Sansão e o Deus que Disciplina

Série Descobertas - Juízes 13-16 I. Entendendo o contexto Personagens Principais O pai de Sansão, Manoá. A mãe de Sansão, cujo nome ...

Série Descobertas - Juízes 13-16

I. Entendendo o contexto

  • Personagens Principais

    • O pai de Sansão, Manoá.

    • A mãe de Sansão, cujo nome não é revelado.

    • O Anjo de Jeová.

    • Sansão.

    • Os Filisteus: originários da Região do Egeu, no que seria hoje a costa ocidental da Turquia, banhada pelo Mar Egeu. Eles dominavam a arte da navegação e migraram para a Palestina ao redor do ano 1200 a.C.

    • Dalila, la femme fatale.

  • Data Aproximada dos Acontecimentos

    • Por volta do ano 1100 antes de Cristo

  • Na mesma época de Sansão:

    • A Grécia já estava em pleno desenvolvimento.

    • A Guerra de Tróia teria acontecido nesta época (se é que realmente esta guerra não passa de um mito).

    • O Império Egípcio estava em plena decadência.

    • Início do surgimento da civilização Olmeca, no México. Alguns estudiosos afirmam que no período de maior desenvolvimento esta civilização já usava um instrumento parecido com a bússola e criou um sistema de escrita.

  • Local dos Acontecimentos

    • Sansão nasceu a escassos 26 quilômetros ao sudoeste de Jerusalém. Os acontecimentos do livro ocorrem ao redor desta região, chegando até Gaza, cerca de 100 quilômetros ao sudoeste de Jerusalém, quase na fronteira com o Egito.

II. Sansão, um "Super-Herói" Muito Humano

O versículo 1 do capítulo 13 de Juízes diz que " Os israelitas voltaram a fazer o que o Senhor reprova, e por isso o Senhor os entregou nas mãos dos filisteus durante quarenta anos".

Com esta introdução o autor está preparando o cenário para apresentar os acontecimentos encontrados entre os capítulos 13-16 de Juízes.

Mais uma vez a história que já foi tão bem explicada nos domingos anteriores volta a se repetir: o povo de Israel desobedece à Lei do Senhor e segue outros deuses. O Senhor os castiga entregando-os nas mãos de um dos povos que habitavam na região, neste caso os Filisteus.

Deus, ao ver o sofrimento do seu povo, se apresenta a uma mulher estéril de uma pequena cidade da Palestina para comunicar as boas novas de que ela dará a luz a um filho, e este filho "iniciará a libertação de Israel das mãos dos Filisteus" (Jz. 13.5). Realmente Sansão apenas iniciou o processo de libertação pois este objetivo só foi totalmente cumprido muitos anos mais tarde sob o reinado de Davi, que era um homem conforme o coração de Deus.

O nascimento de Sansão é cercado por uma série de acontecimentos marcantes:

  • O Anjo do Senhor aparece a uma mulher.

  • Esta mulher é estéril e, a não ser que ocorresse uma intervenção divina, ela não poderia ser mãe. É justamente isto que o anjo lhe promete e, meses depois, ela se torna a mãe de Sansão.

  • No texto vemos que o anjo tinha uma "aparência impressionante" (Jz. 13.6) e que o seu nome estava "além do entendimento" (13.18), ou seja, que era maravilhoso demais para ser mencionado.

  • O menino que nasceria seria um nazireu. Durante toda sua vida seria dedicado ao Senhor e, portanto, não poderia tomar vinho nem nenhuma bebida fermentada, não poderia cortar o cabelo, nem tocar em nenhum cadáver, sob o risco de tornar-se ritualmente impuro. Estas ações externas deveriam indicar uma dedicação interior ao Senhor.

Diante de tantos acontecimentos incríveis a expectativa que certamente foi criada ao redor do novo libertador que estava por nascer era que, por ter tido o seu nascimento anunciado pelo Anjo do Senhor e por ter sido, mesmo antes do seu nascimento, separado para servir a Deus, ele seria um homem temente ao Senhor e fiel ao seu chamado.

Porém, no desenrolar da história, fica claro que, por razões por nós desconhecidas, Sansão não honrou o seu chamado e não teve uma vida santa de total dedicação ao Senhor:

  1. Ele escolheu uma mulher estrangeira para ser sua esposa, o que era expressamente proibido pela lei de Deus (Deuteronômio. 7.1-4). E porque ele fez isto? Simplesmente porque ela lhe era agradável aos olhos (14.3).

  2. Quando estava indo para a festa do seu casamento, ele tocou no cadáver de um leão que ele havia matado com suas próprias mãos. Por ser um nazireu, isto não podia ter ocorrido, pois, como já foi mencionado anteriormente, os nazireus não podiam tocar em nenhum cadáver.

  3. Em diferentes situações ele atuou por pura retaliação ou vingança. Agia impelido pelas emoções, sem se preocupar em buscar a vontade de Deus.

  4. Como resultado de suas ações intempestivas, sua esposa filisteia e seu sogro foram queimados vivos pelos próprios filisteus (15.6).

  5. Envolveu-se com uma prostituta (16.1).

  6. Apaixonou-se por uma mulher filisteia chamada Dalila e foi seduzido e traído por ela, pois os líderes filisteus prometeram a Dalila uma grande quantia de prata caso ela descobrisse qual era o segredo da força de Sansão. Era a própria "femme fatale".

Como resultado da traição de Dalila, Sansão tem suas tranças cortadas enquanto dormia, perde sua incrível força, é preso, tem seus olhos vazados e, tempos depois, quando começa a recuperar suas forças, consegue derrubar o templo onde os filisteus estavam fazendo uma festa de agradecimento ao deus Dagom, e morre juntamente com milhares deles.

III. Qual a Mensagem de Deus para a Igreja Batista do Morumbi que Emana da História de Sansão?

Importante: a história de Sansão é uma história sobre o povo de Deus e sobre uma pessoa escolhida por Deus para uma missão específica.

A. São muitas as lições que podemos tirar da história de Sansão:

Porém, enfatizarei apenas quatro delas. As três primeiras eu o farei apenas brevemente e me estenderei um pouco mais na quarta lição.

a) Possivelmente a primeira delas é a ênfase do texto sobre a realidade do mundo espiritual:

  • Vinte e cinco por cento da história que a Bíblia nos conta sobre Sansão é dedicado a um acontecimento sobrenatural: o aparecimento de um anjo e o nascimento milagroso de uma criança. Além disto, o "herói" da história é detentor de uma força sobrenatural dada por Deus.

  • O mundo em que vivemos está muito interessado em questões espirituais ou sobrenaturais, mas não necessariamente no que a Bíblia ensina sobre o mundo espiritual.

    • Na lista dos dez livros de ficção mais vendidos da Revista Veja de duas semanas atrás, encontramos nada menos do que sete livros cujo tema central está relacionado com o mundo espiritual ou sobrenatural:

  • A Cabana, que conta a história de um homem que recebeu um bilhete de Deus e, a partir deste momento, vive uma incrível experiência espiritual.

  • O Aleph, de Paulo Coelho, onde o autor revela como uma grave crise de fé o levou a sair à procura de um caminho de renovação e crescimento espiritual.

  • O Símbolo Perdido, de Dan Brown, em que um dos personagens acredita que os fundadores de Washington, capital dos Estados Unidos, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse.

  • A breve segunda vida de Bree Tanner (que narra a história de uma vampira).

  • A Batalha do Apocalipse, cujo subtítulo é "Da queda dos anjos ao crepúsculo do mundo"

  • Reunião Sombria - Diários do Vampiro 4, em que Elena, uma das personagens, flutua em um misterioso limbo espiritual após se sacrificar para derrotar Katherine e salvar Stefan.

  • Lua Azul - Os Imortais. Ever, que se tornou uma imortal, viaja até a dimensão mística de Summerland, onde não apenas toma conhecimento da misteriosa história de Damen, mas também tem acesso aos segredos que regem o Tempo.

  • Anjos existem. De acordo com Hebreus 1.14, eles são "espíritos que servem a Deus, os quais ele envia para ajudar os que vão receber a salvação".

  • Demônios existem. É quase impossível passar duas páginas dos evangelhos sem encontrarmos alguma situação em que Jesus ou os discípulos entram em conflito com eles.

  • Fenômenos sobrenaturais existem ainda hoje, da mesma maneira que a força de Sansão era sobrenatural.

  • Sim, entremos no mundo espiritual! Indaguemos acerca do sobrenatural!

  • Mas, façamos isto guiados pelo Espírito Santo, à medida que nos enfronhamos na Palavra de Deus, que é a Bíblia, para que não sejamos enganados por mentiras e manipulações.

b) Uma palavra para os pais de filhos ou filhas que foram criados no Evangelho, mas que escolheram outros caminhos.

O texto mostra que os pais de Sansão eram tementes a Deus, inclusive preocupados com a forma em que o menino deveria ser criado. Num determinado ponto da conversa com o anjo, o pai de Sansão pergunta: "Como devemos criar o menino?" (Juízes 13.8,12). Porém, isto não era garantia de que o filho, quando crescesse, seguiria o caminho ensinado pelos pais. Não restava aos pais outra atitude a não ser entregar o filho nas mãos do Senhor, crendo na Sua soberania e nos seus propósitos.

c) Ligações Perigosas; combinação fatal

Sansão tinha sido um homem que usava as mulheres, motivado pela paixão sensual. Juízes 16.4 diz que Sansão "se apaixonou por Dalila". Porém, em Dalila ele encontrou uma mulher que pagou com a mesma moeda, pois ela usava os homens. Sansão queria sexo; Dalila queria dinheiro e estava disposta a usar o sexo como arma para atingir seus objetivos.

O valor que cada líder filisteu ofereceu a Dalila para que ela conseguisse descobrir o segredo da força de Sansão era de 1100 siclos (ou 13 quilos) de prata. Como eram cinco líderes (responsáveis por cada uma das cinco capitais regionais dos filisteus), o que lhe estava sendo oferecido equivalia a 5500 siclos de prata, ou seja, 550 vezes o salário anual de um trabalhador braçal daquela época. Se tomarmos como base o salário mínimo brasileiro, isto significa que, em valores de hoje, estavam oferecendo cerca de três milhões de reais para que Dalila traísse o homem que era seu amante.

Dalila tinha um preço: três milhões de reais.

Será que nós temos um preço? Será que estamos dispostos a empenhar nossos valores e convicções no altar do sexo, poder e dinheiro?

Sexo, poder e dinheiro: esta combinação continua sendo tão fatal hoje como há três mil anos, no tempo de Sansão e Dalila.

d) A presença de Deus

Na trágica história de Sansão chega o momento em que ele finalmente confessa a Dalila o motivo da sua incrível força:

Juízes 16. 15-16 - Então ela lhe disse: "Como você pode dizer que me ama, se não confia em mim? Esta é a terceira vez que você me fez de boba e não contou o segredo da sua grande força". Importunando-o o tempo todo, ela o cansava dia após dia, ficando ele a ponto de morrer.

16.17 - Por isso ele lhe contou o segredo: "Jamais se passou navalha em minha cabeça", disse ele, "pois sou nazireu, desde o ventre materno. Se fosse rapado o cabelo da minha cabeça, a minha força se afastaria de mim, e eu ficaria tão fraco quanto qualquer outro homem.

Como resultado desta confissão, Dalila chama os filisteus, faz com que ele durma no seu colo e, enquanto ele dormia, seus cabelos foram cortados.

Neste ponto chegamos ao momento mais fatídico da história de Sansão. Não simplesmente porque ele perdeu sua força, mas porque quando ele acorda repentinamente com os gritos de Dalila e pensa que se livraria facilmente dos filisteus, vemos no finalzinho do versículo 20 do capítulo 16 que:

Juízes 16.20: ... (Sansão) não sabia que o Senhor o tinha deixado

  • O homem cujo nascimento havia sido anunciado, nada mais, nada menos do que pelo próprio Anjo do Senhor.

  • O homem que desde o ventre da sua mãe havia sido separado por Deus para a especial missão de libertar o seu povo.

  • O homem que tinha crescido num lar cujos pais temiam a Deus.

Tanta fez que encontrou-se na situação em que Deus o havia deixado.

Em Juízes 17.6 vemos uma informação muito importante:

Naquela época não havia rei em Israel; cada um fazia o que lhe parecia certo.

Deus havia escolhido Sansão para viver uma vida santa. Sansão se deixou influenciar e escolheu viver da mesma maneira que os que estavam ao seu redor, fazendo aquilo que a ele lhe parecia certo.

A consequência? O Senhor o deixou.

Talvez Sansão tinha a mesma atitude que Agostinho antes de sua conversão, que orava, "Senhor, faça-me santo, mas não agora!"

Rubem Amorese, em um de seus livros, afirma que quando os Israelitas entraram na terra prometida

Havia o perigo de que passassem a viver como cananeus; sentir como cananeus, adotar os valores e ideais da terra; e a seguir os deuses dos povos ao seu redor. Se isso acontecesse, deixariam, simplesmente, de ser povo de Deus.

É minha convicção que nós, como Corpo de Cristo reunidos aqui na Igreja Batista do Morumbi, corremos o mesmo risco. Permitam-me explicar porque estou dizendo isto:

  • O tripé sobre o qual a sociedade contemporânea se sustenta:

    • Pluralismo:

      • Há uma multiplicidade de opções, tanto em questões materiais, como nos aspectos éticos e morais.

      • "Horizontalização do peso das opções" (Amorese). Não importa a escolha que você faça, pois todas elas são iguais.

    • "Privatização"

      • "Cada um na sua. Trata-se de dizer que se você fez tal ou qual escolha, ninguém tem nada com isso". (Amorese)

      • Há uma "cristalização da importância do privado como a única esfera da liberdade e da realização individual". (Amorese)

    • Secularismo

      • Convicções religiosas não entram na pauta da discussão sobre o aborto, pena de morte, ecologia e eutanásia.

Segundo Newbigin, um teólogo inglês, isto leva a uma ausência de consenso sobre um número cada vez maior de temas.

Consequentemente, chegamos à uma situação muito parecida à situação vivida pelo povo de Israel: cada cabeça uma sentença.

E hoje nós, como povo de Deus, estamos numa situação parecida. Estamos, em alguns aspectos, vivendo como aqueles que estão ao nosso redor. Estamos sendo absorvidos por seus valores e princípios.

E isto faz com que quando, na igreja, se fala de absolutos, haja estranheza. Quando nos posicionamos em relação ao divórcio, ao sexo fora do casamento, ao homossexualismo, à sonegação de imposto, ao aborto, à eutanásia, etc., alguns nos olham como se fossemos de outro planeta.

"Como no tempo de Sansão e de Eli, há um afrouxamento dos padrões, por falta de zelo com a Palavra de Deus". (Amorese)

Qual pode ser a consequência de tudo isto na minha vida? Pode acontecer como na vida de Sansão: o Senhor se afastou dele, pois o Senhor é um Deus que disciplina.

Não estou falando da perda da salvação. Estou falando da perda da benção de Deus sobre nossas vidas. Estou falando de apagarmos o Espírito (1 Tessalonicenses 5.19) como resultado de uma vida que desagrada a Deus.

Em 1 Samuel 4.21-22, ainda na época em que cada um fazia o que lhe parecia certo, vemos que "a glória (ou seja, a presença de Deus) se foi de Israel".

Em Apocalipse 2.5 lemos uma advertência muito severa da parte de Deus para a igreja em Éfeso:

5 Lembre-se de onde caiu! Arrependa-se e pratique as obras que praticava no princípio. Se não se arrepender, virei a você e tirarei o seu candelabro do lugar dele.

    • No caso de Sansão, um homem escolhido por Deus, vemos que o Senhor o deixou (e, insisto, não estou falando de perda da salvação, mas sim da perda da unção de Deus).

    • No caso de Israel, o povo escolhido de Deus, vemos que a presença de Deus se foi de Israel.

    • No caso da igreja em Éfeso, haveria consequências caso não houvesse arrependimento, e o candelabro, a luz, seria retirado daquele lugar.

Arrependimento

"Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra." (2 Crônicas 7.14)

Pr. Marcos Amado

Relacionados

Pregação 3650463237519550106

Postar um comentário

emo-but-icon

Mais

Recentes

Comentários

Seguidores

Siga no Facebook

Siga no Google+

item