de Jesus

Chame a atenção de Jesus

Dez maneiras de chamar a atenção do mestre – Baseado no Livro de Lucas.

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” – Mateus 11:28.

A pluralidade na forma como pessoas de faixa etária e nacionalidades diferentes, de ambos os sexos chamaram a atenção de Jesus nos leva crer que podemos encontrar um ensino implícito de que cada um pode e deve procurar a sua maneira chamar a atenção do Mestre em busca de socorro sempre presente, pois, qualquer que vai a Ele de maneira nenhuma será lançado fora. Há um convite: Vinde a Mim!

1)  Prostrando-se:

Em Lucas 5:12-14 encontramos um homem coberto de lepra, que ao ver Jesus, PROSTRANDO-SE com o rosto em terra, suplicou-lhe: Senhor, se quiseres, podes purificar-me.

Essa atitude do leproso chamou a atenção de Jesus, mesmo Ele sendo conhecedor da Lei de Moisés e de instruções específicas sobre os leprosos – de que não deveria nem se aproximar dos mesmos - conforme encontrado no capítulo 13 de Levíticos.

No versículo 8 encontramos: “E o sacerdote o examinará, e eis que, se a pústula na pele se tem estendido, o sacerdote o declarará por imundo; é lepra”. Em todos os casos suspeitos eram obrigados ao ISOLAMENTO e a observação. Portanto, o leproso era cerimonialmente considerado impuro, tinha que viver fora das cidades e, ao se aproximar de outras pessoas, deveria gritar “impuro”.

Entretanto, no caso mencionado em Lucas o leproso não gritou “impuro”, antes, se prostrou com o rosto em terra e clamou por sua cura. Ao invés de IMPURO ele clamou CURA-ME!
Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe – aparentemente descumprindo a Lei de Moisés – e disse-lhe: Quero, fica limpo!

A Bíblia relata que no mesmo instante lhe desapareceu a lepra. Então, Jesus ordena-lhe que a ninguém comentasse o acontecido, antes, que se apresentasse ao sacerdote e oferecesse o que a Lei de Moisés havia determinado PARA SERVIR DE TESTEMUNHO AO POVO.
Portanto, a primeira maneira que aqui relatamos é de alguém que chamou a atenção de Jesus prostrando-se com o rosto em terra.

O leproso conseguiu a atenção do Mestre e seu pedido foi atendido.
Qual será seu caso? Ainda que seja alguma espécie de “lepra”, Jesus continua sendo o mesmo que detém TODO poder e autoridade para dizer: “Quero, Fica limpo"!
Quem sabe o Senhor só está aguardando que os “dizeres” naturais sejam contrariados com os dizeres da fé para que se alcance o favor do Senhor!

2)  Tirando as telhas

“E eis que uns homens transportaram numa cama um homem que estava paralítico, e procuravam fazê-lo entrar e pô-lo diante dele. E, não achando por onde o pudessem levar, por causa da multidão, subiram ao telhado, e por entre as telhas o baixaram com a cama, até ao meio, diante de Jesus” – Lucas 5:18-19.

As coisas de Deus são loucura para os que se perdem, porém, não devem ser para os que se salvam, não é mesmo?

Certamente você já ouviu falar várias vezes isso, assim como eu já ouvi. Ouvir é uma coisa, passar pela situação que comprove a veracidade do fato é outra.

Às vezes Deus permite que passemos por vales áridos para que seja possível que verifiquemos "in loco" que Ele pode fazer: transformar o vale árido num manancial.

Jesus – somente Jesus TRAZ libertação de fato e de verdade para vida de uma pessoa
No versículo 18 de Lucas 5 percebemos que aquele homem ESTAVA paralítico. NÃO ERA paralítico!

O que nos tem paralisado? Tirado nossas forças? Nos desanimado? Desacreditado?
Logo em seguida, no versículo 19 aqueles homens TIRARAM AS TELHAS. Isso chamou a atenção do Mestre a tal ponto que Ele replicou: “E, vendo ele a fé deles, disse-lhe: Homem, os teus pecados te são perdoados”. (v.20).

Esse modo de “chamar a atenção” do Mestre dá trabalho – exige esforço – ousadia, mas, igualmente dá resultado.
Quais são as telhas que precisamos tirar em nossas vidas para descermos diante de Jesus? Para chamarmos Sua atenção?

Quando chamamos a atenção de Jesus, Ele vai logo ao ponto nevrálgico da questão.  O PECADO - A verdadeira razão da paralisia daquele homem! O Senhor identificou e começou trata-lo pelo seu maior problema. Sua necessidade espiritual e não com a necessidade física. Esta é a maior necessidade que temos que ser tratado: PECADO. Ele – o pecado - sendo lançado fora produz LIBERTAÇÃO e transformação!

O resultado não foi apenas uma cura meramente física, mas igualmente de alma e espírito.
No versículo 25 diz que ele VOLTOU GLORIFICANDO A DEUS, portanto, constatamos que um encontro verdadeiro com Jesus produz:
CURA – DISPOSIÇÃO (ele imediatamente se levantou...).
TESTEMUNHO (o leito que permanecera deitado...).
DIREÇÃO (voltou para casa...).
REGOZIJO (glorificando a Deus...).
Esse modo de “chamar a atenção” do Mestre dá trabalho – exige esforço – ousadia, mas, igualmente dá resultado.

3)  Humildade e fé

“E o servo de um certo centurião, a quem muito estimava, estava doente, e moribundo. E, quando ouviu falar de Jesus, enviou-lhe uns anciãos dos judeus, rogando-lhe que viesse curar o seu servo” – Lucas 7:2-3.

...Um certo centurião... trata-se de um oficial romano, portanto, não era do povo judeu, entretanto, ele conseguiu chamar a atenção do Mestre intercedendo junto ao mesmo pela vida de seu funcionário.

O que tocou Jesus foi a humildade nesse oficial romano – coisa rara entre os romanos, quando esse lhe mandou dizer: “Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres debaixo do meu telhado. E por isso nem ainda me julguei digno de ir ter contigo; dize, porém, uma palavra, e o meu criado sarará. Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados sob o meu poder, e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu servo: Faze isto, e ele o faz”. Lucas 7:6-8.

E, ouvindo isto Jesus, maravilhou-se dele, e voltando-se, disse à multidão que o seguia: Digo-vos que nem ainda em Israel tenho achado tanta fé. E, voltando para casa os que foram enviados, acharam são o servo enfermo.

Interessante que Jesus ficou tão impactado com a maneira com que aquele centurião demonstrou sua fé que sequer continuou sua caminhada até a casa dele.
A humildade e a expressão de fé de um gentio que contrastava com a fé dos próprios judeus fez parar Jesus e o milagre aconteceu.

É notável como Jesus trata cada caso separadamente. Isso nos garante liberdade de expressão diante dEle, seja qual for nossa cor, raça, nacionalidade, idade, grau de instrução ou status social.
Aquele que vem a Mim, de maneira nenhuma lanço fora... está valendo à todos! É a graça em franca operação.

4)  Unguento

“E eis que uma mulher da cidade, uma pecadora, sabendo que ele estava à mesa em casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com unguento” – Lucas 7:36-50.

...Um fariseu, possivelmente abastado, convida Jesus para uma refeição em sua casa, mas uma mulher - uma pecadora - é quem “rouba” a cena. Convém aqui lembrar o que Jesus disse: “Não necessitam de médico os que estão sãos, mas, sim, os que estão enfermos” – Lucas 5:31.

Ela, sabedora de que Jesus estava a mesa em casa do fariseu, levou consigo um vaso de alabastro com unguento. (Alabastro = uma espécie de mármore, usado para manufaturar vasos e jarras de unguento. Unguento = Mirra ou Nardo misturado a uma base oleosa de Azeite de Oliva).
E foi com essa atitude ousada que ela chamou a atenção do Mestre. A Bíblia descreve que ela estando por detrás, prostrada aos Seus pés, chorando, começou a regar-lhe os pés com lágrimas e enxugáva-lhos com os cabelos de sua cabeça e beijava-Lhe os pés, e ungia-lhos com unguento. É possível imaginar como a cena impactou a todos naquele recinto e como aquela mulher se despojou de TUDO para protagoniza-la.

Pela leitura que podemos fazer certamente se tratava de uma mulher muito vaidosa, em face do perfume que carregava e da maneira como a Bíblia relata que eram seus cabelos, mas que relega toda vaidade, se humilhando a fim de ser atendida pelo Mestre. Ela não se importa em chorar mesmo que (talvez) borrasse sua maquiagem. Tampouco se importou de usar o seu cabelo como toalha para enxugar os pés do Senhor. Também não se importou de derramar todo aquele caríssimo unguento nos pés do homem da Galiléia. Você faria isso para chamar a atenção do Mestre?

Tudo isso fala de desprendimento dos valores secundários. Fala da troca de valores passageiros por valores eternos.

Bem, o fariseu imediatamente ao contemplar toda a cena desaprova Jesus, pois, pensava ele: Se este (Jesus) fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, pois é uma pecadora. (Pecadora neste contexto sugere que tratava-se de uma prostituta).
A verdade é que Jesus volta-se para a mulher e lhe diz: “Os teus pecados te são perdoados, a tua fé te salvou; vai-te em paz” – (Lucas 7:50).

A vaidade é uma das principais causas de impedimentos do porque muitos não alcançam a atenção de Jesus.
Essa mulher vaidosa entrou em casa alheia, chamou a atenção de todos, mas principalmente da Pessoa que podia resolver seus problemas emocionais, físicos e espirituais. Deu certo! Ela entrou como uma proscrita pecadora, mas saiu daquela casa salva e em paz, sem se importar com os demais que se encontravam por perto, o que eles pensavam, o que achavam, o que sentiam.
Ela voltou perdoada seja lá de quantos pecados pesavam sobre ela... Voltou salva por sua fé... e voltou em paz... a paz que somente Jesus pode dar.

5)  Um toque sutil

“E uma mulher, que tinha um fluxo de sangue, havia doze anos, e gastara com os médicos todos os seus haveres, e por nenhum pudera ser curada, chegando por detrás dele, tocou na orla do seu vestido, e logo estancou o fluxo do seu sangue”. – Lucas 8:43-47.

Outro relato de mais uma pobre mulher que nem sequer seu nome é mencionado na Bíblia, tratando-a apenas de “uma mulher”. Quem sabe seja seu caso... talvez a sociedade assim a tem tratado.

Essa mulher padecia de um tipo de hemorragia que já se estendia por longo 12 anos. Não era apenas o sangue (a vida) que ela perdera. Igualmente suas finanças estavam sendo dilapidadas pela enfermidade crônica. A Bíblia diz que ela gastara com os médicos seus haveres e por nenhum pudera ser curada. (v.43).

Entretanto, essa mulher teve um vislumbre. É possível que pelo fato de ir de um canto para o outro atrás da cura tenha ouvido falar sobre Jesus e que Ele se encontrava na cidade, então ela possivelmente pensou: “Se este homem é tão poderoso quanto falam, basta eu me esgueirar por trás e tocar no seu vestido que serei curada”.

Segue-se que ela não ficou apenas no “pensamento” ou na “intenção”. É horrível quando pessoas permitem que o tempo se “dissipe por entre suas mãos” e não se lançam a prática da instrução.
Essa mulher estava decidida, e como possivelmente era uma mulher fina intentou empreender esforços para que não chamasse atenção de ninguém. Jesus estava sendo apertado por uma multidão e de repente ele para e pergunta: “Quem é que me tocou?”. Entretanto, Pedro, alheio ao que estava (de fato) ocorrendo diz: “Mestre, a multidão te aperta e te oprime, e dizes: Quem é que me tocou?” Mas Jesus, ciente da operação da maravilha replica: “Alguém me tocou, porque bem conheci que de mim saiu virtude”. - (Lucas 8:45-46).

Não dava mais para esconder. Ela não queria “aparecer”, entretanto, sua própria fé a delatara. Agora todos estavam com seus olhos bem abertos para ver o que aconteceria diante da súbita reação de Jesus. Então, não podendo se esconder ela aproxima-se tremendo e prostra-se ante Jesus e declara-Lhe diante de todos o motivo, porque Lhe tocou e logo que tocou como sarara da terrível hemorragia.

Jesus a despede em paz, mas, é importante observar que a enfermidade daquela mulher era possivelmente de ordem espiritual, ou seja, decorrente de pecado.
Jesus diz a ela: “Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou; vai em paz”. (v.48).  Por que Ele não disse: A tua fé de CUROU? E sim a tua fé te SALVOU!

O pecado é a raiz de todo mal da humanidade. Muitos problemas que se arrastam anos a fio na vida de pessoas ainda não se resolveram, pois, a raiz ainda continua lá, ou seja, o pecado. Elimina-se a raiz (o pecado), obtém-se perdão do Autor e Consumador de nossa fé, conforme 1 João 1:9 e uma vida de salvação e paz é imediatamente desfrutada, tal como ocorreu com aquela mulher: “Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou; vai em paz”.
Jesus possui virtude para todos que nEle tocar!

6)  Um grito na multidão

“E eis que um homem da multidão clamou, dizendo: Mestre peço-te que olhes para meu filho, porque é o único que eu tenho. Eis que um espírito o toma e de repente clama, e o despedaça até espumar; e só o larga depois de o ter quebrantado” – Lucas 9:38-39.

Quem é pai sabe muito bem como é doloroso ver um filho em situação difícil. O dr. Lucas relata que em meio a multidão que apertava Jesus, um pai desesperado por seu filho que sofria terríveis ataques, possivelmente do que hoje conhecemos como epilepsia, clama a Jesus para que Ele olhe para seu menino vitimado de tanto sofrimento. A Bíblia não relata, mas nos leva crer que era o único filho daquele homem, portanto, imaginemos o desconforto daquele pai em contemplar aqueles ataques que sucediam ao garoto. Seu desespero provavelmente se acentuou ainda mais quando os discípulos de Jesus – seus representantes legais – não puderam resolver a questão, porque faltava oração para eles. (Marcos 9:29).

O desespero bateu-lhe forte, mas, mais forte foi seu brado pedindo o socorro do Mestre.
Jesus sabedor de todas as coisas percebe em Seu espírito que aquela geração, ou seja, aquelas pessoas, aquela multidão eram na realidade presas fáceis de duas forças contrárias a graça divina – INCREDULIDADE e PERVERSIDADE. – (Lucas 9:41). Ora, Jesus citou duas forças de peso no impedimento para se estabelecer o Reino de Deus e Sua justiça. Não se tratava apenas de incredulidade, mas também de perversidade. Incredulidade é duvidar, é possuir uma disposição mental para NÃO acreditar. E pior... aliado a isso a incredulidade que é a qualidade de perverso; índole má ou ferina; fereza, malvadeza; ação perversa; corrupção, depravação. Logo, dá para imaginar a impressão espiritual que Jesus observou naqueles corações daquela grande multidão que LHE SAIU AO ENCONTRO. Saíram ao encontro de Jesus, mas, seus corações continuavam sendo os mesmos e agasalhando as mesmas inclinações pecaminosas.

Bem, fato é que Jesus expulsou aquele demônio, aquele espírito imundo que promovia a epilepsia naquele garoto, curou-o e o entregou ao seu pai.

Aquele homem chamou a atenção do Mestre sem se importar o que pensariam dele ou o que falariam de sua atitude, ou mesmo de seu amado filho. Jesus teve sua atenção, momentaneamente ignorou toda aquela multidão e curou aquele garotinho... por causa da intercessão de seu pai...
Creia, você pode chamar a atenção do Mestre por causa do seu filho ou da sua filha. Ao atender aquele pai, Ele estava abrindo a porta para atender todo aquele pai ou aquela mãe que clama pela vida de seu filho ou filha!

A vida sem Cristo é vazia e totalmente sem sentido, por isso, não nos intimidemos com a presença daqueles que não crêem no Senhor, mas clamemos insistentemente Sua ajuda, pois, como Ele mesmo disse: "Sem mim, nada podeis fazer" (João 15:5).

7)  Um coração agradecido (Lucas 17:11-19).

“E, respondendo Jesus, disse: Não foram dez os limpos? E onde estão os nove? Não houve quem voltasse para dar glória a Deus senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou” – Lucas 17:17-19.

Jesus estava se dirigindo à Jerusalém e passa pelo meio de Samaria e da Galiléia. E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe; E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós.

Esse fato narrado por Lucas é realmente notável, pois, mostra que a vida miserável daqueles dez contribuiu para a formação de um grupo. Eles acabavam se confortando mutuamente, já que estavam esquecidos pela sociedade. Aliás, até mesmo as divergências nacionalistas (Judeus x Samaritanos) foram esquecidas. A lepra atacara tanto judeu quanto samaritano, logo, porque não ouvir um judeu que talvez pudesse resolver a deficiência deles? Fato é que chamando Jesus de Mestre, eles O param e clamam por misericórdia!

Jesus os atende, mas com uma instrução curiosa. Ele os envia ao sacerdote. Eles, mesmo sem sinal evidente de cura partiram, demonstrando assim que criam de verdade naquilo que Jesus lhes falara. Os dez acataram a instrução e não a questionaram...

Foi essa fé que os CUROU! Uma fé assim abre portas para a virtude curadora de Deus, entretanto, ao analisarmos com detalhe o texto observaremos quem apenas UM foi curado e SALVO.
A atitude dele chama a atenção do Mestre a ponto dEle indagar: “Não foram dez os limpos? E onde estão os nove? Não houve quem voltasse para dar glória a Deus senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou” (v.17-19).

Eram dez, sendo nove judeus e apenas um samaritano. Apenas o samaritano voltou para dar glória ao Senhor. Apenas o samaritano alcançou a salvação. Os demais, apenas a cura!
Será que nós damos graças a Deus? Será que damos graças a Ele, não somente por Seus grandes milagres, mas, igualmente por Sua providência diária... em pequenas coisas? Ou será que O procuramos apenas em busca de cura?

É no silêncio de nosso quarto (de nossa vida) que muito pode nos ser revelado pelo Senhor! É quando somos agradecidos a Deus que Ele libera mais de Si para nós!
Como alguém disse: “Os jornais não ficam sabendo da obra mais profunda de Deus no indivíduo ou na comunidade, pois ela chega de mansinho, como chega a primavera num jardim e numa floresta”.

Sejamos agradecidos pelas curas, pelas bênçãos alcançadas, mas, muito mais pela salvação!

8)  Não se calando, mas clamando! (18:35-43)

“E aconteceu que chegando ele perto de Jericó, estava um cego assentado junto do caminho, mendigando... E os que iam passando repreendiam-no para que se calasse; mas ele clamava ainda mais: Filho de Davi, tem misericórdia de mim!” – Lucas 18:35,39.

Dessa vez quem chama a atenção do Mestre é um pobre cego que mendigava a beira do caminho. Ele era cego, mas não surdo! Ele ouvindo passar a multidão logo perguntou que “trupe” seria aquilo e alguém lhe informou que Jesus Nazareno passava por ali.

Então, se súbito começou a clamar dizendo: Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim.
Quando Jesus passa por perto de sua vida, não hesite em chamá-Lo. Grite bem alto se necessário, mas não permita que Ele passe sem te notar...

Então, os insensíveis, os egocêntricos, os amantes de si mesmos, os mesquinhos repreendiam-no para que se calasse; mas ele clamava ainda mais: Filho de Davi, tem misericórdia de mim! Este cidadão era cego, mas não surdo, nem bobo e tampouco mudo. A pleno pulmão ele clamava Filho de Davi, tem misericórdia de mim! Aliás, só faltava dizer: Filho de Davi, tem misericórdia de mim, pois, essa multidão não exerce nem um pouco de misericórdia para comigo!

Como é difícil receber misericórdia de nossos semelhantes... quantos corações insensíveis...
Então Jesus, parando, mandou que lho trouxessem; e, chegando ele, perguntou-lhe, dizendo: Que queres que te faça? E ele disse: Senhor, que eu veja.
E Jesus lhe disse: Vê; a tua fé te salvou.
E logo viu, e seguia-o, glorificando a Deus. E todo o povo, vendo isto, dava louvores a Deus.
Quantos que não chegam a VER o que está a sua disposição porque acabam por dar crédito à “multidão” que diz para se calarem e eles passivamente se calam. A multidão não está interessada em exercer misericórdia, portanto, clame a pleno pulmões ao Filho de Davi. Ele sim pode te ouvir e além de ouvir pode lhe conceder misericórdia.

Se aquele cego deixasse se levar pela maioria, não teria chamado a atenção do Mestre, consequentemente não teria a atenção dEle e tampouco teria alcançado sua cura e salvação.
Ele se dirigiu aquele ponto no caminho como um cego envolto em sua vidinha miserável, mas, no final daquele memorável dia ele era um homem feliz, alegre, que enxergava e que encontrara a salvação. Além de enxergar, ele foi salvo. Não apenas curado, mas salvo. (Faço questão de reafirmar isso, pois é infinitamente mais importante).

A bem da verdade, a principal ação do Evangelho é SALVAR e não curar, prosperar, bênçãos financeiras, sonhos conquistados, etc., embora, a consequência do salvo possa redundar nisso. “Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal” – (1 Timóteo 1:15).
Ele foi salvo, curado e passou a seguir o Mestre glorificando a Deus! Aleluia! Um dia o encontraremos na glória!
Este ex-cego chamou a atenção do Mestre porque não se calou, mas clamou e foi ouvido!

9)  Escalando uma árvore (19:1-10)

“E eis que havia ali um homem chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos, e era rico. E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura. E, correndo adiante, subiu a uma figueira brava para o ver; porque havia de passar por ali” – Lucas 19:2-4.

Já comentamos oito situações onde pessoas pobres, ricas, importantes, simples, chamaram de alguma forma a atenção de Jesus de Nazaré, entretanto, este homem chamado Zaqueu radicalizou. A Bíblia diz que ele era importante, chefe dos publicanos e rico. Que credenciais estas, não?
Lucas cita seu nome – Zaqueu – então, realmente era alguém muito importante!
Ele era chefe dos publicanos. Os publicanos eram os coletores de impostos privados para esse propósito, e não por agentes governamentais oficiais. Naturalmente, tais indivíduos tiravam proveito da situação a fim de obter ganhos desonestos. Logo, se tratava de um cidadão rico!
Entretanto, mesmo possuindo tais credenciais, o senhor Zaqueu procurava ver Jesus, todavia, sua baixa estatura o impedia de vencer a multidão. Então, com um raciocínio rápido, próprio de pessoas que trabalha com a matemática ele olhou para Jesus, observou Seus passos, Sua direção; olhou para a figueira e correu para lá, pois, mesmo com a pequena estatura ele sabia que conseguiria escalar aquela árvore de lá ver o famoso Jesus. Os cálculos dele estavam corretos, portanto, valou-lhe o esforço de ignorar ainda que momentaneamente sua posição social e subir naquela árvore. Aquilo chama a atenção do Mestre, pois, quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa. (v.5).
Perceberam que no versículo 2 Zaqueu deseja ver Jesus, portanto, não O conhecia, entretanto, no versículo 5 Jesus o chama pelo nome?
Por mais que Zaqueu desejasse ver a Jesus, Jesus desejava vê-lo e não somente isso, mas, pousar em sua casa.

Se continuarmos lendo Lucas 19 observaremos que Jesus foi para a casa de Zaqueu, foi bem recebido com alegria e mudou a história daquele homem de pequena estatura. Ele era de pequena estatura fisicamente, entretanto, se tornou um gigante na fé. A primeira evidência que se constata é que imediatamente é destronado o demônio da avareza da vida daquele homem.
Ele mesmo, com sua própria boca disse: “E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado”. (v.8).

Como é lamentável observar tantos que não estão dispostos nem subir um degrau para ver Jesus, quer dirá uma “árvore”. A ostentação tem impedido outros de verem a Jesus. Outros nem sequer vão mais ao templo para se reunir com irmãos de fé. Ainda há os avarentos. Os tais nem se dão conta que estão praticando a idolatria, conforme diz a Palavra em Colossenses 3:5.
Quando a SALVAÇÃO verdadeira entrou naquela casa, esse homem foi imediatamente liberto. Ele não deixou de ser importante. Não deixou de ser rico! Aliás, muito mais rico que antes, mesmo dando metade de seus bens aos pobres e restituindo quadruplicadamente a quem, porventura, havia defraudado.

Esta é a SALVAÇÃO que Jesus promove. Muda os homens de dentro para fora e não apenas um “verniz gospel” por fora, enquanto por dentro a avareza, a ostentação, a soberba, a arrogância e outros males continuam ativos.

Este homem, Zaqueu realmente chamou muito a atenção de Jesus. Ele e sua casa foram salvo e um dia, também poderemos encontrá-lo na glória!

10)  Minutos finais (23:39-43)

“E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós. Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez. E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso” – Lucas 23:39-43.

Que hora mais crucial na vida de alguém – a hora da morte! Ninguém gosta de falar sobre o assunto. Existem aqueles que nem sequer leem as mensagens cujo teor se evidencia a morte, entretanto, não podemos ignorar que somos sujeitos a ela a qualquer momento.

Aqueles três que se encontravam sobre o madeiro lá no monte chamado Gólgota sabiam que a morte seria iminente. Jesus, cujo propósito da sua vinda era morrer pelo pecado da humanidade e ressurgir trazendo redenção a todos quantos O aceitarem como único e suficiente Salvador. Além de Jesus, outros dois indivíduos que segundo os relatos bíblicos estavam sendo crucificados porque eram “malfeitores”.

Um deles começa a blasfemar praguejando Jesus de Nazaré. Ele estava ali, próximo da morte, mas de coração tão duro que sequer levava em consideração tudo o que provavelmente ouvira sobre Jesus. No entanto o outro malfeitor o repreende por tais palavras e pela repreensão mencionada observa-se que ele teme a Deus. Era sim um malfeitor, mas, no fundo daquele coração havia TEMOR. Além de temor ele tinha consciência de seu erro, o que podemos entender como um “pedido de perdão”. Ele disse: “E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam”. Mais a frente na leitura constatamos que Jesus, que certamente ouvia ao diálogo entre os malfeitores acatou o pedido “subjetivo” de perdão. Quando o malfeitor que temia a Deus chama a atenção do Mestre e lhe diz: “Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino”, Jesus IMEDIATAMENTE responde: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso”.

É assim que Jesus age – IMEDIATAMENTE – quando de verdade O buscamos com um coração contrito e quebrantado. Isso já havia sido profetizado pelo profeta Isaías acerca de Jesus cerca de 700 anos antes da vinda dEle sobre a terra. Ele diz: “Porque assim diz o Alto e o Sublime, que habita na eternidade, e cujo nome é Santo: Num alto e santo lugar habito; como também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos, e para vivificar o coração dos contritos” – (Isaías 57:15).

A bem da verdade, sabe quanto tempo demora entre pedirmos perdão e sermos perdoados? Exatamente o tempo em que demoramos em nos pronunciar. Nada mais, nada menos! O diálogo entre esse malfeitor e Jesus nos ensina essa verdade, portanto, não vamos permitir que o inimigo semeie dúvida!

É possível que alguém... algum dia leia esta pequena meditação e se encontre numa situação parecida com aquele “malfeitor”. Talvez até alguém que se encontre preso e condenado. Saiba que Jesus tem a maior de toda liberdade – a liberdade de espírito.

Aquele malfeitor morreu fisicamente, mas NÃO espiritualmente. Ele é um exemplo de que até na hora da morte, nos instantes finais basta clamar o Nome de Jesus e Ele estará ali para propiciar redenção para quantos pecados pesarem sobre tal pessoa. Até na hora da morte podemos chamar-Lhe atenção!

Também iremos encontrar com esse ex-malfeitor lá na glória, porque aproveitou seus últimos minutos de vida para chamar a atenção do Homem de Nazaré que veio ao mundo exatamente para salvar os que atendem ao apelo da graça.

Final!

“Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça” – Isaías 41:10.

Encerramos a série de mensagens sob o título “Chamando a Atenção de Jesus”. Foram dez pequenas mensagens, e em cada uma delas relatamos pessoas que se posicionaram. Geralmente em meio a multidão para chamar a atenção do Mestre. TODAS obtiveram êxito!

Talvez alguém tenha lido as dez mensagens, entretanto, essa realidade – de que é possível chamar a atenção de Jesus Cristo de Nazaré – lhe pareça algo muito distante.

Pois bem!
Será que as coisas acontecem pura e simplesmente ao acaso? Você crê que o que ocorre contigo durante cada minuto de sua vida é puramente coisas acidentais e ou desgovernadas? Ou que alguma coisa acontece não sendo acidental, porém, outras são meramente acidentais?
Cada acontecimento não é acidental. Nossa concepção não foi acidental - Nosso nascimento não foi acidental - Nossa vida até aqui - também não é acidental. Nós, em nossa ignorância é que o tomamos por acidental, porém, há um plano definido e desde o princípio tudo foi posto em ordem por Aquele que gerou-nos em vida. Deus que é eterno e imutável conhece todas as coisas, todas as épocas, todas as eras, todas as estações. Tudo está em Suas poderosas mãos e sob Seu controle. (Salmos 139 – Daniel 2:21 – João 1:3).

Atentamos para o surgimento de Jesus... Ele veio na plenitude dos tempos, como narra a Palavra. Deus permitiu que profetas viessem primeiramente e profetizassem tal maravilhoso acontecimento com muitos séculos de antecedência. Depois surgiram os romanos, famosos por seu bem ordenado governo, abrindo estradas e espalhando pelo mundo de então, suas leis e sistemas de vivência... e depois de tudo isso Deus envia Seu Filho. Acaso? Não - Deus está no comando.
Igualmente a nós, Deus não permite que entremos no casuísmo e venhamos a exercer nossas vidas de modo fantasioso e hipócrita ou simplesmente a mercê de tal de destino. Existem muitas pessoas enganando-se a si mesmos. Muitas pessoas querendo mudar o curso da sua vida, mas de maneira errada. Há somente uma fonte que traz libertação e essa fonte é o próprio Cristo. Ele disse: "Aquele que tem sede vem a mim e beba". Infelizmente, muitos buscam de beber de outras fontes que não trazem o saciar desse tipo de sede. Muitos, ao invés de chamar a atenção do Mestre, são fisgados por sistemas e filosofias onde suas atenções ali se fixam perdendo-se no tempo e no espaço.

Deus não para para consultar-nos, e tudo se realiza de acordo com o conselho da Sua vontade. Deus tem a Sua hora, tem os Seus caminhos, e Ele age e opera de acordo com os mesmos, portanto, se estivermos fora deles, certamente nunca encontraremos a solução de Deus para nossas vidas. Encontraremos sim algo que nos parece ser solução, mas que certamente é caminho de morte e quando cairmos na real estará tão longe do trono da graça que só mesmo os braços de amor do Pai, poderá nos alcançar, nos socorrer e nos tirar de tal situação.
Ele jamais mentiu e quando diz o que diz em Isaías 41:10 – “Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça” - se crermos é a verdade - se não crermos... Ora, CONTINUA sendo a verdade e estará sempre disponível para cada um que desejar beber dessa absoluta verdade. Aleluia!
Encerro dizendo que É possível chamar a atenção de Jesus, pois, Ele proporcionou essa possibilidade. Ele abriu o caminho. Ele se fez Caminho! Ele chamou a atenção do mundo! Deus amou o mundo de tal maneira que enviou Seu único filho para que todo o que nEle crer, não pereça, mas tenha a vida eterna! (João 3:16).

A decisão de cada um é pessoal e intransferível – e NINGUÉM terá desculpas no grande dia, quando os livros forem abertos e entre eles o Livro da Vida e seu nome ou o meu não constar lá!

“Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno” – (Hebreus 4:16).

Por Vilson Ferro Martins

Fonte: http://www.vozdotrono.com.br

Devemos ter a mesma coragem

Devemos ter a mesma coragem

Texto: Mateus17:7 – “E, aproximando-se Jesus, tocou-lhes, e disse: Levantai-vos, e não tenhais medo”.

Introdução: Desde que o homem pecou no Éden, o medo foi um dos pontos negativos que o homem herdou de Adão, desde então a nossa convivência com o medo se tornou uma rotina que muitas vezes nos trava na hora de fazermos a vontade de Deus. Imaginem o medo que Adão sentiu quando foi colocado pra fora do paraíso, para ele tudo era novidade, e convenhamos, tudo que é novidade, toda descoberta seja qual for a situação nós sentimos medo.

Os heróis bíblicos também sentiam medo, mas aprenderam a confiar em Deus no Velho Testamento, e nós em Jesus no Novo Testamento, vejamos como:

I. Procuravam estar o mais perto de Deus possível

A – Enoque tinha coragem, porque vivia uma vida que agradava a Deus – Hebreus 11:5
B – Noé tinha coragem, porque trabalhava pra Deus no meio das zombarias – Hebreus 11:7
C – Abraão tinha coragem, porque escutou Deus e teve fé – Hebreus 11:8 ; Mateus 19:27

II. Procuravam viver o que Deus lhes impôs

A – Moises teve coragem, porque sofria pela fé – Hebreus 11:25
B – José teve coragem, porque fugia do pecado – Gênesis 39:12
C – Daniel teve coragem, porque perseverava nas perseguições – Daniel 6:10

III. Procuravam seguir e estar o mais próximo de Cristo

A – Joao Batista teve coragem, mesmo perdendo sua cabeça –
B – Pedro teve coragem, porque ousou o impossível – Mateus14:28-29
C – Paulo teve coragem, porque testemunhava um Jesus Salvador – Atos 26:28-29

Conclusão: João 16:33 – “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”.

A nossa coragem vem de Cristo, e ele deixa bem claro, que todos passaremos por aflições, assim como todos os exemplos aqui citados, eles também sentiam medo, mas sua fé os fazia ter coragem, e nós também devemos ter a mesma coragem, pois Jesus mesmo nos disse em (Mateus 28:20) “Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” Tenham a mesma coragem...

Pr. Altair Linares

Construindo uma igreja forte

Construindo uma igreja forte

Texto: Mateus 16:18 – “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

Introdução: Jesus quando falou com Pedro, que edificaria a sua igreja, estava dizendo a ele a importância de uma igreja forte, a tal ponto que ela iria enfrentar o inferno, e que sua portas não prevaleceriam sobre esta igreja. Ele estava dizendo para Pedro que, uma igreja forte, tem que ser constituída de alguns valores, e como nós todos sabemos, a igreja de Cristo somos nós.

Mas vejamos quais são estes valores...

1. Uma igreja forte tem que ter fundamentos como:

A - Um Alicerce fundado na rocha – Mateus 7:24-25
B – Uma base fundada na verdade – Josué 1:8-9
C – Uma Fortaleza sólida – Salmo 91:2

2. Uma igreja forte tem que ter comprometimento:

A – Com a obra do senhor – Mateus 28:19
B – Com o pastor da igreja – Efésios 4:11
C – Com o templo do Espírito Santo – I Coríntios 3:16

3. Uma igreja forte tem que ter persistência:

A - Na permanência do amor de Cristo – João 15:9-10
B – Na compaixão pelas almas – Mateus14:14
C – Na confiança do Senhor – Salmo 131:1

Conclusão: Uma igreja forte deve acima de tudo, fazer exercer seus valores, éticos e morais, afinal de contas, nos somos os representantes de Jesus na terra, devemos ter fundamentos, devemos ter comprometimento e sermos persistentes, porque o maior trabalho Jesus já fez por nós....
Parabéns e que esta igreja complete 100 anos com milhares de almas ganhas pra Jesus... Deus os abençoe

Pr. Altair linares

4/23/2013

O coração em contraste

O coração em contraste

1. CORAÇÃO INDESEJÁVEL.

a) Impenitente. – Romanos 2:5.

b) Dobrado. – Salmo 12:2.

c) Perverso. – Salmo 101:4.

d) Tímido. – Isaias 35:4.

e) Enganoso. – Jeremias 17:9.

f) Orgulhoso. – Provérbios 21:4.

g) Maligno. – Provérbios 26:23.

2. CORAÇÃO DESEJÁVEL.

a) Quebrantado. – Salmo 34:18.

b) Humilde. – Mateus 11:29.

c) Puro. – Salmo 51:10.

d) Novo. – Ezequiel 18:31.

e) Entendido. - I Reis 3:9.

f) Sincero. – Hebreus 10 :22.

g) Alegre. – Provérbios 17:22.

Três Razões para Servir a Deus

Três Razões para Servir a Deus

Introdução: Não somos muito bons em servir a Deus. Nossa melhor ação é servir a nós mesmos, servir a outros com interesse e não servir a ninguém.

Texto: Mateus 20:28

1) O cristianismo não se tornou a religião que mais ajudou as pessoas no mundo por acaso. O nosso exemplo começa e termina em Cristo.

- Hoje conheceremos três razões para servir a Deus, a exemplo de seu Filho.

2) Três Razões para Servir a Deus

- Primeira Razão: Temos que Aprender a Ser Humildes, v28a

  - Existe força na fraqueza: “Mas ele me respondeu: ‘A minha graça é tudo o que você precisa, pois o meu poder é mais forte quando você está fraco’. Portanto, eu me sinto muito feliz em me gabar das minhas fraquezas, para que assim a proteção do poder de Cristo esteja comigo” (2 Coríntios 12:9, NTLH)

3) Três Razões para Servir a Deus

- Segunda Razão: Mude o Título e Viva a Função, v28b

  - O mais importante é o que você faz e não o nome que recebe: “Qual de vós, tendo um servo ocupado na lavoura ou em guardar o gado, lhe dirá quando ele voltar do campo: Vem já e põe-te à mesa? E que, antes, não lhe diga: Prepara-me a ceia, cinge-te e serve-me, enquanto eu como e bebo; depois, comerás tu e beberás? Porventura, terá de agradecer ao servo porque este fez o que lhe havia ordenado? Assim também vós, depois de haverdes feito quanto vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer” (Lucas 17:7-10, ARA)

4) Três Razões para Servir a Deus

- Terceira Razão: Servir Traz Sentido à Vida, v28c

- Que frase vai resumir a sua vida?“Tendo, pois, Davi servido ao propósito de Deus em sua geração, adormeceu...” (Atos 13:36, NVI)

Pr. Marcelo

Faça Mais Com o Que Você Tem (Parte 02)

Faça Mais Com o Que Você Tem (Parte 02)

Texto:Efésios 2:10

1) Não sei o que dizer para que você entenda o valor de sua vida ministerial, mas tenho uma certeza: se você descobrir tudo o que tem nas mãos, sua vida e seu ministério vão decolar!

- Efésios 2:10 diz que fomos feitos por Deus – somos feitura dele – um poiema (palavra grega para poema). Nós somos um poema de Deus!

- Na semana passada falamos sobre os dois primeiros elementos que temos: dons espirituais e habilidades naturais. Hoje, pensaremos sobre a Paixão de vida e nossa Personalidade.

2) Faça Mais Com o Que Você Tem

- Identifique as Batidas do seu Coração:

   - Seu coração bate por interesses específicos: “...Pois a boca fala do que o coração está cheio” (Mateus 12:34, NTLH)

   - Seu coração bate movido por uma paixão: “Portanto, amem o Senhor, nosso Deus, com todo o coração, com toda a alma e com todas as forças” (Deuteronômio 6:5, NTLH)

   - Seu coração bate através de sinais: “Lembre-se: quanto mais pesado for o machado, mais difícil o trabalho...” (Eclesiastes 10:10, AM)

3) Faça Mais Com o Que Você Tem

- Entenda Melhor a sua Personalidade

   - Sua personalidade foi dada por Deus: “Tu criaste cada parte do meu corpo;

tu me formaste na barriga da minha mãe” (Salmo 139:13, NTLH)

   - Sua personalidade não é transferível: “Davi prendeu a espada de Saul num cinto sobre a armadura e tentou andar. Mas não conseguiu porque não estava acostumado a usar essas coisas. Aí disse a Saul: - Não consigo andar com tudo isto, pois não estou acostumado. Então Davi tirou tudo” (1 Samuel 17:39, NTLH)

   - Sua personalidade deseja realização: “Mas, quando penso: ‘Vou esquecer o Senhor e não falarei mais em seu nome’, então a tua mensagem fica presa dentro de mim e queima como fogo no meu coração. Estou cansado de guardá-la e não posso mais agüentar” (Jeremias 20:9, NTLH)

Pr. Marcelo

Você Pode Ouvir a Voz?

Você Pode Ouvir a Voz?

Texto:Êxodo 3:9-10

1) Somos seres auditivos. Este é um grande presente de Deus para nós, mas também um imenso desafio em nossas vidas. Se ouvirmos o certo poderemos fazer o certo. Se ouvirmos o errado, poderemos fazer o errado.

- Esta é a pergunta de hoje: você pode ouvir a voz?

2) Você Pode Ouvir a Voz?

- Os Necessitados Pedem Socorro, v9a

“De fato, tenho ouvido o pedido de socorro do meu povo...”

3) Você Pode Ouvir a Voz?

- Os Maltratos do Diabo Estão Ecoando, v9b

“...E tenho visto como os egípcios os maltratam...”

4) Você Pode Ouvir a Voz?

- Suas Reações Falam Bem Alto, v10a

“...Agora venha, e eu o enviarei ao rei do Egito...”

5) Você Pode Ouvir a Voz?

- É Deus Quem Está Falando!,v10b

“...Para que você tire de lá o meu povo, os israelitas”

Pr. Marcelo

A troca que Moises fez

A troca que Moises fez

Texto: Hebreus 11:24-27

Renunciou ao poder. - V. 24.

Recebeu poder. – Apocalipse 2:26.

Renunciou aos prazeres. - V. 25.

Renunciou às riquezas. - V. 26.

Recebeu riquezas. – Hebreus 11:26; Filipenses 4:19.

Incorreu em aflições. - V. 25. – Isaias 63:9.

Herdou graça. - I Pedro 3:17; II Coríntios 12:9.

Incorreu em opróbrio. - V. 26; cf. Hebreus 13:13.

Herdou honra. – Romanos 2:29; João 5:44.

Incorreu em ira. - V. 27.

Herdou isenção (da ira divina). – Apocalipse 6 :17.

"Santifica-os na verdade"

"Santifica-os na verdade"

Texto: João 17:17

"Santifica-os na verdade" – palavras relacionadas com a santificação que Jesus pedia para Seus discípulos.

I – Que é santificação.

l. Ser santo é ser separado para o trabalho de Deus. Os vasos, utensílios e ornamentos do Templo, eram "santos".

2. Ser santo é ser usado por Deus eternamente para Seu serviço e glória.

3. Ser santo é ser regenerado. – Ato que se opera de uma só vez.

4. Ser santo é crescer nesse mister. – Ato que se opera gradativamente.

II – Como se opera a Santificação.

1. Por uma verdadeira humilhação: "Aqueles que não se tornarem como meninos, de modo algum herdarão o reino de Deus."

2. Aversão ao pecado. – O Peregrino fugindo da Cidade da Destruição.

3. Desejo de saber mais de Deus. – Lendo sempre Sua Palavra.

4. Profundo amor a Deus.

5. Profundo amor ao próximo.

III – Razões da santificação.

1. Porque a regeneração não basta.

2. Porque precisamos combater o mundo (pecado).

3. Porque o crente deve crescer no amor às coisas celestiais.

4. Porque Deus manda que cresçamos - I Pedro 1:16.

IV – Como a Santificação se opera em nossa vida.

1. É um ato que se estende infinitamente.

2. É obra do pecador com o auxílio de Deus. – Vontade. Exame introspectivo.

3. Abnegação. "Quem perder sua vida por amor de mim, ganhá-la-á." "Não sou eu mais quem vive, mas Cristo é Quem vive em mim."

4. Vigilância e oração.

5. Obras do homem com Deus.

4/22/2013

Andando na presença de Deus

Andando na presença de Deus

Texto: Gênesis 17:1.

Introdução: Notar quando estas palavras foram dirigidas por Deus a Abraão: logo após ele deixar sua terra por ordem divina, sacrificando interesses e afetos; depois de deixar Ló escolher a parte que a este parecia melhor.

1. A declaração divina: "Eu Sou o Todo-poderoso." (O Deus que usa toda a Sua onipotência a favor daqueles que O servem e amam.)

2. Uma ordem: "Anda na minha presença".., Sentir a Sua presença na alegria e na tristeza, nas derrotas e nos triunfos, sempre.

3. Uma promessa, ou mandamento: "...e sê perfeito". Como promessa, entendemos que, se andarmos na presença de Deus, logicamente cresceremos em fé, amor, pureza, santidade, serviço etc. Como mandamento, entendemos que o Senhor exige que aqueles que são dEle mantenham um padrão nobre de vida cristã.

4. As bênçãos dessa vida na presença de Deus:

Conheceremos melhor a Deus.

Conheceremos melhor a nós mesmos.

Conheceremos melhor os homens.

Conheceremos melhor este mundo.

Breve estudo sobre santificação

Breve estudo sobre santificação

Texto: Hebreus 12:14.

I – Motivo. II Timóteo 2:21.

II – Ordenada:

1. No Velho Testamento. Levítico 20:7.

2. No Novo Testamento. Hebreus 12:14.

III – Quem a experimentará? João 17:6, 17, 20.

IV – Razões por que é necessária:

1. Sem ela não herdaremos o reino dos céus. I Coríntios 6:9-11.

2. Que sejamos um. João 17:2, 24.

V – Ela vem:

1. Por Deus. Levítico 20:8.

2. Pelo homem mesmo. Levítico 20:7.

VI – Consiste:

1. Na vida presente. Gálatas 5:22; 1 Coríntios 6:11; Isaias1:18.

2. No crescimento na graça e conhecimento. II Pedro 3:17, 18.

VII – Alcança-se:

1. Pela misericórdia de Deus. Tito 3:5.

2. Com o auxílio da fé. Romanos 5:1.

3. Por meio da obediência, Hebreus 5:9.

4. Pelo Espírito Santo. II Tessalonicenses 2:13.

5. Pelo Senhor e pela Verdade. João 17:17.

VIII – Abrange todo o ser do homem:

1. Espírito, alma e corpo irrepreensíveis. I Tessalonicenses 5:23.

IX – Provas da Santificação:

1. Vivamos sóbria, pia e retamente. Tito. 2:12, 13.

2. Fé, virtude, ciência etc. II Pedro 1:5-9.

X – Seus frutos:

1. Na vida presente. Gálatas 5 :22, 24-26.

2. Na vida futura. II Pedro 1:11; I João 3:2; Filipenses 3 :20, 21.

Como Vencer as Forças do Mal?

Como Vencer as Forças do Mal?

- Vença o Espírito Mundano

Texto:Efésios 6:14

1) Depois de quase 25 anos de ministério posso olhar para trás e perceber que, realmente, estamos em guerra. Não é só uma luta de sentimentos, de caráter, e de valores. De fato, existe uma batalha espiritual sendo travada todos os dias entre o Reino de Deus e o reino das trevas – e nós estamos no meio de tudo isto!

- Portanto, como vencer as forças do mal?

2) Como Vencer as Forças do Mal? Vença o Espírito Mundano

- Primeiro, Esteja Preparado, v14a

“Portanto, estejam preparados...”

  - O espírito mundano é o espírito que não reconhece a onipresença de Deus

“Uma esposa infiel age assim: comete adultério, toma um banho e depois diz: ‘Não fiz nada de errado!’” (Provérbios 30:20, NTLH)

  - O espírito mundano antes de estar fora, está dentro de nós

“Dentro de mim eu sei que gosto da lei de Deus. Mas vejo uma lei diferente agindo naquilo que faço, uma lei que luta contra aquela que a minha mente aprova. Ela me torna prisioneiro da lei do pecado que age no meu corpo” (Romanos 7:22-23, NTLH)

3) Como Vencer as Forças do Mal? Vença o Espírito Mundano

- Segundo, Use o Cinturão de sua Armadura Espiritual, v14b

“...Usem a verdade como cinturão...”

  - A função do cinturão era ajustar a armadura ao corpo

“Pelo contrário, falando a verdade com espírito de amor, cresçamos em tudo até alcançarmos a altura espiritual de Cristo, que é a cabeça. É ele quem faz com que o corpo todo fique bem ajustado e todas as partes fiquem ligadas entre si por meio da união de todas elas. E, assim, cada parte funciona bem, e o corpo todo cresce e se desenvolve por meio do amor” (Efésios 4:15-16, NTLH)

  - A função da verdade é libertar as pessoas

“E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará” (João 8:32, NTLH)

4) Como Vencer as Forças do Mal? Vença o Espírito Mundano

- Terceiro, Vista-se com a Couraça de sua Armadura Espiritual, v14c

“...Vistam-se com a couraça da justiça”

  - A razão da couraça era proteger o coração do soldado

“Trazia na cabeça um capacete de bronze e vestia uma couraça de escamas cujo peso era de cinco mil siclos de bronze” (1 Samuel 17:5, ARA)

  - A razão da justiça é proteger a nossa vida do inferno, do Diabo e de nós mesmos

“Porém Deus uniu vocês com Cristo Jesus e fez com que Cristo seja a nossa sabedoria. E é por meio de Cristo que somos aceitos por Deus, nos tornamos o povo de Deus e somos salvos” (1 Coríntios 1:30, NTLH)

Pr. Marcelo

"Se não vos tornardes como crianças"

"Se não vos tornardes como crianças"

Texto: Mateus 18:3

Introdução: Jesus sempre teve uma maneira peculiar de revelar as sublimes verdades do Evangelho por maneiras simples e ilustrativas: os pássaros, as flores, o semeador, as crianças etc.

I. Devemos ser como crianças.

1. Elas são felizes – O choro dura um momento.

a) Assim deve ser o cristão. Salmo 30:5.

b) Ninguém sofreu mais do que Paulo. II Coríntios 11:23-28.

c) Mas, mesmo assim, foi um homem de ânimo. Filipenses 3:1; 4:4.

2. Elas são sinceras - Não usam de diplomacia e política. São francas.

a) Assim devem ser nossos atos, negócios, palavras e vida cristã. Marcos 5:37.

3. São confiantes no cuidado paternal.

a) Até o dia de hoje, ainda não recebemos notícia de que o grande Deus tenha morrido.

b) Devemos pôr nossa confiança no braço divino. Isaias 52:10.

c) Ele cuida dos órfãos e das viúvas. Isaias 54:4; Jeremias 49:11.

d) Assim como a criança confia na alimentação provida por seu pai, assim deve ser conosco. Mateus 6:25; Salmo 23; Isaias 33:16.

4. São afeiçoadas - Nada tem mais valor do que os abraços e beijos da mamãe.

a) Temos nós tal afeição por Deus, a quem chamamos: "Pai"?

b) Há qualquer coisa que se interponha entre nós e Deus, tirando-nos esse afeto?

5. São humildes - Mesmo o filho de um rei sente-se feliz em brincar com um pequeno pobre.

a) Essa foi a lição primordial que Jesus quis ensinar a Seus discípulos. Havia contenda entre eles.

b) A prática da humildade, perante Deus, é uma joia preciosa. I Pedro 5:5, 6; Romanos 12:10.

6. O crescimento é-lhes necessário. Sem isso não há saúde.

a) O cristão precisa crescer na graça e conhecimento divinos.

b) O cristão que fica estacionado na sua experiência espiritual morrerá.

7. A alimentação sábia é-lhes necessária.

a) Assim deve ser com o cristão. I Pedro 2:2.

4/20/2013

O Que a Bíblia Tem a Ver Comigo? (Parte 01)

O Que a Bíblia Tem a Ver Comigo? (Parte 01)

Introdução: Uma das marcas da fé cristã é a sua ligação com a Bíblia. Se por um lado a Bíblia é muito diferente de outros livros que conhecemos, a sua mensagem é ainda mais diferente e transformadora. Ela tem alguma coisa a ver com você? É o que veremos hoje.

Texto: Gênesis 22:1-14

1) Este é um dos textos bíblicos que formam o enredo da Série de filmes “The Bible”. Vamos ver um pouco (exibição do trecho).

- Talvez você não saiba, mas esta dramática história tem tudo a ver com você.

2) O Que a Bíblia Tem a Ver Comigo?

- Ela nos Mostra que Passaremos por Testes, v1

“Algum tempo depois Deus pôs Abraão à prova. Deus o chamou pelo nome, e ele respondeu:

- Estou aqui”

3) O Que a Bíblia Tem a Ver Comigo?

- Ela Revela o que Mais Amamos, v2

“Então Deus disse: - Pegue agora Isaque, o seu filho, o seu único filho, a quem você tanto ama, e vá até a terra de Moriá. Ali, na montanha que eu lhe mostrar, queime o seu filho como sacrifício”

4) O Que a Bíblia Tem a Ver Comigo?

- Ela Define o que é Desejo e o que é Necessidade, v8

“Abraão respondeu: - Deus dará o que for preciso; ele vai arranjar um carneirinho para o sacrifício, meu filho.E continuaram a caminhar juntos”

5) O Que a Bíblia Tem a Ver Comigo?

- Ela Fala sobre o Resultado de Nossas Decisões, vs11-12

“Mas nesse instante, lá do céu, o Anjo do Senhor o chamou, dizendo: - Abraão! Abraão!

- Estou aqui - respondeu ele.O Anjo disse: - Não machuque o menino e não lhe faça nenhum mal. Agora sei que você teme a Deus, pois não me negou o seu filho, o seu único filho”

6) O Que a Bíblia Tem a Ver Comigo?

- Ela Explica os Propósitos de Deus, v13

“Abraão olhou em volta e viu um carneiro preso pelos chifres, no meio de uma moita. Abraão foi, pegou o carneiro e o ofereceu como sacrifício em lugar do seu filho”

Pr. Marcelo

Consagração a Deus {Esboço de sermão}

Consagração a Deus {Esboço de sermão}

Tema: Consagração

I – Quem se oferece voluntariamente? I Crônicas 29:5.

1. Quando Paulo se entregou a Jesus, qual foi sua primeira pergunta? – Atos 9:3-6.

2. Mais tarde, como exprimiu sua completa consagração? Filipenses 3:8.

3. Por que Deus quer tal consagração? - II Coríntios 5:21.

II – Tal Consagração não será uma cruz.

l. Seremos novas criaturas. - II Coríntios 5:17.

2. Ele pede completa consagração. – Marcos 5:17. (Mãe, pai, filho, filha, vida, tudo.)

II – Exemplos de consagração completa.

1. Zaqueu. – Lucas 19:8,9.

2. Os batizados "perseveravam", "havia temor" estavam unidos", "louvando a Deus", "simpatia de todo o povo", "todos os dias." – Atos 2:41-47.

IV – Numa verdadeira consagração só Cristo aparecerá – Gálatas 2:20.

1. "Uma coisa faço." – Filipenses 3:13.

2. Não quer saber de nada. - I Coríntios 2;2.

3. Nada de glória própria. – Gálatas 6:14.

4. A verdade resplandece. – Efésios 4:25.

Bondade e Nobreza {Esboço de sermão}

Bondade e Nobreza {Esboço de sermão}

Texto: Mateus 5:16

I – O exemplo divino.

1. Deus, a única fonte de bondade. – Lucas 18:18 e 19.

2. Natureza da bondade de Deus. – Êxodo 33:19; 34:6 e 7.

3. Jesus demonstra a bondade divina. – Atos 10:38.

4. A norma de trabalho de Cristo. – Lucas 4:18 e 19.

II – Os efeitos da bondade.

1. O homem em seu estado natural. – Salmo 14:2 e 3.

2. A bondade de, Deus e a salvação do homem. – Romanos 2:4.

3. Desejar a bondade. – Salmo 107:9; Mateus 5:6.

4. Frutos da bondade. – Gálatas 5:22 e 23.

III – O ideal de Deus para com o homem.

1. Norma elevada para a conduta do cristão. - I Pedro 1:15 e 16; Mateus 5:48; Efésios 4:13.

2. Influência de uma vida piedosa. – Mateus 5:16; I Pedro 2:12.

3. O caráter dos crentes que aguardam a vinda de Cristo. - Tito 2:11-14.

IV – Poder para levar vida nobre e sua recompensa.

1. Deus operando no homem. – Hebreus 13:20 e 21.

2. A recompensa eterna. – Mateus 25:21.

O Deus que procura

O Deus que procura

Texto: João 4:23

Introdução: O ser humano vive procurando, estamos sempre à procura de alguma coisa ou de algo na nossa vida

Procuramos um lugar para morar, procuramos uma pessoa para casar para viver ao nosso lado, procuramos uma profissão para ter um vida melhor, procuramos uma igreja onde possamos adorar a Deus

Deus procura um Intercessor;

Deus procura um Atalaia;

Deus procura Adoradores:

Deus está procurando pessoas que choram, clamam, sintam a dor do próximo

Deus procura por pioneiros de um avivamento.

1. Deus procura por você.

O texto diz que Deus “achou Davi”. Ora, se achou é porque procurou.

Deus procura um determinado tipo de pessoa.

A Bíblia diz que Deus procura verdadeiros adoradores.

Uma coisa é buscar a Deus, outra coisa é ser buscado por Ele.

2. Deus procura um homem

  • O termo aqui é genérico. Significa uma pessoa. Pode ser homem ou mulher.
  • Na época de Moisés, Deus mandou procurar 70 homens para ajudá-lo, mas que fossem homens de verdade e capazes, tementes a Deus e que não amassem a avareza (Êxodo 18.21).
  • Alguém que não fosse uma pessoa infantil ou “menino” no entendimento.
  • Deus não procura “crianças birrentas” ou pessoas “aborrecidas”, que sempre dizem “não quero”, “não gosto”, “não dá” ou “não vou fazer”. Deus procura pessoas dispostas.

Conclusão: Deus está procurando, procurando o que? Ou procurando quem?

Deus esta procurando eu e você pra sermos usados em suas mãos, Deus esta a procura de homens e mulheres para ser o melhor desta terra

Deus continua procurando homens e mulheres nesta geração!

Deus procura verdadeiros adoradores, de corações quebrantados, que temam ao Senhor.

E qual foi a recompensa de Davi?

Deus cumpriu sua palavra e o fez Rei de Israel; deu-lhe paz com os povos ao redor e o fez marcar a história de Israel como nenhum outro; e Deus firmou sua descendência para sempre, pois Jesus é também “filho de Davi”. Valeu muito à pena!

Deus procura quem queira crescer e viver no estilo correto, a fim de cumprir os grandes propósitos do Senhor, de ser discípulo de verdade para impactar a sua geração.

Quantos querem ser como Davi nesta geração? Deus está procurando.

Apóstolo Eleandro Bisatto

Bondade e Simpatia {esboço de pregação}

Bondade e Simpatia {esboço de pregação}

Texto: Lucas 6:31.

I – A amorável ternura de Deus.

1. A bondade de Deus e Seu concerto. – Isaias 54 :6-10.

2. O apelo de Sua grande ternura. - Joel 2:12 e 13.

3. U poder regenerador do amor de Deus. - Tito 3:3-6.

II – A compaixão do Salvador.

1. Jesus recomenda a Seus seguidores que tenham a misericórdia manifestada pelo Senhor. Lucas 6:35 e 36.

2. A ativa compaixão de Jesus.

a) Para com as multidões. – Mateus 14:14-16.

b) Para com as crianças. – Mateus 19:14.

c) Para com Seus inimigos. – Lucas 22 :50-51.

3. A assistência mútua é um dever cristão. – Mateus 22:39; Lucas 10:27 e 28.

III – Exemplos do Velho e do Novo Testamentos.

1. O amor de Davi e Jônatas. - I Samuel 19:1-6.

2. O apelo de Paulo em favor de Onésimo. - Filemom 10, 16 e 17.

IV – Exortações à bondade fraternal.

1. Virtudes recomendadas aos eleitos. – Colossenses 3:12 e 13.

2. Comunhão na igreja primitiva. – Romanos 12:10; Efésios 4:32.

3. Passos para a bondade e a caridade entre os irmãos. II Pedro 1:5-7.

4. A sabedoria no falar e a lei da beneficência. – Provérbios 31:26.

5. A regra áurea. – Mateus 7:12.

4/19/2013

Quem eram os fariseus? {Esboço}

Quem eram os fariseus? {Esboço}

Texto: Mateus 23

Introdução: Cristo arrancou-lhes a máscara da hipocrisia e revelou-os aos Seus discípulos na hediondez e baixeza do seu caráter. Jesus apresenta os sinais com que são identificados em todos os tempos. "Não julgueis segundo as aparências".

1. Preeminência.

a) Usurparam posição privilegiada (v. 7).

b) "Amam os primeiros lugares" (v. 6).

2. Incoerentes.

a) Pregam o bem e não o praticam (v. 3);

b) Praticam o mal e o negam;

c) Palavras sem atos; atos sem palavras (Proverbio 19:5).

3. Vaidosos.

a) Fazem o bem para serem vistos pelos homens;

b) Buscam louvores e aplausos (v. 7).

4. Comodistas.

a) v. 4;

b) Mandatários.

5. Desumanos.

a) v. 14;

b) Isaias 10:1; João 10:10.

6. Cegos.

a) v. 19;

b) Cegos para engolir camelos; de visão para coar mosquitos! Só enxergam quando querem ou quando lhes convém! . . .

7. Injustos.

a) Fazem uma coisa e omitem outra (v. 19);

b) Soltam Barrabás e crucificam Cristo!

c) Rom. 1:18.

8. Hipócritas.

a) O exterior não corresponde ao interior (v. 23);

b) Sepulcros caiados (v. 27; II Timóteo 3:5).

9. Orgulhosos.

a) Pretendem ser Rabis (mestres), doutores da lei, consultores jurídicos religiosos;

b) Vazios de bom senso e amor cristão (v. 12).

10. Egoístas.

a) Pensam mais em si mesmos que nos outros;

b) Tratam mais de suas comodidades que das do próximo (Ezequiel 34:2-11).

Zaqueu, o publicano de Jericó

Zaqueu, o publicano de Jericó

Texto: Lucas 19:9

I – Obstáculos que Zaqueu enfrentou

1. Dificuldade popular – um publicano.

2. Dificuldade moral – um pecador.

3. Dificuldade de negócio – rico.

II – Auxílios de Zaqueu

1. Ele possuía um desejo de ver a Jesus.

2. Ele fez um esforço para ver a Jesus.

3. Ele estava desejoso de obedecer a Jesus.

III – Resultados do esforço de Zaqueu

1. Uma grande confissão.

2. Uma grande restituição.

3. Uma grande verdade proclamada. - v. 10.

A suplica de Bartimeu, o cego

A suplica de Bartimeu, o cego

Texto: Marcos 10:46-52

I – Quem era Bartimeu?

1. Um cego do corpo, mas não da alma.

a) Via coisas que nem Anás, nem Caifás, nem os escribas e fariseus chegaram a ver.

b) Via pela fé a Jesus como o verdadeiro Salvador prometido. – Isaias 35:3-6.

c) Pela fé vira os assombrosos milagres de Jesus.

d) Era uma fé infantil, mas robusta. – João 20:29.

II – Onde estava Bartimeu?

1. No posto de seu dever.

2. No lugar da oportunidade.

3. No lugar em que Jesus passou e pela última vez.

a) Jesus ainda passa entre os homens pelas admoestações dos amigos, pelas exortações do pregador, pela doença e pela morte.

b) Devemos nos assentar no lugar onde Jesus passa, onde se lê a Sua Palavra e se reúne Seu povo.

c) Quem profana o Dia do Senhor, descuida-se da leitura da Palavra e recusa orar, não se assenta junto ao caminho onde Jesus passa.

III – O que Bartimeu queria?

1. Que Jesus lhe abrisse os olhos do corpo.

2. As dificuldades que teve de enfrentar.

a) Uns admoestavam-no a que não molestasse a Jesus.

b) Outros mandavam-no calar-se.

(1) Estes não sabiam quão grande era a miséria de ser cego; ele o sabia.

(2) As belezas naturais eram-lhe desconhecidas.

3. Todos os que desejam ser salvos devem notar bem a conduta de Bartimeu.

a) Como ele, não devemos nos importar com o que os outros pensem e digam de nós, nem com os escárnios e zombarias. - João 15:18-20.

b) Outros dirão: "É muito cedo"; ou "Não abandones a religião dos teus pais" ; mas em tais ocasiões devemos clamar como Bartimeu. – Salmo 119:18.

4. O conforto de Jesus. - V. 49.

a) Grandes problemas ocupavam-lhe o espírito – ia a Jerusalém para morrer; no entanto, interrompeu a sua viagem para prodigalizar conforto a um sofredor.

b) Se no mundo não encontramos conforto e paz, o mesmo Jesus, que passa, nos diz: "Tende bom ânimo", "Vinde a Mim" e "Quem vem a Mim não o lançarei fora".

5. Jesus o cura. - Vs. 51, 52.

a) Aquela mesma mão ainda está pronta a se estender para curar nossa cegueira espiritual.

IV – O que fez Bartimeu?

1. Antes de chegar a Jesus deixou tudo. - V. 50.

a) Assim foi o filho pródigo.

b) Assim foi com os primeiros discípulos.

c) Hoje ainda devemos deixar tudo que nos impeça aproximar-nos de Cristo.

2. Chegando-se a Jesus, seguiu-O. - V. 52.

a) Aquele que recebe tal graça de Jesus deve acompanhá-lO aonde quer que Ele queira conduzi-lo.

b) O mesmo que lhe deu a vista não o enganará; estará com ele "até o fim do mundo".

c) Assim fazendo mostramos nossa gratidão. - Mar. 5-18-20.

3. Supliquemos do íntimo de nossa alma: - Senhor, abre os meus olhos!

4/18/2013

Os passos na queda de Pedro

Os passos na queda de Pedro

Texto: Lucas 22:54-62; Números 32:23

Há em cada vida tempestade.

I – As causas de sua queda.

1. Confiança própria. - vs. 32, 33.

a) Isso é um grande perigo. I Coríntios 10:12.

b) Devemos sempre temer. Provérbios 28:14.

2. Falta de oração. – Mateus 26:36-41.

a) Devemos vigiar e orar. I Tessalonicenses 5:17; I Pedro 5:8, 9.

b) A oração é a chave nas mãos da fé.

3. Seguia a Jesus de longe. v. 54.

a) João seguia a Jesus de perto. João 18:15, 16.

b) Também é um grande perigo.

(1) Satanás pode mais facilmente derrotar uma só alma do que muitas.

(2) Seguindo a Jesus, sigamo-Lo bem de perto, olhando só a Ele – Hebreus 12:1, 2.

4. Estava em terreno impróprio. V. 55.

a) Um cristão não pode tomar parte com os ímpios. – Salmo 1:1, 2.

b) Não deve ir às suas diversões.

c) Um pequeno pecado leva-nos a cometer outros maiores. Exemplo de Pedro.

d) Devemos confessar a Jesus onde quer que estivermos.

II – A causa do seu arrependimento. Vs. 61, 62.

1. O olhar de Jesus.

a) Este foi como um relâmpago no meio das trevas.

b) Fora uma esperança, graça e consolação.

2. Pedro sentira a consequência de seu pecado. Números 32:23.

3. Chorou, prova de seu arrependimento sincero.

a) Como morreu Pedro.

4. Se conhecermos a nossa falta, choraremos, arrependidos porque "bem-aventurados os que choram".

5. Sejamos leais a Jesus sempre e em todas as coisas olhando a Ele e resistamos ao diabo e ele fugirá de nós.

Breve estudo sobre o caráter do apostolo Pedro

Breve estudo sobre o caráter do apostolo Pedro

I – A queda de Pedro. Lucas 22:52-54.

1. Ele havia votado morrer antes que negar a Jesus – confiança própria.

a) Estamos sujeitos a cair também. - I Coríntios 10:12.

2. Na sombra da cruz Pedro não pôde guardar sua promessa feita um pouco antes.

a) Nós fazemos votos ao seguirmos a Jesus, mas na hora escura das provações, às vezes somos-lhes infiéis.

b) Devemos confiar em Jesus. – Salmos 23:4.

3. Quatro coisas fizeram Pedro negar a Jesus:

a) Confiança própria.

b) Falta de oração.

c) Seguia a Jesus de longe – temor humano.

d) Estava em terreno impróprio.

4. Com o olhar de Jesus, Pedro reconhece a falta.

II – Pedro com Jesus depois da ressurreição.

1. Imaginai a tristeza e a vergonha de Pedro depois de haver negado a Jesus.

a) Apesar de tudo isso ele amava a Jesus; após a ressurreição foi o primeiro a entrar no sepulcro. – João 20:1-6.

2. A mensagem especial de Jesus. – Marcos 16:5, 7.

a) Jesus não queria que Pedro viesse a pensar que o Mestre não fizesse mais caso dele.

b) Era um toque de amor ao coração desconfiado.

3. A afirmação do arrependimento de Pedro. – João 21:15-17.

a) Três vezes havia negado o Mestre, e três vezes Jesus lhe pediu a certeza de seu amor, lealdade e arrependimento.

III – Os últimos acontecimentos na vida de Pedro.

1. Pentecostes - Pregou a milhares. – Atos 2 e 3.

a) Perdeu o temor humano. – Atos 4:19, 5 :29.

2. Seu zelo missionário - Suas viagens.

a) Seu encontro com Cornélio. – Atos 10.

3. Sua morte. – João 21:18, 19. - A tradição.

a) Com o auxílio do alto, Pedro venceu os obstáculos da vida e tornou-se um grande homem e um vaso escolhido. Assim seja conosco! - II Coríntios 12:7-10.

b) Jesus mandou Pedro e pôs sobre ele uma cruz que lhe será trocada por uma coroa. - I Pedro 5:4.

Deus tem coisas novas para nossas vidas

Deus tem coisas novas para nossas vidas

Texto: Apocalipse 21:5

Introdução:

“Assim que se alguém está em Cristo nova criatura é, as coisas velhas se passaram, eis que tudo se fez novo”. 2 Coríntios 5-16:17

  • Deus é um Deus de coisas novas.
  • Deus gosta de coisas novas, Ele não gosta de coisas velhas.
  • Ele é Criador, está na natureza de Deus criar coisas.
  • Como um bom pai, Ele gosta de dar coisas novas para seus filhos.
  • Deus quer trazer coisas novas para a tua vida.
  • Deus tem coisas novas para mim.
  • Esse é o tempo profético da renovação.
  • Deus quer renovar tornar novo.
  • Mudar para melhor, trocar o velho pelo novo, revigorar a força.

1.  Como receber coisas novas.

  • Tirando o velho para receber o novo.
  • Somente quando tirarmos o velho
  • Deixarmos para trás as coisas velhas (passado), é que vamos receber o novo.
  • Quer receber coisas novas então tire as coisas velhas.

2.  Para receber coisas novas você deve.

  • Esquecer-se das coisas do passado.
  • Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas.

Eis que faço coisa nova… Isaias 43.18,19.

3. Quando Deus fala para não se lembrar das coisas do passado ele estava dizendo.

  • Deus quer fazer coisas novas, maiores e melhores do que foi feito no passado.

4.  Por que Deus é Deus de coisas novas?

  • Alguém que tem só coisas novas não pode dar coisas velhas.
  • Deus tem coisas novas para nós.
  • O novo de Deus está vindo para nós!
  • Diga para a pessoa que está ao seu lado: vem coisas novas de Deus para você!
  • Quando eu falo em coisas velhas eu não me refiro à idade, de jeito nenhum..
  • Deus é Deus de coisas novas.
  • Mas para que as mudanças venham a acontecer é preciso: Atitude (nossa parte).
  • Não existe mudança sem atitude.
  • Mudança é no concreto, no real.
  • Não basta você desejar mudar, você tem que tomar atitudes que comprovem que você quer mudança.
  • Deus quer nos levar a conquistar o que nunca tivemos!
  • Mas para isso precisamos fazer coisas que nunca fizemos!

Conclusão:

  • Quando uma mulher está grávida, a vida dela passa por um processo de mudanças.
  • O corpo muda, os sentimentos mudam a vida muda, a casa muda.
  • Tudo muda. Por quê?
  • Porque está vindo algo novo, uma nova vida.
  • Durante o tempo da gestação ela vai se preparar para receber esse bebê.
  • Vai fazer o enxoval, arrumar o quarto, vai fazer os exames (pré-natal).
  • E quem faz tudo isso acontecer?
  • Como esse bebê se desenvolve dentro da barriga dela?
  • É Deus que traz vida.
  • Ele que faz vir à existência as novas vidas, o novo, o tempo novo.
  • Deus está trazendo mudanças para nós!
  • O vento de Deus está soprando as novidades de Deus para nós!
  • Receba de Deus novas coisas a partir de agora.

Autor: Apóstolo Eleandro Bisatto

O Deus que tem planos para nossas vidas

O Deus que tem planos para nossas vidas

Texto: Jeremias 29:11

Introdução:

  • Você sabia que quando Deus nos criou, Ele já estabeleceu planos para cada um de nós?
  • Deus tem planos para nos fazer prosperar, de nos trazer esperança e um futuro de paz.
  • Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês, diz o Senhor, planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.

1. Deus tem planos de prosperidade para você.

  • A vontade de Deus é que todos os seus filhos prosperem.
  • Tenham suas necessidades supridas que desfrutem do seu trabalho em paz.
  • Até o salmista nos conclama a cantar de júbilo, de alegria e glorificar a Deus.
  • Ele se compraz na prosperidade do seu servo Salmo 35:27.
  • Deus planejou para cada um dos seus servos a prosperidade.
  • Ele mesmo nos capacita para essa conquista e nos impulsiona a prosperar.
  • Deus quer que todos nós prosperemos em todas as áreas da nossa vida.
  • Inclusive financeiramente.
  • Para que possamos prosperar, segundo a vontade de Deus, precisamos então aceitar os planos de Deus para a nossa vida.
  • Diga para a pessoa que esta ao seu lado aceite os planos de Deus.

2. Deus tem planos de esperança para você.

  • Nos dias de hoje, muitos vivem sem esperança.
  • Vão levando a vida sem propósito definido.
  • Sem um alvo, sem um grande sonho.
  • Vivem por viver.
  • Já se deixaram vencer pelas dificuldades da vida, pelos infortúnios que muitas vezes nos alcançam, pelos problemas que não conseguimos resolver.
  • Mas não foi isso que Deus planejou para nós.
  • Quando Deus nos criou, Ele nos olhou com amor, com esperança, com alegria e já traçou um plano maravilhoso para nós.
  • Dentro desse maravilhoso plano de Deus está incluído as nossas vidas.

3. Deus tem planos de um futuro melhor para você.

  • Você que está com uma vida difícil, complicada, sem alegria até de viver.
  • Você que está desanimado, que perdeu a fé em um futuro melhor.
  • Você que acha que não tem mais jeito para você, para o seu problema.
  • Você que está achando que não tem mais futuro para você.
  • Quero te dizer que você está muito enganado.
  • Quero te dizer que não foi isso o que Deus planejou para você.
  • Quero te dizer que Jesus pode mudar toda essa sua situação de desânimo, tristeza e te dar um futuro melhor, pois foi exatamente isso que Ele planejou para você!

4. Como Deus vai executar esse plano de um futuro melhor para cada um de nós?

  • Quando nós nos rendermos a Sua vontade.
  • Quando nós decidirmos viver de acordo com os Seus princípios.
  • Quando nós entregarmos a nossa vida a Ele.
  • Você já fez isso?

Conclusão: Cada pessoa que veio a Jesus e se entregou a Ele, teve a sua vida mudada, transformada para melhor.

É isso que Jesus deseja fazer com cada um de nós.

Ele quer nos abençoar.

Salvar-nos e cumprir os planos dele para as nossas vidas.

Você deseja se render a vontade de Deus para a sua vida?

Você deseja se entregar a Ele?

Faça isso agora mesmo!

Autor: Apóstolo Eleandro Bisatto