6/06/2014

Liderança Participativa

Liderança ParticipativaTexto: João 15:16 ; João 17:20,21

Introdução: O sucesso de uma liderança na igreja se desenvolve numa liderança participativa, o padrão para liderança participativa está dinamicamente exemplificado pelo próprio Jesus. Incumbindo a tarefa de evangelizar o mundo, Jesus chamou a si 12 homens comuns aos quais Ele podia se dar. Em última análise, a esses homens Ele confiou o trabalho de levar o Evangelho até aos confins da terra.

As Estratégias usadas por Jesus:

  1. Jesus dedicou três anos para prepara-los de modo que pudessem cumprir esse mandamento universal.
  2. Se você tivesse só três anos para lançar uma missão global, o que você faria? Além disso, se também enfrentasse as demandas urgentes do povo, como gastaria os recursos disponíveis?
  3. Os recrutados a servir nesse empreendimento inacreditavelmente foram pessoas leigas, iletradas e despreparadas.
  4. Mas as estratégia de Jesus foi a seguinte, Ele Apenas viveu e serviu com seus discípulos. ( Mateus 26: 26,27 ; João 13: 4-17)
  5. Em três anos Jesus morreu. Mas seus discípulos, agora capacitados pelo Espírito Santo, causaram a maior revolução espiritual mundial jamais conhecida.
  6. O Paradigma da multiplicação no ministério é imperativo. (trabalhe sozinho é terá o que uma pessoa pode ter.) (treine e comissione outros a servir a seu lado e você multiplicará a obra de muitas maneiras incríveis)
Em nossa denominação existe a liderança leiga, no caso Presbíteros, diáconos, diretores e conselheiros etc..., todos precisam entender a razão porque foram escolhidos e separados pela liderança da igreja local que no caso o (Pastor), qual a razão principal:
  1. Para servir aos outros;
  2. Para dar resultados a onde foi plantado;
  3. Para ser participativo com outros ministérios da igreja local;
  4. Não simplesmente para ter um titulo.
Gostaria de me concentrar em duas funções importantíssima em nossa igreja (presbíteros e Diáconos e Diaconisas )

Presbíteros: Quando a Igreja no primeiro século foi estabelecida em ordem, Presbíteros(presbuteroi) eram designados para administrar os cargos da igreja local. Literalmente a palavra ancião sendo as vezes a traduzido assim.

Bispo o termo Bispo (episkopos) era usado intercambiavelmente com termo “ Presbítero” (At. 20:17,28) o vocábulo significa literalmente “supervisor”.

Diácono A palavra “diácono” (diakonos) designa alguém escolhido para servir ao Corpo de Cristo.
Para Ocupar tais funções na igreja primeiramente era preciso ter qualificações indispensáveis:
  1. irrepreensível (I Tm. 3:2) ;
  2. marido de uma mulher (I Tm.3:2)
  3. Vigilante ( I Tm. 3:2) ;
  4. Sóbrio; Temperante (I Tm. 3:2), (Tt. 1:8) ;
  5. Honesto(I Tm.3:2);
  6. Hospitaleiro (I Tm. 3:2 ; Tt.1:8);
  7. Apto para ensinar (I Tm. 3:2 ; Tt. 1:9);
  8. não dado ao vinho (I Tm.3:3; Tt.1:7);
  9. Não Soberbo ( Tt.1:7)
  10. Nem iracundo (Tt.1:7);
  11. Nem espancador (Tt.1: 7) ;
  12. Não contencioso ( I Tm.3:3) ;
  13. moderado (I Tm. 3:3);
  14. não cobiçoso de torpe ganância(I Tm.3:3);
  15. que governe bem a sua própria casa( I Tm.3:4) ;
  16. que bom testemunho dos que estão de fora ( I Tm.3:7) ;
  17. amigo do bem (Tt. 1:8) ; justo ( Tt.1:8) ;
  18. Santo (Tt.1:8) ;
  19. Não neófito (I Tm.3:6).
Obs.: Com justa razão que as escrituras estabelece alto padrão para lideres espirituais.

Como podemos cumprir o nosso ministério de uma forma eficaz:

1) O ministério é cumprido pelo relacionamento Vertical e horizontal:
a) Com Deus e liderança e membresia.

2) O ministério é cumprido pelo recurso interior.
a) o nosso homem interior deve ser alimentado pelas orações, meditação na palavra, jejum e comunhão com Deus.

3) O ministério é cumprido por via da encarnação.
a) Essa é batida do coração do evangelho, foi na vida de Jesus, pois Jesus tinha encarnado na sua alma o propósito pela qual Ele deveria fazer e executar, pois o Pai tinha encarnado nele a sua missão.
b) Precisamos saber a onde vamos chegar, para que fomos chamados e onde queremos atingir.

4) O ministério é cumprido pelo exemplo.
a) a igreja espera ver em nós o exemplo: da fé autentica, da fé experiência na vida, perdoando, ensinado e aprendendo, ouvindo, sendo fiel, dizimando, ofertando, vivendo em santidade, participando, etc....

5) O ministério é cumprido pela intencionalidade.
a) Bons lideres planejam, oram, executam e não fazem simplesmente
pela casualidade. Tem propósito e objetivo.

6) O ministério é cumprido pelo poder do Espírito.
a) O ministério autêntico é cumprido exclusivamente pela capacitação do Espírito Santo.

Conclusão: Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos (Zacarias 4:6)

Reverendo Sérgio Luiz Machado da Silva

Fontes de Pesquisas: Seminário integrado para Pastores, liderança e leigos. O Pastor Pentecostal e Bíblia de Estudo em Cores.

Lições da Ceia

ceia-do-senhorTexto: João 13: 1-20; 31-35

Introdução: Na última ceia, Jesus nos deixa algumas lições maravilhosas e nos mostra o sentido da ceia em nossa vida, precisamos resgatar este principio estabelecido pelo próprio Senhor, que foi ensinado aos discípulos.

1) Uma lição de serviço. (Vs. 4-11)

Jesus se cinge de uma toalha e serve aos discípulos. Na ceia do Senhor, Ele mostra que viver o evangelho é servir, e não ser servido.

2) Uma lição de perdão. (Vs. 1)

Jesus já antevia a cruz através das figuras do pão e do vinho. Ele oferece o perdão de Deus e a reconciliação eterna para todos aqueles que participam da “Grande Ceia” do seu sacrifício.

3) Uma lição de fé. (Vs. 31,32)

Jesus desafia a pratica da fé na palavra. Tomar o cálice do sacrifício estava relacionado à esperança da glorificação que seria consumada na ressurreição. Isso pode ser resumido numa citação C.H.Spurgeon, que diz:

“o fogo do nosso fervor deve arder no centro vital da fé, nas verdades que pregamos e na fé no poder que elas têm de abençoar a humanidade, quando o Espírito as aplica ao coração.”

A celebração da ceia é a liturgia da pregação do evangelho. É uma convocação a fé.

4) Uma lição de humildade. (Vs. 12-16)

Jesus nos mostra que estamos sempre aprendendo, e que devemos aprender com Ele.

5) Uma lição de coragem. (Vs.26)

A ceia nos prepara para enfrentar as traições da vida. Era comum o anfitrião oferecer a um dos convidados um pedaço de pão como gesto de amizade especial. Com isto, Jesus estava lançando mão do amor para poder enfrentar a traição de Judas. Notamos que Ele molhou o pão no vinho ao qual ele se referia como “Este é o meu sangue”

6) Uma lição de unidade. (Vs.34,35)

A ceia nos desafia à unidade baseada no amor. Só o testemunho prático do amor de Deus pode gerar a unidade no Evangelho. Unidade não é conseguida através de denominações ou grandes mobilizações.

A unidade é afirmada por meio do reflexo do testemunho do evangelho em nossas vidas; “nisto conhecereis que sois meus discípulos”.

Reverendo Sérgio Luiz Machado da Silva

6/03/2014

Para Uma Vida Sobrenatural

Para Uma Vida SobrenaturalQuebra-gelo: Você consegue se submeter a alguém com facilidade ou tem dificuldade em aceitar que outros mandem em você? Tem facilidade em obedecer?

Textos: Mateus 13:54-58; Marcos 9:23 e João 1:26.

Introdução: Em João 1:26 João Batista fala ao povo que está no meio deles aqueles que eles não conhecem. Eles esperavam o Messias a muito tempo, ele já estava entre eles, mas eles não conseguiam percebê-lo e por isso não o conheciam. Como não conseguiram reconhecer em Jesus o Filho de Deus que eles esperavam, não o obedeciam e não eram abençoados.

Hoje em dia Deus também tem se feito presente em nosso meio e a sua unção tem sido manifesta de várias maneiras; pessoas têm sido curadas, outras têm recebido bênçãos tão grandes que podemos chamar de milagres, outros ainda tem sido libertos, salvos, batizados com o Espírito Santo, recebidos dons; Deus tem nos dado palavras abençoadoras e de orientação. A verdade é que vivemos dias de grande bênção, mas como nos dias de Jesus nem todos conseguem perceber e receber. O que acontece? Se a unção de Deus tem se manifestado em nosso meio por que nem todos são tocados ou impactados por ela?

Se nós quisermos ser tocados pela unção e receber a bênção:

1) Precisamos ter clareza.

Muitos na época de Jesus na terra não conseguiram ter clareza de quem Ele era. Alguns viam Nele um homem comum, o filho de José, o carpinteiro; outros o viam como mais um mestre ou profeta; outros ainda o viram como um enganador que transgredia a lei e enganava o povo. Esses endureceram o coração a Jesus, o Filho de Deus e perderam a oportunidade de serem abençoados.

Hoje muitos resistem aos processos que Deus estabelece para serem abençoados e também perdem a bênção. Não querem se submeter totalmente a Deus e abandonar atitudes pecaminosas em sua vida (maledicência, rebeldia, dureza de coração, murmuração, vícios, etc.), não aceitam a maneira de Deus querem que seja do seu jeito e perdem a bênção.

Não aja assim, tenha clareza, reconheça a maneira de Deus, obedeça e seja abençoado.

2) Precisamos ter fé.

Não adianta ter clareza e reconhecer Deus e a maneira como Ele escolheu agir para nos abençoar se não acreditamos e aceitamos o que Ele nos fala, estaremos arriscando perder a bênção do mesmo jeito. Precisamos ter clareza (reconhecer), mas precisamos acreditar em Deus, aceitar o que Ele nos diz e agir. Quer ser abençoado? Tenha fé e obedeça.

Conclusão: Deus deseja nos abençoar. Quer que experimentemos ao seu lado uma vida sobrenatural? Você gostaria disso? Gostaria de entregar sua vida a Deus para que Ele seja o teu Senhor e experimentar uma vida sobrenatural? Está disposto(a) a reaprender com Deus e a obedecê-lo? Levante a mão, vamos orar.