A trindade revelada na Bíblia

O Deus verdadeiro que adoramos subsiste em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo, iguais em natureza, poder e glória. Esta é a doutrina que encontramos na Bíblia e ela é fundamental para o entendimento de muitos outros fatos sobre Deus e sobre o seu relacionamento com a nossa pessoa. A doutrina da Trindade sempre teve um importante papel na história eclesiástica e os pais da Igreja produziram vários documentos reafirmando-a como um dos pontos básicos do Cristianismo fiel.

A TRINDADE REVELADA NA BÍBLIA

Mateus 3.13-17; João 14.1-3, 16, 17

Para decorar: Mateus 28.19

Ponto Central: A pessoa de Deus e a doutrina da Trindade é uma das doutrinas fundamentais da fé cristã e está claramente revelada nas Escrituras.

Leia e Medite: Salmo 148.1-14

Notas sobre a leitura

Mateus 3.13-17

Galiléia – O Mestre veio da humilde Nazaré da Galiléia, como nos diz Marcos 1.9.

Ter com João – Jesus veio apoiar o ministério de João e submeter-se ao seu batismo.

Jordão – Rio que deságua no Mar Morto, nascendo de várias fontes e percorrendo 700 km até o seu delta, que fica 392 m abaixo do nível do mar. Esteve sempre presente na história do povo de Deus, provavelmente já foi um rio bem maior do que o riacho que é hoje.

Jesus – O início do ministério público de Jesus – o verbo feito carne, habitando entre os homens. Deus revelado. “Emanuel” – Deus conosco, cumprindo sua missão de pregação e salvação dos seus, que o levaria até a morte na cruz e a vitória pela ressurreição.

Espírito de Deus – O Espírito Santo, por meio de quem homens pecadores são reconciliados com Deus. Este Espírito desceu sobre Cristo manifestando sua aprovação, o testemunho ao mundo da missão divina de Cristo e o envolvimento da Trindade na obra de Redenção.

Como pomba – Não é uma encarnação em um animal, mas a aparição visível em forma de pomba.

Uma voz dos céus – Deus Pai falando, mostrando a distinção de pessoas na Trindade. O Pai e o Espírito atestam a certeza de que Jesus Cristo é o Messias.

João 14.1-3, 16 e 17

Casa do Meu Pai – Em 2.16, a referência era ao Templo. Neste trecho, a referência é ao céu, ao lugar de comunhão eterna com Deus Pai, Filho e Espírito Santo. A expressão, utilizada por Jesus, mostra a distinção de pessoas na Trindade.

Consolador – No Grego é “Parácleto” e significa - alguém que é chamado para estar ao lado de outro. Jesus diz “outro” porque Ele próprio já havia desempenhado esta função junto aos discípulos.

1. Introdução

O Deus verdadeiro que adoramos subsiste em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo, iguais em natureza, poder e glória. Esta é a doutrina que encontramos na Bíblia e ela é fundamental para o entendimento de muitos outros fatos sobre Deus e sobre o seu relacionamento com a nossa pessoa. A doutrina da Trindade sempre teve um importante papel na história eclesiástica e os pais da Igreja produziram vários documentos reafirmando-a como um dos pontos básicos do Cristianismo fiel.

Muitas heresias começaram com a negação da doutrina da Trindade. Nos dias de hoje, os Testemunhas de Jeová, se destacam na negação desta doutrina. Apresentam uma linguagem bíblica na sua mensagem, mas contradizem a Palavra de Deus com seus ensinamentos. Por isso não podem ser considerados Cristãos a exemplo do Arianismo, que, nos anos 318 a 381 da era cristã, assolou a igreja, negando a eternidade e a divindade de Cristo. Antes desse episódio nós podemos ver também o Apóstolo João, o discípulo amado, se levantando veemente contra esse tipo de heresia e antes ainda o Apóstolo Paulo combatendo através da carta aos Colossenses. No 4º século um Concílio realizado na cidade de Nicéia produz o Credo Niceno, que reafirma a doutrina da Trindade.

2. Como aprendemos sobre Deus?

Quem é Deus? Para responder esta pergunta, temos eu examinar ainda outra: de onde vamos tirar nosso conhecimento sobre ele? Romanos 1.20-21 nos ensina que tanto o poder de Deus como sua própria divindade são demonstrados na natureza, em tudo o que Deus criou.

Como nossa visão foi afetada pelo pecado, temos necessidade da revelação especial das Escrituras Sagradas para sabermos mais sobre Deus. O entendimento pleno da Bíblia, da carta que Deus escreveu para nós, é providenciado pelo Espírito Santo (1 Co 2.10, 12 e 14). Estes versos nos mostram que o que sabemos de Deus não pode surgir da especulação do homem nem da mera contemplação da natureza. Precisamos do padrão, a Bíblia, e da orientação do Espírito, para sabermos objetivamente os fatos sobre sua pessoa.

Vocês vêem a diferença de fé Cristã para com as outras religiões? Extraímos o nosso conhecimento de algo objetivo – as Escrituras, escritas sob a inspiração de quem sabia o que devia ser escrito (1 Co 2.11), enquanto que as demais religiões são fruto da especulação humana, são subjetivas e são frutos da distorção do pecado (Rm 1.25). Firmados, assim, na verdade e no alicerce da Palavra de Deus, vamos aprender o que esta Palavra nos diz que Ele é.

3. O que sabemos sobre a pessoa de Deus?

  1. Deus é um só e único (Dt 6.4). ao contrário do que ensinam muitas religiões, as dizem existirem muitos deuses – uns maiores, outros menores; uns mais poderosos, outros mais fracos; uns representando o bem, outros o mal – a fé cristã, baseada na Bíblia, reconhece a existência de um único Deus, no qual se reúnem todas as perfeições. Em Deus tudo é absoluto, eterno e infinito. Os demais deuses, nos diz Paulo, procedem da ignorância humana (At 17.16,23; 1 Co 8.4-6).
  2. Deus não é apenas o Deus Criador, que se afastou de sua criação e deixa o mundo correr o curso da história. Nosso Deus é um Deus vivo e pessoal, soberano, que age nos dias de hoje, como agiu no passado e que não muda (Tg 1.17). ele é Senhor da Vida e sustenta a tudo e a todos.
  3. Deus é a causa das causas. Ele sempre foi. Ele não é matéria e é diferente de sua criação (transcendente) em essência. Ele é espírito (Jô 4.24) que nos criou à sua imagem e semelhança.
  4. Deus se revela em três pessoas:

         Eternas                              Poder

          Infinitas e           EM          Glória

          Iguais                                Essência

Esta é a doutrina da Trindade: a única divindade, o Deus único, se fazendo conhecido em três pessoas – o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

· Note que Deus se revela nestas três pessoas e não como Pai, como Filho e como Espírito Santo.

· São três pessoas reais, embora distintas por suas propriedades pessoais. O Pai é Deus, o Filho é Deus, o Espírito Santo é Deus. Deus é um só em sua essência e em seu ser.

· Vamos ler alguns trechos da Bíblia onde a doutrina da Trindade está revelada:

Mateus 3.16-17 João 3.18

Mateus 28.19 João 10.30

2 Coríntios 13.13 1 João 5.20

João 1.1 1 Coríntios 8.46

Hebreus 1.3

4. A importância da Doutrina da Trindade

A doutrina da Trindade é uma doutrina difícil, mas a dificuldade existe porque somos limitados em nossa compreensão: somos criaturas e não o Criador. Ela é portanto uma doutrina incompreensível em sua extensão final, mas não ilógica. Ela não fere a lógica de Deus. Pelo contrario, muitas outras doutrinas só são entendidas em função da doutrina da Trindade. Quer um exemplo?

  • Deus é auto-suficiente em tudo. Como é esta auto-suficiência no que diz respeito a comunhão? Muitos cometem o erro de dizer que Deus criou o homem porque precisava de comunhão. Não. A criação do homem está nos propósitos insondáveis de Deus e foi para sua própria glória, não por qualquer necessidade dele. A doutrina da Trindade dá sentido à auto-suficiência de Deus, no que diz respeito a comunhão. Ele tem comunhão em si.

A Trindade esteve ativamente envolvida na criação (Gn 1.1; Jô 1.1) e envolve-se plenamente no processo de Salvação: Deus Pai é o autor da Salvação, que é executada pelo Filho e aplicada pelo Espírito Santo.

Existe subordinação na Trindade? Já verificamos que as três pessoas são iguais em essência, divindade e poder. Os teólogos explicam que na Trindade em si (chamada ontológica) não há subordinação, mas na diferenciação de relacionamentos com o homem, nas atividades auto-impostas por Deus (a Trindade econômica), o Filho é gerado do Pai e o Espírito Santo procede do Filho. Desempenham desta forma, funções específicas, nas quais às vezes confundimos a administração destas funções com subordinação propriamente dita. Por exemplo: o Filho revela o Pai. O Espírito Santo fala não de si mesmo, mas do Filho.

5. As negações e objeções dos incrédulos

A doutrina da Trindade não deve ser alvo de tentativa de prova matemática. Sendo um dos pontos chaves de nossa fé ela é aceita pela fé e pela compreensão de que a Palavra de Deus é veraz. Esta mesma Palavra revela claramente a doutrina, nos trechos indicados no ponto anterior.

Às objeções do racionalista, do campo não religioso, devemos responder que esta doutrina faz parte integral da fé Cristã. Ela não fere o nosso intelecto. Muito pelo contrário, ela dá sentido às ações de Deus e ao seu relacionamento com as suas criaturas. Procure desviar-se da discussão específica sobre uma doutrina que ele nunca compreenderá ou aceitará, a não ser que se converta ao Cristo que salva e nos discerne. Apresente-o ao Evangelho. Por mais que ele fuja, confronte-o com a sua condição de pecador e sua necessidade de redenção. Após esta questão principal, se subsistir o interesse, mostre-lhe os trechos que servem de base à nossa aceitação da doutrina. Ore para que Deus utilize você e lhe dê a palavra certa.

Às objeções dos cultos e seitas (campo religioso), principalmente das Testemunhas de Jeová, mantenha-se firme na Palavra de Deus. Não aceite a “tradução” deles como base (chamada de “O Novo Mundo”), pois ela foi preparada com distorções estudadas exatamente para minar as doutrinas principais do Cristianismo. Não aceite os argumentos pseudolingüísticos apresentados por eles. Mostre o sentido claro dos versículos. Concentre-se naqueles que apresentam a divindade de Cristo. Conscientize-se de que são emissários de satanás e ore a Deus para que não consigam abala a sua fé.

6. Pense e responda!

  1. Quais são os principais meios que Deus providenciou, para que tivéssemos unidade em nossa fé e ela não dependesse da cabeça de cada um?
  2. Por que não é possível alguém se declarar Cristão se não aceitar a doutrina da Trindade?
  3. Qual a sua sensação, em ver que um Deus tão poderoso e incompreensível, chega a amar o pecador que o ofendeu, ao ponto de lhe enviar o seu Filho ao mundo para o salvar?
  4. Como você vai se preparar para os ataques dos cultos e seitas que destroem as preciosas doutrinas da Palavra de Deus?

 

Autor: Ailton de Souza


Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!
Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

A trindade revelada na Bíblia Reviewed by Esboços de sermões on 1/04/2012 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!

All Rights Reserved by Esboços de sermões © 2014 - 2016
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.