Nossa Identificação com Cristo

Introdução : Precisamos tomar cuidado com os falsos conceitos de salvação, que andam por aí, que tem feito muitas pessoas viverem enganadas ...

Introdução: Precisamos tomar cuidado com os falsos conceitos de salvação, que andam por aí, que tem feito muitas pessoas viverem enganadas no tocante ao destino da sua alma e a sua união com Cristo. A igreja tradicional criou alguns títulos através da chamada teologia sistemática, mas pouco compromisso com a verdade das escrituras e com os mandamentos do Senhor. Precisamos entender que toda verdade é paralela, ou seja, é seguida de outras verdades que a fundamentam. Existem alguns fatores bíblicos que determinam a respeito da nossa união com Cristo e nossa identificação com Ele.

Portanto, cuidado com os falsos passaportes espirituais que parecem que vão te levar ao céu, mas na verdade estão te levando para o inferno.

Este estudo tem o objetivo de te fazer refletir a respeito da sua vida cristã e a autenticidade da sua salvação em Cristo.

Nossa identificação com Cristo está fundamentada em seis características básicas:

1 - CONVERSÃO – “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” – (João 3.16) - Quem verdadeiramente se converte, confessa a Jesus Cristo como o seu único e suficiente salvador, aceita o seu jugo, renuncia a si mesmo toma a sua cruz e passa a guardar os mandamentos dEle. (Mateus 11.28-31; Mateus 16.24; João 14.21).

2 - BATISMO - "Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado" (Marcos 16.16) - Quem verdadeiramente se converte deseja ser batizado, porque o batismo é o selo da nossa identificação e da nossa união com Cristo. Portanto, batismo não é opção é mandamento. Significa morrer para o mundo e despojamento da natureza carnal para a ressurreição e uma nova vida com Cristo (Romanos 6.4-8).

3 - SANTIFICAÇÃO - "Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; 15pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, 16porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo" (1 Pedro 1. 14-16) - Quem verdadeiramente se converte responde positivamente ao chamado de Deus para a santificação. Não podemos crer na conversão de uma pessoa, que depois de dizer ter sido alcançada pela graça, não responde positivamente ao mandamento da santificação. Não existe eleição sem santificação, “Toda eleição é seguida de posse e toda promessa é seguida de apropriação” (1ª Tessalonicenses 4.7,8; Hebreus 12.14).

4 - ENVOLVIMENTO MINISTERIAL - "prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina" (2 Timóteo 4.2) - Todo crente é chamado para servir, ninguém recebeu chamado ou ministério de banco de igreja. A verdadeira graça nos leva a servirmos ao Senhor exercitando nossos dons que recebemos, colocando-os a serviço do Senhor. Tem crente que não assume ministério nenhum com a mesma desculpa de sempre: “Esta não é a minha praia” ( Marcos 16.15; 2 Coríntios 12).

5 - FRUTIFICAÇÃO - "Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer" (João 15.5) - Quem verdadeiramente se converte produz bons frutos. Crente estéril e crente que vive produzindo maus frutos precisam de verdadeira conversão, porque está vivendo uma vida de contradição. Ninguém pode dizer que está ligado em Cristo e mesmo assim não frutificar (Mateus 7.15-22).

6 - PERSEVERANÇA - "Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus" (Apocalipse 14.12) - Quem verdadeiramente se converte persevera na sua vocação para a qual foi chamado, não vive correndo do pau, não começa desenvolver um ministério e depois desiste, nunca desiste de orar, de meditar na palavra, de jejuar, de evangelizar, de ir a igreja. O verdadeiro crente só deixa de fazer a obra de Deus no dia em que morre. Ninguém será justificado pelo que fez no passado. O Mandamento de Deus inclui a questão da perseverança. Existem 14 textos na palavra de Deus que falam sobre perseverança (Ezequiel 18.20-27; Mateus 10.22).

Conclusão: Será que você de fato está unido com Cristo realmente ou sua vida contradiz o que a palavra de Deus diz? Será que o seu passaporte é verdadeiro ou falso? Você vê progresso na sua vida espiritual e no seu envolvimento ministerial ou regresso. Você tem um título ou uma identidade? No céu não entram títulos, rótulos nem transferência de rol de membros, mas somente aqueles que possuem a verdadeira identidade de Cristo.

Pr. Paulo Cezar Martins

Relacionados

Esboços de sermões 4808360933705179163

Postar um comentário

emo-but-icon

Popular

Recentes

Comentários

Seguidores

Siga no Facebook

Siga no Google+

item