O Amor Que Deus Ordena

O Amor Que Deus Ordena
Texto: 1 João 3:11-15

Introdução: A repetição em uma série de mensagens de Primeira a João é inevitável, mesmo que por nenhuma outra razão que a repetição na epístola, especialmente quando se trata do assunto do amor. Por causa da importância de definir o tipo de amor que Deus ordena a Seu povo, examinaremos novamente os vários tipos de amor. Em seguida, examinaremos alguns dos princípios envolvidos no amor que Deus ordena.

Vamos examinar o mandamento de Deus de amar uns aos outros e estou convencido de que um entendimento correto do tipo de amor que Deus ordena pode não apenas ajudar alguém a lidar com qualquer culpa que este assunto traga à mente, mas também trará uma nova alegria para o seu coração.

I. Os Cristãos São Ordenados a Amar Uns Aos Outros. V. 11.

A. Isso foi ordenado na lei.

1. Deus prometeu bondade amorosa para aqueles que O amam. Êxodo 20:6.

2. Deus ordenou a Israel que O amasse. Deuteronômio 6:5 “Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todas as tuas forças”

B. Jesus Nos Deu Dois Grandes Mandamentos. Mateus 22:37-40.

1. Ele nos ordena amar a Deus, Mateus 22:37-38 “Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento”

2. Ele nos manda amar uns aos outros. Mateus 22:39 “E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”

3. “Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas” (Mateus 22:40).

4. Jesus até mesmo nos ordena a amar nossos inimigos. Mateus 5:43-44 “Ouvistes que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem”

II. Agora, Vamos Observar Alguns Princípios do Amor Bíblico.

A. Existem quatro tipos de amor mencionados ou vistos no Novo Testamento.

1. Existe amor romântico.

2. Existe amor familiar (amor pela família).

3. Existe amor amizade (phileo, filéo).

4. Existe o amor que Deus ordena (agapao, ágape).

B. Nossa preocupação aqui será com duas dessas palavras.

1. Elas são ágape e fileo.

A maioria dos cristãos que frequentam a Escola Dominical e os cultos de adoração por muito tempo está familiarizada com a palavra ágape. Já ouvi muitas pessoas dizerem que ágape é o amor divino ou o amor cristão. Bem, devemos nos lembrar que os gregos usavam a palavra muito antes de haver qualquer “cristão” por perto para usá-la. No entanto, no Novo Testamento, essa palavra é usada para denotar um tipo muito especial de amor.

Infelizmente, muitas pessoas tendem a sub-definir e simplificar demais o ágape. Enquanto eu estava no seminário e depois de me formar, tive o privilégio de trabalhar com um pastor notável, um homem com um profundo conhecimento das Escrituras, um homem que se lembrava do esboço de um sermão que ouviu alguém pregar em uma convenção vinte anos antes . Eu tinha muito respeito por ele e adorava ouvi-lo pregar. Até escrevi um artigo sobre a pregação desse homem talentoso. No entanto, quando eu pedi a ele para pregar em cultos de avivamento, muitos anos depois, fiquei surpreso com algo que ele disse sobre o ágape. Ele afirmou que Deus espera que amemos a todos; então ele perguntou: "Como posso amar uma pessoa que não é digna de amor?" Ele respondeu à pergunta retórica: “Não posso amá-lo, mas Cristo, que mora em mim, pode. Eu posso deixar Cristo em mim amá-lo”

À primeira vista, essa parecia ser a resposta - e faz parte dela. No entanto, Deus não ordena que Cristo ame a todos. Ele não precisava; Ele já ama a todos (Romanos 5:8; João 3:16 - você não pode distinguir entre o amor do Pai e do Filho). Deus me mandou amar os outros.

Não posso evitar esse fato. Deus me mandou amar os outros e não me disse para escolher certas pessoas para amar, ou para amar aqueles que me amam; aqueles que podem ser úteis para mim, ou aqueles a quem posso ser atraído por uma razão ou outra. As pessoas se aglomeram em torno de celebridades. Muitas pessoas ficam maravilhadas com pessoas importantes. Tenho que admitir - há pessoas que estou ansioso para ver. E há algumas pessoas que eu realmente não espero ver. Não gosto de estar perto de uma pessoa arrogante, detestável e vil mais hoje do que quando era adolescente. Mas Deus não me manda amar os outros? Claro que sim! Mas e se Ele apenas pretende que eu ame outros cristãos como amo a mim mesmo? Bem, deixe-me perguntar o seguinte: você já conheceu um cristão que realmente o desanima? Você tem um sentimento afetuoso por cada pessoa que conhece que professa ser cristã? Talvez você tenha tido algum sentimento de culpa por isso. Deus tem uma resposta para você.

2. Ágape é um tipo de amor de atitude mental.

a. Essa é a razão pela qual pode ser ordenado.

Você não pode ordenar o amor romântico. Experimente algumas vezes. Diga a Gilson que ele deve se apaixonar por Susana e veja o que acontece. Você não pode ordenar a amizade. Ordene a um novo membro da igreja que se torne o melhor amigo do diácono Jonas e veja o que acontece. No entanto, é perfeitamente lógico que Deus nos ordene que amemos uns aos outros se Ele está ordenando o tipo de amor ágape.

b. Ágape busca o bem maior para cada pessoa.

c. Ágape não é movido por emoções.

d. Ágape é dirigido pela mente - você sabe que deve fazê-lo.

e. Ágape é liberado pela vontade - você o fará.

f. Ágape então tocará suas emoções.

3. Fileo é o amor “da alma”.

a. Envolve a mente, as emoções e a vontade.

b. Este é o amor fraternal.

c. Esse tipo de amor não pode ser ordenado.

d. Frequentemente, é alimentado por interesses mútuos.

e. Deve ser cultivado.

f. Ele fala da intimidade saudável de um amigo mais chegado do que um irmão.

g. Davi e Jônatas tinham um grande amor um pelo outro.

h. Esse tipo de amor existia entre Paulo e Timóteo.

4. Esses dois tipos de amor não são mutuamente exclusivos.

a. Alguém pode ter amor tipo fileo pelos outros antes de se tornar um cristão.

b. Tornar-se cristão impõe a obrigação de ágape os outros.

c. Vamos desenvolver um tipo de amor fileo por alguns por quem eles têm um tipo de amor ágape.

Paulo podia reivindicar o tipo de amor ágape por todas as pessoas com quem havia entrado em contato, especialmente todos os crentes. Ele amava Barnabé, Silas, Lucas e Tito com amor ágape e amor fileo. E então havia Timóteo. Quando tantos outros o abandonaram ou simplesmente não estavam disponíveis para ajudá-lo, sempre havia Timóteo. Seu relacionamento com Timóteo começou com amor ágape na Primeira Viagem Missionária e, então, quando Timóteo se juntou a Paulo e Silas na Segunda Viagem Missionária, um relacionamento pessoal estreito começou a se desenvolver. Seu amor ágape um pelo outro nunca diminuiu enquanto seu amor fileo continuava a crescer.

Quando todos os líderes da Igreja na Ásia abandonaram Paulo, não há dúvida de que ele estava preocupado com eles porque ainda nutria o amor ágape por eles, mesmo que se recusassem a corresponder ao seu amor por eles. Não há dúvida de que eles não tinham um amor íntimo pelo homem que Deus lhes havia enviado com o Evangelho. Eles pareciam ser deficientes no amor ágape e fileo por Paulo. Sua preocupação com isso mostra ágape e implica fileo.

C. Ágape o levará aonde fileo não pode.

1) É o ágape que leva os Gideões a visitarem a penitenciária estadual.

2) É o ágape que leva alguns a arriscar a vida trabalhando com vítimas da AIDS.

3) É o ágape que leva um missionário a um país muçulmano onde sua família está em risco.

4) É o ágape que leva o crente a se envolver com uma família que vive na imundície.

5) É o ágape que leva o diácono de volta ao homem que odeia a igreja.

6) É o ágape que leva a trabalhar com um adolescente rebelde.

7) É ágape que leva alguém a ter paciência com um membro da igreja desagradável.

8) É o ágape que pode abrir a porta para um amor fileo por algumas dessas pessoas.

D. Agora, vamos ler algumas lições da Bíblia sobre o amor.

1. Deus nos ama (João 3:16; Romanos 5:8).

a. Ele o amou enquanto você era um pecador.

b. Ele deu Seu Filho para morrer por você.

2. “Nós O amamos porque Ele nos amou primeiro” (1 João 4:19).

3. Deus ama Seu Filho com amor ágape (João 3:35).

4. O Pai ama o Filho com amor fileo (João 5:20).

a. O Pai ama o Filho com um amor íntimo.

b. Quando Deus está amando, ágape é amor divino.

c. Quando Deus está amando, fileo é amor divino.

5. Ágape não denota automaticamente amor divino.

a. Em João 3:16, Deus ama o mundo com amor ágape.

b. Em João 3:19, os homens maus amam o mal com amor ágape.

6. Ágape é o amor divino quando Deus está amando.

7. Ágape é o amor divino quando o filho de Deus está amando os outros como Deus ordena.

E. Agora, vamos ver o que isso significa para nós.

1. Você é ordenado a ágape uns aos outros.

2. Você não foi ordenado a fileo uns aos outros.

a. Ágape pode ser ordenado porque é dirigido pela mente.

b. Fileo não pode ser ordenado porque não é dirigido exclusivamente pela mente.

c. Fileo não precisa ser ordenado.

3. Quando você foi salvo, foi colocado sob o amor máximo de Deus.

4. Quando você foi salvo, foi-lhe dada a capacidade para o tipo de amor ágape.

a. Quando você está “em Cristo”, você tem a obrigação de amar os outros.

b. Quando você é cheio do Espírito Santo, tem o poder de amar os outros.

c. Quando você conhece o amor de Deus, fica motivado a amar os outros.

5. A fonte do ágape é o Deus que o ama.

a. Você pode nutrir ou cultivar tanto ágape quanto fileo.

b. O amor que Deus ordena tem sua fonte Nele.

6. Se você ama a Deus, não se entristece com a ordem divina de amar os outros (1 João 5:3).

F. Isso significa que em Cristo você pode amar as pessoas que são quase insuportáveis.

1. Deus nos ordena que amemos os outros.

2. O amor que Ele ordena é um tipo de amor de atitude mental.

3. Nossa motivação é Seu amor por nós, não apenas nosso amor por ele.

4. Aprendemos a ver os outros como Deus os vê.

5. Buscamos o bem maior para outras pessoas, independentemente de suas circunstâncias.

6. Você realmente pode amar alguém que você não gosta de estar por perto.

7. Você pode ágape pessoas que você não fileo.

Agora, relembre as instruções dadas no Salmo primeiro:

“Bem-aventurado o homem que (1) não segue o conselho dos ímpios, Nem (2) se detém no caminho dos pecadores, Nem (3) se assenta na roda dos escarnecedores!”

Você pode evitar as pessoas más, desviar-se do caminho dos pecadores e resistir aos escarnecedores e ainda ter um amor do tipo ágape por eles. Você pode amar aqueles de quem Deus ordena que você se separe.

Com temor e tremor, acrescentarei que você pode ágape pessoas de quem você nem gosta - você pode não fileo, mas pode ágape. Mais uma vez, lembro-me do que minha mãe me disse - não devo dizer que não gostava de alguém - os cristãos deveriam amar a todos, mas nem sempre gostam de seus caminhos. O problema era que eu realmente não gostava de pessoas arrogantes e desagradáveis. Eu ainda não sei! Lamento, mas nem sempre é fácil separar a pessoa de seus caminhos. Devo carregar uma carga de culpa por causa disso? Se não tenho um amor do tipo ágape por eles, devo me arrepender. Se eu não me separar dos bêbados, caluniadores e pessoas imorais, também devo me arrepender. Se eu não orar por essas mesmas pessoas, devo me arrepender.

III. O Contraste é Visto em Caim. V. 12-13.

“não sendo como Caim, que era do Maligno, e matou a seu irmão. E por que o matou? Porque as suas obras eram más e as de seu irmão justas. Meus irmãos, não vos admireis se o mundo vos odeia”

A. Caim mostrou a própria antítese do amor quando matou seu irmão.

B. Caim odiou Abel por duas razões.

1. Suas ações eram más.

2. As ações de Abel eram justas.

C. Assim como o injusto Caim assassinou o justo Abel, o mundo odeia Jesus Cristo. V. 13 "Meus irmãos, não vos admireis se o mundo vos odeia"

1. O mundo realmente odeia Jesus Cristo.

a. O NEA forneceu lições que retratam o Islã como bom.

b. Eles se opuseram a qualquer coisa que sugerisse a Cristo.

c. Seu muro de separação se aplica apenas a Jesus.

2. A mídia de notícias continuamente inclina as notícias contra Jesus Cristo.

O mundo odeia Jesus Cristo, mas ama os seus. Isso explicaria por que os justos podem sofrer enquanto os ímpios prosperam neste mundo. Na terminologia da informática, o mundo é “amigável” ao seu próprio.

IV. O Amor Por Outros Crentes Proporciona a Segurança da Nossa Salvação. V. 14.

“Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama permanece na morte”

A. Podemos saber agora que passamos da morte para a vida.

1. Em 2:3, vemos que podemos ter conhecimento presente de um relacionamento permanente com Cristo.

2. O amor pelos irmãos é uma prova de que conhecemos o Senhor.

B. Aquele que não ama os irmãos está espiritualmente morto.

Conclusão: Deus não o deixará no escuro. Ele quer que você o conheça e quer que você saiba que o conhece. Amar uns aos outros não produz salvação, mas o relacionamento com Jesus Cristo se manifesta no amor ao outro. Ele se manifesta na compaixão pelos perdidos e busca sua salvação. Também alcança comunhão e ministério com outros crentes. O amor que Deus ordena não é apenas possível, é realista e prático. Quanto mais você praticar, mais você entenderá e mais perceberá.

Convite: Há alguém aqui com a coragem de admitir que você precisa de alguma ajuda séria em seu compromisso de amar os outros - não apenas as pessoas de quem você gosta, mas todas por quem Jesus morreu? Você tem a honestidade de admitir que precisa de ajuda ou que um novo compromisso é necessário agora? Por favor, não deixe este culto como veio. Deixe o Espírito Santo crescer em você, nutri-lo, santificá-lo no Amor de Deus.

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.
6. Anônimos

Para outros assuntos use a página de contato do blog

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem
Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.