O sinal da Cruz

Texto: I Coríntios 1:18-25

A cruz do calvário faz parte da história do mundo, e desde muito cedo em nossa cultura ouvimos falar dela, independentemente de ser ou não evangélico. A cruz, era na antiguidade símbolo de morte, era equipamento usado para penalizar bandidos horrendos, aqueles que cometiam crimes hediondos. Era, portanto, a cruz, penalidade máxima para os fora da lei. Nesse tempo contemporâneo, para a grande maioria das pessoas, a cruz continua sendo sinal de morte. Basta que andemos pelas estradas de nosso país e encontraremos centenas delas indicando que alguém morreu naquele local. Algumas famílias fazem uma capelinha com uma cruz no topo. Passando pelos cemitérios, a cruz é símbolo obrigatório sobre as sepulturas, indicando morte.

Pensando biblicamente na cruz,  a encontramos no Calvário, ou monte da Caveira, ironicamente local reservado para executar malfeitores.  Nesse local estava o ponto culminante dos sofrimentos vicários do Salvador, é, outrossim, digna de toda consideração, porque trata da doutrina importante da expiação de nossos pecados. Da cruz de Cristo, fluem jatos luminosos e incandescentes sobre as horríveis trevas do pecado.

Que a cruz é um sinal de morte para a maioria das pessoas é verdade, mas mostraremos que a cruz é muito mais do que isso. É muito mais do que dois pedaços de pau. É sinal do sofrimento de Cristo, mas é também sinal de vida para aqueles que depositam sua fé no crucificado.

I- Para o crente a cruz é um sinal do poder de Deus.

O missionário aos gentios fala sobre a cruz: “Sei perfeitamente como parece tolice (loucura) àqueles que estão perdidos, quando ouvem que Jesus morreu para salvá-los. Nós, porem, que somos salvos, reconhecemos esta mensagem como o próprio poder de Deus. Deus diz: Eu destruirei todos os planos humanos de salvação, não importa quão sábios eles pareçam, e ignorei as melhores idéias dos homens, até as mais brilhantes. E continua  o apóstolo: Então, o que acontece com esses sábios, esses eruditos, esses grandes comentaristas das grandes questões mundiais? Deus fez com que todos eles parecessem ridículos, e mostrou que a sua sabedoria é uma tolice inútil. Deus, em sua sabedoria, providenciou para que o mundo nunca encontrasse a Deus através da inteligência humana. E então Ele se manifestou e salvou todos quantos creram em sua mensagem – essa mesma que o mundo considera absurda e ridícula. Parece absurda para os Judeus, porque eles desejam um sinal do céu como prova de que o que está sendo pregado é verdadeiro; e é ridícula para os gentios, porque eles crêem somente naquilo que concorde com a sua filosofia e lhes pareça sábio. Por isso, quando pregamos que Cristo morreu para salvá-los, os Judeus se ofendem e os gentios afirmam que tudo isso é loucura. Deus porém. Abriu os olhos dos que foram chamados apara a salvação, tanto Judeus como gentios, para verem que Cristo é o grandioso poder de Deus para salvá-los; o próprio Cristo é o centro do sábio plano de Deus para a salvação deles. Esse plano de Deus chamado de absurdo (loucura) é bem mais sábio do que o plano mais sábio do homem mais sábio, e Deus na sua fraqueza – Cristo morrendo na cruz – é muito mais forte do que qualquer homem” I Cor. 1:18 -25.

E por que os Judeus consideravam um escândalo a pregação da cruz? Pela simples razão de que eles não podiam conceber que o Messias tivesse de ser crucificado para salvar. E mais: Criam num Messias diferente – poderoso, dominador, que havia de vir reinar temporariamente no trono de Davi. A concepção de um Messias sofredor, escarnecido, era blasfêmia para os Judeus.

Por sua vez, os gregos  consideravam a pregação da cruz uma loucura, porque eles também não podiam conceber que um homem morrendo numa cruz pudesse salvar alguém.

E de fato, parece uma loucura, mas é verdade que Cristo salva. Daí a afirmativa de Paulo: “Aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação”.

Não quiseram os sábios do mundo conhecer a Deus, embora com tantas provas incontestáveis. “Pois a verdade sobre Deus é revelada entre eles instintivamente; Deus pôs esse conhecimento em seus corações” Rm 1:19. Por isso deixou Deus de lado a sabedoria humana e serviu-se da vergonha da cruz para salvar a humanidade.

E assim, a CRUZ é um sinal do amor e da misericórdia de Deus, na oferta do supremo sacrifício, em substituição a nós miseráveis pecadores.

II- Para o crente a cruz é um sinal da sabedoria de Deus.

Afirmando a justiça de Deus. A cruz e o sofrimento, que parecem loucura aos descrentes, são suprema sabedoria aos olhos de Deus. E quem não vê no sofrimento vicário de Cristo um plano magnífico da providencia de Deus, a despertar a consciência dos condenados, em face a monstruosidade de seus pecados? Por outro lado, quem não percebe através deste tão grande sofrimento, o coração de deus sangrando, vertendo lágrimas de profundo amor pela sorte dos perdidos? Só aquele, cuja mente esteja entenebrecida, aquele cujo entendimento esteja cego pelo príncipe das trevas. “Satanás, o deus deste mundo pecaminoso, o fez cego, incapaz de ver a glória do evangelho que está brilhando sobre ele, ou de compreender a mensagem maravilhosa que pregamos a cerca da gloria de Cristo, que é Deus” II Cor. 4:4.

Na cruz se evidencia, ainda, a sabedoria do alto, porque ela apregoa a paz, promovendo a reconciliação do pecador com Deus pois “Agora nós nos alegramos nesta nossa maravilhosa relação  para com Deus – tudo por causa do que o nosso Senhor Jesus Cristo fez ao morrer pelos nossos pecados – reconciliando-nos com Deus” Romanos 5:11. “Todas essas coisas novas vem de Deus, que nos trouxe de volta a SI mesmo por meio daquilo que Cristo fez. E Deus nos deu o privilégio de insistir  com todos  para que se tornem aceitáveis diante dEle  e se reconciliem com ELE. Pois Deus estava em Cristo recuperando o mundo para SI, não levando mais em conta o pecado dos homens contra Ele, e sim apagando-os. Esta é a mensagem maravilhosa que ele nos deu para transmitir aos outros” II Coríntios 5:18,19. Esta paz é perene, é eterna, baseada na perfeita justiça de Cristo.

III- Para o descrente a cruz é uma pedra de tropeço.

O incrédulo considera o poder da força física. Poderoso, valoroso e digno de admiração – só aqueles que vencem batalhas, conquistam posições, dominam impérios..

Cristo, porém, que só vence pelo espírito, porque fisicamente sofre e morre! Onde a vitória, dizem os materialistas? Isso não é herói!  Não nos empolga, tão pouco o que destila dos lábios de tão fraca criatura!

O incrédulo ignora completamente as leis do reino espiritual, do “Reino que não é deste mundo”,  cujas doutrinas são de amor, de misericórdia e de perdão; onde o mais digno e o mais heroico é o mais humilde e o mais sofredor.

O poder dos servos de Deus evidencia-se na fraqueza, em ser o menor, em servir, a exemplo do próprio Cristo. Isso é uma pedra de tropeço para muita gente.

Deus nos ensina que o seu poder se manifestas a partir das coisas pequenas e insignificantes aos olhos humanos.

Isso nos faz pensar na experiência do Profeta Elias no monte Horebe e abrigou-se numa caverna, precisava  ouvir a voz de Deus, pois estava angustiado com a situação de desavença com o rei Acabe. Havia andado 40 dias e 40 noites até aquele local. Deus falou ao seu coração e perguntou: “O que fazes aqui, Elias? Ele respondeu: Tenho trabalhado muito para o Senhor Deus o Universo; porém o povo de Israel não cumpriu o seu trato com o Senhor, derrubou os seus altares e matou os seus profetas e só eu fiquei, agora tentam me matar também. Saia daí e ponha-se diante de mim na montanha, disse o Senhor. Então o Senhor lhe ensinou  que o poder não estava na tempestade, nem no terremoto e nem no fogo, e sim na voz mansa e delicada” I Reis 19:8-13.

Enquanto os incrédulos reconheciam o poder nas legiões Romanas e se escandalizavam diante da figura sofredora da cruz, Deus faz o oposto e mostra que seu poder está na voz mansa e suave. Porque Deus fala ao coração de forma incontentável, isso é pedra de tropeço para os ditos sábios desse mundo. Qual o sábio que poderia levantar-se e dizer que Deus não falou? Diz-nos ainda a Bíblia: “Os Judeus, porém, que tão arduamente  procuraram estar bem com Deus guardando as suas leis, nunca tiveram resultado. E por que não? Porque estavam procurando ser salvos  guardando a lei e serem corretos em vez de contarem com a fé. Assim, tropeçaram na grande pedra de tropeço. Deus os advertiu disso nas escrituras, quando disse: Eu pus uma rocha no caminho dos Judeus, e muitos tropeçarão nela – Jesus. Todos quantos crerem nele nunca ficarão decepcionados” Rom. 9:31-33.

IV- Para o descrente a cruz é uma loucura.

O ideal grego era obter a felicidade pela cultura e pela licenciosidade. Daí, a filosofia  epicurista: “comamos e bebamos que amanhã morreremos”. Essa filosofia é notada na forma de ser de muita gente. Ser um cristão é simplesmente uma loucura. Como ser um cristão se há tanta coisa que posso me envolver neste mundo? Sexo, drogas, vida promiscua, engano, desonestidade, etc.

O ideal cristão, porém, é obter a felicidade através de uma vida pura, pacifica e santa. Daí, a morte de Cristo, por causa do pecado dos homens, ser uma loucura para os gregos. E Paulo disse enfaticamente: “Aprouve a Deus  salvar os crentes pela loucura da pregação”.

As palavras de Paulo são enérgicas: Não importa o que vocês estejam pensando, não importa o que estejam crendo. “Nós pregamos a Cristo Crucificado”, o poder e a sabedoria de Deus; porque sobre a cruz, a misericórdia e a verdade se uniram, a justiça e a paz se entrelaçaram.

Enquanto Cristo crucificado é visto pelo descrente como símbolo de fraqueza e loucura, a visão da fé transforma-O  no poder iluminador e regenerador de Deus!

Pr.Cirino Refosco
cirino@missoesnacionais.org.br

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!