Semeando para a vida

Texto: Marcos 4:10-25 Introdução: Na meditação passada falamos sobre o período da semeadura. As expectativas, as frustrações e enfim a co...

Texto: Marcos 4:10-25

Introdução:

Na meditação passada falamos sobre o período da semeadura. As expectativas, as frustrações e enfim a colheita. Hoje seguiremos falando da semeadura e as lições do que fazer depois de lançarmos preciosas sementes neste mundo. Porque na verdade não se lança a semente e somente. Aguarda-se resultados após isso. E é isso que Jesus vai explicar após contar a parábola do semeador.

Transição:

O texto diz que Jesus está sozinho, e nesse momento os doze que estavam com ele pede para que Jesus explique a respeito da parábola ensinada antes ao povo. E Jesus lhes explica detalhadamente o processo que se dá no recebimento da Palavra que é a semente lançada nos corações. Alguns a receberão e frutificarão, outros porém não darão o resultado esperado e não vingarão para a grande colheita que virá. Portanto precisamos aprender algumas coisas aqui, quando semeamos na expectativa de grandes frutos da parte de Deus nessa terra. Seja almas, ou seja resultados almejados:

I) Precisamos fazer uso da Paciência para ver os resultados: (10-12).

- Que bom seria se tudo que plantássemos hoje desse frutos hoje. Mas na verdade não é bem assim.
- Existe um período que chamamos de período de espera.
- Já reparou que quando plantamos uma semente, parece que nada está acontecendo em determinado período?
- Lembro-me de uma experiência que fizemos com um grão de feijão quando ainda estava nos primeiros anos de escola. Parecia que aquele grão não ia dar em nada, mas com o passar dos dias um fio verde começou a surgir e logo se tornou em uma pequena planta que resultou em vagens com muitos grãos.
- A verdade é que Deus tem seus meios de trabalhar na vida do homem. E para isso ele usa um momento que chamamos TEMPO para assim realizar algo em nós.
- Jesus deixa claro que algumas pessoas não compreendem a verdade, simplesmente porque não estão prontas para recebe-la.
- Por isso precisamos entender que quando falarmos com pessoas a respeito do reino de Deus, precisamos estar certos de que só haverá uma resposta positiva se estiverem prontas para isso. Assim também com resultados, só teremos êxito se estivermos prontos para tal, e isso ocorrerá com o tempo.
- Por isso precisamos ser pacientes, mesmo aproveitando todas oportunidades para falarmos as pessoas, e ao mesmo tempo pacientes conosco mesmo a espera de que o resultado de nossos investimentos virão num tempo determinado pelo Senhor para que estejamos prontos para recebermos o melhor de Deus.
- Foi assim com José no Egito que sonhou sonhos grandiosos para sua vida, mas só viu o cumprimento depois de muitos anos, (cerca de 17 anos depois).
- E foi assim também com Pedro que ouviu a Palavra, participou do ministério de Jesus efetivamente, mas que só se posicionou com firmeza após a morte e a ressurreição de Cristo. E Jesus teve toda a paciência para com ele.
- Por isso também devemos tê-la.
- Seja paciente e espere que semeando Deus através do se Espírito abra a mente e o coração tanto o nosso quanto daqueles que receberão a Palavra. Para que ao seu tempo os resultados surjam como esperado.
- Frutos perfeitos e abençoados para Deus.

II) Devemos saber que fertilidade tem a ver com todas as áreas da vida. (14-20).

- De acordo com Jesus,os quatro diferentes tipos de solo representam as quatro diferentes maneiras como as pessoas respondem á mensagem do Evangelho.
- E geralmente pensamos que ao contar essa parábola Jesus se referia a quatro diferentes tipos de pessoas, mas ele foi mais abrangente.
- Essa parábola também pode se referir a maneira como aplicamos a Palavra de Deus em diferentes fases, e em diferentes áreas de nossa vida.
- Resistindo a aplica-la integralmente em nós.
- Ex: Podemos estar abertos para Deus permitindo que ele nos oriente quanto ao nosso futuro, mas totalmente resistentes para que o faça no presente.
- Podemos permitir que ele governe nossa área afetiva ou a profissional, mas não que ele interfira na maneira em que gastamos nosso dinheiro.
- Podemos ser comparados ao solo fértil na maneira como adoramos a Deus, mas também como solo rochoso quando não cumprimos suas ordens para ajudarmos aos necessitados.
- Por isso precisamos ponderarmos se estamos sendo férteis em todas as áreas da vida.
- Pois apesar dos apelos e das preocupações em termos o melhor, vindo ao ponto de nos sobrecarregar-nos como nos mostra o versículo 19, o que pode tornar surdos ao querer de Deus.
- Precisamos livrar-nos dos excessos para ouvirmos a voz de Deus quando ele fala conosco.
- Assim poderemos ver o resultado à trinta, sessenta e a cem por um.

III) Cada coisa precisa cumprir um fim específico. (21-25).

- A citação da candeia não está aqui por acaso.
- Jesus ensina desde o início do capítulo quatro que a semente te um fim específico: tornar-se fruto. Seja ele fruto mal ou bom.
- O fim de uma boa semente é tornar-se um fruto de qualidade. Isso vemos na evolução que a ciência tem alcançado com os diferentes tipos de grãos e com cada vez mais qualidade. O que é chamado “grãos selecionados”.
- Se plantamos um grão mirrado, ou de terceira qualidade, o final será uma colheita de qualidade inferior.
- Então sabemos que precisamos plantar o melhor.
- Porque o que plantamos virá a tona no dia em que colhermos.
- Assim Jesus emprega ligado a parábola do semeador mais uma premissa: não dá para esconder algo que por princípio terá de refletir no final.
- Primeiro: não poderemos esconder os frutos que colhemos, isso será revelado a todos aqueles que estiverem ao nosso redor.
- Segundo: não poderemos esconder o que realmente somos. Deus não só nos criou para a sua glória, mas para sermos referenciais de vida aos outros. Por isso não podemos nos esconder, e nem desprezar o agir de Deus em nós, visto que isso será evidenciado aos homens.
- Sendo assim, entendemos porque o Senhor nos criou e nos chamou: para um fim específico. Assim como a semente dar frutos e como a candeia resplandecer a luz de Cristo ao mundo.
- Você não pode se esconder!

 

IV) Entender que somos responsáveis pelo uso correto do que temos. (25).

- Você sabia que o quanto temos não é tão importante quanto o uso que fazemos do que possuímos?
- Muita gente se preocupa com a quantidade do que possui e as vezes faz mau uso dos recursos dado a elas nessa vida.
- Conheço muita gente boa com qualidades e condições excepcionais na vida mas que se escondem. Escondem talentos, enterram dons e assim por diante.
- Também conheço muita gente simples ( não no sentido financeiro) que se desdobram para fazer a luz de Cristo brilhar nessa terra. E com isso Deus as abençoa transformando os poucos recursos que elas tem em poderosa arma de testemunho para Deus.

Conclusão:

Conhecemos a história. Sabemos que o Senhor das terras irá voltar um dia. E quanto ao que ele te deixou como talentos e dons, haverá um dia de acerto. As terras estão aí, a semente já está em suas mãos o que você fará com ela?

Pr. Fábio Ramos

Artigos Relacionados

Estudo biblico 3595288791604109041

Postar um comentário

emo-but-icon

Popular

Recentes

Comentários

Seguidores

Siga no Facebook

Siga no Google+

item