Lamentações de um Atribulado

Texto:  Salmo 88
Introdução: Fico maravilhado com Hemã, o poeta que escreveu o Salmo 88.

Vejamos o que estava em seu coração:

1.Ele lamentou.

“Pois a minha alma está farta de males, e a minha vida já se abeira da morte” (v.3).
Seu destino na vida era agonia sem consolo.

2. Ele estava exausto pelo sofrimento. Ele reclamou!

“Ando aflito e prestes a expirar desde moço; sob o peso dos teus terrores, estou desorientado” (v.15).
“Ando aflito…”, Hemã olhou para trás e lembrou-se da saúde fraca e do infortúnio, olhou ao redor e viu adversidade e abandono, olhou para cima e não encontrou consolo.

3. Ele se sentia “à deriva, desamparado”.

“atirado entre os mortos; como os feridos de morte que jazem na sepultura, dos quais já não te lembras; são desamparados de tuas mãos” (v.5).

4. Ele se sentia “na escuridão”.

“Puseste-me na mais profunda cova, nos lugares tenebrosos, nos abismos” (v.6).

5. Ele se sentia “afligido, desorientado”.

“Sobre mim pesa a tua ira; tu me abates com todas as tuas ondas. Ando aflito e prestes a expirar desde moço; sob o peso dos teus terrores, estou desorientado” (vs.7, 15).

6. Ele se sentia “rejeitado, desprezado”.

“Por que rejeitas, Senhor, a minha alma e ocultas de mim o rosto?” (v.14).
Não conseguia ver luz no fim do túnel, nenhuma solução para sua tristeza.

7. Ele também tinha uma fé persistente, perseverante.

“Ó Senhor, Deus da minha salvação, dia e noite clamo diante de ti. Os meus olhos desfalecem de aflição; dia após dia, venho clamando a ti, Senhor, e te levanto as minhas mãos. Mas eu, Senhor, clamo a ti por socorro, e antemanhã já se antecipa diante de ti a minha oração” (Vs.1, 9, 13).

Há mais em Hemã do que mera franqueza. Apesar de seus muitos problemas, agarrou-se a Deus e clamou a Ele “dia e noite”.

A honestidade de Hemã aquece a minha alma. Cristãos que nunca lutam me confundem. Claro, há um equilíbrio: ninguém quer estar perto daqueles que tagarelam o dia todo sobre seus problemas, mas faz bem ao meu coração saber que alguém mais tem sofrido.

8. Não parou de orar, não desistiu.

“Será referida a tua bondade na sepultura? A tua fidelidade, nos abismos? Acaso, nas trevas se manifestam as tuas maravilhas? E a tua justiça, na terra do esquecimento?” (vs. 11, 12).
E apesar de não sentir naquele momento, Hemã reconheceu a bondade, a fidelidade e a justiça de Deus.

Conclusão: A oração é o solo mais apropriado para o crescimento da esperança.
Gosto de pessoas como Hemã. Elas fortalecem minha ligação com Deus e me lembram de nunca deixar de orar.

Baseado em texto de David H. Roper

Roberto e Lourdes – robertoelourdes@gmail.com

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!