Jesus e o ministério que fazia a diferença

Texto: Mc 1.21-28

Textos Complementares: Jo 1.1-3; Mt 7.24-27; Tg 1.22-25; Jo 5.19; Tg 4.7; Mt 8.6-9; At 10.38; Mc 16.17-18; Lc 10.17-19.


Versículo Para Memorizar: “As pessoas que o escutavam ficavam muito admiradas com a sua maneira de ensinar. É que Jesus ensinava com a autoridade dele mesmo e não como os professores da lei”. (Mc 1.22).


Introdução: O ministério de Jesus provocou grande espanto em sua época, porque era diferente do que o povo em geral via nos religiosos da época. Hoje vamos ver, no que diferenciava o ministério de Jesus da religiosidade dos seus dias.

1 – Era Diferente na Autoridade

– Jesus tinha por hábito ensinar a Palavra de Deus nas sinagogas nos dias de sábado. O Seu ensino, porém, era diferente do ensino das autoridades religiosas da época. Ele era a expressão clara de Sua vida prática, a ponto de todos perceberem que o que Ele falava, estava perfeitamente em sintonia com o que vivia.
O ensino de Jesus não era diferente dos demais quanto à doutrina em si, porque todos pregavam a Palavra (com exceção, é claro, das distorções que, infelizmente, também era uma realidade). Mas havia um toque especial de autoridade no que Ele dizia, por ser a própria Palavra de Deus viva entre os homens (Jo 1.1-3, 14), e por ter Ele um compromisso com o que pregava e ensinava. Jesus vivia intensamente a Palavra que saía de Seus lábios, e isso lhe dava tremenda autoridade sobre os poderes das trevas.
Algo maravilhoso acontece quando o que você ministra brota do mais profundo do seu coração; verdades nas quais você realmente crê, e que fazem parte do seu modo de vida. Isto faz de você uma autoridade no assunto (Mt 7.24-27; Tg 1.22-25). Certamente a sua vida inspirará a muitos outros que desejarão viver como você vive.

2 – Era Diferente no Poder Sobrenatural

– A Palavra de Jesus era reconhecida como uma Palavra de autoridade, não somente entre os homens, mas também no reino espiritual. O que Ele falava se cumpria, manifestando um tremendo poder sobrenatural, de maneira que os demônios se viam na obrigação de obedecê-Lo. Mas tal poder que n’Ele se manifestava era resultado da Sua submissão ao Pai de forma absoluta.
Jesus possuía autoridade porque Se submetia à autoridade máxima de Seu Pai, sem questionar (Jo 5.19). O mesmo poder sobrenatural está à nossa disposição, na medida em que vamos nos submetendo ao Pai e resistindo ao maligno em nosso cotidiano (Tg 4.7).
Há uma ilustração Bíblica em Mateus 8.6-9, que mostra a importância da submissão à autoridade por parte de quem exerce autoridade. Trata-se do centurião que diz: “senhor, o meu empregado está em casa, tão doente, que não pode se mexer na cama. Esta sofrendo horrivelmente. Eu vou lá curá-lo – disse Jesus. O oficial romano respondeu: não, Senhor! Eu não mereço que o Senhor entre na minha casa. Dê apenas uma ordem, e o meu empregado ficará bom. Eu também estou debaixo de autoridade de oficiais superiores, e tenho soldados que obedecem às minhas ordens. Digo a um: “Vá”, e ele vai. Digo a outro: “Venha”, e ele vem. E digo também ao meu empregado: “Faça isto”, e ele faz.”

3 – Era diferente nos Resultados

– Notamos que as pessoas estavam admiradas ao perceber que, enfim, havia chegado alguém que realizava um ministério de resultados. Até então, o que via era muito ensino e pouca prática. Quer dizer, havia muita palavra pregada, mas os doentes continuavam doentes, os endemoninhados continuavam prisioneiros, os oprimidos continuavam sobrecarregados, e todos os problemas continuavam no mesmo lugar. A pergunta da multidão “que nova doutrina é esta”, estava relacionada ao fato de que Jesus havia ordenado aos demônios que saíssem e eles haviam obedecido. Isso demonstra que um ministério de resultados havia sido estabelecido naquele lugar, naqueles dias (At 10.38).
Devemos ter a expectativa de ver os resultados da nossa pregação e ensino (Mc 16.17-18; Lc 10.17-19). Só assim o poder do inimigo será enfraquecido e o Nome do Senhor, glorificado.


Conclusão: O ministério de Jesus era diferente dos demais porque Ele falava do que era uma realidade em Sua vida. Seus frutos demonstravam o poder de Deus que realmente mudava as circunstâncias negativas na vida das pessoas.


Aplicação: De forma breve, liste alguns comportamentos que você reconhece já haver mudado em sua vida, desde a conversão à Cristo. Observe as áreas deficientes e estabeleça o propósito de trabalhar nelas, até que estejam também debaixo da mesma influência divina.

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!