11/21/2013

A maior necessidade atual da igreja

A maior necessidade atual da igreja

Texto: Hebreus 11; Mateus 17:20; Lucas 18:8

I – Há muitas necessidades que se apresentam na vida física, moral e espiritual.

1. Necessidade de Jesus como Salvador.

2. Necessidade de união – cooperação.

3. Necessidade de amor – acima dos dons.

4. Da direção do Espírito Santo na Igreja e na vida.

5. De obreiros – a seara é grande.

II – Qual é a maior necessidade?

1. A maior necessidade é a da fé viva que emana da fonte de vida – viver pela fé – Gálatas 2 :20; Atos 11:24.

2. Fé iniciadora. Muitas vezes, ao iniciarmos um novo trabalho, plano, campanha, falta-nos essa fé.

a) Exemplos da vida de Abraão, Moisés, Bates.

3. Fé continuativa – que leva o crente e a Igreja a perseverarem na luta com Deus e o homem. - II Coríntios 1:24; Colossenses 1:23; Romanos 1:17.

4. Fé penetrante – que atinge o alvo em meio às trevas. Que esquadrinha os melhores planos, o coração, a sociedade e possibilidades. II Reis 6:14-17.

5. Fé progressiva – não fica estacionada. - I Pedro 1:7-9. Ex.: O filho pródigo.

6. Fé transmissora e atrativa – que transmite aos que estão na perdição e atrai ao mundo as bênçãos de Deus. – Exemplo da mulher samaritana.

7. Fé salvadora – que resgata os perdidos, que dá luz e vida aos cegos. – Lucas 18:8, oremos: "Aumenta-nos a fé.". – Lucas 17:5.

Fé – O segredo da vitória

Fé – O segredo da vitória

Texto: I João 5:4

I – Definição de fé – Hebreus 11:1.

1. Quatro modos de fé ou crença:

a) Uns podem crer na Verdade somente porque outros em redor crêem nela, ou foram criados nela. Esta é fé de credulidade.

b) Outros podem crer na verdade por causa das suas provas externas – os milagres, profecias etc. Esta é fé especulativa.

c) Outros podem crer porque as verdades bíblicas se recomendam à sua razão e consciência, e acordam com a própria experiência interna. Esta é fé baseada em provas morais.

d) Outros sentem e amam a excelência da Verdade cristã, que é baseada na intrínseca beleza e adaptação às nossas necessidades. Esta é fé espiritual, que é dom de Deus. – Hebreus 11:1.

2. Fé não é sentimentos. – João 4:50.

3. Fé é crer implicitamente em Deus, nas Suas promessas e na Sua Palavra. – Hebreus 11:3.

II – Como obtê-la?

1. Pelo ouvir ou ler a Palavra de Deus. – Romanos 10:17.

a) Moody orou pela fé fechando a Bíblia e ela não veio. Abriu a Bíblia, e começou a estudar, e a fé cresceu cada vez mais.

2. É um dom de Deus. – Efésios 2:8.

III – Por que obtê-la?

l. Porque é necessária para nos aproximar do Deus. – Hebreus 11:6.

2. É necessária para obter a vida eterna. – João 3:16; Marcos 16:16.

3. Para obter aqui a vitória sobre a carne, o diabo e o mundo. - I João 5:4; Gálatas 2:20; Efésios 6:16. Lucas 17:5 seja a nossa oração!

O imperativo preeminente

O imperativo preeminente

1. Há muitos "imperativos" na vida:

a) O alimento e a água para prolongar a vida. O exercício e o ar fresco, para promover a saúde.

b) A responsabilidade e a laboriosidade, que produzem satisfação.

c) Os atos de bondade e misericórdia, para promover a generosidade.

d) A fé e o espírito de perdão, para alcançar a felicidade.

Mas há ainda outro: O "Imperativo Preeminente" - Mat. 28:18-20.

2. Qual é a autoridade que faz com que este "imperativo" seja preeminente?

a) A autoridade total do Filho de Deus! Notemos também que Ele pronunciou estas palavras depois de Sua ressurreição.

b) Ele é o Comandante vivo!

3. Quais os objetivos desse "imperativo preeminente"?

a) Ir.

b) Batizar.

c) Fazer discípulos.

d) Ensinar.

4. Qual é o ânimo obtido desse "imperativo preeminente"?

a) A presença viva de Cristo.

b) A presença permanente de Cristo.

5. Qual é o alcance desse "imperativo" e que lhe confere esta preeminência!

a) É mundial e é eterno.

b) Dado não só aos onze discípulos, mas também a seus sucessores, inclusive todos os cristãos.

c) A nós também.

A igreja primitiva

A igreja primitiva

Texto: Mateus 28:18-20

I – Cristo, o fundamento.

l. A confissão de Pedro. – Mateus 16:16-18.

2. A única esperança do homem. - Atos 4:11-12.

3. A pedra principal de esquina. – Efésios 2:19-21.

4. Pedras vivas no templo espiritual. - I Pedro 2:5.

III – A comissão evangélica.

1. O legado de Jesus ao partir. – Mateus 28:18-20.

2. Uma tarefa de âmbito mundial. - Atos 1:8.

3. Ministério variado. – Marcos 16:15, 17-18.

IV – Complemento da comissão evangélica.

1. A promessa do Espírito. – Lucas 24:48,49; João 14 :26; 16:13.

2. Os dons do Espírito. – Efésios 4:8, 11, 12; I Coríntios 12:28.

3. O derramamento do Espírito no Pentecostes. - Atos 2:1-4, 38-41.

4. A perseguição espalha o Evangelho. - Atos 8:1,4.

V – Prosseguindo para a vitória.

1. Resultados miraculosos. – Colossenses 1:23.

2. Finalização da tarefa evangélica. – Apocalipse 10:7. Mateus 24:14.

3. Responsabilidade individual. - II Coríntios 5:20; I Coríntios 9:16.

4. A recompensa de uma inteira consagração. – Daniel 12:3; Marcos 10:29,30.

Semeadura e colheita

Semeadura e colheita

Texto: Eclesiastes 11:1

I – Explicação de Eclesiastes 11:1 e o rio Nilo.

Esse rio extravasa nas suas enchentes quando então lança sementes nas ribanceiras, e quando as águas baixam de nível, as sementes brotam.

II – O pão simboliza o alimento integral para o corpo e o espírito

III – Para se obter o pão, três coisas são necessárias:

a) a semente. – Lucas 8:11.

b) o semeador. – Eclesiastes 11:6.

e) o terreno – o coração humano.

IV – O semeador precisa:

a) Ser confiante. – Eclesiastes 11:4.

(1) Assim, no trabalho espiritual nunca devemos desanimar. – Isaias 55:11. Ex.: - os quatro e o paralítico.

b) É preciso semear abundantemente "sobre as águas". Apocalipse 17:15; II Coríntios 9:6.

c) É preciso semear com inteligência, sabendo preparar a terra e escolher a estação própria. – Eclesiastes 3.

d) É preciso ser zeloso e perseverante e cuidar da planta até o florescimento e frutificação.

V – A recompensa.

Eclesiastes 11:4; Isaias 55:11; Salmo 126:5,6.

A experiência da manhã gloriosa da ressurreição – estrelas na coroa. - I Coríntios 11:58.

11/17/2013

Uma batida na porta: Como Deus usa a adversidade para chamar nossa atenção

Uma batida na porta: Como Deus usa a adversidade para chamar nossa atenção

Em Apocalipse, Jesus dirigiu-se à complacente igreja em Laodicéia, dizendo: "Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele e ele comigo" (3:20). Às vezes, a sua batida é uma batida de luz em nosso espírito. Mas outras vezes, quando estamos desatentos, Ele pode usar o punho da adversidade para voltar nosso foco para ele.

Isso é exatamente o que aconteceu com Saulo de Tarso, enquanto viajava para Damasco, onde pretendia fazer uma grande perseguição aos cristãos daquela cidade. A Escritura nos diz que Saulo "respirava ameaças e morte contra os discípulos do Senhor" (Atos 9:1). Parecia que a sua missão cruel quase o consumia.

Mas Deus chamou a atenção de Saulo, de forma que ele nunca esperava. O Senhor o fez cair no chão com uma luz ardente e lhe disse para esperar na cidade para obter instruções. Ao abrir os olhos, Saulo viu-se cego e teve que pedir a outros para guiá-lo pela mão a cidade.

O "perseguidor da igreja" (Filipense 3:6) definitivamente recebeu uma chamada de atenção do Senhor naquele dia. Em um momento impressionante, Deus ganhou a atenção de Saulo, golpeando-o com a adversidade de cegueira e humilhando-o na frente de seus companheiros de viagem.

Saulo se sentia mais do que pronto para ouvir quando o Senhor perguntou: "Por que me persegues?" (Atos 9:4). Até aquele momento, ele não tinha ideia de que ele estava desonrando a Deus. Na verdade, ele pensou que estava servindo ao Senhor, livrando o mundo dos cristãos. Um período de adversidade intenso resultou em uma reviravolta completa - em questão de dias, ele estava proclamando Jesus nas sinagogas (v. 20).

O Senhor chamou a atenção de Saulo na estrada de Damasco. Ele usou cegueira temporária e a humilhação para transformar Saulo, o fariseu zeloso, em Paulo, o poderoso apóstolo e missionário que iria espalhar o evangelho e plantar igrejas em todo o mundo romano.

Deus sabia exatamente o que estava fazendo quando Ele salvou Paulo. E Ele sabe o que está fazendo em sua vida através da aflição que você está enfrentando. Nunca demore em responder ao seu chamado. Quando Ele permite dificuldades em sua vida, busque-o, dê-lhe toda a sua atenção, responda aos seus comandos de forma rápida e humildemente, e ouça o que Ele tem a dizer para você.

Como Paulo escreveu mais tarde: "Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação, que a ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo produz morte" (2 Coríntios. 7:10). Deus permite a adversidade em nossa vida para voltar a nossa atenção para ele. E enquanto isso pode ser doloroso de suportar, ele nos leva a um relacionamento mais profundo com Ele e nos salva da destruição futura.

Se você ouvir o Senhor "batendo" com a adversidade em sua vida, responda rapidamente ao abrir a porta para ele. Aqui estão alguns passos a tomar:

Admita o pecado. Arrependa-se de seu delito a Deus. Lembre-se que a nossa sociedade é rápida para aceitar alguns comportamentos pecaminosos como normal, mas a Bíblia apresenta uma imagem clara do que é a iniquidade e o que não é. Se você tem alguma dúvida sobre se você violou as instruções de Deus, consultar a Palavra e Ele vai te mostrar. Quando você confessar a Deus que você pecou, ​​não tente justificar o que fez. Basta declarar sua transgressão. Em seguida, peça a Ele para perdoá-lo.

Fazer as pazes. É certo que devemos ter certeza de não tentar substituir as obras de arrependimento genuíno, um coração que foi realmente transformado por Cristo vai querer viver segundo a Sua vontade. Crie o hábito de ler as Escrituras e aplicá-la à sua vida. Você precisa buscar conselhos divinos ou ajuda profissional se certos pecados tem uma fortaleza em sua vida. Peça a Deus sabedoria e vontade de seguir os Seus mandamentos.

Aceite o perdão. Se você se arrependeu de seus pecados, você pode ter certeza de que o Senhor vos perdoou. Essa é uma promessa divina (1 João 1:9) - e Deus sempre cumpre a Sua Palavra.

Podemos evitar um monte de dor e sofrimento, mantendo o nosso foco no Senhor. Desta forma, Deus não tem que recorrer a extremos. Ele não gosta de levar-nos ao ponto de desespero, a fim de chamar nossa atenção, mas Ele vai fazer o que é necessário para transformar nossos corações a ele. No entanto, se o buscamos diariamente através da oração e das Escrituras, estaremos mais propensos a ouvir a Sua batida leve - e pronto para abrir a porta quando Ele chamar.

Pr. Aldenir Araújo

Você está redimido

Você está redimido

Texto: Efésios 1:1-10

Introdução: Até entendemos a mensagem da cruz, nunca vamos entender quem é o Pai e como Ele é. Antes da cruz, parecia haver um conflito entre o amor de Deus e Sua justiça. Seu amor desejava oferecer a salvação incondicional para nós, e a Sua justiça exigia que fosse pago um preço pelo pecado.

Embora Ele amorosamente desejasse abraçar-nos, a Sua justiça não permitia que ele olhasse para o nosso pecado. Na cruz, a justiça e o amor se tornaram um, enquanto o Senhor manteve seus padrões sagrados e ainda providenciou um caminho para homens e mulheres pecadores entrar em um relacionamento permanente, eterno com Ele para sempre.

No Novo Testamento, há duas palavras que são usadas para descrever a redenção que Cristo oferece.

A primeira palavra é traduzida como "resgate" e indica um preço pago para garantir a liberdade de alguém.

A outra palavra é um termo que era usado nos negócios antigo, e refere-se a comprar algo no mercado.

A ideia que os escritos do Novo Testamento transmitem é que a nossa redenção em Cristo, é muito parecido com o resgate de um escravo do primeiro século.

Ocasionalmente, um homem rico admirava ou respeitava um escravo e desenvolvia o desejo de ajudá-lo. Havia apenas uma maneira de garantir a liberdade da pessoa, no entanto: o homem livre tinha que pagar o valor em dinheiro para o escravo ou comprá-lo e, uma vez que o escravo estava em sua posse, o comprador tinha o direito de libertá-lo.

Nós podemos ver o significado dos dois termos neste cenário: o comprador pagou um resgate para comprar o escravo, garantindo assim a sua liberdade.

Isto é o que Jesus Cristo fez por cada um de nós.

Quer percebamos ou não, nós estávamos na escravidão completa do nosso pecado. Quando falamos de redenção, estamos nos referindo ao fato de que um preço foi pago para nos libertar do mercado de escravos do pecado.

O preço que foi pago - a única coisa que foi suficiente para garantir a nossa salvação foi o sacrifício de Jesus Cristo.

Pr. Aldenir Araújo

11/14/2013

O Zelo de Deus para com seus Filhos

O Zelo de Deus para com seus Filhos

Texto: “Rogo igualmente aos jovens: sede submissos aos que são mais velhos; outrossim, no trato de uns com os outros, cingi-vos todos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, contudo, aos humildes concede a sua graça. 6 Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte, 7 lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (1 Pedro 5.5-7).

Introdução: O nosso Pai, sempre cuidou e cuidará de seus filhos, que somos nós que um dia recebemos Jesus como nosso Senhor e Salvador. Receber a Jesus implica a verdadeira salvação.Mas o que significa salvação? Veja descrição abaixo:

1) Ato pelo qual Deus livra a pessoa de situações de perigo (Isaias 26.1), opressão (Lamentações 3.26; Malaquias 4.2), sofrimento (2Corintios 1.6), etc.

2) Ato e processo pelo qual Deus livra a pessoa da culpa e do poder do pecado e a introduz numa vida nova, cheia de bênçãos espirituais, por meio de Cristo Jesus (Lucas 19.9-10; Efésios 1.3,13).

A salvação deve ser desenvolvida pelo crente (Fp 2.12), até que seja completada no fim dos tempos (Rm 13.11; 1Pe 1.5; 2.2).

Vejamos como o Pai age a nosso favor:

1. Ele conhece todas as nossas necessidades.

“Não andeis, pois, a indagar o que haveis de comer ou beber e não vos entregueis a inquietações. 30 Porque os gentios de todo o mundo é que procuram estas coisas; mas vosso Pai sabe que necessitais delas. 31 Buscai, antes de tudo, o seu reino, e estas coisas vos serão acrescentadas. 32 Não temais, ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino” (Lc 12.29-32).

Somente uma coisa o Senhor quer de nós, que o busquemos o seu Reino em primeiro lugar (Rm 14.17).

2. Ele sente todas as nossas dores.

“Disse ainda o Senhor: Certamente, vi a aflição do meu povo, que está no Egito, e ouvi o seu clamor por causa dos seus exatores. Conheço-lhe o sofrimento; 8 por isso, desci a fim de livrá-lo da mão dos egípcios e para fazê-lo subir daquela terra a uma terra boa e ampla, terra que mana leite e mel; o lugar do cananeu, do heteu, do amorreu, do ferezeu, do heveu e do jebuseu. 9 Pois o clamor dos filhos de Israel chegou até mim, e também vejo a opressão com que os egípcios os estão oprimindo”(Êxodo 3.7-9).

O Pai conhece as nossas dores, sofrimentos e aflições, pois o nosso clamor sobe até a sua presença.Ele sempre se levanta com solução a favor de seus filhos.

3. Ele está atendo a todas as nossas necessidades.

“Eu sou pobre e necessitado, porém o Senhor cuida de mim; tu és o meu amparo e o meu libertador”(Salmo 40.17).

Quando precisamos de cuidado, amparo e libertação de todo tipo de jugo, o Pai está com a sua mão estendida para nos ajudar.

4. Ele carrega todos os nossos fardos.

“lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (1 Pedro 5.7).

A ansiedade é um subproduto do medo que corrói a alma do ser humano, porém o Senhor diz em sua Palavra 365 vezes: “Não temas”. Lembre-se: Ele cuida de nós.

5. Ele vela pelo nosso sucesso.

“Como velei sobre eles, para arrancar, para derribar, para subverter, para destruir e para afligir, assim velarei sobre eles para edificar e para plantar, diz o Senhor”(Jr 31.28).

O Pai é quem viabiliza o labor do homem, isto é, construir e plantar, pois é Ele que confirma a obra de nossas mãos (Salmo 90.17).

6. Ele aplaina e endireita os nossos caminhos.

“Eu, na minha justiça, suscitei a Ciro e todos os seus caminhos endireitarei; ele edificará a minha cidade e libertará os meus exilados, não por preço nem por presentes, diz o Senhor dos Exércitos”(Is 45.13).

O Senhor levantou um rei que não o conhecia e o fez instrumento em suas mãos para libertar o seu povo da escravidão na Babilônia, e Ele continua libertando o seu povo de todo tipo de escravidão.

7. Ele anseia por nós.

“Pai, a minha vontade é que onde eu estou, estejam também comigo os que me deste, para que vejam a minha glória que me conferiste, porque me amaste antes da fundação do mundo”(Jo 17.24).

A oração e o desejo de Jesus, é que onde ele está, isto é, junto ao Pai, nós estejamos também com Ele. Será que conseguimos compreender tanto amor assim?

Conclusão: Podemos confiar irrestritamente no nosso Deus e Pai. Veja o que Ele diz acerca dos seus filhos em Jeremias 29.11: “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais”.

Conseguindo o Favor de Jesus

Conseguindo o Favor de Jesus

Quebra-gelo: Você já contou com uma ajuda inesperada?

Texto: Marcos 7: 24-30

Introdução: Tem várias situações na vida que não conseguimos resolver sozinhos, precisamos de ajuda, e conseguir ajuda nem sempre é fácil. Às vezes torna-se tão difícil que desistimos, desanimamos.

O texto de Marcos 8 parece ser uma situação assim. Uma mãe precisa da ajuda de Jesus para libertar sua filha do demônio que a possui, mas Jesus não parece disposto a ajudá-la. Ela insiste até que a filha é liberta. Ela consegue a ajuda de Jesus. Para não entendermos errado esse texto precisamos lembrar que:

1. Deus sempre quer nos abençoar.

A Bíblia ensina que aquele que se aproxima Dele tem que crer que Ele existe e que é galardoador dos que o buscam. Nunca esqueça que Deus sempre quer nos abençoar.

2. Ele vai nos provar.

O empecilho para receber a bênção não está Nele, está em nós e Deus vai trabalhar isso para que tenhamos uma vida abençoada e não uma bênção passageira. Quer que o favor de Deus dure sua vida toda? Deixe Deus trabalhar o que é preciso em sua vida para isso.

3. Para receber seja humilde, perseverante e creia.

Foi a mistura dessas três coisas que levou a mulher a receber o que precisava. Ela cria sem dúvida que Jesus podia ajudá-la a resolver seu problema, humildemente rogou a Jesus que a ajudasse e quando Jesus aparentemente recusa ajudá-la ela não se revolta nem se ressente com Jesus, ela é insistente, mas continua humilde e crente, e isso a leva a conseguir o favor de Jesus.

Conclusão: Você precisa da ajuda de Jesus? Tem o buscado para isso? Precisa da ajuda do Senhor para ser perseverante, humilde e manter a fé mesmo quando a resposta demora? Levante a mão, vamos orar.

Quando Jesus Entra na História

Quando Jesus Entra na História
Quebra-gelo: Você acredita em milagres?

Texto: Marcos 9:14-27

Introdução: Temos o relato de muitos acontecimentos que a ciência não consegue explicar; pessoas que acordam de comas irreversíveis, são curadas de doenças incuráveis, tumores que desaparecem. Costumamos chamar esses acontecimentos inexplicáveis de milagres.

A Bíblia está cheia do relato de milagres: cegos que enxergam, paralíticos que andam, mortos que voltam a vida, mas na Bíblia temos a explicação de como esses milagres acontecem. Os milagres acontecem porque Deus resolve intervir na história humana. Milagres acontecem quando Deus entra na história. O texto de Marcos 9 nos apresenta uma situação assim, um menino que tinha convulsões desde a infância, fruto da ação de demônios.

O pai procurou ajuda várias vezes sem um resultado satisfatório, mas quando leva o problema a Jesus seu filho é liberto e curado. Vemos que quando Jesus entra na história.

1. O que parece difícil, quase impossível, acontece.

Aquele pai via o sofrimento de seu filho desde pequeno sem conseguir ajudá-lo. Parece que é uma situação que não muda mais, mas aquele pai não perde a esperança e procura Jesus, e quando Jesus entra na história o que era difícil acontece. Você tem alguma coisa difícil, quase impossível que gostaria de ver resolvida? Leve a Jesus. Traga Jesus para sua história.

2. Ele nos ajuda em nossa falta de fé.

Depois de muitas frustrações e do tempo de espera não é fácil manter a esperança. Aquele pai tinha uma mistura de emoções. Ele acreditava que Jesus podia curar, mas também tinha medo que Ele não libertasse e curasse seu filho.

Jesus o ajudou na sua falta de fé. Precisa da ajuda de Jesus para crer? Traga Jesus para a sua história.

3. Seja sincero(a) com Jesus.

O pai daquele menino não escondeu sua dificuldade em crer. Se quer trazer Jesus para sua história não esconda suas dificuldades, defeitos e pecados, seja sincero(a).

Conclusão: Quer trazer Jesus para sua história? Precisa da ajuda Dele? Está disposto(a) a ser sincero(a) com Ele e mudar no que for preciso? Levante a mão, vamos orar.

Fonte: http://www.imm.com.br/

11/01/2013

900 Esboços Bíblicos de Pregação

Esboços de Sermões para pregação

Seção de esboços de sermões. Esse índice contém esboços bíblicos de pregação, que você pode usar sem moderação para desenvolver sua pregação cristã. Navegue através desse arquivo de esboços de pregação, e escolha o esboço de pregação da vida cristã, ou qualquer outro tema de sermão que você deseja pregar, e/ou ensinar.
 
900 Esboços Bíblicos de Pregação