Um coração de conquistador – Parte II

Já vimos que um coração conquistador precisa romper com os hábitos adquiridos com a família, com a sociedade (humanismo), com a cultura (paganismo) e medir a terra na largura e comprimento para uma conquista integral. Mas existem outras etapas para que se estabeleça o Reino de Deus e não tenhamos nenhum tipo de comunhão com o que compromete a nossa fé e a essência do propósito de nossa chamada.

O coração de um conquistador é visionário

Por ser um visionário, o conquistador vai entender que tipografia tem a terra que o Senhor lhe entregou para medir. Abraão não tinha instrumentos tecnológicos para olhar nem medir a terra, mas tinha a visão restaurada. Ele também não tinha teodolito nem tipógrafo para medir a terra. Deus o mandou subir a um monte e ver até onde a visão do patriarca alcançava. Esta seria a terra dada por possessão a ele.


Para medir a terra por largura e comprimento você precisa ter uma boa visão. Abraão estava com 99 anos. Com certeza, a vista dele não estava tão apurado como quando ele tinha 18, mas ele tinha uma visão. E nós medimos a largura e comprimento da terra por visão, e não por vista. Estamos enxergando no sobrenatural (II Co. 5:7). Não é pelo que se vê, é pelo que se crê. Não é pelo que se olha pelos olhos físicos, mas, pelo que se vê com os olhos espirituais (Ef. 1:17-18).


O que significa lugares altos? Deus quer que o líder aprenda a subir montanhas. Não é apenas uma montanha física. Isso quer dizer que o líder deve aprender a estar nos lugares altos da cidade, que são a posição e a consciência de que ele foi chamado para liderar. Subir nos lugares altos significa posição visionária. É isso que precisamos como líderes que têm o coração conquistador: subir os lugares altos da cidade e começar a profetizar sobre ela. Você precisa aprender a entrar nesses lugares e dar o toque de alarme: É chegada a hora do Senhor!
Precisamos ter essa noção de conquista entre os lugares altos. Entenda que você é alguém que foi batizado na visão de Deus. Creia e tome posse disso.

Um coração conquistador tem a semente da fé de Abraão

"Assim como Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça. Sabei, pois, que os que são da fé são filhos de Abraão. Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Todas as nações serão benditas em ti. De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão" (Gl. 3:6-9).
Há uma promessa dada por Jesus, de que pela mesma semente da fé de Abraão, nós fazemos parte desta declaração: Abraão creu e o Senhor lhe imputou isso como justiça. Em tudo Abraão creu e, se você é um homem de coração conquistador, vai desatar a fé específica de conquista. Não é uma fé para galgar coisas absurdas. É para glorificar o nome de Deus. Todos devem ficar impactados com o que está acontecendo conosco.
Se tivermos a mesma semente da fé de Abraão, vamos precisar entender o que Deus prometeu a Abraão. As promessas que Deus fez para Abraão são as mesmas que Deus fez para você.


Quais foram as promessas?

1. Tu és pai de uma multidão: em ti serão benditas todas as famílias da Terra.
2. Engrandecerei o teu nome.
3. Sê tu uma bênção.

Se você se mantiver com a fé de Abraão, abençoará famílias, será honrado e será uma bênção. Estas famílias da terra, como está escrito em Gênesis 12:1-3, aparecem em Gênesis 17:5-6 e Deuteronômio 1:9-11:
"E não se chamará mais o teu nome Abrão, mas Abraão será o teu nome; porque por pai de muitas nações te tenho posto; E te farei frutificar extraordinariamente, e de ti farei nações, e reis sairão de ti" (Gn. 17:5-6).
"O SENHOR Deus de vossos pais vos aumente, ainda mil vezes mais do que sois; e vos abençoe, como vos tem falado" (Dt. 1:9-11).
Receba esta promessa de multiplicar mil vezes mais em bens, em prosperidade, em fé, em células, grupos de liderança. Isso é ser abençoado extraordinariamente. Não seja só um conquistador; seja um conquistador que entrou no extraordinário de Deus.

Tenha coragem de entregar o seu "Isaque".

Isaque representa a conquista sobrenatural do impossível, que não é herdeiro humano como Ismael, nem tinha comprometimento administrativo, como Eliezer, nem cultural, como Ló. Isaque é a cláusula sobrenatural. Humanamente Abraão não poderia ter tido aquele filho.
Isaque também representa a renúncia. Pois é isso que Deus quer: que você renuncie aquilo que parecia impossível. Você já pode ter entregado muitas coisas, mas, se você quer ter um coração de conquistador, vai ter que aprender a viver renunciando. A renúncia agrada a Deus. Quem aprende a renunciar o seu "Isaque" vai tê-lo de volta, dado pelas mãos do próprio Deus. Quando Deus nos pede o "Isaque", não é para ficar com ele. É para sabermos que o Isaque é dele, mas pode ficar conosco. Isaque é aquilo que você mais ama. A entrega disto é o teste da fé e o treino da confiança. Abraão tinha consciência que, ainda que entregasse Isaque, Deus o ressuscitaria. Ele tinha fé suficiente para crer nisso.


Mas, preste atenção: existem algumas experiências que temos que passar sozinhos. Entregar Isaque não é uma experiência coletiva, nem todos podem participar. É uma consciência de que se está abrindo mão de algo que dói muito.
O que possuímos e mais amamos não deve ocupar o lugar daquele que afirmamos que é o Senhor das nossas vidas. Você ainda não conquistou muito porque facilmente coloca muitas coisas na frente de Deus.


O conquistador tem uma equipe com um só coração na Visão
Só a unidade trará pessoas que caminhem conosco no mesmo espírito. Não temos divisão de pensamentos. Deus quer que tenhamos pensamento de aliança. Se não houver unidade, não conquistaremos nada, não haverá milagres, nem prodígios, sinais, maravilhas, nem conquistas.
Estamos trabalhando com uma só linguagem, um só coração e veremos desde esta cidade até as nações conquistadas com o coração conquistador que Deus está nos dando.
A partir de hoje você vai começar uma história nova. É preciso alguém com coragem para reescrever a história da sua família e, daí pra frente, reescrever a história da sociedade e da cultura. Não somos aculturados, somos pessoas cultas, mas precisamos entender que nossa cultura deve ser voltada toda para Deus. Nossa consciência cultural não pode estar contaminada com o mundo.


Precisamos crer no que Deus tem nos mostrado para começar a construir esta nova história, rompendo com as velhas estruturas. Não há como construir sem rompermos.
Deus não só quer consertar a nossa vida velha, Ele quer nos dar uma vida nova. Não é prazer de Deus ficar consertando coisas velhas. É projeto dele em tudo nos fazer novo e este novo vai acontecer na sua vida, a tal ponto que você ficará escandalizado, se desconhecendo. Você é liberto para fazer o que Deus quer que você faça.

 

 

Ap. Renê Terra Nova


Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!
Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Um coração de conquistador – Parte II Reviewed by Aldenir Araujo on 9/05/2012 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!

All Rights Reserved by Esboços de sermões © 2014 - 2016
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.