Como Alcançar Firmeza

Diretrizes para se Alcançar Firmeza - parte 3

Texto: “Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”. (Efésios 6: 12)

Introdução: Já sabemos que estamos em guerra, e também estamos conscientes contra quem estamos lutando, é só lermos o texto transcrito. Mas precisamos trazer este texto a nossa realidade prática, pois não lutamos tête-à-tête com os demônios, mas enfrentamos situações que são criadas, articuladas e municiadas por demônios que agem por trás de vidas que, incautas, servem para cumprir desígnios e propósitos de Satanás. O que fazer? Qual a nossa postura ante todas estas coisas? Estamos em guerra, como lutar? Qual a nossa atitude? Qual o sentimento que devemos nutrir em meio à guerra? Não podemos perder a visão de Deus ante a todas estas coisas, e por isso iremos comentar um pouco sobre o assunto.
“Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem”. (Romanos 12: 21)

O mesmo Apóstolo que nos disse que as nossas armas são espirituais e eficazes em Deus (I Coríntios 10: 4, 6), também nos revela que a força destas armas, ou a sua fonte, é o bem. Então muitas vezes imaginamos que somente orações de guerra, decretos de falência sobre as artimanhas do inimigo, que representam essas armas nos esquecendo de que a fonte de todo o poder é o bem, ou em outras palavras, ações, atitudes, palavras, posturas, intervenções que procedem do coração do Senhor. Desarticulamos a Satanás, quando não reagimos da maneira que ele espera, mas matamos suas sementes com o remédio do bem. O mundo jaz na maldade oriunda de satanás, e nós devemos estar totalmente imersos no amor e na bondade de nosso Senhor Jesus Cristo.

A ordem unida que nos treina para a guerra

- O exercício da paciência – A Bíblia nos diz que nós devemos ser pacientes na tribulação e fervorosos na oração (Romanos 12: 12), e também nos diz que a paciência é o produto perfeito que se obtêm quando passamos por tribulações (Tiago 1: 2, 4). Os apertos querem nos incitar a reações precipitadas. Muitas vezes caímos nessas armadilhas que foram preparadas pelo inimigo. Devemos aprender a desenvolvermos a paciência orando. O texto de Tiago nos diz que devemos ser pacientes e conjuntamente velarmos em oração. A paciência e a oração andam de mãos dadas. Quando não agimos por nós mesmos, mas aguardamos pacientemente a intervenção divina, e também as diretrizes certas que só procedem de sua boca (Provérbios 16: 1) vencemos todas as coisas, sejam afrontas, perseguições, setas malignas, oposições, todo o engendro de Satanás começa ruir ante a uma alma exercitada na paciência.

- O exercício do amor – O amor suplanta a maldade (I Pedro 4: 8), ele desarma toda a expectativa do inimigo que só tramita bem em ambientes permeados de ódio, invejas, porfias, dissoluções, mágoas e tantos outros sentimentos que criam ambientes relacionados a essas fontes. O amor não pode ser condicional, se decidimos por Jesus, decidimos guardar os seus mandamentos e o maior deles é amar a Deus e ao próximo independentemente do que ele é ou faz, tanto a si mesmo, quanto conosco (Mateus 22: 34, 40). Viver assim, sermos treinados a amar sempre, implode o paiol de satanás, onde ele guarda as suas bombas mais mortais.

- O exercício do perdão – Perdoar é ordem de Deus, e questão de saúde pública. Quando eu não perdoo a quem me ofende ou lesa, também não sou perdoado e fico descoberto da Graça e da Misericórdia do Senhor. Quando não perdoamos, permitimos que o inimigo leve vantagem sobre nós (II Coríntios 2: 5, 10) e isso é tremendamente nocivo ao Corpo de Cristo, pois tudo o que desejamos é andar em triunfo como Jesus assim o quer. O perdão é arma espiritual eficientíssima, por ela muitos que jaziam mortos espirituais reviveram, famílias foram restauradas, feridas foram fechadas, a obra do maligno ruiu e a vitória inconteste do Senhor se estabeleceu. Quer vencer sempre, perdoe sempre.

Conclusão: Talvez alguém possa pensar que é pelo muito lutar que alcançará a vitória, mas é pelo muito esperar em Deus, pelo muito amar e pelo muito perdoar que viveremos da maneira mais vitoriosa que o mundo jamais pensou. Alguém pode até pensar que diante de um inimigo tão perigoso, essas armas possam parecer obsoletas, mas foi com essas armas que o Senhor Jesus venceu a toda morte e o inferno. Paralelamente também podemos citar que, diante de um inimigo tão perigoso, Davi o derrubou com um artefato no mínimo estranho. Assim é, se quisermos a vitória contra os principados e potestades, que são nossos reais inimigos, se aproprie do ensino da Palavra e vença sempre.

Prs. Israel e Ludmila

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!