Porque alguns pais falham?

Introdução:

1. Deus enviou o jovem profeta Samuel com a seguinte mensagem para Eli:

2. "... honras a teus filhos mais do que a Mim..." I Sam. 2:29 B J.

3. E a seguir ele acrescentou: "... Eu condeno a sua casa para sempre, porque ele sabia que os seus filhos ofendiam a Deus e não os repreendeu"... I Sam. 3:13 B.J.

4. Alguns homens nascem para liderar...

5. Isto faz parte da própria natureza deles, e com frequência lideram instintivamente...

6. Existem outros para quem a liderança nunca acontece naturalmente...

7. Eles se afastam dela; ou, se tentam exercê-la, falham completamente...

8. Faltam-lhes os dons que os capacitariam para liderar a outros.

9. A liderança é sempre uma luta, um esforço enorme para eles.

10. Na vida profissional os homens podem escolher, ou são escolhidos em situações que devem atuar como líderes ou chefes.

11. Na vida familiar temos uma situação incomum e muito séria.

12. Cada pai tem que liderar, tem que educar, quer ele seja ou não apto para fazê-lo.

13. O fato dele não ser apto não o isenta desta responsabilidade.

14. As terríveis consequências de sua falha na educação ainda tem um efeito sobre ele e seus filhos.

15. O fraco e velho Eli era fiel à causa de Deus e estava pronto para morrer pela arca sagrada, mas era infiel em cumprir seu dever como pai.

16. Ele falhou em repreender seus filhos.

17. Estudemos as causas, as consequências e a cura para esta falha paterna...

I. Causas da falha paterna.

A. Temos dito que uma das razões para a falha dos pais na educação dos filhos é a falta de habilidade natural.

1. Contudo, isto nunca é tão absoluto que o esforço determinado não possa remediar esta fraqueza, ou que a graça de Deus não possa mudá-la.

2. Devemos, portanto, buscar outras causas.

B. A principal causa da falha paterna é a falta de autodisciplina.

1. Um cristão não deve perguntar se uma tarefa é fácil ou natural, se ele gosta, ou se ela parece possível.

2. Sua pergunta deve ser:

a. Qual é o meu dever?.

b. O que Deus tem ordenado?

3. Há um maravilhoso fortalecimento, mesmo para o caráter mais fraco, quando ocorre uma entrega de coração, para a realização da vontade de Deus.

4. O temor de ofender o Pai Celestial, o desejo de agradá-Lo, a segurança de Sua força para ajudar nossa fraqueza deve ocupar nosso coração.

a. Tais pensamentos ativam as energias da alma.

5. Nada é tão revigorante como o esforço de coração para obedecer.

6. Muitos pais cristãos não compreendem e não são ensinados pela igreja, que liderar bem o lar é um simples assunto de dever.

7. Pelo fato de muitos pais não reconhecerem isto como um mandamento dado por Deus que deve ser obedecido, muitas crianças são arruinadas e se tornam possuidoras de um caráter empobrecido, aviltado.

8. Não repreender a criança é desonrar a Deus, honrando a criança acima dEle.

9. Esta fraqueza é erradamente chamada de amabilidade, porque ela não pode suportar repreender, restringir ou punir uma criança.

a. Muitos pais cometem este grande erro.

b. Julgam que conhecem um meio melhor para educar os filhos do que aquele que Deus deu em Sua Palavra.

c. Alimentam neles tendências más, e insistem na desculpa: "São muito novos para serem castigados".

d. "Esperamos que fiquem mais velhos e possamos entender-nos com eles."

e. Assim os maus hábitos são deixados a se fortalecerem até que se tornam uma segunda natureza.

f. E então, quando as crianças, passam da idade de serem castigadas, ficam muito sabidas para serem doutrinadas.

C. Outra causa da fraqueza paterna é a indolência.

1. Muitos pais não se dão o trabalho de governar e guiar seus sentimentos pela Palavra de Deus.

2. Eles recusam-se a sentir a dor que a punição da criança lhes causa.

3. O pai indolente não compreende que está escolhendo a dor maior de ver seu filho vivendo de modo desenfreado, vivendo longe de Deus.

4. Nenhuma graça da vida cristã é obtida sem sacrifício.

5. A tarefa de influenciar e formar outros corações para Deus necessita de um sacrifício próprio especial.

6. Como toda tarefa difícil, a arte de educar necessita de propósito, atenção e perseverança.

D. A maior causa para a falha paterna é um problema espiritual.

1. É a falta de verdadeira devoção a Deus.

2. Deus é o grande líder e educador, portanto a autoridade paterna é ordenada por Ele.

3. O pai que não vive os mandamentos de Deus em sua própria vida não tem o segredo da autoridade e liderança sobre os filhos.

4. O temor de Deus é o princípio da sabedoria.

a. E isto se aplica plenamente na tarefa de educar os filhos.

5. A falha na piedade pessoal é a raiz da falha paterna.

II. Consequências da falha paterna.

A. Há um elemento na lei das consequências que é especialmente sério e espantoso; ele é o seguinte:

1. As consequências não são experimentadas até que seja tarde demais para corrigí-las.

2. Nossas ações são sementes.

3. Ninguém que olha para uma pequena semente poderia imaginar que uma grande árvore ou que um fruto amargo poderia vir dela.

a. Contudo, a árvore já está na semente.

4. As consequências, quando são vistas naqueles que nos rodeiam, dificilmente nos afetam.

5. O pai desavisado gaba-se com a doce e tola esperança que, em seu caso, o resultado não será tão desastroso.

6. Mas, quando você for tentado a fazer mais a vontade de seus filhos do que a de Deus, lembre-se de Eli e da punição que sofreu o seu lar.

7. Pondere cuidadosamente no que Deus diz.

8. Lembre-se que em todo o universo não há sentimento de bem-estar a menos que você esteja em harmonia com a Lei de Deus.

9. Na terra e no céu, na vida pessoal ou familiar, a obediência à Lei de Deus é o único caminho possível para a felicidade.

10. O Sal. 119:165 diz: "É grande a paz dos que amam a Tua lei; para eles não existe um tropeço" B J.

11. Desobedecer à Lei de Deus é convidar ao desastre.

a. Se os pais derem lugar para as más inclinações por ignorância ou indolência, eles devem esperar as tristes consequências.

12. Elas nem sempre se manifestam na mesma intensidade ou com a mesma rapidez.

13. Porém, o resultado se tornará evidente na perda que o pai sofrerá da habilidade para moldar o caráter do filho, na perda da paz e felicidade e em muitos casos na perda da alma para sempre.

14. Esses pais devem colher o que eles semearam!...

a. Paulo escreveu: "Não se iludam; lembrem-se de que vocês não podem desprezar a Deus e escapar: um homem sempre colherá justamente o produto da semente que ele plantou!" Gálatas 6:7.

15. Deus ordenou a liderança paterna na família como símbolo de Sua própria autoridade, portanto, pais e filhos devem honrá-Lo através dela.

16. Desonrá-Lo conduz à perda de Seu favor e de Suas bênçãos.

III. A cura para a falha paterna.

A. Ao falar das causas, já indicamos algumas das soluções.

1. A primeira solução é esta: a. Resolva fazer a vontade de Deus.

2. Meu dever nunca deve ser medido por aquilo que eu sinto que está dentro da minha capacidade para realizar, mas por aquilo que a graça de Deus torna possível.

3. Eu não sei quanto a graça pode habilitar-me a fazer, até que eu comece.

4. É unicamente pouco a pouco que os maus hábitos da indolência e desobediência serão conquistados.

B. A segunda solução está em o pai aceitar que a obrigação de educar seus filhos é um dever ordenado por Deus.

1. Ele deve lembrar-se que não educar e nem repreender seus filhos significa que tanto o pai quanto o filho estão desonrando a Deus por não fazerem Sua vontade.

2. Ele deve entregar-se à graça de Deus, com o propósito de realizar Sua vontade, não importa quão impossível isto possa parecer.

3. A entrega será aceita e a graça não será negada.

4. Passo a passo, acompanhado de muitas falhas, o esforço honesto para fazer a vontade de Deus não permanecerá sem recompensa.

C. Juntamente com isto, o pai que tem falhado deve estudar algumas das leis mais simples da arte de educar.

1. Como qualquer outra habilidade que não conhecemos, a arte de educar deve ser aprendida.

2. Primeiro, não dê muitas ordens de uma só vez.

a. Comece apenas com uma.

b. Se você conseguir que a criança obedeça a uma ordem, você e seu filho reconhecerão a sua capacidade para liderar, para educar.

3. Não ordene aquilo que você não pode obrigar a criança a cumprir ou aquilo que a criança não tem a habilidade para obedecer.

a. Comece a demonstrar sua autoridade quando for fácil para você assegurar obediência e quando for fácil para a criança obedecer.

b. Como em todo aprendizado, nisto também devemos ir do fácil para o mais difícil.

4. Suas ordens devem ser dadas em tons calmos e ponderados, com completo autocontrole.

a. Ordens impetuosas ou imaturas conduzem à desobediência.

b. Autocontrole é o segredo de toda e qualquer liderança.

5. Como bem disse Theodoro Roosevelt, "aquele que é apto para governar a si próprio também é apto para dirigir a outros".

a. Portanto nunca espere governar seus filhos, até que tenha aprendido a governar-se a si mesmo.

b. Quando você aprender a ter autocontrole e assim honrar a Deus, os seus filhos aprenderão com você e também honrarão a Ele.

6. Queridos pais, quando vocês sentirem-se irritados, vocês não devem cometer um pecado tão grande como o de envenenar toda a família com essa perigosa irritabilidade.

a. Em tais ocasiões, ponham uma dupla guarda sobre vocês e resolvam no coração não ofender com seus lábios.

b. Profiram apenas palavras agradáveis, animadoras.

c. Não arruínem a felicidade de seus filhos com uma palavra irritada.

7. Controlando-se assim, vocês se tornarão mais fortes.

a. O seu sistema nervoso não será tão sensível.

b. Vocês serão fortalecidos pelos princípios corretos.

c. A consciência de estarem desempenhando fielmente seu dever lhes fortalecerá.

d. Os anjos de Deus aprovarão os seus esforços e lhes ajudarão... (L.A., 441, 442).

Conclusão:

1. Acima de tudo, o pai cristão que deseja liderar bem sua família, deve lembrar-se de Deus.

2. Você é um ministro de Deus, realizando Sua obra.

3. Deus ama as crianças e deseja treiná-las para Si.

4. Ele é o Deus de sua salvação e você pode depender dEle para receber ajuda e força.

5. É Deus que, através de você, governará o seu lar.

6. Entregue-se a Ele.

7. Não somente ore por ajuda, mas creia que certamente ela será dada.

8. Atue com a segurança que a ajuda de Deus lhe é concedida e está começando, pouco a pouco, operar em você.

9. Diga a seu Pai Celestial que você deseja cumprir seu dever sob quaisquer riscos e honrá-Lo juntamente com seus filhos.

10. Numa segurança calma, tranquila, creia que o poder de Deus operará em você, vencendo suas fraquezas.

11. Creia; todo o Céu está interessado nesta sua nobre tarefa.

 

Pr. Mauro Bueno Direitos Autorais – AP


Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!
Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Porque alguns pais falham? Reviewed by Aldenir Araujo on 8/11/2012 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!

All Rights Reserved by Esboços de sermões © 2014 - 2016
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.