A prioridade de Deus - O segredo da vida bem-sucedida

A prioridade de Deus - O segredo da vida bem-sucedida
Texto: Mateus 6.33
Introdução: A receita de Jesus contra a preocupação de todo tipo (v. 25-34), e para a garantia de suprimento das nossas necessidades básicas, está toda contida nas palavras: priorizar a vontade de Deus.

O termo prioridade, segundo o “Dicionário Aurélio” significa: “Qualidade duma coisa que é posta em primeiro lugar, numa série ou ordem”; esta palavra na sua origem é a junção de dois termos latinospriore (“o primeiro entre dois”) e tate(“modo de ser”, “qualidade”, “estado”). Em outras palavras, escolher obedecer à lei, aos santos mandamentos e preceitos que Deus determina em sua Palavra, é a maneira mais segura de que “a farinha da (tua) panela não se acabará, e o azeite da (tua) botija não faltará” (l Reis 17.14).

Proposição: O segredo da vida bem-sucedida está em termos prazer em Deus. 

I. “…buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça…”

– Este mandamento, que é parte do Sermão do Monte (veja Mateus 5.1-7.29), ataca de frente o problema da ansiedade pelas necessidades físicas.

– No grego, o verbo buscar é zeteo, e significa, tentar obter, desejar possuir etc. Em outras palavras, devemos nos empenhar para cumprir os interesses de Deus em nossa vida. Isto fazemos priorizando duas coisas:

1. “o seu reino”, o termo reino é basiléia no grego e também pode ser traduzido como reinado, domínio, governo, soberania etc. Quando Jesus ensinou a oração dominical (6.9-13), inseriu a expressão: “Venha o teu reino, seja feita a tua vontade”, indicando que se o reino ou o governo de Deus estiver presente em nossos corações, sua palavra será obedecida, e sua vontade estará sempre em primeiro lugar.

2. “e a sua justiça”, no grego justiça é dikaiosune, retidão, equidade, fazer o que é direito; e tem a ver com a nossa conduta, que precisa ser pautada pela Palavra de Deus.

–       Será que estamos obedecendo a essa ordem de Jesus? Quem governa nosso dinheiro ou o comportamento? Devolvemos nossos dízimos fielmente, ofertamos liberalmente com alegria, ou fazemos isto se sobrar? Em um negócio, buscamos levar vantagem sobre nosso próximo, vendendo “gato por lebre” (veja Romanos 2.24)? O culto dominical nem sempre está nos nossos planos, afinal, domingo é dia de “descanso” e entretenimento! Se pensamos e procedemos assim, o Reino de Deus está longe de nós.

– O Reino de Deus passa a existir em nossas vidas após a conversão (veja João 3.3,5), e isso também pode significar comunhão legítima com Deus. Dessa relação surge uma conduta moral diferente, nova, reta, íntegra e santa.

– A área que mais testa nossa lealdade a Deus é a financeira (veja Colossenses 3.5), mas quando o Reino de Deus entra em cena, uma nova ordem domina as nossas vidas, e o Senhor passa a ter o primeiro lugar. Com isso, a fidelidade nos dízimos e ofertas bem como nos negócios com nossos semelhantes é inegociável. Sobre isso, Paulo escreveu o seguinte: “…pois o que nos preocupa é procedermos honestamente, não só perante o Senhor, como também diante dos homens” (2 Corintios 8.21).

II. “…e todas estas cousas vos serão acrescentadas”.

– Quem tem se submetido ao mandamento de priorizar as coisas de Deus, não tem razão para viver ansioso, agoniado, aflito, pois segundo Jesus, isto é próprio dos perdidos, dos desobedientes (v. 31 e 32); sobretudo porque eles estão entenebrecidos na ignorância da Lei de Deus.

- A promessa inclui: “todas estas cousas”. Afinal, que coisas são essas? Alista que aparece desde o versículo 25, inclui: alimento, roupas, emprego (v. 26), saúde e vida longa, segurança para o amanhã (v. 31) etc.

– Essa promessa de abundância ou de suprimento material está vinculada à exigência da parte “a” do versículo em estudo. Está subentendido, que se formos fiéis na administração dos nossos recursos financeiros (priorizando o Reino de Deus), por meio de dízimos e ofertas liberais, o Senhor será o nosso pastor, e nada nos faltará (veja Salmo 23.1). Jesus só pode ser o nosso Senhor, se realmente nos submetermos ao Seu senhorio (Lucas 6.46), se nos adequarmos à Sua Palavra (João 15.7).

– Um princípio espiritual está implícito nessa afirmação, e trata-se da semeadura e da ceifa (ação e reação), pois Jesus Cristo declarou: “Dai, e dar-se-vos-á (…); porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também” (Lucas 6.38). O que investirmos no Reino, tem retomo garantido, e volta em uma medida bastante generosa, em forma de: saúde, oportunidades, livramentos, sabedoria e criatividade etc.

Conclusão: A nossa única “preocupação”, portanto, deve ser a de nos submeter permanentemente ao senhorio de Jesus Cristo – por meio da obediência à Sua Palavra – e de primar um comportamento honesto, justo e que glorifica o nome de Deus (5.16). Quando o crente procura dedicar-se na expansão da obra de Deus na terra, demonstra com isso, que a sua prioridade são as coisas espirituais, revela também, confiança em Deus, para a provisão das suas necessidades físicas, e como vimos, Jesus Cristo garante que Deus honrará todos os que desse modo procederem (veja Provérbios 3.9,10).

Pr Josias Moura de Menezes

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!