Onde Todos se Igualam

Texto: Lucas 16:19-31

Introdução:

       A morte é um acontecimento que afeta ao homem desde o começo de sua existência, e pelo decorrer dos séculos se tem tentado encontrar solução para o problema da morte. Os cientistas tentam encontrar a fórmula da vida; os intelectuais tentam entendê-la; os médicos realizam todo o tipo de transplante, mas quando a morte bate a porta, se tornam incapazes de encontrar solução, e assim, a humanidade vive em uma luta sem êxito contra a morte.

       Jesus ensinou que a morte é um acontecimento destinado a todos os homens e que ele não pode fugir desta realidade; sejam ricos ou pobres, na hora da morte todos são iguais, e todos os corpos voltarão ao pó, não há como escapar dessa realidade.
       O rico e Lázaro representam dois extremos da escala social, mas a principal diferença era que, ainda que o rico pudesse ser religioso, ele não havia aceitado a Jesus como seu Salvador e não vivia uma vida cristã; o pobre, ainda que não tivesse nada para comer, tinha a Cristo em seu coração e a esperança gloriosa de salvação; na hora da morte se igualaram, e a diferença reapareceu inversamente depois dela, na vida e morte eterna.

 

A MORTE VEIO AO ENCONTRO DO MENDIGO LÁZARO.

       Depois da apresentação do rico e Lázaro, a morte de Lázaro, o mendigo, é relatada na parábola. O interessante é que a morte não parece Ter sido surpresa para ninguém; a surpresa pode Ter sido como ele conseguiu Ter vivido tanto tempo. Lázaro era um homem temente a Deus; seu nome significa "Deus ajuda", e isso era realidade na vida deste mendigo que não tinha riqueza material, tinha riqueza espiritual e uma coroa esperando por ele.
       Jesus estava tentando ensinar que havia sido salvo pela fé e que as riquezas e a posição social não podem levar ninguém a uma relação eterna com Deus. Lázaro desejava se alimentava do resto da comida do homem rico e suas feridas eram lambidas por cães, mas quando morreu, foi recebido no seio de Abraão, o Pai de Israel, num lugar de honra no céu, por Ter sido fiel a Deus em vida na terra.
       Durante a Segunda Guerra Mundial, um pastor visitou a uma senhora no hospital. Sua casa tinha sido seriamente atingida e ela disse ao pastor: "Perdí tudo: meu marido, meu lar, meu Deus. Depois de uma pausa ela voltou atrás: Conto ainda com meu Deus e sua Palavra para começar a reconstruir meu lar, pois esses dois são tesouros que jamais perecem".
       Lázaro também havia perdido tudo na vida. Não tinha parentes, casa, amigos, roupas, trabalho; mas o importante para ele era Ter ao Senhor para ajudá-lo, e o Senhor o ajudou, pois, quando veio sobre ele a morte, veio para proporcionar-lhe descanso para sua alma, alívio para suas dores e segurança de que nuca mais sofreria.
       Como Lázaro, muitas pessoas perderam tudo na vida, estão sofrendo e pensam que nunca mais encontrarão solução para suas vidas. É bom recordar que a morte iguala a todos, mas que o homem faz a diferença em sua eleição aqui sobre a terra e essa eleição é dada a todos por igual, seja qual for sua situação.
       Lázaro havia perdido tudo na vida terrena, mas ganhou a vida eterna, o melhor e mais precioso bem, através da fé em Jesus.

 

A MORTE TAMBÉM VEIO AO ENCONTRO DO HOMEM RICO.

       Por incrível que pareça o homem rico, que vivia em abundância de bens e de saúde, também faleceu. Por certo que seu cortejo foi seguido por muitas pessoas importantes, autoridades; mas a morte é a grande zombadora das intenções do homem, das divisões sociais e nessa hora se pode ver que todos são feitos da mesma substância fraca que envolve a todos, tantos ricos como pobres.
       O rico era indiferente ao sofrimento presente, pois não o tinha experimentado e talvez por isso, não tivesse se preparado para o encontro com a morte, confiando em si e em suas riquezas.
       Certa ocasião, um homem rico convidou o bispo Holt Hugles para almoçar com sua família. Ao chegar a sua casa, o bispo foi convidado a conhecer a propriedade sendo levado pelo seu anfitrião a uma colina onde era possível ver a suntuosa mansão e toda a extensão de sua rica propriedade. O anfitrião após mostra tudo ao bispo lhe perguntou: "Se isso tudo que o senhor está vendo não me pertence, a quem pertence então?" a essa pergunta o bispo lhe respondeu: "Faça-me essa mesma pergunta daqui a cem anos". Seria muito bom se todas as pessoas transportassem suas perguntas e projetos de hoje para daqui a cem anos, porque certamente, a essa altura, estarão agarradas pelos grandes braços da morte.
       Jesus continua narrando que o rico foi sepultado e que foi para o "hades" que significa "lugar dos mortos"; outras traduções trazem como inferno que é uma palavra latina. No Novo Testamento a palavra que representa inferno é Hades, e a Bíblia diz que o rico foi para o inferno e estava sofrendo e que alí sofreria eternamente.

 

DEPOIS DA MORTE A SITUAÇÃO SE INVERTEU.

       É importante enfatizar o fato de que a morte igualou dois homens tão diferentes. Todas as honras e misérias foram substituídas pela morte, mas que depois da morte, a situação voltou a ser diferente e de forma inversa. O homem rico materialmente era pobre espiritualmente e depois da morte veio a realidade do fato de não Ter conhecido a Jesus Cristo. Lázaro era pobre materialmente, porém, o que importava , depois da morte, era que havia aceitado Jesus como seu Salvador. Com isso, foram traçadas duas eternidades totalmente diferentes.
       A questão da vida após a morte preocupa a todas a humanidade e religiões. Os romanos diziam que a eternidade era um espelho com sombras desta vida. Os maometanos crêem que os mortos serão recompensados ou punidos pelo que fizeram na vida. Os budistas e hinduístas dizem que as almas nascerão novamente e constantemente até que alcancem a bem-aventurança eterna.
       No Novo Testamento existem três palavras diferentes que foram traduzidas em inglês com o término "hell", ou seja, inferno. No inferno de Lucas 16:22-23, por exemplo, é a palavra grega"hades". O que a Bíblia está querendo dizer é que o rico foi para o inferno e o Lázaro para o céu.
       No decorrer do texto o rico pede a Abraão para que Lázaro alivie um pouco seu sofrimento, mas Abraão deixa bem claro que depois da morte é impossível mudar a situação, ou seja, quem é salvo e está no céu, nunca sairá de lá; quem foi para o inferno por estar perdido, nunca mais sairá de lá também. Fica bem claro que o destino para o céu ou para o inferno só pode ser definido em vida terrena e através da aceitação de Jesus como Salvador.
       Outro fator importante é que o texto elimina a possibilidade do purgatório, pois a Bíblia descarta tal possibilidade. Há somente dois caminhos: céu ou inferno, não havendo um lugar intermediário capaz de mudar a situação.
       Outro aspecto importante é a afirmação de que Deus não mandará pessoas que já morreram para voltar a terra e falar sobre a salvação, porque os homens necessitam aceitar a salvação pela fé, através da pregação da Palavra de Deus.

"Examinais as Escrituras, porque julgais Ter nelas a vida eterna; e são elas que de mim testificam". (João 5:39)

Fica bem claro e coerente que o destino desses dois homens foram selados quando estavam vivos na terra.

CONCLUSÃO

       No momento em que todas as pessoas se igualam, na morte, tem início uma nova vida, a vida eterna onde não haverá mais retrocesso. Esta é uma afirmação muito séria e nos leva a pensar sobre nossa situação diante de Deus e diante da inaceitável, porém real, morte do corpo. Para a nova vida não se leva bens, nem riquezas anteriores, só o haver seguido a Jesus.
       "Conta-se que numa noite, certo sonâmbulo se levantou de sua cama, abriu a porta e começou a caminhar descalço pela rua, em direção a um riacho. Ao tocar com seus pés na água geladas, despertou assustado. Este quadro pode bem ser comparado com o que ocorre com milhares de almas perdidas despertadas de sua ímpia maneira de viver, somente no momento supremo e inesperado, ao serem conduzidas as águas geladas da morte".
       Foi exatamente o que aconteceu com o rico exemplificado por Jesus, e é exatamente o que acontece com muitas pessoas.
       O desejo de Jesus é de que os homens se recordem desse episódio e que mudem suas vidas, aceitando a Jesus como Salvador, garantindo assim, um lugar ao lado de Lázaro, Abraão e de Jesus, para sempre. Amém!

Autor:  Pr Heitor Meurer

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!