A Maravilhosa Graça de Deus

Texto: 2 Samuel 9; 16.1-4; 19.24-30

Os miseráveis é uma das principais obras escritas pelo francês Victor Hugo no século XIX. Narra à situação política e social francesa no período da Insurreição Democrática em 5 de junho de 1832 através da história de Jean Valjean.

Livre há quatro dias, Jean Valjean não encontrava quem o acolhesse devido ao seu passado. Sua fama o prejudicava. Cansado, com frio e faminto, precisava descansar, Valjean procurou um albergue, mas foi algo em vão. Desesperado, alguém lhe indicou a casa do bispo da cidade, D. Bienvenu.

Quando bateu na porta da casa do bispo, Jean Valjean não escondeu sua vida pregressa. Mesmo assim, o bispo o convidou para dividir a ceia e ainda lhe forneceu bons lençóis para a noite de sono. O ex-presidiário, entretanto, ainda padecia os efeitos de uma vida marcada pelo estigma do crime.

Valjean então resolveu fugir da casa do bispo pela madrugada, roubando os talheres de prata. Contudo, não conseguiu ir muito longe. Logo os guardas o pegaram, reconheceram as insígnias do bispo na prataria e o conduziram até a casa que lhe acolhera para ser reconhecido antes de ser devolvido ao cárcere.

Surpreendentemente, D. Bienvenu não só o perdoou como o liberou. Tratou-o com deferência e lhe fez uma pergunta desconcertante: “Estimo tornar a vê-lo. Mas eu não lhe dei também os castiçais? São de prata como os talheres e poderão render-lhe bem duzentos francos. Por que não os levou também”?

O perdão e o amor gratuito de D. Bienvenu impactou Valjean de tal maneira que sua vida mudou para sempre. O bispo o livrara da acusação da lei, mas o tornava, daí em diante, escravo da bondade. A gentileza, ou a graça, esmagou Jean Valjean. Ele nunca mais foi o mesmo. Ao liberá-lo, o bispo o fez servo de um gesto de grandeza.

A graça de Deus não é uma doutrina teológica para ser arquivada. É a mais prática e a mais bela verdade em toda a Palavra de Deus. Ela deve estar no cerne de sua experiência diária com Deus.

A doutrina da graça de Deus é exposta em várias cartas do Novo Testamento como Romanos, Gálatas e Efésios. Mas Quem poderia esperar encontrá-la brilhando nas páginas de 2Samuel 9? Pelo modo como Davi tratou Mefibosete, observamos um retrato da graça de Deus.

Contexto:

Este incidente ocorreu aproximadamente na metade do reinado de Davi. O Rei Davi estava refletindo sobre o seu querido amigo Jônatas, que havia sido morto em batalha junto com seu pai Saul cerca de 20 anos antes.

Davi havia prometido tanto a Saul quanto à Jonatas que não exterminaria seus descendentes quando se tornasse rei (1Sm 20.12-17, 42; 24.21). Então, Davi disse: “Resta ainda, porventura, alguém da casa de Saul, para que use eu de bondade para com ele, por amor de Jônatas?” (2Sm 9.1).

A palavra “bondade” (9.1, 3, 7) é a chave para este capítulo. É a palavra hebraica chesed, freqüentemente traduzida por “bondade”. Ela aponta para o fiel e infalível amor de Deus por Seu povo. Ela está relacionado ao chasidah, a palavra hebraica para “cegonha”. Talvez você tenha pensado porque nós associamos cegonhas e os bebês. Essa história vem dos hebreus, que observaram o amor excepcional e o cuidado que a cegonha demonstrava para com seus filhotes. Ela faz o seu ninho no mais alto das árvores, a salvo de seus inimigos. Ela nutre e cuida dos filhotes, as cegonhas representam um amor fiel. Os Hebreus diziam: “Essa é a maneira como Deus nos ama!” Não há nada em nós para merecer isso. A graça decorre da natureza de Deus.

Você vai notar que Davi disse: “Resta ainda, porventura, alguém da casa de Saul” Ele não pergunta se existe alguém saudável ou bem-sucedido, alguém qualificado, não, ou até mesmo “alguém que mereça”, não! Apenas, “alguém?”

Quando Ziba informou a Davi, talvez com uma pontinha de aviso em sua voz, “ele é coxo de ambos os pés”, Davi não perguntou: “Do que ele é aleijado?” “Davi não pensou: Ele seria inútil por aqui”. Ao invés disso, ele perguntou: “Onde ele está?” e mandou buscá-lo. A graça não depende do destinatário. Graça é um favor imerecido de Deus.

Há três coisas sobre a graça de Deus que estão ilustrados na a história de Mefibosete e Davi:

1. A Graça de Deus nos Alcança onde Estivermos.

A graça de Deus inicia o relacionamento. O Misericordioso Deus não espera que nos aproximemos dele para sermos envolvidos pela Sua graça. Na verdade, não podemos buscar a Deus com nossas próprias forças. A obra é inteiramente do Altíssimo, é Ele quem nos procura e nos encontra onde estivermos.

Note que foi o próprio Rei Davi, o homem mais importante que buscou a Mefibosete. O filho de Jônatas não estava buscando o favor de Davi. Ele não se considerava em condições de ter algum dia uma posição de honra no palácio. Na verdade, ele estava na clandestinidade, quando o rei encontrou. Este episódio se assemelha muito com a nossa vida.

A. Estávamos mortos em nossos delitos e pecados.

Duas vezes no texto somos informados de que Mefibosete era aleijado dos pés (9.3, 13). Quando o pai de Mefibosete, Jônatas, e seu avô, Saul, foram mortos em batalha, a ama, ou a escrava que cuidava da criança Mefibosete, percebeu que ele era o único herdeiro do trono e sua vida estava em perigo. O costume comum dos monarcas orientais naqueles dias era eliminar todos os rivais do trono. sucedeu que, apressando-se ela a fugir, ele caiu e ficou manco (2Sm 4.4).

O paralelo espiritual é óbvio. Assim como Mefibosete caminhava com seu pai, o homem inicialmente andava com Deus. Mas o pecado do homem veio e sofreu uma queda que o deixou como espiritualmente aleijado, afastado de Deus. Nós nascemos com uma natureza que nos separa de Deus e nos impede de chegar a Deus. Essa é a condição em que estávamos quando Deus nos procurou com o seu grande amor: “Estavas mortos em nossos delitos e pecados” Ef 2.1.

Observe que Mefibosete não foi curado de sua imperfeição, embora ele vivesse na presença do Rei em seu palácio. Toda vez que ele caminhava juntamente com suas muletas no esplendor do palácio, Mefibosete deve ter pensado: “Graça, graça!” Da mesma forma, quando Deus transformou o nosso coração e nos deus a absoluta certeza da salvação, ele não retirou as nossas imperfeições. Ainda somos pecadores, ainda somos espiritualmente imperfeitos, mas somos membros da família de Deus destinados a morar no palácio do Rei, graças à Sua graça.

B. Estávamos longe de Deus.

Davi pergunta: “Onde ele está?” (9.4). Ziba respondeu: “Ele está em Lo-Debar”. Era uma vila obscura ao norte de Jerusalém, a leste do Jordão, na região de Gileade (Am 6.13). Mefibosete sabia que, em virtude de sua linhagem, ele poderia ser condenado à morte pelo rei Davi, e assim ele estava vivendo em total obscuridade em Lo-Debar. O termo “Lo” em hebraico significa “não”, já a palavra “Debar”, significa “pastagem”. Ou seja, ele estava em um lugar ermo, afastado, totalmente isolado e escondido do rei.

É exatamente o lugar onde nós estávamos, quando Deus nos encontrou. Devido a nossa linhagem (descendentes de Adão), somos merecedores da condenação e do juízo de Deus.

Você pode imaginar o que Mefibosete deve ter pensado quando os mensageiros do rei bateram à sua porta e disseram: “Venha com a gente. O rei Davi quer vê-lo no palácio!” Versículo nos mostra que o seu medo era visível que o Rei Davi, antes de tudo disse: “Não temas...”

7 Então, lhe disse Davi: Não temas, porque usarei de bondade para contigo, por amor de Jônatas, teu pai, e te restituirei todas as terras de Saul, teu pai, e tu comerás pão sempre à minha mesa.

8 Então, se inclinou e disse: Quem é teu servo, para teres olhado para um cão morto tal como eu?[1]

Nós nunca teríamos ouvido falar de Mefibosete se não fosse os passos graciosos Davi levou para salvá-lo. Seu nome foi escrito na Palavra de Deus, porque Davi chegou até ele e ajudou-o.

Todavia, a graça do deus procura-nos onde nós estamos em: Caído em pecado ou longe de Deus. O significado do nome de Mefibosete descreve muito bem a sua realidade: destruidor de vergonha. Mas, o Rei Davi o procurou numa terra árida sem esperança, longe de tudo e de todos, para transformá-lo num príncipe. Isso é graça! Mefibosete não fez nada para merecer tamanha bênção, mas a bondade de Davi o alcançou.

2. A Graça nos Leva a Presença do Rei.

A aflição de Mefibosete era uma bênção disfarçada. Se ele não tivesse dificuldades físicas ele teria, certamente, desafiado o trono de Davi ou até mesmo escapado dos mensageiros do rei. Mas sendo aleijado de ambos os pés, não havia muito que pudesse fazer, exceto acompanhar os guardas.

Ou seja, somente aqueles que reconhecem a sua condição espiritual podem responder a graça de Deus. Aqueles que pensam que estão bem espiritualmente, muitas vezes são rebeldes. Mas Mefibosete foi até o rei. E ele encontrou julgamento? Não! Ele encontrou A, B, C de graça - Aceitação, Bênção, e Comunhão.

A. Graça traz aceitação no Amado.

“Então, lhe disse Davi: Não temas, porque usarei de bondade para contigo, por amor de Jônatas, teu pai...” (2Sm 9.7).

Davi e Jônatas fizeram uma aliança (1Sm 20.13-17). Mefibosetedescobriu que ele foi aceito por Davi por causa do seu querido amigo, Jônatas.

Da mesma forma, Deus, o Pai fez um pacto com o Seu amado, o Senhor Jesus Cristo. Por causa Cristo, Ele nos mostra a Sua bondade. Paulo escreveu que Deus “... nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado” (Ef 1.5-6).

Louvado seja Deus, por que o Altíssimo nos aceita, apesar de nossas deficiências, por causa do Seu Filho amado, Jesus Cristo.

Quando Mefibosete sentou-se na mesa de Davi, a toalha da mesa cobriu os seus pés. Da mesma forma, quando nos sentamo-nos à mesa do Senhor, o sangue de Cristo cobre as nossas imperfeições!

B. Graça traz bênçãos sem medidas.

“... e te restituirei todas as terras de Saul, teu pai, e tu comerás pão sempre à minha mesa” (2Sm 9.7).

10 Trabalhar-lhe-ás, pois, a terra, tu, e teus filhos, e teus servos, e recolherás os frutos, para que a casa de teu senhor tenha pão que coma; porém Mefibosete, filho de teu senhor, comerá pão sempre à minha mesa. Tinha Ziba quinze filhos e vinte servos.

§ Mefibosete recebe as terras, a herança de seu pai (9.9);

§ Ele recebeu a graça da provisão. Os filhos e os servos de Ziba deveriam trabalhar para Mefibosete.

Quantos filhos filhos e servos tinha Ziba? A resposta está no verso 10: “Tinha Ziba quinze filhos e vinte servos” Graça sobre graça, superabundante e transbordante!

A graça de Deus para conosco é assim:

2 Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas? (Rm 8.32)

3 Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo, (Ef 1.3)

A graça de Deus não retém qualquer bênção destinada ao nosso benefício. Como escreveu o Salmista:

11 Porque o Senhor Deus é sol e escudo;

o Senhor dá graça e glória;

nenhum bem sonega aos que andam retamente. (Sl 84.11)

C. Graça traz a Comunhão com o Rei e Seus Filhos.

Davi ordenou que Mefibosete comesse regularmente na mesa do rei. No caso de alguém esquecer, isto é indicado quatro vezes: 9.7, 10, 11, 13. Você pode imaginar o que deve ter sido para Mefibosete? Ele era um aleijado vivendo na obscuridade em Lo-Debar, onde a coisa mais emocionante que fazer era se sentar ao redor assistindo a queda das ervas daninhas. Ele é levado à capital de Jerusalém, onde ele poderia tomar todas as suas refeições ao lado do homem mais poderoso e mais rico de Jerusalém, além disso, Davi proclamou que Mefibosete deveria ser tratado como um príncipe.

Da mesma forma, Deus nos chamou à comunhão com Ele e com Seu Filho. Ele fez de nós membros da sua família, onde nós partilharmos juntos a graça de Sua mesa. Sua graça trouxe-nos em dia, doce comunhão com o Rei dos Reis e Seus filhos.

Assim, a Graça nos procura onde estivermos; a Graça nos leva a presença do Rei.

3. A Graça nos Mantém Firmes Diante do Retorno do Rei.

Para entender este ponto, devemos observar o capitulo 19 do Segundo Livro de Samuel (2Sm 19.24-30). Neste capítulo, o filho de Davi, Absalão se rebelou contra o pai, e Davi foi forçado a fugir de Jerusalém. Mefibosete tinha planejado ir junto, mas Ziba o enganou e saiu sem ele. Em seguida, ele mentiu dizendo a Davi que Mefibosete estava esperando para servir ao outro rei: “Hoje, a casa de Israel me restituirá o reino de meu pai” (16.1-4). Davi num ato impensado deu às pressas a terra de Mefibosete para Ziba. Agora, Davi está de volta e vai ao encontro de Mefibosete (19.24-30).

Esta parte da história ilustra o crente, que recebeu a graça de Deus, esperando fielmente para o retorno do rei. A aparência de Mefibosete e suas palavras a bondade de Davi demonstram e revelam como a graça de Deus guarda-nos para o retorno de Cristo.

A. A graça que nos mantém vivos lealmente em sua ausência.

Mefibosete tinha a aparência de uma pessoa enlutada. “Também Mefibosete, filho de Saul, desceu a encontrar-se com o rei; não tinha tratado dos pés, nem espontado a barba, nem lavado as vestes, desde o dia em que o rei saíra até ao dia em que voltou em paz” (2Sm 19.24).

O usurpador estava no trono, e Mefibosete não pôde entrar em a frivolidade da corte de Absalão, enquanto Davi era perseguido. Seu coração era leal a Davi, e seu estilo de vida reflete isso.

Agora, o nosso rei está ausente nesta terra. Um usurpador, o príncipe deste mundo, está temporariamente no trono. Mas o dia se aproxima quando Cristo voltará para governar. Em sua ausência, o fato de que recebemos a sua graça deve levar-nos a viver separado das coisas deste mundo. Certamente, algo que deve causar tristeza ao nosso Senhor quando aqueles a quem Ele tem derramado a Sua graça vivem para os prazeres deste mundo, como se o Rei não fosse voltar.

B. Graça nos Mantém Vivo com Saudade de sua Presença.

Quando Davi percebeu seu erro, dando a terra a Ziba, ele diz, “Você e Ziba repartirá a terra” (19.29). Os estudiosos não estão certos se isso significa que Davi estava restaurando a posse original a Mefibosete ou se Davi não tinha certeza de quem estava certo e optou por dividir a terra. É possível também que Davi estivesse testando Mefibosete, como também o rei Salomão que foram posteriormente testou as duas mulheres alegando que tinham o mesmo bebê.

O importante é observar a resposta Mefibosete (19.30): Ele disse ao rei: “Fique ele, muito embora, com tudo, pois já voltou o rei, meu senhor, em paz à sua casa” (2Sm 19.30).

30 — Que Ziba fique com tudo! — respondeu Mefibosete. — Para mim é suficiente que o senhor tenha voltado em paz para casa.[2]

Ele não queria a terra, ele queria a pessoa que tinha demonstrado tamanha bondade. A presença do Rei era mais importante do que as suas bênçãos.

Muitos anos atrás, Shah Abbis reinou na Pérsia. Ele profundamente amava o seu povo. Para entender as suas necessidades, ele misturou-se com eles em vários disfarces. Um dia ele foi como um pobre homem aos banheiros públicos onde se sentou ao lado de um homem comum que cuidava da fornalha. Ele falou com ele e compartilhou de seus alimentos. Nas semanas que se seguiram, voltou muitas vezes, de modo que o homem chegou a amá-lo como um amigo querido.

Então um dia o Xá revelou sua verdadeira identidade. O rei aguardou, esperando que o pobre homem fizesse algum pedido precioso. Mas o homem ali sentado, olhando com admiração. Finalmente, falou: “Você deixou seu palácio e sua glória para sentar-se comigo neste lugar humilde, participou da minha comida, preocupou-se comigo. Em outros, você pode conferir grandes riquezas, mas para mim você me concedeu um presente muito maior - você mesmo. Por favor, sua majestade, não retire da minha vida o inestimável dom da sua amizade”.

A graça de Deus deve nos fazer ansiar pelo retorno de Cristo, quando iremos vê-Lo face a face. O próprio rei é nosso deleite.

Quando encontramos a vida eterna, a graça, a alegria da intimidade com Deus, não procuramos mais a Deus para ter riquezas, ou saúde. O que mais ansiamos é a comunhão com Ele. Não são as bênçãos de Deus, mas o Deus das bênçãos.

Conclusão

Nós nunca teríamos ouvido falar de Mefibosete se não fosse a bondade e a fidelidade de Davi. Seu nome foi escrito na Palavra de Deus, porque Davi chegou até ele e ajudou-o.

Durante um campeonato ente escolas em 2009, no estado de Kansas, uma coisa incomum aconteceu. A equipe que venceu os 3.200 metros foi desclassificada. Mas o que aconteceu em seguida foi ainda mais incomum.

A primeira escola, Colgan St. Mary's, perdeu o primeiro lugar, porque os juízes decidiram que um corredor havia saído de sua pista ao passar o bastão para outra atleta. Diante disto, a segunda equipe, a Maranatha Academia, recebeu a medalha de ouro. Entretanto, depois de receberem suas medalhas, as meninas observaram a decepção estampada na face das atletas que foram desqualificadas. Diante desta cena, elas resolveram entregar as medalhas de ouro para elas.

Por que elas fizeram isso? Como treinador da Maranatha Bernie Zarda colocou: “O nosso tema do ano era correr não para nossa glória, mas para glória de Deus” Como resultado da ação das garotas, sua história foi contada ao longo do Kansas, e o nome de Deus foi exaltado.[3]

Agir com graça e gentileza para com os outros é uma das melhores maneiras de levar as pessoas ao Rei dos reis. Se eu sei que Jesus Cristo, eu sei que meu pecado foi perdoado, se eu conheço a hesed  se eu já experimentei a bondade amorosa de Deus, e daí? Qual é a minha responsabilidade agora neste mundo?  Qual é a minha responsabilidade na igreja?  Qual é a minha responsabilidade no trabalho? Qual é a minha responsabilidade no bairro onde eu moro?  Ouça Miquéias 6.8. 

8 Ele te declarou, ó homem, o que é bom e que é o que o Senhor pede de ti: que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus.[4]

Amar a bondade de Deus e amar o Evangelho de tal forma que você vai desejar compartilhá-lo. Então eu quero desafiá-lo nesta noite com esta passagem, esta imagem do Evangelho no Antigo Testamento.

Existe alguém que você precisa mostrar a bondade?  Caros amigos meu, Deus tem sido tão imensamente bom para nós.  Ora aqui está o desafio - para quem e em que circunstância é que vamos demonstrar isso aos outros?   Esta é uma pergunta para você – existe alguém que você deva mostrar a bondade de Deus?

-----------------------------------------------------------------

[1] Sociedade Bíblica do Brasil. (2003; 2005). Almeida Revista e Atualizada, com números de Strong (2Sm 9:8). Sociedade Bíblica do Brasil.

[2] Sociedade Bíblica do Brasil. (2005; 2005). Bíblia de Estudo Nova Tradução na Linguagem de Hoje (2Sm 19:30). Sociedade Bíblica do Brasil.

[3] Our Daily Bread, 28 de março de 2011.

[4] Sociedade Bíblica do Brasil. (2003; 2005). Almeida Revista e Atualizada, com números de Strong (Mq 6:8). Sociedade Bíblica do Brasil.

 

http://ipbtabuazeiro.blogspot.com.br


Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!
Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

A Maravilhosa Graça de Deus Reviewed by Aldenir Araujo on 4/20/2012 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!

All Rights Reserved by Esboços de sermões © 2014 - 2016
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.