Texto: Salmos 46


Introdução: O século vinte foi o século do otimismo e da autonomia. Pensava-se que o mundo melhoraria e que evoluiria até o tempo no qual ele teria a natureza sob controle, a sociedade em perfeita ordem, o mundo em paz. Todavia a milhares de anos atrás, o quadro que o salmista pintava não dava lugar a esta presunção, arrogância e petulância do homem, que quis transformar a terra num “Éden sem Deus”.

1 – A natureza em desordem – (v. 2, 3).

O que verificamos é que, a cada dia, a natureza está menos controlada.
Desordem e fenômenos naturais anteriormente nunca vistos têm deixado o mundo em triste expectativa.

2 – Sociedade desestruturada – (v. 6).

O egoísmo, a indiferença e o individualismo crescem desde as pequenas nações até o primeiro mundo.
Aumentam as crises familiares com separações gerando uma sociedade doente movida pela luxuria, prostituição, violência e outros desequilíbrios.

3 – Mundo em guerra.

Conflitos, segregações, ódio. A luta às vezes, começa com vizinhos, entre parentes, colegas de trabalho, isto são apenas reflexos deste espírito de guerra.

4 – Como enfrentar este estado de coisas?

4.1 – Abrigar-se – (v. 1, 7, 11).
Em Deus podemos nos abrigar – veja o contraste entre “os exércitos e o refúgio”.
4.2 – Pôr Deus no centro de nossas vidas – (v. 4, 5).
Só podemos ter alegria num mundo de perspectivas negativas, se confiarmos que o Senhor está no comando de tudo.
4.3 – Saber que Deus é soberano – (v. 6, 8, 9).
Deus a seu tempo faz justiça e restaurará a terra.
4.4 – Aquietar-se em Deus – (v.10).
Só o Senhor pode nos dar a paz.


Conclusão: O tempo de tribulação é tempo precioso, onde aprendemos a confiar, quando experimentamos o poder da paz e o refúgio do Senhor.
Tiago 1: 2-4 – “Meus irmãos tende pôr motivo de grande gozo o passardes por provações, sabendo que a prova da nossa fé desenvolve a perseverança. Ora, a perseverança deve terminar a sua obra, para que sejais maduros e completos, não tendo falta de coisa alguma.”