Duas qualidades da mulher vencedora

Texto: Isaías 49:15; Provérbios 14:1

Introdução:

Geralmente toda igreja tem mais mulher do que homem, talvez só nos presídios haja essa exceção. Em qualquer lugar do planeta vai ter nas igrejas mais mulheres do que homens. Em média são 2/3 de mulheres para 1/3 de homens, e em nossa igreja não é diferente. Por que é assim? Porque Deus estabeleceu dessa forma. Podemos perceber que em relação as coisas do Espírito a mulher é mais sensível, mas discernidora, mais intensa em Deus e quando entram no padrão que o Senhor estabeleceu, a igreja é forte. Porém quando as mulheres usam o poder que tem para a decadência e imoralidade o país se torna decadente também. E o diabo sabedor desse poder da mulher procura se infiltrar no meio das mulheres com enganos e sofismas. A coisa fica pior quando a mulher que é feminina, resolve negligenciar esse principio espiritual e começa a viver uma vida masculina dentro de casa e aí vamos ter um casamento de dois homens dentro de casa onde não há dependência, submissão e neste ponto é que está a raiz dos problemas conjugais e familiares. Neste ponto, famílias são destruídas e igrejas são divididas, tudo por que a mulher não sabe ser mulher. Em Provérbios 14:01 diz que a mulher sábia edifica a sua casa.

O poder da influência da mulher: A bíblia está repleta de mulheres que foram usadas tremendamente por Deus e através da sua existência marcaram a sua geração, pois foram mencionadas entre os heróis da fé. Podemos ver no exemplo de Sara e Raabe (Hb 11:11 e 11:31). Sara era estéril e mostrou ter muita fé quando não desistiu de ter o filho que o Senhor lhe prometeu. Ela perseverou na crença e aos 90 anos, deu à luz a Isaque, que era o herdeiro da promessa feita a Abraão. A outra, Raabe, a meretriz, creu no Deus dos espias, e por isso os acolheu. Ana também foi um exemplo de mulher de oração (I Samuel 1:10 a 17). Ana tinha uma grande angústia em seu coração: ela era estéril. Nunca poderia gerar filhos.

Ela tomou a atitude decisiva de guerrear no mundo espiritual: orar com toda intensidade, com suas lágrimas, com o coração transparente e sincero. Ana se derramou em súplicas diante de Deus. Ao orar com toda a intensidade de sua alma, Ana agora iria enfrentar um julgamento falso a seu respeito. Era exatamente dessa palavra que Ana precisava: paz e confirmação da vontade de Deus em seu coração. Ela tomou posse da paz, e o texto nos diz que ela, a seguir, seguiu seu caminho e comeu, e já não era triste o seu semblante, aleluia!

Ali, naquele momento aconteceu a cura da alma de Ana. Foi quando se derramou de coração diante do Senhor; quando enfrentou incompreensão e calúnia e manteve-se firme em seu propósito de buscar a Deus, é que Ana experimentou a paz para prosseguir vivendo, crendo e sonhando os sonhos de Deus para si.

Duas qualidades indispensáveis das mães, mulheres que influenciaram sua geração:

 

1) Fé incomum:

Elas expressavam fé em seu estilo de vida (Tiago 2:26). Fé sem ações não é nada. Exemplo: nossos filhos só acreditam em nosso Deus invisível, se visivelmente verem você conversando, suplicando, agradecendo, se alegrando com Deus e tendo uma vida diária com Ele. Os nossos filhos não são tolos, eles imitam nossas ações, sejam boas ou ruins. Se expressarmos nossas ações de fé, eles também farão o mesmo. Em 2 Timóteo 1:1 a 7 Paulo se lembra de duas mulheres que são Lóide e Eunice (avó e mãe de Timóteo). Elas são exemplos, pois foram recordadas por sua fé sem fingimento.

2) Oração incomum:

Mateus 15:22 a 28 fala sobre uma mulher que também era mãe e bradou, gritou em favor de sua filha que estava endemoninhada. No verso 23 mostra que os discípulos queriam a despedir, porém ela continuou com a sua insistência e perseverança. Também mostra que Jesus ficou em silêncio: a oração das mulheres que influenciaram gerações também enfrentaram o silêncio do Senhor e a resistência dos homens, porém essa mulher foi intercessora. Na primeira interrogação de Jesus houve intercessão, onde ela veio e o adorou clamando por socorro (verso 25). Ela se humilhou, se rebaixou e dobrou-se. No verso 26, Jesus faz a segunda interrogação, onde no verso 27 houve humilhação e rebaixamento por sua parte: “Ela, contudo, replicou: Sim Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos”. Onde no verso 28 Jesus declara que cumpriu o seu desejo vendo a demonstração de sua grande fé.

Conclusão:

Vimos vários exemplos de mulheres que marcaram gerações por seu amor, fé, perseverança, etc. Que nos dias de hoje, possamos tomá-las como exemplo para alcançar nossos objetivos e avançar em nossa vida cristã movendo o coração do Senhor através de nossas atitudes de fé.

Pr. Rogério Braga

Duas qualidades da mulher vencedora Reviewed by Esboços de sermões on 10:41 AM Rating: 5

Nenhum comentário:

All Rights Reserved by Esboços de sermões © 2014 - 2015
Powered By Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.