O serviço no reino dos céus

Texto: Mateus 25:14-30

Introdução: Existimos como igreja para: adorar – celebrando a glória de Deus; evangelizar – comunicando a salvação de Deus; comungar – vivendo como família de Deus; discipular – ensinando a guardar todo o desígnio de Deus; servir – demonstrando o amor de Deus. Nos sermões anteriores partilhamos sobre os quatro propósitos: adoração, evangelização,  comunhão e discipulado. Hoje, nesta conhecida parábola dos talentos,  focamos o serviço. Comparando o v. 1a e o v. 14a (“então, o Reino dos céus...” “... pois será como um homem...”) percebemos que Jesus também está falando claramente sobre o Reino dos Céus nesta segunda parábola. Como é na visão Dele O SERVIÇO NO REINO DOS CÉUS?

I. Os trabalhadores no serviço do reino (v. 14)

1. Identidade: servos chamados (v. 14 –“chamou os seus servos”)

    a) “Servos” = “doulos” = escravos

    b)”Chamados” = propósito

2. Autoridade: servos credenciados (v. 14 – “e lhes confiou os seus bens”)

   a) Autoridade baseada numa ligação de confiança

   b) Autoridade baseada num propósito específico: boa mordomia das riquezas divinas

3. Especialidade: servos habilitados (v. 15 – “... deu... a cada um segundo sua própria capacidade”)

    a) A habilitação é sempre um presente divino ( “deu” )

    b) A habilitação é sempre uma exclusividade divina (“a cada um”)

    c) A habilitação tem sempre  a marca da diversidade (“cinco... dois... um...”)

        Pau para toda obra é uma filosofia diabólica.....

    d) A habilitação é sempre eficiente

1 denário = valor correspondente a um dia de trabalho de um trabalhador comum...

1 talento  = 6.000 denários = 6.000 dias de trabalho = 20 anos

2 talentos = 12.000 denários = 12.000 dias de trabalho = 40 anos

5 talentos = 30.000 denários =  30.000 dias de trabalho = 100 anos

II. A dinâmica no serviço do reino

1. Oportunidade (v. 14a “um homem que ausentando-se do pais...” 15b – “e então partiu”)

     Jesus partiu oferecendo-nos um tempo  de portas abertas para cuidar dos seus interesses do Seu Reino até o dia da sua volta final.....  Ex.: o nascimento da Pedra Viva

2. Agilidade (v. 16-17 “.... saiu imediatamente...)

    Há três tipos de trabalhadores no Reino de Deus: “aqueles que não sabem o que está acontecendo, aqueles que vêm o que está acontecendo e aqueles fazem as coisas acontecer”.O chamado não é apenas para servir, mas para servir já!

3. Criatividade (v. 16 – “a negociar”)

O servo comprometido com o serviço do Reino tem um foco definido: qual a melhor maneira de fazer o que o Senhor espera que eu realmente faça? (Jr 48:10 “Maldito aquele que fizer a obra do Senhor relaxadamente”) – Ex. do Pr. Wildo (Missão Vida)

4. Produtividade (v. 16-18)

a) Positiva: multiplicação de dois e de cinco (v. 16-17 – “...ganhou outros...)

    “Faça todo bem que puder, com todos os recursos do que dispuser, de todas as formas que puder, em todos os lugares que puder, sempre que puder, a todas as pessoas que puder, enquanto você puder”  (John Wesley)

b) Negativa: manutenção de um (v. 18 – saindo...  abriu... escondeu)

        Agiu como um instrumento de morte e não um instrumento de vida...

III. A avaliação no serviço do reino

1. Fecha um ciclo uniforme para TODOS os servos (v. 19 “depois de muito tempo.....”)

Convocação + Capacitação + Ação + Supervisão

2. Faz um julgamento sério dos resultados do serviço

v.19 ... voltou o senhor daqueles servos e ajustou contas com eles”

a) Resultados são mensuráveis (v. 20, 22)

+ Quantidade – (v. 20“... recebera..... entregou outros...” )

+ Qualidade – (v. 22 “confiaste-me.... eis aqui outros ... aqui tens outros”)

b) Resultados são reconhecidos (v. 21a,23 a)

+ Bondade (v. 21a“muito bem servo bom...)

+ Fidelidade (v. 21“...e fiel”)

c) Resultados são recompensados (v. 21b, 23 b)

+ Mais oportunidades de trabalho (v. 21b, 23b“... sobre o muito te colocarei”)

+ Mais gozo (v. 21b; 23b “.... entra no gozo do teu Senhor”)

d) Resultados são reprovados (v. 24-30)

+ Reprovados porque foram alcançados em cima de uma visão negativa

   * Do  Senhor (v. 24)

             * De si (v. 25)

             * Do talento (v. 25)

              * Das oportunidades (v. 26-27)

          + Reprovados com uma pena justa (v. 28-30)

              * Perda do talento (v. 28a)

              * Transferência do talento (v. 28b-29)

              * Exclusão da luz (v. 30)

Conclusão: Desafios para o cotidiano

          A caminho de nossa organização como igreja, queremos reafirmar nosso compromisso  de ser uma comunidade de trabalhadores.

1. ENTRE NO REINO = VOCÊ PRECISA DE UMA CIDADANIA CELESTE (João 3:3)

2. SONHE EM SER ÚTIL NO REINO = VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO CELESTE

3. AGRADE AO SENHOR DO REINO = VOCÊ PRECISA DE UMA MOTIVAÇÃO CELESTE

A caminho de nossa organização como igreja, queremos reafirmar nosso compromisso  de ser uma comunidade de trabalhadores comprometida  com o nosso Rei Jesus e com o serviço do Seu Reino!

Pr. Jair Francisco Macedo

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!