Ele nasceu para morrer por nós

«Ele nasceu para morrer; de forma a que ninguém tenha que morrer, mas possa nascer… e viver a vida eterna e abundante que Ele nos dá.»

1. A CONCEPÇÃO DE JESUS CRISTO
Quando Deus veio à terra, escolheu a via do ventre materno, passando por todas as fases de desenvolvimento da vida intra-uterina até ao nascimento.
É sem dúvida uma das maiores dignificações da vida fetal.

2. O PERÍODO DE GRAVIDEZ
Foi um período muito complicado, com grandes dificuldades.
A gravidez não foi inesperada.
O noivo não era o responsável. Houve o risco sério de ele não entender, nem aceitar e assim deixar a sua noiva.
Na sua cultura e nação, a punição para uma gravidez fora do casamento era o apedrejamento até à morte.

As condições económicas eram escassas.
Durante esse tempo foi lançado um decreto pela parte do Imperador Romano, ordenando o recenseamento. Isto implicava uma viagem difícil e dispendiosa de Nazaré para Belém (cidade natal dos pais, onde deveria ser feito o recenseamento).
Não foi nada fácil. Nos nossos dias era caso para aborto.
Mas Deus não desistiu. E José e Maria também não…

3. O NASCIMENTO DE JESUS CRISTO
O seu nascimento dá-se em meio a condições muito desfavoráveis.
Não houve lugar para Ele em nenhuma estalagem.
O único lugar possível foi um estábulo onde ficavam os animais.
No entanto, apesar da falta de condições, Deus nunca desistiu do processo. Ele nasceu! E deu ao mundo uma das maiores lições de coragem, de humildade, de identificação com o sofrimento… de AMOR!
Identificou-se plenamente com as dificuldades e adversidades humanas para mostrar que com coragem e amor é possível superá-las e vencê-las.

4. A VIDA DE JESUS
A Sua vida foi uma constante exaltação da vida. Ele nunca desistia dos necessitados e impossibilitados. Ele trazia provisão e restauração. Curava os cegos, os paralíticos, os leprosos…; dava esperança aos desesperançados; restaurava os que tinham o coração quebrado.
A vida, por mais complicada que estivesse, nunca encontrava da parte de Jesus, desistência ou interrupção. Sempre encontrava atenção, amor e ajuda.

5. O ENSINO DE JESUS
Ele ensinava as pessoas a não ficarem ansiosas com os seus problemas e dificuldades. Mostrava-lhes o caminho para a confiança e provisão de Deus. Se Deus cuida da natureza, muito mais cuidará da humanidade. Somente, os homens deverão buscar em 1º lugar o Reino de Deus e a sua justiça: o governo de Deus (não a sua própria vontade egoísta). A retidão e valores adjacentes ao Reino. Então Deus irá providenciar todas as coisas.
Jesus ensinou também o homem a viver uma vida de sacrifício e abnegação, o que contraria e egoísmo e a auto-exaltação. Ou seja sacrificar a nossa vida e não as dos outros (a atitude oposta àquela que leva à prática do aborto).
6. A MORTE DE JESUS
A morte de Jesus consiste no clímax da sua missão.
A sua morte não foi uma fatalidade. Foi a sua opção, pois era a sua missão. Não foi uma morte normal. Foi expiatória, ou seja, salvadora e redentora.
A sua morte, foi assim substitutiva, ou seja, em substituição de todos os homens. Por outras palavras, uma vez que Jesus morreu, ninguém mais precisa morrer, nem deve ser forçado a tal. A sua morte traz-nos vida.
Ninguém tem o direito de matar outrem para melhorar a sua vida, pois Jesus já morreu para que isso pudesse acontecer…
Em suma, Ele nasceu para morrer; de forma a que ninguém tenha que morrer, mas possa nascer… e viver a vida eterna e abundante que Ele nos dá.

7. A RESSURREIÇÃO DE JESUS
A sua ressurreição é a maior celebração da vida. É a validação da morte de Jesus como fonte de vida. É a vitória sobre a morte e seu poder de separar o homem de Deus, colocando-o no sofrimento eterno. Também do tormento de separar os homens, uns dos outros. O medo da morte é vencido, bem como qualquer prática homicida e destruidora.
Concluindo, Jesus morreu para dar-nos vida. Ressuscitou para que essa vida seja abundante e eterna. Ele venceu o estigma da morte e veio trazer a celebração da vida.
Ninguém mais precisa viver na morte (a morte da esperança, da alegria, dos sonhos e da paz). Nem pode espalhar morte. Alguém já morreu por todos… para que todos tenham vida…

Autor: Hugo Pinto

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!