O Deus das impossibilidades

Texto: II Reis 6:8-23

Durante a Segunda Guerra Mundial, um oficial ensinou aos seus soldados o que fazer para não ser atingido na guerra. Ele mostrou caindo ao chão como eles deveriam se rastejar a fim de não serem atingidos pelo fogo inimigo. Concluindo ele disse: “Se vocês avançarem de joelhos, vocês sempre permanecerão seguros”.

O profeta Eliseu enfrentou uma grave crise: Ele estava cercado por um exército que pretendia levá-lo cativo para a Síria. Em um dia como outro qualquer, o servo de Eliseu ao sair bem cedo de sua casa, olhou e viu uma forte horda de soldados com cavalos e carros. Então ele correu e clamou ao profeta: “Ai! Meu senhor! Que faremos?”

 

Provavelmente você jamais ao levantar bem cedo e sair de sua casa tenha enfrentado um exército de bárbaros armados no jardim da frente esperando para acabar com você. Mas todos nós já enfrentamos problemas inesperados, que fogem ao nosso controle e que ameaçam a nossa vida. E muitas vezes sentimos o mesmo medo que teve o servo de Eliseu, “o que fazer?”

1. Em Deus nós encontramos todos os recursos na hora da prova.

A grandeza do conhecimento de Deus, o Seu poder e soberania dominam essa história. É interessante que de todos os personagens mencionados nesta história, somente o profeta Eliseu é mencionado pelo nome, nem os reis da Síria ou de Israel, nem mesmo o servo de Eliseu. Além disso, é importante destacar que Mesmo Eliseu é chamado três vezes de “o homem de Deus” (6.9, 10, 15). Isso significa que todos os leitores devem centrar-se no Senhor e o seu profeta (Thomas Constable, The Bible Knowledge Commentary [Victor Books], 1.549). Quando olhamos para Deus, nós aprendemos três lições preciosas para lidar com nossos problemas:

 

A. O nosso Deus é Onisciente.

O Senhor Deus conhece todas as coisas e possui toda a sabedoria. Deus sabia o que o rei sírio, Ben-Hadade II, estava planejando e revelou a Eliseu, que, por sua vez, disse ao rei de Israel, Jeorão.[1]

O rei sírio equivocadamente pensou que alguém de seu palácio era um impostor. Ele imaginou que alguém o estava traindo enviando informações sobre o seu plano para o rei de Israel. Mas, os servos de Ben-Hadad, o departamento de investigação da Síria disseram ao rei: “Ninguém, ó rei, meu senhor; mas o profeta Eliseu, que está em Israel, faz saber ao rei de Israel as palavras que falas na tua câmara de dormir”. O que o rei da Síria não sabia, Era que o Altíssimo conhece todos os pensamentos e os motivos de cada coração humano! Nada está oculto aos olhos de Deus (Hb 4.13).

 

Diante disto o rei Bem-Hadad enviou tropas para capturar o profeta Eliseu. A fúria do rei era tanta que a a sua raiva não permitiu que ele raciocinasse direito. Ora, se o profeta era capaz de saber tudo o que se passava no palácio real, também saberia que a tropa se aproximava de sua casa e assim poderia fugir com toda tranqüilidade. No entanto, o profeta não fugiu, Eliseu poderia ter se escondido, mas ele sabia que Deus queria resolver este problema de uma forma a ensinar o rei da Síria, e o rei de Israel algumas lições sobre a realidade do Deus vivo.

 

Se existe algo que esquecemos com freqüência é que o nosso Deus conhece tudo. Nós somos tolos quando pensamos que podemos esconder alguma coisa dele. Ele conhece todos os nossos pensamentos, palavras e ações, até mesmo os desejos mais secretos. 

O profeta Jeremias escreveu:

23 Acaso, sou Deus apenas de perto, diz o Senhor, e não também de longe? s

24 Ocultar-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu não o veja? — diz o Senhor; porventura, não encho eu os céus e a terra? t  — diz o Senhor.[2]

O profeta Daniel ao receber o sonho e interpretação de Deus declarou a Nabucodonosor:

20 Disse Daniel: Seja bendito o nome de Deus, de eternidade a eternidade, porque dele é a sabedoria e o poder; g

21 é ele quem muda o tempo e as estações, remove reis e estabelece reis; ele dá sabedoria aos sábios e entendimento aos inteligentes.

22 Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz. h

Mathew Hanry estava certo quando escreveu: “Nenhum ato, palavra ou pensamento, por qualquer pessoa, em qualquer lugar, a qualquer momento, está fora do alcance de conhecimento de Deus”.[3]

 

B. Nosso Deus é Onipotente.

O Altíssimo não apenas conhece todos os nossos problemas, mas Ele também tem poder limitado para lidar com todos eles, até mesmos aqueles que aos nossos olhos parecem insolúveis.

Mas, certamente o seu problema não é tão como o problema do profeta Eliseu. Você certamente não tem nenhum exército cercando a sua casa. Todavia, se esse fosse a sua grande dificuldade hoje, você certamente se lembraria das palavras do rei Davi: “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem e os livra” (Sl 34.7). Ou o Salmo 27, onde está escrito: “Ainda que um exército se acampe contra mim, não se atemorizará o meu coração; e, se estourar contra mim a guerra, ainda assim terei confiança” (Sl 27.3). 

 

Não era grande coisa para Deus para atacar todos esses homens cegos resposta a uma simples oração de Eliseu. Não há nenhum homem ou nação tão poderosa, que Deus não possa facilmente vencê-la.

Isso significa que Deus é capaz de lidar com qualquer problema que você tenha, não importa quão grande seja para você. Certa feita, uma mulher perguntou ao professor e Pastor, G. Campbell Morgan: “Dr. Morgan, você acha que nós devemos orar sobre coisas pequenas, ou apenas sobre os grandes problemas?” Ele respondeu: “Senhora, por acaso existe alguma coisa grande demais para Deus?” Nosso Deus é onisciente e onipotente. Ele falou e o universo veio à existência. Nada é demasiadamente difícil para Ele (Jr 32.17, 27)!

Você pode estar pensando: “Isso é bom, mas isso não funciona em minha vida da mesma forma que funcionou na vida do profeta Eliseu. Se eu pudesse proferir uma pequena oração e todos os meus problemas fossem resolvidos de imediato, assim como esses soldados ficaram cegos! Isso nos leva à terceira lição relativa ao nosso Deus:

 

C. Nosso Deus soberanamente protege os Seus filhos de acordo com a Sua vontade.

Se nós pertencemos a Deus, podemos confiar nEle para nos proteger. No Salmo 91.11 encontramos uma maravilhosa promessa, “Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos”. O Senhor é mais forte que o inimigo mais poderoso que podemos conceber. Ele está nos protegendo, mesmo quando não estamos conscientes disso.

 

Durante aquela noite, o servo de Eliseu dormiu pacificamente, não sabendo que o exército da Síria estava acampado ao seu redor. Ao vê-los pela manhã, ele entrou em pânico. Mas a proteção de Deus estava lá, mesmo quando não conseguimos enxergá-la.

 

Mas talvez você ainda esteja pensando: “Isso é ótimo quando tudo funciona tão bem como aconteceu com Eliseu. Mas o que acontece quando o povo de Deus passa por provações terríveis e até mesmo a morte? Alguns santos sofrem durante anos ou morrem através de doença grave ou perseguição. Onde está à proteção de Deus em tudo isso?”

 

O Senhor nos concede uma pista em um pequeno detalhe do texto que facilmente passa despercebida. No verso 13, está registrado onde o profeta Eliseu estava em Dotã (6.13). Parece mais do que uma simples coincidência que esta cidade é mencionada apenas mais uma vez na Bíblia. Era a cidade onde José encontrou os seus irmãos, quando seu pai o enviou para descobrir o que eles estavam fazendo (Gn 37.17). José não conseguiu encontrá-los e estava andando em um campo quando um homem lhe disse que eles tinham ido para Dotã. Quando José chegou lá seus irmãos o jogaram em um poço e estavam prestes a matá-lo, quando uma caravana passou indo para o Egito, os seus próprios irmãos tiveram a capacidade de vendê-lo como escravo.

 

Você conhece a história, em seguida, depois de muitos anos como escravo e prisioneiro, Deus finalmente permitiu que José assumisse o trono, tornando-se depois de Faraó, a pessoa mais importante do Egito.

Enquanto estava no poço em Dotã ou quando viajou para como escravo Egito ou quando foi lançado na prisão egípcia, José nunca teve uma visão de carros de fogo ao redor dele. Onde estavam os anjos e carros, quando José estava sofrendo? José mais tarde, olhou para os anos de provações e disse a seus irmãos: “Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida” (Gn 50.20). Mesmo não conseguindo enxergar qualquer anjo durante os anos de agonia, José sabia que Deus estava soberanamente direcionando todas as suas circunstâncias.

 

Mesmo que eu ou você nunca tenhamos uma visão de anjos de Deus que nos cercam, eles estão lá! Mesmo que você passe anos sofrendo em uma prisão, nosso soberano, onisciente, onipotente não abandona você. 

Quer enfrentemos a fornalha de fogo (1Pe 1.6-8; 4.12-19) ou o leão que ruge (1Pe 5.8-10), estamos sob os cuidados do Senhor, e ele cumprirá seus propósitos divinos para sua glória. “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (1Pe 5.7).

 

Stuart Olyott estava certo quando disse que, quão confortante é saber que nenhum poder do mal pode levantar-se sem o seu expresso decreto! Quão consolador é estar ciente de que Ele, que governa a história, garante que, por fim, seu Filho triunfará sobre todo governo e autoridade humana e que toda demonstração do mal será destruída! Que tolice é lutar contra este Deus! No entanto, que sabedoria é andar com Ele! [4] “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Rm 8.31).

 

Mas, como não entrar em pânico quando as provações nos atacam?

2. A oração é o caminho para a paz, não entre em pânico quando as provações surgirem.

A oração é o nosso meio de acesso ao nosso Salvador todo-suficiente. Como Paulo escreve no cárcere (Fp 4.6-7), “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” (Fp 4.6-7).

 

Grandes provações podem bater a nossa porta de repente! O servo de Eliseu foi para a cama pacificamente, sem nenhum pensamento de ser cercado por um exército ameaçador na manhã seguinte. Ele acordou, viu o exército e, sem dúvida pensou: “Eu posso morrer hoje!” A vida é cheia de incertezas! Aliás, a única certeza que temos é que um dia vamos enfrentar a morte ou o juízo do Eterno. Há uma série de maneira que nós poderíamos estar mortos antes de hoje é excesso de um ataque terrorista, um grande terremoto, um incêndio, um acidente na rodovia, a ruptura de um vaso sanguíneo no cérebro, etc. A vida é frágil!

 

É por isso que é tolice viver somente para esta vida, como se não houvesse eternidade. A incerteza da vida deveria nos fazer viver cada dia na dependência de Deus (1Co 2.9). Nesse texto, podemos aprender sublimes lições a respeito da oração.

 

A. A Oração substitui o medo ao lidar com os problemas.

Há um contraste evidente entre o medo do servo de Eliseu e a tranqüilidade do profeta. A diferença é evidente porque a vida de Eliseu é governada por sua comunhão com Deus. Embora o texto não mostre claramente, obviamente, foi através da oração que o profeta Eliseu tenha recebido o conhecimento sobrenatural do plano de ataque do exército da Síria.

 

Eliseu sabia que através da oração que Deus quis tratar de forma diferente com este exército estrangeiro. O rei da Síria já tinha visto a prova da realidade de Israel quando o general Naamã foi curado (2Reis 5.1-14). O perverso rei de Israel, Jeorão, filho de Acabe, também deveria saber que somente o Senhor é o verdadeiro Deus. Através do gracioso tratamento de Eliseu com os soldados, ambos os reis e os dois exércitos receberam mais uma prova da bondade e do poder de Deus.

 

Deus pode ou não conceder-nos uma visão milagrosa e poder, como fez aqui com Eliseu. Mas, se somos pessoas de oração e comunhão com Ele através de Sua Palavra, receberemos uma sabedoria incomum para lidar com as provações quando elas surgirem.

 

Mas há duas advertências que precisamos levar a sério. 

 

Primeiro, o tempo para obter tal sabedoria é antes das provações chegarem. Provérbios 1.20-33 diz que se não atentarmos para adquirir a sabedoria em tempos calmos, não vamos tê-lo quando uma calamidade.

 

A segunda advertência é que temos que agir de acordo com o que sabemos.Eliseu avisou o rei israelita de onde a Síria atacaria. Se o rei não tivesse dado seguimento a essa aviso, ele não teria ajudado. A Palavra de Deus nos adverte onde o nosso inimigo vai atacar. Ele nos adverte das consequências do pecado. Mas não teremos nenhum lucro se não obedecermos aos avisos. É como se os muitos avisos que ouvimos sobre os perigos de fumar, de comer muita gordura, ou de não dirigir em alta velocidade ou praticar esportes. Estes avisos só ajudam se os praticarmos. Se vamos aprender as advertências da Palavra de Deus e obedecer-lhes, em comunhão diária com Ele através da oração, então teremos a Sua sabedoria para lidar com as provações, e o pânico será substituído com a Sua paz celestial.

 

B. A oração abre os nossos olhos para a realidade espiritual.

A maioria de nós determina a realidade por nossos sentidos físicos. Se nós podemos ver, ouvir, sentir, cheirar ou provar isso, ele deve ser real. Tenho certeza de que, para o servo de Eliseu, a realidade era milhares de soldados, montados em poderosos cavalos de guerra, que poderia acabar com toda a cidade de Dotã antes do anoitecer. Mas para Eliseu, aquela não era a realidade. Para ele, a realidade era o maior e mais poderoso exército de anjos mesmo que cercam a cidade. Esses anjos estavam lá o tempo todo. O problema era que, o servo de Eliseu não tinha os olhos para vê-los. A oração de Eliseu abriu os olhos para ver a realidade espiritual. E a realidade espiritual é a realidade última, prevalecendo sobre a realidade do que nós percebemos com nossos sentidos físicos.

 

O apóstolo Paulo sabia como ver o invisível. Ele sofreu perseguição terrível em nome do evangelho, mas ele foi capaz de escrever que a aflição momentânea não era a coisa real. A única coisa real era a glória eterna que lhe aguardava no céu (1Co 4.16-18)!

 

Ele também disse que a nossa luta não é contra carne e sangue. Relembre, ele estava acorrentado a um guarda romano muito real quando escreveu isso! Mas, segundo ele, essa não é a nossa luta. Nossa luta real é contra as forças do mal e suas potestades invisíveis das trevas. E a maneira como combater estas forças é através da oração (Efésios 6.10-20). A oração abre nossos olhos para a realidade espiritual e nos conecta com o Deus que nos concede grandes vitórias.

 

O “Global Prayer Digest” (9/91) contou sobre um médico missionário na África, que pregava na sua igreja, em Michigan. Ele contou sobre como ele muitas vezes teve que viajar de bicicleta, para selva para uma cidade próxima de suprimentos. Era uma viagem de dois dias que necessário acampar à noite no meio do caminho. Quando chegou a cidade, ele ia ao banco, pegava o dinheiro e comprava remédios e suprimentos para voltar. Em uma dessas viagens, ele viu dois homens lutando. Um ficou gravemente ferido, por isso o missionário tratou de suas feridas e testemunhou a ele a respeito de Cristo.

 

Ele voltou para casa sem nenhum incidente. Em sua próxima viagem para a cidade, o homem que ele tinha tratado foi até ele e disse que sabia que o missionário estava levando dinheiro e suprimentos. Este homem e alguns amigos haviam seguido até a selva, planejando matá-lo e pegar o dinheiro e os remédios. Mas quando eles estavam prontos para entrar em seu acampamento, viram que ele estava cercado por 26 seguranças armados.

 

Quando o missionário ouviu isto, ele riu e disse que ele estava sozinho naquele acampamento na selva. Mas o homem insistiu, “Não, não só eu, mas também meus cinco amigos viram e contamos os 26 guardas. Por causa deles nós ficamos com medo e deixamos você sozinho”.

 

Neste momento na igreja em Michigan, onde o missionário contava a história, um homem levantou e perguntou: “Você pode me dizer o dia exato isso aconteceu?” O missionário pensou por um momento e foi capaz de dar a data exata. O homem na Igreja continuou, “Quando é noite na África, é manhã aqui”.

Naquela manhã eu estava me preparando para ir jogar golfe. Quando eu estava colocando o meu saco de golfe em meu carro, senti que o Senhor me levou a orar por você. Esta insistência foi tão forte que eu chamei os homens da igreja para oramos por você. Por favor, poderiam os homens que se reuniram comigo naquele dia, ficarem em pé?”Todos juntos, 26 homens estavam de pé!

 

Quando Elias pediu para morrer, Deus declarou que havia 7.00 joelhos que não haviam se dobrado a Baal (1Rs 19.18).

Quando João estava sofrendo na ilha de Patmos, o Senhor lhe concedeu o privilégio de ver o trono de Deus e contemplar milhares de milhares de miríades de seres angelicais e um Coral celestial (Ap 4 e 5).

A oração abre nossos olhos para a realidade espiritual e nos conecta com o Deus de vitórias.

 

C. A Oração torna possível o que é humanamente impossível.

Abrir os olhos do servo para ver os anjos e mais tarde fechar e abrir os olhos dos soldados, isso era humanamente impossível. A oração de Eliseu não era para o seu servo fazer o que ele já poderia fazer ou usar alguma habilidade que ele já possuía. Sua oração era para Deus fazer algo humanamente impossível, para abrir os olhos, que viam os soldados perfeitamente bem, para que ele pudesse ver as forças angélicas que o protegia.

 

Estes soldados sírios tinham um trabalho fácil para fazer: “Prender um homem desarmado, um único homem em cativeiro? Sem problema! Nós podemos fazer isso!” Mas, através de uma oração, esses homens orgulhosos foram humilhados, em seguida, em resposta a outra pequena oração de Eliseu, eles perceberam que estavam em apuros!

 

Da mesma maneira, mesmo que nós não podemos vê-los com nossos olhos naturais, podemos descansar na confiança de que o Senhor dos Exércitos está sempre olhando por nós e Ele tem um exército invisível na Sua vontade para enviar onde Ele quiser.

Através do profeta Eliseu, fica evidente que:

1. O SENHOR está conosco. (v. 16, 17).

2. O SENHOR nos ouve. (v. 18-20). Orou Elizeu ao SENHOR...

3. O SENHOR tem todo o poder (v. 21-23)

Talvez hoje seja o dia quando o Mestre responderá o seu clamor. Talvez hoje seja o dia em que o Eterno vai realizar aquilo que é humanamente impossível. Você pode até dizer, “você não entende como é grande o meu problema”. É verdade, eu não sei, mas Deus sabe! Mas, olhe para as Sagradas Escrituras e pense por alguns momentos no que Deus pode fazer por você.

 

· Olhe para Jairo. Olhe para a sua aflição e a sua angústia. Mas também olhe para a sua felicidade ao ver a sua filha viva novavemte em seus braços. Jesus a ressuscitou.

 

· Olhe, para os discípulos, num barco, numa tempestade, no meio do lago, na quarta vigília da noite. Eles pensavam que iriam morrer, mas o verdadeiro milagre não foi o livramento que eles experimentaram, mas, o grande milagre, foi o fato de que durante todo o tempo os olhos do Senhor estavam sobre eles.

· Olhe, para o general Naamã e maneira como ele foi curado.

· Olhe, para a viúva, que viu o seu azeite transbordar;

· Olhe, para Jesus. Que foi pendurado numa cruz e em seguida lançado no túmulo. Mas, ao terceiro dia, Ele ressuscitou! O túmulo está vazio! Ele vive! Ele reina!

 

Se o Senhor pôde fazer estas coisas. Se esses milagres são amostras do que ele que Ele pode fazer, então seguramente Ele pode responder suas orações! Seguramente, Ele pode salvar a pessoa que você tanto ama. Seguramente, Ele pode salvar a sua alma. Seguramente, Ele pode restaurar a sua família.

 

Seguramente, Ele pode devolver a alegria ao seu lar. Seguramente, Ele pode enxugar as suas lágrimas e colocar nos seus lábios um novo cântico. Seguramente, Ele pode fazer isso!

Conclusão:

O fundador do ministério Missão para o Interior da China, Hudson Taylor, costumava pendurar em sua casa uma placa com duas palavras em hebraico: “Ebenézer” e “Jeová-Jiré”, que significam, respectivamente “Até aqui nos ajudou o SENHOR”, 1Sm 7.12 e “o SENHOR proverá” (Gn 22.14). Quer olhasse para o passado, quer para o futuro, Hudson Taylor sabia que o Senhor estava trabalhando, portanto ele não tinha nada a temer.

 

Durante um tempo, especialmente nos trabalhos da Missão para o Interior da China, Hudson Taylor escreveu a sua esposa: “Temos 25 centavos - e todas as promessas de Deus!”[5]

Hudson Taylor estava certo, a promessa de Deus é a certeza de que não importa o que nos aconteça, nunca estaremos sozinhos.

A presença de Deus – “Eu nunca te deixarei...” (Hb 13.5)

A proteção de Deus – “Não Temas, Eu sou o teu escudo...” (Gênesis 15.1)

O poder de Deus – “Eu te fortaleço” (Isaías 41.10)

O descanso de Deus – “Vinde a Mim...” (Mateus 11.28)

A fidelidade de Deus – “Guardemos firmes a confissão...” (Hb 10.23; Dt 7.9)

Com freqüência devemos suplicar a Deus para que abra os nossos olhos para que possamos ver a grandeza do Seu poder disponível a nós. Mattew Henry disse que, quanto mais clara for a nossa visão da soberania e do poder do céu menor será nosso temor diante das calamidades desta terra.[6]

Que Deus abra os seus olhos para as respostas que você está procurando. Que Deus abra os seus olhos para enxergar o invisível. Que o Eterno grave essas palavras em seu coração: Não temas, porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles” (2Rs 6.16).

 

Rev. Jocarli A. G. Junior

 

[1] Quinto rei de Judá, que reinou 8 anos (848-841 a.C.) depois de Josafá, seu pai (1Rs 22.51). Andou no caminho da idolatria, levado pela sua mulher, filha de Acabe (2Rs 8.16-24). Por isso teve morte horrível (2Cr 21). Kaschel, Werner ;   Zimmer, Rudi: Dicionário Da Bíblia De Almeida 2ª Ed. Sociedade Bíblica do Brasil, 1999; 2005

s s 23.23 Sou Deus apenas de perto... longe?: O Senhor não é um deus local, limitado a uma pequena região, mas está presente e age sempre em todas as partes (cf. Is 40.28; 41.4).

t t 23.24 Sl 139.7-12.

[2]Sociedade Bíblica do Brasil: Bíblia De Estudo Almeida Revista E Atualizada. Sociedade Bíblica do Brasil, 1999; 2005, S. Jr 23:24

g g 2.20 Jó 12.13; Pv 2.6.

h h 2.22 Jó 12.22; Sl 139.11-12.

[3] Henry, Matthew: Matthew Henry's Commentary on the Whole Bible : Complete and Unabridged in One Volume. Peabody : Hendrickson, 1996, c1991, S. 2Rs 6:8

[4] OLYOTT, Stuart. Ouse ser Firme. São José dos Campos: Editora Fiel, 1996, p. 125.

[5] W. Wiersbe, Wycliffe Manual de Pregação e Pregadores , p. 242.

[6] Henry, Matthew: Matthew Henry's Commentary on the Whole Bible : Complete and Unabridged in One Volume. Peabody : Hendrickson, 1996, c1991, S. 2Rs 6:13


Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!
Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

O Deus das impossibilidades Reviewed by Esboços de sermões on 1/30/2013 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!

All Rights Reserved by Esboços de sermões © 2014 - 2016
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.