Os Filhos do Reino e a Administração das Riquezas

Texto: Mateus 25: 1-30
Introdução: 
- É comum pensarmos que o dinheiro não é algo muito espiritual, mas a maneira como lidamos com ele influencia diretamente nossa vida com Deus. Por isso é sumamente importante estudarmos esse assunto.
- A Bíblia fala muito a respeito de dinheiro, mais até do que de outros tópicos tidos como mais importantes ou espirituais, como fé e salvação.
- Jesus não está interessado em dinheiro – e muito menos o nosso dinheiro! O que Ele quer é o nosso coração. Por isso que Ele disse onde estiver o seu tesouro ali também está o seu coração.

A esse respeito, existem basicamente três posições no meio evangélico:

1. Compreendendo A Teologia Da Pobreza: 

- Aqueles que têm essa convicção desdenham das posses materiais. Eles não são materialistas e consideram as posses como um tipo de maldição.
- Eles dizem que suas necessidades serão supridas se tiverem uma atitude de despreocupação, assim, não se preocupam em prosperar porque buscam o reino de Deus em primeiro lugar.
-  Tais pessoas acreditam que a pobreza é a vontade de Deus para a igreja hoje, que o Reino é para os pobres e os que se tornam pobres se apoderam dele.
O Problema com a Teologia da Pobreza: 
1.1 Presume que qualquer pessoa bem-sucedida financeiramente é desonesta;
1.2. Exagera na questão da obra sacrificial;
1.3. É extremamente ingênua;
1.4. Pode se tornar um estilo de vida manipulador; 

2. Compreendendo A Teologia Da Prosperidade:

- O ponto de vista dos teólogos da prosperidade é que a prosperidade é uma recompensa para os justos.
- Eles consideram as posses uma bênção de Deus, e sua escritura favorita é Lucas 6.38: “pedi, e dar-se-vos-á...”.
- Basicamente, seguem o princípio da semeadura e colheita. Ensinando que, se temos uma necessidade, devemos semear e Deus nos suprirá em abundância.
- Seu conceito de prosperidade é que eles são os donos daquilo que possuem. Para eles, a pobreza não é a vontade de Deus, antes, trata-se de uma maldição.
- São preocupados com dinheiro e têm uma vida direcionada para consegui-lo.
O Problema com a Teologia da Prosperidade:
2.1 Vê a prosperidade como um sinal da aprovação de Deus;
2.2 É uma teologia que produz culpa;
2.3 Estimulam motivações erradas;
2.4 Nega a soberania de Deus;

3. Compreendendo A Teologia Da Mordomia (Mateus 6.19-21):

- Contudo a terceira via é a posição mais equilibrada e que toma o melhor dos dois, que chamamos a teologia da mordomia.
- Essa teologia não pergunta a que renunciamos e nem o que receberemos, ela simplesmente pergunta o que temos feito com o que recebemos de Deus. 
- Aquele que é mordomo sabe que precisa administrar corretamente o que tem recebido e que o Senhor pode requerer dele 10% ou tudo.
- Ele é generoso por obediência e não por desejar receber algo em troca da parte de Deus.
- É um equilíbrio entre as duas visões, pegando o melhor de ambas.
- A perspectiva da mordomia é que a prosperidade é um privilégio e é dada em variadas proporções. 
- Provavelmente, a parábola dos talentos é a melhor base para aqueles que creem na mordomia, pois para eles o ponto central não é o que renunciamos nem o que receberemos, mas o que temos recebido. 
Princípios de Mordomia Deus é o dono de tudo (v. 14) 
3.1 - Deus tem o direito de fazer o que quiser com o que Ele tem nos dado;
3.2 - Os recursos de Deus são para alcançar os propósitos dEle;
3.3 - Toda decisão financeira é uma decisão espiritual;
3.4 - Dinheiro e bens são uma ferramenta eficiente que Deus usa em nossa vida;
3.5 - Dinheiro e bens são bons testes;
3.6 - Dinheiro e bens são uma forma eficiente de testemunho; O rico não dá porque pensa que o valor é alto demais, e o pobre não dá porque pensa que vai lhe faltar.
- Deus olha a fidelidade, não o valor.
-  Mordomia requer ação
-  Algumas pessoas costumam dizer que mordomia é mais que dinheiro, e que ofertam quando dão seu tempo e seus talentos.
Contudo, há um conceito que devemos guardar bem:
- Mordomia é mais do que dinheiro, mas nunca menos;
- Servir a Deus implica mais do que dar dinheiro, mas nunca menos;
- Servir a Deus implica em muitas coisas, mas nunca menos do que ofertar;
- Quem diz que serve a Deus e não oferta está, na verdade, se enganando;

 Guia do Compartilhamento 
- Você crê que o Senhor nos chamou para sermos mordomos daquilo que Ele nos dá?
- Como você tem aplicado essa mordomia em sua vida?

Pr Silvio Galli


Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!
Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Os Filhos do Reino e a Administração das Riquezas Reviewed by Aldenir Araujo on 2/11/2013 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!

All Rights Reserved by Esboços de sermões © 2014 - 2016
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.