5/19/2016

As Lições que aprendemos de Mateus 7:21-23

As Lições que aprendemos de Mateus 7:21-23
“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade”

Quais as lições que podemos aprender com essa passagem?

I. Primeira lição: uma declaração de fé no Senhor não garante o acesso ao reino dos céus.

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus...”

1. A boa relação com Deus não é questão de palavras.
1.1. O que se é dito com a boca deve ser evidenciado nas atitudes, ações e reações.
1.2. Deve haver uma harmonia muito grande no que eu falo e no que eu faço.
1.3. De nada vale alguém simplesmente professar que é discípulo de Cristo, se de fato não as suas obras não aprovam o que ele diz.
1.4. Tiago já disse: “a fé sem obras é morta...” Quer dizer, minhas obras devem demonstrar minha fé.
 
2. Jesus disse que seus discípulos são conhecidos pelas seguintes atitudes:
2.1. Se permanecerem na Sua Palavra. “Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos” (João 8.31) Permanecer na Sua Palavra é o mesmo que obedece-la, praticá-la em todos os aspectos da vida cotidiana.
2.2. Se amarmos uns aos outros. “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros” (João 13.35). Alguém que tem Cristo como SENHOR de sua vida, sem dúvida alguma é alguém que ama seu semelhante, pois se não ama o seu próximo, como amará a Deus? “Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão” (João 4.20-21)
2.3. Se dermos muito frutos. “Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos” (João 15:8). O que significa dar muito fruto? Significa que os discípulos de Jesus devem produzir boas obras que contribuam para o aumento, o crescimento do seu reino.

Aplicação: Cristo tem sido de fato nosso Senhor?
  • Estou de fato obedecendo a Sua Palavra?
  • Tenho amando o meu semelhante?
  • Tenho colaborado para a crescimento do reino de Deus aqui na terra?
  • Medite nessa advertência: (Lucas 6:46) - E por que me chamais, SENHOR, Senhor, e não fazeis o que eu digo?
Qual será a próxima lição?

II. Segunda lição: ninguém entra no céu por fazer boas obras.

“…Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? ”

1. Muitas pessoas fazem coisas boas tentando merecer o céu por conta do que realizam.
1.1. Essas pessoas desses versículos fizeram muitas coisas boas. Expulsaram demônios, profetizaram e fizeram muitas maravilhas.
1.2. Com certeza muita gente foi beneficiada pelas ações dessas pessoas, muitos foram curados de doenças, outros tiveram foram libertos de demônios e outros edificados com as palavras ministradas por eles.
1.3. Esse grupo também além de ter feito a coisa certa e ter beneficiado muitas pessoas, fizeram tudo isso na autoridade de Jesus, ou seja, no nome de Jesus.
1.4. Elas clamam a Jesus que se lembrem das boas obras que praticaram, para que Ele tenha compaixão delas.
1.5. Mas Jesus é categórico e diz: “E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim...”

2. A bíblia diz claramente que o homem não é salvo por fazer boas obras.
2.1. Efésios 2.8-10: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas”
2.2. Tito 3.5-8: “Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna. Fiel é a palavra, e isto quero que deveras afirmes, para que os que creem em Deus procurem aplicar-se às boas obras; estas coisas são boas e proveitosas aos homens”
2.3. 2 Timóteo 1.9: Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos”

Aplicação: Em que está baseado sua salvação?
  • Você faz boas obras para ser salvo por elas?
  • Estar se baseando na pratica de coisas boas para merecer a salvação?
  • Se você estar nesse caminho, pule fora, antes que seja tarde demais.
  • Deposite sua salvação na obra redentora de Cristo.
Vejamos a terceira lição:

III. Terceira lição: nossas obras podem ser vistas por Deus como iniquidade.

“...vós que praticais a iniquidade”

1. Jesus diz que tais obras foram feitas com iniquidade
1.1. Acredito que a iniquidade nessa passagem se refere o ajuntamento do santo com o profano
1.2. Fazer as coisas para Deus sem ter a vida reta, é praticar iniquidade.
1.3. Essas pessoas fizeram muitas coisas boas e certas no nome de Deus, mas só que elas não estavam qualificadas para tal. Elas não eram salvas, mas mesmo assim faziam obras exclusivas de alguém salvo.
1.4. Posso ter certeza de que não eram salvas pela expressão que Jesus usa: “Nunca vos conheci; apartai-vos de mim...”. Se fossem ovelhas de Cristo seriam conhecidas por Ele, pois Ele mesmo disse: (João 10:14) – “Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas ovelhas sou conhecido”
1.5. Se de fato fossem ovelhas do Senhor, teriam sido conhecidas por ele, a razão por não conhecê-las é porque não eram do Seu aprisco.
1.6. Interessante que muitas pessoas usam essa passagem para provar a perca da salvação, infelizmente não conseguem, pois, a passagem não reforça tal tese.

2. Quando as minhas boas obras podem serem vistas por Deus como iniquidade?
2.1. Quando desprezamos os preceitos de Deus: “Odeiam na porta ao que os repreende, e abominam ao que fala sinceramente. Portanto, visto que pisais o pobre e dele exigis um tributo de trigo, edificastes casas de pedras lavradas, mas nelas não habitareis; vinhas desejáveis plantastes, mas não bebereis do seu vinho Porque sei que são muitas as vossas transgressões e graves os vossos pecados; afligis o justo, tomais resgate, e rejeitais os necessitados na porta. Odeio, desprezo as vossas festas, e as vossas assembleias solenes não me exalarão bom cheiro. E ainda que me ofereçais holocaustos, ofertas de alimentos, não me agradarei delas; nem atentarei para as ofertas pacíficas de vossos animais gordos. Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos; porque não ouvirei as melodias das tuas violas. (Amós 5.10-12; 21-23)
2.2. Quando as fazemos com motivações erradas: “E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante. E o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? e bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar”. (Gênesis 4.3,5-7)
2.3. Quando fazemos para o homem com o fim de mostrarmos uma aparente espiritualidade. “GUARDAI-VOS de fazer a vossa esmola diante dos homens, para serdes vistos por eles; aliás, não tereis galardão junto de vosso Pai, que está nos céus. Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram os seus rostos, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão” (Mateus 6.1-2; 5; 16)

Aplicação: Quais as motivações que te levam a realizar algo para Deus?
  • Faz porque O ama?
  • Faz porque é grato a Deus por tudo que Ele tem te feito?
  • Faz porque quer manter um padrão de espiritualidade diante dos homens?
Conclusão: Vamos recapitular as lições que aprendemos?
  1. Uma Declaração De Fé No Senhor Não Garante O Acesso Ao Reino Dos Céus.
  2. Ninguém Entra No Céu Por Fazer Boas Obras.
  3. Nossas Obras Podem Ser Vista Por Deus Como Iniquidade.

5/04/2016

A mãe aprovada por Deus é uma mulher que teme ao senhor

A mãe aprovada por Deus é uma mulher que teme ao senhor
Uma boa mãe não é obra do acaso. Mãe é uma peça de um grande conjunto de virtudes que deve ter uma mulher que teme ao Senhor. Uma coisa é ser mãe, outra, bem diferente, é ser uma mãe do "aprovada por Deus".

E por que dizemos isso? Porque nenhuma mãe é apenas "mãe". Ela não tem apenas a função de "dar à luz". Antes de ser mãe ela é uma mulher, e, como toda mulher, ser mãe é uma função entre muitas outras que Deus lhe tem designado. Ao lermos a Bíblia em Provérbios 31:30 descobrimos que: "A mulher que teme ao Senhor essa será louvada", não diz, a mãe que teme ao Senhor, mas, a mulher que teme ao Senhor. Essa questão é relevante para nos instruir mais sobre o pensamento de Deus da mãe que ele espera que toda mulher seja.

I. A mãe aprovada por Deus faz parte de um conjunto de uma mulher que teme ao Senhor: Tito 2:3-5;

A. Ela não tem apenas uma ou algumas qualidades: "ninguém será apenas uma boa mãe e será louvada por Deus"
Exemplo: Um funcionário não será bom funcionário só porque não chega atrasado; ver se ele é dedicado; ver se ele não fica brigando com os companheiros; ver se ele tem o espírito de companheirismo.
B. Ela é completa na "descrição divina":
1. Ela ama seu marido: respeita e sabe agir com submissão. Provérbios 31:11-12, "O coração do seu marido está nela confiado, e a ela nenhuma fazenda faltará. Ela lhe faz bem e não mal, todos os dias da sua vida."
2. Ela ama os seus filhos: "Esse amor é do tipo de Deus, e veremos com mais atenção"
3. É uma mulher "prudente": Provérbios 14:1, "Toda mulher sábia edifica a sua casa, mas a tola derriba-a com as suas mãos."
a) Sabe agir com discernimento, cuidando do que é melhor para todos;
b) Ela pensa no marido, depois nos filhos, e, por fim, pensa nela;
c) O péssimo exemplo de Rebeca: Pensava apenas em um filho!
4. É uma mulher casta: Verso de Nabuco de Araújo: "A mulher não deveria esquecer nunca que o marido depositou em suas mãos a honra do seu nome e o futuro de seus filhos"
5. É uma boa dona de casa;
a) Não tem desculpa nem deixam de ser aquelas que trabalham fora;
b) Dona de casa é a expressão correta para uma mulher que sabe que tem uma casa para cuidar;
c) Nem as próprias mulheres perdoam uma companheira que age como uma bonequinha de porcelana e faz do marido um capacho;
C. Tiremos umas dessas virtudes e não encontraremos a mulher que teme ao Senhor;

II. Esse conjunto não se forma por acaso, firma-se a partir do conhecimento que uma mulher tem da vontade de Deus:

A. Que pode passar da mulher mais velha para ela que é mais nova;
B. Que vem da leitura pessoal das escrituras;
C. Muitas mulheres não tiveram o privilégio de ter uma mãe para ensinar esses princípios importantíssimos;

III. A mãe aprovada por Deus compreende a altura e o valor da posição que Deus lhe deu: Lucas 1:30-31; "não temas, darás à luz a um filho"

A. Ninguém dará importância a uma coisa se primeiro não entender o seu valor: Exemplo da criança com uma nota de cem dólares;
B. Se a mãe não compreender a altura elevada de sua posição, não poderá dar o valor necessário que este ofício requer;
C. Nada pode ter tanto valor aos olhos de Deus do que uma mulher que teme ao Senhor:

IV. A compreensão de sua alta posição levou Maria, a mãe de Jesus, a "aceitar" incondicionalmente a sua tarefa: "eis aqui a serva do senhor" Lucas 1:38;

A. Existe muita diferença em aceitar alguma coisa e recebê-la:
B. Esta verdade pode ser evidenciada na vida de muitas mulheres:
1. Há muitas mães que tem recebido a bênção de ser mãe:
2. Isto não quer dizer que aceitam o ofício:
a) Como foi uma gravidez inesperada acabam rejeitando elevada posição;
b) Como não queriam ser mãe desprezam seus filhos;
c) Enfim, receberam mas não aceitaram;
C. Nenhuma mulher será uma boa mãe se não aceitar a honra desta tarefa maravilhosa como uma oportunidade maravilhosa de "servir a Deus"
D. Ela deve dizer ao Senhor: "Eis aqui a tua serva, seja feito em mim segundo a Tua Palavra"
E. Maria aceitou prontamente a oportunidade dada por Deus:
1. Aceitou verbalmente;
2. Aceitou espiritualmente numa oração cheia de fé: "A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus"
a) Glorificando a Deus pela bênção recebida;
b) Alegrando-se em poder desempenhar tão grande tarefa;

V. Em nossa sociedade será cada vez mais difícil que as mulheres aceitem este papel (ou bênção) tão importante que é ser mãe:

A. É tão importante, que a primeira mulher, primeiramente chamada de "varoa" ganhou um novo nome de seu marido: “Eva”, ou seja, mãe da vida;
B. Os motivos que este papel será cada vez mais rejeitado:
1. Profissionalismo;
2. Por desconhecer a recompensa que esta tarefa pode trazer;

VI. Como Maria as mães devem entender claramente que não basta ser mãe é preciso ser uma "boa mãe":

A. Seu primeiro passo foi "apresentá-lo ao Senhor"
1. Consagrar, ou seja, entregá-los aos cuidados de Deus;
2. O primeiro lugar que Maria levou seu filho foi na igreja. Hoje às vezes é o último;
B. Soube segurá-lo quando era preciso retê-lo e soube soltá-lo quando chegou a hora:
1. A mãe precisa aprender de Deus a "reter" seu filho: Lucas 2:48,51; Provérbios 29:15;
a) Com isso queremos dizer que deve segurá-lo com firmeza, ou seja, guardá-lo em seu poder com bastante firmeza;
b) Uma boa mãe saberá dizer "não" com amor quando isto ainda é sua obrigação;
c) A pior coisa que uma mãe pode fazer a um filho pequeno é soltá-lo.
2. A mãe também precisa aprender a soltar seu filho na hora certa: "Segurar não é uma tarefa fácil, soltar é ainda mais difícil"
a) Creio que esta foi a hora mais difícil para Maria; João 2:4;
b) Foi mesmo levada pelo amor materno a pensar que a entrega total de sua vida para Deus era coisa de maluco; Marcos 3:20-21;
c) Precisou na sua vida de mãe "repartir" seu filho com as outras pessoas:
1) Nem todas as mães aprendem isso; Marcos 3:31-35;
2) Muitos casais acabam se separando porque as mães resolvem achar que ainda mandam nos seus filhos;
3. Há muitas mães que soltam seus filhos quando deveriam retê-los e querem segurá-los quando deveriam ser soltos;
C. Ter espírito de contentamento e isto é fundamental para moldar o caráter de uma criança: Lucas 1:39,56;
1. Uma mãe descontente pode criar um ladrão, um assassino ou um deprimido;
2. Já pensou Maria se decepcionar com a condição de vida que levava e transmitir sua decepção à suas crianças?
"Soube criar seu filho em alegria ao lado do carpinteiro de Nazaré; Lucas 4:16"
D. Soube ajudá-lo discretamente. Isto é uma arte em especial.
1. Existe muita verdade na frase: "De tanto querer ajudar acaba atrapalhando";
E. Soube sofrer pelo seu filho sem injuriar ao Senhor: João 19:25;

VII. Mas a mãe que não teme a Deus tem sido um desastre:

A. Quando lhe falta as outras peças do grande conjunto:
B. A forma com que se comporta influencia diretamente seus filhos; Ezequiel 16:44:
C. Penso na filha de Herodias; Mateus 14:8;
D. Penso no filho de Jezabel 2 Reis 9:22 E sucedeu que, vendo Jorão a Jeú, disse: Há paz, Jeú? E disse ele: Que paz, enquanto as prostituições da tua mãe Jezabel e as suas feitiçarias são tantas?

VIII. A mãe aprovada por Deus, além de ser uma mulher exemplar será "louvada":

A. Seu filho será seu discípulo; (Ezequiel 16:44)
B. Seu código de instrução sempre será a Bíblia;
C. Que bela figura temos em Provérbios 31:23,28,31;
1. Conhece-se o seu marido nas portas, quando se assenta com os anciãos da terra. Provérbios 31:23;
2. Levantam-se seus filhos, e chamam-na bem-aventurada; como também seu marido, que a louva, dizendo: Muitas filhas agiram virtuosamente, mas tu a todas és superior. Provérbios 31:28-29;
3. Dai-lhe do fruto das suas mãos, e ouvem-na nas portas as suas obras; Provérbios 31:31;

IX. Será uma "mãe" aprovada por Deus toda mulher que tiver a sabedoria de Maria:

A. Que confessou a Jesus como seu Salvador;
B. Que fez do seu lar um celeiro de "filhos" de Deus;
1. Seus irmãos eram crentes, casados com mulheres crentes; I Coríntios 9:5
2. Um de seus irmãos tornou-se um "apóstolo" (Gálatas 1:19), e este irmão, criado junto com ele confessou: "Sou escravo de Cristo" Tiago 1:1;
C. Resultado: Lucas 11:27; "E aconteceu que, dizendo ele essas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste!" 

Autor: Pr Gilberto Stefano