Texto: Tiago 1: 27

Introdução:  Milhares de pessoas pensam que ser adeptos de uma determinada religião garantirá o direito de salvação. Estão completamente enganadas. Não há ritual que garanta perdão de pecados e vida  eterna. A ênfase de Jesus não foi na religião e nem nas tradições, mas no tipo de relacionamento e no grau de comunhão que o homem pode travar com ele.

O cristianismo como sistema religioso, não irá abrir – lhe a porta do céu. O judaísmo era fundamentado na revelação de Deus. Todo sistema de culto era baseado no que Deus havia mostrado a Moisés. A religião judaica, porém tornou- se vazia, tirou o foco de Deus e o colocou nos rituais.

I. Jesus condenou a religiosidade dos fariseus e dos escribas

Em Mateus 23, Jesus fez um duro discurso contra os fariseus e escribas. O motivo foi o tipo de religiosidade daqueles homens

1. Religiosidade de aparências. V. 3, 4, 25 -28

a. Os fariseus gostavam de mostrar às pessoas que eram muito religiosos.

b. Os filactérios mencionados no verso 25 eram caixinhas que continham uma faixa de pergaminho com passagens bíblicas. Os judeus traziam os filactérios junto à testa e ao braço esquerdo, durante a oração matinal, para se lembrarem das palavras de Deus. Êxodo 13: 16; Deuteronômio 6: 8. Jesus afirmou que tudo aquilo não passava de aparência e pompa religiosa. Porque não havia transformação interior Mateus 23: 23 – 27

c. Aqueles homens foram comparados a sepulcros caiados, eles não praticavam o que pregavam

2. Religiosidade legalista e escravizadora. Mateus 23:4

a. Os fariseus, escribas e saduceus estavam escravizados pela lei mosaica e pelas tradições religiosas. Gálatas 4:24. Havia centenas de regras que deveriam ser rigorosamente observadas.

b. Aquela religiosidade legalista, com todas as suas tradições, afastava o adorador de Deus. Ao invés de dar esperança de salvação, trazia temor.

3. Religiosidade que não aceitava a plenitude da revelação divina. Mateus 23:34 36

a. Jesus era o Messias preanunciado no Ant. Test., mas estava sendo rejeitado. A religiosidade dos escribas e fariseus não tinha espaço para a manifestação de Deus. Foi essa religiosidade que Jesus condenou.

b. O senhor não anunciou escravidão, mas liberdade, João 8 : 36, não pregou religião, mas transformação de vida e comunhão com o pai .

II. Condenação a religiosidade sem compromisso.

Tiago, um dos lidere da igreja do novo Testamento, condenou a religiosidade vazia sem vida sem compromisso, que tem as seguintes características:

1. Religiosidade que não busca a santidade v. 27

2. Religiosidade que faz acepção de pessoas, 2:1-6.

a. A fé em Jesus não admite que trate ninguém com parcialidade.

b. No corpo de Cristo, devem desaparecer as classes sociais, as barreiras culturais e raciais.

3. Religiosidade que não tem preocupação social. 1: 27, 2: 14 – 26

4. Religiosidade que é comprometida com o mundo. 4 : 1- 4

a. No corpo de cristo não ha lugar para se sustentar amizade com o mundo

5. Religiosidade que não é Cristocêntrica. 2:1

III. Fatores fundamentais para os que desejam ser verdadeiros discípulos de Jesus.

1. Abandono da velha vida. Atos 3: 19

2. Desprendimento.

a. Os discípulos de Jesus está pronto a negar-se a si mesmo e a colocar seus interesses abaixo dos interesses do Senhor

3. Aceitação da autoridade absoluta da palavra.

4. Caráter transformado.

Conclusão: ser religioso não é suficiente. A religião não tem o poder de salvar o pecador e nem de libertá-lo de seus pecados. Só cristo da nova vida

Pr. Aldenir Araújo