Pentecostes: O Cumprimento da Promessa

TEXTO BÁSICO: Atos 2.1-36

INTRODUÇÃO

Quando lemos Atos 2, Lucas nos narra um fato histórico importante: o cumprimento da promessa do Pai em enviar o seu Espírito Santo. Ele narra o que aconteceu. Dois grupos receberam o Espírito Santo naquele mesmo dia: os 120 no início e os quase 3.000 no final. Foram pessoas e experiências diferentes.

Podemos estabelecer uma delas como padrão para hoje? Se vamos estabelecer uma precisamos buscar fundamentação em outros livros da Bíblia.

1. O ESPÍRITO FOI PROMETIDO

Assim como temos várias profecias acerca da vinda do Messias, também temos promessas sobre a vinda do Espírito:

Temos as profecias da descida do Espírito Santo no Dia de Pentecostes: Is. 32.15-20; 44.2-3; 59.21; Ez. 11.18-20; 18.31; 36.26-27; 37.1-14; 39.29; Jl. 2.28; Zc. 12.10. É prometida a restauração espiritual de Israel, já incluindo os gentios, por meio do Espírito Santo, sob o reinado do Messias (Is. 11.1-10).

A ênfase de Jesus em Atos 1, é que o Espírito seria uma dádiva, e não uma conquista. Haveria um tempo de espera entre a ressurreição e a ascensão de Cristo: Da ascensão ao Pentecostes, somente 10 dias.

Alguns detalhes são interessantes:

A) O local da descida seria Jerusalém, por determinação de Jesus. (At. 1:4).

B) Jesus comissiona novamente a Igreja: "mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra" (At 1.8).

C) Os discípulos resolveram esperar em oração perseverante e unânime (At 1.13-14).

D) O Espírito veio no "tempo determinado por Deus", assim como a vinda de Jesus (Gl 4.4-6).

2. O ESPÍRITO SANTO CHEGOU

Atos 2 narra o cumprimento da promessa do Espírito Santo: “Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, corno de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem” (At 2.1-4).

2.1. Quando e onde aconteceu a descida do Espírito?

"Ao cumprir-se o dia de Pentecostes" (2.1). Essa era uma das três principais festas religiosas do povo de Israel (Êx. 23.14-19; Dt 16.16).

Estavam todos reunidos no mesmo lugar. Provavelmente, os cento e vinte (At. 1.15) estavam reunidos, e a casa ou o local onde estavam poderia ser o cenáculo (At 1.13) ou um dos salões ou salas do templo (At. 2.46; Lc. 24.53). O certo é que este local ficava em Jerusalém (At 1.4; 2.5).

A lição que aprendemos desta primeira observação é que a descida do Espírito Santo foi um fato histórico que não se repetirá, tal como o nascimento, a morte, a ressurreição e a ascensão de Jesus.

4.2. Sobre quem veio o Espírito?

O Espírito veio sobre todos os que estavam reunidos e todos foram "cheios do Espírito Santo" (At 2.4). Todos já eram crentes ou discípulos de Jesus, conforme Ele próprio testemunhou: "porque eu lhes tenho transmitido as palavras que me deste, e eles as receberam, e verdadeiramente conheceram que saí de ti, e creram que tu me enviaste. É por eles que eu rogo; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que deste, porque são teus" (Jo 17.8-9).

A lição que aprendemos aqui é que os 120 que ficaram cheios do Espírito Santo, no dia do Pentecostes, não estavam sendo convertidos naquele momento. Eles tiveram o privilégio de receber o poder e a presença definitiva do Espírito.

4.3. Como aconteceu a descida do Espírito?

Foi um ato repentino: "de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles".

A vinda foi acompanhada por três sinais sobrenaturais: um som, uma visão e uma voz estranha (vento, fogo e fala).

O que significa isso? O som como de um vento: o poder e a soberania do Espírito que capacitaria a Igreja para testemunhar (Jo 3.8; At 1.8); a visão do fogo, a pureza da santificação e o fogo do juízo (Is 6.6-7; Lc 3.16); e o falar em outras línguas, que foi a capacitação do Espírito para que os judeus e gentios em Jerusalém fossem alcançados pela pregação do evangelho (At 1.5).

As línguas faladas pelos crentes no dia de Pentecostes eram "outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia", ou seja, uma habilidade sobrenatural para falar línguas reconhecíveis ou sistematizadas (At 2.4, 6, 8, 11). Era uma declaração pública e inteligível dos milagres de Deus. A língua como meio de comunicação do Evangelho, para a evangelização das nações.

A lição que aprendemos em Atos 2 é que o Espírito veio para inaugurar a nova era espiritual, na qual o Evangelho seria pregado a todas as nações. É o que prometiam todas as profecias do Antigo Testamento (Is 32.15-20; 44.2-3; 59.21; Ez 11.18-20; 18.31; 36.26-27; 37.1-14; 39.29; Jl 2.28; Zc 12.10).

O Espírito veio também para ser o executivo da obra missionária. Ele revestiria a Igreja com poder para testemunhar (At 1.8).

4.4. Como a descida do Espírito foi explicada?

Pedro explicou o Pentecostes de duas maneiras:

· Primeiro, foi o cumprimento da promessa do Pai, conforme havia sido predito pelo profeta Joel (At 2.14-21; Jl 2.28-32);

· Segundo, foi uma consequência da exaltação de Jesus Cristo: Exaltado, pois, à destra de Deus, tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vedes e ouvis (At 2.33; Jo 7.39). Pedro envolve a pessoa do Pai e do Filho na descida do Espírito (Jo 14.16; 15.26).

CONCLUSÃO

Qual o significado do Pentecostes?

Martyn Lloyd-Jones ao resumir o significado do Pentecostes, diz: “O primeiro grande propósito do Pentecostes era oferecer a prova final do fato de que Jesus de Nazaré é o Filho de Deus e o Salvador do mundo. Isso é declarado. A segunda coisa é a grande Inauguração da Igreja como seu corpo; e a terceira é uma prova do fato de que essas várias pessoas que são acrescidas à Igreja são membros do corpo”.

Concluímos que o derramar do Espírito marca o início de um novo tempo: A era do Espírito, os "últimos dias", o período entre a primeira e a segunda vinda de Jesus.

O Espírito foi derramado sobre toda a carne. (At 2.17). A palavra "derramar" indica abundância e "toda a carne" significa universalidade. Todo aquele que crer em Cristo será habitado pelo Espírito Santo, independente da raça, condição social, sexo e idade. (Compare: At. 2.12; Gl. 3.28-29; 4.4-7; Ef. 1.13-14).

 

Autor: Pr. Josias Moura de Menezes

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!