Texto: Salmos 103:1-6


Introdução: Muitas pessoas deixam de receber o milagre desejado por não conhecer os requisitos necessários. Em outras palavras, o Senhor fará a Sua parte quando fizermos a nossa.
Como poderemos ficar prontos para receber o milagre?


1 – Bendizer ao Senhor – “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo que há em mim bendiga ao seu Santo Nome. Bendize minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios”. Sl. 103:1-2.
Quando começa o milagre de nossa vida?
- Quando nós passamos a bendizer ao Senhor do fundo de nossa alma e com todas as forças de nosso ser.
- Louvar e adorar a Deus por aquilo que Ele é.
- Declarar todas as suas maravilhas
- Agradecer por sua salvação
- Jairo antes de pedir a cura de sua filha a Jesus, ele O adorou, prostrado.
- Quando estamos em crise só pensamos em clamar pedindo ajuda.


2 – Não esquecer os seus benefícios – “não te esqueças de nenhum de seus benefícios”. Sl. 103:2b.
Há sete benefícios que devemos lembrar! Servimos a um Deus que:
- Perdoa todos os meus pecados (v.3)
- Cura todas minhas doenças (v.3)
- Salva a minha vida de perigos mortais (v.4)
- Me cerca de amor fiel e se interessa por mim com muita ternura (v.4)
- Enche a minha vida de coisas boas (v.5)
- Renova a minha juventude como as penas da águia (v.5)
- Faz justiça aos que são maltratados ou explorados por outros (v.6)
Como vimos, os benefícios não tratam somente da nossa salvação, mas sim de todas as áreas de nossa vida.


Conclusão: Não deixe passar nem mais um instante sem fazer uma pausa para bendizer o Senhor e lembrar dos seus benefícios.
Quando esquecemos o que Deus fez, limitamos as nossas bênçãos – “Voltaram atrás, e tentaram a Deus; e duvidaram do Santo de Israel. Não se lembraram do poder da sua mão, nem do dia em que os livrou do adversário”. Sl. 78:41-42.
Examinemos também o Salmo 106, como instrução para as nossas vidas.

 

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .