2/27/2012

Aprendendo com os erros do filho pródigo

Aprendendo com os erros do filho pródigoTexto: Lucas 15.11-32

"Aquilo que os filhos não aprendem em casa, a vida se encarrega de ensiná-los, e quase sempre de forma dolorosa".

Quais seriam os conselhos de um filho restaurado que saiu de casa e perdeu tudo?

É sempre melhor aprender com os erros dos outros do que errar para aprender. Até aqui, aprendemos muito com as virtudes do pai. Agora, vamos extrair algumas lições dos erros cometidos pelo "filho pródigo". Se pudéssemos perguntar para esse filho, depois da sua dolorosa experiência: "Quais os conselhos que você daria para não passarmos por tudo o que você passou e nem sofrermos tudo o que você sofreu?" Certamente, ele nos conselhos imprescindíveis.  

Primeiro - Cuidado com as suas decisões em tempo de crise

Para se tomar decisões relevantes na vida, o pior momento é quando estamos vivendo em tempo de crise.

Como disse no início, a crise pode tanto ser uma grande oportunidade de crescimento, como pode ser um tempo muito perigoso onde podemos nos perder. Eu experimentei um momento de grande crise na minha vida, provocada pela perda do meu pai, que morreu num acidente de automóvel, numa rodovia na cidade de Vinhedo, no Estado de São Paulo. Eu tinha apenas dezoito anos de idade, e ele estava com cinquenta e um anos. Foi o fato que mais marcou-me em toda a minha vida.

Assim que fiquei sabendo do ocorrido, a única coisa que eu me perguntava, era: "Como será a nossa vida daqui para frente?" Foi nesse tempo que eu ouvi de um pastor, que é muito amigo: "Josué, não toma nenhuma decisão, não venda, não troque, não compre, não negocie, não mude, não decida nada neste momento. Espere o coração se acalmar, não tenha pressa, pois este não é o melhor momento para você e sua família tomarem decisões importantes".

O sábio Salomão escreveu: "Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu" (Eclesiastes 3.1).  

Lembre-se: as suas decisões afetam aqueles que caminham, viajam e convivem com você.

Com frequência, eu ouço pessoas dizendo: "Ninguém tem nada a ver com a minha vida. Eu sou dono do meu destino". Não existe forma de tomar decisões relevantes sem que outras pessoas sejam beneficiadas ou prejudicadas por nossa causa. Todas as decisões que tomamos têm implicações na vida de outras pessoas. Eva perdeu tudo o que o Senhor havia lhe dado, e mais. Hoje, toda a humanidade sofre por causa de uma decisão errada que ela tomou (Gênesis 3).

Por causa de uma outra decisão errada, Jonas, apesar de ser um profeta do Senhor, fez com que todos os que estavam no mesmo barco que ele sofressem as consequências do seu erro (Jonas 1). Sansão, apesar de ser um escolhido do Senhor, tomou uma decisão tão errada, que fez com que perdesse a presença de Deus na sua vida (Juízes 16). Judas Iscariotes tomou duas decisões erradas: a primeira foi a de trair Jesus; a segunda foi porque, não suportando a dor do remorso, acabou optando por tirar a sua própria vida (Mateus 27.5).

É provável que muitos dos meus leitores estejam prestes a tomar uma decisão ainda hoje, ou na próxima semana, ou no próximo mês.

Algumas sugestões que podem ajudar você na hora de tomar uma decisão importante:

(1) Deus precisa estar no controle das suas decisões. Quando você ora: "Venha o teu reino, seja feita a tua vontade..." (Mateus 6.10), é o mesmo que dizer: "Senhor, toma o controle da minha vida, dirige todos os meus passos, guia-me por caminhos seguros, não deixe que os meus pés vacilem". Tudo o que começa com Deus, termina debaixo da Sua bênção. Bem-aventuradas são as pessoas que procuram envolver Deus em tudo o que fazem. Ele conhece o passado, o presente e o futuro. Ninguém melhor do que Ele para nos mostrar o que será para o bem das nossas vidas. Infelizmente, muitos buscam o Senhor quando já tomaram suas decisões por conta própria e, por isso, estão sofrendo as consequências do seu erro. Antes de tomar qualquer decisão relevante na sua vida, busque a orientação do Senhor.

(2) Quando a decisão é relevante, demore um pouco mais, "durma" sobre a questão, ore mais um pouco. Decisões bem tomadas são aquelas que decidimos com calma, sem nos precipitar. "Esperei com paciência no Senhor, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor" (Salmo 40.1). Quase sempre, as piores decisões são aquelas tomadas de forma precipitada. Lembro-me que um jovem veio à minha casa pedir minha filha em namoro. Conversamos um pouco, percebi que ele era um bom rapaz e que daria um bom marido. Porém, eu perguntei aos dois: "Vocês estão dispostos a orar comigo durante trinta dias, antes de tomar a decisão final?"

A espera também é também uma prova do amor; quem não sabe esperar, ainda não aprendeu a amar. Decisões importantes requerem paciência para tomá-las. O jovem e a minha filha aceitaram o tempo de espera, e eu considerei esse um ponto muito positivo. Começaram bem.

(3) Tenha conselheiros com os quais você possa se orientar. "Não havendo sábios conselhos, o povo cai, mas na multidão de conselhos há segurança" (Provérbios 11.14). Com certeza, o "filho pródigo" não tinha conselheiros com os quais ele buscava orientação para tomar decisões importantes. Um conselho pode nos livrar dos caminhos da morte. Veja o valor dos conselhos das pessoas sábias.

Conta-se que um casal de jovens recém-casados era muito pobre e vivia de favores num sítio do interior. Um dia, o marido fez a seguinte proposta à esposa: "Querida, eu vou sair de casa, vou viajar para bem longe, arrumar um emprego e trabalhar até ter condições para voltar e dar-te uma vida mais digna e confortável. Não sei quanto tempo vou ficar longe, só peço uma coisa, que você me espere e, enquanto estiver fora, seja fiel a mim, pois eu serei fiel a você".

Assim sendo, o jovem saiu. Andou muitos dias a pé, até encontrar um fazendeiro que estava precisando de alguém para ajudá-lo em sua fazenda. O jovem chegou e ofereceu-se para trabalhar. Foi aceito. Pediu para fazer um pacto com o patrão, o que também foi aceito. O pacto seria o seguinte: "Deixe-me trabalhar pelo tempo que eu quiser e, quando eu achar que devo ir, o senhor me dispensa das minhas obrigações. Eu não quero receber o meu salário. Peço que o senhor o coloque na poupança, até o dia em que eu for embora. No dia em que eu sair, o senhor me dá o dinheiro, e eu sigo o meu caminho". Tudo combinado. Aquele jovem trabalhou durante vinte anos, sem férias e sem descanso.

Depois de vinte anos, chegou para o patrão e disse: "Patrão, eu quero o meu dinheiro, pois estou voltando para a minha casa".

O patrão então respondeu-lhe: "Tudo bem. Afinal, fizemos um pacto e vou cumpri-lo. Só que antes, quero lhe fazer uma proposta, tudo bem? Eu lhe dou todo o seu dinheiro e você vai embora, ou eu lhe dou três conselhos e não lhe dou o dinheiro, e você vai embora. Se eu lhe der o dinheiro, eu não lhe dou os conselhos, e se eu lhe der os conselhos, eu não lhe dou o dinheiro. Vá para o seu quarto, pense e depois me dê a resposta".

Ele pensou durante dois dias, procurou o patrão e disse-lhe: "Quero os três conselhos". O patrão novamente frisou: "Se lhe der os conselhos, não lhe dou o dinheiro". E o empregado respondeu: "Quero os conselhos". Disse, então, o patrão:

1) Nunca tome atalhos, caminhos mais curtos e desconhecidos podem custar a sua vida;

2) Nunca seja curioso para aquilo que é do mal, pois a curiosidade para o mal pode ser fatal;

3) Nunca tome decisões em momentos de ódio ou de dor, pois você pode se arrepender e ser tarde demais.

Após dar os conselhos, o patrão disse ao rapaz, que já não era tão jovem assim: "Aqui você tem três pães: dois para você comer durante a viagem e o terceiro é para comer com sua esposa quando chegar à sua casa".

O homem então seguiu seu caminho de volta, depois de vinte anos longe de casa e da esposa que ele tanto amava. Após o primeiro dia de viagem, encontrou um andarilho que o cumprimentou e lhe perguntou: "Para onde você vai?" Ele respondeu-lhe: "Vou para um lugar muito distante, que fica a mais de vinte dias de caminhada por esta estrada". O andarilho disse-lhe, então: "Rapaz, este caminho é muito longo, eu conheço um atalho que é muito melhor. Você chega em poucos dias." O rapaz, contente, começou a seguir pelo atalho, quando se lembrou do primeiro conselho, então voltou e seguiu o caminho normal. Dias depois, soube que o atalho levava a uma emboscada.

Depois de algum tempo de viagem, cansado ao extremo, achou uma pensão à beira da estrada, onde pôde hospedar-se. Pagou a diária e, após tomar um banho, deitou-se para dormir. De madrugada, acordou assustado com um grito estarrecedor. Levantou-se de um salto só e dirigiu-se à porta para ir até o local do grito. Quando estava abrindo a porta, lembrou-se do segundo conselho. Voltou, deitou-se e dormiu.

Ao amanhecer, após tomar o café, o dono da hospedagem perguntou-lhe se ele não havia ouvido um grito; e ele disse que sim, que tinha ouvido. O hospedeiro disse: "E você não ficou curioso?" Ele disse que não. Daí, o hospedeiro respondeu: "Você é o primeiro hóspede a sair vivo daqui, pois meu filho tem crises de loucura; grita durante a noite e, quando o hóspede sai, mata e o enterra no quintal."

O rapaz prosseguiu na sua longa jornada, ansioso por chegar à sua casa.

Depois de muitos dias e noites de caminhada, já ao entardecer, viu entre as árvores a fumaça de sua casinha, andou e logo viu entre os arbustos a silhueta de sua esposa. Estava anoitecendo, mas ele pôde ver que ela não estava só. Andou mais um pouco e viu que ela tinha, entre as pernas, um homem, a quem estava acariciando os cabelos. Quando viu aquela cena, seu coração encheu-se de ódio e amargura e decidiu-se a correr de encontro aos dois e matá-los, sem piedade. Respirou fundo, apressou os passos, quando se lembrou do terceiro conselho. Então parou, refletiu e decidiu dormir aquela noite ali mesmo e, no dia seguinte, tomar uma decisão.

Ao amanhecer, já com a cabeça fria, ele refletiu: "Não vou matar minha esposa e nem o seu amante. Vou voltar para o meu patrão e pedir que ele aceite-me de volta. Só que, antes, quero dizer à minha esposa que eu sempre fui fiel a ela."

Dirigiu-se à porta da casa, e bateu. Quando a esposa abre a porta e o reconhece, se atira ao seu pescoço e o abraça afetuosamente. Ele tenta afastá-la, mas não consegue. Então, com lágrimas nos olhos, ele lhe diz: "Eu fui fiel a você durante todos esses anos; e você me traiu..."

Ela, espantada, responde-lhe: "Como? Eu nunca o traí. Esperei durante esses vinte anos!" Ele então perguntou-lhe: "E aquele homem que você estava acariciando ontem ao entardecer?" E ela lhe disse: "Aquele homem é nosso filho. Quando você foi embora, descobri que estava grávida. Hoje, ele está com vinte anos de idade."

Então o marido entrou, conheceu e abraçou seu filho e contou-lhes toda a sua história, enquanto a esposa preparava o café. Sentaram-se para tomá-lo e comer juntos o último pão. Após a oração de agradecimento, com lágrimas de emoção, ele parte o pão e, ao abri-lo, encontra todo o seu dinheiro: o pagamento por seus vinte anos de dedicação e trabalho!

Muitas vezes, achamos que o atalho "queima etapas" e nos faz chegar mais rápido, o que nem sempre é verdade. Muitas vezes somos curiosos, queremos saber de coisas que nem ao menos nos dizem respeito, e que nada de bom nos acrescentará. Outras vezes, agimos por impulso, na hora da raiva, e fatalmente nos arrependemos depois.

Espero que você, assim como eu, não se esqueça desses três conselhos e não se esqueça também de confiar, mesmo que a vida muitas vezes já tenha lhe dado motivos para a desconfiança.

Veja o valor de três conselhos que livraram o homem da morte. Um dos livros que mais leio na Bíblia é o de Provérbios: "O livro dos Conselhos". Qualquer pessoa que deseja viver a vida com prudência e sabedoria deve ler o Livro de Provérbios todos os dias. Nele, está escrito: "O tolo sempre acha que a sua opinião é a única certa, mas os sábios ouvem os conselhos com atenção" (Provérbios 12.15).

(4) Converse com pessoas experientes, que sabem mais do que você, ouça o que elas têm a dizer. Apesar de ser um grande líder, houve um tempo em que Moisés precisou de alguém que o aconselhasse. "Vendo, pois, o sogro de Moisés tudo o que ele fazia ao povo, disse: Que é isto, que tu fazes ao povo? Por que te assentas só, e todo o povo está em pé diante de ti, desde a manhã até à tarde? Então disse Moisés a seu sogro: É porque este povo vem a mim, para consultar a Deus; quando tem algum negócio vem a mim, para que eu julgue entre um e outro e lhes declare os estatutos de Deus e as suas leis. O sogro de Moisés, porém, lhe disse: Não é bom o que fazes. Totalmente desfalecerás, assim tu como este povo que está contigo; porque este negócio é muito difícil para ti; tu só não o podes fazer. Ouve agora minha voz, eu te aconselharei, e Deus será contigo: Sê tu pelo povo diante de Deus, e leva tu as causas a Deus; e declara-lhes os estatutos e as leis, e faze-lhes saber o caminho em que devem andar, e a obra que devem fazer. E tu, dentre todo o povo, procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que odeiem a avareza; e põe-nos sobre eles por maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinqüenta, e maiorais de dez; para que julguem este povo em todo o tempo; e seja que todo o negócio grave tragam a ti, mas todo o negócio pequeno eles o julguem; assim a ti mesmo te aliviarás da carga, e eles a levarão contigo. Se isto fizeres, e Deus to mandar, poderás então subsistir; assim também todo este povo em paz irá ao seu lugar. E Moisés deu ouvidos à voz de seu sogro, e fez tudo quanto tinha dito; e escolheu Moisés homens capazes, de todo o Israel, e os pôs por cabeças sobre o povo; maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinqüenta e maiorais de dez" (Êxodo 18.14-24; grifo do autor).

A forma com que o "filho pródigo" tomou sua decisão deixou claro que ele não julgava importante buscar conselhos antes de tomar uma decisão.

(5) Pese os prós e os contras. Em todas as decisões importantes, existem perdas e ganhos, coisas positivas e negativas, a favor e contra. Pegue uma folha, faça duas colunas; em uma, coloque todos os aspectos positivos, na outra, todos os negativos. Isso lhe dará uma visão mais ampla de tudo o que está envolvido na decisão que será tomada. Peça para uma pessoa de confiança ajudar-lhe a preencher essas colunas. Quem está fora da questão tem uma visão melhor das coisas. Se a coluna dos aspectos negativos for maior do que a dos positivos, esse é um sinal de que não vale a pena investir nesse projeto, nessa escolha, nessa decisão, nessa mudança, nessa viagem, nesse negócio, neste relacionamento, enfim, no que está sendo colocado "em jogo".

(6) Faça todas as contas possíveis. Jesus construiu uma parábola que nos ajuda a entender a importância da prudência em nossas decisões: "Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?" (Lucas 14.28). Dependendo do que está em jogo, deve-se gastar tempo fazendo contas.

(7) Se é uma ida sem volta, não tenha medo de pedir mais um sinal para Deus quanto à Sua vontade. Gideão, ao ser convocado para uma grande tarefa, antes de dizer "sim", pediu dois sinais a Deus: "E disse Gideão a Deus: Se hás de livrar a Israel por minha mão, como disseste, eis que eu porei um velo de lã na eira; se o orvalho estiver somente no velo, e toda a terra ficar seca, então conhecerei que hás de livrar a Israel por minha mão, como disseste. E assim sucedeu; porque no outro dia se levantou de madrugada, e apertou o velo; e do orvalho que espremeu do velo, encheu uma taça de água. E disse Gideão a Deus: Não se acenda contra mim a tua ira, se ainda falar só esta vez; rogo-te que só esta vez faça a prova com o velo; rogo-te que só o velo fique seco, e em toda a terra haja o orvalho. E Deus assim fez naquela noite; pois só o velo ficou seco, e sobre toda a terra havia orvalho" (Juízes 6.36-40).

Deus não ficou, e não fica zangado, quando você demonstra preocupação em não querer decidir apenas por empolgação. Observe que era Deus quem falava com Gideão, mas mesmo assim ele buscou confirmação. O sucesso da sua missão estava no fato dele lutar com a certeza de estar no centro da vontade de Deus.

(8) Tenha um ou mais parceiros de oração. Um dos segredos do sucesso do jovem Daniel, na Babilônia, é que ele tinha parceiros de oração: "E Daniel entrou; e pediu ao rei que lhe desse tempo, para que lhe pudesse dar a interpretação. Então Daniel foi para a sua casa, e fez saber o caso a Ananias, Misael e Azarias, seus companheiros; para que pedissem misericórdia ao Deus do céu, sobre este mistério, a fim de que Daniel e seus companheiros não perecessem, juntamente com o restante dos sábios da Babilônia. Então foi revelado o mistério a Daniel numa visão de noite; então Daniel louvou o Deus do céu" (Dn 2.16-29). A oração é o meio através do qual Deus revela-nos a Sua vontade soberana. A oração nos torna sensíveis para ouvir a voz de Deus nos orientando. A oração nos coloca no caminho que Deus quer que trilhemos. É através da oração que Deus nos dá sabedoria para tomar decisões acertadas. Você tem um ou mais parceiros de oração, com os quais você pode confiar? Se a sua resposta é "não", comece a orar para que Deus lhe dê parceiros de oração. Isso vai fazer toda a diferença na sua vida.  

Algumas perguntas importantes que você deve fazer para si mesmo, antes de tomar uma decisão:

· O que estou para fazer é coerente com os Dez Mandamentos?

· Minha atitude aprofundará meu relacionamento com Deus?

· O que estou decidindo fazer vai contribuir para a obra do Reino de Deus?

· Essa minha decisão vai glorificar a Deus?

· Há base bíblica para esse meu desejo?

· Quando penso na decisão que vou tomar, há paz em meu coração?

· Essa decisão resultará em crescimento em muitas áreas?

· Ao tomar essa decisão, qual o sentimento que vou gerar no coração das pessoas que mais amo?

Lembre-se, a sua vida é o resultado das escolhas que você faz. A cada decisão que tomamos, revelamos muito do nosso caráter e de como será o legado que estamos deixando para os que vierem depois.

Um dia, quando eu estava lendo o capítulo três do evangelho segundo Marcos, ao chegar no versículo dezenove, onde lemos: "E a Judas Iscariotes, o traidor", o Espírito Santo me fez uma pergunta muito séria: "Josué, como você quer ser lembrado amanhã?"

Judas Iscariotes errou na sua decisão, e hoje o seu nome é sinônimo de "traição". Caro(a) leitor(a), como você quer ser lembrado(a) amanhã?

A Bíblia diz algo tremendo sobre Moisés, com relação a uma decisão acertada que ele tomou e que fez toda a diferença em sua vida: "Pela fé, Moisés, sendo já grande,recusou ser chamado filho da filha de Faraó, escolhendo, antes, ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado; tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa". (Hebreus 11.24-26 - grifo do autor). Lembre-se, suas escolhas determinarão como você será lembrado amanhã!  

Segundo: SAIBA SAIR...

O "filho pródigo" diria: "Eu não errei em sair de casa. Todo filho um dia tem que sair, pois só o casamento é permanente, os filhos são temporários". Ele deve ter agido dessa forma, pois, de fato, muitos não erram em sair de uma igreja para outra, de uma empresa para outra, de uma sociedade em algum negócio, de um noivado, de um namoro... Onde, então, ele falhou?

(1) Ele saiu no tempo errado. Quando o texto diz que ele era o filho "mais novo" (Lucas 15.12), isso nos remete à imaturidade, à juventude e à falta de experiência de vida. Ou seja, muito provavelmente ele era um jovem que ainda não estava pronto para sair de casa. Essa tem sido a causa do fracasso de muitas pessoas que estão largando o lar antes do tempo; estão se precipitando. Às vezes, estão fazendo o certo, mas na hora errada. O próprio Jesus, no exercício do Seu ministério, levou muito a sério o tempo certo para tomar cada uma das suas decisões. Um dia, quando Ele estava participando de uma festa de casamento, sua mãe, preocupada porque o vinho, como elemento principal da festa, havia acabado, intercede pelos noivos dizendo ao filho: "Eles não têm mais vinho"; a resposta de Jesus foi: "... Ainda não é chegada a minha hora" (João 2.3,4). Quando o Senhor está na direção de tudo em nossas vidas, não há precipitação.

(2) Ele saiu da forma errada. Ele exigiu a herança antes da morte do pai, e partiu para uma terra distante. Lá, desperdiçou seu dinheiro, vivendo de forma dissoluta (Lucas 15.13,14). Quem não sabe a hora de sair, corre o risco de nunca mais voltar; ou, quando voltar, não encontrar mais aquele a quem feriu profundamente. Quando o "filho pródigo" caiu em si, ele reconheceu que havia pecado contra o pai e também contra Deus:"Levantar-me-ei e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti" (Lucas 15.18; grifo do autor). Se com o "filho pródigo" aprendemos como não se deve sair, com a jovem Rebeca aprendemos a forma correta de sair. O segredo é: sair levando consigo a bênção do Senhor.

Se você entende que chegou o tempo de sair de casa, da igreja em que você congrega, da empresa em que trabalha, de uma sociedade de muito tempo, de um namoro ou de um noivado, aqui vai um conselho: nunca saia pela janela, de madrugada, como se fosse um(a) "adolescente apaixonado(a)" fugindo com o namorado(a), deixando para trás um rastro de decepção e vergonha.

No livro de Gênesis, capítulo 24, há um exemplo interessante de como se deve sair de casa. Abraão dá ao seu servo de confiança a missão de ir em busca de uma esposa para o seu filho, Isaque. O servo prepara dez camelos, e sai. Ao chegar à beira de uma fonte onde as moças iam buscar água, ele faz uma oração dizendo: "Ó Senhor, Deus de meu senhor Abraão, dá-me hoje bom encontro, e faze beneficência ao meu senhor, Abraão! Eis que eu estou em pé junto à fonte de água e as filhas dos homens desta cidade saem para tirar água; seja, pois, que a donzela, a quem eu disser: abaixa agora o teu cântaro para que eu beba; e ela disser: bebe, e também darei de beber aos teus camelos; esta seja a quem designaste ao teu servo, Isaque, e que eu conheça nisso que usaste de benevolência com meu senhor" (Gênesis 24.12-14; grifo do autor). Em seguida, ele se depara com Rebeca, e tudo acontece do jeito que ele orou a Deus. Ele pede água à Rebeca, ela o serve e depois serve a todos os seus camelos (vs. 6-22). Logo após, vendo que o Senhor confirmou que ela era a futura esposa de Isaque, pede para se hospedar em sua casa (v.23). Ela prontamente o recebe com toda a sua família (vs. 27-33). No dia seguinte, logo pela manhã, perguntaram para Rebeca se ela queria ir com o servo de Abraão para ser esposa de Isaque. Ela aceitou (vs. 57,58). Chegou o momento dela sair de casa, e a forma como ela sai é um exemplo para todos nós.

"E chamaram a Rebeca, e disseram-lhe: "Irás tu com este homem?" Ela respondeu: "Irei". Então despediram a Rebeca, sua irmã, e sua ama, e o servo de Abraão, e seus homens. E abençoaram a Rebeca, e disseram-lhe: "Nossa irmã, sê tu a mãe de milhares de milhares, e que a tua descendência possua a porta de seus aborrecedores!

E Rebeca se levantou com as suas moças, e subiram sobre os camelos, e seguiram o homem; e tomou aquele servo a Rebeca, e partiu" (Gênesis 24.58-61; grifo do autor).

Observe que, primeiro, o servo ora pedindo que Deus seja o senhor na decisão que será tomada. Segundo, apesar da vontade de Deus estar confirmada pelo sinal pedido, todos respeitam o direito da moça de fazer a sua escolha: "Irás tu com este homem?". E ela responde: "Irei". E, em terceiro lugar, eles então abençoam Rebeca. Ela saiu com a bênção de Deus, ministrada pela sua família! Leia a história de Rebeca e veja como ela foi um instrumento de Deus ao lado de Isaque para o cumprimento de um propósito grandioso na história do povo de Israel. Todos que saem assim se tornam canal de bênção onde quer que cheguem.  

Terceiro: Cuidado para só reconhecer o valor da família quando você estiver no pior lugar que uma pessoa pode estar. (entre os porcos.)

"Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida". (Platão)

O "filho pródigo", diria eu, só se lembrou do quanto o seu pai, a sua família e a sua casa eram importantes quando estava no pior lugar que um filho de fazendeiro (principalmente judeu), que conhece os piores e melhores lugares de uma propriedade rural, poderia estar: entre os porcos. Foi ali que, num momento de lucidez, ele se perguntou:"Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome!Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti;. Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros" (Lucas 15.17-19).

Infelizmente, muitos só vão dar conta do valor da sua família, dos seus pais, enfim, de tudo que deixaram em casa, quando estiverem no pior lugar, acompanhados pelos indesejáveis "porcos", experimentando a dor do desprezo e da vergonha.

Há uma outra parábola que Jesus construiu, onde o homem lembrou da família, e até orou, porém, tarde demais:

"E aconteceu que o mendigo morreu, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico, e foi sepultado.

E, no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão e Lázaro, no seu seio.

E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e manda a Lázaro, que molhe na água a ponta do seu dedo e me refresque a minha língua, porque estou atormentado nesta chama.

Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro somente males; e agora este é consolado e tu, atormentado. E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá passar para cá.

E disse ele: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu pai, pois tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham também para este lugar de tormento" (Lucas 16.22-28; grifo do autor).

Quantas pessoas só vão lembrar do quanto a família era importante quando estiverem no inferno. Para o "filho pródigo", houve tempo, ele voltou, encontrou seu pai vivo, houve reconciliação, restituição e celebração. Mas nem todos têm a mesma "sorte". O tempo de dar o devido valor aos pais, aos filhos, ao cônjuge, ao casamento e à família é hoje. Pare um pouco e reflita sobre isso...

Algumas perguntas para reflexão:

· Que valor você tem dado aos seus pais, ao cônjuge, aos filhos, aos seus irmãos?

· Se o amor é medido pelo tempo que se investe em quem se ama, qual é a dimensão e a intensidade do seu amor?

· Você é uma pessoa que leva muito a sério o sentimento "gratidão"? Procure ser sempre grato.

· Qual é o testemunho da sua família a seu respeito?

· O que você tem semeado hoje lhe garante uma grande colheita de coisas boas amanhã?

· Como você tem administrado aquilo que o Senhor lhe deu?

(4) O Caminho de Volta. Nunca é tarde...

"Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei..." (Lucas 15.18). Sempre que alguém toma uma decisão errada, além de se perder e, muitas vezes, perder tudo o que se tem, o sentimento de vergonha torna-se o gigante difícil de ser vencido para se tomar o caminho de volta. No caso do "filho pródigo", ele saiu com um terço de toda a herança que o pai havia lhe dado, mas teria que voltar sem nada, porque havia desperdiçado tudo, e de forma irresponsável. Ele também saiu deixando para trás o coração do seu velho pai ferido, e não sabia como iria encontrá-lo. Ele saiu autoconfiante e "cheio de si", mas agora teria que voltar cabisbaixo, reconhecendo que, diante do erro cometido, não era digno de ser recebido nem como filho.

4.1. O caminho de volta é sempre um caminho de aprendizagem. O tempo que o "filho pródigo" levou saindo do lugar da vergonha até chegar ao lugar da honra foi um período de aprendizagem. Ele estava deixando um lugar onde ele nunca deveria ter estado e voltando para onde ele nunca deveria ter saído. As nossas decisões equivocadas nos ensinam que aquilo que não aprendemos em casa, com os pais, a vida acabam nos ensinando de forma dolorosa, longe deles. Aprendemos, também, com o "filho pródigo" que precisamos dar mais valor àquilo que custou "o preço do suor" de outras pessoas. Ele não soube administrar aquilo que não lhe custou nada. Esse tem sido o grande erro de muitos filhos que herdam fortunas de seus pais.

4.2. O caminho de volta é sempre um caminho de reconhecimento. Voltar é reconhecer o valor da família, de um pai amoroso, gracioso, longânimo, perdoador e partilhador. Voltar é reconhecer os prejuízos de uma escolha errada e as possibilidades de uma decisão acertada. Voltar é reconhecer que qualquer projeto de vida construído com base em atitudes de rebeldia não prospera. Voltar é reconhecer que o melhor lugar do mundo ainda é perto de Deus e da família.

4.3. O caminho de volta é sempre um caminho de libertação do orgulho. Quem vence o orgulho destrói uma fortaleza do mal que existe dentro de si mesmo. Não é por acaso que a Bíblia diz: "Deus resiste aos soberbos..." (Tiago 4.6). O filho mais santo, se for dominado pelo sentimento de orgulho, pode se transformar em um "diabo" para os pais, para a família. Se for casado, pode se transformar num tormento para o cônjuge. O orgulho deforma as pessoas, desumaniza o homem e provoca a ira de Deus. Quando Jesus ensinou o Sermão da Montanha, Ele começou dizendo: "Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus" (Mateus 5.3; grifo do autor). Não é por acaso que a Bíblia é rica em advertência quanto ao orgulho. Está escrito:

"Em vindo a soberba, sobrevém a desonra, mas, com os humildes está a sabedoria" (Provérbios 11.2).

"A soberba precede à ruína, e a altivez de espírito,o a queda" (Provérbios 16.18).

"Olhar altivo e coração orgulhoso, lâmpadas dos perversos, são pecado" (Provérbios 21.4).

"... porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo" (1 João 2.16).

"Estas seis coisas o Senhor odeia, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos..." (Provérbios 6.16,17a).

Todos que decidem voltar para reconciliar, reparar, reconstruir e pedir perdão venceram o orgulho e deram o passo decisivo para serem abraçados graciosamente por Deus. Lembre-se, o Deus que abate o soberbo, também é Aquele que abraça, levanta, perdoa, socorre, cura, liberta e salva os humildes. A Bíblia diz que a humildade precede a honra (Provérbios 18.12). Cada passo que o "filho pródigo" dava em direção ao lugar de onde ele saiu (a casa do pai), ele deixava vazar do seu coração o "caldo venenoso do orgulho". Ele foi se esvaziando de si para reencontrar-se com aquele a quem ele havia entristecido. O caminho de volta sempre será o caminho daqueles que, diante da grandeza, santidade e suficiência de Deus, reconheceram seus pecados, fracassos, imperfeições e debilidades.

4.4. O caminho de volta sempre será o caminho da superação. O desafio, para qualquer pessoa que comete um erro nas escolhas que faz, é superar a si mesma diante de tantas vozes contrárias que surgem para fazer com que ela desista dos seus sonhos, projetos, ideais e até da própria vida. O diabo é mestre em iludir, enganar, armar seus laços, e, depois que o homem cai na armadilha, e desce até o último degrau da escada, ele cria uma atmosfera, envolvendo-o num túnel escuro, sem fim, cheio de pensamentos autodestrutivos. É como se algumas vozes por dentro dissessem: "Para você, não tem mais jeito. Acabou, este é o seu fim. Você nunca mais vai conseguir encarar seu irmão, seu cônjuge, seu pai, sua família, seus amigos". Superar essas vozes só é possível através da compreensão da graça, do amor, da misericórdia e do perdão de Deus. Voltar é superar a si mesmo, encontrando força na graça - imerecida.

Na vida, muitos caem, mas só os verdadeiramente grandes se levantam.

Decisão errada...

Cansei da minha casa.

Ficar já não fazia sentido.

Tudo me perturbava.

Até mesmo aquele que todos os dias me abençoava.

Flechei seu coração.

Roubei sua alegria.

Peguei o que era meu.

Fui embora, não dei explicação.

Decisão acertada

Um dia acordei.

Acordei para a vida

Então disse para mim mesmo:

Chega de descer, sofrer e perder...

Cheio de vergonha e medo,

Tomei o caminho de volta

O que vai acontecer? Não sei.

O que vão dizer? Não importa.

O que eu preciso, é começar a vencer!!!

Vencer a vergonha,

Vencer o medo,

Vencer o pessimismo,

Vencer os que não querem me ver livre,

Vencer o meu "eu" que está enfermo.

Acertei na escolha, voltei,

Já estou na minha casa,

Hoje eu sei o custo

de uma decisão errada!

Antes de decidir, pense um pouco mais!

Que Deus continue multiplicando as suas finanças!!!

Pr. Josué Gonçalves

A importância da voz

A importância da voz

Aqueles que estavam comigo viram a luz, mas não ouviram a voz daquele
que estava falando comigo (Atos 22.9).
Você alguma vez já se perguntou o que aconteceu com os companheiros de Paulo no caminho de Damasco?

 

1. QUANDO VER NÃO É O SUFICIENTE

a. “Aproximando-se ele de Damasco, na sua viagem, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu” (Atos 9.3).
b. “Aqueles que estavam comigo viram a luz” (At 22.9).
c. Ele viram a luz, mas não viram o Senhor da luz; viram o clarão, mas não viram aquele que produzia o clarão.
d. Eles viram com os olhos físicos, mas não viram com os olhos da fé.
e. Existe um ditado que diz: “Ver para crer”. Eles viram, mas não creram.

 

2. OBEDECER É O QUE IMPORTA

a. Existe uma discrepância entre o evento e o que Paulo está recordando agora: “Os homens que iam com ele pararam espantados, ouvindo a voz” (9.7). Algumas explicações:
i. Eles ouviram um ruído, mas não perceberam a voz
ii. Eles ouviram a voz, mas não creram nela
b. Voz vinda do céu aconteceu:
i. no batizado de Jesus: “O Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea como pomba; e ouviu-se uma voz do céu: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo” (Lc 3.22)
ii. na transfiguração: “Este é o meu Filho, o meu eleito: a ele ouvi” (Lc 9.36).
c. A diferença entre Paulo e aqueles homens está na pergunta que o Apóstolo faz:
“Senhor, que farei?”
d. Enquanto eles ficaram possuídos do medo, Paulo fixou a sua atenção naquele que produzia tamanho milagre.

 

3. COMPROMETER-SE É FUNDAMENTAL

a. “Não ouviram a voz daquele que falava comigo”
b. Qual a importância deste particular detalhe para Paulo? Porque lembrar algo tão insignificante?
i. Paulo converteu-se no ano 34/35
ii. O seu relato se dá no ano 60 (25 anos depois).
c. 25 anos depois da sua conversão, Paulo é um homem comprometido com aquela voz que ele ouviu perto de Damasco. Ele mesmo afirma ao rei Agripa: “Não fui desobediente à visão celestial”.
e. Ninguém mais ouviu falar daqueles companheiros de Paulo e agora quando ela olha para trás, ele somente pode com tristeza dizer que eles viram, mas não ouviram.
f. O preço deste comprometimento.

 

CONCLUSÃO

1. Daqui a alguns anos o que será dito sobre você? Você viu as evidências do que Deus queria fazer, mas não ouviu a voz? Não acreditou que era verdade?
2. Não obedeceu a visão celestial?

Autor: Antônio Carlos Barro

Oportunidades Irrecusáveis

Oportunidades Irrecusáveis

Texto Bíblico: 1Coríntios 7.21

 

Introdução:

Quantas oportunidades já não foram desperdiçadas por tantas pessoas neste momento, oportunidades de escolha que poderiam fazer diferença no agora ou no futuro.

Quantas oportunidades não foram colocadas em segundo plano por conta de orgulho, de poder, de posição.

Quantos que neste momento dariam tudo se pudesse voltar no tempo em face de não aproveitar as oportunidades que foram colocadas à disposição. Muitas oportunidades são únicas. (Ec 9.11,12).

 

Agarre as Oportunidades Irrecusáveis

 

1- A Oportunidade da Salvação. (2Co 6.2).

Deus oferece salvação a todas as pessoas. Muitas adiam uma decisão a favor de Cristo pensando que haverá uma ocasião melhor – mas podem facilmente perder por completo a oportunidade.

Não existe um tempo tão apropriado para receber o perdão (salvação) de Deus como o presente. Não permita que algo o impeça de vir a Cristo.

O tempo oportuno é “agora” mesmo. Este e o tempo “aceitável”, “bem-vindo” e “favorável” – este em que vivemos.

A Escritura Sagrada diz:

- “como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos, depois, confirmada pelos que a ouviram.” (Hb 2.3).

 

2- A Oportunidade de Buscar ao Senhor. (Is 55.6).

Isaías nos exorta a buscá-lo enquanto pudemos achá-lo, enquanto Ele está próximo. Não espere até encontrar-se à deriva, e longe de Deus, para procurá-lo. Quanto mais tempo passar, mais difícil será voltar para Ele. Busque a Deus agora, enquanto pode fazê-lo, antes que seja tarde de mais.

As Escrituras Sagradas dizem:

- “… porque é tempo de buscar o Senhor…” (Os 10.12).

- “Porque assim diz o Senhor… Buscai-me e vivei.” (Am 5.4).

- “… aqueles que buscam ao Senhor de nada têm falta.” (Sl 34.10).

 

3- A Oportunidade da Liberdade. (1Co 7.21).

A escravidão era comum em todo Império Romano. Hoje também não são diferentes as pessoas são escravas do pecado até que entregue sua vida a Cristo, que é o único que pode vencer o poder do pecado e te dar plena liberdade. – “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres.” (Jo 8.36).

Agarre, aprovei-te a oportunidade: “Foste chamado sendo escravo? Não te preocupes com isso; mas, se ainda podes tornar-te livre, aproveita a oportunidade”(1Co 7.21). Hoje é o seu Dia! Aproveite a oportunidade para ser livre. – “e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (Jo 8.32).

Resumo: As oportunidades que temos hoje podem não estar disponíveis no futuro, e isso é uma das coisas que muitas pessoas acabam não levando em conta. Não perca as oportunidades de Deus à sua vida! Hoje é o tempo da tua oportunidade!

Fonte: http://eloizio.wordpress.com/

Diligência, o Segredo do Êxito

Diligência, o Segredo do Êxito

Texto: Provérbios 22.29

Introdução

Verdadeira diligência é contrária à natureza dos seres humanos.
Desejo de gratificação instantânea é a característica comum a todos os seres humanos. Queremos o máximo possível o mais rápido possível.

Diligência é uma habilidade adquirida que combina persistência criativa, esforço inteligente, planejado e executado de forma honesta e sem atrasos, com competência e eficácia, de modo a alcançar um resultado puro e dentro do mais alto nível de excelência.

I. Recompensas da diligência:

1. Prosperidade – Pv 10.4
Os textos falam sobre enriquecer mesmo. Se se trabalhar com toda a diligência, a riqueza se torna uma realidade!

2. Domínio, controle, governo – Pv 12.24
Você terá controle sobre a situação, em vez de ser controlado por ela.

3. Bem precioso – Pv 12.27
Segundo esta tradução, ser diligente é um dos bens mais preciosos de um homem!

4. Fartura, satisfação – Pv 13.4
“Se farta”, literalmente, “engorda”. Ver também Pv 28.19
Quando usa a palavra “alma”, Salomão se refere à parte mais íntima do ser humano, seu núcleo, a morada de sua personalidade e de suas emoções.

5. Abundância – Pv 21.5
Diligência nos dará uma vantagem única que resultará em maior produtividade, realização, riqueza e satisfação.

6. Respeito e admiração dos poderosos – Pv 22.29
As conquistas dos diligentes tornam-se estrelas tão brilhantes que chamam a atenção de todos ao redor

II. Consequências da preguiça (Preguiça é a inimiga da diligência):

1. Provoca pobreza, fome, necessidade – Pv 6.6-11; 19.15, 24; 24.30-34

2. Não permite que o desejo seja satisfeito – Pv 21.25

3. Produz presunção, arrogância – Pv 26.16

Conclusão

Você persiste com criatividade diante de decepções e fracassos? Trabalha de forma inteligente? Planeja e executa as coisas corretamente? Trabalha com prontidão, eficiência e eficácia? Produz um resultado de qualidade? Alcança a verdadeira excelência?

 

Pr. Ronaldo Guedes, com o Livro: “Salomão, o homem mais rico que já existiu” de Steven K. Scott.

Deus Multiplicará As Tuas Vitórias e Conquistas

Deus Multiplicará As Tuas Vitórias e Conquistas

Texto: Josué 1:9 "Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares"

Introdução

Quando Deus fala, Ele cumpri com as suas palavras. Ele é um Deus de vitórias… O Senhor é um Deus de grandes conquistas. Veremos nesta mensagem algumas características na vida de Josué que agradou ao Senhor e como resultado Deus o abençoou grandemente.

Prima Característica

TENHA DISPOSIÇÃO, A TUA VITÓRIA, VAI DEPENDER DAS TUAS ATITUDES DIANTE DE DEUS.

(Josué 1:2) “dispõe-te, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel” Josué estava completamente desanimado, sem ação, pasmo, sem saber o que fazer diante da situação. Ele estava muito preocupado, quem sabe naquele momento ele esta pensado: Como que eu vou conquistar esta terra? Olha talvez você esteja vivendo momentos de conflitos em sua vida. Quem sabe, neste exato momento você esta ai pensando, como eu vou conseguir vencer esta barreira, esta situação que esta tirando a sua paz. Você não consegue ter noites tranqüilas, você não consegue repousar, porque, ao deitar no seu leite, na sua cama, os seus pensamentos te conduzem somente para os problemas. Você não tem mais força e disposição para enfrentar esta situação. Quero lhe dizer uma coisa: Deus falou para Josué (Dispõe-te, agora, passa este Jordão) Deus Ele está no controle da sua vida, receba esta PALAVRA DE VITÓRIA…Tenha disposição, levanta-te agora, erga a sua cabeça, Deus vai fazer uma grande obra em sua vida… Você vai passar este Jordão, não se renda não, não fique pensando que tudo esta perdido, não olhe somente para as lutas, para as dificuldades, para as aflições, mais ousa a voz do Senhor que fala contigo, Ele vai te dar vitória… Deus vai multiplicar as vitórias e conquistas em sua vida… Este tempo difícil vai passar, você vai vencer em nome de Jesus… Você vai vencer este grande Jordão, Deus está te conduzindo por caminhos que você vai olhar, e você vai contemplar que verdadeiramente o Senhor é contigo… Tenha bom ânimo, as vitórias serão multiplicadas em sua vida. Tenha disposição, as tuas vitórias vão depender das tuas atitudes diante do Senhor.

Segunda Característica

SEJA FORTE E CORAJOSO, NÃO SE RENDA DIANTE DOS PROBLEMAS

(Josué 1:6) "Esforça-te, e tem bom ânimo; porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria" Deus tem muito prazer na vida do servo corajoso. O Senhor falou para Josué se forte e corajoso. Olha você não deve ficar com medo, pois, é assim que o inimigo quer te ver. O medo faz com que a pessoa fique imobilizada, paralisada, sem ação. O medo vai gerar em você um bloqueio mental. Uma pessoa que vive nestas condições ela praticamente deixa de viver. O Senhor não quer te ver assim não, por isso, seja forte, e enfrente o problema de frente. Não fuja não se isole, não recue mais se coloque na posição de um vencedor, e os vencedores não desistem jamais, os vencedores enfrentam as adversidades de cabeça erguida. Deus vai multiplicar as suas vitórias e te fará um grande conquistador.

Terceira Característica

CONFIA NO SENHOR, NÃO TEMAS, OBEDEÇA A SUA VOZ, QUANDO ELE FALA, A VITÓRIA É CERTA

(Josué 1:9) "Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu Deus é contigo, por onde quer que andares" Deus falou para Josué não temas, esforça-te e tem bom ânimo, não te espante porque Eu Sou contigo. Josué venceu porque ele não se entregou, porque ele obedeceu à voz do Senhor. Não sei o que você esta passando, como está a sua vida, qual é o tamanho da sua luta, das suas dificuldades. Olha, o Senhor esta falando com você agora. Não temas eu vou te dar vitória. Você tem que confiar em Deus, você tem que acreditar que Deus é capaz de te fazer de você um vencedor. Ah! Mais pastor o senhor não sabe nenhum pouco do que eu estou passando. Eu olho para todos os lados e me vejo sozinha e me vejo sozinho. Tem horas que eu penso que não vou conseguir vencer. Estou desanimado, estou sem forças, não tenho se quer vontade de fazer mais nada. Deus não quer te ver assim não, o Senhor Ele não que te ver deste jeito, O Senhor Ele não quer te ver assim, jogado pelos cantos, desanimado, triste, perplexo, abatido, fraco e com medo. Ele não quer te ver assim, porque está não é uma característica e também não é uma posição de um servo vencedor. Tenha bom ânimo, não temas, esforça-te, porque o Senhor fará grandes obras em sua vida “… Ouça a voz do Senhor, confia nele e tudo ele fará em sua vida. Deus quer te abençoar, ele quer multiplicar as tuas vitórias e conquistas… Quando Ele fala, as vitórias são certas… recebe ai aonde você esta, receba a tua vitória… Deus vai te fazer um vencedor, você vai vencer todos os obstáculo, todas as dificuldades caíram por terra, à vitória é certa… Não temas, tende bom ânimo, esforça-te o Senhor é contigo por onde quer que tu andares, as bênçãos e as vitórias e as conquistas se multiplicarão em todas as áreas da sua vida. Deus fará prosperar os seus caminhos e vocês verão a glória de Deus. A vitória é certa… Eu profetizo em nome de Jesus a multiplicação na sua vida: Sentimental, espiritual, financeira, conjugal. Deus vai multiplicar as bênçãos e vocês verão a glória do Senhor descer sobre você e encher toda a sua casa, grande será a sua vitória.

Conclusão

Se você ainda não está vivendo uma vida de vitórias, então, se prepare para viver e desfrutar do melhor que Deus tem pra você. Mais pra isto acontecer, tenha disposição, a tua vitória vai depender da sua atitude diante do Senhor. Não temas, seja forte e corajoso, não se renda diante dos problemas. Confia no Senhor, obedeça a sua voz, quando Ele fala, a vitória é certa.

Autor: Pastor Josias Silva

Triunfando pela adoração

Triunfando pela adoração

Texto: Isaias 6:1-8

Graças, porém, a Deus que em Cristo sempre nos conduz em triunfo e, por meio de nós, manifesta em todo lugar a fragrância do seu conhecimento” (II Co 2:14), este é o verso que inspirará nossas reflexões e ações neste novo ano, do qual tiramos nossa chamada comunitária: 2012 - TRIUNFANDO SEMPRE EM CRISTO. Ao longo dos últimos anos temos reafirmado a visão de que nossa relação com Deus, uns com os outros e com o mundo se resume em cinco áreas: adoração, comunhão, evangelização, discipulado e serviço. Assim, como sempre fazemos, voltamos nosso foco reflexivo para elas, destacando-as em nossos sermões neste e nos próximos domingos....

O texto de hoje nos leva para a intimidade do notável profeta Isaías, contemporâneo de Jonas, Amós, Oséias e Miquéias, reconhecido como o mais cristocêntrico de todos os profetas. De sua experiência registrada nesta capítulo 6 encontramos elementos extraordinários deste que é, segundo nosso catecismo, a razão maior de nossa existência – a glorificação de Deus. COMO PODEMOS HOJE VIVENCIAR UMA ADORAÇÃO QUE NOS LEVE SEMPRE A TRIUNFAR EM CRISTO?

I – ADORAR É TER UMA VISÃO DO SENHOR NA HISTÓRIA (v. 1-4)

Isaias viu dois reis: Uzias (v. 1) - 52 anos de reinado, grande edificador de cidades, amigo da agricultura, possuidor de notória sabedoria, porém estava morto; Deus (v.1 “assentado num alto e sublime trono”) – Senhor altamente, sublimemente, inigualavelmente e definitivamente entronizado!

Isaias viu dois guerreiros: Uzias – criou uma indústria bélica de ponta, formou um exército de 307.500 homens, foi vencedor de grandes guerras, porém estava morto; Deus (v.1, 5“eu vi o Senhor... meus olhos viram o Senhor dos Exércitos”) – insuperável, invencível, audacioso, corajoso, poderoso, imortal!

Isaías viu dois palácios: Uzias – glória fugaz, construiu fama de conquistador mas morreu solitário, leproso e fora do palácio! Deus (v. 1 “... as abas de suas veses enchiam o templo”... v. 3b “...toda a terra está cheia da sua glória”) – glória definitiva que se manifestava no trono eterno e se expandia por toda os limites da terra.

Isaías viu dois caráteres: Uzias – um homem que não soube conviver com o seu sucesso e nem respeitar os limites de sua função real, usurpando inadvertidamente responsabilidades restritas ao sacerdote Azarias (II Crôn 26:16-23); Deus – (v.2-3 “serafins estavam por cima dele, cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava e clamavam uns aos outros: Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos.....”) Diante de Deus os serafins: se dedicavam prioritariamente à adoração (4 asas para cobrir e apenas duas para voar), falavam expontãneamente sobre o Seu caráter – “santo...”, inteiramente outro, perfeito, singular, sem qualquer parâmetro humano....

O resultado imediato desta visão pessoal e contextual do Senhor foi uma profunda consciência da Sua presença: v. 4 “as bases do limiar se moveram à voz do que clamava e a casa se encheu de fumaça” (v. 4). Aprendemos assim que adoração: não é alienação histórica, não é um rito religioso, não é um êxtase emocional, mas uma percepção íntima, profunda, crescente e constante de quem Deus é e de como Ele age na história.....

II – ADORAR É TER UMA VISÃO DE NÓS MESMOS NA HISTÓRIA (v.5)

“Então” - a visão do Senhor trouxe profundas transformações na visão que Isaías tinha de si mesmo: “ai de mim” – a luz da santidade divina irrompeu sobre o seu coração e revelou a grandeza de sua pecaminosidade; “estou perdido” – seu pecado o colocava numa condição de condenado e da qual não podia sair por suas próprias forças (Rom 3:23); “sou um homem de impuros lábios” – naquela que era a sua maior eficiência, ser como profeta a boca de Deus para o mundo, residia a sua maior ineficiência; “habito no meio de um povo de impuros lábios” – a impureza era uma marca notória na vida do povo como ele já denunciara nos capítulo 5 (v.8 – má distribuição de renda; v.11 – orgias; v.18, 23 – injustiça; v.20 – falta de absolutos; v. 30b – escuridão total).

Aprendemos assim que adoração genuína é aquela que resulta num diagnóstico exato de quem nós somos. Quem realmente vê o Senhor sai de Sua presença com a sensação profunda de que não vale absolutamente nada e de que, a não ser por Sua graça em Cristo, não pode em momento algum desfrutar de Sua presença santa!

III – ADORAR É FAZER DIFERENÇA NA HISTÓRIA (V. 6-7)

“Então” (v. 6) – da percepção de quem Deus era e de quem ele era, Isaías percebeu quem ele poderia ser: v. 6 “um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva que tirara do altar com uma tenaz” – ele não poderia cumprir seu papel na história se não viesse do altar do Senhor da história uma graça aperfeiçoadora pessoal, particular, exclusiva, única; v. 7 “.. com a brasa tocou a minha boca...” – não era um devaneio ou alucinação, ele experimentou um genuíno e poderoso toque no foco da sua maior fragilidade – a boca; v. 7 “...e disse: eis que ela tocou os teus lábios, a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado foi o teu pecado” – Deus selou com Sua palavra através do anjo aquilo que já fizera diretamente com o toque, Isaías agora teve plena consciência de que estava purificado, libertado, perdoado e renovado; v. 8“Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: a quem enviarei, quem há de ir por nós? Disse eu, eis-me aqui, envia-me a mim” – Isaias ouviu a declaração de perdão e a declaração de missão: Deus reafirmou-lhe seu propósito eterno de enviar Seus representantes, homens conectados com o Seu altar e conectados com o seu povo, conscientes de que tinham uma responsabilidade pessoal inadiável na transformação da história, homens forjados na intimidade da adoração prontos para cumprirem os grandes desafios da missão – tornar Deus conhecido e amado.

Aprendemos assim que adoração é um processo contínuo que nos leva do mundo para o altar, onde conhecemos quem de fato dirige a história, e do altar para o mundo, onde fazemos diferença positiva na história cumprindo nela os desígnios do Senhor....

CONCLUSÃO

Nesta noite somos chamados a: VER O SENHOR NA HISTÓRIA – separando diariamente e disciplinadamente um tempo de qualidade para estar na Sua presença em adoração sincera; VER A NÓS MESMOS NA HISTÓRIA – admitindo nossas fragilidades e as fragilidades daqueles que estão à nossa volta; A ASSUMIRMOS O PAPEL NA HISTÓRIA QUE DEUS TEM DETERMINADO PARA NÓS (v. 8 “a quem enviarei e quem há de ir por nós? Disse eu – eis-me aqui, envia-me a mim”) - discernindo que o Senhor da história nos confere uma missão pessoal, que envolve deslocamento e relacionamento.

Pr. Jair Francisco Macedo

2/24/2012

A cura da Visão

A cura da Visão

Texto: Marcos 8:22-26

INTRODUÇÃO

Os Evangelhos narram, aproximadamente, 40 Milagres de Jesus. Marcos registra 18 e apenas 2 são exclusivos (cego de Betsaida e o do surdo-mudo em decápolis). Vamos estudar esse Milagre de Jesus realizado no Cego de Betsaida, vamos ver aquele homem Recebendo a Cura da Visão!
Vamos aprender como este homem alcançou o milagre do Senhor Jesus e como nós podemos também alcançar milagres de Deus em nossa vida.

I - LIBERTE-SE DAS INFLUÊNCIAS DO SEU CONVÍVIO

“...e o levou p/fora da cidade...”. Por que? - Betsaida, “casa de pesca”, cidade natal de Pedro, André e Felipe. Cidade que perseguiu, rejeitou e expulsou Jesus... “Ai de ti Corazim! Ai de ti Betsaida!” (Mat 11:21).
Aldeia, vilarejo, pequena cidade onde se concentram as mesmas idéias, pensamentos e visão das coisas, do mundo. Ilust.: Muitas Vezes, a Igreja se torna essa “Aldeiazinha” que Impede a “Quebra de Paradigmas” e Mudanças que são essências à nossa Sobrevivência! - Se você permanecer na sua “Aldeia”, jamais Ampliará suas Idéias...!!!
Aldeia, Betsaida, Lugar de Resistência ao Ministério de Jesus. Na Cidade/Aldeia de Nazaré, onde Ele viveu, “não fez ali muitos milagres por causa da incredulidade” (Mat 13:58)! - A Falta de Visão de quem É Jesus, a Incredulidade, “Nos Impede de Receber Muitos Milagres, Bênçãos...”! Alguns até “argumentam consigo mesmo”: Isso nunca se fez! Eu nunca vi Isso!
Que tipo de Influência você tem recebido na sua Aldeia? - Essa “Aldeia” pode ser a sua família, colegas, pessoas que não estão na Visão de Verdade ... Más Companhias!

II- ABRA SUA MENTE PARA O SOBRENATURAL

“...cuspindo-lhes nos olhos e impondo-lhes as mãos, perguntou-lhe: vês alguma coisa?” (Marcos 8:23). Ilust.: Se você estivesse com enfermidade e eu fosse orar para você e lhe cuspisse o que você faria? O que diria um médico acerca desse método de Jesus?
O que você diria se ouvisse? 1-Alugaram Helicóptero para ungir a cidade do Rio; 2- Oravam expulsando demônios de um jovem que caia “possesso” em todos os cultos que ia; 3- Pastora que ilustrou sua mensagem com um caixão e uma espada quebrando maldições...; - Parei para pensar: O que esse pastor diria de Jesus cuspindo...? Daniel interpretando texto escrito pela mão na parede...? Naamã indo tomar banho no Jordão...? Jesus transformando água...? - Paulo nos diz: “O que é espiritual...” (I Cor 2:14-15. Depois ele diz: “... escândalo para os judeus e loucura...” (I Cor 1:22-23)!
Decidi “abrir a minha Mente” para o Sobrenatural! Eu decidi Crer que “o visível não foi feito do que se vê” (Heb 11:3)! Eu Decidi Viver pela Fé! E Eu não sou dos que Recuam...! (Heb 10:39)!
Abra a Sua Visão para o Sobrenatural de Deus! Deixe Jesus “Curar” a sua Visão para você poder Ver as Maravilhas...!!!

III- DEIXE JESUS AJUSTAR FOCO DA SUA VISÃO - Marcos 8:24-25

Se você não abrir os olhos e não buscar atentamente entender a Visão De Deus na sua vida com clareza, você vai acabar “confundindo homens com árvores”... A Visão trabalha com homens e não com árvores! O que vale mais, homens ou árvores? Deixe Jesus ajustar o foco de sua visão de vida.
Muitos estão com a Visão Distorcida, Doente...: Trocam o Liderar Células e Fazer Discípulos para Jesus por Emprego, dinheiro , Lazer, Estudo, trocam a família por aventuras sexuais ilícitas... “De que adianta ganhar o Mundo e Perder a Alma” (Mc 8:36)! “Quem Ganha Almas, Sábio é” Prov 11:30!
Tem gente que já foi “tocado” na sua Visão, mas ainda “está enxergando homens como árvores andando”, Precisa da Cura Total na Visão! Aceitam “muita coisa de Deus”, mas tem alguns pontos que não consegue ainda “enxergar/Entender/Aceitar” (Discipulado, Liderar Célula, Dizimar, se entregar totalmente ao Senhor...)!

CONCLUSÃO:

Após a Cura, Jesus disse: “Não Entres na Aldeia”, talvez fosse: “Não Volte Atrás”! Não queira ficar Cego de Novo! - Quantos que Jesus “Curou a Visão” e eles Voltaram atrás, Recuaram...!!!
Satanás vai tentar de todas as formas nos desviar da Visão e nos manter cegados para o propósito de Deus em nossa vida, ele provocará muitos problemas, tentará “adoecer” a Visão, Mas nós Vamos Vencer...!
Talvez você tenha a vista curada, mas tem alguma outra enfermidade ou até mesmo um Problema que só um Milagre, mas Você Não crê mais em Milagre, pois você já pediu e nunca aconteceu... Hoje você vai Retomar a Sua Fé e Confiança no Seu Milagre e vai Clamar: Jesus, Filho de Davi, Tem Misericórdia de Mim...!

 

Pr Roberto Braz

Triunfando perante as muitas faces do mal

Triunfando perante as muitas faces do mal

Texto: Marcos 5:1-20.

Introdução:

qualquer pessoa que possua sentimento já se afligiu pelo sofrimento que há no universo.
-Você com certeza já se perguntou: porque o equilíbrio ecológico se dá pela violência dos animais predadores?
-Onde os leões matam as zebras.
-As aves de rapina matam os filhotes do leão.
-Os ovos das aves de rapina são destruídos pelas cobras que tem seus filhotes mortos por outros animais.
-Porque a natureza é tão agressiva e nos mata indiscriminadamente?
-Porque o câncer atinge tantas pessoas?
-E rapazes e moças morrem prematuramente?
-Essas perguntas nos atormentam sempre que por algum motivo somos confrontados com adversidades.
-E aí compreendemos que não há respostas simples. Pois essas questões atormentam até mesmo os mais lúcidos pensadores.
-E como uma criança inexperiente que acha que pode resolver todos os problemas da vida com uma moeda de 1 real. Depois de apanharmos muito descobrimos que a vida não é bem assim.
-E como se não bastasse, ainda existe a presença do mal influenciando as gerações.
-Homens e mulheres que sofrem todos os dias oprimidos pela influencia do mal sem saber o que lhes aflige.

Transição:

Olha o texto. O quadro é desolador.
-Jesus num ato glorioso acalma uma tempestade que está prestes a afundar o barco que os transportava bem diante dos olhos de seus discípulos.
-E ao chegar do outro lado, nas regiões de Gadara, ele se depara com o sofrimento humano não provocado pelos males naturais,mas provocado por hostes espirituais.
-Uma legião que destruía não só esse homem, mas todo um povo.
-A região de Gadara: é um lugar amaldiçoado pela presença do maligno.
-Pessoas estão sendo afetadas.
-O povo assustado e incomodado com esse homem que viviam como animal a assustar o povo que passava por ali.
-E Jesus ao chegar naquele lugar a presença opressora do mal é revelada simplesmente por sua presença:Pois onde Jesus está o mal não passa desapercebido.
-E num ato desesperador essa legião pede para que ele permita que eles entrem em porcos que por ali passavam.
-Um jovem oprimido é liberto.
-E ao verem esse quadro, o povo pede para que Jesus saia daquela região.
-Algumas lições brotam do texto de hoje:

I)A presença de Jesus inibe um reino que está sendo construído.6-8.

-Há um reino sendo construído.
-O versículo 2 diz que ao chegar na outra margem um homem possuído dominava aquele lugar.
-Esse reino passa a ter algumas características.
-Porque esse reino espiritual e mau é caracterizado de alguma maneira.
-Assim como o reino de Deus é caracterizado pela: paz, amor e alegria.
-Esse reino que está sendo construído também tem as suas características:
-Espíritos opressores estão dominando aquele local:
a-Porque o povo não estava observando à lei de Deus: o não se envolver com as coisas imundas da terra.
-E toda aquela região está dominada por algo que era contra a lei de Deus.
-Imagina você saber o que agrada a Deus e consequentemente saber o que o desagrada e mesmo assim permanecer no erro.
-É esse o projeto das hostes celestiais tirar o que agrada a Deus do foco.
-o que gera a segunda consequência:
b) Insensibilidade e a falta de poder: um homem está aprisionado e as soluções são paliativas: correntes são usadas, mas não o prendem.
-Quando não conseguiam a solução é o isolamento.
-Onde falta a presença de Deus a tendência é o isolamento e a auto destruição.
-Preste atenção: gente sendo destruída e a descrição é: que é melhor que ele fique lá mesmo, ele não sabe viver no meio da sociedade, isola ele, deixe ele viver num lugar de morte, em túmulos e cemitérios.
-Assim ele não prejudica ninguém.
-Hei! não é assim? Busca um terapeuta, um psicólogo, saia para se divertir.
-Nada contra essas soluções, mas que para situações espirituais a solução é Jesus.
- Como o cântico: a unção de Deus chegou aqui...aonde ele está o mau tem que sair a unção de Deus chegou aqui...
-Entenda...Jesus entra nesse seu pequeno reino. Assim como entrou naquele reino naquele dia.
-A presença de Jesus causa um alvoroço numa legião de demônios que vem ao seu encontro.
-E ele vem e se manifesta naquela região para desfazer as obras do diabo..I Jo 3.8.
-Entenda que nós não precisamos de soluções paliativas,nós precisamos é do poder de Cristo em nossa vida transformando tudo ao nosso redor.
-Poder esse que até os poderes das trevas reconhecem!

II)A fundação desse reino de Deus em nossa vida, depende da nossa pré disposição em deixar que Jesus nos liberte.16-17.

-Note que Jesus liberta aquele jovem, a notícia corre toda a região.
-E a reação diferente do que se esperava: não é positiva.
-Os homens vem e vêem o que a presença de Cristo trouxe: libertação e vida num terreno sombrio de morte e opressão.
-Pense, todos que passavam por ali eram assombrados por espíritos baderneiros.
-Mas ao vir Jesus, causou a perda de uma manada de porcos.
-E eles olham para os porcos flutuando e para o homem restaurado e a cidade inteira sai ao encontro de Jesus pedindo que ele não ficasse ali.
-Porque aos olhos deles a vida de um homem não é importante, mas uma manada de porcos sim.
-A vida não é importante, mas o dinheiro é.
-Mais vale o dinheiro, mesmo com a opressão do que a libertação na visão deles.
-As vezes para nós mais vale o bem estar em nossa casa do que a libertação daquilo que nos oprime.
-É preciso querer que esse reino seja iniciado em nós, na nossa casa.
-Jesus entra na cidade, mas não pode permanecer, toda uma cidade pede para ele se retirar.
-É um quadro triste; poucas vezes Jesus saiu sem sucesso em algo.
-Mas a verdade é que é isso que acontece: Jesus só começa algo novo em você se você deixar. Apoc. 3:20.
-Você permite hoje Jesus te restaurar? Jesus entrar em sua casa?
-Texto: Lucas 18...Jesus quis trazer a libertação há um jovem e ele também não quis... chamado jovem rico... que saiu mais pobre do que qualquer pessoa que tinha Jesus...
-Você não pode sair hoje sem essa libertação opressora.

Conclusão:

você está vivendo oprimido... essa opressão tem feito você sofrer muito.Permita que Jesus entre em sua vida e em sua casa e lhe traga a libertação que você precisa.

Em Cristo:


Pr. Fábio Ramos

IPR Central de Paraguaçu Paulista-SP

Porque Jesus veio?

Porque Jesus veio?

Texto: Mateus 1:18-23

Introdução:

-Estamos chegando perto do Natal... e nesses dias vivenciamos muitos sentimentos:
-Alguns estão trabalhando até mais tarde no comércio... em virtude do consumismo que aflora em decorrência da data.
-Alguns estão questionando a data da comemoração do Natal... e por isso dizem: eu não vou comemorar algo que nem na data certa está.
-Para outros, a data é como uma outra data qualquer, não representa nada.
-Eu particularmente fico muito feliz com a comemoração...casas enfeitadas com luzes... famílias se confraternizando, um clima de esperança surge em meio à tantos dias de incertezas.
-É o prenúncio da chagada de um dia especial. Em que comemoramos o nascimento do Salvador!
-Nessa ocasião as reações são as mais diversas possíveis.
-Uns gostam,outros não gostam e outros ficam indiferentes ao acontecimento.

Transição:

-Não é de hoje que isso acontece.
-O nascimento de Jesus é apresentado por Mateus.
-Em seu evangelho, Mateus faz menção da vinda de Jesus o filho de Deus!
-E essa vinda causou um misto de sensações em diversas pessoas.
-Mesmo ao passar do tempo.
-Alguns achavam que ele era apenas um profeta.
-Herodes tentou confundi-lo com João Batista.
-Outros o viram como o Cristo filho do Deus vivo.
-Diante de tantos posicionamentos, quais as implicações dessa vinda.
-Porque ele veio?
-E o que a sua vinda declara a toda humanidade?
-E o que algumas pessoas declararam diante de sua vinda?

I)Para Herodes, Ele veio para mostrar aos poderes dominadores que o Todo Domínio está em suas mãos.. Mateus 2:13.

-Herodes ficou sabendo do nascimento do messias através dos magos do Oriente.
-Quando a notícia chegou até ele, de maneira cruel ele começou a arquitetar a
morte de Jesus.
-porque a idéia de Herodes é a mesma de muita gente hoje: eu não quero ninguém governando a minha vida...eu sou o senhor da minha própria vida...
-A idéia de um Senhor sobre mim me causa espanto!
-Queremos ser os senhores da nossa própria sorte.
-Não nos sujeitamos a autoridade nenhuma, a não ser a nossa própria vontade.
-Foi esse mesmo espanto que aterrorizou o coração de Herodes por muitas noites.
-Por isso, crianças morreram.
-João Batista e Tiago foram decapitados.
-E muita gente vem sofrendo até hoje.
-Mas em meio a essas injustiças, um grupo de magos estão sendo guiados por uma estrela, tendo revelações dos céus que demonstram o supremo poder do Senhor.
-E ao chagar diante daquele menino numa estalagem esses homens trazem presentes dignos de um rei.
-ouro,incenso e mirra.
-Não foi num palácio, não foi diante de uma multidão...mas aquele que tem todo poder foi adorado e reverenciado...por eles em adoração.
-Ali eles entregaram o melhor ao Senhor!
-Ali,os poderes dominadores não puderam fazer nada contra.
-Somente reconhecer o Senhorio do Cristo vivo.
-Quem sabe você vem esperando uma ocasião propícia para adora-lo.
-Quem sabe uma multidão...
-Hoje eu te convido a adorar o rei dos reis...Senhor dos senhores mostrando aos poderes dominadores desse mundo que existe um rei.
-Que quando alguém se prostra, nem mesmo os maiores videntes do mundo podem interromper a adoração!!
-Você pode adorar ao Senhor?

II)Para Simeão, Ele veio para Renovar uma esperança que persistia em manter viva. Lucas 2:25-35.

-Simeão está avançado em idade.
-Seus olhos já não enxergam mais como antes.
-Seus passos são mais vagarosos.
-Uma notícia, havia sido dada pelo próprio Deus que ele não morreria sem ver a salvação de Israel.
-Mas, o tempo está passando e com ele as forças estão indo embora.
-Só não está indo embora a esperança de ver o que Deus havia revelado acontecer.
-Todos os dias ele está no pátio do templo.
-Afinal, qualquer desvio de atenção pode ser o momento que o grande Messias apareceria.
-Mas o que os olhos cansados de Simeão vêem, não é digno de muita confiança.
-Não é um rei em um cavalo, cercado de soldados fortemente armados com o objetivo de fundar um reino nesse mundo.
-Mas um menino, envolto em panos nos braços de uma camponesa desconhecida.
-E é ali que Deus lhe mostra o que seus olhos procuraram a vida inteira.
-Quando ele entende, o rosto cansado dispara ao céu uma oração de alguém aliviado e que viu que valeu a pena esperar um pouquinho mais... Senhor! Agora sim...agora pode despedir em paz o seu servo...porque meus olhos viram a salvação de Israel!!!
-Queridos: Todos os anos nessa data eu oro dizendo: Deus eu ainda creio...que um dia meus olhos vão ver a sua vinda!
-Em tempos de desesperanças, há uma certeza que você e eu precisamos ter: Meus olhos verão o rei...
-espera só mais um pouquinho...
-A esperança está cansada de esperar, mas ele vai se renovar na presença do Rei.

III)Para os homens e para você e eu, Ele veio para mostrar que as incertezas da nossa vida, encontram respostas na sua pessoa e no seu sacrifício. João 14:16.

-O mundo está marcado por incertezas.
-No período Bíblico não era diferente.
-Todos os dias um Messias aventureiro se levantava.
-Enquanto isso as classes dominantes se reuniam para determinar o futuro de muitos.
-Leprosos eram lançados fora do seio de suas famílias.
-Cegos tinham como meio de sobrevivência, uma autorização para mendigar.
-Alguns lutavam com enfermidades por 12, outro por 38 anos.
-Alguns lutavam não só com problemas físicos, mas, também solucionar o problema do pecado.
-Que certezas essas pessoas tinham para o futuro?
-Já que a lei pregava que um defeito te afastava de Deus, a enfermidade era castigo de Deus pelo pecado da pessoa ou de seus pais.
-Os dias vão se passando e a justiça fica mais injusta.
-As certezas escorrem pelo ralo da dúvida.
-E cada dia fica mais difícil viver.
warren wiersbe: em seu livro crise de integridade... “afirma que a igreja tem pregado ao mundo que se arrependa de seus maus caminhos, mas recebe de volta um pedido de que ela resolva seus conflitos antes de tentar converter o mundo”.
-É esse o quadro da sociedade que Jesus veio.
-Foi em meio a esses pensamentos que Jesus começou a caminhar por entre o povo e a cada enfermidade curada, cada pessoa tratada, Jesus estava não só curando, mas oferecendo uma cura definitiva para o mal do homem.
-O seus sinais apontavam para o estado do homem e a proposta de Deus para o futuro do homem.
-Até mesmo na morte, ele diz: hei! Aquele que crer em mim ainda que esteja morto viverá...João 11:25.
-Jesus é a única solução para aquilo que não tem mais solução.
-Porque todo futuro passa a ter destino certo com Cristo.
-Qual é a incerteza que ronda o seu coração?
-Qual o problema que assola a sua alma?
-Quem sabe deixou de crer, devido à tantas mensagens ouvidas, sem sentido.
-Jesus continua o mesmo!
-Nesse Natal, peça para o Senhor renovar a sua esperança.
-Peça hoje para ele quebrar as suas estruturas e preparar uma vida nova pra você!
-Agradeça a Deus...por esse natal, mais um que está chegando e você pode adora-lo por ter vindo.
-Por você.
-Se tem motivos de estarmos aqui hoje,é porque ele veio.
-Se tem um meio de nos salvarmos hoje é porque ele veio.
-A sua vinda mudou o mundo e agora o esperamos de novo como o cântico que diz: ....nossa esperança é sua vinda...o rei dos reis vem nos buscar... nós aguardamos Jesus ainda até a luz da manhã raiar!
-O Natal é a certeza que aumenta a cada dia de que o Rei dos reis veio e virá.

Pr. Fábio Ramos

IPR Central de Paraguaçu Paulista-SP.

Alcançando o impossível

Alcançando o impossível

Texto: Mateus 14: 25 - 33

Introdução:

Neste texto Pedro foi chamado e desafiado por Jesus a andar sobre as águas. Ele foi chamado para viver o sobrenatural. Em nossa vida existem regras para alcançarmos o impossível. Nós temos grandes desafios e sonhos de Deus que procedem Dele, porém existem regras para alcançá-los.

Vamos ver três regras para alcançarmos o impossível.

1- Não siga o conselho daqueles que ficam no barco:

certamente os outros discípulos tentaram frear Pedro, pois vozes contrárias surgiram naquele momento. Existem pessoas que tentam frear nossa ousadia por vários motivos: porque não terão a fé que temos, por causa da inveja, falta de ousadia, coragem, preocupação, falta de confiança em Deus, etc.
Procure sempre olhar para aqueles que andaram nas águas. Os relacionamentos nunca são neutros em sua vida. Quem não ajuda você a orar, ajudara você a parar de orar. Escolha pessoas que irão acrescentar e contribuir em sua vida. Quem é o tipo de gente que anda ao seu redor? Aquilo que você alcançara em Deus, tem haver com quem você anda.

2- Não tente o impossível na sua própria força:

Uma vez que só o Senhor é Deus, não tente realizar a obra na força do seu braço, reconheça seus limites. Você só descobre o tudo posso, quando antes descobre o nada posso. Só podemos dizer tudo posso naquele que me fortalece quando reconhecemos que não podemos. Antes de Pedro sair do barco, ele ouviu de Jesus a palavra vem! No versículo 29, Ele diz vem! Se você não ouvir essa palavra do Senhor, por favor não saia do barco. Se Deus não liberar essa palavra em sua vida, não ande, pois é essa palavra que nos sustenta.

3- Não fique no barco:

Obviamente esse é o momento de maior crise: sair do barco. Agora é hora de colocar em pratica, de andar nas águas. Se nós não sairmos do barco nada vai acontecer. Pedro desceu do barco. Se ele não saísse, jamais experimentaria o sobrenatural de Deus. Uma vez que o Senhor chamou, saia do barco! Uma vez que você obedeceu o sobrenatural acontece. Se não sairmos do barco que é seguro, ele acaba se tornando concorrente de Deus e acaba se tornando um obstáculo para o mover do Senhor. Quando não obedecemos, o barco se torna inimigo de Deus. É isso que muitas pessoas às vezes não entendem e começam a repreender o diabo não entendendo que o barco, que pode ser qualquer coisa, está se tornando concorrente de Deus. O barco se torna nossa segurança quando Deus pede para sairmos e continuamos nele: pessoas, trabalho, salário, etc. Não coloque seu barco como única segurança no Senhor, pois somente Deus é a nossa segurança. A comodidade pode nos fazer ficar no barco. Os acomodados não experimentam, desfrutam do sobrenatural de Deus. Sair do barco é vencer a tradição, pois o normal é andar nas águas de barco. A incredulidade também pode nos prender a recusar de sair do barco.

4- Não olhe o natural:

Não olhe as circunstâncias, pois quando Pedro as viu se desesperou e assim pode acontecer conosco. Não desvie o foco, olhe para o lugar certo para não perder sua atenção, pois ele vai determinar a sua atitude. Tire seus olhos das coisas naturais.

5- O principal motivo de andar nas águas:

todos os milagres que Jesus fez tinha um motivo para acontecer, mas qual a finalidade de andar sobre as águas? Jesus poderia ter perguntado para Pedro: qual é sua motivação? O Senhor poderia ter respondido: Andar sobre as águas é muito divertido, mas você vai ver Pedro que os peixinhos dão umas mordidinhas nos pés, etc.

Conclusão:

Pedro foi o único dos doze discípulos que pode dizer como é maravilhoso experimentar o sobrenatural de Deus. Ouça a voz de Jesus te chamando para sair do barco. Não tem sensação e emoção maior do que andar nas águas com o Senhor!

Pr. Rogério Braga

Duas qualidades da mulher vencedora

Duas qualidades da mulher vencedora

Texto: Isaías 49:15; Provérbios 14:1

Introdução:

Geralmente toda igreja tem mais mulher do que homem, talvez só nos presídios haja essa exceção. Em qualquer lugar do planeta vai ter nas igrejas mais mulheres do que homens. Em média são 2/3 de mulheres para 1/3 de homens, e em nossa igreja não é diferente. Por que é assim? Porque Deus estabeleceu dessa forma. Podemos perceber que em relação as coisas do Espírito a mulher é mais sensível, mas discernidora, mais intensa em Deus e quando entram no padrão que o Senhor estabeleceu, a igreja é forte. Porém quando as mulheres usam o poder que tem para a decadência e imoralidade o país se torna decadente também. E o diabo sabedor desse poder da mulher procura se infiltrar no meio das mulheres com enganos e sofismas. A coisa fica pior quando a mulher que é feminina, resolve negligenciar esse principio espiritual e começa a viver uma vida masculina dentro de casa e aí vamos ter um casamento de dois homens dentro de casa onde não há dependência, submissão e neste ponto é que está a raiz dos problemas conjugais e familiares. Neste ponto, famílias são destruídas e igrejas são divididas, tudo por que a mulher não sabe ser mulher. Em Provérbios 14:01 diz que a mulher sábia edifica a sua casa.

O poder da influência da mulher: A bíblia está repleta de mulheres que foram usadas tremendamente por Deus e através da sua existência marcaram a sua geração, pois foram mencionadas entre os heróis da fé. Podemos ver no exemplo de Sara e Raabe (Hb 11:11 e 11:31). Sara era estéril e mostrou ter muita fé quando não desistiu de ter o filho que o Senhor lhe prometeu. Ela perseverou na crença e aos 90 anos, deu à luz a Isaque, que era o herdeiro da promessa feita a Abraão. A outra, Raabe, a meretriz, creu no Deus dos espias, e por isso os acolheu. Ana também foi um exemplo de mulher de oração (I Samuel 1:10 a 17). Ana tinha uma grande angústia em seu coração: ela era estéril. Nunca poderia gerar filhos.

Ela tomou a atitude decisiva de guerrear no mundo espiritual: orar com toda intensidade, com suas lágrimas, com o coração transparente e sincero. Ana se derramou em súplicas diante de Deus. Ao orar com toda a intensidade de sua alma, Ana agora iria enfrentar um julgamento falso a seu respeito. Era exatamente dessa palavra que Ana precisava: paz e confirmação da vontade de Deus em seu coração. Ela tomou posse da paz, e o texto nos diz que ela, a seguir, seguiu seu caminho e comeu, e já não era triste o seu semblante, aleluia!

Ali, naquele momento aconteceu a cura da alma de Ana. Foi quando se derramou de coração diante do Senhor; quando enfrentou incompreensão e calúnia e manteve-se firme em seu propósito de buscar a Deus, é que Ana experimentou a paz para prosseguir vivendo, crendo e sonhando os sonhos de Deus para si.

Duas qualidades indispensáveis das mães, mulheres que influenciaram sua geração:

 

1) Fé incomum:

Elas expressavam fé em seu estilo de vida (Tiago 2:26). Fé sem ações não é nada. Exemplo: nossos filhos só acreditam em nosso Deus invisível, se visivelmente verem você conversando, suplicando, agradecendo, se alegrando com Deus e tendo uma vida diária com Ele. Os nossos filhos não são tolos, eles imitam nossas ações, sejam boas ou ruins. Se expressarmos nossas ações de fé, eles também farão o mesmo. Em 2 Timóteo 1:1 a 7 Paulo se lembra de duas mulheres que são Lóide e Eunice (avó e mãe de Timóteo). Elas são exemplos, pois foram recordadas por sua fé sem fingimento.

2) Oração incomum:

Mateus 15:22 a 28 fala sobre uma mulher que também era mãe e bradou, gritou em favor de sua filha que estava endemoninhada. No verso 23 mostra que os discípulos queriam a despedir, porém ela continuou com a sua insistência e perseverança. Também mostra que Jesus ficou em silêncio: a oração das mulheres que influenciaram gerações também enfrentaram o silêncio do Senhor e a resistência dos homens, porém essa mulher foi intercessora. Na primeira interrogação de Jesus houve intercessão, onde ela veio e o adorou clamando por socorro (verso 25). Ela se humilhou, se rebaixou e dobrou-se. No verso 26, Jesus faz a segunda interrogação, onde no verso 27 houve humilhação e rebaixamento por sua parte: “Ela, contudo, replicou: Sim Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos”. Onde no verso 28 Jesus declara que cumpriu o seu desejo vendo a demonstração de sua grande fé.

Conclusão:

Vimos vários exemplos de mulheres que marcaram gerações por seu amor, fé, perseverança, etc. Que nos dias de hoje, possamos tomá-las como exemplo para alcançar nossos objetivos e avançar em nossa vida cristã movendo o coração do Senhor através de nossas atitudes de fé.

Pr. Rogério Braga

Vencendo as influências de Mamom

Vencendo as influências de Mamom


Texto: Mateus 6.24

Introdução:

Jesus está falando sobre duas coisas opostas, de um lado Deus e do outro lado Mamom. Desta forma, se você serve a Deus, não pode servir a Mamom. Mamom é mais que as riquezas, são as nossas fontes. Mamom é um deus concorrente ao Deus verdadeiro, ele busca fazer aquilo que somente o Senhor Deus pode fazer em nossas vidas:
1- Um deus dá segurança: As pessoas se sentem seguras com o dinheiro, mas não se sentem seguras com Deus apenas.
2- Um deus exige o melhor: Podemos perceber como se exige integridade e transparência daqueles que lidam com o dinheiro? Aqueles que lidam com dinheiro são os mais bem treinados. Isto porque Mamom exige o melhor.
3- Um deus determina o valor das coisas; Se uma pessoa tem dinheiro, sente-se valorizada. Se não sente-se sem importância.
Algumas características de pessoas que são influenciadas por Mamom (II Co. 2.11):

1-QUANDO HÁ PREOCUPAÇÃO EXAGERADA EM RELAÇÃO AO DINHEIRO:

Esse espírito não se restringe a pessoas apenas, mas atuam fortemente em empresas, organizações e infelizmente até nas igrejas. A influência deste espírito maligno trabalha assim: “quanto mais a pessoa tem, mais ela quer”, onde pessoas ricas temem perder o que tem, e pessoas pobres temem nunca ter o suficiente.
Três Pensamentos para Ficar Livre das Preocupações (I Pe.5.7):
a-Tudo o que tenho é um presente de Deus;
b-Tudo o que tenho são cuidados por Deus;
c-Tudo o que tenho está disponível ao Reino de Deus;

2- QUANDO HÁ FALTA CONSTANTE DE PROVISÃO FINANCEIRA:

Este problema normalmente ocorre, porque a pessoa gasta mais do que ganha. Ex. Todo final de mês, falta dinheiro.

3- QUANDO HÁ INCAPACIDADE DE RESISTIR O DESEJO DE COMPRAR:

Você costuma comprar algo que não precisa só porque está barato? Este é um forte sinal da influencia de Mamom.

4- QUANDO HÁ ESPÍRITO DE AVAREZA (Cl. 3.5):

Muitos trabalham duro para possuir uma quantidade razoável de dinheiro, mas por outro lado não sabem gastar, não sabem utilizar aquilo que conquistaram, este é um sintoma crônico da influência de Mamom.

5- DESCONTENTAMENTO CONSTANTE (Fp. 4.11-12/ I Co. 10.10-11):

Você vive contente com o que tem? O remédio contra a murmuração é um coração grato, quando agradecemos dizemos a Deus que confiamos Nele, independente das circunstâncias. Porém, estar contente é diferente de estar satisfeito.

6- QUANDO HÁ SERVIDÃO AS DÍVIDAS (Rm. 13.8):

Guia do Compartilhamento
Através dos pontos citados, você percebe a influencia de Mamom em sua vida, de que forma?
Você tem usado as armas dízimos e ofertas para combatê-lo?
Você está satisfeito com sua situação financeira? O que precisa fazer para que ela mude?


Pr. Silvio Galli

2/23/2012

Gideão: O poder da fraqueza

Gideão: O poder da fraqueza

Juízes 6

SIGNIFICADO DO NOME: “O que derruba (o inimigo)”
OCUPAÇÃO: Juiz sobre Israel
FAMOSO POR:

  • Pedir um sinal para confirmar o chamado de Deus (Jz 6.36-40);

  • Derrotar 135 mil midianitas com apenas 300 homens e nenhuma arma.
    (FONTE: Bíblia de Estudo NVI)

I.  A HISTÓRIA DE REPETE (v. 1-6)

  • Apostasia e Idolatria: adoração ao deus pagão Baal e Aserá

  • Opressão e Aflição: Sete anos de domínio Midianita

  • Clamor por livramento

II. DEUS RELEMBRA A SUA ALIANÇA (v. 7-10)

  • A libertação do Egito e a terra prometida

  • A libertação do Egito e a terra prometida

  • A Lei dada a Moisés: os Dez Mandamentos (Êxodo 20.1-17)

III.  O CHAMADO DE GIDEÃO (v.11-35)

  • O ceticismo de Gideão

  • A luta para vencer o medo: Fé é o contrário de Medo

  • Um teste de fé: restaurar a Verdade (João 14.6)

CONCLUSÃO

I.  Um provérbio antigo: "Se Deus parece distante, adivinhe quem se moveu?"

II. Deus escolhe pessoas comuns para serem usadas por Ele em seus planos incomuns.

III. Deus tem um método para transformar pessoas simples, medrosas e inseguras em heróis: OBEDIÊNCIA.

IV. A Força dos Fracos: 2 Coríntios 12.9-10

 

PR. Fábio Carrenho

Deus conosco no deserto

Deus conosco no deserto

Êxodo 13:17-20;15:22-17:8;19:1-24

INTRODUÇÃO

Qual deserto no encontramos hoje?

Israel no deserto...

  • Libertos da escravidão através do poder de Deus.

  • Expectativas.

  • Preparação para um novo tempo.

  • Deus quer um povo para si.

ESTAMOS NO DESERTO QUANDO, APESAR DE CONHECERMOS O PODER DE DEUS, A DOR DA PERDA OU DO VAZIO NOS TIRA O GOZO E A PERCEPÇÃO DA PRESENÇA E AMOR DE DEUS.

I – PROMESSA PARA LEMBRAR NO DESERTO – Êxodo 13-17-20

“Estou com vocês dia e noite...”

  • Deus protege seu povo (13:17).

  • Deus assegura sua presença com o povo (13:20-22).

POR MAIS QUE SEJAMOS TENTADOS A NÃO VER DEUS NO DESERTO, DEUS NUNCA NOS ABANDONA NO DESERTO, NEM FORA DO DESERTO.

II – PERIGOS QUE ENFRENTAMOS NO DESERTO (15:22-17:18; Números 14:1-9; Salmo 78:22)

  • Murmuração – 15:24;16:2 – Deus mostra seu poder provendo água e comida.

  • Rebeldia contra Deus – 16:8;17:7 – Deus mostra sua graça.

  • Incredulidade – Números 14:7; Salmo 78:22 – Deus reprova a falta de fé.

A MURMURAÇÃO NO DESERTO CEGA NOSSA FÉ E NOS ABATE, MAS A GRATIDÃO E AS LEMBRANÇAS DOS FEITOS DE DEUS NOS FORTALECEM.

III – O PROPÓSITO DE DEUS EM NOSSOS DESERTOS – Êxodo 19:1-24

  • Deus faz um pacto com seu povo:

As condições – obediência e fé.
Os privilégios – Ser um tesouro para Deus, acesso a Deus, separados para uso exclusivo de Deus.

  • O pacto de Deus aponta para obediência por amor e não para ganhar favores de Deus.

  • Nossos desertos são desafios para nos aproximarmos de Deus.

NO DESERTO DESCOBRIMOS MAIS DO PODER E DO AMOR DE DEUS.
ISTO ACONTECE A PRINCÍPIO PELA FÉ.

APLICAÇÃO FINAL

  1. Estou vivendo em um deserto?

  2. O que tenho visto da graça de Deus no deserto?

  3. Estou disposto a aprender sobre santidade e devoção a Deus no contexto do deserto?

  4. O que posso aprender com Israel a respeito de sobrevivência no deserto?

Pr. Lisânias Moura

Sansão e o Deus que disciplina

Sansão e o Deus que disciplina

Série Descobertas - Juízes 13-16

I – Entendendo o contexto

  • Personagens Principais

    • O pai de Sansão, Manoá.

    • A mãe de Sansão, cujo nome não é revelado.

    • O Anjo de Jeová.

    • Sansão.

    • Os Filisteus: originários da Região do Egeu, no que seria hoje a costa ocidental da Turquia, banhada pelo Mar Egeu. Eles dominavam a arte da navegação e migraram para a Palestina ao redor do ano 1200 a.C.

    • Dalila, la femme fatale.

  • Data Aproximada dos Acontecimentos

    • Por volta do ano 1100 antes de Cristo

  • Na mesma época de Sansão:

    • A Grécia já estava em pleno desenvolvimento.

    • A Guerra de Tróia teria acontecido nesta época (se é que realmente esta guerra não passa de um mito).

    • O Império Egípcio estava em plena decadência.

    • Início do surgimento da civilização Olmeca, no México. Alguns estudiosos afirmam que no período de maior desenvolvimento esta civilização já usava um instrumento parecido com a bússola e criou um sistema de escrita.

  • Local dos Acontecimentos

    • Sansão nasceu a escassos 26 quilômetros ao sudoeste de Jerusalém. Os acontecimentos do livro ocorrem ao redor desta região, chegando até Gaza, cerca de 100 quilômetros ao sudoeste de Jerusalém, quase na fronteira com o Egito.

II - Sansão, um "Super-Herói" Muito Humano

O versículo 1 do capítulo 13 de Juízes diz que " Os israelitas voltaram a fazer o que o Senhor reprova, e por isso o Senhor os entregou nas mãos dos filisteus durante quarenta anos".

Com esta introdução o autor está preparando o cenário para apresentar os acontecimentos encontrados entre os capítulos 13-16 de Juízes.

Mais uma vez a história que já foi tão bem explicada nos domingos anteriores volta a se repetir: o povo de Israel desobedece à Lei do Senhor e segue outros deuses. O Senhor os castiga entregando-os nas mãos de um dos povos que habitavam na região, neste caso os Filisteus.

Deus, ao ver o sofrimento do seu povo, se apresenta a uma mulher estéril de uma pequena cidade da Palestina para comunicar as boas novas de que ela dará a luz a um filho, e este filho "iniciará a libertação de Israel das mãos dos Filisteus" (Jz. 13.5). Realmente Sansão apenas iniciou o processo de libertação pois este objetivo só foi totalmente cumprido muitos anos mais tarde sob o reinado de Davi, que era um homem conforme o coração de Deus.

O nascimento de Sansão é cercado por uma série de acontecimentos marcantes:

  • O Anjo do Senhor aparece a uma mulher.

  • Esta mulher é estéril e, a não ser que ocorresse uma intervenção divina, ela não poderia ser mãe. É justamente isto que o anjo lhe promete e, meses depois, ela se torna a mãe de Sansão.

  • No texto vemos que o anjo tinha uma "aparência impressionante" (Jz. 13.6) e que o seu nome estava "além do entendimento" (13.18), ou seja, que era maravilhoso demais para ser mencionado.

  • O menino que nasceria seria um nazireu. Durante toda sua vida seria dedicado ao Senhor e, portanto, não poderia tomar vinho nem nenhuma bebida fermentada, não poderia cortar o cabelo, nem tocar em nenhum cadáver, sob o risco de tornar-se ritualmente impuro. Estas ações externas deveriam indicar uma dedicação interior ao Senhor.

Diante de tantos acontecimentos incríveis a expectativa que certamente foi criada ao redor do novo libertador que estava por nascer era que, por ter tido o seu nascimento anunciado pelo Anjo do Senhor e por ter sido, mesmo antes do seu nascimento, separado para servir a Deus, ele seria um homem temente ao Senhor e fiel ao seu chamado.

Porém, no desenrolar da história, fica claro que, por razões por nós desconhecidas, Sansão não honrou o seu chamado e não teve uma vida santa de total dedicação ao Senhor:

  1. Ele escolheu uma mulher estrangeira para ser sua esposa, o que era expressamente proibido pela lei de Deus (Deut. 7.1-4). E porque ele fez isto? Simplesmente porque ela lhe era agradável aos olhos (14.3).

  2. Quando estava indo para a festa do seu casamento, ele tocou no cadáver de um leão que ele havia matado com suas próprias mãos. Por ser um nazireu, isto não podia ter ocorrido, pois, como já foi mencionado anteriormente, os nazireus não podiam tocar em nenhum cadáver.

  3. Em diferentes situações ele atuou por pura retaliação ou vingança. Agia impelido pelas emoções, sem se preocupar em buscar a vontade de Deus.

  4. Como resultado de suas ações intempestivas, sua esposa filistéia e seu sogro foram queimados vivos pelos próprios filisteus (15.6).

  5. Envolveu-se com uma prostituta (16.1).

  6. Apaixonou-se por uma mulher filistéia chamada Dalila e foi seduzido e traído por ela, pois os líderes filisteus prometeram a Dalila uma grande quantia de prata caso ela descobrisse qual era o segredo da força de Sansão. Era a própria "femme fatale".

Como resultado da traição de Dalila, Sansão tem suas tranças cortadas enquanto dormia, perde sua incrível força, é preso, tem seus olhos vazados e, tempos depois, quando começa a recuperar suas forças, consegue derrubar o templo onde os filisteus estavam fazendo uma festa de agradecimento ao deus Dagom, e morre juntamente com milhares deles.

III - Qual a Mensagem de Deus para a Igreja que Emana da História de Sansão?

Importante: a história de Sansão é uma história sobre o povo de Deus e sobre uma pessoa escolhida por Deus para uma missão específica.

A. São muitas as lições que podemos tirar da história de Sansão:

Porém, enfatizarei apenas quatro delas. As três primeiras eu o farei apenas brevemente e me estenderei um pouco mais na quarta lição.

a) Possivelmente a primeira delas é a ênfase do texto sobre a realidade do mundo espiritual:

  • Vinte e cinco por cento da história que a Bíblia nos conta sobre Sansão é dedicado a um acontecimento sobrenatural: o aparecimento de um anjo e o nascimento milagroso de uma criança. Além disto, o "herói" da história é detentor de uma força sobrenatural dada por Deus.

    • O mundo em que vivemos está muito interessado em questões espirituais ou sobrenaturais, mas não necessariamente no que a Bíblia ensina sobre o mundo espiritual.

    • Na lista dos dez livros de ficção mais vendidos da Revista Veja de duas semanas atrás, encontramos nada menos do que sete livros cujo tema central está relacionado com o mundo espiritual ou sobrenatural:

      • A Cabana, que conta a história de um homem que recebeu um bilhete de Deus e, a partir deste momento, vive uma incrível experiência espiritual.

      • O Aleph, de Paulo Coelho, onde o autor revela como uma grave crise de fé o levou a sair à procura de um caminho de renovação e crescimento espiritual.

      • O Símbolo Perdido, de Dan Brown, em que um dos personagens acredita que os fundadores de Washington, capital dos Estados Unidos, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse.

      • A breve segunda vida de Bree Tanner (que narra a história de uma vampira).

      • A Batalha do Apocalipse, cujo subtítulo é "Da queda dos anjos ao crepúsculo do mundo"

      • Reunião Sombria - Diários do Vampiro 4, em que Elena, uma das personagens, flutua em um misterioso limbo espiritual após se sacrificar para derrotar Katherine e salvar Stefan.

      • Lua Azul - Os Imortais. Ever, que se tornou uma imortal, viaja até a dimensão mística de Summerland, onde não apenas toma conhecimento da misteriosa história de Damen, mas também tem acesso aos segredos que regem o Tempo.

    • Anjos existem. De acordo com Hebreus 1.14, eles são "espíritos que servem a Deus, os quais ele envia para ajudar os que vão receber a salvação".

    • Demônios existem. É quase impossível passar duas páginas dos evangelhos sem encontrarmos alguma situação em que Jesus ou os discípulos entram em conflito com eles.

    • Fenômenos sobrenaturais existem ainda hoje, da mesma maneira que a força de Sansão era sobrenatural.

    • Sim, entremos no mundo espiritual! Indaguemos acerca do sobrenatural!

    • Mas, façamos isto guiados pelo Espírito Santo, à medida que nos enfronhamos na Palavra de Deus, que é a Bíblia, para que não sejamos enganados por mentiras e manipulações.

b) Uma palavra para os pais de filhos ou filhas que foram criados no Evangelho, mas que escolheram outros caminhos.

O texto mostra que os pais de Sansão eram tementes a Deus, inclusive preocupados com a forma em que o menino deveria ser criado. Num determinado ponto da conversa com o anjo, o pai de Sansão pergunta: "Como devemos criar o menino?" (Juízes 13.8,12). Porém, isto não era garantia de que o filho, quando crescesse, seguiria o caminho ensinado pelos pais. Não restava aos pais outra atitude a não ser entregar o filho nas mãos do Senhor, crendo na Sua soberania e nos seus propósitos.

c) Ligações Perigosas; combinação fatal

Sansão tinha sido um homem que usava as mulheres, motivado pela paixão sensual. Juízes 16.4 diz que Sansão "se apaixonou por Dalila". Porém, em Dalila ele encontrou uma mulher que pagou com a mesma moeda, pois ela usava os homens. Sansão queria sexo; Dalila queria dinheiro e estava disposta a usar o sexo como arma para atingir seus objetivos.

O valor que cada líder filisteu ofereceu a Dalila para que ela conseguisse descobrir o segredo da força de Sansão era de 1100 siclos (ou 13 quilos) de prata. Como eram cinco líderes (responsáveis por cada uma das cinco capitais regionais dos filisteus), o que lhe estava sendo oferecido equivalia a 5500 siclos de prata, ou seja, 550 vezes o salário anual de um trabalhador braçal daquela época. Se tomarmos como base o salário mínimo brasileiro, isto significa que, em valores de hoje, estavam oferecendo cerca de três milhões de reais para que Dalila traísse o homem que era seu amante.

Dalila tinha um preço: três milhões de reais.

Será que nós temos um preço? Será que estamos dispostos a empenhar nossos valores e convicções no altar do sexo, poder e dinheiro?

Sexo, poder e dinheiro: esta combinação continua sendo tão fatal hoje como há três mil anos, no tempo de Sansão e Dalila.

d) A presença de Deus

Na trágica história de Sansão chega o momento em que ele finalmente confessa a Dalila o motivo da sua incrível força:

Juízes 16. 15-16 - Então ela lhe disse: "Como você pode dizer que me ama, se não confia em mim? Esta é a terceira vez que você me fez de boba e não contou o segredo da sua grande força". Importunando-o o tempo todo, ela o cansava dia após dia, ficando ele a ponto de morrer.

16.17 - Por isso ele lhe contou o segredo: "Jamais se passou navalha em minha cabeça", disse ele, "pois sou nazireu, desde o ventre materno. Se fosse rapado o cabelo da minha cabeça, a minha força se afastaria de mim, e eu ficaria tão fraco quanto qualquer outro homem.

Como resultado desta confissão, Dalila chama os filisteus, faz com que ele durma no seu colo e, enquanto ele dormia, seus cabelos foram cortados.

Neste ponto chegamos ao momento mais fatídico da história de Sansão. Não simplesmente porque ele perdeu sua força, mas porque quando ele acorda repentinamente com os gritos de Dalila e pensa que se livraria facilmente dos filisteus, vemos no finalzinho do versículo 20 do capítulo 16 que:

Juízes 16.20: ... (Sansão) não sabia que o Senhor o tinha deixado

  • O homem cujo nascimento havia sido anunciado, nada mais, nada menos do que pelo próprio Anjo do Senhor.

  • O homem que desde o ventre da sua mãe havia sido separado por Deus para a especial missão de libertar o seu povo.

  • O homem que tinha crescido num lar cujos pais temiam a Deus.

Tanta fez que encontrou-se na situação em que Deus o havia deixado.

Em Juízes 17.6 vemos uma informação muito importante:

Naquela época não havia rei em Israel; cada um fazia o que lhe parecia certo.

Deus havia escolhido Sansão para viver uma vida santa. Sansão se deixou influenciar e escolheu viver da mesma maneira que os que estavam ao seu redor, fazendo aquilo que a ele lhe parecia certo.

A consequência? O Senhor o deixou.

Talvez Sansão tinha a mesma atitude que Agostinho antes de sua conversão, que orava, "Senhor, faça-me santo, mas não agora!"

Rubem Amorese, em um de seus livros, afirma que quando os Israelitas entraram na terra prometida

Havia o perigo de que passassem a viver como cananeus; sentir como cananeus, adotar os valores e ideais da terra; e a seguir os deuses dos povos ao seu redor. Se isso acontecesse, deixariam, simplesmente, de ser povo de Deus.

É minha convicção que nós, como Corpo de Cristo reunidos aqui na Igreja Batista do Morumbi, corremos o mesmo risco. Permitam-me explicar porque estou dizendo isto:

  • O tripé sobre o qual a sociedade contemporânea se sustenta:

    • Pluralismo:

      • Há uma multiplicidade de opções, tanto em questões materiais, como nos aspectos éticos e morais.

      • "Horizontalização do peso das opções" (Amorese). Não importa a escolha que você faça, pois todas elas são iguais.

    • "Privatização"

      • "Cada um na sua. Trata-se de dizer que se você fez tal ou qual escolha, ninguém tem nada com isso". (Amorese)

      • Há uma "cristalização da importância do privado como a única esfera da liberdade e da realização individual". (Amorese)

    • Secularismo

      • Convicções religiosas não entram na pauta da discussão sobre o aborto, pena de morte, ecologia e eutanásia.

Segundo Newbigin, um teólogo inglês, isto leva a uma ausência de consenso sobre um número cada vez maior de temas.

Consequentemente, chegamos à uma situação muito parecida à situação vivida pelo povo de Israel: cada cabeça uma sentença.

E hoje nós, como povo de Deus, estamos numa situação parecida. Estamos, em alguns aspectos, vivendo como aqueles que estão ao nosso redor. Estamos sendo absorvidos por seus valores e princípios.

E isto faz com que quando, na igreja, se fala de absolutos, haja estranheza. Quando nos posicionamos em relação ao divórcio, ao sexo fora do casamento, ao homossexualismo, à sonegação de imposto, ao aborto, à eutanásia, etc., alguns nos olham como se fossemos de outro planeta.

"Como no tempo de Sansão e de Eli, há um afrouxamento dos padrões, por falta de zelo com a Palavra de Deus". (Amorese)

Qual pode ser a conseqüência de tudo isto na minha vida? Pode acontecer como na vida de Sansão: o Senhor se afastou dele, pois o Senhor é um Deus que disciplina.

Não estou falando da perda da salvação. Estou falando da perda da benção de Deus sobre nossas vidas. Estou falando de apagarmos o Espírito (1 Tessalonicenses 5.19) como resultado de uma vida que desagrada a Deus.

Em 1 Samuel 4.21-22, ainda na época em que cada um fazia o que lhe parecia certo, vemos que "a glória (ou seja, a presença de Deus) se foi de Israel".

Em Apocalipse 2.5 lemos uma advertência muito severa da parte de Deus para a igreja em Éfeso:

5 Lembre-se de onde caiu! Arrependa-se e pratique as obras que praticava no princípio. Se não se arrepender, virei a você e tirarei o seu candelabro do lugar dele.

    • No caso de Sansão, um homem escolhido por Deus, vemos que o Senhor o deixou (e, insisto, não estou falando de perda da salvação, mas sim da perda da unção de Deus).

    • No caso de Israel, o povo escolhido de Deus, vemos que a presença de Deus se foi de Israel.

    • No caso da igreja em Éfeso, haveria consequências caso não houvesse arrependimento, e o candelabro, a luz, seria retirado daquele lugar.

Arrependimento

"Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra." (2 Crônicas 7.14)

 

Pr. Marcos Amado