Texto: “Contudo, já em nós mesmos, tivemos a sentença de morte, para que não confiemos em nós, e sim no Deus que ressuscita os mortos; o qual nos livrou e livrará de tão grande morte; em quem temos esperado que ainda continuará a livrar-nos” (2 Coríntios 1.9-10).

1. Aprenda a colocar a sua confiança em Deus e não em si.
Há uma tendência de confiarmos em coisas ou pessoas e consequentemente temos grandes frustrações, que geram em nós o medo.
“Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço e aparta o seu coração do Senhor”! Porque será como o arbusto solitário no deserto e não verá quando vier o bem; antes, morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável. Bendito o homem que confia no Senhor e cuja esperança é o Senhor. Porque ele é como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e, no ano de sequidão, não se perturba, nem deixa de dar fruto. Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (Jeremias 17.5-9).

2. Aprenda a ouvir o que Deus tem para dizer e não as vozes que vem do maligno.
“Os ídolos são como um espantalho em pepinal e não podem falar; necessitam de quem os leve, porquanto não podem andar. Não tenhais receio deles, pois não podem fazer mal, e não está neles o fazer o bem” (Jeremias 10.5).
a. Deus não antipatiza você:
“Porque o Senhor Deus me ajudou, pelo que não me senti envergonhado; por isso, fiz o meu rosto como um seixo e sei que não serei envergonhado” (Isaias 50.7).
b. Deus não se vingará em seus filhos:
“Não repreende perpetuamente, nem conserva para sempre a sua ira” (Salmo 103.9).
c. A tribulação, por mais difícil que seja, não durará para sempre:
“Pois o necessitado não será para sempre esquecido, e a esperança dos aflitos não se há de frustrar perpetuamente” (Salmo 9.18).
d. O mal não triunfará sobre a vida do justo:
“Com isto conheço que tu te agradas de mim: em não triunfar contra mim o meu inimigo” (Salmo 41.11).

Conclusão: Ouvir a Deus e confiar em suas promessas é o único caminho para a vitória sobre o medo.

Em Cristo Jesus você é mais que vencedor!

Pr. Ricardo Gondim